Bem que eu desconfiava. Eles não concordam com o pensamento do papa Bento XVI. Estão FORA DA COMUNHÃO. Depois de uma semana em que postei um trecho da SACRAMENTUM CARITATIS eles permanecem com provocações emotivas e algumas mal educadas. Mas não tenho visto uma defesa consistente do pensamento do nosso papa. Da minha parte não preciso dizer mais nada. Estou com o papa. Pe. Fábio também está. Estamos em comunhão com nosso bispo, nossos superiores e nosso papa. Eles têm medo de dizer que o papa tem razão. Alguns já disseram que são anti-romanos. Outros abominam o Concílio Vaticano II. Beberam de seu próprio veneno.

Repito as palavras de Bento XVI. Será que algum de vocês ainda se atreverá a defender as palavras do papa ou vão admitir definitivamente que estão fora da comunhão? Contem com minha prece.

SACRAMENTUM CARITATIS nº 36

 

36. A beleza intrínseca da liturgia tem, como sujeito próprio, Cristo ressuscitado e glorificado no Espírito Santo, que inclui a Igreja na sua acção.(109) Nesta perspectiva, é muito sugestivo recordar as palavras de Santo Agostinho que descrevem, de modo eficaz, esta dinâmica de fé própria da Eucaristia; referindo-se precisamente ao mistério eucarístico, o grande santo de Hipona põe em evidência como o próprio Cristo nos assimila a Si mesmo: « O pão que vedes sobre o altar, santificado com a palavra de Deus, é o corpo de Cristo. O cálice, ou melhor, aquilo que o cálice contém, santificado com as palavras de Deus, é sangue de Cristo. Com estes [sinais], Cristo Senhor quis confiar-nos o seu corpo e o seu sangue, que derramou por nós para a remissão dos pecados. Se os recebestes bem, vós mesmos sois Aquele que recebestes ».(110) Assim, « tornamo-nos não apenas cristãos, mas o próprio Cristo ».(111) Nisto podemos contemplar a acção misteriosa de Deus, que inclui a unidade profunda entre nós e o Senhor Jesus: « De facto, não se pode crer que Cristo esteja na cabeça sem estar também no corpo, pois Ele está todo inteiro na cabeça e no corpo (Christus totus in capite et in corpore) ».(112)

 

108. Cf. Conc. Ecum. Vat. II, Const. dogm. sobre a divina revelação Dei Verbum, 2.4.

 

109. Propositio 33.

 

110. Sermo 227, 1: PL 38, 1099.

 

111. Santo Agostinho, In Iohannis Evangelium Tractatus, 21, 8: PL 35, 1568.

 

112. Ibid., 28, 1: o.c., 35, 1622.

 

31 Comentários

  1. Padre Joãozinho, não só defendo o Papa como acho que ele é a graça que o Espirito Santo gerou e preparou através de seu antecessor o saudoso Papa João Paulo II (mas não leve em conta porque eles também não gostavam do próprio). Verdade! Desde sempre, eles criticam todo mundo. Só eles são donos da verdade. Para mim, através dos seus ensinamento só posso dizer: O Papa é Pedro e é o verdadeiro representante de Jesus aqui na Terra. OK?

  2. Padre Joãozinho, hoje tive a santa paciência de ver e conferir, no You Tube, vários videos seus e do Padre Fábio e com certeza não vi e nem ouvi nada que dissesse que voces dois pregam aquilo que não está na doutrina da Igreja. E tem mais, muito do que voces falam, meu paroco também prega e olha que ele já é bem idoso, mas com uma cabeça aberta ao novo.
    Não quero com isto dizer que os ensinamentos da Igreja devem mudar com a modernidade, mas sim os pensamentos podem e devem se atualizar dentro dos parâmetros da Doutrina da Igreja, pois os tempos mudam, os dogmas mudam (ops…. deixe-me explicar o que entendi: nós é que vamos tirando aproveito dos mesmos e assim vamos sentindo em nossos corações a necessidade cada vez maior de crer naquilo que os grandes chefes da Igreja, professaram)
    Padre Joãozinho, quando o Cardeal Rastinger foi nomeado Papa, muitos foram contra porque ele era isto, era aquilo, ia acabar com a Igreja, etc……… Pois o homem esta ai, surpreendendo todo o mundo com sua fidelidade à doutrina, sem deixar de ser moderno. São Paulo, nos disse: “quando era criança falava como criança, mas agora tenho de falar como adulto”
    E viva o Papa!!!!!!

  3. Pe. Joãozinho,

    Lastimável… O Sr. realmente recusa-se a responder as perguntas que lhe foram feitas. Não se iluda, apesar de “excomungar” os tradicionalistas, o Sr. não conseguirá jogar areia nos olhos daqueles que escandalizou com seus erros. ELES SÃO VISÍVEIS DE MAIS.

    Paciência…

    Em todo caso, ficamos felizes por seu blog ter ganhado ibope e – pode acreditar – continuaremos fazendo o possível para que sua fama cresça tanto que chegue até o Vaticano…

  4. Beatriz Lobo

    A Unidade em Cristo

    Joa 17, 21-23
    “Que todos sejam um, como tu, Pai, estás em mim, e eu em ti. Que eles estejam em nós, a fim de que o mundo creia que tu me enviaste. Eu lhes dei a glória que tu me deste, para que eles sejam um, como nós somos um: eu neles, e tu em mim, para que sejam perfeitamente unidos, e o mundo conheça que tu me enviaste e os amastes como amaste a mim”.

    Entender isso pra mim, não foi muito fácil. Quando via o Sacerdote levantar a Hóstia e consagrá-la, eu pensava:
    – Pronto, agora ele vai dividir o Corpo de Cristo. Que parte irá vir pra mim? Uma atitude de Jesus, um olhar, um dedinho? E eu perguntava como se dá isso meu Deus? Será que recebo aquela parte que necessito neste momento?
    Pode parecer infantil, mas é assim mesmo, através dos questionamentos é que chegamos ao conhecimento. Como uma criança, que tudo pergunta para conhecer e aprender, assim também devemos fazer com o Pai, que não se incomoda nem um pouco com nossas perguntas, e está sempre nos ensinando com paciência e amor.
    A resposta veio primeiro em uma visão. Ele me mostrou pessoas de várias raças e credos, delas saiam um fio de luz para o alto, e quando olhei pra cima vi o Corpo de Cristo, formado por aqueles pontos de luz. Somos como células no Corpo de Cristo, cada um de nós temos uma função nesse corpo, somos um corpo, dentro de um corpo.
    Depois lendo o Catecismo da Igreja Católica (1377), entendi que Cristo está presente em cada uma das espécies e inteiro em cada uma das partes, de maneira que a fração do pão não divide o Cristo. Assim Cristo está presente por inteiro em cada um de nós.
    Deus enviou o Espírito Santo a Cristo, através do batismo, para conduzi-lo em seu ministério (Luc 3, 21-22). E a nós, Deus envia seu Espírito para nos revelar o Cristo que está dentro de nós. O Espírito Santo, através do sopro de Deus, vivifica a Divindade, o Cristo que está em nós. A partir daí saberemos separar o homem terreno e o divino que vive em nós. Uma vez batizados no Espírito, deixamos nossa vida terrena para buscarmos as coisas do alto.
    E continuo a perguntar ao Pai, como? Como buscar as coisas do alto?
    Como Cristãos devemos seguir o que nos ensinou Jesus, buscar o equilíbrio, no que ouvimos no que vemos no que lemos no que falamos. Precisamos ser mais seletivos no dia a dia. Rejeitarmos toda ira, mentiras, invejas, impurezas, idolatria, deixarmos de lado o homem terreno e revestirmos do homem divino, sempre renovado pelo Espírito de Deus. Deixemos que o Espírito Santo nos vista com sentimentos de compaixão, com bondade, humildade, mansidão, paciência. Perdoemos aos nossos irmãos, sempre que tivermos algum motivo, aliviando o peso da falta de perdão. Oremos mais pelo irmão, que nos incomoda de alguma forma. Deixe que o amor de Deus invada nossos corações, e nos torne mais leves. (Col 3, 1-17)
    Obrigada meu Deus por me escutar e falar comigo, através da palavra deixada por seu filho Jesus.
    Glórias e Louvores a Ti meu Deus!

    João 14, 22-27 ,
    Judas (não o Iscariotes) perguntou-lhe: Senhor, como se explica que tu te manifestarás a nós e não ao mundo? Jesus respondeu-lhe: “Se alguém me ama, guardará a minha palavra; meu Pai o amará, e nós viremos e faremos nele a nossa morada. Quem não me ama, não guarda as minhas palavras. E a palavra que ouvis não é minha, mas do Pai que me enviou. Eu vos tenho dito estas coisas enquanto estou convosco. Mas o Defensor, o Espírito Santo que o Pai enviará em meu nome, ele vos ensinará tudo e vos recordará tudo o que eu vos tenho dito. Deixo-vos a paz, dou-vos a minha paz. Não é à maneira do mundo que eu a dou. Não se perturbe, nem se atemorize o vosso coração”.

    Beatriz Lobo

  5. Junior brito

    Permita-me um comentário sobre seu comentário, Júnior. Você cita corretamente as palavras do Santo Padre, mas não as defende? Concorda com os termos da SACRAMENTUM CARITATIS?
    Paz
    Pe. João Carlos Almeida, scj

    Daqui para frente o comentário do Júnior:

    ——
    Pe JOÃOZIMHO;Sua Bênção!

    890. Cân. 8. Se alguém disser que Cristo, dado na Eucaristia, é
    só consumido espiritualmente, e não também sacramental e realmente — seja excomungado [cfr. n° 881].

    o senhor disse:

    Cristo Senhor quis confiar-nos o seu corpo e o seu sangue, que derramou por nós para a remissão dos pecados. Se os recebestes bem, vós mesmos sois Aquele que recebestes ».(110) Assim, « tornamo-nos não apenas cristãos, mas o próprio Cristo ».(111

    Isso não tem novidade alguma Pe Joãozinho, é claro quando recebemos cristo nós tornamos um, ficamos completos em perfeita harmonia.
    Só que o senhor ainda não explicou as varias facetas da eucaristia, como o Padre fábio comenta,
    ELE FALOU:
    ‘Gabriel, nós não podemos limitar a presença real de Jesus no corpo e no sangue’ é muito mais do que isso que sugere estou dizendo, é também presença real de Jesus… o corpo e o sangue, mas é também, e aí vou desdobrando tudo o que a Eucaristia nos sugere como uma continuidade desse acontecimento que não termina.”

    “COMO ASSIM NÃO PODEMOS LIMITAR A PRSENÇA DE JESUS APENAS NO CORPO E NO SANGUE, E AINDA, (OLHA A HERESIA)! É MUITO MAIS DO QUE ISSO”!
    Pois é Padre, o que foi preguntado o tempo todo,neste blog e niguem explicou que possibilidades são essas?

    O mesmo concílio fala que devemos presta culto maxímo a eucaristia, no caso o de látria.

    Cap. 5. — Culto e veneração que se devem tributar à Eucaristia
    878. Não há dúvida alguma de que todos os fiéis de Cristo, segundo o costume que sempre vigorou na Igreja, devem tributar a este santíssimo sacramento a veneração e o culto de adoração (latria), que só se deve a Deus [cân. 6]. Nem se deve adorá-lo menos pelo fato de ter sido instituído por Cristo Senhor Nosso como alimento. Pois cremos estar nele presente aquele mesmo, do qual o Eterno Pai, ao introduzi-lo no mundo, disse: Adorem-no todos os anjos de Deus (Hb l, 6; SI 96, 7) e a quem os Magos, prostrando-se, o adoraram (Mt 2, 11), aquele, enfim, do qual a Escritura testifica: os Apóstolos adoraram-no na Galiléia (Mt 28, 17). Declara mais o santo Concilio que, com muita piedade e religião, foi introduzido na Igreja este costume de celebrar-se todos os anos com singular veneração e solenidade, em dia festivo particular, este sublime e venerável sacramento, e de ser levado honorífica e reverentemente em procissões pelas ruas e lugares públicos. Pois é muito justo que haja alguns dias sagrados e estabelecidos, em que todos os cristãos, com singular demonstração de ânimo, se mostrem lembrados e agradecidos para com seu comum Senhor e Redentor por tão inefável e verdadeiramente divino beneficio, em que se representa a vitória e o triunfo de sua morte. Deste modo convinha que a verdade vencedora triunfasse da mentira e heresia, para que seus adversários, à vista de tanto esplendor e alegria de toda a Igreja, debilitados e enfraquecidos se abatam, ou envergonhados e confundidos se convertam.

    “Mais não podemos nos limitar a isso” como diz Pe fábio

    me diga outra forma eucaristica?o concílio esqueceu de nos avisar.

  6. Bom dia Pe.João Almeida!

    P etri
    A postoli
    P otestatem
    A ccipiens
    O que recebe o poder do apóstolo Pedro.
    Ele é PAI e Pastor
    Sinal visível da Igreja de Cristo – “onde está Pedro,está a Igreja”
    É o primeiro responsável pela defesa da sã doutrina

    Pronto isso basta,estamos com o PAPA e ponto final!!!
    E se admitirem definitivamente que estão fora da comunhão,só lamentamos e oremos em silêncio!!!

    Um abraço fraterno
    ANA VALESKA

  7. Joel Xavier

    “O Padre ensina aos fiéis a responderem aos protestantes quando nos perguntar: “O que é ser católico? Devemos responder: Ser católico é ser evangélico e um pouco mais, ser crente e um pouco a mais, é ser Batista e um pouco mais, ser da Assembléia de Deus e um pouco mais. Sou feliz por ser católico. Carismático é ser evangélico. Ser católico é ser universal. Uma vez um protestante perguntou ao Padre onde ele congregava. Ele respondeu: Congrego no Sagrado Coração de Jesus.” O Brasil tem que ouvir isso: “Somos felizes por ser católicos!”

    http://www.rccsaopaulo.com.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=450:ser-catolico-e-ser-evangelico-e-um-pouco-maispe-joaozinho-scj&catid=45:alegrai-vos-2009&Itemid=69

    Padre Joãozinho, segundo entendi, o trecho acima reproduzido é de sua lavra.

    Bem… espero pelo menos ter entendido o que afirmei no parágrafo anterior porque o trecho acima é de uma balbúrdia inacreditável, impossível de ser entendida racionalmente…

    Tenho muito respeito pelo pessoal da Montfort e repito aquilo que o Professor Orlando Fedeli não se cansa de dizer: “sou católico apostólico romano. Nem um adjetivo a mais.”

    Viva o Papa!

  8. Joel Xavier

    Eucharistia est igitur pars constitutiva Ecclesiae essentiae actionisque (http://www.vatican.va/holy_father/benedict_xvi/apost_exhortations/documents/hf_ben-xvi_exh_20070222_sacramentum-caritatis_lt.html):

    Uma Tradução seria : A Eucaristia é portanto parte constitutiva da Igreja de sua essencia e de sua ação.

    Fonte: http://www.montfort.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=apologetica&artigo=20090814193738&lang=bra

    ++++++++++++

    Padre Joãozinho,

    Há uma diferença abissal em dizer que a “Eucaristia é parte constitutiva da Igreja” e dizer que “A constituição da Igreja é essencialmente Eucarística”.

    Parece que a confusão reside numa IMPRECISÃO quanto a tradução do texto magisterial.

    A correta tradução seria então: “Eucaristia é parte constitutiva da Igreja” e não: “A constituição da Igreja é essencialmente Eucarística”.

    Viva o Papa!

  9. Leandro Cajado da Silva

    Olá Padre, sua benção.

    Eu não gosto da proporção que o debate se formou, acho que existem partes que precisam ser discutidas, isso não começou com a Montfort e nem com o Sr. esse debate é teológico o problema é que no caso deles, impera a questão pessoal, usam fatos como o modo de se vestir ou porque decidiu ir para o seminário e atacam de maneira desrespeitosa.
    Não sou a favor de padres não usarem veste sacerdotal, imagino o quão positivo seria se o Pe Fabio usasse em shows e programas, mostrando que além do belo da vida é a responsabilidade que nos reveste de mostrar aquilo que aceitamos por amor ser. Mas o fato dele não querer não muda minha vida.
    Volto ao fato de que a briga é teológica, seria importante rejeitar aquilo que é disforme (tudo o que vier do Bultman por exemplo)e olhar com olhos clinicos a teologia moderna e as diversas posições que não coloquem Jesus como Senhor.
    No caso Eucaristia, realmente comungar nos leva a algo mais e a explicação e o texto do livro o povo simples vai entender só a beleza de quem comunga, no fim vão continuar adorando o santíssimo sacramento e crendo que é corpo, sangue, alma e divindade. Seria estranho os padres não acreditarem e terem no site uma foto justamente erguendo a eucaristia…
    Mas uma coisa é certa, aquele site estava muito quieto, sem muitas atualizações, agora só em cartas e artigos foram mais de 10 ou 12 atualizações. Deram munição, pra eles, certo ou errados são chatos para caramba, estou tendo um trabalho danado em auxiliar uma moça que era guiada pelas idéias deles para que ela volte a participar normalmente da Igreja.

  10. Pingback: Marcus Vinicius

  11. Boa tarde,pe. João Carlos
    Para mim isso só vem a confirmar o que sempre pensei…
    Apontar o “erro” alheio é fácil, difícil é “tirar a trave do próprio olho”.
    Eu não comento mais nada a respeito dessas pessoas. Não vale a pena…
    Boa semana.

  12. Simone Teixeira

    Pe. Joãozinho,

    Sei que devemos estudar a doutrina de nossa Igreja e conhecer as “razões de nossa esperança”,,, Concordo com a busca da verdade porque a Verdade é Jesus e quem a procura, de coração humilde a aberto, acaba se encontrando com o Mestre. A única coisa que me cansa é a possição “arrogante” de quem se acha “dono da verdade” e usa a sabedoria como um tipo de “Vaidade espiritual”. Não foi você que causou divisão nesse blog, porque eu acompanho o blog desde o início e só hoje, por causa das postagens e críticas do último mês, estou me cansando de ler todos os comentários e textos aqui postados.
    Com tanta gente no mundo que nunca ouviu falar da existência de Jesus, parece-me perda de tempo “discutir” com quem não quer “crescer” honestamente. Quem entra neste blog para apenas “detonar” com seu trabalho, devia continuar postando apenas em seu próprio blog: esse blog tem autoria e lê quem gosta do autor e daquele a quemm você dedicou sua vida através seu sacerdócio. A crítica saudável é a que faz todos crescerem. Eu não sinto que tenha crescido com tantas polêmicas (a não ser na tentativa de não lhes faltar com a caridade cistã). Quem faz tudo para parecer “perfeito e inatingível” em sua “visão” das coisas, pode estar pecando pela “vaidade ou orgulho espiritual” e eu nunca tinha visto isso no seu blog. Pe. Joãozinho, sempre admirei sua conduta e a capacidade de divulgar críticas ao que você disse, mas esse espaço sempre foi de partilha e não de debate…
    Continuo rezando por você e vou continuar admirando e respeitando sua sabedoria e solidariedade. Não preciso que você me faça um longo sermão: sua postura diante da vida e das pessoas foi o que me fêz voltar a acreditar na misericórdia de Deus e a não acabar com minha própria vida… Mais que toda a teoria e teologia dos homens, você foi instrumento de Deus para que Ele chegasse a meu coração e me curasse até de distúrbios psiquiátricos. Minha vida presente é fruto do seu ministério sacerdotal e da misericórdia e santa vontade de Deus.
    Grande abraço,

    Simone.

  13. Oi padre.
    Tenho ficado indignada com a capacidade que as pessoas têm de inverter as palavras em benefício próprio. Meu Deus! Colocam palavras dizendo de tendência protestantes do senhor e Pe. Fabio, enquanto quem está a fim de dividir, claramente são eles. Querem, não debater, mas discutir, brigar! E ainda com palavras baixas, dizendo sobre inteligência”diminuta”. Que feio, entre pessoas que se dizem católicos apostólicos romanos, faltarem assim com o respeito com os sacerdotes, que , se ele não sabem, são obedientes, aos seus superiores , aos provinciais e os bispos.
    Tenho pouco conhecimento teológico para dizer algo além do que ví e vivi, quando numa missa em que o senhor celebrava, e dizia do material do cálice onde se deveria consagrar o vinho, que em breve seria o Sangue Precioso do Senhor Jesus. O quanto demonstrava zelo e prudência quanto à segurança em consagrar em um ”recipiente” que não adulterasse em nada, a essência do Sangue! Não esqueço dessa missa.
    Acredito que valores são invertidos, quando as pessoas criticam por criticar, sem embasamento e fundamento…dá nisso, ”tentativa” de confusão…pois no coração dos VERDADEIROS CATÓLICOS APOSTOLICOS ROMANOS, há o diálogo e respeito, e nada há de confuso, diante da tentativa de simplificar.
    Agora, gostaria de colocar aqui, algo que achei, dentre outros assuntos, o que esse site coloca a respeito da ”não vida”, ou seja, da pena de morte.
    É importante não fixarmos o olhar em um só ponto, mas num todo!
    Dêem uma olhada no que dizem a respeito da Vida que Jesus veio salvar, e com MISERICÓRDIA, acolher, acreditando na restauração do indivíduo. Dentre tantas passagens bíblicas, apenas uma gostaria de lembrar:
    “‘Pai perdoa, não sabem o que fazem”… Acredito ser o momento de usarmos as mesmas palavras de Nosso Senhor, diante de tantas acusações, sérias e infundadas!
    Sinto-me ainda criticada, por ser uma leitora deste blog e chamada de ”sentimentalista”, o que sabem a respeito da essência das pessoas? Novamente julgam…e em ”massa” ainda!

    Vejam agora o que defendem, em seu próprio site, estes que se dizem Católicos Apostólicos Romanos, a respeito da Pena de Morte:
    Ver em : Política e Sociedade, no artigo sobre Pena de Morte, na 5a objeção:

    ”São muitas as pessoas, infelizmente, que são contra a pena de morte.

    A proibição da pena de morte não tem suporte lógico nenhum. Não existe argumentação eficiente contra a pena capital.”

    ”O que explica as pessoas serem contra ela, além de uma visão totalmente falsa da caridade, é o sentimentalismo, no fundo materialista, representado por frases como estas: “não se pode punir”, “devemos ter piedade do assassino”, “coitado do bandido”.

    Nenhum pastor, em sã consciência, trocaria um rebanho de ovelhas por um lobo. Ele não hesitaria em matar o lobo.

    O nosso triste mundo do século XX, porém, preserva o lobo e mata as ovelhas.

    O pior é que nós somos as ovelhas…”

    ”A pena deve ser proporcional ao agravo. Desse modo, para uma infração leve devemos ter uma pena leve, para uma infração média, uma pena média, e para uma infração grave, por exemplo, um assassinato, devemos ter uma pena forte, que é justamente a pena de morte.
    Por isso a Bíblia elenca vários crimes que são dignos de morte.”

    Apoiar-se na Bíblia para defender a pena de morte, isto sim é uma HERESIA!

    Livrai-nos Senhor! Amém!

    Claudia.

  14. Joel Xavier

    Gostaria de dizer que discordo de várias coisas ditas pelo Sr. Leandro Cajado da Silva.

    Para não me alongar muito e também para fins de clareza gostaria de dizer, por hora, apenas o seguinte: há dezenas ou centenas de cartas no site Montfort esperando para serem respondidas.

    Movimentando ficou o blog do Revdo. Pe. Joãozinho – que já é, segundo ele mesmo, o terceiro mais acessado da Canção Nova!

    Por falar nisso… alguém já reparou que o Pe. Fábio de Melo está convenientemente calado e quieto?

    Ele foi o pivô de toda a discussão por ter feito afirmações escandalosas tais como não haver provas materiais da Ressurreição de Nosso Senhor…

    Se Padre Fábio de Melo mal tem tempo de celebrar a Eucaristia não seria para responder seus acusadores que ele arranjaria tempo, não é mesmo?

    Viva o Papa! Salve Maria!

  15. Junior brito

    Padre; desculpe a demora,
    mais tive outros fazeres bem,
    o senhor me pergunta se sou a favor do SACRAMENTUM CARITATIS,claro! leve minha afirmação pelo lado positivo, não deu para entender, ou não estamos falando a mesma língua,o que não consigo entender é sua posição, pois bem, pelo que entendi o senhor ainda não respondeu ao meu questionamento anterior
    Padre fábio comenta,
    ELE FALOU:
    ‘Gabriel, nós não podemos limitar a presença real de Jesus no corpo e no sangue’ é muito mais do que isso que sugere estou dizendo, é também presença real de Jesus… o corpo e o sangue, mas é também, e aí vou desdobrando tudo o que a Eucaristia nos sugere como uma continuidade desse acontecimento que não termina.”
    Sua posição no caso é de que existe outras presenças reais de cristo corpo, sangue, alma e dinvindade, aí o senhor coloca o têxto retirado SACRAMENTUM CARITATIS dizendo que o papa defende e santo agostinho
    e quem não defende é contra o papa.
    Bem, li em nenhum momento consegui detectar isto
    O documento ele é bem claro em relacionar a eucaristia com os demais sacramento e com a origem da igreja
    e como fonte primordial de nossa fé
    “A fé da Igreja é essencialmente fé eucarística e alimenta-se, de modo particular, à mesa da Eucaristia”

    “Quanto mais viva for a fé eucarística no povo de Deus, tanto mais profunda será a sua participação na vida eclesial por meio duma adesão convicta à missão que Cristo confiou aos seus discípulos. Testemunha-o a própria história da Igreja: toda a grande reforma está, de algum modo, ligada à redescoberta da fé na presença eucarística do Senhor no meio do seu povo.”

    a comunhão eucaristica nos faz dignos dos mérito atribuidos a ela, não correlacionados a ela,é por isso que o documento afirma

    “72. Esta novidade radical, que a Eucaristia introduz na vida do homem, revelou-se à consciência cristã desde o princípio; prontamente os fiéis compreenderam a influência profunda que a celebração eucarística exercia sobre o estilo da sua vida. Santo Inácio de Antioquia exprimia esta verdade designando os cristãos como « aqueles que chegaram à nova esperança », e apresentava-os como aqueles que vivem « segundo o domingo » (iuxta dominicam viventes).(204) Esta expressão do grande mártir antioqueno põe claramente em evidência a ligação entre a realidade eucarística e a vida cristã no seu dia-a-dia.”

    71. O novo culto cristão engloba todos os aspectos da existência, transfigurando-a: « Quando comeis ou bebeis, ou fazeis qualquer outra coisa, fazei tudo para glória de Deus » (1 Cor 10, 31). Em cada acto da sua vida, o cristão é chamado a manifestar o verdadeiro culto a Deus; daqui toma forma a natureza intrinsecamente eucarística da vida cristã. Uma vez que abraça a realidade humana do crente em seu concretismo quotidiano, a Eucaristia torna possível dia após dia a progressiva transfiguração do homem, por graça chamado a ser conforme à imagem do Filho de Deus (Rm 8, 29s). Nada há de autenticamente humano — pensamentos e afectos, palavras e obras — que não encontre no sacramento da Eucaristia a forma adequada para ser vivido em plenitude. Sobressai aqui todo o valor antropológico da novidade radical trazida por Cristo com a Eucaristia: o culto a Deus na existência humana não pode ser relegado para um momento particular e privado, mas tende, por sua natureza, a permear cada aspecto da realidade do indivíduo. Assim, o culto agradável a Deus torna-se uma nova maneira de viver todas as circunstâncias da existência, na qual cada particular fica exaltado porque vivido dentro do relacionamento com Cristo e como oferta a Deus. A glória de Deus é o homem vivo (1 Cor 10, 31); e a vida do homem é a visão de Deus
    uma coisa é eu aceiter presença real de cristo na eucaristia outra é aceitar que está presença se multiplica em varios pontos
    como se fosse a mesma, coisa que não é.

  16. A conclusão que outro Padre escreveu é bem melhor:

    ” Nós defendemos o autêntico magistério de Bento XVI, não a usurpação que dele fazem aqueles que querem distorcê-lo protestantemente, interpretando-o dentro de um “livre-exame” auto-referencial”.

    Não vou entrar no mérito da questão, que já foi muito bem respondida na Montfort. Mas, nós estamos com o Papa e com a defesa da tradição. O que acho interessante nessa história toda é que a polêmica foi para na Montfort, por causa de vocês.

    Tudo isso começou entre os neoconservadores, que diga-se de passagem sempre foram defensonres da nefasta CN, mas o senhor e o fábio de Melo resolveram atacar a Montfort que até então não tinha entrado na história.

    Mas, é sempre assim a culp é sempre dos tradicionalistas, já que buscasmo a tradição que para os senhores moderninhos sempre causa problemas.

    Pax et bonvs.

  17. Fernando Firmino

    Rev. Pe. Joãozinho,

    Surpreende-me sua posição!

    Você Rev. se vê em comunhão com os evangélicos e protestantes de todo gênero, mas não vê comunhão entre os “tradicionalistas” e Roma!

    Antes de mais nada quero deixar claro que não faço parte da Montfort, e nem de qualquer movimento católico. Recebi a religião de meus pais.

    Mas não posso deixar de me manifestar em face de tão absurda conclusão. V. Rev. “decreta”, extrapolando V. competência jurídica a “excomunhão” dos tradicionalistas. Nem a matéria nem a forma são legais. Provocam riso! Tamanha a infantilidade da afirmativa.

    Rev. Pe. João, é preciso ter mais cuidado com suas conclusões.

    É sabido que a Montfort exerce há muitos anos crítica dura ao CV II. Não tenho formação histórica e doutrinal o suficiente para argumentar sobre esta matéria, mas qualquer universitário mediano vê que os argumentos que utilizam são extremamente bem fundamentados.

    V. Rev. poderia aprofundar a discussão, e não simplismente “decretar” do alto de sua incompetência canônica a “excomunhão” dos tradicionalistas.

    Temerários, temerários!

    Tentar colocar os leitores de seu blog contra a Montfort não será a melhor opção. Uma grande parte de seus leitores lê os textos da Montfort com frequencia. E ainda não encontramos qualquer texto ou afirmativa no site que dê – por menor que seja – qualquer sinal de ruptura com Roma. Pelo contrário, a filiação e adesão total ao Papa (João Paulo II, e agora Bento XVI) foram temas de vários dos textos na Montfort.

    Facilmente eles podem ser consultados.

    Assusta-me sua afirmativa! Parece que V. Rev. deseja encerrar a discussão com um decreto – assim como no Senado, alvo de críticas neste mesmo blog. Um decreto resolve tudo!

    PAX

    Fernando Firmino

  18. Joel Xavier de Macedo Jr.

    Gostaria de fazer um esclarecimento para a senhora Cláudia.

    A Igreja Católica Apostólica Romana é a favor da pena de morte. Isso está no Catecismo.

    Vários santos defenderam a aplicação da pena capital. Dentre eles, o maior doutor da Igreja: Santo Tomás de Aquino.

  19. Ricardo Ferreira

    Quando iniciei meus estudos em Direito pensava que Justiça e Direito eram a mesma coisa. Hoje, em vias de concluí-los, já sei bem o que é cada um.
    Assim como o Direito, a Teologia é uma ciência. Para que ambas as ciências tenham o seu devido valor humano é preciso dar vida a elas.
    E, na condição de fiel leigo, tenho o conceito que que a Teologia sem a luz da fé é um perigo, assim como a aplicação do Direito sem o senso de Justiça.
    E por falar em fé, econtrará, o Filho do Homem, fé sobre a terra quando Ele voltar.
    A essa altura das discussões, o “divisor” deve estar se esbaldando em risos.

  20. Padre a sua bençao

    nao de mais ouvidos a estas criticas maldosas e desoculpadas…
    Cristo q eh Cristo nao agradou a todos imagine……

    Deus o abencoe!!!!

  21. Prezada Claudia,

    depois de tudo que você escreveu, é triste constatar que realmente você leva uma fé sentimental, impulsionada pela RCC, e que desconhece a doutrina da Santa Madre Igreja.

    Infelizmente, com todo respeito, a senhora é o perfil da maioria dos católicos de hoje.

    Fracos na fé, sentimentais e desconhecedor da doutrina católica.

  22. Pe. Joaozinho, sua benção!
    Esses dias assistindo o programa do pe. fábio fiquei um pouco intrigado com algumas palavras suas, principalmente quando pe. fábio disse que no início teve medo da escolha de Ratzinger para ser papa. Confesso que fiquei um pouco decepcionado e fiquei imaginando que o tal padre tivesse recebido influências negativas da teologia da libertação, para ter medo da escolha de alguém tão competente, sábio e santo como esse homem. Mas o que me estranhou bastante foi o senhor falar que tinha um projeto de um programa na tv cn sobre teologia, com teólogos profissionais. Então pensei que o sr. estava querendo desmerecer o programa escola da fé. que hj é o programa da teologia na cn e principalmente questionando a sabedoria de felipe aquino. Esclareça para mim quais os objetivos de outro programa e o que quis dizer de teólogos profissionais? seria porventura os teólogos da libertação?

  23. Joel Xavier de Macedo Jr, a Dona Cláudia é a típica ”católica” que não estuda o catecismo da Santa Igreja Católica, e ainda por cima acusa os tradicionalista de não estarem em Comunhão com Roma!

    Se essa senhora estudasse um pouco o catecismo, perceberia que a Santa Igreja Católica apoia a pena de morte para crimes hediondos!

    Sabendo isso: Quem não está em Comunhão com Roma? A Associação Montfort, que sempre ensina o que a Santa Igreja Católica sempre ensinou ou os carismáticos (Joãozinho, Fábio de Melo, Marcelo Rossi,…) que querem porque querem criar um ”Novo Catecismo”; uma ”Nova Missa”; uma ”Nova Igreja”?

  24. Padre Joãozinho, gostaria de saber a opinião do senhor sobre esses dois assuntos:

    1. Qual é a opinião do Reverendo sobre a Teologia da Libertação?

    2. Qual é a opinião do reverendo, em que a Santa Igreja Católica, sabiamente, apoia a pena de morte para crimes hediondos?

  25. Para vocês verem como determinados padres moderninhos fazem mal a Santa Igreja Católica, vejam:

    http://www.youtube.com/watch?v=2k46vV35vlw

    http://www.youtube.com/watch?v=tTaf0HsAPXI&feature=related

    http://www.youtube.com/watch?v=RUADvzV8zBQ&feature=related

    http://www.youtube.com/watch?v=Jvf8NEkXxF4&feature=related

    Os ”argumentos” do fanfarrão Silas MALAFALA, pode, e é, refutado com a maior facilidade pelos católicos tradicionalistas! Mas parece que os padres humanistas e carismáticos, vivem em um outro mundo achando que os protestante nos querem bem!

    Repito: Tudo isso que foi dito pelo hipócrita Silas MALAFALA é refutado com a maior facilidade pelos católicos (tradicionalistas) que estudam a história; a teologia; a apologética;… da Santa Igreja Católica , mas os moderninhos querendo apenas shows; ecumenismo; ”irmãos separados”; e putras baboseiras que os carismáticos adoram, ficam despreparados e fracos.

  26. Padre, sua benção.

    Padre, por favor, repeitosamente peço-lhe que simplesmente poste o seguinte trecho do Catecismo. Creio que isto resolverá toda a polêmica, pois a interpretação dada a este trecho da cara de S.S. Bento XVI associada às suas outras palavras nos levam a crer que devemos adorar às pessoa que comungam, pois são o prórpio Cristo.
    Não estou querendo ser arrogante a corrigir-lhe padre por achar que sei mais, pode até não ser esta a intenção da publicação deste trecho desta carta, mas é que fica exposto e complica mais ainda a situação, desviando do tema Presença Real.
    Por favor padre, admita que:

    “A Eucaristia é um Sacramento que, pela admirável conversão de toda a substância do pão no Corpo de Jesus Cristo, e de toda a substância do vinho no seu precioso Sangue, contém verdadeira, real e substancialmente o Corpo, Sangue, Alma e Divindade do mesmo Jesus Cristo Nosso Senhor, debaixo das espécies de pão e vinho, para ser nosso alimento espiritual” (Terceiro Catecismo da Doutrina Cristã (Catecismo Maior de São Pio X). Parte IV. Cap. IV. § 1).

  27. “Tenho testemunhado um pequeno grupo que VERDADEIRAMENTE segue os meus caminhos, mas a maioria está em pecado, fazendo o trabalho de santanás;” esta e uma mensagem de JESUS CRISTO para Vassula Ryden que tanto a igreja catolica tanto a rcc tanto a marcelo rossi tanto fabio de melo e Orlando Fideli não divulgam ao povo estas mensagens que Vassula Ryden recebe desde 1985. Vamos debeter este assunto delicado.

  28. EU SIMPLISMENTE ACHO QUE OS TRADICIONALISTAS SO ESTÃO EXISTINDO PARA DESTRUIR OS PLANOS DE DEUS PARA OS NOSSOS DIAS, POIS JA QUE SÃO TÃO TRADICIONALISTAS POR QUE NÃO ACEITÃO O DOGMA DA INFABILIDADE PAPAL, TENDO EM VISTA QUE É UM DOS DOGMAS MAIS ANTIGOS DA IGREJA?E SABEMOS QUE A CANÇÃO NOVA FOI RECONHECIDA,ASSIM COMO ACOMUNIDADE CATOLICA SHALOM TAMBEM, ENFIM TODAS RECONHECIDAS COMO VONTADE DE DEUS PARA OS NOSSOS DIA,NÃO FOI RECONHECIDA SO POR MIM MAIS ESPECIALMENTE PELO SANTO PADRE, ENTÃO ALGUEM ME RESPONDA SE PUDER.SE REALMENTE SÃO TRADICIONALISTAS PORQUE NÃO CONCORDÃO COM A INFABILIDADE PAPAL?

  29. Odilon, a Santa Sé reprovou as visões que a Vassula tem. Talvez por isso eles não divulgam as mensagens.

  30. Sergio Souza

    Para isso a Igreja já se posicionou…

    SOBRE OS ESCRITOS DE VASSULA RYDEN

    Sagrada Congregação para a Doutrina da Fé

    29.11.1996

    Chegaram à Congregação para a Doutrina da Fé diversas perguntas relativas ao valor e à autoridade da Notificação da mesma Congregação datada de 06 de outubro de 1995 e publicada no jornal L´Osservatore Romano de 23/24 de outubro de 1995, p. 2; dizia respeito aos escritos e às mensagens da sra. Vassula Ryden, atribuídos a presumidas revelações e difundidos em ambientes católicos do mundo inteiro. A este propósito, a Congregação para a Doutrina da Fé quer oferecer as seguintes precisões:

    A Notificação dirigida aos Pastores e aos fiéis da Igreja Católica mantém todo o seu vigor. Foi aprovada pelas autoridades competentes e será publicada no órgão oficial da Santa Sé, ´Acta Apostolicae Sedis´, com a assinatura do Prefeito e do Secretário da Congregação.

    Com relação às notícias que alguns órgãos da imprensa difundiram a respeito de uma interpretação restritiva de tal Notificação, interpretação dada pelo Cardeal Prefeito numa conversa privada com um grupo de pessoas às quais concedeu audiência em Guadalajara (México) aos 10 de maio de 1996, o mesmo Cardeal Prefeito deseja esclarecer que:

    a. Como ele mesmo afirmou, os fiéis não devem considerar as mensagens de Vassula Ryden como revelação divina, mas apenas como meditações pessoais dessa senhora; b. Em tais meditações, como já afirmava a Notificação, juntamente com aspectos positivos, existem elementos negativos do ponto de vista da doutrina católica;

    b. Por conseguinte, os Pastores e fiéis são convidados, a propósito, a um sério discernimento espiritual e a conservar a pureza da fé, dos costumes e da vida espiritual, sem se apoiar em presumidas revelações, mas seguindo a Palavra de Deus revelada e as diretrizes do Magistério da Igreja.

    No que concerne à difusão dos textos das presumidas revelações privadas, a Congregação para a Doutrina da Fé esclarece:

    Não é, de modo algum, válida a interpretação dada por algumas pessoas a uma Decisão aprovada por Paulo VI em 14 de outubro de 1966 e promulgada em 15 de novembro do mesmo ano, em virtude da qual se poderiam difundir livremente, na Igreja, livros e mensagens provenientes de presumidas revelações. Na verdade, aquela Decisão se referia à abolição do Index de Livros Proibidos e estipulava que, eliminada a censura relativa, permanecia a obrigação moral de não propagar nem ler aqueles escritos que põem em perigo a fé e os bons costumes.

    Não obstante, para a difusão de textos de presumidas revelações privadas, continua válida a norma do Código de Direito Canônico vigente, cânon 823, parágrafo 1º, que confere aos Pastores o direito de exigir que sejam submetidos ao seu juízo, antes de sua publicação, os escritos dos fiéis que tratam da fé e da moral.

    As presumidas revelações sobrenaturais e os escritos correspondentes estão, em primeira instância, sujeitos ao juízo do Bispo Diocesano e, em casos particulares, ao da Conferência dos Bispos e ao da Congregação para a Doutrina da Fé.

    Cidade do Vaticano, 29 de novembro de 1996.

  31. Cada vez mais os tradicionalistas se parecem com os fariseus. E pensar que eu quase me enveredei pelos seus caminhos. De que vale uma religião onde a forma e as leis superam tudo, até o amor? Aliás, todos os tradicionalistas que conheço tem um coração duríssimo. Não consigo ver Jesus na Bíblia como um tradicionalista. Aliás o que ele mais fez foi quebrar as regras que estavam acima do “amai-vos uns aos outros”. Se para ser cristão é preciso ser durão assim, me desculpem, prefiro ficar na minha e tentar imitar Jesus, que chorou quando precisou. E, se for da vontade dele, receber a salvação eterna. Prefiro sair a fazer o bem do que ficar discutindo letras frias. Assim, enquanto estiver levando um alento a um necessitado, não corro o risco de estar no caminho errado.
    Tradicionalistas, Deus os abençoe e se compadeça da dureza de vossos corações, perdoe a mágoa que tenho de vocês e perdoe minha ignorância em não compreendê-los.

  32. I think that to get the mortgage loans from creditors you should present a great motivation. But, one time I have got a consolidation loan, because I was willing to buy a building.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.