Salve Maria

Caro Pedro

Sinto muito que você já tenha se esquecido de nossos debates anteriores, repito aqui apenas que quando temos um Blog na net o nome “nick name” entra automáticamente com um Link que pode ser checado por qualquer pessoa.

Percebi acima sua resposta para Luciana, muito Boa mesmo, mostra que sabe a doutrina Católica 100%, mas finaliza sua resposta desmerecendo aqueles que são os responsáveis por todo o ensinamento que você aprendeu e ainda mais acusa a todos eles de comunistas sendo que não conhece nem 1% destes homens pessoalmente e muito menos sua vida Pastoral.

É muito fácil fazer acusações a Bispos usando o nome do Papa, dizendo que todos eles o desobedecem, lamentavelmente, apesar de uma trave enorme em meus olhos ainda consigo ver que tu és totalmente cego e continua achando que vês maravilhosamente bem.

Suas ofensas não me atingem, não me preocupo com provocações, também sei provocar, principalmente quando ouço fofocas sendo usadas como fundo de verdade.

Veja só, você que não conhece nossa cidade e nunca assistiu uma missa com nosso Bispo, afirmou categoricamente (baseando-se em fofocas de amotinados divulgados na Montfort)que ele proibiu a comunhão de joelhos, eu como, um morador desta cidade já vi e presenciei muitas vezes o próprio Bispo servindo comunhão a pessoas que se ajoelham em sua frente e ele nunca mundou que se levantassem, (isto eu até fotografei para lhe enviar caso queira ver com seus próprios olhos).

Em relação à restrição da Santa missa Tridentina em nossa cidade, creio que é totalmente inverdade sua afirmação, porque Padre João Batista celebra missa Tridentina todos os dias da semana nesta cidade sem dizer outras Missas em outros locais, além das missas celebradas dentro do convênto “Santa Cruz” e da “IFFPX”, creio que em nenhuma parte deste Brasil se celebre tantas missas Tridentinas quanto se celebra em Anápolis e mesmo assim o nosso Bispo continua sendo acusado de ter proibido missas tridentinas em Anápolis, vejo que seja por este motivo que muitos Bispos brasileiros não querem Tridentinos em suas paróquias, porque não fazem nada além de criar confusão litúrgica e confundirem aqueles que assistem a “Santa Missa Nova” no Rito ordinário.

[…] O Santo Padre obrigou a comunhão na boca de joelhos nas missas celebradas por ele[…]

OBRIGOU ? A quem ele obrigou ?
Onde está escrito esta ordem ?
Se ele é o celebrante, obrigou a si mesmo então ?
Isto não seria uma escolha pessoal ? Não seria apenas um exemplo? Como, faça o que eu faço e não o que eu digo ?

Nesta mesma missa que Bento XVI distribui comunhão na boca para 30 pessoas escolhidas a dedo e fotografadas uma a uma em tres ângulos diferentes, (que para mim não passou de um espetáculo), porque ao mesmo tempo se vê ao fundo 10.000 pessoas recebendo cumunhão de pé e no intervalo de menos de dois segundos cada uma. Que exemplo é este ? Exemplo de discriminação? Porque eu também gostaria de ser fotografado de joelhos recebendo comunhão na boca diretamente das mãos do Papa.

Fico imaginando o que Jesus esteja pensando a respeito desta atitude do Papa, permitir-se ser fotografado em espetáculo público servindo de exemplo para não sei qual objetivo!

Em uma mesma imagem se vê alguém de joelhos e outro de pé recebendo o mesmo Corpo de Cristo, isto serve apenas para mostrar que ambas as maneiras de Comungar estão corretas, são aceitas e incentivadas por Bento XVI.

Mas você faz questão de salientar apenas as trinta pessoas que receberam a comunhão das mão do Papa e se esquece das 10.000 que receberam dos outros Padres e Ministros presentes no meio do Povão discriminado, assim como eu.

Por acaso não era o mesmo Corpo de Cristo ?
Ou aquele que foi dado pelo Papa era mais Cristo do que aquele que os outros receberam ?
Não foram ambos consagrados pelo mesmo Sacerdote ?

Logo meu amigo, não ponha ordens aonde elas não existam !

O Bispo tem toda liberdade em definir como conduzir melhor o seu rebanho, afinal este rebanho é de sua responsabilidade e a vida de cada ovelha que se perder por descuido ou desleixo, Deus cobrará este sangue derramado deste Pastor e não de você, logo não fará a menor diferença esta sua preocupação exagerada.

Eu usaria a sua própria pergunta, mas gostaria de uma resposta cinsera:
[…] Que sintonia de opiniões existem entre o Santo Padre e a Montfort ?. […]

Acaso a Montfort e o ultra-tradicionalismo recebeu missão Papal para corrigir os erros do Clero Brasileiro ?

Acaso a Montfort tem formação teológica para isso ?
Porque o IBP rompeu com a Montfort ?
Acaso quem não aceita todos os documentos da Igreja, incluíndo é claro o Concílio Vaticano II pode ser considerado Católico ?
Acaso quem segue os ensinamentos de um bispo que foi excomungado da Igreja Católica por insubmissão pode exigir submissão dos demais a si mesmo e não ao Papa ?
Quer que eu lhe envie os e_mail’s que tradicionalistas me enviam insitando à desobediência frontal ao Magistério oficial da Igreja ?

Pode ser que existe uma trave em meus olhos, mas acho que não é somente nos meus, mas neste caso, se o problema era a falta de meu nome que você já conhecia das nossas conversas nos comentários daquele Blog que não é meu, vou colocá-lo logo abaixo.

Meu nome é Sizenando Oliveira.
Moro em Anápolis, participo da RCC e sou apenas um Leigo na Igreja, tenho um Blog (presentepravoce) que é o Nick name que aparece quando se entra blogado nos comentários, meu objetivo maior é mostrar que Deus nos deu um grande Presente, O SEU ESPÍRITO SANTO, E que somente através da presença deste Espírito em Nós podemos vencer o mal deste mundo nos aproximando cada vez mais do grande amor de Deus e sua Salvação.

Paz e bem a todos.

135 Comentários

  1. Sizenando é 10!! Conheço a ele. Ótima pessoa. Ele fala a verdade. O seu site é muito bom. O pessoal da Montfort não gosta dele, pois leva boas sapecadas dele….

  2. Pingback: RCC Brasil

  3. Pingback: Marcus Vinicius

  4. Bom dia com louvor e alegria!!!

    ________________________**************_____________________

    Evangelho do Dia (site das paulinas)

    Um olhar para o coração

    Mc 7,1-8.14-15.21-23

    Alguns fariseus e alguns mestres da Lei que tinham vindo de Jerusalém reuniram-se em volta de Jesus. Eles viram que alguns dos discípulos dele estavam comendo com mãos impuras, quer dizer, não tinham lavado as mãos como os fariseus mandavam o povo fazer. (Os judeus, e especialmente os fariseus, seguem os ensinamentos que receberam dos antigos: eles só comem depois de lavar as mãos com bastante cuidado. E, antes de comer, lavam tudo o que vem do mercado. Seguem ainda muitos outros costumes, como a maneira certa de lavar copos, jarros, vasilhas de metal e camas.) Os fariseus e os mestres da Lei perguntaram a Jesus:
    – Por que é que os seus discípulos não obedecem aos ensinamentos dos antigos e comem sem lavar as mãos?
    Jesus respondeu:
    – Hipócritas! Como Isaías estava certo quando falou a respeito de vocês! Ele escreveu assim:
    “Deus disse: Este povo com a sua boca diz que me respeita, mas na verdade o seu coração está longe de mim.
    A adoração deste povo é inútil, pois eles ensinam leis humanas como se fossem mandamentos de Deus.”
    E continuou:
    – Vocês abandonam o mandamento de Deus e obedecem a ensinamentos humanos.
    Jesus chamou outra vez a multidão e disse:
    – Escutem todos o que eu vou dizer e entendam! Tudo o que vem de fora e entra numa pessoa não faz com que ela fique impura, mas o que sai de dentro, isto é, do coração da pessoa, é que faz com que ela fique impura.
    Porque é de dentro, do coração, que vêm os maus pensamentos, a imoralidade sexual, os roubos, os crimes de morte, os adultérios, a avareza, as maldades, as mentiras, as imoralidades, a inveja, a calúnia, o orgulho e o falar e agir sem pensar nas conseqüências. Tudo isso vem de dentro e faz com que as pessoas fiquem impuras.

    PALAVRA DA SALVAÇÃO!
    GLÓRIA A VÓS SENHOR!!!

    ABRAÇO FRATERNO
    Ana Valeska

  5. ” vejo que seja por este motivo que muitos Bispos brasileiros não querem Tridentinos em suas paróquias, porque não fazem nada além de criar confusão litúrgica e confundirem aqueles que assistem a “Santa Missa Nova” no Rito ordinário”

    Só faltava essa… Os carismáticos perderam completamente a noção da realidade…

    Ps… Não sou esse Pedro a que se refere o artigo.

  6. Os termos “acusado” e “confissão”, obsessivamente repetidos pelo sr. fedeli, denotam apenas o sentido de teatrinho inquisitorial que ele quer dar a esta polêmica, atribuindo a mim o papel de réu e a ele próprio o de inquisidor e defensor fidei.

    Mediante esse curioso giro estilístico, ele transporta o leitor, por instantes, à atmosfera de um tribunal do Santo Ofício, onde testemunham o drama judicial do qual o réu sairá condenado não somente à danação eterna mas também à penalidade temporal da fogueira.

    Mas essa atmosfera é, evidentemente, fictícia. Nem o sr. Fedeli tem o poder de condenar ou salvar quem quer que seja, nem eu estou em julgamento. A sentença a ser lavrada no final da encenação não será assinada senão pelo círculo de discípulos do sr. Fedeli, e nenhuma penalidade temporal ou celeste me será imposta exceto na imaginação dessas pessoas, o que não é decerto uma perspectiva especialmente atemorizante.

    Não existindo nem neste mundo nem perante o Altíssimo, o tribunal ante o qual o sr. Fedeli me acusa só pode adquirir alguma realidade mediante um certo esforço de imaginação dos seus leitores, e é com a finalidade de secundá-los nesse esforço que ele emprega reiteradamente aquelas figuras de linguagem, emprestadas do jargão tribunalício.

    É evidente que um autor que pretenda investigar a verdade não começa jamais por transportar seus leitores a uma situação de discurso tão distante da situação real, nem muito menos por dar a esse simulacro, mediante truques de estilo, uma espécie de “segunda realidade”, como diria Robert Musil.

    Também é certo que essa camuflagem geral da situação de discurso não poderia ter a mínima eficácia se, nos detalhes da discussão empreendida, não se sustentasse numa infinidade de falseamentos menores, indefinidamente variados na técnica e no tom, mas, no conteúdo, repetitivos como cacoetes, cujo efeito acumulado produz, no fim, uma falsa impressão de verossimilhança.

    Desses cacoetes, destaco apenas um. Esse traço surpreendente do estilo fedélico de escrever é sua tendência compulsiva de trocar os sujeitos das minhas frases. Digo, por exemplo, que com tal ou qual argumento ele “cortou seu próprio pescoço” – e ele entende que eu estou ameaçando cortar o seu pescoço. Digo que seus alunos estão assustados e perplexos – e ele entende que o estou acusando, a ele, de assustar os meus alunos.

    Com a mesma freqüência com que troca o sujeito gramatical das frases, ele troca também o sujeito lógico das relações, como se viu nos exemplos acima.

    Esses procedimentos lingüísticos anormais denotam aquilo que em psiquiatria se denomina “delírio de interpretação”, um sintoma que, se não comprova doença mental, constitui forte indício daquela deformidade de consciência que se conhece como sociopatia, e que é a marca inconfundível dos líderes pseudo-religiosos milenaristas, dos falsos profetas e dos revolucionários gnósticos.

    Nenhum homem inspirado pelo amor Dei jamais sairia apregoando acusações de heresia com a pressa indecente e o apetite de escândalo do sr. Fedeli. A própria Inquisição jamais montava um processo público, mesmo contra algum herético notório, sem antes enviar um representante qualificado para conversar longamente com o suspeito, em privado, seja para certificar-se de suas intenções, seja para demovê-lo de suas convicções, se consideradas errôneas. O sr. Fedeli, em vez disso, mantém-se a uma protegida distância, usando seus discípulos jovens e imaturos como espiões para ciscar pedaços de conversas, enquanto ele, na obscuridade da sua toca de serpente, prepara o bote.

    Não, nada disso pode ser inspirado pelo amor a Deus. É preciso ser totalmente desprovido de discernimento espiritual para não perceber que, desde os tempos em que conspirava para arrebatar a liderança da TFP ao falecido Plínio Correia de Oliveira, o sr. Fedeli é movido por uma única paixão: a superbia, a libido dominandi de um chefe de seita.

    De fato não preciso responder-lhe mais nada, Orlando Fedeli, exceto que você é um farsante, um santarrão, um aproveitador da boa fé de seus discípulos e, em toda a linha, uma mentalidade perversa de sectário.

    Seu intuito declarado de destruir uma reputação e os meios desonestos que põe em ação para esse fim não apenas são indignos de um homem da Igreja mas estão abaixo até do que a moral laica permite a um intelectual mundano.

    Olavo de Carvalho

  7. Olá Padre João, gostaria aqui de divulgar meu Blog

    http://www.ecclesiamcatholicamunam.blogspot.com

  8. O Dever da Desobediência
    Dom Marcel Lefebvre
    29/03/1988

    Tendo o Reitor do Seminário de Ecône, Padre Lorans, pedido que eu colaborasse na redação deste número da “Lettre aux Anciens”, pareceu-me útil relembrar o que escrevi em 20 de janeiro de 1978 sobre algumas objeções que nos fizeram, relativas à nossa atitude face aos problemas que a atual situação da Igreja levanta.

    Uma das perguntas era: Como o senhor concebe a obediência ao Papa? Eis a resposta dada há dez anos:

    Os princípios que determinam a obediência são conhecidos e são tão conformes com a razão e com o senso comum, que podemos perguntar como é que pessoas inteligentes podem afirmar que “preferem enganar-se com o Papa do que estar na Verdade contra ele”.

    Não é isso que nos ensinam a lei natural e o Magistério da Igreja.

    A obediência supõe uma autoridade que dá uma ordem ou decreta uma lei. As autoridades humanas, mesmo sendo instituídas por Deus, apenas têm autoridade para atingir o fim determinado por Deus, e não para dele se desviarem. Quando uma autoridade usa o seu poder em oposição à lei pela qual esse poder lhe foi dado, não tem direito à obediência, e devemos desobedecer-lhe.

    Essa necessidade de desobediência é aceita em relação ao pai de família que encoraja a filha a prostituir-se, ou em relação à autoridade civil que obriga os médicos a provocarem abortos e a matarem inocentes. Porém, a autoridade do Papa é aceita a qualquer preço, como se o Papa fosse infalível no seu governo e em todas as suas palavras. É desconhecer a história e ignorar o que é, na realidade, a infalibilidade.

    Já São Paulo teve que dizer a São Pedro que ele “não andava direito segundo a verdade do Evangelho” (Gal. II,14). E o mesmo São Paulo encorajou os fiéis a não lhe obedecerem se lhe acontecesse pregar um Evangelho diferente daquele que lhes tinha ensinado anteriormente (Gal. I,8).

    São Tomás, quando fala da correção fraterna, alude à resistência de São Paulo face a São Pedro, e comenta-a assim: “Resistir na cara e em público ultrapassa a medida da correção fraterna. São Paulo não o teria feito em relação a São Pedro se não fosse de algum modo o seu igual (…). No entanto, é preciso saber que, caso se tratasse de um perigo para a Fé, os superiores deveriam ser repreendidos pelos inferiores, mesmo publicamente. Isso ressalta da maneira e da razão de agir de São Paulo em relação a São Pedro, de quem era súdito, de tal forma, diz a glosa de Santo Agostinho, que ‘o próprio Chefe da Igreja mostrou aos superiores que, se por acaso lhes acontecesse abandonarem o reto caminho, aceitassem ser corrigidos pelos seus inferiores’” (S. Tomás., Sum. Theol. IIa-IIae, q. 33, art. 4, ad 2m).

    O caso evocado por São Tomás não é ilusório pois aconteceu, por exemplo, em relação a João XXII. Esta Papa julgou poder afirmar que as almas dos eleitos só gozariam a visão beatífica depois do Juízo Final. Emitiu essa opinião pessoal em 1331 e, em 1332, pregou uma opinião semelhante sobre o castigo dos condenados. Queria impor essa opinião à Igreja por um decreto solene.

    Mas as vivíssimas reações dos Dominicanos – principalmente os de Paris – e dos Franciscanos fizeram com que renunciasse a essa opinião em favor da tese tradicional, definida pelo seu sucessor Bento XII em 1336.

    E eis o que diz o Papa Leão XIII na sua encíclica Libertas praestantissimum, de 20 de junho de 1888: “Suponhamos, pois, uma prescrição de um poder qualquer que estivesse em desacordo com os princípios da reta razão e com os interesses do bem público (e, com mais razão ainda, com os princípios da Fé): ela não teria nenhuma força de lei…” E, um pouco adiante: “Quando faltar o direito de mandar, ou quando a ordem for contrária à razão, à lei eterna, à autoridade de Deus, então é legítimo desobedecer – queremos dizer: aos homens – para obedecer a Deus.”

    Ora a nossa desobediência é provocada pela necessidade de conservar a Fé católica. As ordens que nos foram dadas exprimem claramente que o foram para nos obrigar à submissão sem reservas ao Concílio Vaticano II, às reformas pós-conciliares e às prescrições da Santa Sé, ou seja, a orientações e a atos que minam a nossa fé e destroem a Igreja, e a isso é impossível acedermos.

    Colaborar na destruição da Igreja é atraiçoar a Igreja e Nosso Senhor Jesus Cristo.

    Ora, todos os teólogos dignos desse nome ensinam que, se o Papa pelos seus atos destrói a Igreja, não lhe podemos obedecer e deve ser repreendido, respeitosa mas publicamente. (Vitoria, Obras…, pp. 486-487; Suarez, De fide, disp. X, sec.VI, no. 16; São Roberto Bellarmino, De Rom. Pont., lib. II, c. 29; Cornelius a Lapide, Ad. Gal. 2, 11; etc.),

    Os princípios da obediência à autoridade do Papa são os mesmos que os que ordenam as relações entre uma autoridade delegada e os seus súditos. Eles só não se aplicam à autoridade divina, que é sempre infalível e indefectível e, portanto, não supõe qualquer falha.
    Na medida em que Deus comunicou a sua autoridade ao Papa, e na medida em que o Papa entende usar essa infalibilidade – cujo exercício implica em condições bem determinadas – não pode haver falha.

    Mas fora desses casos, a autoridade do Papa é falível, e, por isso, os critérios que obrigam a desobediência aplicam-se aos seus atos. Não é, pois, inconcebível que haja um dever de desobediência em relação ao Papa.

    A autoridade que lhe foi conferida foi-lhe conferida para fins determinados e, em definitivo, para glória da Santíssima Trindade, de Nosso Senhor Jesus Cristo, e para salvação das almas.

    Tudo o que for realizado pelo Papa em oposição a esse fim não terá qualquer valor legal, nem qualquer direito à obediência e, mais ainda, obriga à desobediência para permanecer na obediência a Deus e na fidelidade à Igreja.

    É o que acontece relativamente a tudo o que os últimos Papas ordenaram em nome da liberdade religiosa e do ecumenismo, desde o Concílio: todas as reformas feitas a esse respeito são desprovidas de qualquer direito e de qualquer obrigação. Os Papas usaram da sua autoridade contrariamente ao fim para o qual essa autoridade lhes foi dada. Têm, pois, direito à nossa desobediência.

    A Fraternidade S. Pio X e a sua história manifestam publicamente essa necessidade de desobediência para permanecermos fiéis a Deus e à Igreja. Os anos 74-75-76 trazem à memória essa incrível disputa entre Ecône e o Vaticano, entre o Papa e eu próprio.

    O resultado foi a condenação, a suspensão “a divinis”, nula de pleno direito, pois o Papa abusou tiranicamente da sua autoridade para defender suas leis contrárias ao bem da Igreja e ao bem das almas.

    Esses acontecimentos são uma aplicação histórica dos princípios do dever de desobediência.
    Foram motivo de afastamento de certo número de padres amigos e de alguns membros da Fraternidade que, assustados por essa condenação, não compreenderam o dever de desobediência em determinadas circunstâncias.

    Ora, doze anos se passaram; oficialmente, a condenação mantém-se; as relações com o Papa são tensas, tanto mais que as conseqüências do ecumenismo se aproximam da apostasia, o que nos obrigou a reações veementes.

    No entanto, o anúncio de uma consagração episcopal feita em 29 de junho de 1987 alvoroçou Roma, que, finalmente, decidiu aceder ao nosso pedido de uma visita apostólica e enviou, em 11 de novembro, o Cardeal Gagnon e Mons. Perl.

    Tanto quanto nos foi dado saber pelos discursos e comentários dos visitadores, o seu julgamento foi dos mais favoráveis, e o Cardeal não hesitou em assistir à Missa Pontifical de 8 de dezembro, celebrada pelo prelado suspenso “a divinis”.

    Que concluir de tudo isto, a não ser que a nossa desobediência dá bons frutos, frutos reconhecidos pelos enviados da autoridade à qual desobedecemos?

    E eis-nos perante novas decisões a tomar. Estamos mais do que nunca animados a dar à Fraternidade os meios de que precisa para continuar a sua obra essencial: a formação de verdadeiros padres da Santa Igreja Católica Romana, isto é, dotar-me de sucessores no Episcopado.

    Roma compreende esta necessidade, mas aceitará o Papa que os bispos sejam oriundos da Tradição? Para nós não pode ser de outro modo. Qualquer outra solução seria sinal de que nos querem alinhar pela Revolução Conciliar, e, nesse caso, o nosso dever de desobediência surge imediatamente.

    As conversações estão em curso, e em breve conheceremos as verdadeiras intenções de Roma. Elas decidirão o futuro. Temos de continuar a rezar e a velar. Que o Espírito Santo nos guie por intercessão de Nossa Senhora de Fátima!

    Ecône, 29 de março de 1988,

    + Marcel Lefebvre

  9. Caros Amigos

    Eu não esperava que meu comentário se tornasse um Post, mas como eu disse aciama ao Pedro Pelógia que o Professor Orlando Fedeli e seus seguidores Lefebvrista insitam à desobediência do Magistério da Igreja Oficial, desviando o foco para obedecerem a si mesmos como se eles fossem os únicos Fiéis Católicos da terra, há um livro entitulado “Mais Católico do que o Papa” escrito por um Reportes ex. Participante da FSSPX os seja ex seguidor de Lefebvre que testemunha exatamente este ensinamento acima nesta carta de Dom Marcel Lefebvre o Bispo que foi excomungado por João Paulo II e não foi perdoado por Bento XVI como Fedeli declara em seu site.

    Nosso amigo

    Gederson
    agosto 30th, 2009 at 16:22

    O Dever da Desobediência
    Dom Marcel Lefebvre
    29/03/1988

    Nos fez o favor de copiar aqui a prova do que eu havia dito acima, vemos claramente nesta carta que Dom Marcel Lefebvre ensina com muita sabedoria a desobedecermos o Papa em Roma, não somente desobedecermos, mas principalmente juntarmos a ele contra a Igreja que se deixou influênciar por inimigos FICTÍCIOS que eles denominam de modernistas, maçons e etc…

    Poderíamos mesmo desobedecer ao Papa ?

    Quando eu era jovem e os Tradicionalistas mandavam em nossa cidade, não se podia contestar nenhuma ordem e nem discutí-la, varias vezes fui repreendido no grupo de jovens carismático apenas pelo motivo de louvarmos em voz alta e orarmos em línguas, não se podia contestar. Ficamos na verdade 3 anos proibidos de orar em línguas e fazer SVE I em nossa cidade quando um certo coordenador assumiu, ele justificava apenas como sendo ordens superiores, e para garantir a obediência cega citavam a seguinte frase dizendo ser procedente de uma “Santa da Igreja” […] É preferível errar com a Igreja que acertar sem ela. […], hoje não encontro a procedência desta frase e já me negaram dizendo que ela nunca foi pronunciada.

    Desta forma, garantiam a obediência ao tradicionalismo e hoje descobri esta carta dos tradicionalistas que ensinam à desobedecer o Magistério Oficial da Igreja Católica, mal sofrido pelo nosso Bispo anterior, que os padres mais jovens tradicionalistas ordenandos por ele mesmo, não o obedeciam e cada um fazia o que bem entendia em sua paróquia, tentaram continuar a mesma prática com o novo Bispo e é por isso que aconteceram tantos conflitos em Anápolis, porque a Pastoral adotada pelo Bispo atual não é a mesma adotada pelo Bispo anterior. E como foi dito em um comentário de Pedro Pelógia, Anápolis agora é uma diocese como qualquer outra deste país.

    Não sei se esta observação seja boa ou ruim, se é que antes nossa cidade era conhecida mundialmente como a “Resistente Anápolis”, como me fora citado por um outro sujeito que agora é SEDEVACANTISTA.

    Além desta carta de Dom Lefebvre existem diversos outros textos que eles usam para tentar nos convencer que somos responsáveis para corrigir os erros da Igreja, a mesma Igreja que eles não adimitem que tenha cometido nenhum erro no passado e que é Santa e imaculada, mas que porém, depois do Vaticano II desviou-se da fé Católica verdadeira e chegam a dizer que não somos mais Católicos.

    E agora, quem estaria certo, O papa Bento XVI ou este Bisbo Dom Marcel Lefebvre que acabou sendo excomungado por João Paulo II, exatamente por ter consagrado quatro Bispos sem o consentimento de Roma. Apesar de alertado, ele agiu conscientemente que seria excomungado, sua atitude foi uma afronta a Roma propositalmente e não incoscientemente. A Prova disso é esta carta que tenta justificar a sua atitude de desobediência tentando esconder o maior pecado que um Bispo poderia ter cometido contra a Igreja e contra Deus.

    Estes mesmos senhores agora invadem sites Católicos na internet, demonstrado conhecimento doutrinário impecável, porém temperado com a desobediência, erro clássico de satanás provocador da divisão e do Cisma, invadem a privacidade de pessoas como Padre Jonas, Padre Marcelo, Padre Joãozinho, Padre Fábio e outros, difamando-os em todos os seus Blog’s, usando de palavras provocativas e os chamando de covardes porque não resposndem a todas as inquisições que lhes são propostas.

    É como se fosse um julgamento inquisitório sob autoridade de Roma.

    Cabe a nós apenas lembrar o seguinte, a quem caberia o dever de corrigir os Sacerdotes ?

    Uma coisa é certeza, não seria a nenhum seguidor deste homem excomungado pela Igreja e nem à Montfort que nunca recebeu este poder de Roma para corrigir quem quer que seja neste País, muito menos de condenar alguém publicamente como fazem no site Montfort.

    A carta de Dom Marcel Lefebvre está aí insitando à desobediência:

    Podemos mesmo desobedecer a Igreja ?

    Se não podemos, então cabe a nós sermos fiéis ao Papa e nos afastarmos daqueles que seguem o principio da dircórdia e desobediência para o bem de nossa Santa Amada Igreja Católica, Carismatica ou não.

    Amem.

    Obrigado Padre Joãozinho e a todos os leitores da Canção Nova.

    Jesus ama a todos.

  10. Falacioso Sizenando:

    Seus argumentos são estaparfúdios. Revelam uma inocência sem tamanho, como se nós os tradicionalistas é que fossemos os inimigos da Igreja. Somos chamados de cismáticos, de desobedientes, de rebeldes e outros adjetivos mais, totalmente fora da realidade.

    Minha cara, eu sugiro-lhe, antes de afirmar que rejeitamos o Magistério da Igreja, a fazer um básico estudo, não das novidades pós concilio, mas de tudo aquilo que o catolicismo perdeu nos últimos 40 anos.

    Você nos trata como se fossemos inimigos da Igreja, como se fosse um crime questionar alguma decisão do Papa, referente a meras questões pastorais. Saiba que aquele que mais se preocupa é porque mais ama.

    vocês carismáticos não estão nem aí para Igreja… Só querem saber de rebolar em bailes do espírito, missas-show, cristotecas, cruzeiros marítimos, acampamentos da CN. Enquanto isso estiver garantido, para vocês está tudo bem. Pouco importa as profanações do Santíssimo Sacramento, pouco importa chamar abortistas para ler o evangelho na missa, pouco importa dar comunhão para protestantes publicamente conhecidos, pouco importa as 1000 barbaridades que ocorrem no meio carismático… E sob o pretexto de aceitar o CVII, nós é que somos os desobedientes da Igreja…

    Você diz que somos desobedientes ao Magistério atual:

    Errado, apenas pedimos explicações em questões pastorais que parecem contradizer a doutrina de sempre da Igreja, em alguns poucos documentos. E recebemos em troca o silêncio.

    Já vocês, além de toda rebeldia ocorrida nos meios modernistas e carismáticos, resumido brevemente a cima, tratam de questões dogmáticas com hereges como se fossem simples questões pastorais…

    Nós defendemos a autoridade espiritual e moral da Igreja.

    Enquanto vocês profanam o santo sacrifício da Missa batendo palminhas e rebolando. Frequentam carnavais de cristo, boates decristo, cruzeiros maritimos de cristo, bailes de cristo e outroas amoralidades mais.

    Enquanto os bispos e padres defensores da RCC se preocupam mais com o rio amazonas, com encontros políticos ou como anda a vida sexual do lobo guará,

    Nós rejeitamos qualquer encontro com quem é declaradamente inimigos da igreja e nos preocupamos em primeiro lugar com a vida espiritual…

    Enquanto vocês defendem uma missa criativa, adorando inovações que pululam todos os dias,

    Nós procuramos defender aquilo que fez parte da Igreja por 1960 anos.

    Enquanto alguns de vocês vêem a tradição da Igreja como algo antiquado e que merece dar lugar ao novo,

    Nós procuramos manter e defender tudo aquilo que todos os nossos santos vivenciaram..

    Enquanto muitos de vocês saem do catolicismo para o protestantismo,

    você nunca verá isso ocorrer com um tradicionalista…

    Os verdadeiros inimigos da Igreja não somos nós…

    Nós, com nossa luta, é que impedimos que a crise seja pior do que já é… Se um cardeal Kasper davida prevalecesse, coitada das gerações futuras… Se os abusos da RCC imperarem sem questinamentos alguns, a vida espiritual desfalecerá… Só teremos na lembrança a vida dos nossos santos do passado, porque a RCC não conduz ninguém a santidade…

    Talvez tudo ficasse as claras, se realmente houvesse uma reforma na nova missa, se o passa combatesse alguns abusos, que até as pessoas de boa vontade da RCC reconhecem… aí sim você veria quem são os verdadeiros desobedientes e apóstatas… (com mais clareza ainda)

  11. Para finalizar, para vocês verem os verdadeirso frutos do CVII, enquanto os hereges protestantes que negam o Papa, Nossa Senhora, a eucaristia, o batismo infantil, a necessidade das boas obras, entre outras coisas mais,

    são chamados de Cristãos, irmãos em Cristo, irmãos separados… essas palavras de afagos para os inimigos da Igreja, dizendo até que esses tais tem até alguma comunhão com a Igreja Católica,

    Enquanto nós, os defensores de quase 2000 anos de tradição, somos chamados de desobedientes, rebeldes, cismáticos e outras palavras mais depreciativas…

    Se soubessem o quanto isso nos alegra…

  12. Pedro Pelogia

    Recém-revelado sr. Sizenando, salve Maria!

    Lá no blogue o sr. postava com suas duas identidades, a batismal (creio eu) Sizenando e a “blogal” Presente Pra Você. Achei que se tratava de duas pessoas distintas.

    De minha parte, prefiro dizer o que tenho que dizer com o nome e a cara que Deus me deu. O que vier acontecer comigo por isso é vontade Dele.

    Por favor, como o sr. pode dizer que eu conheço 100 por cento de doutrina católica? Quem me dera! Isso não é verdade, o sr. me supervaloriza assim! O sr. exagera nessa sua porcentagem.

    Outra porcentagem exageradamente baixa que o sr. me apresenta é a de que eu conheço menos de 1% do cotidiano pastoral de um sacerdote. Pra dizer a verdade, eu não sou o tipo de pessoa agarrada à batina dos párocos (tanto é que a maioria deles nem a usam), de conversinhas em sacristias, porque eu como grande DESCONHECEDOR do dia-a-dia de um sacerdote, penso comigo que o padre tem mais o que fazer do que ficar com fofoquinhas com senhoras da “intercessão”, com gente das mui úteis pastorais ou com mocinhos e mocinhas do grupo de jovens. Eu nunca fui de importunar padres, embora goste de conversar com eles em momentos certos.

    Pra você ter uma idéia, aqui na minha cidade houve um sacerdote carismático muito dado ao povo, até demais. Fundou uma “escola de samba” paroquial e todos os anos promovia um carnaval “cristão”, com um sucesso estrondoso (o público do carnaval “cristão” era maior que o da Semana Santa). Pois bem, este padre não sabia o que era solidão (às vezes necessária à contemplação), estava sempre rodeado de gente que não lhe deixava dar um passo sozinho na rua. A situação fugiu do seu controle quando o pároco não tinha mais o controle de seu próprio dormitório! Certo dia o padre saiu atender as capelas rurais e uma senhora da “intercessão” não quis aguardar o seu retorno na secretaria paroquial: entrou no quarto do pároco e ficou aguardando lá. O famoso pároco voltou para casa, entrou em seus íntimos aposentos de homem celibatário e encontrou aquela senhora a esperá-lo, uma das 10 mil que ele talvez conhecesse, e no dia seguinte queixou-se ao Bispo. O Bispo nada pode fazer, visto que o vigário já se tornara um “astro pop”… Eu não quero ser como essa senhora, ou mesmo como certos rapazes da minha idade, membros de toda a sorte de “movimentos e pastorais” que a modernidade pariu. Ainda mais, é engraçado o sr. afirmar categórica, matemática e percentualmente que eu conheço menos de 1 % a vida de um padre, sendo que o sr. nem me conhece…

    Eu não sou membro de nenhuma pastoral ou movimento (e me orgulho muito disto!), mas já que o sr. se identificou como membro da RC”C”, deixe-me contar um pouco sobre meu dia-a-dia também.

    Eu sou funcionário de uma emissora de rádio AM aqui na minha cidade. Logo, não é difícil que eu me encontre com padres e mesmo com pastores evangélicos. Não tenho vivido bem, pois passo o dia a aguentar o adocicado repertório musical carismático, bem como os agressivos ritmos pentecostais evangélicos que os ouvintes solicitam. Vejo padres diariamentes, e em conversas com eles, cada vez que menciono as tags missa + tridentina, eles me deixam falando sozinho. Talvez se não fosse eu, mas o cardeal Castrillon Hoyos falando com eles sobre o mesmo assunto, seriam mais atenciosos… Há um velho frei dominicano de oitenta anos, meu amigo, com o qual gosto muito de conversar e de saber com ele as coisas dos tempos idos. Ele ainda não aceitou celebrar a Missa de sempre autorizada pelo Papa, pois teme uma reprimenda do Bispo ou do Provincial, mas ele está de acordo comigo sobre o carismatismo. Outro dia ele chegou em mim e disse que havia dissolvido um “grupo de oração” da RCC numa capela rural de sua responsabilidade. Ele – o padre – me disse que lá se pregava heresia protestante, e que os agrupados não participavam da Missa dominical.

    Portanto, sr. Sizenando, informo-lhe que sua porcentagem de menos de um porcento (< 1%) sobre mim está equivocada. Eu não me ponho a discorrer sobre sua vida ou a vida de qualquer cidadão anapolense, apenas comento os fatos arqui-conhecidos a nível nacional protagonizados pelo sr. Bispo de Anápolis. Já o sr. põe-se a falar do que absolutamente nada sabe e nem tem como saber, que é da minha vida.

    Foi bom o sr. ter se lembrado do padre João Batista. Ontém eu estava navegando pelo seu maravilhoso site e me deparei com um artigo assim denominado “O burlesco para explicar a crise na fé” (www.santamariadasvitorias.com.br/documentos/o_burlesco_para_ilustrar_a_crise_de_fe.doc), em que ele denuncia entre outras coisas LEGALISMO FARISAICO: eu participo de um “movimento” da Igreja, logo, eu tenho autoridade; ou então: meu Bispo é o bispo tal, estou “ligado” a ele, logo o que eu faço não vai e nem pode ir contra a doutrina oficial da Igreja. Assim raciocina a RCC, legalizadamente; assim raciocinam as milhares de pastorais, como a infame Pastoral da Terra, sucursal devidamente “legalizada” da TL. Desta maneira raciocinam as hediondas “Católicas Pelo Direito de Decidir”, que até tiveram participação especial na CF do ano passado…

    Padre Joãozinho perguntou aonde está o Bispo da Associação Montfort e aonde está grafado o imprimatur eclesiástico de seu site. Eu digo que não há e dificilmente surgirá um Bispo no Brasil para apoiar a Montfort e grafar lá o seu “nihil obstat”. Quer dizer que a “legalidade eclesiástica” agora é vacina contra heresia? O Concílio Ecumênico Vaticano PRIMEIRO nos ensinou que a infalibilidade em questão de fé e moral cabe ao ROMANO PONTÍFICE; Já o Concílio Pastoral Vaticano Segundo deu entender que a infalibilidade se ESTENDEU aos movimentos, às pastorais, aos ministérios, que TODOS são infalíveis, desde que legalizados e oficializados! Logo ao professor Fedeli só restaria a carapuça de mentiroso, pois estando na EXTRA-OFICIALIDADE, não fazendo parte de nenhum movimento e pastoral, não pode falar a verdade… Será assim?

    Aonde estava o bispo de Santo Atanásio, quando este foi excomungado por se opor ao arianismo, ou melhor, por se opor a uma doutrina NOVA que queriam impor a Igreja sem identificá-la como a heresia de Ario? Santo Atanásio deixou de falar a verdade quando foi desterrado por três vezes da sua Sé de Alexandria?

    A legalidade eclesiástica não é garantia de retidão na fé. Ario pertencia ao clero patriarcal de Alexandria; Eusébio de Cesaréia, Fócio e Miguel Cerulário eram Patriarcas de Constantinopla; Lutero era monge agostiniano, em obediência a seu superior. Já Catarina de Siena era uma jovem leiga, terciária dominicana, e conseguiu sacudir a inércia do mundo eclesiástico de sua época. Esta garota não costumava ser muito gentil. Chegando em Avignon, revelou ao Papa suas impressões: “A corte papal exala o fedor do inferno”. Mais tarde seu sonho de restauração da Igreja se realizou, e a Sé Papal RETORNOU à Roma.

    As piores heresias da história do Cristianismo foram encabeçadas por pessoas “legalizadas” na Igreja, a saber, sacerdotes, religiosos. Por que hoje no período pós-conciliar, neste jardim florido e encantado, de flores de todas as espécies (incluindo as ervas-daninhas), haveria de ser diferente? Se faltam Bispos escrevendo no site da Montfort, há um Bispo do interior de SP que escreve com bastante assiduidade no site da Adital (www.adital.com.br); um site esquerdista que defende posições bem contrárias àquilo que ensina a Igreja. E este Bispo é um legítimo Sucessor dos Apóstolos, embora suas idéias sobre política sejam legitimamente oriundas das idéias de Marx e Engels, e sua fé, como ele próprio reconhece, seja oriunda da “nova igreja” que o Concílio Vaticano II produziu…

    Devemos rezar muito pelos nossos Bispos. É triste ver um sucessor dos Apóstolos defender o sacerdócio feminino: dom Vilson de Oliveira, dom Clemente Isnard (co-autor da “versão brasileira” do Missal Romano, responsável por expressões como “ele está no meio de nós” ao invés de “e com o vosso espírito”), dom Pedro Casaldáliga…

    É triste ver um sucessor dos Apóstolos defendendo a invasão de terras: dom Pedro Casaldáliga, dom Tomás Balduíno, dom Mauro Morelli, dom Celso de Almeida (meu conterrâneo).

    É triste ver um sucessor dos Apóstolos defendendo a heresia carismática: dom Alberto Taveira, dom Orlando Benes, dom Fernando Figueiredo.

    É triste ver um sucessor dos Apóstolos defendendo o ecumenismo com as falsas religiões: toda a CNBB, praticamente.

    A Associação Cultural Montfort não tem um “imprima-se” episcopal, mas eu me pergunto por que a Montfort o quereria de algum desses prelados? Talvez unicamente por serem legítimos sucessores dos Apóstolos – e parte da “oficialidade” da Igreja. Portanto a Montfort procura respeitar o Bispo por ser Bispo, criticando porém o seu péssimo agir e o seu ímpio falar.

    São Jerônimo era obediente a seu Bispo, que era um homem mulherengo e libidinoso. O santo doutor procurava ver o Bispo naquele homem lascivo e pecador. A partir do momento que o Bispo passou a justificar desonestamente aquele seu modo de vida, São Jerônimo rompeu com ele. Cismático?…

    Como podem ver, caros Sizenando e Padre Joãozinho, o LEGALISMO não previne contra a heresia e muito menos contra o pecado. Padre Joãozinho e Padre Fábio são religiosos ligados a um Superior, e no entanto afirmaram aquelas atrocidades sobre a Eucaristia. O professor Orlando Fedeli é um docente de História, leigo, aposentado, mas católico, e saiu em defesa do dogma eucarístico sempre ensinado pela Santa Igreja.

    Sizenando: a palavra fala, mas o procedimento GRITA. O Papa somente distribui a comunhão do modo tradicional (de joelhos, na boca), e continuará a fazê-lo. http://www.zenit.org/article-18871?l=portuguese

    Vendo o Papa agir desse modo, eu tenho a leve impressão que ele quer ser IMITADO por seus irmãos no sacerdócio. Você me diz que os 30 comungantes tradicionais foram intensamente fotografados. Então o Papa deseja mesmo PROPAGAR este modo de receber a Comunhão sagrada. Nós, leitores da Montfort, aguardamos com ansiedade a “reforma da reforma” litúrgica, em que a Comunhão dada nas mãos será abolida por denotar uma profanação eucarística, inventada pelos hereges arianos que não criam na presença real de Cristo na Eucaristia.

    Eu não sou absolutamente ninguém. O sr. e o padre Joãozinho só aceitam conselhos de quem é “devidamente autorizado por Roma” para ensinar LEGALMENTE a doutrina católica, DESDE QUE não pertençam à FSSPX ou similares… Pois fique com a palavra OFICIAL do Bispo dom Atanasius Schneider: http://fratresinunum.com/2009/07/30/como-bispo-nao-posso-me-calar-excertos-do-livro-dominus-est-de-dom-athanasius-schneider/

    O IBP do Brasil rompeu com a Montfort (a ligação entre ambos só tornou-se conhecida após este “rompimento”) porque os padres de São Paulo romperam antes com o propósito do mesmo IBP, que é criticar construtivamente o último Concílio. No seminário que teve vida bem curta passou-se a ensinar doutrina moderna introduzida pelo Concílio. Os padres do Instituto Bom Pastor no Brasil subverteram a missão do próprio IBP e “cismaram” com a Associação Montfort, proprietária da casa onde funcionava o seminário. Saíram de vontade própria, senão seriam expulsos ou pela Montfort ou pelo seu Ordinariato na França.

    Este artigo de dom Lefebvre não está incitando ninguém a desobediência, mas à obediência à doutrina católica de sempre. Quem está em desobediência, neste contexto, são os bispos, o clero, que abandonaram a sabedoria das coisas eternas e abriram os ouvidos às fábulas mundanas pela curiosidade de ouvir o que o ímpio mundo tem a dizer. O clero moderno está destruindo a Igreja. No dizer do Rei Salomão em seus Provérbios, a senhora Sabedoria edifica a sua casa, e a senhora Loucura destrói a sua com as próprias mãos.

    Rezemos pelo triunfo da Santa Igreja sobre seus inimigos (que estão dentro dela). Paz e bem!

    Pedro Pelogia.

  13. Caríssimos,
    Dom Marcel Lefebvre, desenvolve toda uma argumentação em cima do dever a desobediência. O Sr. Sizenando, não responde diretamente a nenhum dos argumentos. Talvez ele queira pelo menos responder, se é licíto ao católico:
    “enganar-se com o Papa do que estar na Verdade contra ele”
    Os inimigos de que nos fala o “DOSSIÊ LITÚRGIA UMA BABEL PROGRAMADA” no próprio site da CONGREGAÇÃO PARA A DOUTRINA DO CLERO (http://www.clerus.org/clerus/dati/2007-11/23-13/DossieLitUmaBabel.html), não são fictícios, mas reais (Bugnini, o maçom, era o responsável pela reforma litúrgica…). Tão reais que o Santo Padre Bento XVI, ao assumir o Pontificado, pediu para que rezássemos para que ele não temesse os lobos. Para o Sr. Sizenando, a Igreja só possuí amigos, algo bem dentro do espírito da Igreja como responsável pela unidade do gênero humano. Daí é natural quando vê alguém falando em iniimigos, acharem no fictício.

    Quanto à pergunta;
    “Poderíamos mesmo desobedecer ao Papa ?”
    Para fazer uma pergunta destas e escrever o que escreveu, o Sr. Sizenando, deve ter lido apenas o título do texto. O próprio texto de Dom Lefebvre, o responde citando que São Paulo corrigiu São Pedro, não lhe obedeceu no erro. E ninguém menos do que Santo Tomás de Aquino, o explica, apenas leiam o texto.
    Na outra resposta que lhe dei, afirmei que o Papa não é Deus. Disto deduz-se, por exemplo, que embora o Papa João Paulo II tenha dito que o inferno é um estado de espírito, ele não é um estado de espírito… Mas quem responde a questão, são os doutores da Igreja:
    “Se o Papa baixar uma ordem contrária aos bons costumes, não se há de obedecer-lhe; se tentar fazer algo manifestamente contrário à justiça e ao bem comum, será lícito resistir-lhe” (De Fide, dist. X, sect. VI, n.16). SUAREZ
    “É lícito resistir ao Pontífice que tentasse destruir a Igreja. Digo que é lícito resistir-lhe não fazendo o que ordena e impedindo a execução de sua vontade” (De Romano Pontifice, lib. II, c. 29). São Roberto Belarmino
    Quanto ao Dom de línguas, a maioria dos que dizem falar em línguas, não falam em línguas. Repetir uma mesma palavra centenas ou dezenas de vezes, não quer dizer que eu esteja falando outra língua. Do contrário, podemos considerar que toda Igreja fala latim e grego, porque repetidas vezes dizem amém e hosana. Ademais, as restrições de São Paulo, ao Dom de língua, são conhecidas de todos. No capítulo 14 de Coríntios, pode se ler fartamente a este respeito. Deixo por enquanto as seguintes palavras:
    “Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver caridade, sou como o bronze que soa, ou como o címbalo que retine.” 1Cor 13,1
    “Se, pois, numa assembléia da igreja inteira todos falarem em línguas, e se entrarem homens simples ou infiéis, não dirão que estais loucos?” 1Cor 14, 23
    Quanto a excomunhão de Dom Lefebvre, o que ele argumenta, são apenas calúnias. Se querem uma opinião séria a respeito da excomunhão de Dom Lefebvre, leiam a “Tese Muray” (http://www.permanencia.org.br/SimSimNaoNao/088/art1.htm), aprovada pela Pontifícia Universidade Gregoriana. Vejam um trecho:
    “A sagração de um bispo ― aí lemos ― sem mandato, não pode ser compreendida como um ato intrinsecamente mau, nem mesmo como um ato que implique um prejuízo para as almas, a menos que aí haja circunstâncias particulares que façam aparecer, de modo mais explícito, a natureza do ato. Em nosso caso, ter violado diretamente a vontade expressa do Santo Padre, que não queria a realização das sagrações de Ecône, o que confere a este ato um caráter objetivo particular, abstenção feita aqui dos motivos alegados pelo arcebispo Lefebvre. Esses motivos condicionariam também a natureza do ato em questão, como veremos. O caráter objetivo deste ato é o de uma desobediência de natureza cismática, conforme o julgamento da Autoridade suprema da Igreja. Um ato verdadeiramente cismático tem sempre o caráter de um ato nocivo às almas. Portanto, o arcebispo Lefebvre não se pode limitar a afirmar, “prima facie”, que o n° 4 do cânon 1323 [que isenta de pena em caso de necessidade] o libera de toda sanção. É preciso, inicialmente, responder a esta pergunta: Ele pode legitimamente afirmar que existia efetivamente um estado de necessidade?” [109].
    Portanto: não estamos diante de um “ato intrinsecamente mau”, nem mesmo “prejudicial às almas”, a menos que se demonstre que este ato, enquanto praticado contra a vontade expressa do Papa, apresenta um “caráter objetivo particular”, a saber, uma “natureza cismática”. Mas o Pe. Murray lembra que, para uma avaliação jurídica correta do ato, a “natureza do ato em questão” não resulta somente do julgamento que dele faz a Santa Sé, mas também da avaliação que lhe faz o autor. E este invocou sempre a existência de um grave estado de necessidade para justificar aquele ato. O ponto de vista expresso pelo Pe. Murray parece inteiramente correto à luz do direito, porque, como veremos, para o Código em vigor, a importância jurídica do ato em questão depende da avaliação que dele faz o sujeito, muito mais do que a avaliação da autoridade afetada por sua desobediência. Isto significa ser incorreto partir do julgamento da Santa Sé como regra interpretativa predominante no que concerne à significação jurídica exata do ato, como foi determinado pelo Código do Direito Canônico. Segundo este, ao contrário, deve se considerar como predominante o ponto de vista do sujeito que declara agir em estado de necessidade. Tese Muray
    Os Bispos da Fraternidade, tiveram suas excomunhões retiradas pelo Papa. O dever de corrigir as autoridades (repito aqui o ensinamento de Santo Tomás), é de todos:
    “Resistir na cara e em público ultrapassa a medida da correção fraterna. São Paulo não o teria feito em relação a São Pedro se não fosse de algum modo o seu igual (…). No entanto, é preciso saber que, caso se tratasse de um perigo para a Fé, os superiores deveriam ser repreendidos pelos inferiores, mesmo publicamente. Isso ressalta da maneira e da razão de agir de São Paulo em relação a São Pedro, de quem era súdito, de tal forma, diz a glosa de Santo Agostinho, que ‘o próprio Chefe da Igreja mostrou aos superiores que, se por acaso lhes acontecesse abandonarem o reto caminho, aceitassem ser corrigidos pelos seus inferiores’” (S. Tomás., Sum. Theol. IIa-IIae, q. 33, art. 4, ad 2m).
    Portanto seu argumento de que a quem caberia corrigir os sacerdotes, apenas demonstra que você sequer leu, o texto de Dom Lefebvre!!!
    Quanto a outra pergunta:
    Podemos mesmo desobedecer a Igreja ?
    Sim, podemos desobedecer a Igreja, tal como Santo Atanásio, desobedeceu a “Igreja.” E sendo excomungado pela própria Igreja, tal como Dom Lefebvre, continuou sua obra contra o arianismo dominante.
    Anteriormente, deixei a Carta do Dever da desobediência de Dom Lefebvre, agora envio abaixo, a demonstração prática da desobediência pela nova teologia que forma o novo magistério. Sizenando, sua outra argumentação, esta respondida no endereço: http://blog.cancaonova.com/padrejoaozinho/2009/08/27/palavra-de-irmao-no-sacerdocio/#comments

    A desobediência ao Magistério Infalível: Marca da nova teologia”
    A desobediência ao Magistério Infalível: Marca da nova teologia”
    Nota: A presente publicação tem por finalidade divulgar o livro “A nova teologia. Os que pensam que venceram”. Como também divulgar a biblioteca digital do grupo permanência que disponibiliza este e outros excelentes livros.

    Maurice Blondel
    NESTA SÉRIE DE ARTIGOS mostramos que, apesar de condenado e combatido por São Pio X (Pascendi) e por seus sucessores até Pio XII (Humani Generis), o modernismo continuou a se infiltrar na Igreja, como uma seita. A longa desobediência, que ficara mais ou menos clandestina até então, explode por ocasião do Concílio pastoral Vaticano II, e hoje a “nova teologia” ou neomodernismo triunfa com força, não a força da verdade, mas unicamente pelo favor das autoridades (dos diferentes níveis, até o mais alto), com grande perigo para as almas que ela engana (o que nos impede de calar).
    Vimos que na base do modernismo há a falsa “filosofia cristã” de Blondel, que, na ilusão de conciliar a Igreja com o “mundo moderno”, isto é, com a filosofia moderna doente de cepticismo e de subjetivismo, perverte, à maneira modernista, “a eterna noção de verdade”1, bem como a do “sobrenatural”. Assim, a verdadeira “restauração” na Igreja será marcada pelo retorno à filosofia perene.
    Em seguida, mostramos os erros do jesuíta De Lubac, “pai” de uma “nova teologia” que “evolui com a evolução das coisas, semper itura, numquam perventura”, sempre a caminho, sem jamais atingir seu fim2.
    Pensamos haver lançado também um pouco de luz sobre a pseudoteologia hermética de von Balthasar, que transfere ao domínio ecumênico o “delírio filosófico” de Hegel. Em seguida, consideramos o pensamento e o comportamento de três personalidades investidas de autoridade na Igreja (conquanto em graus diferentes), as quais têm, pois, a principal responsabilidade no triunfo atual dos modernistas: Paulo VI (que propriamente se deve definir como um filomodernista), João Paulo II (que é, por sua vez, pessoalmente admirador da “nova teologia”) e o cardeal Ratzinger.
    Esforçamo-nos para pôr às claras, mais do que os erros, o desprezo ao Magistério infalível da Igreja, o qual é como a marca da “nova teologia e permite julgá-la pelo que ela é e pelo que ela quer — juízo possível até para quem não é filósofo e teólogo. É isto, realmente, o que queria o “novo curso eclesial”: apagar vinte séculos de Cristianismo, sob pretexto de um “retorno às fontes”, ao “Cristianismo autêntico”, em nome de um Concílio pastoral (que hoje, ao contrário, se pretende dogmático) e em nome de um “magistério vivo”, de “hoje”, que pretende hereticamente estar morto o Magistério de “ontem”. Pretensão herética porque leva necessariamente a dizer que “todos os fiéis de todas as idades, todos os santos, todos aqueles que guardaram a castidade, a continência ou a virgindade, todos os clérigos, os levitas, os padres, milhares de confessores, tantas legiões de mártires, tantas cidades conhecidas e nações populosas, tantas ilhas, províncias, reis, raças, reinos, nações, numa palavra, o universo quase inteiro incorporado pela fé católica em Cristo, seu chefe, tenha ignorado, errado, blasfemado, e durante tantos séculos não soube nada do que se deveria crer”3.
    O Mito da “Restauração”
    Por fim, demonstramos que a pretensa “restauração” é somente um mito nascido do modesto, moderado e em si insignificante conflito entre a ala moderada (que está no poder) e a ala extremista ou “integrista” do neomodernismo.
    As ilusões eventuais engendradas por esse conflito deveriam ter sido cassadas completamente por nosso estudo: não se pode esperar nenhuma “restauração” daqueles que caminham sempre na “via do cepticismo, da fantasia e do erro”.
    É verdade que De Lubac, von Balthasar, o papa Montini, o cardeal Ratzinger e o próprio João Paulo II deploraram várias vezes alguns excessos pós-conciliares.
    De Lubac escreveu que “O Concílio foi traído… pela ação do que poderia chamar um paraconcílio”4 e parece fazer suas as “preocupações” de M. Villepelet:
    “Inconsciência aparente de nossos bispos, desvio político de sua querida ‘ação católica’, desordens litúrgicas incontroladas, decadência interna dos seminários, tratamento privilegiado a ex-padres, desprezo da Tradição, deixar de lado a doutrina (eucaristia) e a moral (casamento etc.), pesada responsabilidade de certas revistas […].”5
    E outros neomodernistas ou filomodernistas fiéis à “linha da nova teologia de Lyon” fielmente fazem eco a seu “mestre”.
    Von Balthasar deplorou a “tendência à liquidação” do ecumenismo pós-conciliar6. Paulo VI, diante dos alunos do seminário lombardo, chorou pela “autodemolição” da Igreja: “a Igreja se acha numa hora de inquietação, de autocrítica, diria mesmo de autodemolição. A Igreja vem quase a se chocar consigo mesma”7. Na intimidade com Guitton, ele lamenta-se de os “padres tomarem o mau hábito de só ler o Cânon II, que é o mais curto, e mais
    ligeiro”. E, no seu último encontro, chegou até a dizer:
    “No interior do catolicismo, um pensamento do tipo nãocatólico parece às vezes levar vantagem, e pode ser que este pensamento não-católico, no interior do catolicismo, se torne amanhã o mais forte. Mas ele não representará jamais o pensamento da Igreja. É preciso que subsista um pequeno rebanho, ainda que muito pequeno.”8
    Também o cardeal Ratzinger, em seu Rapporto sulla fede, deplorou as “fugas em avanço”9 e falou, como De Lubac, de “Concílio traído”, de uma “decadência no interior da Igreja, de forças latentes agressivas e centrífugas”10.
    Enfim, João Paulo II, por ocasião de uma conferência para as Missioni al Popolo (Missões ao povo), diz:
    “É preciso admitir com realismo e com profunda e dolorosa sensibilidade que hoje os cristãos, em grande número, se sentem perturbados, desorientados, perplexos e até decepcionados; idéias em desacordo com a Verdade revelada e sempre ensinada são espalhadas: verdadeiras heresias são difundidas no domínio dogmático e moral, criando dúvidas, confusões, rebeliões; a Liturgia é alterada, imersa no ‘relativismo’ intelectual e moral e, pois, no permissivismo; os cristãos são tentados pelo ateísmo, pelo gnosticismo, pelo iluminismo vagamente moralista, por um cristianismo sociológico, sem dogmas definidos nem moral objetiva.”11
    A Triste Realidade
    Esta declaração e outras, tomadas isoladamente, poderiam induzir, e de fato induziram muitas pessoas, a acreditar numa reflexão e até numa “restauração”.
    Infelizmente não é assim: sob a pretensa “restauração” prossegue a autodemolição radical da Igreja. Devemos, com efeito, estender a todos os “moderados” o discurso feito pelo cardeal Ratzinger.
    Antes de tudo, os “abusos” são deplorados (pelos “moderados”) como tais, não em relação à doutrina católica por defender e restaurar, mas em relação à sua própria forma mais moderada (e por isso mesmo mais perigosa) de modernismo, que esses que deploram os abusos não querem repudiar e continuam a sustentar tenazmente. O contraste, nem sério nem profundo, e que já definimos como simples disfarce, é entre os que acham De Lubac “ultrapassado”12 e os que decidiram permanecer fiéis: “Nossa linha é a do extremo centro. Nem atenção excessiva ao Magistério [sic] nem contestação. Nem direita nem esquerda. Apego à tradição na linha da nova teologia de Lyon [berço da teologia de De Lubac], que sublinhava a não-oposição [ler identificação] entre natureza e sobrenatural e [por conseqüência] entre fé e cultura, e que se tornou a teologia oficial do Vaticano II”, explicou muito bem o Pe. Henrici S.J. em sua entrevista de 30 de dezembro de 1991. Mostramos, nesta série de artigos, o que é tal “linha”. Assim, quando De Lubac escreve que o “Concílio foi traído”, entende traído em relação a seu ponto de vista e às suas ambições pessoais, não em relação à Fé católica; quando o cardeal Ratzinger defende o “Concílio autêntico”, entende o Concílio interpretado à luz da “nova teologia” e não da Tradição católica; quando João Paulo II fala do Concílio interpretado à luz da Tradição, quer dizer: à luz da “tradição na linha da nova teologia” de De Lubac ou ainda da tradição que evolui com a evolução do tempo, e não à luz da Tradição católica imutável. E De Lubac, depois de ter fingido serem suas as “preocupações” de M. Villepelet13, escreve logo depois:
    “Nossa época ‘pós-conciliar’ é certamente, ainda que através de um caos meio rude, visitada pelo espírito de Deus; creio também que os sinais começam a se ver cada vez mais [sic] e faço minha a frase de uma pessoa que me escreveu nesses últimos dias: ‘A esperança já não me aparece como um dever, mas como uma primavera’.”14
    As ilusões quanto à “primavera da Igreja”, devida à “nova teologia”, demoraram verdadeiramente a morrer.
    Sobretudo porque sua morte exige a confissão dos próprios erros e das próprias responsabilidades pessoais no desastre atual. E, de fato, o “pai” da “nova teologia” declarou até o fim não haver nunca “encontrado o meio nem sentido a necessidade de se explicar mais nada”15 acerca de sua noção errada de “sobrenatural”, que portanto está na base de todos os erros e de todas as heresias da pseudoteologia contemporânea, como demonstrou o cardeal Siri em Gethsémani, e como reconheceu o próprio Osservatore Romano16:
    “H. de Lubac é, sem sombra de dúvida, um dos grandes fundadores da teologia católica contemporânea. Nem Karl Rahner [e, por que esquecer? Hans Küng] nem o próprio H. U. von Balthasar existiriam sem ele.”
    Por sua vez, se Urs von Balthasar deplora a “tendência à liquidação” do ecumenismo atual, não renega de jeito algum seu “delírio ecumênico”, sua heresia — sejamos claros — de uma “catolicidade que não omite nada”, de uma super-Igreja sem nenhuma “delimitação confessional”, na qual (agora é Pio XII quem fala) “todos seremos unificados, sim, mas na ruína comum”17. E, se o papa Montini chora pela autodemolição da Igreja e, em Paul VI Secret, deplora que os padres optem (e por que não deveriam?) pelo Cânon “mais curto e mais ligeiro”, na mesma obra diz que, com a reforma litúrgica, “não somente mantivemos o passado mas encontramos a fonte que é a tradição mais antiga, a mais primitiva, a mais próxima das origens. Ora, esta tradição havia sido obscurecida no curso dos séculos e particularmente no Concílio de Trento”18.
    Inacreditável na boca de um Papa, mas infelizmente verdadeiro. Que seria então a Igreja Católica se, no curso dos séculos e num Concílio dogmático, tivesse obscurecido ou deixado obscurecer a Tradição e somente hoje começasse a redescobri-la? Certamente não seria a Igreja de Cristo, à qual foi prometida a infalibilidade na guarda inalterada do “depósito da Fé”. E, se Paulo VI, em seu último encontro com Guitton, profetizando como Caifás19, prevê a apostasia geral e um pequeno “resto” fiel, o mesmo Paulo VI se mostra claramente em seu julgamento de Mons. Lefebvre e sua condenação, em sua hostilidade ao “pequeno rebanho” que, por amor à Igreja, desaprova sua tenaz obra de demolição.
    Quanto a Ratzinger, no Rapporto sulla fede, deplora os “avanços excessivos” e ao mesmo tempo exclui o “voltar atrás”:
    “Se por ‘restauração’ se entende uma volta atrás, então nenhuma restauração é possível. A Igreja marcha para o cumprimento da história; ela olha para diante, para o Senhor que vem. Não se volta atrás, não se pode retornar.”20
    Então, que queria e quer sempre o cardeal Ratzinger?
    Uma “evolução tranqüila” da doutrina, onde tranqüila não significa harmônica e coerente com dois mil anos de Cristianismo: “É ao hoje da Igreja que devemos ficar fiéis, não ao ontem nem ao amanhã; e este hoje da Igreja são os documentos do Vaticano II em sua autenticidade.”21Mesmo onde esses documentos contradizem os ensinamentos perenes da Igreja (como em Nostra Aetate, Dignitatis Humanae etc.).
    E, se João Paulo II, no início de seu pontificado, deplorou que fossem propagadas verdadeiras heresias nos domínios dogmático e moral, ele mesmo declarou “irreversível” o novo curso eclesial que, com uma tenacidade e uma firmeza dignas da causa xatamente oposta, continua sempre a sustentar e defender. A confirmação do que dizemos, se necessária, está no comportamento dispensado aos modernistas extremistas por aqueles que foram ou são investidos de autoridade na Igreja: nem Paulo VI, nem Ratzinger, nem João Paulo II usaram de sua autoridade para reprimir os “abusos” que eles deploram, abusos a que eles parecem reconhecer, ao modo modernista, um papel estimulante na “evolução” da doutrina e das instituições eclesiais22.
    Suas aversões e suas medidas disciplinares (da marginalização à excomunhão) são reservadas aos que resistem para permanecer fiéis à doutrina da Igreja.
    Não Moderados, mas Incoerentes
    Se então paramos na parte relativa à crítica da destruição, isto é, de alguns acessos pós-conciliares, podemos aceitar numerosas afirmações de De Lubac, de von Balthasar, de Paulo VI, de Ratzinger e também de João Paulo II. Se porém consideramos o que estes querem construir, isto é, o que querem por sua vez implantar na Santa Igreja de Deus, percebemos que põem e impõem bases idênticas às que promoveram os “abusos” que eles deploram. E então a pretensa “moderação” se revela pelo que ela é: ou uma tática tipicamente modernista para não suscitar reações não desejadas ou retardá-las, ou a incapacidade de ir até o fundo em todas as conclusões acerca de seus próprios erros.
    Já São Pio X na Pascendi, fazendo a distinção entre um modernismo “moderado” e um modernismo “integrista”, observava que este último é mais coerente do que o primeiro: partindo os dois da mesma base, os modernistas “integristas” passam imediatamente às conclusões finais, enquanto os “moderados”, ao contrário, não. Para eliminar a ilusão de poder parar no meio do caminho, na sua admirável encíclica o santo Pontífice teve o cuidado de desenvolver até o fim todas as considerações dos erros que estão na base do modernismo, provocando nos modernistas de ontem e de hoje a acusação de haver exagerado a importância do modernismo. Na realidade, a incapacidade de tirar todas as conclusões de suas próprias bases erradas não impede que, uma vez postas essas premissas, as conseqüências se sigam inevitavelmente. Um pequeno erro de princípio comporta grandes e graves conseqüências, imprevisíveis para muitos dos que apóiam esses erros iniciais.
    “Que os professores saibam”, escrevia São Pio X, “que afastar-se de Santo Tomás, sobretudo nas questões metafísicas, não acontece sem grave dano moral.”23
    “Parvus error in principio est magnus in fine”, diz Santo Tomás. E o Padre Garrigou-Lagrange desenvolve:
    “Certamente dirão que nós exageramos, mas um erro, ainda que pequeno, acerca das primeiras noções e dos primeiros princípios tem conseqüências incalculáveis, que não foram previstas por aqueles que assim se enganaram.
    As conseqüências das novidades de que acabamos de falar [a ‘nova teologia’] devem pois ultrapassar as previsões dos autores que citamos [De Lubac, Bouillard, Fessard etc.].”24
    Sabemos muito bem, por dolorosa experiência, que hoje sucede exatamente assim.
    O “Pecado Original” do Modernismo
    Nenhuma moderação, portanto, mas somente astúcia ou, na melhor das hipóteses, incoerência intelectual, que, entretanto, não tira dos “moderados” seu “pecado original” (o modernismo). Uma humilde obediência ao Magistério infalível da Igreja tê-los-ia salvo de sua própria incoerência.
    Lacordaire, depois de sua dolorosa crise “liberal”, escreveu:
    “Depois de dez anos de esforço para conceber o verdadeiro papel da filosofia da Igreja… aonde cheguei? Aos mesmos pensamentos que possuíam, sem inquietação, aqueles que contaram mais com o espírito da Igreja do que com o seu próprio…
    Quanto senti, com admiração, a superioridade da Igreja, esse instinto inefável que a empurra, esse discernimento divino que afasta dela qualquer sombra de ilusão!” E referindo-se a Lamennais, por quem nutrira fascinação, confessava com muita humildade:
    “Perguntei-me como uma filosofia em que hoje percebo tão claramente o vício pôde por tanto tempo manter em suspenso minha razão; e compreendi que, lutando contra uma inteligência superior à minha e querendo lutar sozinho contra ela, era impossível que não fosse vencido.
    Pois a verdade não é um auxiliar suficiente para restabelecer o equilíbrio das forças; de outro modo, o erro jamais triunfaria sobre a verdade. É preciso, pois, que no mundo haja um poder que sustente as inteligências fracas contra as inteligências fortes, e que as livre da opressão mais terrível, que é a do espírito. […] Aprendi com minha própria experiência que a Igreja é a libertadora do espírito humano; e, como da liberdade da inteligência provêm necessariamente todas as outras, percebi sob sua verdadeira luz as questões que hoje dividem o mundo.”25
    Reside justamente aí o “pecado original” dos modernistas, moderados ou não: ter contado com sua própria inteligência antes que com a infalibilidade da Igreja, que, sozinha, os teria preservado do erro e da sua própria fraqueza intelectual. E é isto o que qualquer filho da Igreja deve infatigavelmente opor às “novidades”: a humilde submissão ao Magistério infalível da Igreja, que, sozinha, liberta as inteligências mais fracas ou menos dotadas da opressão do erro. Magistério infalível que não pode ser confundido com a teologia de um “Papa de hoje”, sobretudo se ele está em ruptura com o Magistério de dois mil anos, mas que é o Magistério harmonioso e coerente de todos os Papas de todos os tempos, de todos os bispos de todos os tempos, e de todos os lugares que estejam em comunhão com a Sé apostólica: o que sempre, em todos os lugares e por todos foi acreditado e ensinado na Santa Igreja de Deus.
    Haec Est Hora Vestra et Potestas Tenebrarum
    É somente com tal retorno do Chefe (visível) e dos membros à Tradição que se terá a verdadeira “restauração”, que será superada a crise atual da Igreja, amadurecida num clima prolongado de “resistência passiva mas real” às diretivas da Roma católica, e que finalmente se reparará o longo “pecado difuso e geral contra a luz que vem de Roma e que brilha nos tesouros doutrinais do passado”26.
    A hora luminosa do retorno à Tradição católica virá, é de fé. Se a desolação atual a que está reduzida a Igreja não fosse suficiente para demonstrar que “os que pensam que venceram”, ao contrário, já perderam, bastar-nos-ia escutar a promessa divina: “Portae inferi non praevalebunt”, os poderes infernais podem soltar-se, mas jamais prevalecerão definitivamente contra a Santa Igreja de Deus. “Haec est hora vestra et potestas tenebrarum”, mas, passada esta hora de trevas, da “nova teologia” e de seus seguidores, não ficará mais que uma lembrança triste e infeliz.
    A nós, que nesta hora de trevas, qualquer que seja, nos devemos orientar para a porta da salvação eterna, compete resistir “fortes in fide” (São Pedro), rezando, abrindo o coração à graça e também socorrendo, na necessidade espiritual desta hora grave, o próximo que a Providência Divina nos pôs no caminho.
    A desobediência ao Magistério Infalível: Marca Registrada da Nova Teologia. Extraído do livro “A nova teologia. Os que pensam que venceram”.
    1 São Pio X, Pascendi.
    2 Pio XII, alocução de 17 de setembro de 1946.
    3 São Vicente de Lerins, Commonitorium.
    4 Mémoire autour de mes oeuvres.
    5 Idem.
    6 H. U. von Balthasar, Figura e opera, p. 435.
    7 Il Popolo, 9 de dezembro de 1968.
    8 Ibid., p. 168.
    9 P. 29.
    10 P. 28.
    11 Osservatore Romano, 7 de fevereiro de 1981.
    12 Ver Paul VI Secret, p. 110.
    13 Cf. Mémoire autour de mes oeuvres.
    14 P. 389.
    15 30 Jours de julho de 1985.
    16 De 8 de setembro de 1991.
    17 Humani Generis.
    18 Paul VI Secret, p. 158.
    19 Jo XI, 51 ss.
    20 P. 40.
    21 Ibid., p. 32.
    22 Cf. São Pio X, Pascendi, e Sim Sim Não Não, nº 16, de abril de 1994.
    23 Pascendi.
    24 “La nouvelle théologie, où va-t-elle?”.
    25 Lacordaire, Considérations sur le système philosophique de M.de
    Lamennais.
    26 La Vie spirituelle, 1923, pp. 174-5, citado por Aubry em L’Étude de la
    Tradition, p. 102.

  14. Sr. Sizenando,

    Quanto a absurda afirmação:

    “…vejo que seja por este motivo que muitos Bispos brasileiros não querem Tridentinos em suas paróquias, porque não fazem nada além de criar confusão litúrgica e confundirem aqueles que assistem a “Santa Missa Nova” no Rito ordinário.”

    A confusão litúrgica, existe independentemente dos “tridentinos”, como pode se ler no dossiê citado anteriormente. Maiores informações a respeito da confusão litúrgica, podem ser lidas no famoso “Breve exame crítico” (http://www.fsspx-brasil.com.br/page%2003-2b.htm), escrito pelo último Prefeito do Santo Oficio, Cardeal Otavianni e pelo Cardeal Bacci. Lembro que o próprio Cardeal Otavianni, solicitou de alguns Bispos, um parecer sobre o Novus Ordo Missae, dentre os quais, estava Dom Lefebvre (A carta pode ser lida no endereço http://www.capela.org.br/Crise/lefebvre_ottaviani.htm) .

    Piores que as críticas de Dom Marcel Lefebvre e Dom Antônio de Castro Mayer (Escreveram uma carta conjunta a Paulo VI, antes da entrada em vigor do Novus Ordo Missae: http://www.capela.org.br/Missa/antonio.htm), são as declarações do Cardeal Stickler (http://www.capela.org.br/Missa/cardeal.htm) e as de Mons. Klaus Gamber (http://fratresinunum.com/2009/01/10/carta-aberta-do-pe-paul-aulagnier-do-ibp-ao-papa-bento-xvi/ ). Em 1997. o então Cardeal Ratzinger, afirmou que a Nova Missa, operou uma ruptura litúrgica no seio da Igreja, conforme se lê:

    “O segundo grande acontecimento no início dos meus anos em Ratisbona foi a publicação do missal de Paulo VI com a proibição quase total do missal anterior, depois de uma fase de transição de apenas meio ano. Era auspicioso o fato de que, depois de um tempo de experimentos, muitas vezes deformando profundamente a liturgia, houvesse agora um texto litúrgico obrigatório. Mas fiquei consternado pela proibição do Missal antigo, pois algo semelhante nunca tinha acontecido em toda a história da liturgia. Tinha-se a impressão de que isso era uma coisa perfeitamente normal. O missal anterior tinha sido criado por Pio V, por ocasião de Concílio Tridentino; assim era normal, dizia-se, que após 400 anos e depois de um novo Concílio um novo Papa oferece-se um novo missal. Mas a verdade histórica é outra. Pio V havia mandado fazer apenas uma revisão do Missale Romanum existente, como é normal no crescimento vivo da história através dos séculos. Assim também muitos de seus sucessores tinham novamente trabalhado esse missal, sem jamais opor um missal novo ao missal anterior. Foi um processo contínuo de crescimento e purificação, no qual, porém, nunca se destruiu a continuidade. Não existe um missa de Pio V que tivesse sido criada por ele. O que existe é a revisão feita por Pio V, como fase de uma longa história de crescimento. O “novo” depois do Concílio de Trento foi de outra natureza: o rompimento causado pela Reforma tinha-se realizado, sobretudo, como “reformas” litúrgicas. Não havia simplesmente uma Igreja Católica e outra protestante, uma ao lado da outra; a divisão da Igreja realizou-se quase imperceptivelmente, e era mais visível e historicamente mais eficaz na mudança da liturgia, que ainda aconteceu com muita diferença entre um lugar e outro, de sorte que também aí, entre o ainda católico e o já não católico muitas vezes era impossível de discernir.
    Naquela situação confusa, que se tornara possível pela falta de uma legislação litúrgica única e pela existência de um pluralismo litúrgico na Idade Média, o papa decidiu que o Missale Romanum, o livro das missas na cidade de Roma, tinha de ser introduzido em toda parte onde não se pudessem alegar liturgias que tivessem pelo menos 200 anos de idade. Onde isso fosse o caso, podia-se ficar com a liturgia existente, porque então o seu caráter católico podia ser considerado seguro. Não se tratava, pois, de uma proibição de um missal existente e até então considerado válido. Porém, a proibição agora decretada, do missal que se tinha desenvolvido continuamente através de todos os séculos, desde os manuais para os sacramentos na Igreja antiga, causou na história da liturgia uma ruptura cujas conseqüências só podiam ser trágicas. Uma revisão do missal, como já houvera muitas vezes, e que desta vez podia ser mais radical do que até então, sobretudo pela introdução da língua materna, tinha sentido e tinha sido determinada com razão pelo Concílio. Mas agora aconteceu mais: o edifico antigo foi derrubado e construiu-se um outro. É verdade que, em grande parte, foi feito com o material do anterior e usando-se, também, os projetos antigos. E não há dúvida: este novo missal trouxe, sob muitos aspectos, um verdadeiro melhoramento e enriquecimento. Mas o fato de ter sido apresentado como construção nova, em oposição ao crescimento histórico, e de o missal antigo ter sido proibido, de sorte que a liturgia não apareceu mais como resultado de um crescimento vivo, e sim como produto de um trabalho erudito e de competência juridical, isso nos prejudicou sobremaneira. Pois agora se devia ter a impressão de que liturgia é algo que “se faz”; não algo preexistente, mas algo que depende de nossas decisões. E aí seria lógico, também, que não somente os eruditos nem somente uma autoridade central fossem reconhecidas como portadores da decisão, mas que, afinal, toda a “comunidade” quisesse adotar sua própria liturgia. Mas quando a liturgia é algo feito por nós mesmos, então ela deixa de nos oferecer o que deveria ser sua verdadeira dádiva: o encontro com o mistério, que não é produto nosso, mas nossa origem e fonte de nossa vida. Uma renovação da consciência litúrgica, uma reconciliação litúrgica que reconheça novamente a unidade da história da liturgia e que entenda o Vaticano II não como ruptura, mas como degrau na evolução, é urgentemente necessária para a vida da Igreja. Estou convencido de que a crise na Igreja, pela qual passamos hoje, é causada em grande parte pela decadência da liturgia, que às vezes é concebida de uma maneira etsi Deus non daretur [Como se Deus não existisse], isto é, que nela não importa mais se Deus existe e se Ele nos fala e nos escuta. Quando, porém, na liturgia não aparece mais a comunhão da fé, a unidade mundial da Igreja, o mistério de Cristo vivo, onde, então, ainda aparece Igreja, em sua essência espiritual? Aí a comunidade ainda celebra somente a si mesma, mas isso não vale a pena. E já que a comunidade por si só nem existe, e é sempre formada somente pela fé, sendo criada como unidade pelo Senhor, é inevitável, naquela suposição, que a Igreja se divida em partidos de todo tipo, e os grupos se oponham uns aos outros dentro de uma Igreja que se dilacera a si mesma. Por isso precisamos de um novo movimento litúrgico, que dê vida à verdadeira herança do Concílio Vaticano II”
    (Cardeal Joseph Ratzinger, Papa Bento XVI, Lembranças da Minha Vida, versão em português, Ed Paulinas, São Paulo, 2006, pp.128-131. Do original alemãoAus meinem Leben). Fonte: Montfort

    A Missa Tridentina, nunca foi ab-rogada e proibida formalmente na Igreja, as proibições foram informais e deixadas ao juízo de cada Bispo. Enquanto que São Pio V, na Bula Quo Primum Tempore, canoniza a Missa Tridentina e concede salvo conduto, aos Ritos com mais de 200 anos de existência, no pós-concílio tentou eliminar-se a todo custo, a Missa Tridentina. Graças a Deus, Dom Lefebvre e Dom Antônio de Castro Mayer, mantiveram o combate e tiveram o que sempre defenderam, reconhecido no Motu Próprio Summorum Pontificum. Lembro que como diz o Cardeal Hoyos: “não lhes excomungaram por motivos de doutrina” (http://fratresinunum.com/2009/03/17/cardeal-castrillon-hoyos-nao-lhes-excomungaram-por-motivos-de-doutrina/ )e repito com Dom Fellay: “Não queremos um compromisso, queremos clareza sobre o Concílio”( http://fratresinunum.com/2009/07/31/entrevista-a-apcom-traducao-em-andamento/).

    Roma e a FSSPX, estão em conversações doutrinárias sobre o Concílio Vaticano II. Uma coisa incrível é, a maioria dos defensores do Concílio, defendem a evolução dos dogmas, só não aceitam a evolução dos “dogmas” conciliares. E o que pretende Bento XVI, com essas conversações doutrinárias? Não é dar uma hermenêutica do magistério, a sua própria produção, em detrimento da hermenêutica do Povo de Deus?

    Fique com Deus.

  15. Michelli Brainer

    “a RCC não conduz ninguém a santidade…” (???????)

    Fale por você, meu caro!

  16. Ainda para o Sizenando, transcrevo importante trecho de um artigo de Gustavo Corção. Porque não é a definição tradicional que traz a desordem, mas sim uma falsa definição, como a da Evolução do Dogma, que obviamente se degenarará na própria ausência de definição. Veja o que diz Dom Lefebvre:

    “Uma falsa definição traz a desordem. Consideremos agora a ausência de definição. Muitas vezes procuramos e pedimos a definição de “Colegialidade”. Nunca chegamos a um acordo. Muitas vezes pedimos que nos definissem “Ecumenismo”. Eles nos respondiam a mesma coisa pela boca dos Secretários das Comissões. “Nós não fazemos um Concílio Dogmático, nem procuramos definições filosóficas. É um Concílio Pastoral que se dirige ao mundo inteiro. Seria portanto inútil dar aqui definições que não seriam compreendidas”.
    “Era insensato — continua Dom Lefèbvre — reunirem-se os bispos sem conseguir sequer definir os termos das questões debatidas” (Págs. 154, 156).
    Mais adiante, na página 158 lemos: “Há um outro assunto que também deveria ter sido definido de maneira muito exata: as Assembléias ou Conferências Episcopais. (grifo do autor). O que é uma Assembléia Episcopal? Que representa ela? Quais são seus poderes? Qual é o objetivo de uma Conferência Episcopal? Nunca pôde alguém defini-la. O próprio Papa disse que veríamos na continuação, ou veríamos depois, na prática, como se poderiam definir e delimitar as atribuições das Conferências. E assim lançaram-se todos na prática sem saber o que era uma Conferência Episcopal, aonde chegaríamos sem sabermos para onde nos dirigíamos. Isto foi de uma gravidade extrema. Evidentemente, essas Assembléias Episcopais, quanto mais crescer sua importância e seus poderes, e seus direitos, mais esmagarão os bispos. Assim, o episcopado que é o arcabouço verdadeiro da Igreja de Nosso Senhor desaparece com o crescimento dessas Conferências”.” Um testemunho precioso – Gustavo Corção

  17. Sergio Souza

    Queridos,

    Anteriormente questionei o sr. Pedro Pelogia, qual é a procuração divina que definia, segundo ele, que a as TESTEMUNHAS DA ASSOCIAÇÃO MONFORT é a Porta Estreita? Até agora ele não nos respondeu.

    Aliás, os seguidores da seita TESTEMUNHAS DA ASSOCIAÇÃO MONFORT, de estilo continuam devendo as respostas dos questionamentos do padre Joãozinho.

    Se a gente fosse se deter na história de vida do fundador da seita TESTEMUNHAS DA ASSOCIAÇÃO MONFORT, o sr Orlando Fedeli, certamente iria encontrar alguma decepção, frustração, revolta com algum padre ou irmão da Igreja, ou quem sabe algum desajuste familiar, que certamente explica o desvairio e a obsessão em destruir a unidade da Igreja.

    E finalizo dizendo mais uma vez. AS TESTEMUNHAS DA ASSOCIAÇÃO MONFORT, apesar de se declarar católica e acusar a todos de PROTESTANTISMO, é a mais protestante do que qualquer outra seita protestante. Pior do que as outras. Porque, TESTEMUNHAS DE JEOVÁ, por exemplo, definem muito bem o seu terreno de atuação, são contra a Igreja Católica, já as TESTEMUNHAS DA ASSOCIAÇÃO MONFORT, se vestem de católicas, e por trás atuam com objetivo de provocar a cisma da Igreja. Será as TESTEMUNHAS DA ASSOCIAÇÃO MONFORT podem falar mal de uma ASSEMBLÉIA DE DEUS?

    Oremos por esses irmãos para que se convertam e sejam mansos e humildes de coração!

    P.S. Eu os chamo de TESTEMUNHAS DA ASSOCIAÇÃO MONFORT, porque certamente o estilo de que pregar a sua verdade, e não a verdade de JESUS CRISTO, é extremamente parecido com o modo que as TESTEMUNHAS DE JEOVÁ utilizam: No nível de prepotência, estupidez, arrogância… Acho que Charles Taze Russel inspirou o sr Orlando Fedeli.

    Sergio

  18. Maria Graça

    Sizenando. Parabéns. A nossa parróquia sempre acompanha o seu blog. Um post digno de nota que o fedeli não respondeu:

    http://presentepravoce.wordpress.com/2008/03/29/fedeli-publicou-a-carta-mas-apagou-um-pedaco/

  19. Pedro Pelogia

    Sr. Sergio Souza, salve Maria!

    Eu respondi ao que o sr. me perguntou. Acho que o post foi retirado do blogue, mas ainda é possível acessá-lo (http://blog.cancaonova.com/padrejoaozinho/2009/08/19/montfort-x-veritatis-splendor/). Será um mal comum entre os modernistas o de ler somente o que interessa e convém?

    Visite o “Post retirado a pedido do autor” neste blotue e verá lá minha resposta. Caso não quiser se dar ao trabalho, repito-a aqui.

    Eu fiz uma analogia com a metáfora evangélica das Duas Portas porque uma pessoa postou uma mensagem exaltando a Canção Nova pelo seu sucesso e fama, e pelos milhões de telespectadores, ouvintes e navegantes virtuais, ao mesmo tempo que depreciava o site da Montfort seguido por um número ridículo de leitores, se comparados aos leitores, ouvintes e telespectadores dos meios de comunicação da Canção Nova.

    O sr. sabe o que vem a ser uma analogia? No CONTEXTO desse inútil comentário, comparei a Montfort à Porta Estreita, onde poucos entram e ali encontram a legítima fé católica, e a Canção Nova à Porta Larga, por onde entra muito mais gente, atraída por uma fé pirata em CDs e DVDs originais. Fui claro? Eu não estou querendo insinuar que Jesus anteviu o confronto “Montfort versus Canção Nova” quando comparou a Porta Estreita à verdade e a Porta Larga à ilusão.

    O sr. está redondamente enganado de que a Montfort, ou melhor dizendo, que o mundo tradicionalista católico quer causar um cisma na Igreja. O cisma JÁ EXISTE, ele só não foi declarado. É um cisma SILENCIOSO, http://www.montfort.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=apologetica&artigo=20080229161914, e quem o denunciou foi o Papa João Paulo II. O que nós, tradicionalistas, queremos, é o fim do cisma modernista com a Tradição católica; o fim do cisma silencioso dos bispos que distorcem o discurso do Papa ao seu bel-prazer, como estamos vendo a escandalosa situação do episcopado da Áustria, que desafia abertamente a autoridade do Papa Bento XVI, chegando mesmo ao ponto de BARRAR a sagração episcopal de um padre (Mons. Gerhardt Wagner) por não estar alinhado com os ideais extremamente progressistas da conferência episcopal daquele país, que parece ser uma irmã gêmea da nossa exótica “CNB do B”.

    Sr. Sergio, a Associação Montfort e todo o mundo tradicionalista pregam a reverência litúrgica e eucarística; o sr. e a Canção Nova defendem uma liturgia “adequada” aos tempos modernos, com danças e ritmos irreverentes; os tradicionalistas defendem a liturgia celebrada “versus Deum”, i.é, de frente para Deus; o sr. e a CN julgam por bem que o padre fique “de frente para o povo” nos atos litúrgicos. Se nós queremos a posição litúrgica “versus Deum” é porque queremos professar de corpo e alma que estamos contemplando a face do Todo-Poderoso, enquanto que os padres modernos preferem contemplar a face do homem. Esta atitude de “dar as costas” a Deus liturgicamente gerou muita confusão ao longo de quarenta anos, e a intensa produção de SUBJETIVIDADES sobre a Santíssima Eucaristia, como as que estão presentes no livro “Cartas e amigos” (Não se fala mais disso por aqui?). O tradicionalismo católico aponta para a Eucaristia e afirma categoricamente que lá está Deus.

    Assim sendo, é uma comparação tola, simplista e leviana a que o sr. faz da Montfort com a seita anti-trinitária, anti-eucarística e neo-ariana das “testemunhas de Jeová”. Quem mais se aproxima da doutrina deles é o sr. a sua Canção Nova e todos os modernistas apelidados de católicos, que não têm coragem de afirmar explicitamente a fé no dogma da transubtanciação e semeam comentários heréticos que põem dúvida nas almas dos pobres enganados, que seguem tais conselhos por falta de melhor opção.

    Outra dessemelhança da Associação Montfort com as testemunhas de Jeová é que o professor Fedeli ainda não possui uma campanha de arrecadação financeira do tipo “Dai-me Almas”, muito embora a Associação seja mantida pelas doações dos seus poucos associados. Paz e bem!

  20. Sergio Souza

    Querido irmão Pedro,

    Você diz: “muito embora a Associação seja mantida pelas doações dos seus poucos associados”.

    Isso não é uma campanha??? Da mesma forma que a Canção Nova tem sócios, você acabou de escrever que sua seita é mantida por ASSOCIADOS, ou seja sócios da mesma forma.

    Só isso já mostra a incoerência de sua seita, assim como toda a seita PROTESTANTE. Pregam uma coisa e na prática agem diferentemente: Estilo Farisaico!

    Estude também a PALAVRA ANALOGIA e verás que há sentido no comportamento da seita de vocês com as TESTEMUNHAS DE JEOVÁ.

    Cuidado irmão, não entre nesse desvairio pregado pelo seu líder. Converta-se, saia da marginalidade! Sabe o que significa MARGINALIDADE ou temos que explicar também assim como ANALOGIA, comprovadamente de seu desconhecimento?

    Sergio

    PS. Da próxima vez, traga as respostas aos questionamentos do padre Joãzinho, ok? Sejam objetivos.

  21. Sergio Souza

    Apenas completando o comentário anterior:

    No site das TETESTEMUNAS DA ASSOCIAÇÃO MONFORT há um ícone: CONTRIBUA COM A MONFORT – FAÇA A SUA CONTRIBUIÇÃO. (E abaixo uma foto de Dom Bosco). Acessando-o exibem-se AS FORMAS DE CONTRIBUIÇÃO.

    No site da CANÇÃO NOVA. Há um ícone do Projeto DAI-ME ALMAS. E ali exibem-se as FORMAS DE CONTRIBUIÇÃO.

    Agora eu pergunto: Quem é a Associação Monfort para acusar maldosamente Canção Nova de fazer arrecadação financeira, se essa mesma Associação usa dos mesmos meios para fazer arrecadação finaceira? Mas veja se isso não é coisa de SEITA PROTESTANTE? MOSTRA-SE A FACE FARISAICA DOS TESTEMUNHAS DA ASSOCIAÇÃO MONFORT.

    Outra: A Seita Associação Monfort não é nem um pouco original nesse sentido. Imita a Canção Nova, a quem tanto critica e levanta falso testemunho acusando-a de heresia, mas ao mesmo tempo, estampa a foto de Dom Bosco. Seria uma alusão: “É O NOSSO DAI-ME ALMAS”?

    Aliás o santo inspirador da campanha DAI-ME ALMAS DA CANÇÃO NOVA é o próprio Dom Bosco, e parece que a Canção Nova, projeto de Deus para mundo, andou inspirando o fundador da Seita das Testemunhas da Associação Monfort.

    Ei adoradores do Fedeli. Pega mal! Escolham outro patrono para sua campanha “Dai-me almas”. Sejam originais! Sejam coerentes!

    Sergio

  22. Bom meu Amigo Pedro (só Pedro)

    Agora não estas mais disfarçado de UM CATÓLICO OBEDIENTE que aceita a Igreja como Santa e Imaculada proclamando o Papa como Infalível e jogando toda a culpas das desgraças do mundo em cima da RCC.

    A RCC está com a Igreja e com o Papa, observa o Concílio Vaticano II porque é um documento da Igreja assim como todos os outros, não damos mais crédito a ele mais do que se dá aos outros, mas como entendemos o Concílio atual abrange e complementa todos os anteriores além de não os contradizer em nada, porque a Igreja é tradicional desde a fundação até o dia de hoje e não apenas até 1960.

    Na sua conta estão faltando 49 anos de tradição, o que há de errado com esta parte da tradição que você não aceita ?

    Fale a sua verdade, diga aos outros o que eu já sei, que você diz que a Igreja não é mais Católica e que o Papa reinante é ilegítimo porque ele aceita o Vaticano II.

    A RCC está comprometida com todas as propostas da Igreja e do Papa Bento XVI, apoiamos incondicionalmente suas iniciativas e não apenas algumas que se referem à reabilitar os antigos Ritos tradicionais, porque este Papa está realmente imbuído de nos mostrar que no tesouro da Igreja existem coisas novas e coisas velhas, mas ambas possuem o mesmo valor inestimável.

    Comungar de pé ou de joelhos para Bento XVI não é o mais importante, o mais importante é promover a paz e o bem comum, vemos ele trabalhando incansavelmente pelo diálogo entre as Religiões para evitar conflitos em grande escala neste mundo egoísta e ao mesmo tempo porque é um desejo de Jesus que todos se tornem UM, uma só fé, um só Batismo, uma só alma, um só Espírito e uma só Igreja. Aliás já foi declarado pelo Papa e não contestado pelos Evangélicos que existe apenas uma Igreja de Jesus na terra, os filhos de Deus estão apenas afastados entre si por divergências momentâneas que não durarão para sempre. Você pode entender muito bem este acontecimento pela leitura da parábola da ovelha perdida e a parábola do filho Pródigo.

    Portanto não venha contestar as atitudes ecumênicas da RCC se estas atitudes estão conforme o que a Santa amada Igreja pretende para o futuro, um diálogo aberto e sem constrangimento para todos e não com o objetivo de ensinar doutrina um ao outro ou acusar um ao outro de seus pecados doutrinários. Se você não sabia, a Igreja Católica está quase executando um acordo com as primeiras Igrejas evangélicas que se afastaram e que mantém uma semelhança maior com o Catolicismo, entre elas está a Igreja Luterana e a Anglicana, para que elas voltem a integrar a Igreja Católica sob submissão do Papa. As diferenças doutrinárias, que não são tantas assim, esta é uma outra história que não cabe a nós interferirmos.

    É verdade que vocês se preocupam com uma vida espiritual resumida a quatro paredes e descomprometida com a evangelização do mundo, não se importam nem mesmo se existem pessoas dentro da Igreja assistindo a missa, criticam a RCC por evangelizar em varias frentes de trabalho buscando novos filhos para Deus e ao mesmo tempo não evangelizam nem mesmo o vizinho que mora ao lado, antes apenas, condenam todas as pessoas de heresia e com um preconceito exagerado nem se aproximam de um bêbado ou um jovem com tatuagens, achando que serão contaminados com o pecado deles.

    A Canção nova faz uma campanha de Santidade “Ou Santos ou Nada”, realiza o PHN, “Por hoje não vou mais pecar”, pregando a palavra de Deus a jovens perdidos, que se perderam não por culpa da RCC, uma vez que a RCC tem apenas 42 anos de vida e é praticamente jovem, enquanto que os métodos utilizados pela Igreja da Idade média, que já possuía 1960 anos de idade e alguns resolveram parar no tempo e abandonar as redes.

    Fez muitos inimigos pelo mundo ao longo dos anos e ao mesmo tempo se esqueceu que a Igreja não é apenas o templo de pedra como haviam aprendido com Jesus os primeiros Cristãos quando Ele lhes ensinou: “vede este maravilhoso templo, não ficará aqui pedra sobre pedra…” profecia que se cumpriu 67 anos depois, isto para vermos que o que é mais importante não são as quatro paredes da Igreja onde o povo se reúne e sim as vidas que fazem parte deste Corpo de Cristo que é a verdadeira Igreja VIVA. Pedro mesmo reafirma isso dizendo que somos as verdadeiras pedras vivas que compõem o edifício espiritual que é a Igreja.

    Veja que presunção de tais tradicionalistas, agora assumiram para si a função do Próprio Espírito Santo de Deus que foi enviado por Jesus para habitar em nossos corações nos relembrando as suas palavras e auxiliando a perseverar até o fim (João 14 e 16) quando enfim se cumprirá a profecia de que todo Joelho se dobrará e toda língua confessará que Jesus Cristo é o Único Senhor do Céu e da terra, porque jamais nenhuma força deste mundo ou de outro mundo prevalecerá contra as portas da Igreja de Deus fundada por Jesus e mantida sob a Custódia do Paráclito Santo.

    A Igreja é salva, mantida e conduzida pelo próprio Deus através de seu Espírito Santo no coração de seus servos (A hierarquia) na terra e não por homens, meras criaturas que arrogam sobre si serem defensores intelectuais de uma Igreja paralisada no passado.

    Cada um de nós podemos ser sim um instrumento nas mãos de Deus em defesa de sua Igreja na terra e principalmente em defesa de sua evangelização neste mundo, mas jamais poderemos dizer que “SOMOS” os responsáveis pela salvação desta Igreja e nem das almas humanas que a compõem como recebi um e_mail afirmando que a minha salvação dependia de Dom Marcel Lefebvre, que agora tornou-se o Santo venerado pelos Lefebvristas como responsável pela salvação da Doutrina Católica e conseqüentemente de nossas almas.

    Jamais esqueço os ensinamentos de São Paulo, principalmente a segunda carta aos Corintios no Cap 3 onde ele nos diz que nós não somos capazes de fazer nada, mas Deus realiza tudo em nós e através de nós no meio de seu povo, isto para não nos esquecermos jamais que somos meros vasos de barro nas mãos do oleiro que pode quebrá-lo no momento que bem entender e refaze-lo todo de novo.

    Tudo já está bem claro agora, que estamos a par dos ensinamentos de Dom Marcel Lefebvre contra o Magistério verdadeiro da Igreja e principalmente que homens comuns que não aceitam o auxílio do Paráclito Divino, preferem confiar em si mesmos, em seus ensinamentos e capacidade meramente humana, baseando-se em letras escritas em tábuas de pedra ou em papeis com selos Papais, esquecendo-se que o Senhor desta Igreja e responsável por toda sua Espiritualidade não habita nas letras humanas e sim no templo que Ele mesmo ergueu onde Ele prometeu e cumpriu gravar a sua lei e morar até sua nova vinda.
    Paz e bem.

  23. A Pedro Pelógia.

    Caro Pedro, quando falei de 1%, não me referia à vida paroquial, me referia ao conhecimento do episcopado em geral que você condena generalizadamente como todos sendo participantes da CNB do B.

    Você mesmo discriminou a diferença de alguns deles, sabemos que nem todos comungam o mesmo pensamento e se divergem muito entre si, logo não podem ser condenados todos juntos por uma mesma heresia Fictícia, que no caso aqui evidenciado é apenas a obediência ao Papa e ao Vaticano II.

    Obedecer o Vaticano II não é o pecado da Igreja, o pecado da Igreja é não fazer a vontade de Jesus e não seguir a sua palavra, podemos ser fiéis a Jesus mesmo obedecendo o Vaticano II.

    EXTRA-OFICIALIDADE, Orlando Fedeli se declara contra o Concílio Vaticano II, os tradicionalistas citam todos os documentos do passado, mas jamais citam os documentos do Vaticano II, a poucos dias um de seus companheiros Tridentino teve a ousadia de me declarar que Bento XVI tinha “ANULADO” a excomunhão de Dom Lefebvre, bem sabemos nós que Bento XVI não anulou nada e sim suspendeu as excomunhões dos quatro Bispos que foram ordenados, mantendo-se a excomunhão dos dois desobedientes que já haviam falecido, porque O Papa não tem jurisdição no céu, apenas na terra. Isto nos mostra que ele lê as cartas de Fedeli e Padre João Batista mais jamais lê as cartas do Papa Bento XVI, ou não existe uma carta que esclarece esta dúvida acima?

    Se você acusa a RCC de desobediência e ao mesmo tempo você também é um desobediente, então todos nós iremos para o inferno e toda a Igreja perecerá segundo as suas profecias desanimadoras.

    Quando fores corrigir teu irmão de fé, principalmente um Sacerdote então não arrogue sobre si a autoridade do “MAGISTÉRIO DA IGREJA” como costuma fazer Orlando Fedeli e Padre João Batista, este pelo menos é um Padre formado e ordenado pela Igreja, mas dá opiniões totalmente contrárias às ordens Papais, uma delas é esta carta citada por você, que recebi hoje por e_mail, nesta carta Padre João Batista nos proíbe literalmente de ler a Bíblia e ainda faz uma crítica velada à nossa Faculdade Católica que já formou inúmeros leigos com o curso de Teologia Católica, mas ele se arroga sobre si o direito de permanecer único detentor da sabedoria Divina e não quer compartilhar as maravilhas de Deus com nós que somos seus irmãos na fé, isto claramente em oposição às recomendações da Santa sé que manda que os Católicos procurem ler a Bíblia e conhecer melhor a sua doutrina.

    Perceba porém meu caro Pedro, que o site Montfort não está defendendo a nossa fé e muito pelo contrário, está fazendo uma guerra particular dentro da Igreja enquanto recebe doações para manter sua instituição em funcionamento.

    Usa de ataques sem fundamento apenas para buscar audiência para seu site, que já até tinha sumido das buscas na net quando eu buscava pelo nome da minha diocese e agora todos os textos reapareceram nas buscas com a audiência deste debate com Padre Fábio.

    Reflita se realmente, na sua concepção, O que Fedeli defende mesmo na prática ?

    Jesus te ama.

    Fique com Deus.

  24. Pérolas do Sizenando:

    Comungar de pé ou de joelhos para Bento XVI não é o mais importante, o mais importante é promover a paz e o bem comum , vemos ele trabalhando incansavelmente pelo diálogo entre as Religiões para evitar conflitos em grande escala neste mundo egoísta e ao mesmo tempo porque é um desejo de Jesus que todos se tornem UM, uma só fé, um só Batismo, uma só alma, um só Espírito e uma só Igreja.

    Veja que presunção de tais tradicionalistas, agora assumiram para si a função do Próprio Espírito Santo de Deus que foi enviado por Jesus para habitar em nossos corações nos relembrando as suas palavras e auxiliando a perseverar até o fim (João 14 e 16) quando enfim se cumprirá a profecia de que todo Joelho se dobrará e toda língua confessará que Jesus Cristo é o Único Senhor do Céu e da terra, porque jamais nenhuma força deste mundo ou de outro mundo prevalecerá contra as portas da Igreja de Deus fundada por Jesus e mantida sob a Custódia do Paráclito Santo.

    Enquanto houver preocupação com a “paz” e o “bem comum”, ficar em pé ou de joelhos diante do Senhor, não faz diferença. Não é uma defesa incrívelmente liberal?

    Quanto a excomunhão, não existe a necessidade de se retirar as excomunhões de Dom Lefebvre e Dom Mayer, após o falecimento, cessam seus efeitos.

  25. Salve Maria Puríssima

    Caro

    Gederson
    agosto 30th, 2009 at 20:53

    Minha resposta para você é simplesmente NÃO !!!!!!

    NÂO preciso ler o seu texto para saber a asneira que você diz, já conheço seus argumentos chulos e por outro lado, sei que vocês “SEDEVACANTISTAS” não teem nada a perder mesmo, porque já perderam tudo, incluindo a fé.

    SEDEVACANTISMO É MIL VEZES PIOR DO QUE SER PROTESTANTE, PELO MENOS OS PROTESTANTES AINDA PODEM VOLTAR PARA A CADA DA MÃE, MAS VOCÊS JÁ ABANDONARAM A CASA DO PAI DEFINITIVAMENTE.

    QUE DEUS TENHA MISERICÓRDIA DE VOSSA ALMA.

  26. Sizenando,

    para começo de conversa, não sou SEDEVACANTISTA. Em segundo lugar, você nem leu os argumentos de Dom Lefebvre, porque leria os meus? Contudo, apesar de não lê-los, respondeu a postagem demonstrando a sua insensatez. Não ler um texto e respondê-lo apenas pelo título, nos faz desconfiar de sua honestidade intelectual.

    Quanto a argumentos serem ou não serem chulos, é mais honesto demonstrar que são chulos, do que pura e simplesmente dizer que são chulos. Normalmente quem age desta maneira, não tem nenhuma capacitação. No caso específico, você primeiramente tem que demonstrar que são SEDEVACANTISTAS, antes de me acusar de SEDEVACANTISMO. Mas como não sabe distinguir o braço direito, do braço esquerdo, acho dificíl.

    No mais, que Deus o ilumine.

  27. Salve Maria Puríssima!

    Caro Gederson

    Sei que também deves conhecer o tal vídeo que já foi visto por 1300 pessoas em todo o mundo, nele Bento XVI distribui comunhão às pessoas que se ajoelham em sua presença, diga-me como é que as outras pessoas além das selecionadas comungam ?

    Observe o trecho entre 3:38 mm e 3:55 mm, quase no final.

    http://www.youtube.com/watch?v=lPbKE1uf3aU

    Contar vantagem por algumas pessoas selecionadas numa multidão que comunga de pé não pega muito bem, porque a comparação na quantidade é enorme, ou seja mais 100 por 1.

    Em Anápolis todos nós comungamos da mesma forma e muito mais lentamente do que neste vídeo, quem se ajoelha perante o Sacerdote também recebe sua Comunhão sem ser repreendido, e olha que eu tenho observado o número de pessoas que se ajoelha não é tão pequeno assim, creio que a proporção chega a uns 2%.

    […]Quanto a excomunhão, não existe… […]

    A excomunhão de Lefebvre EXISTE SIM, Dom Mayer TALVES seja inoscente porque ele já havia se arrependido de seu erro antes de morrer, neste caso morreram sim fora da comunhão com a Igreja de Deus, e o que está desligado na terra está desligado no céu, “são palavras de Jesus”, não há nada que o homem possa fazer mais a este respeito, o perdão ou a condenação somente o Pai pode decidir.

    Mas vocês se arvoram no direito de ter um poder superior ao do Papa, acima até do próprio Deus e perdoam o grande Santo Lefebvre exaltando-o como nosso sumo salvador na terra e no céu.

    Isto é que eu digo ser uma grande presunção.

    E depois ainda nos acusam de sermos donos do Espírito Santo !

    Isto também foi Cristo quem disse.

    Ser Sedevacantista é não ser Católico.

    Se eu não for, ele não virá, mas se eu for, eu mesmo o enviarei a vós … e etc. e tal…

    Bem podemos ver que Tridentinos e Sedevacantistas preferem a guerra, nem mesmo dentro de sua própria casa existe comunhão de pensamentos, é cada um por si e todos contra o Papa.

    Fedeli e IBP não se entenderam, agora já colocaram aí acima que o IBP que é o traidor da causa dos Tridentinos, sabemos porém que o IBP está agora com o Papa e o CV II, por este motivo são traidores de Lefebvre.

    In corde Jesu et Mariae Semper.

  28. Caro

    Gederson
    agosto 31st, 2009 at 21:13

    Procurei em seu Blog as suas Pérolas, mas não encontrei, no entanto percebi que em seu Blog não se pode por comentário que exedam algumas poucas linhas, mas o seu tipo de de atuação no Blog alheio é enchelo de lixo prático, não é mesmo, gostaria de copiar para seu Blog alguns escritos meus, também queria copiar lá algumas cartas do Papa, mas seu limete de palavras não permite.

    Libere seus comentários ou deixe de poluir o Blog de seu concorrente.

    Jesus te ama.

  29. Sizenando disse:

    “A Igreja é salva, mantida e conduzida pelo próprio Deus através de seu Espírito Santo no coração de seus servos (A hierarquia) na terra e não por homens, meras criaturas que arrogam sobre si serem defensores intelectuais de uma Igreja paralisada no passado.”

    Santa Catarina de Sena (Assim como muitos outros Santos e Santas), morreram leigos e esta condição não impediu a mesma Santa de ter seus conselhos solicitados pelo Papa. Como também, não impediu que ela se tornasse Doutora da Igreja. Segundo Sizenando, o leigo, São Próspero da Aquitânia, era apenas um homem, criatura de Deus… simplesmente, ridículo!!!

    Deixo o texto de um Cardeal da Igreja…

    QUANDO OS LEIGOS SUSTENTAM A IGREJA

    Cardeal Newman

    (Trecho de artigo publicado em The Rambler, julho de 1859, citado por Hugues Keraly, Présence d’Arius, Paris, D. M. M., 1981)

    É bastante notável que, embora falando historicamente o século IV seja a época dos doutores, aquele que foi iluminado por santos como Atanásio, Hilário, os dois Gregórios, Basílio, Crisóstomo, Ambrósio, Jerônimo e Agostinho (tendo sido bispos todos esses santos, com uma única exceção), contudo, nessa mesma época, tenham sido os leigos que mantiveram a tradição divina confiada à Igreja.

    Efetivamente, isso exige alguma explicação: dizendo isso, não nego evidentemente que, em sua expressiva maioria, os bispos tenham sido ortodoxos, no mais íntimo de sua fé; tampouco nego que tenha havido membros do clero para assistir os leigos e servir-lhes de guia e fonte de inspiração; nem desconheço que os leigos tenham recebido certamente a fé, em primeira mão, dos bispos e do clero; não nego que haja entre os leigos alguns ignorantes e que outros se tenham corrompido por pregadores arianos, os quais conseguiram apoderar-se das sedes episcopais e ordenar sacerdotes heréticos. No entanto, persisto em dizer que, nessa época de imensa confusão, o dogma divinamente revelado da divindade de Nosso Senhor foi proclamado, afirmado e mantido e, falando humanamente, preservado muito mais pela Ecclesia docta do que pela Ecclesia docens; que o corpo dos bispos foi infiel à sua missão, ao passo que os leigos permaneceram fiéis ao seu batismo; que ora o Papa, ora uma sede patriarcal, metropolitana ou outras sedes importantes, ora concílios gerais disseram o que jamais deveriam ter dito, ou realizaram atos que obscureceram ou puseram em perigo a verdade revelada. Entrementes, foi o povo cristão que, sob a orientação da Providência, constituiu a força cristã de Atanásio, de Eusébio, de Verceil e de outros confessores solitários da fé, que sem esse povo não teriam resistido […]. Digo que houve suspensão temporária das funções da Ecclesia docens. O conjunto dos bispos foi infiel ao dever de confessar sua fé.

    Vejo, pois, na história do arianismo, um rematado exemplo de situação da Igreja durante a qual, se quisermos discernir onde está a Tradição apostólica, é aos fiéis que devemos recorrer.

    (PERMANÊNCIA, 1982, março/abril, números 160/161)

  30. Repito que disse anteriormente:

    Primeiro você tem que demonstrar que meus argumentos são SEDEVACANTISTAS, segundo, tem que demonstrar que são chulos e em terceiro, que são asneiras, isto é o que pede a honestidade intelectual e a caridade. É comum a quem não possui HONESTIDADE INTELECTUAL, utilizar-se do subterfúgio das FALÁCIAS AD HOMINEM. Onde procura-se desqualificar a PESSOA DO DEBATEDOR, sem refutar os argumentos. É o que Schopenhauer chama de “ A ARTE DE VENCER UM DEBATE SEM RAZÃO.”

    Todos os absurdos de suas argumentações, falaciosas e fantasiosas, foram refutados em minha resposta. Agora seja homem e seja catolico e demonstre o SEDEVACANTISMO em minhas acusações, do contrário, você testemunhará apenas que é um moleque.

    DEUS tenha miserircódia e piedade de sua alma, e o livre das trevas da ignorância.

  31. Sizenando,

    Minha resposta para você é, simplesmente que você esta LEVANTANDO FALSO TESTEMUNHO, me julgando SEDEVACANTISTA (O que definitivamente, não sou). Se eu fosse SEDEVACANTISTA, o Pe Joãozinho não me aceitaria aqui (o que não é o caso).

    Repito que disse anteriormente:

    Primeiro você tem que demonstrar que meus argumentos são SEDEVACANTISTAS, segundo, tem que demonstrar que são chulos e em terceiro, que são asneiras, isto é o que pede a honestidade intelectual e a caridade. É comum a quem não possui HONESTIDADE INTELECTUAL, utilizar-se do subterfúgio das FALÁCIAS AD HOMINEM. Onde procura-se desqualificar a PESSOA DO DEBATEDOR, sem refutar os argumentos. É o que Schopenhauer chama de “ A ARTE DE VENCER UM DEBATE SEM RAZÃO.”

    Todos os absurdos de suas argumentações, falaciosas e fantasiosas, foram refutados em minha resposta. Agora seja homem e seja catolico e demonstre o SEDEVACANTISMO em minhas acusações, do contrário, você testemunhará apenas que é um covarde.

    DEUS tenha miserircódia e piedade de sua alma, e o livre das trevas da ignorância.

  32. Pedro Pelogia

    Sr. Sergio Souza

    A Associação Cultural Montfort também faz uma (discretíssima) campanha de arrecadação para manter suas atividades, como a sede, as aulas e as palestras. Mas convenhamos, TEM CABIMENTO comparar a humílima arrecadação da Montfort com a arrecadação que faz a Comunidade Canção Nova, que muitos, católicos e acatólicos, já identificam como a versão “católica” da universal do reino do $$?

    É tremendo o disparate que o sr. comete dizendo que a Montfort utiliza OS MESMOS MEIOS que a Canção Nova para arrecadar fundos!!! Ponte-que-caiu!!!

    Ai meu Deus, eu não sabia que existia uma TV MONTFORT !!! Eu ignoro completamente que existam “RÁDIOS MONTFORT” espalhadas pelo território nacional. Meus queridos Gederson e Gabriela, por que vocês não me avisaram que existe uma Rede Montfort de Comunicação nas proporções da Rede Canção Nova, como está me revelando o sr. Sergio? Quais são os produtos “Montfort” de evangelização? Quero ser revendedor deles! Será que o professor Fedeli está dando um “chat” agora? Agora desligo o “ironic mode”…

    Que absurdo colossal, sr. Sergio, o sr. me dizer que a Montfort se usa dos “mesmos meios” que a Canção Nova. É uma comparação bestial e desonesta, absolutamente desproporcional emanada de uma cabeça acostumada às fantasias do ímpio canal 7 da TV aqui de casa! Os dias passam, e eu acho que já ouvi de tudo.

    Quanto à arrecadação de fundos da Montfort, eu não estou agindo diferente do que “preguei”. No meu post anterior eu já te “preguei” que a Montfort também tem uma campanha de doações espontâneas para se manter. Suba um pouquinho a tela e verás… Ah, modernistas! Só lêem o que lhes convém!

    Foi engraçado o padre Joãozinho dizer no seu programa de TV: “Povo da Montfort, leia o Concílio Vaticano II”, ao que o professor Fedeli respondeu: “Se alguém no Brasil LEU o Concílio Vaticano II para constatar que tudo nele é ambigüidade, este alguém É a Montfort!”

    Nós rechaçamos o falível e pastoral Concílio Vaticano II, mas saiba, prezado Sergio e cia. limitada, que o Concílio é O LIVRO DE CABECEIRA da Associação Montfort! Nós o lemos, e de tanto lê-lo é que somos mais concordes com a REALIDADE de que o último Concílio veio para destruir a Igreja de dentro para fora.

    Para contestar o blasfemo best-seller “O Código Da Vinci”, eu, Pedro, loquei o mesmo na Biblioteca da faculdade E LI! Li para confirmar com meus próprios olhos e com meu raciocínio habituado à liberdade que a obra de Mr. Dan Brown é uma legítima porcaria literária, indigna de servir como papel higiênico em banheiro de rodoviária. Se eu só lesse o que me convém que autoridade teria eu para contestar o conteúdo contrário à minha fé, como o sr. e sua turma habituada aos shows sagrados deixam de fazer? Assim que o livreco “Deus, um delírio” do ateu Richard Dawkins chegar à biblioteca da minha cidade, também irei ler. Só não leio agora porque não quero comprar, ou seja, dar dinheiro a esse vagabundo, que já deve ter ganho uma boa grana vendendo o seu manual de ateísmo.

    O sr. lê os artigos da Montfort, para vir aqui e falar dela?
    Eu não sei absolutamente nada de sua vida, mas outros carismáticos aqui já disseram que NUNCA LERAM e NUNCA IRÃO LER aquele “site cismático”… Ora, como podem então criticá-lo e taxá-lo de cismático, se nem sabem o que está escrito lá? Sentiram o cheiro do “cisma”? Ou o “espírito” segredou-lhes o cisma através da linguagem do “oxalariencanda ialamariabai”?

    Novamente o sr. é infeliz, meu caro e iludido Sergio Souza, chamando a Montfort de “seita”… O professor Fedeli não celebra missas, não dá bençãos, não preside cerimônias de culto, e SOBRETUDO, não se apresenta como líder de religião, mas como professor que é. Se dar aulas e palestras configura uma seita, arranque seus filhos da “seita” escolar, se os tiver.

    É ingênua e atrapalhada a analogia que o sr. faz da Montfort com as testemunhas de Jeová. Nunca nenhum associado da Montfort veio bater à minha porta vendendo revistinhas. Infelizmente isso nunca aconteceu, pois eu os receberia de braços abertos. Eu moro bem longe da sede da Montfort e até hoje só conheci pessoalmente 1 associado dela.
    Ah, em tempo: o professor Fedeli também não promove ROMARIAS nem EXCURSÕES para a sede da Montfort em São Paulo, como acontece com outra instituição em Cachoeira Paulista… A Montfort não é uma seita, e sua sede não é um templo religioso.

    Mais uma coisa pra desmontar a vossa caluniosa falácia é que a Montfort se denomina uma “Associação Cultural”; em contrapartida, a Império Canção Nova traz o sugestivo nome de “COMUNIDADE Canção Nova”. O que mais se assemelha à uma seita?? Uma Associação Cultural, ou uma mega-empresa vendedora de marketing religioso pseudo-católico, que se intitula “COMUNIDADE”?

    E não me venha falar do tal “Reconhecimento Pontifício”, que já estou enjoado de tanto ouvir vocês gritarem sobre ele. O que ainda não veio a público e provavelmente virá à tona um dia é o Estatuto do Reconhecimento Pontifício da Canção Nova, que padre Jonas enviou a Roma para ser lido e aprovado pelo Papa. Já enviamos milhares de emails ao professor Felipe Aquino perguntando sobre este documento, ao que ele depois de muita insistência respondeu que aquilo era da alçada da Diretoria do Grupo Canção Nova. Achamos um pouco difícil que o Papa Bento XVI, tão insistente na Liturgia bem-celebrada ter aprovado a Canção Nova, onde as celebrações litúrgicas se parecem com bailes carnavalescos. Não sei o que vai escrito no tal Estatuto, que deveria ser uma descrição fiel dos “carismas” da Canção Nova, que o Papa leu e aprovou. Sinceramente não sei, não sabemos, e padre Jonas não quer mostrar…

    E se o sr. pensar em se aventurar comigo numa discussão sobre o querido Reconhecimento Pontifício da CN, peço-lhe já: PROVE QUE EU ESTOU ERRADO! Prove-me que a Canção Nova NÃO MENTIU PARA O PAPA para obter o Reconhecimento Pontifício. Eu e todos os católicos do Brasil estamos encafifados com esta estranha aprovação do bom e velho Papa Ratzinger a baderneiros litúrgicos, e queremos ver os Estatutos de Aprovação, se é que ainda não pegaram fogo…

    O sr. me aconselha a ter cuidados com os “desvarios” do professor Fedeli . Muito obrigado. Tenho grande admiração pela figura humana e intelectual do professor Orlando Fedeli. Se um dia ele, sem mais nem menos, MUDAR sua concepção, passar a adotar doutrinas estranhas, passar a ser ecumênico, em suma, deixar de defender o que sempre defendeu para defender outra coisa “inovadora” e estranha à Fé católica, eu deixarei de admirá-lo, assim como deixei de admirar muitos cardeais, bispos e padres que se fecharam à doutrina de sempre e se abriram às fabulas modernistas, como profetizou São Paulo.

    Em Cristo, Aquele que foi, que É e sempre Será. O Eterno e Imutável!
    Pedro Pelogia.

  33. Pedro Pelogia

    Prezado Sizenando, salve Maria!

    Acalme-se! Se os seus argumentos em favor da CN, da CNBB, do CV II, da RCC e outra qualquer sigla já se esgotaram, ralhando assim aí se perde a razão de vez.

    Eu já me desacostumei dos nossos debates lá no seu bloguezinho. É difícil debater com você, pois você é como a doutrina moderna que defende: ambíguo! Diz uma coisa e em seguida diz outra; dá um tapa e esconde a mão.

    Além de oscilar entre a defesa da Igreja e o ataque à mesma Igreja, você ataca de vidente, tentando ler meus pensamentos. Em que momento, dia, hora ou circustância eu me acheguei em você e condenei “generalizadamente” os MEMBROS da CNB do B? Eu critiquei a CNB do B como a péssima conferência episcopal que é, e o desserviço que ela nos presta à nós, católicos brasileiros. Eu jamais condenei dom José Cardoso Sobrinho, dom Alano Pena, dom Aldo Pagotto, dom Manoel Pestana, dom Eugênio Cardeal Sales, dom Fernando Guimarães, dom Efraim Krevey, dom Volodymyr Koubetch, dom Daniel Kozlinsky, dom Meron Mazur, dom Vartan Borhossian, que são AS GLÓRIAS do Episcopado nacional! Jamais condenei “generalizadazadazadamente” os MEMBROS da CNBB, e nem tenho o poder de condenar. Quem condenará será o Juiz dos Séculos, o justo Senhor, que cobrará muito caro a quem muito foi dado.

    Eu discriminei a diferença de pensamento dos bispos, fruto da “colegialidade” surgida no Vaticano II, e você me vem com o seguinte absurdo: “logo não podem ser condenados todos juntos por uma mesma heresia Fictícia, que no caso aqui evidenciado é apenas a obediência ao Papa e ao Vaticano II”.

    Aonde é que defender o sacerdócio feminino, a invasão de terras, o casamento dos padres é estar em “obediência” ao Santo Padre o Papa? Quando, aonde e como isto é possível, meu caro Sizenando?
    Se você me disser que todos os bispos “pensantes” que discriminei no post anterior estão em estrita obediência ao Concílio Vaticano II, não discuto contigo! Estou de pleno acordo!
    Mesmo quem defenda o carismatismo e o ecumenismo, como pode ser obediente ao Papa e a Jesus, que disse “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida” e não disse “Eu sou um dos caminhos, uma parte da verdade e uma das vidas”?

    Da pseudo e fraca defesa de uma Igreja que lhe convém, você num piscar de olhos passa a atacar a mesma com isso aqui: “Obedecer o Vaticano II não é o pecado da Igreja, [red]o pecado da Igreja é não fazer a vontade de Jesus e não seguir a sua palavra, podemos ser fiéis a Jesus mesmo obedecendo o Vaticano II[/red]”.
    O que você quer dizer com esse confuso discurso? A coerência desta sua fala delirada está mais oculta do que o significado das “línguas do espírito”…

    No entanto, você é muito útil a nós, Sizenando, pois você confessa o que está implícito nas palavras dos que defendem o CV II: que sem o concílio vaticano II não há catolicismo, não há Igreja e nem Papa.

    O magistério perene da Igreja brada que [i]Extra Ecclesia nulla salus[/i]; já o magistério inventado na metade do século passado sussurra: [i]Extra Vaticanum Secundum nulla sallus nec Ecclesiam[/i]. Desculpem pelo meu latim embolado – possuo um latim suficiente para ouvir a Santa Missa e rezar as Vésperas…

    Você disse que nós tradicionalistas nunca “citamos” um documento do Concílio Vaticano II. Rapaz, você se enrosca e cai de rasteira nas suas próprias mentiras. Nada vou colar aqui, só peço que acesse: http://www.montfort.org.br. Nesse site, o ASSUNTO PRINCIPAL é o Concílio Vaticano II e seus prejuízos. Todas as encíclicas e documentos deste concílio são lá citados e linkados.

    A Montfort não usa de ataques sem fundamento. Ela fundamenta-se nas abominações ditas e praticadas pelos sacerdotes em nome de uma fé modernamente caduca e de um conciliábulo destruidor. A audiência que possa alcançar o site é pura consequencia…

    Quanto a você chamar os argumentos do Gederson de “chulos” e de se recusar terminantemente a lê-los, aí é que você, o sr. Sergio e os cançãonovistas se assemelham à seita das testemunhas de Jeová, que nada mais podem ler a não ser aquela revistinha sem vergonha chamada “Sentinela”. E ignorar o CV II não é “sedevacantismo”; sedevacantismo é ignorar o Papa, e sedevacantistas são a CNBB (a instituição) e a Canção Nova, que revereciam o nome e o retrato do Pontífice, mas não acatam suas determinações litúrgicas e teológicas!

    Sem mais por hoje!

    “Jesus te ama”?

    Jesus nos ama (pra burlar o jargão carismático), porém se não nos mostrar-mos dignos de seu amor por retidão da fé e pureza das obras, Ele nos dirá naquele dia: “Não vos conheço, apartai-vos de mim”.

    Pedro Pelogia.

  34. Terça-feira, 1 de Setembro de 2009
    O cardeal Castrillón fala claro

    O jornalista italiano Bruno Volpe oferece no seu blog
    Pontifex,
    Uma interessantíssima
    entrevista
    Ao cardeal Darío Castrillón Hoyos, presidente emérito da Pontifícia Comissão Ecclesia Dei, no encerramento, em Barletta (Itália), da 60ª semana litúrgica, que teve como lema «Celebramos a misericórdia de Deus».

    Nas suas declarações, o cardeal colombiano afirmou que «a liturgia é uma coisa séria» e que «ninguém pode improvisar ou inventar nada que seja de mau gosto». Disse que «é triste ver alguns sacerdotes comportarem-se como se fossem animadores televisivos medíocres (finalmente alguém fala curto e grosso!!! Esta é para o Fábio de Melo).

    Acrescenta que a missa não é uma festa, no sentido pagão que muitos lhe atribuem. Em primeiro lugar, e antes de mais nada, tem de fazer-se presente o conceito de sacrifício, o sacrifício incruento (sem derramamento de sangue) do Senhor; e só depois de se ter compreendido que a Missa é sacrifício, dom e mistério, se poderá então falar em festa. Mas limitarmo-nos à noção de festa (bem como à de banquete, ceia), é quase protestante, superficial (isto é que é falar claro! E católico! Gosto tanto de pessoas que falam claro).

    Quando interrogado acerca da celebração «ad orientem», o cardeal Castrillón respondeu: “Não quero criar polémica, mas penso como o Papa neste ponto. O sacerdote é mediador entre os fiéis e Cristo; não é o protagonista; actua na pessoa de Cristo (in persona Christi); e deve estar humildemente voltado para Cristo, levantando-Lhe as mãos. Se se volta para Cristo, a posição mais lógica e natural, ou seja, teologicamente correcta, é em direcção ao Oriente, não por motivos geográficos, mas porque o Oriente representa o verdadeiro Sol, Cristo. Isto vale, ao menos, para algumas partes da liturgia, como a oração. Porém, durante as leituras e a homilia, não há nenhuma necessidade do sacerdote se voltar para o Oriente, e estas podem perfeitamente fazer-se com o sacerdote voltado para os fiéis.”

    Mais claro é impossível! Pode ser que sirva às estrelinhas do momento, bem como para os pseudo-teólogos protestantes que chamam integristas a quem diz que a Missa é, essencialmente, sacrifício.

    http://emdefesadelefebvre.blogspot.com/2009/09/o-cardeal-castrillon-fala-claro.html

  35. Sergio Souza

    Pedro,

    Como sempre fala com contundência, e sempre se arrepende do que falou. Defende com ve
    Condena e acusa práticas de outros movimentos da Igrejas, das quais também faz uso.

    Anteriormente você criticou a Campanha Financeira realizada pela Canção Nova. E depois que foi desmascarado neste blog, que a SEITA DA ASSOCIAÇÃO MONFORT também o faz, vem de novo a esse blog reescrever dando outras interpretações aos seus argumentos, que continuam fracos.

    DISCRETO ou NÃO, como você mesmo afirma, A MONFORT, seita que você segue, FAZ CAMPANHA TAMBÉM! E assim como a Canção Nova, VOCÊS POSSUEM ASSOCIADOS possui associados MANTEDEDORES DE SUA OBRA.

    E se você condena a Canção Nova por sua campanha Dai-me almas, AUTOMATICAMENTE condena sua seita, ASSOCIAÇÃO MONFORT porque se utiliza das mesmas práticas para conseguirem novos sócios.

    ESSA É BOA: A MONFORT FAZ UM DISCRETA CAMPANHA… Para quem condenava a Canção Nova de fazer campanha, vai aí um trecho da Sagrada Escritura e que a Monfort pelo visto faz questão de não ler:

    Mateus 7,3 – “Por que olhas a palha que está no olho do teu irmão e não vês a trave que está no teu?”.

    Em suma, se você condena a Canção Nova pela sua campanha, deveria ABOMINAR A CAMPANHA QUE A MONFORT FAZ. Bem se vê, a sua Seita não é tão coerente como costuma pregar!

    FICOU SEM SAÍDA, NÃO FOI? NÃO DEVIA TER FALADO EM CAMPANHA… ANTES DE POSTAR ALGO, SUGIRO QUE DÊ UMA OLHA NO SITE DA MONFORT PARA NÃO DAR UM TIRO NO PÉ!!!!!!!!!

    CONVERTA-SE PEDRO!

    Sergio

  36. Maria Graça

    Olha, alguem conhece a autoria desta pagina???
    http://luterofedeli.wordpress.com/uma-historia-delirante/

  37. Sergio Souza

    Pedro,

    Presta atenção no site de vocês. HÁ UMA FOTO DE BENTO XVI, não é?

    É MAIS UM TIRO NO PÉ QUE VOCÊS DÃO!

    O líder da sua Seita costuma se referir a Canção Nova como seita protestante e herege. Costuma chamar os livros do Monsenhor Jonas de livrecos e também de heresias. Creio que como um seguidor fiel e adorador das desvairices de Fedeli, você comungue desses mesmos pensamentos também.

    Ora, em 2008, a Canção Nova recebe das mãos do Papa Bento XVI, o RECONHECIMENTO PONTIFÍCIO.

    Ora, do Papa Bento XVI? Sim!

    Como o Papa Bneto XVI pode conceder tal reconhecimento à Canção Nova, se segundo o conceito de vocês, ela é HEREGE? Para tal, só se o Papa aceitar e comungar das heresias da Canção Nova, e se o Papa as aceita é automaticamente um HEREGE, segundo o conceito da Monfort.

    E sendo, conforme o pensamento da Monfort, o PAPA BENTO XVI um herege, como é que a ASSOCIAÇÃO PRESTA HOMENAGEM OSTENTANDO EM SEU SITE, A FOTO DE UM HEREGE?

    Olha, até hoje é um dilema para o senhor Orlando Fedeli responder esse simplório questionamento.

    Deus te abençoe Pedro! E tenha misericórdia da sua alma!

    Sergio

  38. Caríssimos,
    Salve Maria!

    O sedevacantismo a priori, é uma concepção particular do primado Petrino, em detrimento da concepção universal da Igreja. Neste sentido, os Ortodoxos, são sedevacantistas, como também o próprio Sr. Sizenando, visto que este também tem uma concepção particular do primado petrino. Tal concepção, baseia-se em uma falsão noção de infalibilidade, onde tudo o que o Papa diz, é infalível, como se deduz da pergunta:

    “Poderíamos mesmo desobedecer ao Papa ?”

    Só não poderíamos desobedecer o Papa, se ele fosse IMPECÁVEL e INFALÍVEL o tempo todo. Contudo, a Igreja e a tradição, dizem que o Papa só é infalível quando se pronúncia Ex Cathedra e quando ordinariamente não ensina doutrinas novas, como pode se ler:

    “Pois o Espírito Santo não foi prometido aos sucessores de S. Pedro para que estes, sob a revelação do mesmo, pregassem uma nova doutrina, mas para que, com a sua assistência, conservassem santamente e expusessem fielmente o depósito da fé, ou seja, a revelação herdada dos Apóstolos.” Concílio Vaticano I

    Diga-se ainda que o Papa NÃO É IMPECÁVEL, como deduz-se das defesas do Sr. Sizenando. Logo, o Papa e o primado Petrino que ele apresenta, são provenientes de seu JUÍZO PARTICULAR, não é doutrina da Igreja que ele repete e ensina.

    As acusações que ora me imputa este Sr., estão estampados no título dos textos do Prof. Carlos Nougué, contra o próprio sedevacantismo (Sedevacantismo,ou uma conclusão à procura de premissas), ou seja, trata-se de uma conclusão, à procura de premissas. Este Sr. pegou o texto “Sedevacantistas” de Dom Lourenço, não respondeu lhe as argumentações e concluiu que o texto que tem por fim impugnar o sedevacantismo, o confirma. Vejam só:

    http://presentepravoce.wordpress.com/2008/06/14/sede-vacantistas-eles-existem-mesmo/

    Os argumentos de Dom Lourenço que impugnam o sedevacantismo estão em amarelo claro (Para não serem lidos), e vejam o que ele diz:

    em amarelo a defesa de seus erros que não concordamos e não fazem parte do tema sedevacantistas …

    E isto, como é de prache deste Sr., sem dizer o que é sedevacantismo e sem demonstrar que os destaques, não fazem parte do tema “Sedevacantismo.” Um argumento, não se impugna pela vontade, mas pela inteligência. Não é porque desejo que algo seja X, que ele irá deixar de ser Y. Independentemente da minha concepção pessoal, existe uma concepção universal, pois Deus tem UMA verdade para todos os homens, não uma verdade para cada homem.

    Fiquem com Deus.

    Abraço

  39. Pedro Pelogia e Gederson, eu já escrevi isso aqui no blog do Padre João: o senhor Sizenando (vulgo presentepravocê) é ligado a maçonaria.

    Como todo maçon ele conspira contra a Santa Igreja Católica de Nosso Senhor Jesus Cristo. Me adimiro o Reverendo João ainda colocar os comentários de um homem que pertence a uma seita que sempre está à conspirar contra a Santa Igreja Católica!

    PS: Para saber mais sobre o Sizenando vejam isso:

    http://intribulationepatientes.wordpress.com/2008/04/27/carismatico-defende-o-nudismo/

  40. Caro aigo Gederson

    Emcontrei argumentação que sustenta a tese do Sedevacantismo em seu Site, Fedeli também se declara contrário ao Sedevacantismo, no entanto mantém relacionamentos íntimos com diversos deles, inclusive mantém textos puplicados de tais pessoas. Se tal prática é condenável e você é contra, deves então abolir qualquer tipo de coisa que induza a um Católico de seguir tais práticas, a primeira delas é a Carta de Dom Marcel Levebvre que você postou aqui neste Blog insitando à desobediência dos Católicos ao Papa, o fruto desta carta é o sedevacantismo prático, sabemos que todos os sedevacantistas foram Lefebvristas muitos deles alunos e até “compadres” do Professor Orlando Fedeli.

    Pelo simples fato de você exaltar a pessoa de um excomungado pela Igreja você induz à esta prática sedevacantista.

    Vejamos, em suas palavras, que já são para mim conhecidas, você me induz, não somente a mim, mas a todos os leitores, a acreditar que nós como um simples leigos tenhos o direito e o dever de corrigir os erros de nosso Papa, ou não foi isso que você quis dizer?

    Em tese “teoricamente” poderia até ser aceitável, se Deus tivesse me incubido de executar tal tarefa, assim como chamou São Francisco mandando-o reconstruir a sua Igreja, neste caso, Deus ainda não me confiou esta missão exclusiva, caso a opinião Dele mude e Ele me dê esta missão, podes crer que eu irei, porque pregar para Bispos e padres para mim não é novidade nenhuma, mas fazer fofoca e provocar divergências fazendo acusações falaciosas na net não é minha prática, isto é obra da pessoa humana e não de Deus.

    Ontem enviei uma Carta a Padre João Batista corrigindo seus erros em uma carta que ele proibe que o Católico leia a Bíblia, sendo que o Papa espera que os Católicos conheçam melhor a Bíblia para se defenderem dos ataques das falsas doutrinas. Quem estaria errado, o Papa ou o Padre João que dá conselhos opostos ao Papa?

    Tenho que agir conforme a minha conciência e não conforme a sua, tenho que agir conforme a minha fé e defender esta fé, mas você espera que eu atue defendendo aquilo que você acha que está certo e aquilo que você acredita.

    Eu Creio por exemplo que o Espírito Santo de Deus habita em meu coração e age em mim com os Dons Carismáticos Católicos, enquanto que você diz que isto é protestantismo, eu digo que não, porque a Igreja Católica já usava os Dons no passado e que o Derramento do Espírito não findará até que Jesus volte em sua glória, mas você insiste em me condenar e me chama de herege protestante, como se eu fosse um de seus inimigos.

    De quem seria a culpa desta divergência de idéías ?

    Minha ? Sua ? Do Papa ? Da Igreja ?

    A Igreja controlou com mãos de ferro as divergências de ideias no passado, mas isto não garantiu a ela a fidelidade de seus membros e nem a perseverança de seus Fiéis, Tantos Santos e tantos milagres na Europa não garantiram uma Igreja perene e hoje se volta novamente a fazer o que Jesus sempre fez, manter a unidade do grupo, pelo amor e não pela obrigação, amá-los até o fim, mesmo que entre eles existisse um traidor, que não foi morto, perseguido, denunciado ou expulso daquele grupo.

    João Paulo II recebeu um tiro de um inimigo da Igreja e foi capaz de perdoá-lo dando um exemplo que os tradicionalistas jamais seguirão, é o que o Pedro escreveu aqui acima, não verão jamais um tradicionalista conversando com um inimigo da Igreja, que Igreja é a sua, não deve ser a mesma do Papa, porque Jesus e o Papa não só conversaram com seus inimigos como os perdoaram e você apenas dissemina o ódio porque aceitamos falar de Cristianismo com nossos irmãos separados ou “filhos pródigos da Igreja”.

    Os métodos de Jesus podem ser mais difíceis, mas garantiu a perseverança de 11 entre 12 discípulos, e estes 11 trouxeram a Igreja até nós hoje, apesar de todas as perseguições e de todos os seus próprios pecados, não vejo como você, a Igreja hoje não seja mais Santa e sim ineficiente.

    O Papa tem uma visão de toda a Igreja no mundo, em cada País em cada lugar, sabe onde ela padece e onde ela cresce gloriosa, sabe onde ela diminui e onde ela aumenta, sabe quais são os métodos que mais dão resultado e quais são os que não funcionam mais e assim ele vai apoiando e dando prioridade ao que funciona e abandonando o que não dá mais fruto no mundo de hoje, alguns chamam isso de “evolução”, eu chamaria de “aprendizado”, A Igreja aprende com sua própria evangelização, a evangelização que era efetuada para os pescadores do mar da galileia não deve ser a mesma dos funcionários cibernéticos que trabalham em Nova Yorke, as redes a serem usadas são outras, os “peixes” não são mais “peixes” e sim “Intenautas”, as iscas não deveriam ser as mesmas e você insiste em usar a varinha de pescar com uma minhoquinha na ponta lá no polo norte, parabens a você, nós continuaremos executando os nossos novos métodos, porque são muito mais eficientes e não nos incomodadremos se você nos acuse de “invencionistas”.

    Vamos, encha sua Igreja e encha o seu seminário, aummente a audiência de seu Blog sem fofocas e mentiras contra Padre Fábio, Padre Jonas, Padre Léo, Padre Marcelo, Dom João, Dom Tenpesta ou Padre Joãozinho.

    Não venha me dizer que Deus se preocupa com qualidade e não com números, esta não cola mais, porque nós nos preocupamos tanto com qualidade como com números e é por isso que você vem jogar suas “minhoquinha” aqui neste aguário, suas palavras e seus ensinamentos sempre copiados de outras pessoas, quem sabe pesque algum lambarizinho aqui, não é mesmo ?

    Não me preocupo em vencer debates, afinal, não estou debatendo com ninguém, apenas estou compartilando as minhas experiências e aquilo que acredito com você, espero que respeite mais a fé alheia ao invés de ficar acusando Católico de protestante, leia a Bíblia todos os dias e veja que tudo que a RCC vive está dentro da palavra de Deus que não é protestante e sim Católica.

    Deus te abençoe.

  41. Pedro Meira

    Para quem se interessar, mesmos religiosos tradicionalistas criticam a campanha de arrecadação da associação Montfort:
    O padre Joel Danjou, no site da FSSPX critica Fedeli por pedir doações para fins religiosos sem autorização do Bispo, enquanto sua Associação condena os lefebvristas por agirem sem autorização da Cúria Romana (como quando criaram seu próprio tribunal canônico). Escreveu o Pe. Danjou:

    “No seu site da Internet, o professor O. Fedeli pede ajudas econômicas para o que ele mesmo chama o apostolado da Associação Cultural Montfort (“CONTRIBUA COM A MONTFORT – Você também pode participar de nosso apostolado”), mas já que, segundo ele, “o pretenso “estado de necessidade dos fiéis” alegado pela Fraternidade São Pio X, nos parece inexistente.”, deve, antes, pedir as autorizações ao Bispo diocesano para tal missão. Caso contrário, usurpa conscientemente o poder espiritual da Igreja Católica e não recebe de Deus nenhuma das graças que necessitaria para cumpri-la.”

    O sofista pode esconder muitas coisas aos homens, mas nunca salva a má doutrina!

    A fonte do texto citado é:
    http://www.fsspx-brasil.com.br/page%2005-6ed-acautelai-vos-dos-homens_secao07.htm

  42. Caro Pedro Pelogia

    Não ataco nenhuma Igreja, muito menos a minha, o texto é claro:

    “Obedecer o Vaticano II não é o pecado da Igreja, [red]o pecado da Igreja é não fazer a vontade de Jesus e não seguir a sua palavra, podemos ser fiéis a Jesus mesmo obedecendo o Vaticano II[/red]“.

    Quando eu falo “IGREJA”, EU ME REFIRO A TODOS E A CADA UM DE NÓS, incluindo eu e você, Igreja para mim não é apenas o edifício construído onde as pessoas se reúnem, nem mesmo a instituição humana “conforme os protestantes a definem” a qual muitos defendem como se a Igreja fosse mesmo apenas a Hierarquia e os documentos arquivados por ela, para mim Igreja somos todos nós como Partes de um mesmo Corpo como bem nos mostrou São Paulo em i Cor 12, ela é hierárquica, tem sua tradição, seus documentos, sua Doutrina, tudo isso é Santo, Bom e necessário, mas ela é composta de homens em toda a sua estrutura.

    Retire os homens desta estrutura, O que restou ? Para que este resto serve para Deus? Se o interesse de Deus está apenas nos Homens e não nos edifícios ou papeis que nada valem para Ele, já que Ele não precisa de doutrina e nem de ensinamentos, porque Ele é a fonte de tudo isso, O que Ele quer é o nosso Amor e o nosso coração, somente isso lhe interessa, todo o resto é apenas um auxílio passageiro para nós rumo à Salvação definitiva, “quando vier o que é perfeito, todo o que é imperfeito desaparecerá, quando estivermos todos no céu ou no inferno de que nos servirão estas estruturas ?

    De que adianta leis, livros, documentos, dogmas se conhecemos tudo isso de cor e salteado, cumprimos a letra da lei, mas insistimos em ser Fariseus !

    Assuma esta realidade, não existe um só homem nesta terra que seja Santo*, porque se existisse apenas um SANTO*, já estaríamos todos salvos como no tempo de Noé, Sodoma e Gomorra jamais teriam sido destruídas e etc.

    *Ps. Não convém generalizar, mas seria a lógica.

    Se não somos Santos então é porque somos pecadores e se todos então somos pecadores não temos o direito de atirar a primeira pedra em ninguém, quem tem uma trave nos olhos não pode tirar o cisco do olho do irmão e assim desvendamos a VERDADE VERDADEIRA.

    Sou UM pecador e não me declaro como Santo, porém o que acontece aqui é que pecadores se declararam padrões de Santidade, se declararam inquisitóres de outros pecadores, condenando os de heresia sendo também hereges por natureza;
    De protestantes quando protestam contra tudo e contra todos;
    Modernistas sendo que usam os meios mais modernos de comunicação;
    Maçõns quando utilizam de reuniões secretas;
    Marxistas quando manipulam seus seguidores;
    Comunistas quando se agrupam e se amotinam contra as autoridades estabelecidas legitimamente e etc…

    Não sou contraditório, mas aqueles tradicionalistas que me escrevem sempre começam defendendo a fé e a Igreja dizendo que ela jamais pecou, é Santa e eternamente imaculada, não reconhecem nenhum erro passado, presente ou futuro e que o Papa é infalível, jamais poderia errar.

    Depois terminam escrevendo “Anatema sit”, me refiro à carta De Rodrigo Antonio Maria Silva que foi publicada na net por Felipe Coelho, um sedevacantista ex aluno e colaborador de Fedeli, onde nesta carta ele acusa todo o clero e Bento XVI de heresia generalizada.

    Depois começam a enviar e_mail’s citando e mostrando todos os erros e pecados da Igreja no passado, incluindo traição, malícia, corrupção, prostituição… ou seja, fazem a mesma coisa que Lutero fez em sua época, sendo Lutero condenado como um excomungado e demônio, inimigo absoluto da Igreja, já o outro excomungado, que faz a mesma coisa que ele fez e até pior eu diria, é eleito como um Santo Salvador até mesmo de minha alma “Cega e inconsciente” como já me disseram varias vezes, até mesmo aqui acima Pedro disse isto.

    Depois o incoerente sou eu ?
    Sou eu que acuso a Igreja de erros ?

    Incoerente é dizer que Bento XVI é Santo e infalível e depois dizer que a sua aceitação ao Vaticano II é errada.

    Incoerência é pregar a aceitação de toda a Tradição, paralisando esta tradição em 1960 e rejeitando 49 anos da história da Igreja depois se fala de todos os documentos passados da Igreja e se rejeita um em particular com todas as acusações possíveis e impossíveis sobre ele que seria o culpado pela destruição da Igreja, sendo que já foi provado que o nosso único inimigo é mesmo o demônio que gera o pecado dentro do coração humano.

    A igreja venceu tantos problemas no passado, passou por perseguições e até Papas foram chamados de anticristos por suas praticas erradas perante a lei de Deus e agora você quer evitar ultrapassar mais esta dificuldadizinha mínima que logo não existirá mais, o que custa aceitar o Concílio Vaticano II para os tradicionalistas ?
    Se compararmos com a história, em breve virá outro concílio, este concílio não será o ultimo de nossa história, assim como o concílio de Trento não foi o último e definitivo, existe sempre a continuidade do caminho que devemos percorrer, temos que ir em frente ou não veremos a vitória meu amigo, uma coisa eu te garanto voltar atrás à esta altura da caminhada não nos levará à vitória jamais.

    Este Concílio faz parte da Igreja e todos devem assumir isso em primeiro Lugar, pelo menos aqueles que se dizem Católicos ou estarão se declarando protestantes definitivamente, mesmo a RCC sendo Fiel ao Papa e fiel ao Concílio, acabamos sendo os bodes expiatórios dos “bons ou maus” frutos deste concílio.

    Uma coisa concordamos, se não fosse este concílio jamais existiria a aceitação da presença real do Espírito Santo em nossos corações e é isso que faz com que exista a RCC.

    Se você aceitar um Batismo no Espírito Santo e falar em Línguas com todo o seu tradicionalismo, eu poderia até mudar de opinião a respeito dos tradicionalistas, já que quem aceita a verdade completa e a defende não poderia negar a ação do Espírito Santo em nosso meio, muito menos dizer que essa ação é protestante.

    AS CARTINHAS TRADICIONALISTAS MALICIOSAS QUE ESTÃO EM MINHA CAIXA DE CORREIO MOSTRAM CLARAMENTE QUEM É AQUELE QUE ACUSA A IGREJA DE NUNCA TER SIDO SANTA E IMACULADA, ISTO SIM EU DIGO QUE É FARISAISMO PURO E BARATO.

    RECEBI ATÉ O TÍTULO DE COVARDE, PORQUE NÃO ASSUMI SUA CAUSA CONTRA A “IGREJA *****” QUE EXISTE HOJE, SIM É VERDADE SOU EU O ACUSADOR E O COVARDE E VOCÊ SERIA UM SANTO DO PAU OCO MANIPULADOR DE DECLARAÇÕES ISOLADAS.

    VOCÊ TAMBÉM DISSE QUE SOU PROFETA E ADIVINHO DE PENSAMENTOS !

    PEÇO-LHE PERDÃO ENTÃO CASO VOCÊ NÃO PENSE E AJA COMO ESTES SEUS COMPANHEIROS QUE ME ESCREVEM EM PARTICULAR, CHEGAM A ME ENVIAR LISTAS ENORMES COM OS MESMOS ERROS QUE CERTOS PROTESTANTES TAMBÉM ME ENVIAM, E MESMO ASSIM SOU EU O PROTESTANTE.

    SOU EU QUE BATO E ESCONDO A MÃO, ME PARECE MESMO É QUE VOCÊ PEDRO PELÓGIA EM PARRTICULAR É MESMO UM TRADICIONALISTA VERDADEIRO E NÃO UM DISSIMULADO COMO A MAIORIA DOS QUE EU TENHO ENCONTRADO POR AÍ.

    VOU CONFIAR EM SUA PALAVRA E CRER QUE VOCÊ NÃO TENHA AQUELA LISTINHA QUE CONDENA OS PAPAS DOS PIORES CRIMES POSSÍVEIS, DEVEM SER SOMENTE OS SEDEVACANTISTAS QUE AS POSSUEM MESMO.

    PERDOE-ME PEDRO

    SE EU DIGO QUE JESUS TE AMA, EU DIGO, PORQUE ALÉM DE CRER NESTA VERDADE TENHO EXPERIMENTADO O SEU AMOR COTIDIANAMENTE, E SEI TAMBÉM QUE ELE TE AMA MESMO DE TODO CORAÇÃO.

    FIQUE COM DEUS

  43. Em resposta ao

    Renato
    setembro 1st, 2009 at 11:55

    Vejam só, uma acusação totalmente sem provas, nem fotografias, nem documentos e nem fontes citadas.

    Será que alguém acreditaria nesta inverdade ?

    Creio que sim, porque um bom tradicionalista que se preze só acredita naquilo que escolhe acreditar !

    Vejamos de onde veio esta afirmação, teria sido por acaso em algum ancestral de minha família e por este motivo eu deveria pagar pelos crimes que eles cometeram ?

    Peça ao Frederico e ao Padre João Batista que lhe enviem as provas desta declaração, caso contrário, somente você será conhecido como um falso, falacioso e mentiroso !

    Por acaso Sr. Renato você foi preso pelo assassinato que seu Pai cometeu, foi julgado e condenado por este crime ?

    O que diz a Igreja a este respeito ?

    A minha resposta será a mesma que dei ao Frederico, vulgo Fred, testa de ferro de Fedeli em Anápolis e Goiânia, amotinado que aterroriza a nossa diocese enviando e_mail’s a seus amigos incitando-os a desobedecerem a Igreja verdadeira e seguindo a seita de Fedeli.

    Pertenço à RCC, e dentro dela, em todos os SVE’s I fazemos renuncia a todo tipo de falsa doutrina e seitas, entre elas inclui também a maçonaria.

    Além desta renuncia, já me perguntaram e convidaram varias vezes para me adentrar à ordem maçonica, ainda hoje me fizeram esta pergunta, é claro se este fosse o meu desejo já teria aceitado a muito tempo.

    Mas responder isto não resolve a questão, porque este tal de Frederico e outro tal de Rogério ficam me envaindo todo dia textos que dizem que a Igreja se entregou à maçonaria, coisa que eu não posso afirmar porque desconheço totalmente o assunto, mas se eles afirmam QUE UM TAL LIVRO citado por eles prova isto, quem sou eu para julgar ? li apenas dois pedaçõs do livro que me enviaram e percebi uma tendênciosidade terrível, principalmente neste trecho que me enviaram o reporter narrava que os tradicionalistas foram impedidos de dar opniões no concílio e que somente os maçons tiveram este direito… citou como exemplo um defeito no microfone de um certo Cardeal (x), a minha resposta foi (o que eu tenho a ver com o defeito de um microfone em 1960?), eu nem era nascido ainda naquele dia e me acusam agora de ser maçom antes de nascer porque fui omisso em consertar o microfone daquele nobre Cardeal que foi prejudiucado em seu discurso.

    Ontem o rogério me enviou um texto com este teor, lhe devolvi dizendo que este assunto não me interesava, mas vejam só no que deu !

    Se eu não concordar com eles e disser que os maçons adoram satanás e se eu pudesse, mataria todos numa fogueira agora mesmo, sou acusado de ser um deles e me juntar a eles em sua seita satânica condenada pela Igreja !

    Seria mesmo esta a atitude da Igreja ?

    Quanto à carta que enviei ao Padre joão Batista através do Rogério, ele a apagou e se acovardou não enviando as devidas correções doutrinárias ao seu Padre superior, depois dizem que sou eu o covarde e agora acima de tudo maçon.

    Só pode ser uma piada ! k k k k Rss rs rs k k k k

    O que mais vão dizer agora a meu respeito, acham mesmo que se eu fosse maçon estaria aqui perdendo meu tempo com crianças mimadas e birrentas ?

    O link enviado ao blog no Márcio, o desafiador da RCC, que legal!

    Márcio anemanatizou o Papa João Paulo II acusando-o de heresia e antieucarístico por ter concedido comunhão à uma índia totalmente nua !

    Pedi-lhe provas e ele não deu, quando encontrou a prova ele me enviou por e_mail, mas a índia não estava nua e nem estava com os seios a mostra, no que eu defendi a posição do Papa, dizendo que o pecado de adão não era estar nú e que se o pecado não tivesse entrado no mundo estaríamos todos nus, qual é o problema ?

    Todos nós sabemos que Jesus foi crucificado nú e que aquele pano sobre seus documentos masculinos é por causa do nosso pecado, colocaram aquele paninho lá nas estátuas para evitar falatório e escandálos, igual aqueles anjos e pinturas de pessoas nuas no Vaticano, tem gente que acha um absurdo total.

    Mas Adão e Eva estavam ou não estavam núis no paraíso antes do pecado, um dos motivos pelos quais estamos nesta discusão não é porque Padre Fábio disse que Adão e Eva era uma “metáfora”, ao pé da letra então como os tradicionalistas aceitam é que eles estavam totalmente nús e agora o Renado indicou as Palavras me Márcio me acusando de ser “favorável ao nudismo”, quem colocou o homem pelado na terra não fui eu.

    FOI DEUS, NO MINIMO FOI MOISÉS QUE INVENOU A HISTÓRIA DE ADÃO E EVA, OU CREMOS NA VERDADE AO PÉ DA LETRA (ESTAVAM PELADOS) OU NÃO CREMOS E USAMOS A METÁFORA PREGANDO FIGURATIVAMENTE A NUDEZ HUMANA E NÃO LITERALMENTE FALANDO.

    VEJA COMO OS TRADICIONALISTAS NÃO CONSEGUEM SE DECIDIR NO QUE ACREDITAM DE VERDADE !

    Veja uma parte do que Padre João Batista diz em sua carta CONDENADA:

    […] Assim também os adeptos do biblismo pentecostal agem e afirmam coisas que atribuem à Bíblia, mas só existem na sua imaginação. Vêem o demônio e a maçonaria por toda parte.[…]

    Vejam que legal:

    Ele fala em sua carta de si mesmo, porque se não conseguem vencer o seu inimigo, o acusam de Maçon e pronto, levemos a Santa Joana D’Arc para a fogueira e a queimemos URGENTEMENTE, já que não pudemos vencê-la na batalha.

    Outra coisa !!!! Na minha Bíblia não existe esta palavra Maçonaria, na de Padre João Batista existe ?

    veja o Link na Bíblia Católica on Line:
    http://www.bibliacatolica.com.br/busca/01/1/ma%E7onaria

    Ele está tão incucado com MAÇONARIA que citou a palavra no contexto errado !

    Eu sabia que a carta de correção ao Falacioso Padre João Batista só poderia dar nisto mesmo.

    “VIVA O PAPA BENTO XVI”

    QUANTO A LEFBVRE ESTÁ MORTO E EXCOMUNGADO, E NEM ADIANTA ME MANDAR MAIS CARTINHAS DE REPRIMENDA.

    O MEU CONSOLO É QUE O PAPA BENTO XVI JÁ FECHOU A QUESTÃO SOBRE ESTE ASSUNTO DIZENDO QUE NÃO PODERIA MAIS MUDAR O ESTADO DE EXCOMUNHÃO DE DOM LFEBVRE.

    “VIVA O PAPA BENTO XVI”
    “SALVE… SALVE… SALVE… A IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA”

  44. Para saber quem é o Sizenando e o que ele pensa sobre a Igreja Católica, basta ler o comentário que ele deixou em um blog católico (o destaque é meu):

    ———-

    presentepravoce disse…

    Salve maria

    Lázaro,
    Tira o retrato da Santa Joana D’arc com uma fogueira embaixo dizendo ser ela uma herege, ou voce não sabia que ela foi assassinada por um bispo Inglês por motivos de alianças Políticas com o rei de França.

    Rei só serve para trair seus melhores herois, entregando-os nas mãos dos inimigos, e ainda permitindo que morra numa fogueira inoscentemente.

    Parabens, por voce ser a favor do assassinato de pessoas inoscentes, nas fogueiras que só matavam os inimigos dos senhores e doutores fariseus da Igreja Pseudo-Católica que existia na Idade média.

    Católico

    http://lazarolaert.blogspot.com/2008/06/catlico-fichado.html

    ————

    Perceberam o “respeito” que o Sizenando tem pela Igreja? Ele aplaude o ecumenismo pós-conciliar, mas a Igreja na Idade Média, para ele, era “pseudo-católica”. Ele acredita que a Igreja errou durante toda a Idade Média. E não aceita que haja erros nos pastoral e falível Vaticano II.

    Padre Joãozinho, sinceramente, eu detestaria ter um sujeito destes ao meu lado. E o senhor? Ainda fica feliz com os elogios dele?

    AMDG,

    Márcio

  45. Caros Leitores:

    Sei que virão mais comentários maudosos a meu respeito,
    relendo o que disseram de mim só porque havia defendido as atitudes do Papa João Paulo II a muitos anos atrás quando deu comunhão a uma nativa de um certo país aparentemente na indonésia.

    Disseram que a nativa estava totalmente nua, no entanto não estava assim tão pelada como a virgem Maria da Playboy Mexicana.

    Da mesma forma quando os Portugueses chegaram ao Brasil celebrou-se uma grandiosa missa “NO RITO TRIDENTINO” onde participaram 400 índios, pelo que sabemos, estavam todos nus conforme a descrição de Pero Vaz de Caminha ao Rei de Portugal.

    No entanto, isto não os impediu de participarem daquela celebração que foi até retratada por um famoso artista Brasileiro “Victor Meireles, 1860.”, só que em sua retratação ele não é fiel à descrição de Pero Vaz de Caminha e coloca os Índios todos semi nus e não totalmente nus segunda a descrição.

    Porque teria tomado esta atitude ?

    Porque não foi fiél à cena descrita por Pero Vaz de Caminha ?

    Foi para proteger os índios ou para não escandalizar os nosso olhos maliciosos ?

    No dia da Primeira Missa no Brasil, a nudez destes índios não foi nenhum impecílio para sua inclusão em um território a ser catequizado, mas agora escondem suas vergonhas, maqueando a verdade e escondendo um pecado que não existia segundo um escrito da época:

    http://presentepravoce.wordpress.com/2009/04/16/primeira-missa-no-brasil/

    […] Um novo mundo
    Encontraram, os lusos, um outro mundo abaixo do equinócio. Ninguém o assinalara antes. Nem os portulanos o indicavam,
    nem o celebrado Globo de Martim Behaim de 1492, onde, ao ocidente, só se viam desenhadas algumas ilhas, a maioria delas imaginárias (com a das “Sete Cidades”, ou mesmo
    uma de nome “Brasil”). Se Deus, até então, não avisara a existência daquelas terras aos cristãos, e se os nativos ignoravam a existência de Jesus Cristo, concluíram também que não tinham ciência, nem juízo, do crime de Adão. Convenceram-se, então, não haver Pecado do lado de cá do equador. Por essas bandas era um vale-tudo. […]
    não sei quem é o autor deste texto !

    Este texto é antigo e não foi escrito por mim, não sabia eu que a Igreja naquela época condenava a nudez como um pecado e não sei se condena agora. Porém, o que eu sei, é que uma narração histórica original é verdadeira mesmo que seja a opinião pessoal do narrador, segundo ele, que foi uma testemunha deste evento, disse que estes indígenas participaram com toda a reverência da Santa missa naquele dia e que portanto não ofereceriam nenhuma resistência à conversão como havia ocorrido no México.

    E assim começou a nossa história do Brasil, agora ouço com assombro uma condenação à minha pessoa por ter repetido a frase que consta neste verso acima, me assombro porque a Igreja jamais discriminou estes indígenas e sim os acolheu e catequizou com todo carinho e amor, nehum Jesuíta ofereceu resitência em dar comunhão à um Indigena, porém vejo com espanto que alguns de nossos amigos preferiam mesmo é executá-los todos pelo simples fato de estarem nus no Paraíso que era o Brasil daquele tempo.

    Se existiu algum pecado aqui naquela época, realmente creio que chegou dentro do Navio de Cabral em 1500, bem se sabe a fixa corrida de alguns daqueles marginais que navegavam nos Navios de Portugal.

    Que queixa Deus teria de tais criaturas pagãs, não eram pagãos também Adão e Eva quando foram criados e também não estavam totalmente nus no Paraíso ?

    PAZ E BEM A TODOS

  46. Resposta ao
    Márcio
    setembro 1st, 2009 at 18:43

    Aquele Bispo que julgou a heroína Francesa e a condenou à fogueira, agiu sozinho sob pretexto político e não em nome de Deus.

    Nem mesmo o Papa da época soube do acontecimento, só soube o que aconteceu depois que nada mais podia fazer por ela, sendo assim só restou à Igreja assumir que realmente ela era uma Santa que doou a sua vida por amor a um monte de traidores, tando do povo Francés como da Verdeira Igreja Católica Reinante em Roma.

    Por acaso aquele Bispo agindo sem o consentimento Papal, poderia ser considerado como Igreja verdadeira ?

    De qual lado você está ?

    Do Papa ? Ou do desobediente Bispo Inglés que matou Joana d’Arc ?

    Não precisa nem responder, já sabemos que preferes a desovbediência de Dom Marcel Lefebvre e agir conforme a sua conciência matando pessoas inoscentes como muitos morreram na idade média, sem que a Verdadeira Igreja tomasse nem conhecimento.

    Sou contra a Inquisição sim, e quem não seria contra ela,
    e daí ? ser contra a Inquisição é pecado agora ?
    Pelo que eu saiba a Igreja Reinate hoje já aboliu a muito tempo e é por isso que eu digo “VIVA O VATICANO II”, SEM INQUISIÇÃO.

    És por acaso a favor da volta da Santa Inquisição para matar os hereges, entre eles o Padre Fábio de Melo ?

    PODEM ME APEDREJAR POR DEFENDER O FIM DA INQUISIÇÃO NA IGREJA !

    É POR ESTE MOTIVO QUE SOU CONTRA ORLANDO FEDELI, PORQUE ELE DEFENDE A VOLTA DA INQUISIÇÃO E DA FOGUEIRA PARA QUEIMAR ATÉ MESMO OS PAPAS QUE APROVARAM O VATICANO II ENTRE ELES ESTÁ BENTO XVI.

    “VIVA BENTO XVI”

    Paz e bem.

    Ps. não devo o menor respeito a assassinos que agem se escondendo debaixo de uma batina de Bispo.

    é Pseudo-católico sim, este Bispo Inglés era uma fraude, nunca foi Católico de verdade e sim somente um usurpador de Título honorífico.

  47. Sizenando, se você diz que não é maçon, não terá dificuldade em escrever um artigo em seu blog contra essa seita diabólica!

  48. Sr. Sizenando,

    Primeiramente, o sedevacantismo, é uma hipótese teológica que se desdobra em milhares de teses (Como a sua, demonstrada anteriormente). O próprio comportamento das Conferências Episcopais, é uma espécie de sedevacantismo relativista. Contudo, por ser uma hipótese teológica, é uma questão aberta, que somente o Magistério da Igreja, pode fechar. Assim, para a pessoa se tornar um sedevacantista e conseqüentemente se separar da Igreja, ela precisa dar assentimento de fé, com a inteligência e com a vontade, a esta hipótese. O que não é o meu caso, e nem o caso de Dom Lefebvre.

    Em segundo lugar, você não sabe o que é sedevacantismo, então não tem o direito de acusar a quem quer que seja, sem levantar FALSO TESTEMUNHO. O Prof. Orlando Fedeli, pelo que é de meu conhecimento, não tolera o sedevacantismo, e um dos melhores trabalhos contra o sedevacantismo, escrito pelo Padre Ceriani (FSSPX), encontra-se no site da Montfort. Você não julga com justiça e retidão. Os textos de Lutero, sobre Nossa Senhora, não são afetados pelas suas heresias. Portanto, dizer que no site da Montfort existem textos de sedevacantistas, por si só, é insuficiente para os impugnar. Tertuliano de Cartago, escreveu ótimas páginas apologéticas, antes de cair na heresia montanista. E no blog Cruzados de Maria, não existe nenhuma sustentação para a tese do sedevacantismo enquanto tal, mas não sabemos o que você entende por sedevacantismo, como não sabemos o que entende de primado petrino.

    Em terceiro lugar, no que diz respeito ao artigo de Dom Lefebvre, todas as suas argumentações, foram refutadas. Se seguirmos a sua linha de raciocínio, então devemos considerar que um São Roberto Berlarmino, um Santo Tomas de Aquino, um Suárez e o próprio São Paulo, são sedevacantistas e incitadores a desobediência. Isto é algo que ultrapassa a esfera do absurdo. O texto de Dom Lefebvre, tem embasamento nos doutores da Igreja e em exemplos, mas você baseia as suas acusações em um juízo Ex Nihilo.

    Em quarto lugar, existem sedevacantistas muito antes de Dom Lefebvre. Se o fruto da carta é o sedevacantismo, então realmente consideras os exemplos que ele evoca, como frutos de sedevacantismo. Repito: isto é um absurdo!
    Em quinto lugar, pelo simples fato de exaltar a pessoa de Dom Lefebvre, não induzo de forma alguma, a prática sedevacantista. A excomunhão se deu por motivos disciplinares, não por motivos doutrinários. A Tese Muray, aprovada pela Universidade do Papa, demonstra que são nulas. Para ver o absurdo de sua argumentação, basta-se aplicá-la a Santo Atanásio…

    Em sexto lugar, não usei as minhas palavras para demonstrar o dever de se desobedecer e se corrigir o Papa, caso nele se encontre algum erro. Recorri a São Roberto Belarmino, Santo Tomás de Aquino, São Paulo e Suarez (E você a quem tem recorrido, senão a sua própria consciência?). Portanto, não sou eu quem induzo a simples leigos, o direito e o dever de corrigir as autoridades. O próprio São Paulo dirigindo-se aos leigos Gálatas, diz:

    Mas, ainda que alguém – nós ou um anjo baixado do céu – vos anunciasse um evangelho diferente do que vos temos anunciado, que ele seja anátema. Gl 1,8

    O que você defende no que tange a autoridade, é um domínio absoluto desta sobre os leigos, algo que nem mesmo São Pedro ensino:

    2. Velai sobre o rebanho de Deus, que vos é confiado. Tende cuidado dele, não constrangidos, mas espontaneamente; não por amor de interesse sórdido, mas com dedicação;
    3. não como dominadores absolutos sobre as comunidades que vos são confiadas, mas como modelos do vosso rebanho. 1 Pd 5, 2-3
    Quanto a aplicabilidade concreta destes ensinamentos, pode ter certeza que Deus não o chamará para tal tarefa, sem que antes corrigi-lo dos muitos erros presentes em suas defesas carentes da verdade.

    Em sétimo lugar, o Padre João Batista, é meu amigo, duvido que o tenha corrigido em alguma coisa. O texto ao qual você se refere, não proíbe ninguém de ler a Bíblia. A crítica que ele faz no artigo, esta profundamente embasada na verdade, e “Quando alguém diz a verdade, não importa com quem disputa: não pode ser vencido.”

    Todo liberal age conforme a sua consciência, pois a única coisa que tem, são suas próprias idéias. Considerando-se assim, ele não pode sequer imaginar o direito ou o dever de corrigir qualquer autoridade que seja, muito menos, as autoridades da Igreja. Porque também as autoridades devem agir conforme a sua consciência, mas para que autoridade se é, a consciência a máxima autoridade? O seguimento da própria consciência, não é garantia de se estar certo…

    Nunca disse que os Dons do Espírito Santo são protestantes. Contudo, os Dons do Espírito Santo que conheço, são:
    O DOM DO TEMOR;
    O DOM DA PIEDADE;
    O DOM DE CIÊNCIA;
    O DOM DE CONSELHO
    O DOM DA FORÇA;
    O DOM DE INTELIGÊNCIA;
    O DOM DE SABEDORIA

    É o que ensinam Santo Tomás, Dom Prosper Gueranger e a própria
    Igreja.

    Max Weber, dizia que a Igreja Medieval era, misericordiosa com os pecadores, e implacável com os hereges. Lê-se nos Evangelhos, que Cristo, exerceria um governo na terra, com cetro de ferro. Isto ocorreu na Idade Média, todas as divergências cessam diante da legítima autoridade. Contudo, na época da crise ariana, vimos o Império Ariano, tentando controlar a Igreja com mão de ferro, contudo, não triunfou o arianismo. Os Santos, em si mesmos, são milagres e também garantiram a perenidade da Igreja Católica. Dizer que hoje mantém-se a unidade do “grupo”, pelo amor, utilizando do exemplo de Judas Iscariotes, é de um afetamento, sem precedentes. Judas era, um lobo em pele de cordeiro, ele não era um cão, e não era um porco. Os lobos devem ser separados do rebanho por se constituírem em uma ameaça as ovelhas. Não era o caso de Judas, ele não ameaçou o rebanho, ameaçou o Pastor.

    Quanto a João Paulo II, o atentado que ele sofreu, foi pessoal, não foi algo doutrinário. Não existe isto de se perdoar alguém por questões doutrinárias, pois são as doutrinas quem definem o que somos. É dever de algum homem, perdoar um ateu, por ser ateu? Ao debater-se doutrinas, não se debatem as pessoas que as defendem.

    Deparo me novamente com a falsidade, quando leio você dizendo que um tradicionalista, jamais conversará com um inimigo da Igreja. Os Luteranos de Riga, através do Bispo Luterano desta cidade, assistiram a retiros pregados pela FSSPX, e dão testemunho da REZANDO O TERÇO e dizendo:

    “‹‹ Encontrei a Imaculada! ››
    Surpreso, o pastor aceitou o rosário e o princípio de rezar desse modo. O retiro passou-se muito bem, e terminou com belos frutos de aproximação de vários desses pastores com a doutrina tradicional da Igreja. Quanto ao pastor letão [i.e., da Letônia] do qual acabo de falar, exclamou na frente de todos, no fim do retiro: ‹‹ Encontrei a minha Mãe! Encontrei a Imaculada! Uma das maiores graças da minha vida! ››. ‹‹ Bom, disse-me a mim mesmo, ó Imaculada, se é assim, tome-o em vossas mãos ››.”

    O arcebispo luterano da Letônia:

    ‹‹ A todos os meus pastores, ao maior número de fiéis possível, faz-se necessário levar esse retiro de Santo Inácio. Ele transforma o homem em alguns dias. Farei tudo para fazer pregar esses Exercícios apostólicos. Nada é mais necessário, como antídoto contra o mundo moderno e a perda da fé. ›› http://fratresinunum.com/2009/01/15/retiro-da-fsspx-para-pastores-protestantes-encontrei-a-imaculada/

    A notícia da qual retirei estes trechos, é deste ano, existe ainda outra passada, que diz:

    Entretanto, um deles disse: “Nós estamos à procura da Verdade, à procura de uma clarificação das imensas ambiguidades e contradições que se encontram dentro da nossa própria fé protestante”. Eles queriam aprender a doutrina autêntica da Igreja Católica Romana. Mas hoje esta doutrina só poderia ser claramente pregada pelo clero tradicionalista: “Estes [padres] não são uns bons falantes ecuménicos sem espinha, mas sim pregadores eloquentes do autêntico depósito de fé católico”, disse um dos pastores luteranos. http://vetusordo.blogspot.com/2008/05/evangelizao-vs-ecumenismo.html

    Os métodos de Jesus, são os mesmos dos tradicionalistas. No começo, eram pouquíssimos vocacionados ao sacerdócio que, pediram a Dom Lefebvre, por uma formação tradicional, hoje são mais de 600.000.Na França, quarenta dos noventa seminaristas, tem a mesma visão de Igreja da Fraternidade. Tudo isto sem ter nenhum apoio, além da Providência.

    Nas lições do Jovem Joeph, se lê:

    A Igreja da modernidade pós-bélica lhe parecia uma espécie de “Igreja dos pagãos. Não, como em outros tempos, uma Igreja de pagãos que se tornaram cristãos, mas uma Igreja de pagãos que ainda se chamam cristãos quando na verdade viraram pagãos”. Falava de um novo paganismo “que cresce sem parar no coração da Igreja e ameaça demoli-la de dentro para fora”. Tradição e liberdade: as lições do jovem Joseph – http://www.30giorni.it/br/articolo.asp?id=10320

    Será que Bento XVI, mudou de idéia? Não creio, porque para ele, importa a quantidade, tanto que já chegou a dizer que não mais existe o cristianismo enquanto fenômeno de massas e que em breve a Igreja poderia se reduzir, a um pequeno, mas seleto grupo de fiéis.

    Por hoje é o suficiente.

    Fique com Deus.

  49. Entendi. O Sizando quer entrar pelado na Igreja, ser acolhido com carinho e amor pela comunidade (nua, claro); receber a santa comunhão nu pelo padre também nu, naturalmente, e, desse modo, eis que voltamos ao Paraíso de Adão e Eva, que eram pagãos (?).
    Afinal, segundo Sizenando, Cristo foi crucificado completamente nu, e está aí a prova da sacralidade do nudismo! Mas o Sizenando, homem-nu, se esquece de dizer que o mesmo Cristo parece não ter adotado, durante a vida, esse belo costume que agora ele deseja reintroduzir nos tempos de hoje. Não tenho notícia de que Cristo andava como o Sizenando quer andar.

  50. Sizenando

    Ao

    Filipe
    setembro 1st, 2009 at 21:02

    http://www.bibliacatolica.com.br/busca/01/1/cego+e+nu

    Apocalipse 3,17)

    Pois dizes: Sou rico, faço bons negócios, de nada necessito – e não sabes que és infeliz, miserável, pobre, cego e nu.

    Quem celebrou missa Tridentina para 400 índios pelados não fui eu não, foi Frei Henrique de Coimbra, e quando ele fez isto não se incomodou com este detalhe.

    É um fato narrado na história do Brasil, de quem você quer esconder esta verdade que está escrita na carta Histórica de Pero vaz de Caminha.

    Mande suas reclamações para ele.

    Não se esqueça disso, era uma missa “TRIDENTINA” VEJA O RETRATO NA FOTO DE FREI HENRIQUE, Ele estava de costas para o povo, talves tenha sido por este detalhe que ele não tenha visto que os 400 índios Brasileiros estavam totalmente nus.

    Olhe bem, já encontrei esta foto em varios sites tradicionalistas por aí, já que o padre estava de costas, ele também não se incomodou pelo fato dos índios estarem nus na foto.

    http://educaterra.terra.com.br/voltaire/500br/missa1.htm

    Fato histórico é fato histórico, Verdade é verdade, se alguém deve ser repreendido aqui é Frei Henrique de Coimbra que celebrou aquela missa, não eu, que nem estava lá.

    Se ele celebrou a missa, foi porque não havia nenhum impedimento, ou será que havia e ele celebrou assim mesmo, só gostaria de ver como ele expulsaria aqueles índios de sua floresta nativa para satisfazer a vontade dos Tridentinos de hoje, acho que ele ficou com medo de virar espeto na brasa dos perigosos índios Brasileiros, por isso fez o que fez.

    Será que vocês seriam capazes de perdoá-lo ?

    Por mim não faz a menor diferença !

    Fique atento ao texto de Apocalipse, se você pensa que esconde seus pecados debaixo de suas roupas ou debaixo de suas atitudes de fariseu, estás muito enganado, já que Deus conhece todo o nosso ser e para Ele estamos completamente expostos.

    Este é o significado da nudez e rasgar as vestes perante Deus !

    É expor as suas verdades sem constrangimento e sem vergonha.
    Como o Rei Davi fez quando reconheceu seu pecado.

    Um fato histórico muito famoso, de um Santo bem conhecido, aliás nunca ouvi um Tridentino citando São Francisco de Assis, será que é porque ele tirou suas roupas no dentro da Igreja no meio do povo e devolveu para seu Pai, como simbolo de renuncia total à sua vida de riqueza anterior, agindo exatamente ao contrário daquele Jovem rico que Jesus cita em sua Parábola.

    http://somostodosum.ig.com.br/conteudo/conteudo.asp?id=06351

    […]A resposta foi uma renúncia total à vultosa herança: tirou, ali mesmo na Igreja, as próprias vestes, e exclamou: “… doravante não direi mais pai Bernardone, mas Pai nosso que estás no céu…” […]

    De fato sei que você não entendeu mesmo nada do que Jesus disse e nem mesmo a razão da atitude de São Francisco, porque somente existe malícia em seu coração e depois diz que sou eu que estou fazendo apologia ao nudismo.

    São Francisco fez o que fez e nunca ouvi alguém acusando de apologia ao nudismo, isto pra mim é novidade e invencionismo de Tridentino que não tem o que fazer.

    Bem podemos ver que você prefere ficar bem escondido atrás de sua máscara de Fariseu Fedelista atirando pedras em todas as pessoas que não rezam na sua cartilha Lefebvrista.

    Basta fazer uma acusação sem fundamento e pronto.

    Não sei se voces tridentinos perceberam, mas somente vocês estão lendo este Post !

    Não estão fazendo espetáculo para ninguém.
    Estão perdendo o seu tempo !

    .

  51. Sizenando

    Caro

    Renato
    setembro 1st, 2009 at 20:24

    Não pedistes ainda as provas, pelo menos um retratinho meu que comprove a denuncia, o Frederico tentou tirar leite de pedra e não conseguiu, sabe porque ?

    Porque pedra não tem leite, não adinta espremer!

    Será um prazer colocar seu texto, desde que você o leia e mande seus amigos conferirem o texto, caso contrário será inútil.

    A poucos dias recebi um desafio como esse e eu bloquei uma carta de um Papa indicando a leitura de uma tal de Columba Marmion.

    Já tem seis meses, sabe quantas pessoas entraram neste post? somente 6 pessoas até hoje.

    Mande-me o texto em comentário lá no meu Blog e eu dou um jeito de editá-lo o mais breve possível.

    MAS QUERO TAMBÉM ALGO EM TROCA DESTE FAVOR, QUERO COLOCAR UM TEXTO SOBRE BATISMO NO ESPÍRITO SANTO NO SEU BLOG, SE VOCÊ NÃO TIVER BLOG ME ARRANJE UM BOM BLOG TRADICIONALISTA DE BOA AUDIÊNCIA QUE SE DISPONHA A RECEBER O MEU POS’T. E ESPERO QUE NÃO SEJA RIDICULARIZADO OU MODIFICADO EM NENHUMA LINHA, PROMETO QUE NÃO VOU OFENDER NENHUM TRADICIONALISTA EM MEU TEXTO.

    TOPAS A TROCA ? queres correr este risco ?

    Eu Não tinha nada a perder mesmo, porque já postei um texto semelhante e o vídeo da palestra Senhorio de Jesus, vá lá E assista o video inteiro e confirme por si mesmo o que nós falamos a respeito de quem é o nosso Senhor e que temos que renunciar a todas as seitas humanas, secretas ou não.

    NÃO PERCO NADA, MAS É BOM SEMPRE GANHAR ALGUMA COISA, NÃO ACHA ?

    Aguardo sua resposta, mande um comentário para mim lá no Blog.

  52. Sizenando, o Sr. é um péssimo defensor da fé católica.

    “Parabens, por voce ser a favor do assassinato de pessoas inoscentes, nas fogueiras que só matavam os inimigos dos senhores e doutores fariseus da Igreja Pseudo-Católica que existia na Idade média.”

    É vergonhoso uma citação dessa surgir de uma pessoa que se diz católica.

    Sugiro-lhe um estudo básico sobre o que é inquisição.

    Talvez um bom livro de apologética faça com que o Sr. abandone as fábulas que o sr. aprendeu nos livrinhos de história de 2° grau.

    Uma pessoa que debocha e escarnece assim da Igreja “pseudo-católica” do 2° grau não tem autoridade nenhuma para argumentar… Nem sei como as pessoas perdem tempo argumentando com o Sr. Talvez pelo repúdio que suas falácias e seus sofismas provoquem.

    O Sr. sabe o que foi a Santa Inquisição?

    O Sr. sabe quais heresias a Santa Inquisição combateu?

    O Sr. sabe quantas pessoas realmente foram mortas por esse tribunal?

    O Sr. tem conhecimento de que muitos inquisidores foram elevados a santos por essa igreja pseudo-católica a que o sr. se refere?

    Sugiro-lhe, para seu próprio bem, não responder a essas perguntas, porque ficaria evidenciado a sua ignorância a respeito da Igreja Católica.

  53. Sizenando

    Caro
    Gederson
    setembro 1st, 2009 at 20:25
    Boa noite…
    Mas, ainda que alguém – nós ou um anjo baixado do céu – vos anunciasse um evangelho diferente do que vos temos anunciado, que ele seja anátema. Gl 1,8
    Eu poderia usar este mesmo texto Bíblico para colocar em xeque todos os ensinamentos do Sr Fedeli, já que ele se encaixa no sujeito oculto da frase acima, ou você me diria que não poderia substituir a palavra “alguém” que é o sujeito oculto pelo nome de seu Mestre.
    Mas, ainda que Fedeli – nós ou um anjo baixado do céu – vos anunciasse um evangelho diferente do que vos temos anunciado, que ele seja anátema. Gl 1,8
    E vocês insistem em colocar no lugar deste sujeito oculto somente o nome de um Papa como João Paulo II ou um Bispo como Dom Taveira, jamais colocariam aí o nome de Dom Marcel Lefebvre.
    Não entendo suas afirmações exclusivistas !!!!
    Tudo bem se não consideras a carta de Padre João Batista como uma proibição para não ler a Bíblia então que ele escreva uma favorável e demonstrando todos os benefícios que poderíamos adquirir lendo a palavra de Deus.
    Indique a leitura Bíblica assim como o Papa faz.
    Dons do Espírito Santo:
    Enfim chegaste aonde eu queria:
    Sobre o que São Paulo fala no texto abaixo ?
    http://www.bibliacatolica.com.br/01/53/12.php
    I Coríntios, 12
    1. A respeito dos dons espirituais, irmãos, não quero que vivais na ignorância.
    2. Sabeis que, quando éreis pagãos, vos deixáveis levar, conforme vossas tendências, aos ídolos mudos.
    3. Por isso, eu vos declaro: ninguém, falando sob a ação divina, pode dizer: Jesus seja maldito e ninguém pode dizer: Jesus é o Senhor, senão sob a ação do Espírito Santo.
    4. Há diversidade de dons, mas um só Espírito.
    5. Os ministérios são diversos, mas um só é o Senhor.
    6. Há também diversas operações, mas é o mesmo Deus que opera tudo em todos.
    7. A cada um é dada a manifestação do Espírito para proveito comum.
    8. A um é dada pelo Espírito uma palavra de sabedoria; a outro, uma palavra de ciência, por esse mesmo Espírito;

    9. a outro, a fé, pelo mesmo Espírito; a outro, a graça de curar as doenças, no mesmo Espírito;
    10. a outro, o dom de milagres; a outro, a profecia; a outro, o discernimento dos espíritos; a outro, a variedade de línguas; a outro, por fim, a interpretação das línguas.
    11. Mas um e o mesmo Espírito distribui todos estes dons, repartindo a cada um como lhe apraz.

    Deparo me novamente com a falsidade, quando leio você dizendo que um tradicionalista, jamais conversará com um inimigo da Igreja.
    Não sou eu que digo isto, está escrito aqui neste post, veja o comentário:
    Pedro
    agosto 30th, 2009 at 18:52
    Veja o que está escrito:
    […]Nós rejeitamos qualquer encontro com quem é declaradamente inimigos da igreja e nos preocupamos em primeiro lugar com a vida espiritual… […]
    No final da relação:
    […]você nunca verá isso ocorrer com um tradicionalista…[…]
    Nunca ouvi um tradicionalista se referindo a qualquer protestante como amigo, ou irmão afastado, ou filho pródigo, mas sempre como inimigo e por isso o ecumenismo não pode existir !
    Logo para vocês todos os protestantes cabem dentro desta descrição generalizada.
    Mas se você diz que não, é uma novidade para mim, acaso és do IBP ?
    Estou por dentro desses textos que você colocou aqui, mas mesmo citando o andamento da união total em processo alguns tradicionalistas esconjuram esta idéia !
    600.000.Na França,
    Ainda ontem fui criticado a respeito destes números Franceses, já que são 600.000 ou apenas 40 seminaristas tradicionais ? Não entendi ?
    Sabes que a França não anda muito bem a participação nas Missas, o Papa inclusive está muito preocupado, muitos Bispos de lá estão buscando soluções aqui no Brasil, o que você me diz sobre isto .

    Nas lições do Jovem Joeph, se lê:
    A Igreja da modernidade pós-bélica lhe parecia uma espécie de “Igreja dos pagãos. Não, como em outros tempos, uma Igreja de pagãos que se tornaram cristãos, mas uma Igreja de pagãos que ainda se chamam cristãos quando na verdade viraram pagãos”. Falava de um novo paganismo “que cresce sem parar no coração da Igreja e ameaça demoli-la de dentro para fora”. Tradição e liberdade: as lições do jovem Joseph – http://www.30giorni.it/br/articolo.asp?id=10320
    Será que Bento XVI, mudou de idéia? Não creio, porque para ele, importa a quantidade, tanto que já chegou a dizer que não mais existe o cristianismo enquanto fenômeno de massas e que em breve a Igreja poderia se reduzir, a um pequeno, mas seleto grupo de fiéis.
    Meu caro, estes acontecimentos não são novidades para ninguém, mas o problema é que resumiram o ataque em cima do vaticano II e acham que a solução é somente a destruição do mesmo, quando eu era criança quase não existiam missas em minha cidade, quando fiquei jovem e comecei a participar do grupo de jovens, conheci pessoas totalmente sem conhecimento espiritual e não havia onde buscar este conhecimento, não existia pessoas que ensinassem ou Padres que se dedicassem ao ensino da doutrina além de missas raras uma vez por semana.
    Vi os movimentos leigos crescendo e ensinando o evangelho, nós na RCC trabalhamos arduamente para ensinar e doutrinar o povo, preparando-os para a liderança em benefício da Igreja e não de nosso próprio benefício, hoje somos acusados de destruir a Igreja que eu vi se erguendo e crescendo pouco a pouco com ou sem RCC e vejo um total desmerecimento de nós leigos que estamos trabalhando nesta Igreja e a construindo nas Pastorais.
    Os tradicionalistas entre eles Fedeli, são contra os movimentos, os Ministros da Eucaristia e a RCC que mais evangeliza é tratada com inveja, ciúme e difamação.
    Não defendo apenas a RCC, porque os outros movimentos são atacados da mesma forma que a RCC é.
    Independentemente de Dons Carismáticos, somos pessoas que trabalham pela Igreja e em defesa de nossa doutrina, mas não vejo nenhum reconhecimento de vossa parte e sim apenas ataques sem sentido.
    Gostaria de ver nosso trabalho reconhecido, porque a Igreja que conheço hoje é mil vezes melhor do que a Igreja que conheci quando comecei a participar dela e ouço vocês dizendo que a Igreja está cada vez pior, para mim os Católicos em geral nunca sabiam nada de Igreja e nem se interessavam por assuntos de Igreja, agora já são muitos os que se interessam e buscam a Deus, mesmo que seja nos diversos movimentos sem uma boa espiritualidade.
    Fizemos um curso de Doutrina Católica a 20 anos atrás e compareceram umas 30 pessoas, fizemos o mesmo curso a semana passada e haviam mais de 400 pessoas, isto não é um avanço ? pelo menos as pessoas que a RCC está alcançando vemos este avanço, mas nosso avanço para os tradicionalistas é puro prejuízo já que somos considerados como protestantes que ensinam doutrina Católica para os Católicos.
    Este sim é um diálogo sério.
    Boa noite.
    Paz de Jesus

  54. Correção. Aonde se lê:

    “Uma pessoa que debocha e escarnece assim da Igreja “pseudo-católica” do 2° grau…”

    o que eu quis dizer é Igreja “pseudo-católica” da idade médiia.

  55. Sizenando é um sofista inveterado.
    Depois de querer defender o nudismo argumentando que Cristo foi crucificado nu (?) – sem no entanto atinar que, se o nudismo fosse essa virtude que ele alardeia, Cristo teria evangelizado as turbas também nu, agora ele se apega à missa “tridentina” do Frei Henrique para defender o nudismo absolutamente.

    Ora, Sizenando, não vou reclamar com o Frei Henrique, como você sugere, pois seria absurdo exigir dele que vestisse 400 índios. Estou reclamando com você mesmo, que quer tirar-nos a roupa com sua teoria maluca do nudismo-sem-pecado-original.

    Não preciso esconder fato histórico nenhum, mas você deseja distorcê-lo. Frei Henrique nem podia imaginar que, mais de quinhentos anos depois, haveria um Sizenando pugnando pela missa-dos-pelados, por causa de 400 indígenas nus…

    Sizenando conjetura: “se o pecado não tivesse entrado no mundo estaríamos todos nus, qual é o problema?” Maravilhado, ele olha para esses puros e imaculados representantes do gênero humano, os homens nus, e suspira: “Ah, se voltássemos àqueles tempos paradisíacos, sem o maldito pecado original, que cobre de malícia os olhos desses fariseus! Ah, Adão, ah! Eva, não fossem vocês, estaríamos todos peladões e felizes!”

    Se São Francisco tirou suas vestes no templo, pouco importa; a verdade é que ele depois se vestiu, ainda que com vestes mais simples. Esse é mais um exemplo tolo que você dá, para justificar o nudismo.

    Por fim:
    “Fique atento ao texto de Apocalipse, se você pensa que esconde seus pecados debaixo de suas roupas ou debaixo de suas atitudes de fariseu, estás muito enganado, já que Deus conhece todo o nosso ser e para Ele estamos completamente expostos.”

    – Parece que não só Deus conhece, mas também Sizenando, que tão rápido me tachou de fariseu.

    “De fato sei que você não entendeu mesmo nada do que Jesus disse e nem mesmo a razão da atitude de São Francisco, porque somente existe malícia em seu coração”

    – ele (minúsculo porque é Sizenando, não Deus) também perscruta o meu coração, minha inteligência. Quanta presunção!

    Por ser tão do seu gosto semear a cizânia, quadra-lhe melhor o nome Cizaniando. Assim separamos o joio do trigo, à primeira vista. É um presente para você.

  56. Sizenando, para se combater inimigos (maçonaria, Teologia da Libertação,… o modernismo) da Santa Igreja Católica, não precisa fazer esse estranho desafio que você faz!

    Se você realmente não é maçon, não vai te custar nada colocar vários artigos sobre esta seita diabólica que sempre trama em destruir a Santa Igreja Católica Apostólica Romana.

    Não possuo blog e nem sitio.

    Mas se voc~e está tão interessado em duvulgar o ”batismo no Espirito Santo”, coloque aqui mesmo no blog do Pe. João. Não só eu mais muitos outros como o Gederson e Pedro Pelogia, gostariamos muito de ler as suas, e de muitos da RCC, loucuras.

  57. Pedro Pelogia

    Sr. Sergio

    Eu não me arrependi de absolutamente nada do que disse aqui. Talvez eu me arrependa pela minha FORMA de falar, mas não DO QUE falei.

    O sr. fala do que não sabe: eu não faço uso de prática nenhuma de “movimentos” da Igreja, pois não participo de qualquer movimento “eclesial”, nem sequer sou associado da Associação Cultural Montfort, muito embora a admire e a leia assiduamente.

    A tática protestante da REPETIÇÃO DE ARGUMENTOS, mil vezes refutados pela Verdade, ou mesmo pela simples exposição dos fatos, leva o adversário ao cansaço. É uma tática eficaz às vezes, e com o sr. não está sendo diferente. Um exemplo clássico disso é a questão da “adoração das imagens”: enquanto houver um protestante na terra, este acusará a Igreja Católica de adorar imagens em atitude pagã, não obstante essa balela ridícula ter sido desmentida e rebatida “ad nauseam”.

    A tática protestante de “não querer entender”, popularmente conhecida aqui na minha terra como a jogada de “joão-sem-braço” (nada pessoal, padre), visa acabar com a energia e o ânimo do adversário e causar-lhe fadiga e desânimo. O adversário consumido pelo tédio de ter que disparar a mesma munição fica indeciso entre fazê-lo ou ir embora dormir ouvindo o grito de vitória do seu “genial” e “imbatível” opositor…

    Depois de rebater a acusação feita pelo sr., de que a Montfort seria uma espécie de seita, o sr. NÃO treplica um contra-argumento, mas retorna à boca da cena com a mesma fala, chutando cachorro morto na esperança de ouvi-lo latir. O professor Fedeli chama os debatedores de sua categoria de “buscapé fingindo-se de canhão”.

    Aviso-lhe que vosso enunciado científico-dogmático de que “a Montfort é uma seita” já foi refutado acima, prezado sr. Se o sr. vem comprar no meu armazém e quer pagar com Cruzeiros jurando-me que essa moeda ainda vale, eu não sou obrigado a vender-lhe a compra.

    Enquanto o sr. caminhar neste mundo, Deus lhe confere o livre-arbítrio para pensar e agir como melhor lhe aprouver. E a mim também. Portanto se um protestante diz que eu adoro imagens, isso só é verdade na cabeça dele; se o sr. me diz que a Montfort é uma seita, e eu, seu sectário, isso só é verdade dentro da cabeça do sr. O que posso eu fazer contra isso? Argumentar, tão somente. Caso meus argumentos não surtam efeito, o que farei? Deixá-lo desfrutar do livre-arbítrio que Deus lhe dá enquanto o sr. andar na terra, e rezar para que consiga alcançar a verdade sem minhas cansadas investidas no escudo protestante da teimosia.

    O sr. afirma e jura que a Montfort é uma seita. Isso em nada me abala, porque já demonstrei que isso não é verdade. Se o sr. afirmar que o Planeta Terra é quadrado, sua declaração em nada mudará minha vida de habitante do planeta esférico.

    Enquanto o modernismo assolar a Igreja, sempre haverá um modernista chamando um defensor da Tradição de CISMÁTICO. Semelhanças com protestantes?

    Além da tática protestante da repetição de mentiras insustentáveis, o sr. se esquiva de argumentos que não pode rebater. Havia dito o sr. que a Montfort se usa DOS MESMOS MEIOS que a Canção Nova para arrecadar, mas o sr. ainda não me ensinou a sintonizar a TV MONFORT (será que está no pacote de assinatura da SKY?), a Rádio Montfort, as lojas Montfort de “evangelização”, e nem me indicou quando será o próximo “acampamentão” que o prof. Fedeli irá embarracar assando marshmallows…

    Um exemplo prático do que eu estou dizendo é uma humilde senhora católica que é minha tia, que há nove anos é sócia-contribuinte da Canção Nova. E por quê? Porque ela VIU NA TV. Difícilmente ela se tornará contribuinte do site da Montfort, pois infelizmente a Montfort não dispõe de um meio de comunicação massivo e extremamente caro que é um canal de televisão.

    Ah…
    O “Reconhecimento Pontifício” à Canção Nova é um dos grandes mistérios do mundo moderno…
    http://igrejauna.blogspot.com/2008/11/cano-nova-foi-reconhecida.html

    Será que a Canção Nova que o Santo Padre Bento XVI “reconheceu pontificalmente” é a mesma Canção Nova que nós dois conhecemos? Aquela das Missas dançantes? Das “línguas dos anjos”? Dos shows sagrados? E justo com o Papa Bento XVI, que nunca foi fã desse “jeito de ser igreja”?

    O Romano Pontífice LEU um Estatuto de Aprovação elaborado pela mesma Canção Nova, e a aprovou! Mas o que está escrito nos Estatutos?…

    Onde estão os Estatutos de Aprovação, sr. Sergio? Quero ler o que o Papa leu. Quem sabe eu também não acabe “reconhecendo” a Canção Nova?

    O padre Marcelo Rossi também tem uma foto enorme do Papa Bento XVI atrás do “altar” do exótico Santuário do Terço Bizantino. No entanto o Papa reprova acerbamente o “estilo” litúrgico irreverente, profano, dançante e anti-tradicional que se realiza ali.

    A Montfort é submissa ao Papa, pois o Papa é o Chefe visível da Igreja e INFALÍVEL em doutrina e moral católicas, DESDE QUE ele se matenha na retidão da mesma doutrina e da mesma moral católicas. Se o Papa de uma hora para outra começar a falar ou agir contráriamente a fé, nós NÃO o seguiremos como cachorros que seguem o dono abanando o rabinho. Deus nos fez à sua imagem e semelhança e nos dotou de CONSCIÊNCIA. Obediência e submissão ao Sucessor do Apóstolo Pedro não é obediência cega nem servilidade animal. Se o Papa decretar em encíclica ou bula que eu devo pular na frente de um trem, além de desobedecê-lo, irei contestá-lo doutrinalmente: o SUICÍDIO não é permitido pela fé católica de sempre, Santidade!

    Talvez o único dilema “papal” do professor Fedeli (e de todos nós, católicos) é de quando o Papa reza em mesquitas e sinagogas (o atual muito mais raramente que seu antecessor). Isto enche os defensores da Tradição de perplexidade e dor. Já os modernistas não sentem dor nenhuma: estão na UTI da fé.

    Não fiquei sem saída não, seu Sergio. O sr. me mostrou a saída! Não disputo queda de braço com um idoso de 95 anos de idade e nem com uma criança anêmica de de 7. Querer debater com o sr. é uma covardia e uma deslealdade de minha parte. Se eu quiser ouvir falas repetidas, tenho um papagaio de estimação na chácara!

    Pax et Bonum!
    Pedro Pelogia.

  58. Pedro Pelogia

    Caro Sizenando, salve Maria!

    O meu irmão Renato faz uma grave acusação contra você. Você é maçom? Acho difícil ser verdade, pois maçons costumam expressar-se com coerência e moderação e, os maçons travestidos de católicos procuram ao máximo disfarçar sua procedência maçônica.

    Seu lindo discurso repudiando os “arcabouços do farisaísmo” que são a estrutura material e intelectual da Igreja, e superexaltando os sentimentos românticos dos “homens-igrejas” em direção a um “deus” amor-de-novela está tão coberto de heresia anárquica, que o próprio Thomas Münzer assinaria embaixo. Somente o “amor e o coração” interessam a “Deus”, o resto é um “auxílio passageiro”… vai ver é por isso que os carismáticos celebram a Santa Missa de forma tão esdrúxula…

    Não temos o direito de atirar a primeira pedra em ninguém, e muito menos de atirar pedras na FÉ instituída por Jesus Cristo, eterna e IMUTÁVEL, tentando deformá-la a pedradas de modernismo e relativismo.

    Oh! Eu venho declarando meus padrões de santidade em cada post meu! Não vê como os termino? Assinado: Sanctii Petrii Pelogii, orando pro vobis in coelum!

    A Igreja nunca pecou e nunca pecará, Sizenando: ela é o Corpo Místico de Cristo, e Cristo não tem um “corpo pecador”. Os que pecam são os HOMENS DE DENTRO DA IGREJA. Não era a Igreja que pecava no corpo libidinoso bisexual do Papa João XII (958-964), era o homem; não era a Igreja que pecava na devassidão da corte do Papa Alexandre VI (1498-1502), eram homens e mulheres, não a Igreja, o Corpo Místico de Cristo. Não é a Igreja quem abusa sexualmente de menores, mas alguns homens pervertidos que um dia receberam o Sacramento da Ordem, homens cujo número a mídia aumenta generosamente.

    Logo, são absurdamente heréticas e anticatólicas musiquinhas que cantam mais ou menos o seguinte: “Eu sou igreja, tu és igreja, somos igreja…” Ora, EU, TU e NÓS somos PECADORES, e a Igreja não é pecadora, pois é o Corpo Místico de Cristo!

    A Igreja, por ser o Corpo Místico de Jesus Cristo, É Santa e Imaculada, Sizenando!

    Pela milhonésima vez: o Papa é infalível em doutrina e moral católicas, com a CONDIÇÃO de manter essas premissas. Do contrário, ele é tão falível quanto você ou eu. Você crê que a infalibilidade papal seja uma espécie de “clarividência” ou “oráculo”, e esta é a pedra de tropeço para os modernistas que apontam o carimbo papal sobre o texto do Concílio Vaticano II, que legitimou, oficializou e “infalibilizou” tudo o que é ANTICATÓLICO e anticristão.

    Essa sua visão de que tudo o que sai da boca do Papa é dogma não é católica: é uma visão budista. O Papa seria um “guru” ou um “lamma” proferidor de oráculos…

    Não tem cabimento você comparar Lutero com dom Lefèbvre: um é o exato oposto do outro. Lutero morreu tentando arrastar toda a Igreja para a perdição; dom Lefebvre morreu tentando puxar DE VOLTA a Igreja ao lugar de onde jamais deveria ter saído. Dom Lefebvre teve que quebrar o vidro e arrancar o machado de emergência, isto é, acionar os Santos Padres que afirmaram que um Papa deve ser contestado quando abandona a fé católica.

    O que custa aos modernistas rejeitar o Concílio Vaticano II, assim como a Igreja rejeitou a heresia do ICONOCLASMO, que durou 80 anos no Oriente, plenamente apoiada pela hierarquia eclesiástica?

    Você não é de todo incoerente: você, padre Joãozinho, CN, etc são VÍTIMAS do “sistema teológico vigente” – costumo chamar assim o CV II, pois o mesmo concílio nos mostrou que A FÉ PODE MUDAR, embora o próprio Cristo tenha dito o contrário, que “passarão [modificar-se-ão] os céus e a terra, mas minha Palavra [doutrina] não passará [não se modificará]”

    Não tem do que me pedir perdão: sou um miserável pecador. Tem que pedir perdão a Deus por desferir ofensas à Igreja Dele, fazendo parte de um movimento ímpio que ofende o Espírito Dele.

    Nada do que lhe expus, de maneira muito simplória, é opinião “minha”: tudo é doutrina da Igreja ensinada ao longo dos séculos, que de 4 décadas pra cá ficou um pouco ofuscada aos mais desavisados.

    É Jesus mesmo quem nos conta a parábola de que quando Ele, o Esposo, vier, não encontrará todas as 20 virgens esperando: 10 estarão prudentemente preparadas, e 10 estarão desavisadas, numa tranquila atitude de que tudo “está normal e anda muito bem”.

    Paz e Bem!
    Pedro Pelogia.

  59. Sizenando, leia este artigo:

    Terça-feira, 1 de Setembro de 2009
    Nosso papel e divisão de águas
    Carlos Nougué
    Qual a posição e o papel do leigo no Magistério da Igreja? Para sabê-lo, é preciso verificar como o próprio magistério infalível o estruturou, segundo, naturalmente, o modo como Cristo mesmo fundou sua Igreja.

    Temos, assim, a seguinte divisão do Magistério geral da Igreja (cf. Padre Álvaro Calderón, A Candeia Debaixo do Alqueire, p. 54):

    I) Órgãos autênticos:
    1) O Papa, como suprema autoridade apostólica;
    2) Os bispos, em comunhão com o Papa, e enquanto mestres ex officio da
    verdade evangélica.
    II) Órgãos subsidiários:
    1) Papais: congregações romanas, comissões pontifícias, etc.;
    2) Episcopais: padres párocos, comissões diocesanas, etc.
    III) É a seguinte a divisão desses órgãos em ordem aos atos:
    III1) Dos órgãos autênticos:
    1a) O Papa sozinho;
    1b) O Papa e os bispos em concílio;
    2a) Os bispos dispersos em comunhão com o Papa;
    2b) Os bispos sozinhos.
    III2) Dos órgãos subsidiários:
    1a) Teólogos, especialistas em ciências eclesiásticas;
    1b) Catequistas;
    2a) Chefes de família;
    2b) Simples fiéis, sobretudo enquanto especialistas em diversas ciências.

    Fica pois patente a subordinação e ordenação dos órgãos subsidiários e de seus atos aos órgãos autênticos e seus atos, e dos chefes de família e simples fiéis ao conjunto do corpo eclesiástico. Isso pelo ângulo da estrutura mesma da Igreja.

    Do ângulo da autoridade doutrinal, vejamos sua hierarquização com respeito às ciências das coisas divinas:

    a) Na ciência revelada, sendo Mestre principal ou simpliciter Cristo mesmo, serão mestres auxiliares o Papa e os bispos; enquanto os diáconos e simples sacerdotes serão meros repetidores. Só aos primeiros Cristo “comunica uma luz especial pela qual participam de sua ciência divina, tornando-os capazes de interpretar e desenvolver a doutrina revelada com garantias de infalibilidade em certos casos” (P. Calderón, ibid., p. 90) — ou seja, dadas as quatro condições vaticanas, e desde que, em vez de impor sua autoridade, os Papas não a deponham como liberais em favor de um Povo de Deus considerado ao modo democrático (e supostamente dotado de um sensus fidei anterior e superior à regra do magistério). Só à modalidade não-liberal do exercício da autoridade papal se prometeu e assegura a assistência do Espírito Santo.

    b) Na ciência teológica, é Santo Tomás o mestre principal, e isso por afirmação do próprio magistério hierárquico, que o declarou Doutor Comum da Igreja. Já “um simples professor de seminário”, diz ainda o Padre Calderón, “é um repetidor que, para ser crido, deve fundar cada uma de suas afirmações em textos explícitos de Santo Tomás; participa da ciência do Angélico de maneira puramente instrumental. [O Cardeal] Caetano, em contrapartida, é um mestre auxiliar, tão compenetrado do pensamento tomista, que merece ser crido quando interpreta e prolonga sua doutrina. Este tem uma autoridade participada à maneira de causa segunda: o que move a aceitar sua doutrina é formal e principalmente a autoridade de Santo Tomás, mas secundária e como que materialmente também move sua autoridade pessoal, na medida em que seu intelecto participa do hábito teológico do Doutor Angélico”. (Estamos porém convictos de que o Padre Álvaro Calderón não é um simples professor de seminário nem, pois, um mero repetidor da doutrina de Santo Tomás, mas, como Caetano, um verdadeiro mestre auxiliar do Aquinate.)

    Pois bem, os leigos que, como Sidney e eu, são chefes de família e especialistas em certas ciências não podem julgar-se, quanto às ciências de Deus, mais que repetidores de segundo grau de Santo Tomás e de seus mestres auxiliares. Há algo mais, porém: se é um fato que já desde a revolução francesa, devido aos ataques sofridos pela Igreja por revolucionários de todas as cores, alguns leigos tiveram de participar, como repetidores de segundo grau, da linha de frente da luta contra o liberalismo e suas seqüelas (pense-se num Louis Veillot, pense-se num Jean Ousset), quanto mais tal não será uma necessidade após o Concílio Vaticano II! Com efeito, como diz ainda o Padre Calderón (ibid., 138), “a fé é o fundamento primeiro da unidade e existência mesma da Igreja, de maneira que, quando a fé está em perigo, todos os cristãos têm o grave dever de sair em sua defesa. Sendo esse um dever positivo, isto é, que não proíbe mas manda fazer algo, obriga segundo a condição das pessoas e a oportunidade. Como o Papa e os bispos diocesanos têm de Cristo o carisma da verdade para definir o dogma revelado, são eles os primeiros obrigados a defender a fé, discernindo com sua autoridade qual é a verdade católica em face das ameaças do erro. Mas os simples fiéis não são isentos de obrigação, porque, embora não lhes compita definir a doutrina, não lhes basta crer retamente em seu íntimo, senão que, para glória de Deus e utilidade do próximo, também são obrigados à profissão exterior e pública da fé: ‘Quando a fé está em perigo’, diz Santo Tomás [Suma Teológica, IIa-IIae, q. 3, a. 2, ad 2], ‘todos são obrigados a propalar sua fé aos demais, quer para instrução dos outros fiéis, quer para confirmá-los nela ou para reprimir o ultraje dos infiéis’” (negrito nosso). É que, conquanto “o modo e o grau de obrigação da Hierarquia e dos simples fiéis sejam diversos, como porém a fé é um bem comum fundamental na Igreja, em ordem à defesa da fé há certa igualdade entre todos os cristãos” (P. Calderón, ibid., p. 136).

    Pois bem, com esta obrigação nos sentimos Sidney e eu, como, repito, especialistas em determinadas ciências; e cumprimos esta obrigação precisamente e justamente como repetidores de segundo grau de Santo Tomás e de seus mestres auxiliares, o que se pode facilmente comprovar pela quantidade imensa de citações que deles fazemos a cada passo. É a marca da nossa convicta submissão à sua ciência superior, e, se por acaso alguma vez algo do que dissermos discrepar do que dizem eles, não será senão por equívoco, nunca por ousadia indevida, razão por que sempre acataremos qualquer justa correção que nos façam quanto a isso — especialmente se vier dos eclesiásticos que mantêm na Igreja a fé segundo o magistério de sempre. Que falta, aliás, faz a Sagrada Congregação do Índice, e a obrigação de submeter qualquer escrito, especialmente os de leigos que tratam de teologia, ao nihil obstat e imprimatur das competentes autoridades hierárquicas! Com efeito, com tal obrigação, quantos “humanismos integrais” não se teriam proscrito oportunamente?!

    Mas de uma coisa não abriremos mão nunca, por dever de confissão da fé e da Realeza universal de Nosso Senhor Jesus Cristo: atacar com todas as nossas forças e capacidades o liberalismo em todas as suas manifestações e tentáculos.

    Que é o liberalismo? Respondamo-lo brevemente:

    a) Antes de tudo, é a conseqüência mais imediata do humanismo, ou seja, da revolta da carne contra a santidade, do humano “não servirei” a Deus, do pôr-se o homem a si mesmo como fim último em lugar do Senhor.

    b) Por isso mesmo, o liberalismo é pecado, como o diz D. Félix Sardá y Salvany no livro de mesmo nome (que se pode encontrar em statveritas.com.ar); e pecado sumo, razão por que foi condenado por Pio IX no Syllabus. (E para que não se pense que aquele é um livro de menor importância, vejamos algo do que diz a Nota Editorial daquela sua edição: “[…] A primeira [edição do livro] apareceu no final do ano de 1884. […] A obra manuscrita foi previamente submetida à censura de esclarecidas personalidades e à do célebre P. Valentín Casajuana, da Companhia de Jesus, Professor em Roma. Uma vez publicada, valeu para seu Autor as aprovações mais altas e expressas da Igreja e os encômios mais apreciados de seus Hierarcas. A Sagrada Romana Congregação do Índice submeteu O Liberalismo É Pecado aos mais diligentes exames e deu uma sentença sumamente laudatória, ao mesmo tempo que desautorizava o folheto do Cônego D. de Pazos que queria ser una refutação da obra de Sardá. O Papa Leão XIII em pessoa quis formar um juízo do livro e o leu na versão italiana que se imprimiu para Sua Santidade. Deu-o também a ler a seu irmão, o Cardeal Pecci, e ambos conceberam dele o mais favorável conceito. Os Prelados do Equador fizeram sua a doutrina da obra em Pastoral coletiva que figura em várias de suas edições”. E eis a sentença da Sagrada Romana Congregação do Índice [idem]: ‘[…] Excelentíssimo Senhor: A Sagrada Congregação do Índice recebeu denúncia do opúsculo intitulado O Liberalismo É Pecado, cujo autor, D. Felix Sardá y Salvany, é sacerdote desta sua diocese: a qual denúncia se repetiu juntamente com outro opúsculo, intitulado O Processo do Integrismo […] Refutação dos Erros Contidos no Opúsculo ‘O Liberalismo É Pecado’; o autor deste segundo opúsculo é D. de Pazos, cônego da diocese de Vich. Razão por que esta Congregação aquilatou com maduro exame um e outro opúsculo com as observações feitas; mas no primeiro nada achou contra a sã doutrina, merecendo antes louvor seu autor, D. Félix Sardá y Salvany, porque com argumentos sólidos, clara e ordenadamente expostos, propõe e defende a sã doutrina na matéria que trata, sem ofensa de nenhuma pessoa. Mas não formou o mesmo juízo do outro opúsculo, publicado por D. de Pazos, porque ele necessita de correção em alguma coisa. Ademais, não se pode aprovar o modo injurioso de falar de que o autor se vale, mais contra a pessoa do Sr. Sardá que contra os erros que se supõem no opúsculo deste escritor. Daí a Sagrada Congregação ter mandado que D. de Pazos seja admoestado por seu próprio Ordinário, para que retire quanto seja possível os exemplares de seu referido opúsculo; e doravante, se se promover alguma discussão sobre as controvérsias que podem originar-se, abstenha-se de quaisquer palavras injuriosas contra as pessoas, segundo a verdadeira caridade de Cristo: ainda com mais motivo porque o nosso Santíssimo Padre Leão XIII, ao mesmo tempo que recomenda muito que se desfaçam os erros, não quer nem aprova as injúrias feitas, principalmente, a pessoas destacadas em doutrina e piedade”.)

    c) Se o liberalismo é o efeito mais imediato do humanismo, o modernismo condenado por São Pio X é o liberalismo que se quer católico. E a “nova teologia” que sairá vitoriosa no Concílio Vaticano II nada mais é que o modernismo com nova roupagem.

    d) Na ordem das idéias, são os seguintes os três princípios liberais, de que tudo o mais nele decorre:

    ● soberania e independência do indivíduo com relação a Deus e sua autoridade;
    ● soberania e independência da sociedade com relação à Igreja e à lei natural, ou seja, a Deus;
    ● liberdade de pensamento, expressão e associação com relação à Revelação, à Igreja e à lei natural, ou seja, a Deus.

    e) Derivam de tais princípios:
    ● a liberdade religiosa;
    ● a supremacia do Estado sobre a Igreja;
    ● o ensino laico sem nenhum laço com a Religião;
    ● o casamento não-sacramental;
    ● a arte não-ordenada ao fim último do homem;
    ● ciências e filosofia que se voltam contra o Criador e rejeitam ser instrumentalizadas pela teologia, e universidades sem a Sacra Ciência, as quais, como diz o Padre Calderón, são por isso mesmo como corpos mortos, sem alma.

    Ou seja, em uma palavra: a absoluta secularização da vida dos povos.

    f) Na ordem dos fatos, o liberalismo é um conjunto de obras e conseqüências que se inspiram naqueles princípios e seus corolários ou deles resultam. Exemplos:

    ● as perseguições à Igreja, às ordens religiosas, aos símbolos católicos;
    ● o indiferentismo religioso e o ateísmo;
    ● a guerra sistemática ao Catolicismo e a todas as suas sagradas tradições (como o matrimônio) em todos os meios de comunicação, em todas as artes;
    ● sistemas filosóficos e artísticos crescentemente anticristãos: racionalismo, idealismo, romantismo, existencialismo, marxismo, etc.;
    ● licenciosidade ou libertinagem moral crescente, com diversões e costumes cada vez mais bestiais;
    ● violência crescente (até entre pais e filhos e, sobretudo, contra o feto) e a crescente corrupção dos povos, do poder público e da economia;
    ● decadência cultural e civilizacional aguda;
    ● o capitalismo e o comunismo, ambos sistemas econômicos decorrentes do pecado liberal da avareza ou ganância, e que tendem a desagregar a família e tirar ao homem o tempo para a religião e a contemplação, transformando-o em peça de um enorme e impessoal maquinismo;
    ● o crescente domínio das mentes pela propaganda política, que é o motor mesmo da democracia liberal, e pela propaganda econômica, que é o motor mesmo do reino das megacorporações capitalistas, da grande indústria vinculada ao capital financeiro, dos fundos de pensão e da rede cada dia mais vasta e estreita das ONGs;
    ● enfim, o mundo atual, ou seja: a fusão da mega-economia capitalista com métodos neo-esquerdistas de gestão e governo, tudo condimentado pelo “é proibido proibir” do Maio de 68 francês e tendente a um governo mundial (ou, em termos escatológicos, a preparar a vinda do reino do Anticristo).

    Mas também no campo especulativo filosófico-teológico o liberalismo tem suas origens e importantes conseqüências:

    ● origina-se ele, por um lado, no De Monarchia de Dante, como tantas vezes já o dissemos; mas, por outro lado, no sistema de Duns Scot e sua hipertrofia da vontade em detrimento do intelecto, e no de seu discípulo Guilherme de Ockham, com sua navalha que corta o que é propriamente precípuo no intelecto humano; desses dois homens medievais decorre toda a sucessão psicopatológica de Descartes, Malebranche, Hume, Kant, Hegel, Marx, Husserl, etc.;

    ● tudo isso redunda num ensino da filosofia e da teologia (e de sua história) em aparência eclético, mas de fundo antitomista e pois anticatólico — como o diz o próprio magistério da Igreja.

    Pois bem, por tudo isso é que, ainda com o objetivo de lutar com todas as nossas forças e capacidades contra a praga do liberalismo, e sempre, no tocante à teologia, com a humildade de repetidores de segundo grau de Santo Tomás e seus auxiliares, é que proximamente começaremos a ministrar: 1) um curso de história da filosofia do ângulo tomista; 2) diversos cursos sobre o tomismo. Logo daremos detalhes aqui, no blog.

    http://contraimpugnantes.blogspot.com/2009/09/nosso-papel-e-divisao-de-aguas.html

    Servirá de muita utilidade para você. Sem falar que é um dos meus blogs favoritos!

  60. Sizenando

    Caro
    Gederson
    setembro 1st, 2009 at 20:25

    Eu tinha postado ontem a noite um texto aqui em resposta ao seu último e_mail que deixou de me atacar e a falar com clareza, merece uma boa resposta, se o texto não reaparecer mais tarde eu lhe responderei novamente.

    Jesus te ama.

  61. Sergio Souza

    Pedro…

    “TÁTICA DE REPETIÇÕES”? Veja o quão fraco são suas colocações!

    IMAGINO O QUANTO DEVE DOER EM VOCÊ PEDRO. SEU MUNDO SECTÁRIO DESMORONA.

    NÃO TEM RESPOSTAS NÃO É PEDRO? MAS É NORMAL O SEU LÍDER TAMBÉM NÃO AS TÊM.

    POR ISSO É MAIS FÁCIL ACUSAR OS OUTROS DE SEREM REPETITIVOS!!!

    É MAIS FÁCIL E MAIS CONVENIENTE, PORQUE O ASSUNTO MORRE E AÍ VOCÊ PODE SAIR MAIS FÁCIL DOS QUESTIONAMENTOS… TÁTICA DE PROTESTANTISMO PURO!!!!

    Irmão, você é a cara do PROTESTANTISMO.

    Você foi desmascarado aqui nesse blog! Você não teve respostas!

    Alardiou a todos condenando a Canção Nova pelo Dai-Me almas, e desmascarou-se aqui no site da MONFORT é possível contribuir da mesma forma.

    Não apresentou o Bispo que desse legitimidade a sua seita.

    Não responde objetivamente e concretamente um questionamento sequer do padre Joãzinho.

    Você não respondeu nada sobre o RECONHECIMENTO PONTIFÍCIO concedido a Canção nova e que a MONFORT não tem.

    Toda vez que se viu derrotado, reescreve mudando o assunto.

    Meu irmão você é que usa tática de PROTESTANTE! PROTESTANTE é assim, ele vem com a questão das imagens, e você rebate. Daí ele muda de assunto, e fala de Maria. VOCÊ É IGUALZINHO.

    SABE POR QUE ISSO ACONTECE? É porque para um SUJEITO com dificuldades psicológicas e fraca personalidade (SEGUIDORES DE FEDELI), reconhecer suas misérias e defeitos, é extremamente difícil, então o ser humano costuma acusar outros dos defeitos que tem. ENTÃO SE UMA PESSOA MENTE, ELE ACUSA OS OUTROS DE SEREM MENTIROSOS. SE ELA TRAI, ELA APONTA TRAIÇÃO EM TODOS. É mais fácil porque no mundo dessa pessoa, forma-se uma cortina de fumaça e aí ela convive melhor consigo própria.

    Você e Fedeli são assim: SÃO PROTESTANTES, MAS ACUSAM OS OUTROS DE SEREM. FEDELI REDUZ SEUS SEGUIDORES, INCLUSIVE VOCÊ, A SER UM “CÃO ADESTRADO”, MAS ACUSAM OS OUTROS DE REDUZIR OS LEIGOS A MUDOS.

    Você não possui argumentos! Porque é guiado por um cego fanático, sectário e infelizmente VOCÊ CAIU NA VALA. Está afogado na sua prepeotência de que é derrotado, assim como SATANÁS.

    O sei líder, e VOCÊ VEM DESCOBRINDO, não passa de um HERDEIRO de LUTERO, JOSEPH SMITH, CHARLES RUSSEL… PROTESTANTES. SECTÁRIOS.

    EM SUMA.. VOCÊ PERDEU! NÃO TEVE ARGUMENTOS! ALIÁS, NEM VOCÊ, NEM SEU LÍDER…

    VAI CONTINUAR CONDENANDO A CANÇÃO NOVA POR USAR CARTÕES DE CRÉTIDOS COMO FORMA DE CONTRIBUIÇÃO? A MONFORT ACEITA VISA, MASTERCARD, HIPERCARD, AMERICAN EXPRESS, DINERS CLUB…

    VAI CONTINUAR ESTAMPANDO A FOTO DE BENTO XVI, QUE CONCEDEU O RECONHECIMENTO PONTIFÍCIO A CANÇÃO NOVA, DITA COMO HEREGE POR VOCÊS? O PAPA POR CONSEQUENCIA É ADEPTO DA HERESIA?

    VAI CONTINUAR SEM APRESENTAR ALGO QUE PROVE SUA COMUNHÃO COM O COLEGIADO DOS BISPOS DE NOSSAS IGREJA?

    VAI CONTINUAR SEM RESPONDER OS QUESTIONAMENTOS DO PADRE JOÃZINHO?

    AH1! JÁ SEI! VAI ME ACUSAR DE SER REPETITIVO E ESCONDER SUA SUJEIRA DEBAIXO DO TAPETE. É MAIS CONVENENTE, NÃO É?PROTESTANTE!!!

  62. Sergio Souza

    PEDRO!!!!!!

    PEDRO FALA: “O sr. fala do que não sabe: eu não faço uso de prática nenhuma de “movimentos” da Igreja, pois não participo de qualquer movimento “eclesial”, nem sequer sou associado da Associação Cultural Montfort, muito embora a admire e a leia assiduamente”

    MAS SEMPRE SE COLOCOU COMO PALADINO UM ÁRDUO DEFENSOR DA MANEIRA QUE A MONFORT “HUMILDEMENTE” PEDE CONTRIBUIÇÃO. ÁRDUO DEFENSOR DA EVANGELIZAÇÃO SECTÁRIA DA MONFORT. COLOCOU AQUI A MONFORT COMO A PORTA ESTREITA

    DEPOIS QUE FOI DESMASCARADO, AGORA JÁ NÃO É MAIS DA MONFORT. NÃO TEM LIGAÇÃO COM A MONFORT. É APENAS LEITOR. TIROU O TIME DE CAMPO. DERROTADO!!!

    VEJAM QUE ESSE PEDRO NÃO DEVE SER LEVADO A SÉRIO MESMO! NÃO SUSTENTA NADA DO QUE ESCREVE!!!

    PEDRO ESCREVE: “Será que a Canção Nova que o Santo Padre Bento XVI “reconheceu pontificalmente” é a mesma Canção Nova que nós dois conhecemos? Aquela das Missas dançantes? Das “línguas dos anjos”? Dos shows sagrados? E justo com o Papa Bento XVI, que nunca foi fã desse “jeito de ser igreja”?

    VEJA O QUE VOCÊ ESCREVEU AQUI. SE O PAPA RECONEHCE A COMUNIDADE DESCRITA POR VOCÊ ACIMA E TEM TOTAL DESCONHECIMENTO DO QUE ELA FAZ… ENTÃO VOCÊ ACABA DE DIZER QUE ELE NÃO SERVE PARA SER PAPA!!!

    AO CONTRÁRIO DA MONFORT, QUE FUNCIONA NO SUBMUNDO DA REBELDI, A CANÇÃO NOVA TRANSMITE SUAS MISSAS AO MUNDO, E O PAPA INCLUSIVE PODE VER. NÃO É PEDRO? UM PAPA QUE SAI DANDO RECONEHCIMENTO PONTIFICIO A QUALQUER RÁBULA? QUE PAPA É ESSE PEDRO????

    REALMENTE VOCÊ VOCÊ TEM RAZÃO. PARE POR AQUI MESMO PORQUE A COLEÇÃO DE ASNEIRAS QUE VOCÊ VEM COLECIONANDO E DE INCOERÊNCIAS JÁ PASSOU DOS LIMITES…

    Pedro, DEUS TENHA MISERICÓRDIA DA SUA ALMA. E HOJE, NA MISSA DDAS QUARTAS-FEIRAS A NOITE, IREMOS COLOCAR O SEU NOME PARA SUA CONVERSÃO!

    SERGIO

  63. Sergio Souza

    VAMOS RESUMIR.

    PEDRO SEMPRE SE COLOCOU COM UM DEFENSOR DA ASSOCIAÇÃO MONFORT. EM NENHUM MOMENTO, DESDE O PRINCÍPIO, AFIRMOU NÃO TER LIGAÇÃO COM A MONFORT E NEM MESMO SER ASSOCIADO DELA. CONDENOU A CANÇÃO NOVA PORQUE TEM ASSOCIADOS E POSSUI UMA CAMPANHA FINANCEIRA, E A COLOCOU COMO A IGREJA UNIVERSAL DO REINO DE DEUS DO MUNDO CATÓLICO. PALADINO DA E PORTANDO-SE COM UM PORTA VOZ DA MONFORT, COLOCOU AQUI COMO HUMILDE, A CAMPANHA FINANCEIRA DA MONFORT E QUE EM MOMENTO ALGUM ERA IGUAL À DA CANÇÃO NOVA.

    POIS BEM, FIZ ALGO QUE PEDRO NÃO TEM O HÁBITO DE FAZER, EMBORA DIGA QUE VISITE O SITE DA MONFORT. E NA SEÇÃO “CONTRIBUA”, É POSSÍVEL VER COMO A MONFORT, ARRECADA SEUS RECURSOS: CARTÕES DE CRÉDITO (HIPERCARD, DINERS, AMERICAN EXPRESS…), BOLETO BANCÁRIO E DEPÓSITO ONLINE.

    DEPOIS QUE DESCOBRIU ISSO, OU FOI DESMASCARADO, PEDRO CALOU-SE E PAROU DE ATACAR A CANÇÃO NOVA NESSE SENTIDO.

    E AGORA, MUITO CONVENIENTE, DIZ QUE NÃO TEM LIGAÇÃO NENHUMA COM A MONFORT, MAS O TEMPO TODO, COMPROVADAMENTE DEFENDEU A BANDEIRA DA MONFORT E A PESSOA DE SEU FUNDADOR.

    NO ENTANTO, NO TEXTO EM QUE ELE AFIRMA NÃO TER LIGAÇÃO NENHUMA COM A MONFORT, DEPÕE COM MUITA AUTORIDADE A FAVOR DELA, DIGNO DE QUE É INTEIRAMENTE INSERIDO NESSA OBRA DEMONÍACA. ELE DIZ QUE NADA TEM A VER, MAS O TEMPO TODO DEFENDE FEDELI, A MONFORT.

    O QUE ACONTECEU? ROEU A CORDA? O SEU MUNDO CAIU? DE QUE LADO VOCÊ ESTÁ? ASSUMA!

    PEDRO COLOCOU AQUI QUE O PAPA DEU O RECONHECIMENTO PONTIFÍCIO SEM TOTAL CONHECIMENTO DE QUEM É A CANÇÃO NOVA. EM OUTRAS PALAVRAS, A MONFORT, NO SEU ÁRDUO DEFENSOR DESTE BLOG, AFIRMA QUE O PAPA É UM IRRESPONSÁVEL PORQUE SAI DANDO RECONHECIMENTO PONTIFÍCIO SEM AO MENOS SABER QUEM É A CANÇÃO NOVA. SEM UM MÍNIMO DE INVESTIGAÇÃO.

    ESSA FOI ÓTIMA MONFORTIANO PEDRO, AGORA EX-MONFORTIANO? OU MONFORTIANO? A CASA CAIU DE NOVO.

    DESDE O INÍCIO É ESSA A VISÃO QUE PEDRO TEM SOBRE O PAPA! EMBORA AFIRME QUE A MONFORT, DO QUAL FAZ OU NÃO PARTE, ESTAR EM COMUNHÃO COM O PAPA! DESSE JEITO?

    UM HORA PEDRO É MONFORTIANO. NA OUTRA, CONVENIENTE, NÃO É MAIS,MAS NO MESMO TEXTO EM QUE DESISTE DE SER MONFORTIANO, DEFENDE VEEMENTEMENTE FEDELI.

    PEDRO DIZ QUE A MONFORT NÃO É UMA SEITA, E DIZ QUE ME DEMONSTROU ISSO. ONDE? DIGA-NOS. NA BASE DO GRITO DO BLOG NÃO ADIANTA.

    APRESENTE AO MENOS BIPSO QUE LHES ACOLHE. NÃO HÁ PEDRO?

    ENTÃO SÃO SECTÁRIOS! SÃO UMA SEITA! SEITA! PIOR DO QUE ESTEMUNHAS DE JEOVÁ, QUE AO MENOS TÊM A DIGNIDIDADE DE BATER NO PEIOT E DIZEREM QUE DETESTAM CATÓLICOS.

    INCOMODA PEDRO OS ACAMPAMENTOS DA CANÇÃO NOVA. A CANÇÃO NOVA, COM RÁDIO, TV E INTERNET, DIVULGA ABERTAMENTE A FORMA COMO EVANGELIZA. AO CONTRÁRIO DA MONFORT, QUE SE VALE E FAZ QUESTÃO ABSOLUTA EM NA MARGINALIDADE, EM OBSCURAS REUNIÕES, NOS ANTROS DO SUJO SUBMUNDO DA REBELDIA E CONSPIRAÇÃO, SECTÁRIOS E REBELDES ÀS AUTORIDADES ECLESIÁSTICAS. NINGUÉM SABE O QUE SE ACONTECE. VIVEM NAS TREVAS DA REBELDIA. TÍPICOS DO PRÍNCIPE DA REBELDIA. E ESSE É O CARISMA DA MONFORT!

    A INVEJA INCOMODA A TAL PONTO PEDRO, QUE ELE SE DESESPERA NO SEU COMENTÁRIO: “NÃO EXISTE RÁDIO MONFORT! NÃO EXISTE TV MONFORT! NÃO EXISTE ACAMPAMENTO MONFORT”

    GENTE, ISSO TUDO PORQUE ELE NÃO NADA A VER COM A MONFORT, VIRAM?

    IMAGINEM SE TIVESSE! NOTEM QUE ELE TEM UM SÉRIO PROBLEMA DE DEFINIR DE QUE LADO ESTÁ!

    MEU IRMÃO, VOCÊ É QUEM NÃO QUER ENTENDER. VOCÊ SEGUE UM LÍDER REVOLTADO E ALTAMENTE INFELIZ. UM SUJEITO ÁCIDO E QUE VIVE EM FUNÇÃO DE DESTRUIR E DESMORALIZAR PADRES E BISPOS.

    UM DERROTADO QUE QUER DESTRUIR TUDO. UM EX-TFP, A QUEM HOJE COSPE. SEGUE OS MESMOS TRAJETOS, DESSA MANEIRA QUE OS LÍDERES PROTESTANTES. AMARGURADO.

    DIGO E REPITO: TODA SEITA É ASSIM. APARECE UM “ILUMINADO” QUE REDESCOBRIU UM “CAMINHO” PARA A SALVAÇÃO E QUE SE SENTE O PORTA-VOZ LEGITIMADO POR DEUS PARA FALAR EM NOME DELE. ASSIM FORAM JOSEPH SMITH, CHARLES RUSSEL, ELLEN WHITE E EDIR MACEDO! O CAMINHO DE FEDELI NÃO DIFERENTE DE NENHUMA DESSES. E COMO TODOS ESSES, ENCONTRAM GENTE DE MENTE VAZIA SEM UM MÍNIMO DE CAPACIDADE DE DISCERNIMENTO E VISÃO ESPIRITUAL, COMO VOCÊ PEDRO, E FACILMENTE SÃO LEVADOS POR ESSAS SEITAS, DA QUAL A MONFORT ESTÁ INCLUÍDA.

    INFELIZMENTE O ESPÍRITO LUTERANO TOMOU CONTA DO CORAÇÃO DE SEU LÍDER, E VOCÊ BEM ADESTRADO POR ELE SEGUE SEU DONO DAS DESVAIRICES. ORLANDO FEDELI ÉUM SUJEITO QUE ADORA SER IDOLATRADO, E CONTINUARÁ SENDO, PORQUE PESSOAS COMO VOCÊ O COLOCAM NO ALTAR E SE PROSTAM DIANTE DELE.

    EM SUMA, PEDRO, VOCÊ NÃO TEVE RESPOSTAS, O TEMPO TODO SE ESQUIVOU DAS QUESTÕES. O TEMPO TODO NÃO RESPONDEU CONCRETAMENTE AS QUESTÕES, MAIS CONVENIENTE E MAIS FÁCIL ERA RESPONDER:
    – VOCÊ REPETE AS COISAS;
    – VOCÊ É UM PAPAGAIO;
    – VOCÊ NÃO QUER ENTENDER, ENTÃO NÃO ENTENDA!

    RESPOSTAS DE GENTE DE CABEÇA VAZIA E SEM ARGUMENTAÇÃO. TÍPICO POSICINAMENTO DE QUEM SABE NÃO TER COMO REFUTAR UM QUESTIONAMENTO COLOCADO A VOCÊ. MAS REPITO, NÃO FIQUE TRISTE, SEU DEUS FEDELI, TAMBÉM NÃO AS TEM. VOCÊ NÃO ESTÁ SÓ NA DERROTA.

    DO CONTRÁRIO, EXPUS AQUI FATOS QUE COMPROVAM SUA INCOERÊNCIA E SEUS DESVAIRIOS LUNÁTICOS DE QUEM ESTÁ LONGE DA IGREJA.

    VOCÊ PEDRO NUNCA VAI VENCER NUM DEBATE COMO ESSES, EMBORA SEJA ISSO SEU OBJETO MAIOR DE DESEJO, POR QUE: “AS PORTAS DO INFERNO, JAMAIS SE PREVALECERÃO CONTRA A IGREJA”.

    COMO VOCÊ ESTÁ A MARGEM DA IGREJA, É PRESA FÁCIL PARA O DIABO, POR ISSO VOCÊ VIVE NESSA FRUSTRAÇÃO DE QUE QUERER DERROTAR A IGREJA, REVOLTADO, MAS POR MAIS QUE TENTE NUNCA CONSEGUE. POR MAIS ESPAÇO QUE VOCÊ TENHA PARA ESCREVER JAMAIS VOCÊ FICARÁ SATISFEITO, PORQUE SEMPRE VOCÊ VAI ENCONTRAR PESSOAS QUE VÃO DERRUBAR FACILMENTE SEUS ARGUMETOS. NEM PARA ISSO FEDELI SERVE, PARA ORIENTAR BEM SUAS OVELHAS, E VOCÊ É UMA DELAS, PERDIDA E COM UM FALSO PASTOR.

    PARA TERMINAR. VOCÊ COSTUMA CHAMAR AS PESSOAS QUE NÃO PRESTAM CULTO A FEDELI, COMO VOCÊ PRESTA, DE CONVENIENTES.

    MAIS UMA INCOERÊNCIA, SE FOSSE POR CONVENIÊNCIA VOCÊ JAMAIS TERIA UM COMENTÁRIO DESSES PUBLICADO. MAS VOCÊ OS TEVE, E LEVOU UMA DURA LIÇÃO DE QUE ESTÁ DO LADO ERRADO. AGORA SOU QUE DIGO A VOCÊ: QUER VIVER COMO DERROTADO? O PROBLEMA É SEU! QUER CONTINUAR NO CAMINHO ERRADO? PROBLEMA SEU!

    Sergio

  64. ao

    Pedro
    setembro 2nd, 2009 at 00:13

    Siga o Link indicado onde Lázaro expõe uma fotografia de Santa Joana d’Arc e escreve embaixo.

    http://lazarolaert.blogspot.co…..chado.html

    Morte do Hereges na fogueira.Viva o Tribunal do Santo Oficio que falta faz este Tribunal!

    Você também foi a favor da Morte de uma inocente ?
    Quem matou Joana d’Arc ?
    Quem era o Bisbo Pierre Cauchon ?
    Você também sente falta das fogueiras do Santo Ofício ?
    Tens coragem de se declarar a favor do Santo Ofício como Lázaro ?
    Gostaria de me queimar nesta fogueira agora mesmo ?
    Qual seria a minha acusação ?
    Ser contra a Inquisição ?
    Ter dito que o Bispo Cauhon é um lobo em pele de ovelha ?
    Que ele fazia parte de uma Igreja pseudo-católica que funcionava secretamente paralela à Igreja Católica verdadeira na Idade média ?

    Olha que já ouvi acusações muito piores do que estas aqui mesmo neste Blog, veja a opinião de uma garota de 16 anos que foi copiada como testemunho contra o CVII, ela elogia Fedeli e diz que a Igreja conduzida por Bento XVI é um Titanic afundando.

    O que você me diz desta ofensa ?

    É mais ou menos grave do que a minha ?

    Eu já tenho uma coleção de ofensas à Igreja pronunciada por tradicionalistas muito piores do que estas !

    Leia a História da condenação de Joana d’Arc:

    […]Nem estes nem os ingleses quiseram executá-la sumariamente, como poderiam ter feito. Seu plano era privá-la da auréola de santa, obtendo sua condenação num tribunal espiritual. No jogo de interesses políticos que envolveu sua figura de heroína, Joana d’Arc não encontrou nenhum apoio por parte do rei. Em 14 de junho o bispo Pierre Cauchon surgiu no acampamento de Jean de Luxemburgo, onde se encontrava a prisioneira. Ambicioso e desejando obter o bispado de Rouen, então vago, Cauchon faria tudo para agradar aos donos do poder. Joana foi vendida aos ingleses. No processo que se seguiu, e em que Cauchon foi um dos Juízes, Joana foi condenada à prisão perpétua, ‘ao pão da dor e à água da agonia’, fórmula empregada para entregá-la à justiça leiga. Sentenciada a ser queimada viva como relapsa, foi supliciada publicamente na praça do Mercado Velho, em Rouen. O sacrifico da heroína despertou novas energias no povo francês. Carlos VII, expulsando finalmente os ingleses de Calais, foi chamado o Vitorioso. A figura de Joana foi celebrada em centenas de obras de arte e muitas obras literárias. A Igreja canonizou-a por ato do papa Bento V, em 1920. […]

    ++++

    Para mim ele não era Católico Apostólico Romano, uma vez que agiu conforme sua carne e não conforme autorização e aprovação Papal.
    Portanto agiu em nome de uma igreja pseudo-católica, a mesma que Fedeli defende sem a devida “Nihil obstat quominus imprimatur” age sobre sua própria vontade segundo seus próprios preceitos e não, nunca, jamais em nome do Magistério de Bento XVI. Que é a Verdadeira Igreja Católica.

    +++

    Declaração de Fedeli copiada aqui neste Blog:

    […] Realmente ele recebeu e tem. Missio canonica que eu, como leigo, não recebi e não possuo. E por não possui-la, eu não posso ensinar oficialmente em nome da Igreja.[…]

    Se Orlando Fedeli pode falar mal da Igreja que ele Ama, porque eu não poderia falar a verdade histórica da pseudo-igreja que era movida pelas paixões mundanas e que graças a Deus não existe mais, se bem que conforme as opiniões de Fedeli e até me citaram na voz do próprio papa antes de ser papa que nem existe mais cristianismo na terra.

    […] Gederson
    setembro 1st, 2009 at 20:25

    Nas lições do Jovem Joeph, se lê:
    A Igreja da modernidade pós-bélica lhe parecia uma espécie de “Igreja dos pagãos. Não, como em outros tempos, uma Igreja de pagãos que se tornaram cristãos, mas uma Igreja de pagãos que ainda se chamam cristãos quando na verdade viraram pagãos”. Falava de um novo paganismo “que cresce sem parar no coração da Igreja e ameaça demoli-la de dentro para fora”. Tradição e liberdade: as lições do jovem Joseph – http://www.30giorni.it/br/articolo.asp?id=10320
    [….]

    Eu não entendo as contradições que vocês aprontam, isto é loucura, o material que conspira contra vocês está aí nos vossos próprios comentários, vocês mesmos se sufocam.

    Neste texto o Papa esta falando mal da Igreja ou não ?
    O que você acha ?

    Fique com Deus

  65. Caro
    Renato
    setembro 2nd, 2009 at 02:03

    Sua oferta é irrecusável, mas creio eu que neste blog de Padre Joãozinho já tem material suficiente sobre este assunto, por outro lado eu não vou invadir a casa de meu irmão para fazer nela a minha vontade.

    Sou aqui um simples leitor e estou a responder estes comentários porque são dirigidos ofensas à minha pessoa e não a ele pessoalmente.

    Caso você não tenha notado eu nunca saí por aí blogando meus textos em sites tradicionalistas e nem me oferecendo a colocar este ou aquele texto, assim como ninguém teve a hombridade de oferecer o seu blog para hospedar o meu texto não me sinto na obrigação de fazer a tua vontade em minha casa, uma porque não lhe conheço, outra porque Orlando Fedeli nunca nem sequer publicou uma carta minha e nem publicará. Na verdade a minha vontade é apagar o texto de minha autoria que lá está e foi publicado sem a minha autorização.

    Por outro lado, faça como seus amigos, deixe lá como comentário e lá ficará como prova de que eu não tenho nada contra a sua opinião ou a de quem quer que seja.

    Aceitarei a sua visita com todo carinho que recebo todos os meus visitantes, mesmo que sejam meus inimigos ou da Igreja, porque o meu objetivo não é afugentar aqueles que são prováveis e futuros convertidos na verdadeira Igreja, aceito a visita de todos:
    Católicos, protestantes, tradicionalistas, Cn’s, ateus, pecadores e até os Santos que venham em paz e voltarão na paz.

    DISSE JESUS:

    “VINDE A MIM TODOS VÓS QUE ESTAIS CANSADOS E SOBRECARREGADOS E EU VOS ALIVIAREI…”

    MEU OBJETIVO NÃO É O DEBATE, é sim conseguir conquistar novas pessoas para Jesus, por isso ofereço um presentepravoce, não um presente de minha pessoa, mas um Presente de Deus para Você, isto é o que eu quero que as pessoas encontrem lá e espero que você encontre mesmo que não seja lá em meu Blog.

    Jesus te ama muito Renato, não se esqueça disso.

  66. ao

    Filipe
    setembro 2nd, 2009 at 01:56

    Caro Felipe preste atenção em suas próprias palavras.

    Vou repeti-las abaixo com outra versão, no trocadilho que você tanto gosta de fazer, é apenas um jogo de ping-pong, veja:
    […]
    – Parece que não só Deus conhece, mas também Felipe, que tão rápido me tachou de defender o nudismo.

    – Ele (minúsculo porque é Felipe, não Deus) também perscruta o meu coração, minha inteligência. Quanta presunção!

    – Por ser tão do seu gosto semear a cizânia, quadra-lhe melhor o nome Felipânia. Assim separamos o joio do trigo,
    […]

    Tu és inteligente Felipe, não uses de devaneios e apelações para denegrir o seu interlocutor, não inventes falso testemunho e nem coloques palavras na boca daquele que não disse o que você afirmou, narrar um fato histórico e repetir o que na Bíblia está escrito ao pé da letra não fazer apologia ao nudismo, você sabe muito bem disso.

    Agora discriminar uma pessoa por ser indígena, voltando ao passado quando a Igreja acreditava que índios não tinham “ALMA” e justificando o assassinato de mais de 400 mil indígenas “Astecas” no México quando ocorreu a invasão espanhola na América, isto é que é um absurdo doutrinário.

    Sendo assim não poderíamos mais ler o Genesis na Missa e teríamos que mandar pixar toda a arte que ornamenta a Capela Sistina, Mechelangelo e o Papa da época eram, muito mais do que eu favoráveis ao nudismo.

    Quando nosso amigo falou mal de João Paulo II, a respeito da comunhão de uma indígena, eu tenho certeza que o crítica maior não era o fato dela estar com seus trajes comuns de sua aldeia e sim pelo simples fato dela ser índia, será porque o Rei de Portugal não mandou nenhum Padre para o Brasil quando Pero Vaz de Caminha pediu apenas dois Padres para evangelizar aquela multidão de índios que aqui existiam.
    Enviar Padre pra que ? se o Rei queria mesmo era rouba-los, estorquí-los, escraviza-los e colonizar a terra que a eles pertencia.
    Somente 40 anos depois, quando Santo Inácio de Loyola começou a luta contra a reforma é que se lembraram que deveriam evangelizar a toda criatura até os confins da terra conforme nos mandou Jesus.
    Nossos índios foram ou não foram desprezados ?
    Nossos índios ainda hoje são ou não são desprezados ?
    Eu não defendo nenhum nudismo aqui, defendo sim a dignidade da pessoa humana, seja ela índia, branca, negra, mulata ou etc.

  67. Sizenando, sua formação como católico é triste.
    Não te mandaria para a fogueira, mas tenho certeza que algum dos nossos Santos da Idade Média participantes da Inquisição, se pudesse retornar a vida por 5 minutos, e estivesse diante de ti, com certeza arrancaria sua língua blasfemadora e herética, para não mais manchar a bela história de nossa Igreja.

    Pena que uma pessoa tenha coragem de difamar, debochar e escarnecer de uma bela página de nossa história, que de fato, muito me alegraria se se retornasse ao tempo presente aos moldes que era na Idade Média.

    E mais triste ainda que você deve propagar essas blasfêmias contra a Igreja no seu meio carismático…

    Triste e a se lamentar, vindo de uma pessoa que se diz católico.

    E você é um papagaio, Sizenando… Seus argumentos de tão vazios e descabidos causam repulsa em quem lê.

    E falta-lhe humildade em reconhecer-se ignorante e procurar saber a verdade…

    Além de debochar e escarnecer da Santa Igreja Católica, chamando-a de pseudo-igreja,

    você levanta falso testemunho contra ela, difamando-a com todas as sortes de mentiras, usando de uma falácia tão infantil, que até um mico leão dourado seria capaz de perceber sua estrtagema.

    Quem julga o todo pela parte, nem é digno de resposta.

    E você é tão arrogante, que acha, que no meio de católicos, como todos são aqui, seu objetivo é conquistar novas pessoas para Jesus… Mais uma amostra de como a RCC se comprota como uma seita. Pensa em converter até os católicos.

  68. Falacioso Sizenando, para iluminar um pouco as trevas de sua ignorância a respeito da inquisição, recomendo-lhe um livro, chamado:

    A inquisição em seu mundo

    de joão bernardino gonzaga.

    Talvez esse livro desfaça as fábulas e idéias infantis que vc tem a respeito da inquisição.

  69. Ao
    Pedro Pelogia
    setembro 2nd, 2009 at 02:15
    Caro amigo Pedro Pelógia, percebi uma certa mudança em seu discurso, que já estava um pouco mais moderado, mais retomaste o ataque frontal.
    Não sei se recebi um elogio ou uma crítica, ao ser benevolente com sua fé a meu respeito acaba ao mesmo tempo me golpeando com o outro gume da espada.
    De qualquer forma o que vale mesmo é denegrir e subjugar o adversário, seja ele inocente ou culpado, isto não importa porque o queimaremos primeiro, depois falsificaremos as provas da sua heresia.
    Parabéns é muito boa esta tática que meus inimigos Santos e irrepreensíveis defensores da Igreja aprenderam para derrubar o oponente.
    Por outro lado achei a sua técnica literária um pouco semelhante ao estilo maçônico, ou estaria eu enganado?
    […] A Igreja nunca pecou e nunca pecará…[…]
    Responda-me o que significaria dizer que a […] sit. Igreja atual afunda como o Titanic,[…] ?? palavras ditas por uma tradicionalista horrorizada com a situação da Igreja atual.
    Quanto Coragem, citas agora os pecados de muitos homens que se diziam Igreja e não eram Igreja Verdadeira, isto não é dizer que a Igreja errou ?
    […] E a Igreja não é pecadora, pois é o Corpo Místico de Cristo![…]
    O que significaria a palavra pedras vivas no texto abaixo ?
    (I São Pedro 2,5)
    Do mesmo modo, também vós, como pedras vivas, formai um edifício espiritual, um sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais, agradáveis a Deus, por Jesus Cristo.
    http://www.bibliacatolica.com.br/busca/02/1/pedras+vivas
    […] Um Papa deve ser contestado quando abandona a fé católica. […]
    Agora eu entendi, você afirma que Bento XVI abandonou a fé Católica quando ele aceitou o concílio “anticatólico e anticristão” que é o CV II ?
    ++++
    […]Você não é de todo incoerente: você, padre Joãozinho, CN, etc são VÍTIMAS do “sistema teológico vigente” […]
    Aí que alívio, de pecadores e hereges, fomos rebaixados a Vítimas do Sistema.
    ++++
    […]Nada do que lhe expus, de maneira muito simplória, é opinião “minha”: tudo é doutrina da Igreja ensinada ao longo dos séculos, que de 4 décadas pra cá ficou um pouco ofuscada aos mais desavisados. […]
    Você acredita mesmo nisto que você disse agora, que esta é a Doutrina da Igreja segundo o Magistério oficial da Igreja Santa e imaculada.
    Preste atenção no texto Bíblico que você citou, quantas Virgens estavam mesmo dormindo, eram 20, 10, ou apenas 5 ?
    Você conhece todos os documentos da Igreja de cor e cita muitos deles com esmero, mas veja seu grave erro, não conheces a palavra de Deus e acabou por acrescentar 10 pessoas a mais na parábola de Jesus, pode não parecer um grave erro, mas para mim demonstra que você prefere a lei dos Homens acima da lei de Deus, sem desmerecimento de nenhum documento da Igreja, vale a pena lembrar que o primeiro documento da Igreja oficialmente aceito e declarado como totalmente inspirado pelo Espírito Santo é as sagradas que compõem a Bíblia, logo ela é o documento doutrinário e histórico que deveria ser conhecido por todos os Católicos, inclusive você.
    Paz e bem

  70. Sergio Souza

    PEDRO…

    AQUI VOCÊ NÃO POSSUI CONDIÇÕES DE CHAMAR A RCC DE SEITA… COMPROVADAMENTE FOI LHE PROVADO QUE A MONFORT, A QUEM VOCÊ DEVOTA HONRAS E GLÓRIA, É SECTÁRIA…

    COMO JÁ ENSINEI AO PEDRO, É MAIS FÁCIL ACUSAR OS OUTROS DE SEITA, DO QUE ADMITIR QUE ESTÁ EM UMA, COMO É O CASO DELE AO ABRAÇAR A FÉ DE FEDELI.

    CONTINUAMOS ESPERANDO PELO BISPO DA MONFORT, VOU LHES AJUDAR PORQUE VOCÊS DESCONHECEM ESSE TÍTULO… É DOM… COMPLETA O RESTO!

  71. Sergio Souza

    IRMÃOS…

    ESPEREMOS QUE OS PRÓXIMOS COMENTÁRIOS SERÃO POSTADOS AQUI PELOS SEGUIDORES DA SEITA MONTFARSA, O BISPO A QUEM ELES ESTÃO LIGADOS…

  72. Muito Bom
    Renato
    setembro 2nd, 2009 at 02:20

    Assuma o seu verdadeiro lugar como eu assumo o meu na parte de baixo da pirâmide.

    Jesus te ama.

    ao

    Pedro
    setembro 2nd, 2009 at 14:22

    Para que estudar sobre inquisição agora que ela já não existe mais, a única coisa que eu faço é combater aqueles que defendem o seu retorno, aliás, seriam estas as primeiras a irem para a fogueira, já que levantam falsos testemunhos contra a Igreja verdadeira vivendo em uma ficticiosa Idade média permanente.

    Meu amigo, já esqueceu que a Igreja hoje está sob a jurisdição do Concílio Vaticano II e que no século XXI não há mais lugar para autoritarismo e nem a MONARQUIA que você defende.

    Mas vou anotar seu conselho, quando tiver tempo vou dar uma estudada com todo carinho.

    Jesus te ama.

  73. Ao

    Pedro
    setembro 2nd, 2009 at 14:11

    Só uma coisa a dizer a respeito de todas as suas ofenças e elogios dirigidos à minha pessoa.

    Muito Obrigado,

    Muito obrigado memso por ter se confessado a favor da Inquisição, se para você é uma linda página de nossa história eu te garanto que esta página já foi virada e muitos fazem questão de esquecê-la.

    Hoje a França passa por uma crise de fé terrível e a principal causa são aqueles que ficaram magoados com a Igreja na época da sua linda história e hoje querem derrotá-la a qualquer custo.

    Sim a igreja venceu a heresia, talvés seja o que você acredita, mas a verdade é que esta heresia se escondeu e hoje se revela como um inimigo super poderoso chamado de ateísmo, foi até citado aqui o livro “Deus um Delírio” que é amplamente divulgado na Europa e está pregando o ateísmo usando a sua bela história como pano de fundo para nos desacreditar.

    Sendo verdade ou não, se Jesus veio nos dar vida e vida plena, os homens que dirigiam a Igreja jamais deveriam ter nem sequer tocado em um herege em nome de Deus e o matado, até os defensores do aborto usam estas inverdades como desculpa para matar criancinhas.

    Meu amigo eu lhe digo, vá debater este assunto com o Sr Richard Dawkins, é a ele que você precisa convencer desta verdade, não a mim.

    Se eu sou Católico é porque eu amo a Minha Igreja e não me importaria se algum dia na história ela tenha cometido algum erro, sei que você não concorda com esta opinião, já que só aceita a Igreja se ela for totalmente imáculada, é por este motivo que ouço atrocidades e acusações veladas contra a Igreja de vossa parte, mas não… não é contra a Igreja, é somente contra os homens que a dirigem.

    Voces jogam a Igreja contra ela mesma, provocando divisões e discórdias dentro dela, fazem comparações de documentos dizendo que um contraria o outro e etc… e depois ainda dizem que a estão defendendo, fazendo campanha de descrédito contra ela.

    Você está é ajudando o ateísmo e não o Catolicismo.

    Realmente vocês são incríveis dissimulados e de duas caras.

    Fique com Deus.

  74. Calma lá, Cizaniando! Devagar com essa semeadura funesta.
    Além de lançar o joio, agora veio você jogar ping-pong no blogue. E como joga mal!

    Você me acusa de tentar esconder meus pecados debaixo de “atitudes de fariseu”. Depois afirma que Deus conhece todo o meu ser. Pois diga-me: quais são minhas atitudes de fariseu? Ou você se arroga a si mesmo essa onisciência divina, senhor Sofismando?

    Por minha vez, não conheço nem afirmo de você nada além do que o senhor mesmo propala. Se não, vejamos:

    “pelo simples fato de estarem [os índios] nus no Paraíso que era o Brasil daquele tempo. (…) Que queixa Deus teria de tais criaturas pagãs, não eram pagãos também Adão e Eva quando foram criados e também não estavam totalmente nus no Paraíso?”

    – Eis aqui Cizaniando a defender que o Brasil dos índios era o Paraíso (com P maiúsculo!); que Deus não teria nenhuma queixa contra essas criaturas pagãs (ou seja, eram sem pecado como os pagãos (?) Adão e Eva antes de comer da maçã): está aí, mal esboçada, a teoria sizeneanda e nefanda do nudismo-sem-pecado-original.

    Como se não bastara, o próprio carismático gerundial afirma na sua última resposta:
    “Mechelangelo (sic) e o Papa da época eram, (sic) muito mais do que eu favoráveis ao nudismo”.

    – Ora, Cizaniando. É você que se diz favorável ao nudismo, não sou eu. Comporte-se.

    O senhor ainda me sentenciou:

    “você não entendeu mesmo nada do que Jesus disse (…) porque somente existe malícia no seu coração”.

    Agora me mostra, Serpenteando, onde eu lhe julguei as intenções como você, pretensioso que é, fez comingo, só encontrando, e somente só, malícia no meu pobre coração.
    Mostre-me! E o faça sem essa ambigüidade nojenta com que você costuma revestir suas palavras.

    Dessa forma, após condenar minhas “atitudes de fariseu”, pôr a claro a “malícia” do meu coração, retirar minha “máscara de fariseu fedelista”, Sizenando, o carismático peralta, o semeador de cizânia, o jogador de ping-pong sofístico, vem dizer que estou a denigrir meu interlocutor, levantando falso testemunho… Eis a lógica do joio!

    E não pára aqui. O homem é impertinente e tenaz, quer ofender a Igreja Católica a todo transe. Depois de declarar que na Idade Média a Igreja era pseudo-católica (quando ela se tornou católica, Cizaniando?), ele afirma que:

    “Igreja acreditava que índios não tinham “ALMA” e justificando o assassinato de mais de 400 mil indígenas “Astecas” no México (…), isto é que é um absurdo doutrinário.”

    Fiquei intrigado.
    Por gentileza, gostaria que você me citasse algum documento que confirmasse essa doutrina de que os índios não tinham alma.
    Gostaria também, se não for pedir muito, que me indicasse, uma fonte ao menos (livro, não me venha com wikipedia) que comprovasse esse número “astecas” assassinados. É o mínimo que deve fazer, Cizaniando.

    A caridade que você pretende demonstrar para com os índios aqui, e que na verdade o católico deve ter para com qualquer pessoa (ainda que inimiga), é legítima, desde que não se torne um culto ao mito do bom selvagem.

    Você pergunta: “Nossos índios ainda hoje são ou não são desprezados?”
    Respondo-lhe: que desprezo? O desprezo de ter quase metade de um estado somente para eles, apesar da população minúscula? Ora, o maior desprezo que os índios sofrem hoje é desses idealistas bocós que querem preservá-los numa incubadora, artificialmente, evitando o intercâmbio de civilizações. O contato natural entre as culturas leva a uma riquíssima troca de experiências e conhecimentos, e não raro uma ou mais desaparecem (o que é normal), ao passo que outras, mais desenvolvidas, permanecem, enriquecidas daquilo que aquelas que morreram tinham de bom, belo e universal. Sempre foi assim, e sempre será.

    Infelizmente para você e para os índios, Cizaniando, o Cristianismo não é a religião dos pelados. Deve haver por aí seitas com rituais de homens nus. Mas Cristo não veio recuperar para nós o nudismo perdido de Adão e Eva, veio nos resgatar do pecado e trazer a vida eterna.

    Esse seu discurso idealizado sobre índio, nudismo, já me bastou. Fique em paz.

  75. Sizenando

    ao
    Filipe
    setembro 2nd, 2009 at 20:49

    Você fala demais, muita coisa sem nexo e sem importância, só provocação e nada de concreto.

    Não vou dar aula de história para você, leia a historia da colonização da América que você verá que os Espanhois e Portuqueses não descobriram coisa nenhuma, fizeram foi uma divisão da terra em duas partes e começaram as expedições para invadir o paraíso que já era bem conhecido na época, muitos vieram até inspirados nas visões de Dom Bosco.

    Você só faz graça e palhaçada, tentei falar sério com você, mas é impossível.

    Olhando na minha ótica e na sua, é uma verdade a reserva Raposa do sol é muita terra para pouco índio não é mesmo.

    Mas a própria lei do homem Branco, com um bom advogado daria facilmente direito de posse a qualquer latifundiário uma terra maior do que aquela que se tornou uma reserva de oxigênio para que você respire seu ar amanhã.

    Você não sabe, talvés duvide, eu não tenho provas, mas ouvi dizer que um certo filho de presidente que nunca houve na história deste país, que ele já tem terras no Pará maiores do que a Reserva Raposa do sol, isto são dados colhidos nas fofocas que correm por aí, não se pode dar crédito a estas coisas, quanto mais agora que estão aprovando uma lei contra a lingua solta dos blogueiros.

    Ninguém deu terra nenhuma a índio nenhum, fizeram sim foi um acorto internacional de preservação da Amazônia em troca de alguns créditos de Carbono.

    Que tal mudar de assunto ?

    Há me esqueci o assunto já está morto e encerrado.

    Amem

  76. Pedro Pelogia

    Padre Joãozinho, o sr. ainda está aí?

    É com gente como o sr. Sergio Souza que o sr. pensa em defender a Canção Nova e a RCC?

    ************

    Sr. Sergio: seu texto insano digitado quase que totalmente em CAIXA ALTA – que em leitura virtual equivale a GRITAR – raia a loucura, e sugere um comportamento violento. Comportamento este, diga-se de passagem, muito típico dos carismáticos, habituados aos “transes espirituais”, que têm comunicação carnal com o “espírito” que lhes sacode as vértebras e lhes enlouquece a fala. Só não ficou claro ainda quem é e de onde vem este “espírito” que inspira as línguas incompreensíveis: se dos céus, ou de outro lugar…

    Eu estou imaginando o sr. na minha frente, gritando e babando, com um olhar vermelho, tremendo de raiva e me ameaçando segurando aquela pombinha-violão, símbolo máximo da poderosa comunidade que modela as mentes dos católicos brasileiros.

    Além de usar uma técnica protestante de sofismas, o sr. “evolui” para a famosa técnica NAZISTA de Goebbels: “Uma mentira ditas mil vezes torna-se verdade”. O sr. brada seiscentas e sessenta e seis vezes que eu estou “não tenho resposta”, que eu lhe deixei sem respostas, que eu me esquivei de questões, etc.

    Ora, mas quais são as perguntas?

    Posso lhe propor uma sugestão?
    Vou me fazer de desentendido com o sr.
    Talvez o sr. seja muito inteligente, e neste seu texto tão agressivo que provavelmente fora inspirado pelo “espírito” patrono das línguas enroladas, eu na minha burrice tradicionalista e arcaica não tenha captado as perguntas implícita em seu discurso, que de fato se parece com uma “oração em línguas”.

    Eu não deixei nenhum questionamento seu sem resposta. Para que encerremos nossa desagradável conversa, eu LHE PROPONHO que o sr. poste TODAS AS QUESTÕES que deseje que eu responda, e eu lhe prometo que não responderei PERGUNTA COM OUTRA PERGUNTA. Que tal? Assim o sr. encontrará minhas posições.

    O sr. me grita, com os olhos revirados num estranho frenesi: “EM SUMA… VOCÊ PERDEU!”

    Perdi o quê, sr. Sergio?

    Acaso o sr. acha que entrei neste blogue para GANHAR alguma coisa?

    Jesus disse que devemos ter a mentalidade das crianças para ganharmos o Reino dos Céus, mas o caso do sr. Sergio Souza é ridículo! O discurso escandaloso dele é tremendamente pirracento e INFANTIL! O sr. crê piedosamente que este nosso debate é um bate-figurinhas, onde um ganha e o outro perde, ou então que isso é um duelo de “Street Fighter”.

    Neste ponto, sou obrigado a CONCORDAR com o carismático Sizenando: eu não estou aqui para VENCER UM DEBATE. Se esta é a sua intenção, o sr. vai muito mal…

    O sr. acha que depois que eu ler estas 3 mensagenzinhas, irei amaldiçoar o professor Fedeli e tornar-me carismático? Depois de ler seus gritos (ainda bem que é ler, e não ouvir) eu vou correr para o grupo de oração e solicitar o famoso “batismo no espírito”? O sr. acha que seus gritos e bafejos furibundos vão fazer desmoronar qualquer coisa? Só se o sr. for o Lobo Mau, aquele que derruba a casa de palha e a casa de madeira dos porquinhos.

    Eu não estou vendo o sr., e o sr. sem ver minha cara, deduz que estou tendo os seguintes estados de espírito: a) estou desesperado, b) estou acuado, c) estou dolorido de tanto “apanhar” do sr., d) estou envergonhado e desmascarado. A adivinhação carismática falha retumbantemente em suas análises capengas, sr. Sergio. O sr. é até que é astuto: apontar uma pseudo-fraqueza no adversário aumenta a auto-estima pessoal. O sr. está gritando e babando nesta sua catilinária furibunda que eu “perdi”. Mas se eu “perdi”, o que desepera tanto o sr.? O sentimento que mais me incomoda nesta hora é o SONO, mas vou batalhar contra ele e respondê-lo antes de me deitar.

    Lá nos seus primeiros gritos o sr. disse que eu sinto uma imensa dor por ver o “desmoronamento” da Montfort. Em parte O SR. ACERTOU! Eu e os “montfortianos” estamos repletos de dor e de tristeza pelo “desmoronamento”… não da sociedade Montfort, mas DA IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA, sendo demolida pelos próprios clérigos, que dançam, cantam, ecumenizam-se com pagãos e hereges, mentem, combatem a própria Tradição e otras cositas más…

    Mas é o próprio Cristo quem nos garante que a vitória final será da Igreja, então não devemos esmorecer diante daqueles que SE PARECEM com Igreja, que tem carteirinhas de sacerdotes e bispos, que possuem “Missio canonica” para pregar que a Eucaristia nos transmite “um bonito significado de ausência”…

    Nem perco o meu tempo contando quantas vezes o sr. me chama de “protestante”.
    Eu sou adversário da Renovação Carismática “Católica”, que foi IMPORTADA do Protestantismo após o CV II. Protestantes são os carismáticos, e dos piores, pois estão travestidos de católicos. Segundo suas palavras, eu sou um “protestante” combatendo protestantes.
    Que honra estes seus xingos me fazem, sr. Sergio! A mesma ofensa sofreu Nosso Senhor Jesus Cristo pela boca dos fariseus, que acusaram-No assim: “É pelo demônio que Ele expulsa os demônios”… Por favor, não me enalteça tanto assim!

    O professor Fedeli, no seu mordaz senso de humor, chama adversários furibundos como o sr. de “buscapé que se finge de canhão”. O sr. supera a piadinha: o sr. é um estralinho de festa junina fingindo ser a bomba de Hiroshima!…

    Estou dizendo isso pois a INTENÇÃO CLARÍSSIMA de vossa senhoria aqui é VENCER UM DEBATE e ver seu adversário tombar.
    O sr. se contradiz dizendo que deseja a minha “conversão” ao mesmo tempo que diz que eu PERDI. Ora, se o sr. julga que o seu lado modernista é o lado de Deus, se eu me “converter” à sua facção eu estarei “perdendo”?… A corda da mentira é para o pescoço do próprio mentiroso.

    Sr. Sergio: o sr. vai colocar meu nome naquela horrenda showmissa de libertação (aprisionamento) da quarta à noite, para que eu RETORNE ao carismatismo e ao modernismo?

    Então lhe aconselho: reze muito! Mas reze muuuuito mesmo! ore em linguas, chame pelo “espírito” e por todos os espíritos que julgar necessários nesta empreitada. Ore até seus joelhinhos ficarem em carne viva. Chame monsenhor Abib e o padre Favo de Mel, chame todos os ministérios de música e louvor para invocarem o “ispríto” sobre mim. Se precisar de um reforço, conclame também os seus “irmãozinhos” das igrejas filiais: o “ministério de louvor” Diante das Trevas e a cantora Ana Paula Baladão. Chame todos eles para invocarem o “imspríto” (longe de ser o Paráclito Consolador, a Terceira Pessoa da Trindade) sobre mim para que eu retorne ao modernismo carismático!

    O sr. e os milhares de milhões de membros, admiradores e bajuladores da Canção Nova gritam: a Montfort é seita! Isso possui alguma força de mutação da realidade? Se milhões de pessoas me rodearem gritando que eu sou uma “mulher”, isso não mudará a realidade de que sou um homem, eu não passarei a urinar sentado para agradá-los…

    Desejo-lhe a paz! Se quiser continuar dialogando, faça a lista com as perguntas que quiser, que eu as responderei para o sr. não dizer mais que o deixei “sem argumentos”. Se não quiser, tchau e “bença”.

    Pedro Pelogia.

  77. Olá Padre João!

    A vossa santa bênção.

    Gostaria de mais uma vez expor aqui o meu ponto de vista.

    Primeiramente gostaria de dizer que num debate devemos procurar manter o respeito de ambos os lados. Por isso, de minha parte, peço perdão se em algum momento cheguei à faltar com o respeito e a caridade.

  78. Eu só gostaria de levantar uma questão aqui:

    como podem os que defendem a Tradição serem chamados de protestantes? Afinal, eles defendem a Tradição da Igreja Católica e não a Tradição de Lutero.

  79. Muito prezados amigos destemidos defensores da ortodoxia católica,
    Salve Maria, salve o glorioso São José o terror dos demônios

    Queria pedir, por caridade, que não percam tempo com os sequazes do padre Joãozinho, eles são apenas bobos da corte de sua majestade heresiarca.

    Se faz necessário concentrar nosso combate a fim de ferir o sofismótico-mor, pelo bem dessas pobres almas que se perdem na escuridão de suas aberrações.

    Dividir nossos ataques, para ferir, ainda que de leve, alvos secundários, nos faz perder o foco do principal. O inimigo principal ganha tempo para respirar e fugir, ou se esconder.

    Como bons combatentes devemos ser fiéis a um ataque conjunto, coordenado, sobre o alvo principal que é o padre Joãozinho e suas heresias, deixem que os cachorrinhos bradem, pois esses bramidos com sua baixeza pertinaz só fazem mal à eles mesmos.

    Que Nossa Senhora de Guadalupe, aquela que que esmaga a cebeça da serpente maldita, nos faça fiéis ao bom combate.

    In baculo et in virga Virgine
    Mauro

  80. Sergio Souza

    Pedro…

    Vou facilitar a sua vida:

    Marque X na alternativa correta. O nome do Bipos da Montfort é:

    1 – Dom Odilo Scherer
    2 – Dom Orani
    3 – Nenhuma das respostas acima

    Caso a alternativa maracada tenha sido a 3, complete a frase. O Bipos da Montfort é DOM__________________________

    Assim fica mais fácil pra Pedro entender.

    Cadê o reconhecimento Pontifício da Montfort? Tem não, não é Pedro!!

    Já sei.. Sou papagaio… Ok! Se eu sou sou papagaio e você é um asno, porque só fala, AGE. PENSA e escreve ANSNEIRAS.

    E você continua sem respostas… Afogado nas mentiras da MONTFARSA

  81. Sizenando

    Ao

    Pedro Pelogia
    setembro 3rd, 2009 at 00:17

    De Onde Vem o Espírito Santo que age nos Carismáticos ?

    (São João 14,16)

    E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Paráclito, para que fique eternamente convosco.
    http://www.bibliacatolica.com.br/busca/01/1/vos+dara+o

    (São Lucas 11,13)

    Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas coisas a vossos filhos, quanto mais vosso Pai celestial dará o Espírito Santo aos que lho pedirem.
    http://www.bibliacatolica.com.br/busca/01/1/dara+o+espiri

    (Atos dos Apóstolos 2,39)

    Pois a promessa é para vós, para vossos filhos e para todos os que ouvirem de longe o apelo do Senhor, nosso Deus.
    http://www.bibliacatolica.com.br/busca/01/1/a+promessa+%E9+para

    +++++++

    Dom de Línguas existe mesmo ?

    Com a Palavra O Principe dos Apóstos o nosso grande e Primeiro Papa:

    Pedro então, pondo-se de pé …

    4. Ficaram todos cheios do Espírito Santo e começaram a falar em línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem.
    5. Achavam-se então em Jerusalém judeus piedosos de todas as nações que há debaixo do céu.
    6. Ouvindo aquele ruído, reuniu-se muita gente e maravilhava-se de que cada um os ouvia falar na sua própria língua.
    7. Profundamente impressionados, manifestavam a sua admiração: Não são, porventura, galileus todos estes que falam?
    8. Como então todos nós os ouvimos falar, cada um em nossa própria língua materna?
    9. Partos, medos, elamitas; os que habitam a Macedônia, a Judéia, a Capadócia, o Ponto, a Ásia,
    10. a Frígia, a Panfília, o Egito e as províncias da Líbia próximas a Cirene; peregrinos romanos,
    11. judeus ou prosélitos, cretenses e árabes; ouvimo-los publicar em nossas línguas as maravilhas de Deus!
    12. Estavam, pois, todos atônitos e, sem saber o que pensar, perguntavam uns aos outros: Que significam estas coisas?
    13. Outros, porém, escarnecendo, diziam: Estão todos embriagados de vinho doce.
    14. Pedro então, pondo-se de pé em companhia dos Onze, com voz forte lhes disse: Homens da Judéia e vós todos que habitais em Jerusalém: seja-vos isto conhecido e prestai atenção às minhas palavras.
    15. Estes homens não estão embriagados, como vós pensais, visto não ser ainda a hora terceira do dia.
    16. Mas cumpre-se o que foi dito pelo profeta Joel:

    ++++

    “desmoronamento”… não da sociedade Montfort, mas DA IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA […]

    A Igreja na Idade média não pode ser criticada, mas vejam o que os tradicionalistas dizem da NOSSA AMADA IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA COM SEDE EM ROMA E DIRIGIDA PELO PAPA BENTO XVI A QUAL SOMOS NÓS CARISMÁTICOS TODOS SUBMISSOS.

    -TRADUZINDO A FRASE – A IGREJA RUIU, DESMORONOU, ACABOU, NÃO EXISTE MAIS, SÃO APENAS ESCOMBROS, SÓ EXISTE A CANA RACHADA E CHAMA QUE AINDA FUMEGA.

    É COM MUITA HONRA QUE EU LHE GOSTARIA DE LHE APRESENTAR A VITORIOSA IGREJA DE DEUS NA TERRA, ATACADA POR TANTOS INIMIGOS, MAS QUE JAMAIS SERÁ VENCIDA MESMO QUE LHE DERRUBEM ATÉ O ÚLTIMO TIJOLO, PORQUE A VERDADEIRA IGREJA É MUITO MAIS DO QUE SE PODE VER OU LER EM FOLHAS DE PAPEL COM SELOS DE CERA VERMELHA, HAVERÁ UM TEMPO QUE NÃO ADORAREIS O PAI NM EM JERUSALÉM, NEM EM ROMA E NEM EM QUALQUER PARTE DESTE MUNDO, É POR ISSO QUE O PAI BUSCA AQUELES QUE O ADOREM EM ESPÍRITO E VERDADE, NOS CORAÇÕES, EXATAMENTE NO LUGAR TÃO CRITICADO POR CERTAS PESSOAS AQUI NESTE BLOG.
    ++++++++++++
    […] – combatem a própria Tradição e otras cositas más…[…]

    A IGREJA CATÓLICA PARA VOCÊ É SÓ A TRADIÇÃO ?
    Não vejo a tradição tão demolida assim não …
    A RCC tem restaurado a adoração ao Santíssimo Sacramento em varios locais, em nossa cidade já são cinco Paróquis que mantém um cerco de Jericó mensal durante uma semana, sem danças, sem rebolados, sem profanações, apenas com a reza do terço incessantemente sem pausas durante uma semana inteira.

    +++++++++++
    Esta é a prova que faltava para vermos quem é que desobedece a Igreja e quem é que não aceita o verdadeiro MAGISTÉRIO DA IGREJA, NOTA-SE porém que estas mesmas pessoas todas elegem o Professor Orlando Fedeli como um homem correto, integro e verdadeiramente Católico, ele que declarou aqui pessoalmente que não teria o direito de ensinar oficialmente em nome da Igreja e tudo que faz, o faz como leigo, assim como eu, como o Pedro, como o Sérgio, ninguém é obrigado a dar crédito em nossas palavras, porque como profetizou o Sr Orlando Fedeli a meu respeito certa vez, “Somos apenas o brilho de um buscapé…”.

    veja o recorte das palavras de Pedro.

    […]Mas é o próprio Cristo quem nos garante que a vitória final será da Igreja, então não devemos esmorecer diante daqueles que SE PARECEM com Igreja, que tem carteirinhas de sacerdotes e bispos, que possuem “Missio canonica” para pregar que a Eucaristia nos transmite “um bonito significado de ausência” […]

    A poucos dias perguntei a um tradicionalista se ele acreditava que Cristo estava dentro de seu coração, ele insistia que Jesus não habita dentro de nós e que não está dentro de nosso coração, assim como o Espírito Santo também não está em nós contrariando a afirmativa de São Paulo.

    A minha pergunta foi, você acredita que Jesus está na Eucarístia ? “SIM”, ENTÃOlogo apóS A COMUNHÃO Ele está em seu coração ? “eh… eh… relutou, mas disse SIM” Então como você me diz que a Igreja está cheia de pecadores e sem o Espírito Santo ?

    Não foi fácil convencê-lo a declarar que pelo menos um dia depois de comungar ele ainda poderia dizere em alta voz e com certeza de que Jesus estava em seu coração.

    Logo, eu não sei porque criticam padre Fábio na frase acima, já que a ausência de Jesus numa visão carnal já é o suficiente para explicar a frase, por acaso você vê Jesus com seus olhos da Carne ? podes relutar… podes justificar pela FÉ, mas terás que falar a verdade que não poder ver Jesus ali na Eucarístia com seus olhos carnais, se não onde estaria a sua FÉ naquilo que não se pode ver ?!

    E quem diz que Jesus não está em nosso meio e nem o Espírito Santo esteja em nossos Corações, não deveria criticar esta frase de maneira nenhuma.
    +++++++

    Nossa !!!! Meu Deus do céu ….

    Quase me crucificaram acima por ter me declarado contra a Santa Inquisição, me mandaram ler livros para conhecer a inquisição e agora ouço alguém criticando a ação do Espírito Santo em nós e chamando o Espírito Santo de “insprito” ou “Imsprito”, não sei se devo escrever aqui aquele versíclu de I COr 12, não deixa prá lá, melhor nem falar nada, pra mim já é demais.

    fique com Deus.

  82. Sergio Souza

    Gabriela e vou dar uma cortada no seu levantamento…

    Simples são chamados de Protestantes porque estão à margem da Igreja. São sectários e rebeldes. Assim como Lutero, tipo com Orlando Fedeli, se acha um “iluminado” que de repente descobriu toda a verdade e a verdade repousa nele e ele é o paladino redentor da Igreja..

    Só isso!

  83. Confuso Sergio Souza:

    dom lourenço fleichman e padre divino antonio lopes também são contra os reboladores da RCC… Seriam esses também membros da “testemunhas da montfort”?

    Ou será que a palavra desses sacerdotes não tem valor para você?

    Talvez você fique com Frei Antônio Moser que disse:

    “]“Hoje, qualquer pessoa normal concordará que esta é uma das poucas e boas práticas de lazer que nos restam”. (sobre o carnaval)

    “Ninguém mais fica se preocupando com os centímetros a mais ou a menos de roupa que se usa”. (quanta imoralidade)

    Você fica com a moral da rcc, que eu fico com o que prega divino antonio lopes e dom lourenço fleichman sobre esse movimento imoral e rebolador.

    você diz:

    “Cadê o reconhecimento Pontifício da Montfort?”

    Meu caro, a Montfort é um grupo de leigos. Ninguém é obrigado a ter reconhecimento pontificio para repetir a verdade católica, ainda mais quando essa contraria os reboladores do movimento que você participa…

    Aliás, mostre-me algum documento de excomunhão da Montfort?

    Pobrezinho, O professor como leigo que é está sujeito ao bispo de sua diocese. Mostre-me algum documento do bispo da montfort condenando a associação do professor?

    Pobrezinho, você realmente acha que a montfort não conta com apoio de padres e bispos?

    Agora, me diga, o Veritatis Splendor também critica (de forma velada) a RCC. Cade o reconhecimento pontifico do VS? Por acaso há algum documento vindo do papa que corrobore os artigos do VS?

    Se os há, fuja correndo de Pe. Fábio, Pe. Jonas, pq se vc der uma passada pelo blog deles, vc ficaria assustado com as palavras pelo qual eles se dirigiram aos referidos sacerdotes..

    além das criticas a esses pseudos carismas existentes no pitoresco movimento que vc faz parte…

    Seria o VS também uma seita de não católicos inimigos da RCC?
    Seria dom lourenço fleichman, Pe. divino antonio lopes, e tantos outros padres inimigos desse movimento, membros de uma seita “testemunhas da montfort”?
    _______________

    Meu caro, aqui ninguém é seguidor da Montfort, somos apenas leitores de tal site.

    O importante é que pelo site da Montfort somos conduzidos ao verdadeiro aprisco das ovelhas de Cristo. Porque a Montfort não fala de forma ambigua e ecumenica. Mas apenas repete de forma clara o ensinamento da Igreja.

    Agora se você tem dúvidas em relação a sua fé, e quiser recorrer a Pe. Fábio, o problema é seu.

    Caso isso não seja suficiente, fique com o que escreveu Santa Catarina de Sena:

    “Sede, sede aquela flor perfumada que deveis ser; espargi o bom odor (2Cor2,15) na doce presença de Deus. Sabeis que a flor, conservada durante muito tempo na água, não exala perfume, mas fedor. A mim parece, pai, que vós e os demais sacerdotes deveis ser assim uma flor. Mas também essa flor, imersa nas águas iníquas e putrefatas dos pecados e misérias do mundo, não exala perfume, mas fedor. Oh, como é mísero e infeliz quem é posto na santa Igreja como flor, responsável pelos seus súditos! Vós sabeis que Deus os quer límpidos e puros. Infeliz de mim, infeliz de mim, venerável pai! É o contrário que acontece. Comportam-se de tal maneira, que não apenas são fétidos, mas também arruínam todos aqueles que deles se avizinham.
    Acordai e não continueis dormindo! Já dormimos bastante, mortos para a graça. Não nos resta mais tempo, soou a hora da sentença, estamos condenados à morte.”

    Portanto meu caro, esses padres artistas da RCC, como pe fabio e pe marcelo, mais imersos nas aguas iníquias do mundo, caso permaneçam em tal estado, não exalarão perfume, mas fedor.

    Despeço-me.

  84. http://portalcot.com/reporter/o-que-diz-o-frei-anatonio-moser-x-pe-divino-antonio-lopes-fp-sobre-o-carnaval-o-1%C2%BA-adora-o-2%C2%BA-reprova/

    A diferença de um bom sacerdote para um mau, pode-se ver claramente no texto desse link.

    Mas para os reboladores da RCC, deve-se obediencia irrestrita a todos os sacerdotes, bispos e cardeais, mesmo que estes atentem em seus discursos contra a fé e a moral…

    Provavelmente esses carismáticos reboladores, muito se alegrariam em participar de cristotecas, bailes no espirito, carnavais e outras imoralidades mais. Tudo porque um ou padre carismático aprova.

    Agora se você reprova e condena tais imoralidade, você é chamado de rebelde e desobediente por se recusar a ser pasotreado por maus sacerdotes.

    A chancela de uma heresia ou uma imoralidade por um padre não torna legítima nem a heresia, nem a imoralidade, apenas faz com que o sacerdote seja uma mau pastor de ovelhas.

    Entre os bons sacerdotes tradicionalistas e os maus da RCC, eu prefiro me submeter àqueles que pregam o estreito caminho da salvação, aos que pregam uma missa assistida com piedade e reverência, aos que pregam a comunhão de joelhos, aos que pregam a legítima adoração ao Santíssimo, aos que ensinam a verdadeira fé da Igreja, não apenas fábulas e histórinhas mundanas, que enganam aos incautos não apenas sobre hé, mas tbm sobre história da Igreja.

  85. Pedro Pelogia, surtiu efeito o seu conselho para o Sergio Souza.

    Ele agora parou de ”gritar pela internet”!

    Padre João, o senhor ainda está ai?

  86. Sergio Souza

    Sizenando…

    Você disse ao Pedro MONTFORT, que a missão da RCC tem ajudado a restaurar a adoração ao Santíssimo em cinco paróquias. Não foi?

    Mas você precisa saber se o Pedro sabe o que é PARÓQUIA, porque pelo visto não sabe o que é uma. É inteiramente marginal à estrutura eclesiástica, certamente não precise frequentar uma, já que a Montfort tem todas as respostas convenientes aos ouvidos de Pedro.

    Sergio

  87. Caro Tergiversando,

    você tenta sair pela tangente quanto aos questionamentos que lhe fiz.

    Como não mostrasse as minhas “atitudes de fariseu” e não me explicasse com que ciência divina descobriu que “somente existe malícia no meu coração”, está demonstrado que a injúria é um dos seus esportes prediletos.

    Vejo que não se diverte com o meu tom. Também eu não me divirto com suas cizânias, nem com as suas blasfêmias contra a Igreja, que você chama pseudo-católica.

    Ora, onde está o documento papal que comprova esse “absurdo doutrinário” de que a Igreja acreditava que os índios não tinham alma? Mostre-me.

    Ao contrário, tenho conhecimento apenas da Bula “Veritas Ipsa” (1537), do Papa Paulo III, que declara solenemente:

    “Conhecendo que aqueles mesmos índios, como verdadeiros homens, não somente são capazes da Fé de Cristo, mas que acodem a ela, correndo com grandíssima prontidão segundo nos consta, e querendo prover nestas cousas de remédio conveniente, com autoridade apostólica, pelo teor das presentes, determinamos e declaramos que os ditos índios e todas as demais gentes que daqui em diante vierem à noticia dos cristãos, ainda que estejam fora da Fé de Cristo, não estão privados, nem devem sê-lo, de sua liberdade, nem do dominio de seus bens, e não devem ser reduzidos à servidão; declarando que os ditos índios e as demais gentes hão de ser atraídas e convidadas à dita Fé de Cristo, com a pregação da Palavra divina e com o exemplo de boa vida.” (http://www.deuslovult.org/2009/06/06/veritas-ipsa-paulo-iii/)

    Como é possível que os índios sejam “verdadeiros homens” sem alma, caro Sofismando?

    Em relação ao número de “astecas” (sic) mortos, lhe pedi UM livro sério que me comprovasse o que você disse, não uma aula de história, que você não é capaz de dá-la. Sou muito grato aos bravos e fiéis espanhóis e portugueses que trouxeram a fé católica aos gentios que aqui viviam sem conhecer o Evangelho e a caridade cristã.
    Para você, eles trouxeram apenas o pecado, não é mesmo, Cizaniando (“Se existiu algum pecado aqui naquela época, realmente creio que chegou dentro do Navio de Cabral em 1500”)?

    Os índios eram impecáveis, porque andavam nus…

    Por fim, Cizaniano, você andou citando passagens da Bíblia que, a seu ver, justificam o “batismo no Espírito”. Poderia citar-me documentos do magistério que confirmem a sua interpretação desses versículos?

  88. Sim, realmente Pedro Pelogia desmascarou o escapista-sofista-falacioso Sergio Souza, que ao invés de explicitar as questões que não foram respondias pelo Pedro, preferiu como covarde que é, dissimular e distorcer o assunto, fugindo da questão central e do assunto debatido.

    Sergio Souza é o esteriótipo perfeito dos carismáticos. Um discurso muito mais baseado em emoções e irracionalidades, do que em argumentos concretos, que explicitem suas idéias e seus posicionamentos. Mas pedir razão onde só se há emoção é pedir demais.

    Num movimento vindo de seitas pentecostais, onde a fé é tido como um sentimento do coração, não me estranha que se falte racionalidade nesses membros carismáticos…

    Aliás, quem é protestante?

    Pode me dizer aonde mais fora da RCC, se ora o bla bla bla de linguas?
    Resp: Nos protestantes neo pentecostais.

    pode me dizer aonde mais fora da RCC se faz esse misterioso batismo no espirito santo?
    resp: nos protestantes neo pentecostais

    Pode me dizer aonde mais fora da rcc há essas especies de “orações públicas para se obter curas”, onde se vê muito mais exibiocionismo, numa espécie de ver para crer, super valoriznado um contexto totalmente irracional e emotivo…?
    Resp: nos protestantes neo petencostais.

    Aonde mais fora da rcc é super exaltado esses pseudos-carismas da rcc, sendo que a Igreja Católica não é construida em cima desses carismas, mas em cima das virtudes sobrenaturais da fé, esperança e caridade?
    Resp: no protestantismo neo pentecostais.

    E poderia citar outras práticas mais, onde só vemos nos carismáticos, mas em nenhum outro católico fora desse movimento. Exceto nas seitas neo pentecostais protestantes.

    Aliás, seu fanatismo é semelhante a de um neo petencostal. Não me estranha. A rcc surgiu do protestantismo, e se conhecemos a arvore pelos seus frutos, não é de todo estranho que um carismático se comporte como um protestante.

  89. Filipe, o tal Sizenando se baseia pela colonozação dos terroristas e diabólicos protestantes que nitidamente não evangelizaram os índios daquelas regiões. Lá nos Estados Unidos existiu um verdadeiro genocídio que nossos professores marxistas (que o senhor Sizenando segue!)querem nos fazer acreditar que foi a SANTA IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA que os massacrou.

  90. Sizenando

    Paz e bem

    Pedro (Pedro)
    setembro 3rd, 2009 at 09:27

    […] Meu caro, aqui ninguém é seguidor da Montfort, somos apenas leitores de tal site.[…]
    Aqui a coisa começou a melhorar, só leitores sem compromisso, e logo abaixo a coisa piora ao extremo porque se tornam ovelhinhas de um aprisco de um aprisco totalmente suspeito e sem reconhecimento Pontifício, não são guiados pelo verdadeiro Magistério da Igreja e sim apenas por um Leigo comum como qualquer um de nós que se auto intitula “SENHOR DA VERDADE OERENE DA IGREJA“, Mas a mesma Igreja que ele diz defender não reconhece isso e nem assina embaixo.
    +
    […] O importante é que pelo site da Montfort somos conduzidos ao verdadeiro aprisco das ovelhas de Cristo. Porque a Montfort não fala de forma ambigua e ecumenica. Mas apenas repete de forma clara o ensinamento da Igreja. […]
    +
    Ambígua ? a Igreja nunca foi ! esta ambigüidade vem de Dom Lefebvre que interpreta tudo diferente ao que a Igreja interpretou com seu “MUMUS” apostólico que ele acabou traindo.
    AMBIGUA: Mais uma acusação tradicionalista para a lista das acusações contra a Igreja, nossa Santa Mãe e amada Igreja, Imaculada para Sempre.

    Ecumenista sim, O Papa é ecumenista e a Igreja Também deve ser, porque cumpre a missão de reunir todos os filhos de Deus e suas ovelhas espalhadas em um mesmo Aprisco, se no passado houve um atrito entre Pastor e ovelhas e elas se afastaram, cabe a este mesmo Pastor buscar as suas ovelhas, esta busca não significa que o Pastor se contaminará com as doenças da ovelha ou se tornará uma ovelha e sim que esta ovelha perdida deverá ser buscada, encontrada, acolhida, reconduzida, tratada e curada no verdadeiro Aprisco do Senhor, que é a Igreja, porque fora dela não existe Salvação.
    +++++
    Belo texto de Santa Catarina de Sena, mas as conclusões é que são nefastas, veja
    +
    […]Portanto meu caro, esses padres artistas da RCC, como pe fabio e pe marcelo, mais imersos nas águas iníquas do mundo, caso permaneçam em tal estado, não exalarão perfume, mas fedor.[…]
    +
    Por acaso meu amigo Pedro você não está no mundo ?
    Vives por acaso em uma bola de Cristal ?
    Vives protegido por uma aureola de Santidade, onde o Pecado não é capaz de lhe tocar ?
    Já és um Santo ?
    +
    “Jesus mesmo orava ao Pai, com tanto ardor e zelo que veio a suar gotas de sangue e ao Pai pediu naquele momento que não nos tirasse do MUNDO e sim que nos preservasse do mal.

    São João 17 –
    leia e ateste a verdade. ‘ORAÇÃO SACERDOTAL DE JESUS”
    +
    E você vem pedindo exatamente o oposto a Jesus, não seria uma contradição à vontade de Deus clara e explícita ?
    Jesus nos envia ao mundo para sermos o sal, a luz e o fermento para com nossas vidas e ações santificarmos o mundo com nossa presença ativa em seu meio (como fermento misturados na massa) e você quer retirar Padre Fábio e Padre Marcelo dos palanques, das multidões exatamente aonde Jesus andava, ou você já se esqueceu que Jesus multiplicou pães para cinco mil pessoas que estavam ouvindo suas pregações, esquecestes de que a Igreja é eternamente MISSIONÁRIA E QUE DEVE IR AO POVO onde quer que ele esteja.

    A Igreja trancada em suas quatro paredes com todos os seus Santos nos altares não tem nenhum valor para a missão de evangelizar, uma Igreja que só intercede enquanto os lobos atacam suas ovelhas lá fora não faz a vontade de Deus completa, nossa missão é evangelizar e converter as pessoas que estão no mundo e não somente aquelas que já estão dentro da casa de Deus, ou você considera que todas as pessoas deveriam ser obrigadas a vir para a Igreja sem que ninguém nunca lhes tenha testemunhado o amor de Jesus?

    Todos nós e também vocês defensores da verdade deveriam interceder [..] com joelhos no chão até sangrar (sit)* [..], para que Padre Fábio e Padre Marcelo convertam muitas almas para Jesus deste mundo que eles estão lançando as redes, deveríamos nós ajuda-los a puxar as redes para a barca de Pedro para cuidar de separar os peixes como na pesca milagrosa, deveríamos nós, sim todos nós, orarmos incessantemente para que Deus os Santifique e que sejam fiéis em sua missão de evangelizar preservando-os de todas as tentações e armadilhas do maligno, para que nenhum mal chegue até a sua tenda.

    Mas não !, ao invés de rezar e orar pela obra de evangelização ficam atirando pedras em nossos pescadores e maldizendo sua forma de agir e agora querem impedi-los de trabalhar, veja que absurdo, isto é que eu diria que é presunção, e o pior de tudo que nossos amigos Fedelistas que não passam de uns 300 neste imenso Brasil se especializaram em ficar blogando comentários nos sites alheios, dando opiniões no que você deve escrever e principalmente não vão ao povo para cumprir sua missão de evangelizadores, preferem pescar em nosso aquário que está cheio de peixinhos bonitinhos e gordinhos, se você disser que é mentira eu lhes mostro que é verdade porque 50% desses blogueiros já me confessou me confessou que foram Carismáticos “sem carisma”, apenas visitantes nos grupos e que acabaram não se satisfazendo ali por “N” motivos diferentes.
    Falando disso, me lembrei de uma dessas eis Carismáticas que brigou muito comigo e que um dia citou um nome que foi citado aqui acima “Padre Divino Antônio Lopes”, dizendo ser ele um Padre de prestígio, Católico Fiel, profundo conhecedor da Doutrina e uma pessoa acima de qualquer suspeita.
    +
    Fiz algumas perguntas a ela que não soube me responder como por exemplo?
    +
    De qual diocese é Padre Divino Antônio Lopes ?
    Em qual Igreja ele celebra missas ?
    Onde mora Padre Divino Antônio Lopes ?
    Você conhece a vida e o passado deste Padre ?
    Ou só o conhece pela internet ?
    Conheces a IFFPX ?
    Conheces a Nova Lânciano ?
    Ele é amigo de Orlando Fedeli ?
    +
    Sabe que ela foi atrás destas respostas e me retornou algumas delas, acabou encontrando o que não queria ou o que não imaginava que encontraria.
    +
    Buscou até apoio em um Ex, Seminarista dos Monges da Santa Cruz que se localizava ali ao lado da IFFPX e ele acabou confessando que jamais tinha entrado lá no local apesar de passar em frente todos os dias, isto é, não conhecia nada de concreto a respeito.
    +
    Vá você também atrás destas respostas, eu poderia adiantar algumas delas, mas prefiro não ser taxado de mentiroso, falacioso, fofoqueiro apesar de já estar devidamente preparado para responder à tudo isso, sei também que agora não posso mais contar com o próprio site da IFFPX porque retiraram do ar as principais fontes que atestavam contra eles mesmos.
    +
    Por este momento é só..
    +
    Paz e Bem

  91. Sizenando

    Caro

    Sergio Souza
    setembro 3rd, 2009 at 10:45

    Pelo menos ele declarou aqui acima, anteriormente em resposta ao primeiro texto lá em cima, que conhecia muito bem a rotina de uma Paróquia comum como a que conhecemos, então eu só queria mostrar a ele que eles nunca reconhecem o que de bom a RCC faz e sim cada errinho é extrematizado à mais alta potência como se uma gota d’água a mais fosse transbordar o oceano Atlântico invadindo o Rio de janeiro inteiro.

    Mas é só um exemplo de muitos outros que poderíamos oferecer, não acho muito bom fazermos propaganda daquilo que é nossa obrigação como Cristãos de realizar, mesmo que sejamos Carismáticos, tradicionalistas ou sem sigla nenhuma.

    Paz e Bem.

  92. Blasfemador Sizenando,

    Seu comportamento fanático é igual a de um protestante. Não converso com fanáticos teimosos.

    E a ambiguidade que eu me referi foi aos sacerdotes, nao ao magisterio da Igreja. Seja mais honesto, ainda que seu cerebro esteja derretido pelo carismatismo, esforce-se em não distorcer o que as pessoas escreveram.

  93. Sizenando

    Caro

    Renato
    setembro 3rd, 2009 at 12:22

    Quem falou aqui em historia dos Estados Unidos da América, quando Cristovão Colombo “que era uma ótima pessoa” descobriu a América, foi afastado e outros foram enviados para chegar ao continente maior mais à frente, há um filme muito bom que mostra esta “linda fase da história”, mas a seguência entrando adentro do continente Mexicano até a Cidade do México nunca vi um filme que falasse a respeito disso, mas uma coisa você tem razão, os ingleses nos EUA ainda foram piores que os espanhois no México, porque Cortéz ao destruir totalmente a cidade dos Astecas subiu em direção à California mais foi barrado pelos famosos índios Americanos dos filmes de “Cawboys”, conseguiram evitar a invasão da california pelos espanhois que resolveram descer em direção à América central, se bem que estes mesmos índios resistiram ainda muitos anos até que fossem dominados por completo pelos ingleses.

    Seu erro maior é que naquela época todos os espanhois e Ingleses eram todos Católicos, foi em 12/10/1492 que Cristovão Colombo chegou ao novo mundo, em 1521 Tenochtitlan foi destruída, ainda em 1521 Lutero foi finalmente excomungado, em 1534 a Inglaterra se separou de Roma e somente em 1583 os Ingleses começaram a colonizar os EUA, isto significa que o primeiro genocídio na América é de responsabilidade exclusiva dos espanhois poucos dias depois de Lutero ter sido excomungado, não estou equivocado, fiz minhas pesquisas e confirmações de datas.
    +
    Renato seu ódio aos protestantes é tão grande que joga a culpa de seus própios crimes em cima deles mesmo antes deles existirem como uma denominação paralela de expressão.
    +
    Antes de acusar alguém de alguma coisa é bom ter certeza do que está falando.
    +
    Não estou defendendo Protestante de crime algum, mas também não vou imputar-lhes um crime que não cometeram !

    Paz e bem.

  94. Veja que até mesmo um padre que condena o carismatismo é desqualificado, tudo em prol da imoralidade que é esse movimento. Ainda que tal padre pregue uma pureza moral que todos os fiéis deveriam seguir.

    Agora, vejam a hipocrisia, quando somos nós é que criticamos algumas atitudes pouco louvaveis de padres darcc, somos chamado de cismáticos e desobedientes.

    Não dá para conversar com quem é tão incoerente assim. Usa um peso e diversas medidas quando lhe convém.

    Você acha que os padres que eu citei sao os únicos que sao contra esse movimento protestantizado?

    Nem todo padre aprova as imoralidades que ocorrem nessas boates e discotecas de cristo…

  95. Caro Pedro Pelogia,

    o reconhecimento pontifício da Canção Nova não é “ad aeternum”, mas “ad experimentum”, ou seja, é para experimento durante um tempo de 5 anos.

    Depois disso, o Conselho Pontifício para os Leigos irá avaliar se a Canção Nova foi fiel às disposições do estatuto. Como acredito que o estatuto não contém os abusos que se cometem na “práxis do movimento”, cabe aos católicos, fiéis à doutrina de sempre e ao magistério da Igreja, enviar os eventuais abusos ao Conselho Pontifício para os Leigos, o qual, daqui 5 anos, levará tudo isso em consideração e julgará se a Canção Nova é ou não é digna do reconhecimento pontifício.

    Em Cristo.

  96. Ao
    Filipe
    setembro 3rd, 2009 at 11:29
    Caro Felipe já lhe disse que não aceito provocações, as provas que você me pede são as mesmas que você não oferece a ninguém e não me lembro de Jesus ter dado provas de que Nicodemus ou qualquer um outro era Fariseu, já que todos os conheciam, se julgas ser inocente desta acusação e não participas de nenhum complô contra Jesus ou motim contra a Igreja, ficarei satisfeito com sua palavra e lhe pedirei humildemente o seu Perdão por ter havido julgado mal sua pessoa.,
    Foi bom insistires na pergunta, porque encontrei a resposta no site do Professor Felipe de Aquino:
    http://blog.cancaonova.com/felipeaquino/category/escravidao/
    Segundo o texto que eu havia lido e que foi veiculado pela Tv, também me lembro de tê-lo ouvido na escola. Foi dito “Acreditava-se que índios e negros não tinham alma”, mas não se fala que era um documento da Igreja, apenas que era um costume e que não foi combatido com o vigor que deveria ter sido.
    Ou seja, não existia um documento que dizia o contrário !
    Eu disse claramente que após o massacre ter chegado à Roma, tomou-se providência sobre o assunto, neste caso entra a sua Bula “Veritas Ipsa” (1537), lembra-se que estávamos falando de 1521 exatamente 16 anos antes da Bula.
    O socorro aos índios Astecas chegou atrasado 16 anos, afinal ninguém sabia da existência de uma cidade urbanizada que se comparava à 2ª maior cidade do planeta na época, o que poderia ter aplacado a ganância destes homens, será que a Bula do Papa teria salvo aquela cidade se já existisse antes de 1521, não sei mas, salvou muitos outros da escravidão e do massacre que continuava ocorrendo.
    Na Bula “Immensa Pastorum”, de 1741, o Papa Bento XIV (1740-1758) condenou a escravidão.
    Mesmo assim a escravidão continuou no Brasil e em muitos outros lugares, na época que eu citei não existia um documento que dizia que os índios não tinham alma mas na falta de um que dizia o contrário, executava-se o que se acreditava na prática.
    Obrigado pela dica e pelo aprendizado.
    ++++++++
    Sua pergunta a respeito dos 400 mil índios, o texto é enorme e não cai pesquisa em cima do item, mas o numero de habitantes da Cidade era estimado em torno de 750 mil e era mais ou menos do tamanho de três Anápolis no ano de 1521.
    http://www.klepsidra.net/klepsidra6/astecas2.html
    Uma cidade de porte respeitável, não era uma audeiazinha qualquer com meia dúzia de índios não, é verdade que ninguém lá acreditava em Deus, e tinha seus próprios deuses de pedra, mas também não justificaria um massacre generalizado antes mesmo de se ter tentado uma aproximação e evangelização, mas a verdade é que usaram o nome de Deus para justificar os acontecimentos.
    Mas isto é história pagã, chega de detalhes sobre este assunto.
    ++++++++
    Sobre Batismo no Espírito Santo .
    Agora fiquei totalmente assombrado, não entendi sua pergunta !!!!!!!!
    A sua Bíblia não é um documento integrante do MAGISTÉRIO DA IGREJA ?
    Ela é o primeiro documento aceito e julgado PELO PRÓPRIO MAGISTÉRIO como inspirado pelo Espírito Santo, testemunho fiel dos acontecimentos que marcaram o nascimento, vida, morte e ressurreição de Jesus e base para todos os outros documentos da Igreja e você quer uma prova maior do que a VERDADE Bíblica ?
    http://br.geocities.com/pinto1968/fe/n13.htm
    http://www.veritatis.com.br/article/1387
    http://www.catequisar.com.br/texto/materia/biblia/geral/06.htm
    “Fica portanto claro que segundo o sapientíssimo plano divino a Sagrada Tradição, a Sagrada Escritura e o Magistério da Igreja estão de tal maneira entrelaçados e unidos, que um não tem consistência sem os outros, e que juntos, cada qual a seu modo, sob a ação do mesmo Espírito Santo, contribuem eficazmente para a salvação das almas” (Constituição Dogmática ‘Dei Verbum’, 10)
    Segundo este texto as Sagradas Escrituras estão no mesmo nível de importância do que a sagrada Tradição, significa que a Tradição não é mais do que a Bíblia e o Magistério também não é mais do que a Bíblia, logo você que segue a tradição e não lê a Bíblia está lhe faltando uma perna, me lembro de quando fiz o “Cursilho” isto foi exemplificado como um tripé de câmera fotográfica, tira-se um deles e os outros dois não ficam de pé, portanto não tem como dar mais valor à tradição ou ao Magistério, ambos teem o mesmo valor.
    Foi Um prazer lhe servir
    LEIA A BÍBLIA.
    Jesus te ama
    Filipe
    setembro 3rd, 2009 at 15:04
    AINDA EM TEMPO,
    PELO MENOS A TV CANÇÃO NOVA TEM UM RECONHECEMINTO, MESMO QUE SEJA PROVISÓRIO, MUITA GENTE FICA MORRENDO DE INVEJA, QUEM DERA A MONTFORT TAMBÉM FOSSE RECONHECIDA !
    É MUITO FÁCIL CONSEGUIR O RECONHECIMENTO !
    A PRIMEIRA COISA SERIA OBSERVAR O CONCÌLIO VATICANO II MESMO QUE PROVISÓRIO ELE FOSSE.
    FIQUE COM DEUS

  97. O ”conhecimento” do Sizenando sobre história, é o mesmo dos meus professores marxistas inimigos da SANTA IGREJA CATÓLICA: Nenhum!

  98. Pedro
    setembro 3rd, 2009 at 14:00
    Vai com Deus Pedro, Jesus te ama, em breve nos veremos.
    Paz de Jesus
    Ao
    Pedro
    setembro 3rd, 2009 at 14:10
    Ainda és o Pedro (só Pedro)
    +
    […] – Veja que até mesmo um padre que condena o carismatismo é desqualificado, tudo em prol da imoralidade que é esse movimento. Ainda que tal padre pregue uma pureza moral que todos os fiéis deveriam seguir. […]
    +
    Não desqualifiquei ninguém, quem sou eu para Julga-lo, mas é bom que todos saibam a verdade, você não acha ? acaso você tem medo da VERDADE ? a verdade não lhe tiraria nenhum mérito de tudo que ele faz de bom ou de “questionável”.
    +
    Nem jamais o DESQUALIFICARIA PERANTE A OPINIÃO PÚBLICA !
    +
    RESPONDA AS PERGUNTAS ABAIXO:
    Fiz APENAS algumas perguntas a você, conheces as respostas para elas ?
    Não fui eu quem citei o nome de Padre Toninho aqui, mas quando se indica alguém eu preciso pelo menos conhecer quem eu estou indicando, não achas correto ?
    +
    De qual diocese é Padre Divino Antônio Lopes ?
    Em qual Igreja ele celebra missas ?
    Onde mora Padre Divino Antônio Lopes ?
    Você conhece a vida e o passado deste Padre ?
    Ou só conhece seus textos pela internet ?
    Conheces a IFFPX ?
    Conheces a Nova Lânciano ?
    Ele é amigo de Orlando Fedeli ?
    Da outra vez que tentaram me responder estas perguntas, as paginas “arrancando máscaras da IFFPX saíram do ar”, quem sabe agora sumam as plaquetas que proíbem a aproximação publica do local sede da IFFPX !
    +
    Eu ficaria muito feliz se encontrasse uma porta de entrada para Visitar o famoso Padre citado acima, mas acho mesmo que ele se tornou apenas “VIRTUAL”, só é encontrado na NET.
    +
    VEJA AS FOTOS DO LOCAL.
    http://static.panoramio.com/photos/original/24226165.jpg
    http://static.panoramio.com/photos/original/24226814.jpg
    http://static.panoramio.com/photos/original/24226802.jpg
    http://static.panoramio.com/photos/original/24226236.jpg
    http://static.panoramio.com/photos/original/24226115.jpg
    NÃO SÃO LINDAS ESTAS FOTOS ?
    +
    A IFFPX está muito bonita, parece uma cidade Européia no meio do cerrado Goiano.

    Paz de jesus.

  99. Esse Sizenando é um doente mental. Seus argumentos provocam repulsa em quem os lê. Desvirtua e distorce tudo que as pessoas escrevem. E faz isso ao sabor de suas heresias bem típicas de um carismático desmiolado.

    Por ex:

    Você mostra o Papa beijando o alcorão, fato esse que é pecado conta a fé (Onde todos sabem que o papa não impecável, nem infalível em assuntos que não dizem respeito a fé e a moral quando ele se propõe a ensinar ex cathedra)

    esse Sizenando logo vem dizendo que anatematizamos o Papa e o chamamos de herege, numa atitude totalmente hipócrita, que nem condiz com aquilo que realmente escrevemos, nem visa responder aos argumentos propostos de seus opositores, mas sim covardemente desqualificar a pessoa que argumentou, numa tentativa de assim desqualificar também os argumentos. Aproveitando o ensejo de, com suas falácias e sofismas, dizer que vivemos na marginalidade e a parte da Igreja, que somos seguidores de Fedeli e outros absurdos mais.

    Ele vem fazendo isso atualmente no blog do Pe. Joãozinho. Ele e um tal de Sérgio.

    É de tirar do sério qualquer um. Ele e o tal de Sérgio… Se ao menos houvesse honestidade intelectual nesse carismático, seria possível argumentar, mas utiliza-se das mais vis estratégias. Quanta ingênuidade a minha. Dizer que uma pessoa tão infantil e imatura, que não suporta ler uma opinião que não corrobore a forma de vida que ele optou para si no meio carismático, seja capaz de formar uma boa estratégia para refutar seus opositores.

    Se esse tal Sizenando não tivesse apenas o desejo de defender seu profando movimento carismático, nem causaria indignação nas pessoas. Mas esse tal blasfema de tal maneira contra a Igreja, que num determinado momento, no blog do Pe. Joãozinho, ele disse que a Igreja Católica da Idade Média é uma pseudo-igreja… Na mesma postagem, ainda no blog do Pe. Joãozinho, ele tem a ousadia de dizer que a Igreja – corpo místico de Cristo – não é imaculada. Eis a prova de tamanha ousadia:

    “Se eu sou Católico é porque eu amo a Minha Igreja e não me importaria se algum dia na história ela tenha cometido algum erro, sei que você não concorda com esta opinião (não concordo mesmo, meu caro), já que só aceita a Igreja se ela for totalmente imáculada (e você, pensa que a Igreja tem alguma mácula), é por este motivo que ouço atrocidades e acusações veladas contra a Igreja de vossa parte, mas não… não é contra a Igreja, é somente contra os homens que a dirigem.” (sim, a Igreja é santa, diferentemente de seus filhos… Se você ainda não aprendeu isso, você é um péssimo católico)

    Ainda sobre a Idade Média e a Santa Inquisição, ele diz as maiores atrocidades que nem valeriam a pena dizer aqui.

    Eu juro, se tivesse estômago para ler novamente o que essa pessoa escreve, eu faria com gosto, para escrever um artigo contra esse iletrado fanático da RCC.

    De tamanha arrogância, que apesar de não saber nada sobre a Santa Inquisição, ele, soberbamente, ainda diz a uma outra pessoa:

    “Não vou dar aula de história para você, leia a historia da colonização da América que você verá …”

    Vejam, um iletrado que não sabe nada de História querer dar aula da matéria para uma outra pessoa.

    É o cúmulo da soberba.

    Vejam ainda a maldade distorcedora desse sujeitinho.

    Ao referir-me ao site da Montfort, dizendo que lá aprendemos e compreendemos bem as verdades que devemos crer, sendo conduzidos assim ao verdadeiro aprisco de Cristo, que é a Igreja, a criaturinha tem a audácia de perverter tudo o que eu escrevi, e saiu com essa:

    ” a coisa piora ao extremo porque se tornam ovelhinhas de um aprisco de um aprisco totalmente suspeito e sem reconhecimento Pontifício, não são guiados pelo verdadeiro Magistério da Igreja e sim apenas por um Leigo comum como qualquer um de nós que se auto intitula “SENHOR DA VERDADE OERENE DA IGREJA“, Mas a mesma Igreja que ele diz defender não reconhece isso e nem assina embaixo”

    Ao dizer que pela Montfort somos conduzidos ao verdadeiro aprisco de Cristo, a criaturinha logo distorce o texto, dizendo que com isso queremos ser seguidores da Montfort e não da Igreja… Totalmente desonesto… Mas a armadilha desonesta se dá no fato de que com isso, ele aproveita o ensejo para falar sobre o tal reconhecimento pontíficio da Canção Nova… dando a entender que um leigo batizado não possa ensinar a verdade e que só comunidades carismáticas com reconhecimento pontíficios (com prazo de validade de 5 anos) é que tem o direito de ensinar sobre verdades católicas…

    Então, quer dizer que agora eu deva escutar Pe. Fábio, Pe. Joãozinho, Pe. Jonas e outros heréticos da Canção Nova, só porque esses possuem “reconhecimento pontíficio…”?

    E antes que essa sujeitinho de intelecto tão reduzido se estrebuche todo lendo essa mensage, quero explicitar a seguinte desonestidae dele:

    Quando eu fiz referência a um bom sacerdote (padre Divino Antônio Lopes) esse pregando contra a imoralidade do carnaval em contraste com um outro sacerdote que defendia tal festa, Sizenando (jogando por terra tudo o que tinha dito sobre obediência) desqualifica a pessoa do Sacerdote, só porque este não corrobora com suas idéias carismáticas, carnavalescas e reboladoras…

    Em outro determinado momento, com sua histérica hipocrisia, bem típica de um fanático protestante da rcc, eu ao criticar a ambiguidade de alguns pastores que pregam de maneirasubjetica e ambígua, preferindo assim aos que pregam a verdade de maneira clara, o hipócrita sai com essa:

    “Ambígua ? a Igreja nunca foi (o retardado, eu não disse que a Igreja era ambígua) ! esta ambigüidade vem de Dom Lefebvre que interpreta tudo diferente ao que a Igreja interpretou com seu “MUMUS” apostólico que ele acabou traindo.
    AMBIGUA: Mais uma acusação tradicionalista para a lista das acusações contra a Igreja, nossa Santa Mãe e amada Igreja, Imaculada para Sempre. ”

    Isso depois de ter dito que ama a Sua Igreja, apesar de seus erros no passado…

    Quanta contradição para uma pessoa tão arrogante.

    Sem falar de suas imoralidades, como a defesa do nudismo que todos já sabem.

    Eu, ao criticar os padres artistas, que como sacerdotes, não deveriam ficar imergidos nas águas iniquias do mundo (referindo-me aí com uma citação de Santa Catarina de Sena), para exalar a verdade da boa doutrina e não o fedor pútrifo da heresia, Sizenando sai com essa máxima:

    “Por acaso meu amigo Pedro você não está no mundo ?
    Vives por acaso em uma bola de Cristal ?
    Vives protegido por uma aureola de Santidade, onde o Pecado não é capaz de lhe tocar ?
    Já és um Santo ?”

    Talvez, Sizenando se vendo interpelado com a autoridade de uma Santa, vendo seus delírios imorais e carismáticos caindo por terra, supôe que não vivemos nesse mundo… Que vivemos em marte ou em plutão…

    Ora, meu tresloucado amigo. Por acaso você já ouviu a expressão viver no mundo, mas não ser do mundo? Já ouviu que devemos viver no mundo, mas não amá-lo?
    O que eu quis dizer bem claro, é que esses sacerdotes moderninhos da RCC não devem mergulhar na iniquidade do Mundo e não que não se deva viver nele. Isso seria um absurdo de minha parte.

    Sua capacidade de não entender o que escrevemos supera a de uma criança de 9 anos que se finge de surda para não obedecer a sua mãe…Mas vindo de uma pessoa que se mete a falar sobre doutrina católica, é para se preocupar…

    E tem muito a dizer desse inimigo da Igreja… quem lê os posts dessa criatura, vê inclusive que ele desconhece que a Igreja é uma monarquia… Talvez nos seus delírios carismáticos ele pense que como católicos, membro da verdadeira Igreja, vivemos numa democracia…

    E no alto de sua prepotência, ele diz, mesmo no meio de católicos, que sua intenção é nos converter a Cristo…

    Lamentável…

    Post que eu postei para o seguinte blog:

    http://intribulationepatientes.wordpress.com/2008/04/27/carismatico-defende-o-nudismo/#comment-897

    Aguardando aprovação..

    Logo vemos que as maluquices desse sujeito são antigas…

    Ps. Estou curioso para ver quais distorçoes o falacioso e sofista irá fazer…

  100. De tanto falar em ”dons de línguas” os senhores Sizenando; Sergio Souza;… e outros do movimento ”carismático” já perderam o juízo!

  101. Pedro Pelogia

    E facilitou mesmo sr. Sergio. Lá vou eu “responder” suas questões. Espero que o sr. não volte dizendo que eu fiquei “sem respostas”.

    E obrigado pelo “asno”! O papagaio fala, o asno trabalha a lavoura, e é útil!

    *******
    “Marque X na alternativa correta. O nome do Bipos da Montfort é:

    1 – Dom Odilo Scherer ( )
    2 – Dom Orani ( )
    3 – Nenhuma das respostas acima (XXXXXXX!!!)

    O Bipos da Montfort é DOM…”

    A Montfort não tem Bispo pelo simples fato de que a Montfort não é uma PARÓQUIA, não é uma CAPELA, não é uma ORDEM RELIGIOSA (no caso haveria um Abade), enfim, a Montfort não é uma “igreja” para ter um bispo. Tampouco a Montfort é uma “diocese” ou um “priorado”. É uma associação de leigos.

    Os MEMBROS da Montfort têm Bispos. Orlando Fedeli tem um arcebispo, que é dom Odilo Pedro Scherer, pois o professor habita a Arquidiocese de São Paulo. Eu tenho um Bispo, que é o Bispo da diocese em que habito. Os leitores cariocas da Montfort encontram seu Bispo na pessoa de dom Orani Tempesta.

    Nós buscamos enxergar um BISPO no BISPO. Às vezes (dado o contexto dos tempos atuais, quase sempre), criticamos as atitudes de nossos bispos, mas não duvidamos da legitimidade de seu episcopado. Na crise atual da Igreja, provocada pelo episcopado, eu posso chegar a meu Bispo e dizer: o sr. é um mau Bispo! Mas eu nunca vou dizer a ele: o sr. não é Bispo! Ele foi sagrado validamente, em nome da Igreja e de Cristo, portanto ele é um Bispo legítimo, mesmo sendo legítimamente mau e incompetente.

    Enquanto o meu Bispo me pastorear usando o báculo da Verdade Católica, saiba que este asno aqui que vos fala é todo submissão para com ele, que é Sucessor dos Apóstolos. Quando porém o meu Bispo começa a governar sua igreja particular longe da fé católica sempre professada, longe das determinações do Papa (por ex.: proibindo a Missa Tridentina, que o Papa liberou), aderindo às heresias modernas como o ecumenismo e o libertacionismo, e constrangendo a Tradição, este asno aqui que vos fala se transforma num BURRO XUCRO, arisco ao arado e à corda, pois o burrão aqui acaba estranhando o Pastor que de repente deixa de agir como Pastor, e não sabe mais pastorear.

    Como já disse, a fé católica jamais significou obediência cega ao Superior, mas sim a obediência racional! O doutor São Jerônimo, brilhante tradutor das Escrituras, rompeu com seu Bispo tarado e mulherengo, não por este ser um lascivo, mas por ser um sacrílego, e querer justificar pela fé o seu modo de vida devasso. Ou seja, o Bispo em questão queria distorcer a fé, e isso Jerônimo não aturou. Vagou sem bispo até ser chamado pelo Papa Dâmaso para a grave tarefa de traduzir e comentar as Escrituras, e no fim enclausurou-se num Mosteiro na Síria sob a obediência do Abade, desta vez um homem reto na fé.

    Quanto ao IMPRIMATUR ECLESIÁSTICO que falta no site da Montfort, eu já disse que de fato ele infelizmente NÃO EXISTE (e duvido que existirá tão cedo), devido ao fato da Montfort criticar o Concílio Vaticano II. Este Concílio – assim concebemos, porque é a verdade – não foi um concílio dogmático, e a sua aceitação é puramente opcional.
    Isto ficou muito claro recentemente quando o Papa Bento XVI “reconheceu pontificalmente” o Instituto de vida consagrada “Bom Pastor” (IBP), dando a estes a oportunidade de CRITICAR construtivamente o Concílio Vaticano II. Assim sendo, o último Concílio da Igreja não está isento de falhas e arbitrariedades, diferente dos Concíios anteriores.
    O Concílio de Nicéia I e II não podem ser criticados. O Concílio de Calcedônia também não. Os Concílios de Verona e de Latrão não podem ser criticados. Trento e o Vaticano I também não, PORÉM, o Vaticano II PODE ser criticado, e três pontífices o afirmam: Papa João XXIII, que declarou na Sessão da Abertura que o Concílio seria um Concílio pastoral, e não dogmático; Papa Paulo VI, que CRITICOU o Concílio ao constatar os catastróficos resultados dele (“A fumaça de satanás entrou por uma fenda aberta no templo”); e mais recentemente, de forma muito mais direta e categórica, S.S. Bento XVI, gloriosamente reinante, que aprovou com todos os meios pontificais e legais uma congregação religiosa que CRITICA o Concílio Vaticano II.

    Espero ter respondido esta.

    *****

    “Cadê o reconhecimento Pontifício da Montfort? Tem não, não é Pedro!!”

    Que eu saiba, a Canção Nova conseguiu o Reconhecimento Pontifício NO ANO PASSADO. A Comunidade Canção Nova atuou SEM o seu valioso Reconhecimento Pontifício desde a sua fundação na década de 70. Se formos comparar, é até cedo para a Montfort obter um…

    E como lembrou nosso irmão Filipe, o Reconhecimento Pontifício dado à Canção Nova é de caráter experimental, ou seja, se o Vaticano julgar que esta Comunidade não se coaduna com a fé católica, o Reconhecimento voltará a ser um Desconhecimento Pontifício.

    Quando se deu o Reconhecimento Pontifício, o blog A Igreja Católica É A Igreja Una E Santa abriu a campanha QUEREMOS LER OS ESTATUTOS DA CANÇÃO NOVA (http://igrejauna.blogspot.com/…..ecida.html), em que reivindicava o conhecimento público dos documentos dados à leitura do Papa para que este aprovasse a Canção Nova. Nós, tradicionalistas, duvidamos que tais Documentos traduzam com fidelidade o que vem a ser a Comunidade Canção Nova. É custoso crer que o Papa Bento XVI, guardião da Fé católica e notório adversário da Liturgia modernizada e irreverente tenha dado seu reconhecimento oficial a uma entidade que promove tudo isso e um pouco mais…

    A Campanha correu internet afora. Literalmente entupimos duas caixas de e-mail do prof. Felipe Aquino e da Editora Cleofas, de mensagens solicitando o Estatuto, ao que uma sua secretária (não acho justo nem prudente citar o nome dela aqui) nos respondeu que “só os Membros da Comunidade Canção Nova têm acesso a ele [o Estatuto], pois é um documento interno e de formação; nele estão as experiências de nosso fundador com o carisma Canção Nova” (sic).
    Não compreendemos o que há de secreto nas “experiências” do fundador da Canção Nova (Monsenhor Jonas Abib), que seja restrito aos membros da referida entidade e que não possa VIR A PÚBLICO.

    A justificativa da secretária de Felipe Aquino dá entender que as “experiências secretas” de monsenhor Abib calhariam bem para os membros da Canção Nova, mas escandalizaria o resto do orbe católico…

    E mesmo que o Reconhecimento Pontifício tenha sido dado com o pleno conhecimento do Pontífice sobre o que se faz na Canção Nova, isto em nada abala os tradicionalistas que não comungam os ideais da mesma Canção Nova, visto que nenhum católico é obrigado a obedecer ou concordar com um Papa ou Bispo que aprova elementos estranhos à fé católica de sempre – neste caso: o pentecostalismo “católico” (carismatismo), o modernismo litúrgico irreverente e o ecumenismo.

    Espero ter respondido ao que o sr. perguntou, seu Sergio.
    Mais adiante o sr. usa o “dom de adivinhação” que os carismas modernos lhe conferem e diz que eu não sei o que é uma Paróquia…

    Uma Paróquia eu sei muito bem o que é, pois faço parte de uma, onde assisto Missa aos domingos e dias santos, confesso-me e adoro ao Santíssimo sempre que Ele é exposto.

    O que eu “não sei o que é”, ou melhor, sei muito bem e justamente por isso mantenho distância, são os movimentos, as pastorais, os “grupos”: não participo da RCC, não participo da retrógrada Pastoral Litúrgica (que ainda não leu o “Summorum Pontificum” e desconhece totalmente a “Redemptoris Sacramentum”), nem Pastoral da Dança, da Pastoral do Teatro ou da Pastoral do Tricô, de nenhuma das 4039481058 Pastorais da minha Paróquia ou Diocese.

    Espero ter respondido, seu Sergio. Como pode ver, não respondi suas perguntas com OUTRAS perguntas, e evitei ser mal-educado, coisa que me é um grande sacrifício, reconheço.
    Salve Maria, mãe do meu Senhor!

  102. Sizenando

    Como pode

    Nosso amigo

    Pedro (não o Pelógia)
    setembro 3rd, 2009 at 19:37

    Agora se superou por completo, tinha se despedido, teceu a minha pessoas os melhores elogios possíveis e agora vem com choradeira, parece criança mimada contrariada.

    Primeiro inventou uma mentira de minha pessoa.

    “JAMAIS DEFENDI NENHUM NUDISMO, QUE ISTO FIQUE BEM CLARO”

    Segundo:
    “NÃO CHAMEI A “IGREJA VERDADEIRA” DE PSEUDO-CATÓLICA, MAS DESIGNEI ESTE TÍTULO ÀQUELES QUE SE DIZEM CATÓLICOS E NÃO HONRAM O CATOLICISMO COM A DEVIDA OBEDIÊNCIA”
    PESSOAS QUE AGEM POR SUAS PROPRIAS PAIXÕES E SE DECLARAM CATÓLICOS PARTICIPAM DESTA IGREJA PSEUDO-CATOLICA, UMA IGREJA QUE SÓ EXISTE NA MENTE DAQUELES QUE A SEGUEM.
    O TERMO PSEUDO É JUSTAMENTE A DIFERENCIAÇÃO DO QUE É VERDADEIRO E DO QUE É FALSO.

    se é falso, não é a verdadeira, é a igreja do paraguai e pirata, paralela ou genérica como se diz.

    A verdadeira continua verdadeira e não estava na referência.

    ACHO QUE ATÉ AS CRIANÇAS SABEM DISSO.

    Terceiro:
    sou contra e serei contra a Inquisição como ela aconteceu “matar pessoas para defender a fé foi um erro”, para se defender a Fé verdadeira não seria justificável a morte de nenhuma pessoa, fosse ela herege ou não.

    Quarto:
    O texto estava fugindo do assunto para fatos históricos e tentei cortar o papo e o cara insitiu em respostas, quer saber história procure os devidos textos na internet.

    Quinto:
    Eu não desqualifiquei a pessoa de ninguém, mas as duas pessoas a quem perguntei sobre a pessoa indicada não me responderam nenhuma linha sobre ele:
    Será por que nada responderam ?
    Estão escondendo alguma coisa ?
    Por que uma simples pergunta desqualificaria alguém ?
    Que coisas este homem poderia ter feito que encontrarímos ao buscar respostas sobre ele ?

    quem desqualificou tal pessoa ao negar dar as respostas, foi você desqualificou ao jogar suspeitas sobre ele colocando esta palavra aqui neste blog, foi você quem a escreveu esta palavra e não eu.

    As respostas eram tão Simples e ninguém me respondeu !

    preferem fazer tempestade em copo d’água
    e indicam pessoas que nem conhecem como modelos de Santidade.

    depois me chamam de sofista, louco, herege, blasfemador e etc

    Sexto:

    Estes tradicionlaistas metem o pau na Igreja o tempo todo e depois chegam com esta carinha de inocente dizendo que eu a ofendi, dizendo que a mesma não era imaculada.

    O que eu disse é que você não seria capaz de aceitar a Igreja como ela é “Imaculada ou não”, porque você não a ama como ela é hoje, você ama somente a Igreja glorificada narrada por São João no Apocalipse, mas é incapaz de assumir a caminhada hoje e despreza os documentos atuais da Igreja, não é mentira, porque você declara abertamente que não aceita aquilo que a Igreja aceita, você aceita o que você quer e não o que a Igreja é.

    isto é que é incoerência.

    Disse que a Igreja é incoerente e que é ambigua e agora quer dizer que não disse, afirmando que eu não entendo o que ele escreve.
    Como entender o que alguém escreve, se este alguém distorce as suas palavras e afirma que você disse coisas que não disse.

    É meu amigo, o feitiço volta-se contra o feiticeiro, admita que você não ama a Igreja, adimita que você ofende a Igreja quando diz que ela se tornou Maçonica e modernista.

    Se para você não é ofensa, para mim é uma grande ofensa e eu sofro com essas ofensas.

    Dizer que a fumaça de satanás penetrou na Igreja também para mim é uma grande ofensa, e não venha com essa que a fumaça entrou só no templo ou só nos homens ou só no Vaticano II, você ofende a Igreja dizendo que ela é fraca e vacilante na pessoa do Papa, li isto no site do Fedeli e vem você dizendo que eu que a ofendo?

    Eu estou fazendo uma coletânia, com Links e provas de todas as ofensas que já li vinda de comentários tradicionalistas, vou blogá-las para que sirvam de referência e prova contra sua choradeira.

    A garotinha tradicionalista disse que a Igreja atual é como um […]Titanic afundando,[…] (sit) a minha Igreja é a mesma, ontem e hoje, porque vocês dirigem ofensas a Igreja hoje e não acham que foi um crime?

    +++++
    Você usa os termos mais chulos para designar meus amigos e irmão Católios que participam da Renovação e apela quando uso um adjetivo de elogio ao site Montfort, que não é não é nenhum segredo para ninguém, nem mesmo para seus membros colaboradores que é um site não recomendado pela representação da Igreja no Brasil, nem pela Igreja em Roma e nem pela Facção Levebvrista FSSPX que sriam os verdadeiros herdeiros de Lefebvre.

    Fedeli sim é um sofista, porque está sozinho defendendo sua propria verdade que não é a da Igreja verdadeira e nem a dos tradicionalistas oficialmente decendentes de Dom Marcel Lefebvre.
    ++++
    Eu jamais disse que vocês eram marginais e nem marginalizados, muito menos sectários, mas todas estas palavras acabaram sendo creditadas à minha pessoa, e sou eu uem estou inventando coisas !
    +++++
    Fiz um favor para você em divulgar belas fotos da Igreja de Padre Toninho, porque realmente o lugar é muito bonito mesmo, fiquei chateado porque não havia uma porta para que eu entrasse dentro da Igreja, para quem sabe ! rezar um pouquinho, tirar uma foto e guardar como recordação.
    Não estou nehum pouquinho desqualificando a sua pessoa, só estou lhe pedindo que construa um portão na frente da Igreja, para podermos assistir Missa Tridentina lá naquela Igreja tão Bonita.
    ++++++

    Não me leve a mal.

    Jesus te ama.

  103. Pedro Pelogia

    Meu irmão na fé e xará Pedro (o outro Pedro), Salve Maria!

    Obrigado pelo apoio!

    Mas quero lhe retificar que eu não desmascarei ninguém. Quem desmascarou o sr. Sergio foi ELE PRÓPRIO.

    A minha filosofia de debate é esta: deixar o adversário FALAR. Segundo o Eclesiástico, a fala é que revela o que vai no coração do homem.

    E a sua fala, caro Pedro, revela que você possui uma fé “rochosa” e inabalável! Fique com Deus!

  104. Pedro Pelogia

    Caro Sizenando:

    Pelos frutos conhecemos a árvore.

    A apostasia para as seitas neopentecostais protestantes, a perda do sagrado, a perversão da fé serão mesmo FRUTOS dos dons do verdadeiro Espírito Santo de Deus?

    O Espírito Santo, Deus da ciência e da luz, comunica-se por grunhidos incompreensíveis?

    O DOM DE LÍNGUAS existiu na Igreja, e foi importante em seus primórdios. Mas será que este “dom de línguas” moderno que é a devoção maior da RCC é o mesmo dom de línguas do início da Igreja?

    Copiei de um irmão tradicionalista (Evandro Júnior) a comparação entre o VERDADEIRO e o FALSO (e fatalmente praticado) DOM DE LINGUAS:

    Como se conhece o verdadeiro Dom de línguas?

    a) É entendido por todos (Atos 2:5-12).

    b) É INTERPRETADO por alguém na igreja (I Coríntios 12:10; 14:27).

    c) É feito com ORDEM: um de cada vez (I Coríntios 14:27, 30 e 40).

    d) Edifica a igreja (I Coríntios 14:5 e 26).

    e) Foi usado somente entre os crentes (Isaías 28:11; I Coríntios 14:22).

    f) Anuncia o nome de Jesus; converte pessoas (I Coríntios 12:3; Atos 2:40 e 41).

    g) É enriquecido pelo amor (I Coríntios 13:1).

    h) Trouxe transformação na vida de cada um (Atos 2:42-47).

    Como se conhece o falso Dom de línguas?

    a) Não é entendido por ninguém (I Coríntios 14:28; Isaías 33:19 e 20).

    b) Não o é porque o Espírito não habita onde há GRITARIA (Efésios 4:30 e 31; I Coríntios 14:33).

    c) Ninguém entende e como poderá interpretá-la se a própria pessoa não entende o que fala? (I Coríntios 14:6, 9 e 23).

    d) Não há ordem, todos falam juntos, provocando confusão.

    e) Ninguém é edificado (I Coríntios 14:9 e 10).

    f) É prática comum também entre os descrentes, isto é, os que estão fora da Igreja.

    g) Não anuncia o nome de Jesus, não converte almas, só emociona, fazendo com que a pessoa não preste um culto racional a Deus (isto é, dirigido pela razão), mas explora o sentimentalismo de pessoas facilmente emotivas.

    h) Não há amor, porque há ciúmes e contendas, um crente julgando-se superior aos outros que não aceitam esse suposto dom (I Coríntios 13:4 e 5).

    i) É pedido, buscando-se mais e mais, não como os apóstolos fizeram, buscando o “Assim diz o Senhor” (Atos 1:16-26).

    j) Isso não acontece por não haver obediência total (Atos 5:32).

    k) Não há nenhuma daquelas manifestações que houve no pentecostes. Só aquela confusão. Sons estranhos são características do paganismo, espiritismo, feitiçaria (Isaías 8:19).

    O Senhor não imita sons satânicos.

    *******
    Aprenda a distinguir o V e o F nas suas devoções, caro Sizenando. Fique com Deus!

  105. Sergio Souza

    Louvado seja o Nosso Senhor Jesus Cristo!

    http://blog.cancaonova.com/redacao/2009/09/01/portal-cancao-nova-chega-a-7-milhoes-de-acessos/

    Antes de qualquer comentário eu queria louvar o Senhor pelos números da Canção Nova!

    A primavera ainda não chegou e o cancaonova.com já está colhendo as surpresas de Deus: 7 milhões de acessos no mês de agosto.

    Isso mesmo! 7 MILHÕES DE ACESSO EM AGOSTO!

    É claro que não poderíamos deixar de agradecer aos seguidores da Montfort que AJUDARAM A COMPOR esse expressivo número de acessos, acessando principalmente o blog do Padre Joãozinho.

    Inclusive o padre do blog Joãozinho, no ranking de blogs da Canção Nova é o 2º no quesito de publicações e é o 3º no quesito de comentados!

    Agradeço de todo o coração ao Cléber, Pedro, Leonardo entre outros seguidores da Monfort por fazerem parte da família dos 7 milhões!

    O espaço estará democraticamente sempre aberto a vocês e quem sabe vamos chaegar a marca dos 10 milhões de acessos, também com a colaboração e audiência de vocês. Vocês são importante nisso!

    SER CANÇÃO NOVA É BOM DEMAIS

    Com orações,

    Sergio

  106. Sizenando

    Caro

    Pedro Pelogia
    setembro 4th, 2009 at 00:30

    Este vosso texto não é novidade para mim, uma vez que I Corintios 14 é o manual do verdadeiro Carismático, pelo menos aquele que se aprofunda na fé e busca a compreenção da verdade.

    Sabes o que está escrito em I Coríntios 14, é exatamente o que foi copiado na lista acima xerox de (Evandro Júnior).

    Professor Alessandro Lima também nos fez o favor de estudar o tema dois anos e escreveu um livro de 40 paginas terminando o mesmo com um Bom conselho, que eu trocaria pelo conselho de um Santo bem mais conceituado do que aquele que ele citou.

    No final do Capitulo de I Cor 14, São Paulo nos aconselha:

    39.Assim, pois, irmãos, aspirai ao dom de profetizar; porém, não impeçais falar em línguas.
    http://www.bibliacatolica.com.br/01/53/14.php

    Eu concordo e recomendo os conselhos acima citados a todos os Carismáticos deste Brasil desde que sejam acompanhados deste último versículo de São Paulo.
    ++++
    Vejo um grande progresso no meio tradicionalista, pelo menos já admitem que Dom de Línguas existe e que se manifesta em nosso meio nos dias de hoje, se não para que justificar a diferença entre o falso e o verdadeiro, se ele não existe.

    Muito obrigado Pedro Pelógia pelos conselhos, siga-os e não se esqueça de reles I Coríntios 12, 13 e 14.

    Amem.

  107. Pedro Pelogia, Salve Maria!

    Você tem toda razão quando diz:

    “Mas quero lhe retificar que eu não desmascarei ninguém. Quem desmascarou o sr. Sergio foi ELE PRÓPRIO.

    A minha filosofia de debate é esta: deixar o adversário FALAR. Segundo o Eclesiástico, a fala é que revela o que vai no coração do homem.”

    Apesar de considerar a RCC um mal que merece ser extinguida, o que provoca repulsa nesse debate é a forma pitoresca e papagaiesca como nossos opositores formulam seus argumentos. Desvirtuam e distorcem ao sabor de suas próprias heresias aquio que escrevemos, não apresentam argumentos nenhum e ainda possuem a cara de pau de dizerem que não argumentamos.

    Mas veja a língua bifurcada desses carismáticos. Apesar de serem desmascarados com seus próprios argumentos e contradições (coisa bem típica de papagaio, que fala de mais e sem coerência), linhas abaixo a criatura nega na maior cara de pau que o que ela quis dizer não foi bem aquilo, que nós é que entendemos mal. São tantas incoerências ‘imbessílicas’ que nem valem a pena responder. Só para citar uma, eis o que o papagaio incoerente diz:

    “Dizer que a fumaça de satanás penetrou na Igreja também para mim é uma grande ofensa, e não venha com essa que a fumaça entrou só no templo ou só nos homens ou só no Vaticano II, você ofende a Igreja dizendo que ela é fraca e vacilante na pessoa do Papa, li isto no site do Fedeli e vem você dizendo que eu que a ofendo?”

    Agora veja só você…O sujeitinho desmiolado e arrogante atribui uma fala do PAPA a nós que não temos nada a ver com isso.

    A língua bifurcada desses dois carismáticos é de espantar a mais venenosa serpentes jamais existente no planeta Terra.

    Se eles são estereótipos do carismatismo, eu fico imaginando o que seja os demais. Mas imagino que a maioria que está de boa fé nesse movimento, não sejam tão IDIOTAS iguais a esses dois.

    Para você ter uma idéia, o Márcio do blog pacientes na tribulçõao, me confidenciou que esse carismático que debate conosco, foi o único que foi expulso do seu blog, que não pode mais comentar lá. Num blog onde todos podem comentar e expor suas idéias livremente, só uma pessoa (e mais um evolucionista) conseguiu ser expulsa nesse tempo todo, tamanha sua falta de honestidade nos argumentos.

    Eu, Pelogia, encerro por aqui… Se houvesse coerência e honestidade intelectual nos nossos opositores até valeria a pena o debate.

    Prefiro ensinar Shakespeare a um mico leão dourado a participar de um debate com a presença dessesdoi.

    Despeço-me.

  108. Sergio Souza

    À Pedro Pleogia e os Montfortianos…

    Obrigado por fazer parte dos 7 milhões de acessantes da família CANÇÃO NOVA.

    Neste blog os seguidores da Montfort não apresentaram o Bipos que lhes acolhe. Que lástima Pedro e cia!

    Diferentemente deles, se me fosse questionado eu lhes daria uma resposta concreta, coisa que eles nunca fizeram.

    A Canção Nova de cabeça erguida e em comunhão com a Igreja, tem a certeza dos Bispos que a acolhem a Canção Nova. Então toma aí para você:

    Dom Antônio Afonso de Miranda, na época, Bispo de Lorena (SP) auxiliou nos primeiros passos, o Monsenhor Jonas Abib.

    Dom João Hipólito de Morais, que sucedeu Dom Antônio na Diocese de Lorena, foi um grande incentivador da obra Canção Nova. A ele foi dedicado o Centro de Evangelização em Cachoeira Paulista (SP). Dom Eduardo Benes, permaneceu na diocese por apenas quatro anos, mas foi tempo suficiente para mostrar sua sólida amizade. “A comunidade Canção Nova dá um testemunho muito grande, que aparece nos meios de comunicação, mas, que tem uma base interna de muita vida de oração, e isso tudo me fez ter pela Canção Nova uma grande estima”, afirma.

    O atual Bispo de Lorena, Dom Benedito Beni afirma que a Canção Nova é um Dom do Espírito para a Igreja e que este Dom apresenta dois importantes aspectos: “o primeiro é da evangelização, a Canção Nova surgiu para evangelizar. E o segundo complemento desse carisma é a própria vida comunitária, é uma novidade na Igreja”.

    Dom Alberto Taveira, Arcebispo de Palmas, TO, reconhece na Canção Nova uma Obra divina e desde 1998, ordena os sacerdotes vocacionados a Canção Nova.

    Isso sem contar os Bispos que acolhem a Canção Nova nas várias cidades onde ela têm casas de missão: Brasília, Gravatá, Fortaleza, Curitiba, Rio de Janeiro, São Paulo…

    Dom Odilo, acolhe a Canção Nova, e tem um blog na Canção Nova, sabia? Acessa: http://blog.cancaonova.com/dis…..sionarios/

    Querem saber a opinião de Dom Odilo sobre a Canção Nova?

    O Arcebispo de São Paulo, Cardeal Odilo Pedro Scherer, ao destacar que “ter um meio de comunicação como a CN, com seu sistema, ajuda muito a que nós, como Igreja Católica, neste mundo imenso que é a cidade de São Paulo, não submerjamos no silêncio”.

    Dom Odilo explica que “cada meio de comunicação multiplica a capacidade da Igreja de chegar à casa das pessoas e acompanhar suas vidas. Por isso, nós temos que fazer todo o possível para estar presentes nos meios de comunicação, e até mesmo apoiar os que estão ligados à Igreja para que eles possam ajudá-la a fazer o seu trabalho”.

    IRMÃOS, são os BISPOS da IGREJA DO SENHOR. Sucessores legítimos dos Apóstolos. SERÁ TODOS SÃO A FAVOR DAS HERESIA QUE VOCÊS DIZEM QUE A CANÇÃO NOVA TEM? Sejam mais humildes!

    E todos esses comentários dos Bispos podem ser acessados no portal da Canção Nova, já bem FAMILIAR A VOCÊS, não é?

    E para terminar. Não sei se vocês tiveram aula de CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA, mas deveriam iniciar ou voltar a estudá-lo:

    “§2179 Paróquia é uma determinada comunidade de fiéis, constituída de maneira estável na Igreja particular, e seu cuidado pastoral é confiado ao pároco, como a seu pastor próprio, sob autoridade do bispo diocesano.” E o lugar onde todos os fiéis PODEM SER CONGREGADOS PELA CELEBRAÇÃO DOMINICAL DA EUCARISTIA. A paróquia inicia o povo cristão na expressão ordinária da vida litúrgica, reúne-o nesta celebração, ensina a doutrina salvífica de Cristo, pratica a caridade do Senhor nas obras boas e fraternas.

    Não podes rezar em casa como na Igreja, onde se encontra o povo reunido, onde o grito é lançado a Deus de um só coração. Há ali algo mais, a união dos espíritos, a harmonia das almas o vínculo da caridade, as orações dos presbíteros”.

    Que tipo de católico são vocês, que fazem absoluta questão de seguir um Luterano enrustido, como Fedeli, sem estar congregado com os irmãos fiéis? Sem estar em união com os Bispos da Igreja?

    Revejam sua vidas espirituais e convertam-se dessa rebeldia à Igreja de Deus.

    Outra, antes de postarem algum comentário neste blog, agradeçam também a Deus pela Canção Nova que acolhe EM SEU BLOG, os comentários dos seguidores de um herege rebelde como vocês!

    Já lhes esclareci a verdade dos fatos. QUEREM ANDAR NOS ANTROS DAS TREVAS DA REBELDIA? CONTINUEM!

    Mas lhes peço em nome de Jesus, creiam ao menos que, quando quiserem voltar, a Igreja, EM COMUNHÃO A SEUS VERDADEIROS pastores, e não com Fedeli, essa mesma Igreja estará de braços abertos para lhes acolher!

    FIQUEM EM COMUNHÃO COM A IGREJA, PORQUE “AS PORTAS DO INFERNO JAMAIS SE PREVALECERÃO CONTRA ELA”.

  109. Caros amigos,
    Salve Maria!

    O problema das defesas do Sr. Sizenando, tem como origem, a concepção de que o Cristianismo é, o encontro com pessoas. Daí ser natural, ele defender algumas pessoas (e atacar outras), e saber pouco doutrinariamente falando. Eis o culto do homem!!!

    No site da Fraternidade Sacerdotal São Pio X, existem dois textos que explicam muito do que ele e o Sr. Sérgio Souza, vem defendendo. Deixo abaixo o primeiro e em outro post, coloco o segundo. Fiquem com Deus.

    Abraços

    Pe Rífan

    Escândalo Farisaico

    O escândalo farisaico, ensina o catecismo, acontece quando uma palavra ou ação, irrepreensível em si mesma, provoca espanto e escândalo em certas pessoas tendenciosas, as quais fecham os olhos para outros fatos realmente escandalosos.

    O nome vem do procedimento semelhante dos Fariseus, dos quais Jesus disse que “filtravam um mosquito e engoliam um camelo” (Mt. 23, 24). Cometiam os maiores crimes e injustiças e se escandalizavam, por exemplo, quando Jesus, para fazer o bem, não observava, como eles queriam, a lei do sábado.

    A história se repete.

    Quantos estão rasgando as suas vestes, a modo dos Fariseus, escandalizados porque Dom Marcel Lefebvre, para continuar com a Tradição da Igreja e fazer frente à heresia reinante, resolveu sagrar bispos realmente católicos!

    Mas não se escandalizaram quando João Paulo II, visitando um templo luterano, elogiou a profunda religiosidade e a herança espiritual de Lutero (17/11/1980)! Nem se escandalizaram quando, acompanhado de vários Cardeais, João Paulo II, num templo luterano em Roma, participou de um ofício herético e recitou uma oração composta por Lutero (11/12/1983)!

    Nem se escandalizaram quando João Paulo II recebeu uma delegação da maçonaria judaica B’nai B’rith, qualificando a recepção de “encontro entre irmãos” (17/4/1984)!

    Nem se escandalizaram quando, na Tailândia, João Paulo II visitou o Patriarca Budista de Vasana Tera, diante do qual ele se inclinou profundamente (12/6/1984)!

    Nem se escandalizaram quando, no Togo, ele assistiu, na “Floresta Santa”, a ritos animistas e participou de ritos satânicos em Kara, em Togoville (8/8/1985)!

    Nem se escandalizaram quando João Paulo II, na Índia, recebeu de uma sacerdotisa hindu, na testa, o sinal de “Tilak” (2/2/1986)!

    Nem se escandalizaram quando João Paulo II visitou a grande Sinagoga de Roma, onde participou da recitação de salmos (13/4/1986)! Nem quando João Paulo II convidava os católicos e judeus a prepararem juntos o mundo para a vinda do Messias (!) (24/6/1986)!

    Nem se escandalizaram quando, na Igreja de São Pedro, em Assis, no encontro promovido pelo Vaticano, os bonzos adoraram o Grande Lama, que para eles é a reencarnação de Buda, sentado de costas para o Sacrário, com o Santíssimo (cfr. Avvenire 28/10/1986)!

    Nem quando, no mesmo encontro, na mesma igreja, o ídolo de Buda foi colocado sobre o Tabernáculo do Altar principal e lá foi adorado por eles (cf. Avvenire e Il Mattino 28/10/1986)!

    Nem quando, ainda no encontro de Assis, patrocinado pelo Vaticano, os hindus invocaram os seus deuses, sentados em torno do altar da Igreja de Santa Maria Maior (cfr. Il Corriere della Sera, 28/10/1986)!

    Quem, portanto, não sentiu profunda dor no coração ao ver assim o Sangue de Cristo ser pisado e a missão da Igreja ser traída, só hipocritamente poderá “rasgar as vestes” e “atirar pedras” diante da atitude firme e corajosa de Dom Marcel Lefebvre, levado unicamente pelo amor à Santa Igreja de Deus.

    Já dizia São Gregório Magno: “É preferível que aconteça um escândalo que esconder a verdade. Escândalo duplo seria tolerar o erro, cobrir um crime com sua desculpa para não dizer sua cumplicidade”!

  110. Padre Fernando Arêas Rifan 31 de agosto de 1986

    Verdade X Autoridade

    Nosso Senhor fundou uma Igreja hierárquica, com Papa e Bispos a quem se deve obedecer. Esses hierarcas não são donos ou proprietários da Igreja. São administradores; e o que deles a Igreja exige é que sejam fiéis transmissores (Concílio Vaticano I – Dez. 3070). Seu poder é grande, mas não absoluto ou sem limites. E o fiel pode muito bem usar do direito – e da obrigação – de comparação entre o que lhe ensina e o que foi sempre ensinado, conforme proclama o Apóstolo São Paulo: “Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie um Evangelho diferente daquele que vos tenho anunciado, seja anátema”. (Gal. 1, 8). A Igreja quando manda obedecer não o faz incondicionalmente, mas dá ao fiel o direito de analisar, comparar e resistir, se for preciso, como o disse e fez São Paulo com relação a São Pedro, primeiro Papa. (Cfr. Gal. 2, 11-14 e Suma Teológica II-II, q. 33, a IV).

    Quando os tempos são normais e as autoridades nos transmitem a verdadeira doutrina tradicional, não há por que não obedecer, como o fizeram os santos de tais épocas. Mas se não, eles sabiam resistir e arrostar todas as pressões, arbitrariedades e abusos de poder.

    O célebre hagiógrafo católico Dom Guéranger assim resume esta posição, comentado a resistência oposta pelos fiéis às autoridades que patrocinaram o erro no tempo da heresia do Bispo Nestório: “Quando o pastor se transforma em lobo, é ao rebanho que, em primeiro lugar, cabe defender-se. Normalmente, sem dúvida, a doutrina desce dos Bispos para o povo fiel, e os súditos, no domínio da Fé, não devem julgar seus chefes. Mas há, no tesouro da revelação, pontos essenciais, que todo cristão em vista de seu próprio título de cristão, necessariamente conhece e ‘obrigatoriamente’ há de defender. O princípio não muda, quer se trate de crença ou procedimento, de moral ou de dogma. (…) Os verdadeiros fiéis são os homens que extraem de seu Batismo, em tais circunstâncias, a inspiração de uma linha de conduta; não os pusilânimes que, sob pretexto especioso de submissão aos poderes estabelecidos, esperam, para afugentar o inimigo, ou para se opor às suas empresas, um programa que não é necessário, que não lhes deve ser dado” (L’Année Liturgique, p. 340 ss).

    Evidentemente, viver em tempos de crise, como os que nós vivemos, é muito penoso e exige-se então, de cada um, verdadeiro heroísmo. É muito fácil defender causas já vitoriosas. O difícil é trabalhar arduamente pela vitória de uma causa justa. É muito fácil ser o corajoso adepto de uma verdade já vencedora. O difícil é aderir à vontade quando ela está perseguida e humilhada. É mais cômodo juntar-se às fileiras do exército vencedor. É mais agradável seguir a maioria, estar bem com quem está no poder. Mas é tremendamente incômodo lutar pela verdade quando até as autoridades patrocinam a causa contrária e favorecem o erro.

    Hoje, quando a história já deu ganho de causa a Jesus Cristo, contra Anás e Caifás, não há quem julgue que, se vivesse naquele tempo, teria sido um fiel discípulo do Salvador e jamais teria tomado o partido de Caifás. Mas, teriam esses mesmos coragem de enfrentar as autoridades oficiais da religião verdadeira de então? Caifás era o Sumo Pontífice, cercado de outros representantes oficiais do poder de Deus. E nós vemos pelo Evangelho a “pressão” que essas autoridades faziam sobre os que queriam seguir a Jesus. São João no seu Evangelho (9, 22) narra aquela passagem dos pais do cego curado por Cristo negando-se a confessar o milagre porque os judeus tinham decidido expulsar quem aderisse a Jesus. É difícil ficar com a verdade até contra a autoridade. Por isso Jesus ficou com bem poucos amigos, porque a maioria não suportou a pressão e o peso da autoridade religiosa e preferiu ficar do lado do Sumo Pontífice Caifás e condenar a Jesus como impostor, ladrão e agitador do povo.

    Hoje, séculos depois, quando vemos na História da Igreja (Cfr. Denz.-Sch. 561 e 563) que o Papa Honório I favoreceu a heresia e por isso foi condenado pelo seu sucessor Papa São Leão II e pelo VI Concílio Ecumênico por estar em desacordo com a tradição da Igreja, fica fácil dizer que nós, naquele tempo, também estaríamos do lado de São Máximo e São Sofrônio, que resistiram ao Papa e foram canonizados, isto é, colocados pela Igreja como modelo de fidelidade para todos os cristãos. Mas se defendêssemos o “dogma” da obediência incondicional ao Papa, como muitos hoje o fazem, estaríamos sim do lado dos hereges.

    Assim também no confronto entre o Papa Libério e Santo Atanásio, este, defensor da ortodoxia e por isso expulso de sua igreja, e aquele, o Papa, que assinou uma fórmula ambígua e heretizante, ao sabor dos hereges e excomungou Atanásio porque este se recusava acompanhá-lo na sua defecção. O Papa Libério então, em nome da paz e da concórdia, declarou-se em união com todos os Bispos, inclusive os semi-arianos, menos com Atanásio, ao qual proclamou alheio à sua comunhão e à comunhão da Igreja Romana (Cfr. Denz.-Sch. 138). Santo Atanásio, por defender a sã doutrina, foi condenado como perturbador da comunhão eclesial! Hoje, depois que a Igreja canonizou Santo Atanásio como ínclito defensor da Fé e da Tradição, fica fácil dizer que estavam certos aqueles poucos que ficaram ao lado do Santo e foram expulsos das igrejas oficiais, sendo obrigados a se reunirem nos desertos debaixo de sol e chuva, mas conservando a fé intacta e respondendo aos hereges: vocês têm os templos, nós temos a Fé! (Cfr. São Basílio, ep. 242, apud Cardeal Newman – Arians of the Fourth Century, apêndice V). Mas, como ficariam, se vivessem naquele tempo, aqueles que põem na obediência o seu universo mental? Evidentemente do lado mais fácil e cômodo da autoridade, e da heresia por ela favorecida.

    Hoje, a história da Revolução Francesa nos ensina quão covardes foram aqueles padres e bispos que, para conservarem as suas igrejas e seus cargos, aceitaram um compromisso com os dominantes e fizeram o juramento revolucionário, e quão heróicos foram aqueles sacerdotes que a isso se recusaram e foram expulsos, tendo que atender ao povo fiel nos paióis, escondidos e perseguidos.

    De nossa parte, temos a plena convicção de que o melhor serviço que podemos prestar à Igreja, ao Papa, ao Bispo e ao povo cristão é defendermos a tradição, a doutrina que a Igreja sempre ensinou, mesmo à custa de sermos perseguidos, injuriados e até expulsos das igrejas. Podem nos tirar os templos, mas jamais a nossa Fé! Assim o dizemos, confiados unicamente na Graça de Deus.

    A história nos dará razão! E, mais do que o tribunal da história, o tribunal de Deus, para o qual apelamos! Que Nossa Senhora nos dê coragem e perseverança.

    Jornal Heri et Hodie (de Campos), nº 33 – setembro de 1986.

    Cfr. Folha da Manhã, 31/08/86)

  111. Sergio Souza

    Então Pedro…

    Nossa quanto ódio, hein? Louvado seja a Canção Nova existir em sua vida para você poder destilá-lo. Veja quem é que tem a língua birfucada

    Faz muito bem em ensinar a um mico Leão Dourado… É bem mais útil do que seguir a Montfort. Tomara a Deus que você seja bem sucedido nessa missão!

  112. Sergio Souza

    Então…

    Hoje estamos felizes pelos 7 milhões de acessos do Portal Canção Nova.

    Já imaginaram, o que Pedro falou? Ele disse que a RCC, Canção Nova, era um mal que deveria ser extinguido.

    Mas se fosse extinguida, como é que ele iria descarregar esse ódio que ele tem pelos outros irmãos da Igreja?

    Os seguidores de Montfort, quanto mais esbravam desesperadamente tentando se salvar nesse blog, quanto mais odeiam a Canção Nova, menos conseguem deixar de ACESSAR seu portal aumentando o contingente de ACESSOS, ou seja, ajudam a ENGRANDECER esse meio que a Canção Nova dispõe para evangelizar.

    Para os números da internet, 7 milhões de acessos, a CANÇÃO NOVA aparece com uma potência nesse meio, e vocês, não há como negar fazem parte dessa família. POR ISSO A CANÇÃO NOVA CELEBRA: 7 MILHÕES DE ACESSOS!

    Fedeli, sabe muito disso. Por isso ele deve fugir desse blog. Primeiro poruqe não tem resostas e segundo para não dar audiência a Canção Nova. Veja se há algum comentário dele?

    SER CANÇÃO NOVA É BOM DEMAIS! Tão bom que até que a odeia, como Pedro’s Pelogia e sem Pelogia, não conseguem deixar de ACESSÁ-LA…

    É isso aí… Juntos chegaremos aos 10 milhões!

  113. ao

    Pedro – pedro
    setembro 4th, 2009 at 09:45

    “Dizer que a fumaça de satanás penetrou na Igreja também para mim é uma grande ofensa, e não venha com essa que a fumaça entrou só no templo ou só nos homens ou só no Vaticano II, você ofende a Igreja dizendo que ela é fraca e vacilante na pessoa do Papa, li isto no site do Fedeli e vem você dizendo que eu que a ofendo?”

    Agora veja só você…O sujeitinho desmiolado e arrogante atribui uma fala do PAPA a nós que não temos nada a ver com isso.

    +++++
    Foi muito bom retornarmos a este assunto, porque a na minha opinião particular o Papa Paulo VI se referia ao Cisma criado por Dom Marcel Lefebvre e não aos resultados efetivos do Concílio, que na época ainda nem tinha começado a fazer efeito na pratica, o Papa João Paulo II também analisou os resultados do Concílio e achou tão satisfatórios que comparou com a Primavera da Igreja, no entando o Cisma de Dom Lefebvre continua perturbando a paz do Papa Bento XVI até hoje.
    ++++

    Pedro Pelógia que escrevia com dois nomes, jogou a toalha, também só sabem denegrir a imagem das outras pessoas e nada mais e depois diz é que nós é que não sabemos argumentar.

    Só porque eu concordei com o que ele havia dito e ainda elogiei por demonstrar que aceirava o Dom de línguas, Sergio Souza também agradeceu a sua presença dizendo que a Canção nova estava de Braços abertos para recebé-lo, vem com essa história que o ofendemos, quem entende esse moço, podem ler nossos dois últimos comentários, o meu e o do Sergio, veja se ele não foi elogiado e bem acolhido, eles só estão satisfeitos quando são chingados porque só sabem discutir e nunca conversar civilizadamente.

    +++++

    Vejam só que mentira absurda!!! disse ele que o Márcio me expulsou de seu Blog, ainda ontem deixei um comentário lá e o comentário ficou lá, mas se ele me expulsou, mostra-se que ele é o covarde mais vil deste mundo, porque bate e corre, depois volta e bate em suas costas e corre de novo, ele desafiou a todos os Carismpaticos a defenderem o Batismo no Espírito Santo, eu lhe escrevi trezentos comentários e ele apagou todos por pura covardia, assim se mostra que é um verdadeiro FEDELISTA, só querem falar, falar, falar e jamais escutar.

    querem bater, bater, bater e se recebem uma palavrinha meio ríspida aprontam uma choradeira que não tem mais tamanho e fogem apresadamente porque são covardes por natureza e incopetentes além de farsantes, dissimulados e mentiros.

    Todos vocês Fedelistas estão convidados para uma Visitinha em meu Blog, pode falar o que quiserem desde que seja com toda a educação e não sejam cópias enormes de livros ou de outros autores que não estão presentes. Venham debater o assunto em questão desde que seja lido na integra, meu Post sobre Batismo no Espírito está à vossa disposição, não tenho medo de vossas afirmações, só terei o que ganhar com o debate, porque serei obrigado a me apofundar no assunto mais do que já aprofundei.

    Que Deus vos abençõe cada vez mais com a presença de seu Espírito em vossos corações.

    Obrigado a todos.

  114. Sergio Souza

    O golpe final nos seguidores da MONTFORT!!!

    Eu aqui descrevi a visão que os Bispos da Igreja Católica, VERDADEIROS PASTORES, de quem é católico, têm em relação a Canção Nova.

    Agora vamos ver a visão que a ARQUIDIOCESE DE SÃO PAULO, tem sobre a MONTFORT.

    Fiz alguns questionamentos sobre a Montfort a Arquidiocese de São Paulo e veremos a PALAVRA OFICIAL da Igreja em São Paulo que é a que um verdadeiro católico deve seguir.

    Introdução:

    Prezado Sérgio,

    A Associação Monfort é dirigida por Orlando Fedeli, ex-integrante da TFP. Suas idéias são bastante polêmicas não aceitando o Magistério da Igreja, principalmente em relação ao Concílio Vaticano II. Embora este tenha rompido com a TFP as mensagens que são passadas através deste site denotam sua ligação estreita com o pensamento daquele movimento. Em relação às suas perguntas, respondo abaixo:

    PERGUNTEI: Esse movimento é aprovado pela Arquidiocese de São Paulo?
    Não. Este movimento não fala em nome da Igreja. A palavra oficial da Arquidiocese está no site da Arquidiocese (arquidiocesedesaopaulo.org.br), no Jornal O São Paulo e nos documentos emitidos pelo arcebispo.

    Vocês têm algo publicado contra ou favor deles?
    Não.

    Há algum comunicado do Vaticano em relação a esses movimentos do estilo da MONFORT?
    Não. O católico ouve o magistério da Igreja e não movimentos que pretensamente dizem ser os donos da verdade.

    Vocês aconselham os fiés a acessarem essa formação da Monfort?
    Não. Pois ele não traz o pensamento oficial da Igreja e nem é uma voz autorizada do Magistério.

    Caramba!!!! Olha a diferença da visão de uma PASTOR OFICIAL DA IGREJA, tem em relaççoa a Canção Nova e em relação a Montfort.

    PALAVRA OFICIAL DA IGREJA, e não a minha viu? A Montfort não passa de uma seita!

    Faz o seguinte Montfortianos. Acessem cada vez mais

    Olha, qualquer um pode fazer os mesmos questionamentos para a Arquidiocese e receberão a mesma resposta. ACONSELHO A VOCÊS QUE REPUDIAM A SEITA MONTFORT E FEDELI LUTERO, a buscarem respostas nos VERDADEIROS PASTORES DA IGREJA.

    Com isso está decretado para a Montfort aquilo que Jesus disse: Mateus 7,15 “Guardai-vos dos falsos profetas. Eles vêm a vós disfarçados de ovelhas, mas por dentro são lobos arrebatadores”.

    FEDELI=FALSO PROFETA!

    Quem quiser receber um cópia desse e-mail, deixe seu endereço neste blog e eu encaminharei.

    Vitória!!!!!!!!!! Viva a Igreja do Senhor!!!!!!!!! Vitoriosa Igreja do Senhor!!!!!!

    Isso não os exclui de acessar o site. Como eu disse, até para quem tem ódio da Canção Nova, como vocês, ela permite que vocês a acessem o site dela.

    Ainda assim agradeço por fazerem parte da família dos 7 milhões de aceesantes!

  115. ao

    Gederson
    setembro 4th, 2009 at 11:31

    Padre Fernando Arêas Rifan 31 de agosto de 1986

    Verdade X Autoridade

    Este Padre Fernando não é o mesmo Bispo Dom Fernado Areas Rifan que mudou completamente sua maneira de ensinar o Lefebvrismo e retornou ao seio da Igreja aceitando completamente o Vaticano II e foi até desmerecido sua elevação ao Prelado como Bispo de Campos, porque disseram ter ele vendido sua alma ao modernismo e aderido ao Concílio Vaticano II.

    Não foi ele que recolheu o material difamatório contra a Igreja e contra a Santa Missa Nova e que hoje é tido como um traidor da Causa ?

    Acho que é ele mesmo, portanto este texto é muito antigo, deveria ser citado um de suas novas declarações sobre o Concílio Vaticano II e a obediência ao Papa.

    Seria bem mais proveitoso.

    Paz

  116. Sizenando, eu nem irei me referir a sua nova mentira em relação a “fumaçã de satanás”…

    você é um mentirosos, sofista e falasioso compulsivo.
    ________________________

    Mas eu tive uma idéia, por isso resolvi retornar ao blog, não para responder ao papagaiao Sérgio, que de tanto papagaiar, realmente vence seus opositores pelo cansaço… esse sujeito deve passar o dia na frente do computador postando aqui no blog as mesmas coisas.

    Bem, vamos a proposta.

    Eu me pergunto, será que o Sr. Sérgio e o Sr. Sizenando sabem o que é fé, esperança e caridade?

    Será que os senhores saberiam a resposta para essa simples pergunta…

    Vamos lá:

    Esperança

    Caridade

    Olha, que já teve gente que responde aqui no blog…

  117. Caro Pedro,
    Salve Maria!

    O engraçado de tudo, é que Leonardo Boff, tem acesso livre em todas as Pontíficias Universidades Católicas do país. Inclusive na PUC/SP, onde já deu palestas após a sua condenação e agora tem textos seus publicados pela Pastoral da Ecologia.

    Em um dos textos do jornal “O São Paulo”, o Padre Cido Pereira, responde a um leitor que lhe pergunta;

    A Igreja condena a teologia da libertação?

    Veja a resposta do Padre, quase no final do texto:

    “A Igreja jamais a condenou. A Igreja preocupou-se com o método utilizado por ela para analisar a realidade, porque era o mesmo método utilizado pelos ideólogos marxistas. João Paulo 2º não condenou a teologia da libertação porque os padres falavam de política. Seria uma incoerência, porque ele foi um dos papas que mais lutaram para que este..” http://www.arquidiocesedesaopaulo.org.br/jornal_o_sao_paulo/2007/071204/jornal_o_sao_paulo_voce_pergunta.htm

    O texto é interrompido no “este”, mas a resposta do Padre é de uma confusão tremenda. Detalhe que no site da Arquidiocese de São Paulo, não constam os documentos “Libertatis Nuntius” e o “Libertatis Conscientia”, ambos contra a Teologia da Liberalização. Contudo, consta o texto:

    Teologia da Libertação,
    instrumento certo para o momento certo
    http://www.arquidiocesedesaopaulo.org.br/jornal_o_sao_paulo/2007/070410/jornal_o_sao_paulo_palava_do_pastor.htm

    Desfocando um pouco a postagem, o caso da Teologia da Libertação, é um caso tipíco do Magistério do Vaticano II. Tratou-se de uma teologia que nasceu com as bençãos do Magistério conciliar, e foi sendo enterrada pelo própio Magistério conciliar, ou seja, uma teologia que nasceu com prazo de validade.

    Se considerarmos a relação da Teologia da libertação, com o Magistério como um todo, embora ela tenha nascido abençoada pelo Magistério Concíliar, ela nasce amaldiçoada, pelo Magistério Pré-conciliar: Divini Redemptoris.

    Para Pio XI, o socialista não pode ser um bom católico, porque ele julga o socialismo, pelo que ele é. Já o magistério do Vaticano II, o julga pelo que ele pode vir-a-ser, ou seja, um julgamento feito entre a relação do socialismo com o catolicismo, só pode ser feito a posteriori, através da experiência. Assim, Pio XI, para saber que o socialismo e o catolicismo são incompatíveis, não precisava da experiência, mas apenas da fé e de um juízo justo. Já o Magistério pós-conciliar que adota o método moderno, despreza o Magistério de Pio XI.

    Na mentalidade moderna, os Papas pré-conciliares, são tidos como preconceituosos, porque não autorizaram a experiência para que através dela julgassem as doutrinas. Analogamente, quando a Igreja ou nós, falamos contra o homossexualismo, somos taxados de preconceituosos. Porque primeiramente, não temos a experiência homossexual, e em segundo lugar, o homossexualismo, não pode ser mal em si, mas é um bem ou um mal, dependendo do sentimento que temos em relação a ele, se o sentimento for bom, ele se torna verdadeiro, se for mal falso. Trata-se do mesmo princípio apresentado por São Pio X, na Pascendi, que apresenta a experiência, como elemento de ativação do sentimento religioso, o que torna impossível determinar a veracidade ou a falsidade de qualquer religião (E São Pio X, comenta isto na Pascendi). É por estas razões que penso ter sido a Idade Média, a era da razão. Naqueles tempos, a razão verdadeira, produzia sentimentos verdadeiros, hoje, os sentimentos de cada um, produzem verdades para cada um, e Deus ainda existe?

    Voltando ao assunto, autorizando o que autoriza a CNBB e as Arquidioceses do Brasil, pergunta-se:

    Por que não condenar a Teologia da Libertação e Leonardo Boff, mas condenar o Prof. Orlando Fedeli?

    Tem cabimento uma coisa dessas?

    A arquidiocese de São Paulo, chegou a proibir uma Missa do movimento “Cansei”, alegando motivações políticas. Alguém acredita que as pastorais brasileiras, tem motivação, religiosa?

    Enquanto a arquidiocese de SP, preocupa-se com o Prof. Orlando Fedeli e a Montfort, seus Padres nas últimas eleições municipais, fizeram um Manifesto de apoio a Marta Suplicy (E o Cansei, não pode celebrar Missa na Catedral da Sé)…Fique com Deus.

    Abraços

  118. Sr. Sizenando,

    sua última postagem, embasa aquilo que disse anteriormente, sobre o seu cristianismo, ser o encontro com pessoas. Sim, Pe Rífan, hoje é Dom Rífan, e embora escreva favorávelmente ao Concílio, não refutou seus textos contra o Concílio. Logo, não se entende, as razões de sua mudança.

    Quanto aos textos em si, eles falam por si: simplesmente, irrefutáveis!!!

    Fique com Deus.

    Abraço

  119. Em Resposta

    Pedro
    setembro 4th, 2009 at 21:11

    Ah, sobre a fumaça de satnás.

    Se você diz que é uma coisa e concorda com o Fedeli, porque não concorda comigo ? só por que eu não concordo com você ?

    Ora… ora… ora…

    Cada um tem direi a uma opinião, não é assim que você age em relação ao Concílio Vaticano II ?

    Se você não concorda comigo, também não precisa ficar nervose e nem começar a babar de raiva.

    +++++
    Seja bem vindo novamente Pedro

    antes de darmos continuidade, desfaça uma dúvida…
    Quantos Pedros existem aqui ?
    Um Pedro ou dois Pedros ?
    Estou confundindo as questões entre os dois…
    +++++
    Não precisas se afastar só porque o Sergio lhe agradeceu a contribuição ao Blog Canção Nova, venha sempre que puderes e esteja a vontade para fazer os seu comentários.
    +++++
    Vamos ao desafio, muito difícil por sinal.

    Sabemos que a resposta ao texto pode ser simples ou complexa, já sabendo que existe uma metralhadora atrás desta cortina, vou fazer uma resposta simples na linguagem popular, e responderei apenas uma das tres, espero que você responda também logo a seguir a mesma que responderei.
    +++++

    O que é Fé ?

    Hebreus, 11 – http://www.bibliacatolica.com.br/01/65/11.php
    1.A fé é o fundamento da esperança, é uma certeza a respeito do que não se vê.

    É crer em tudo que Jesus nos ensinou e propos sem que seja preciso comprovarmos na pratica aquilo que acreditamos.

    A fé também é um Dom de Deus, porque Ele vem em auxílio à nossa fraqueza e grava em nossos corações a sua lei, nos auxiliando a crermos na verdade.

    A fé também é uma graça de Deus, que nos fortalece dia a dia rumo à Santidade.

    6. Ora, sem fé é impossível agradar a Deus, pois para se achegar a ele é necessário que se creia primeiro que ele existe e que recompensa os que o procuram.

    Natanael certa vez conversando com Jesus, Jesus se referiu à sua atitude debaixo da Figueira, ninguém disse o que Natanael fez lá naquele lugar, mas o fato, seja o que ele tenha feito ele deveria estar sozinho e ter se garantido que não tinha ninguém espiando, certamente Natanael teria feito uma oração a Deus, porque se tivesse cometido um pecado grave, Jesus não teria dito nada. O fato é que sabendo que Jesus sabia o que lá aconteceu, então ele de imediato declarou que Jesus era mesmo o filho de Deus.

    Jesus se espantou pelo fato dele ter declarado isto logo após Ele ter declarado que sabia de tudo e então lhe disse, coisas muito maiores do que estas verás, mas sem fé isto será impossível. A fé verdadeira é aquela que não precisa comprovar nada pela visão ou pelo tato, lembramos sempre da atitude de São Tomé que na ausência de Jesus, não acreditou no testemunho de seus irmãos falando em alta voz que só acreditaria que Jesus estava vivo se ele mesmo o apalpasse e colocasse o dedo em seu lado aberto por onde saiu a última gota de sangue de seu corpo. Se aquele corpo, que ele viu morrer na cruz estivesse em sua frente ele ainda precisaria colocar o dedo no local das feridas para acreditar.

    Quantas vezes declaramos a nossa fé a Jesus mas exigimos uma atitude como esta de São Tomé? e em muitos casos nem mesmo com Jesus aparecendo em nossa frente jamais acreditaremos que realmente Ele esteja ali. Neste momento entra em cena os dois Discípulos de Emaus, que nada mais tinham a fazer em jerusalém uma vez que Jesus havia morrido estava enterrado, eles não disseram que não acreditaram em Jesus, mas tomaram a atidude daqueles que não acreditam, porque nem esperaram os tres dias até que se cumprisse a promessa de Jesus e quando já andavam totalmente sem fé, pensando que suas esperanças de salvaçao estavam perdidas, que seu mundo já tinha desmoronado e que nada mais se podia fazer para libertar Israel da escravidão. Foi neste momento que o Próprio Jesus se manifesta na história destes dois, conversou com eles, ensinou a palavra e só perceberam que era Jesus na sua Frente quando Ele mesmo se revelou através do partir do Pão, neste momento a fé voltou, se renovou e aquele Jesus que estava ali na sua frente na verdade não estava mais, não havia ninguém lá, eles estavam sozinhos, não havia prova de que Jesus esteve com eles, mas mesmo assim voltaram a Jerusalém para anunciar que Jesus estava vivo.

    Ou Seja é o próprio Jesus que renova nossa Fé dia a dia, é o próprio Jesus que nos impulciona na caminhada, é atraves da fé que temos a certeza de que Jesus realmente vive em nossos corações.

    Mas Jesus nos faz uma pergunta: Acaso quando eu voltar encontrarei fé na terra ?

    è uma pergunta sem resposta e cabe a cada um de nós dar esta resposta a Jesus, em primeiro lugar precisamos resposnder a nós mesmos, como está a minha fé? Esta minha fé é verdadeira ? ou estou enganando a mim mesmo ? Seria eu capaz de morrer pela minha fé ? Estou crendo realmente em Jesus ou nas pessoas que me revelaram Jesus ?

    Quando a minha fé for sólida o suficiente para enfrentar o mundo custe o que custar, venha o que vier e que ela não se abalará caso até mesmo aqueles que me ensinaram e foram exemplos de fé para mim venham a cair, então eu estou pronto para dar o próximo passo e fazer a segunda pergunta.

    O mundo terá fé quando Jesus voltar ?

    É claro que sim, porque eu creio e basta a minha fé cincera para que Deus tenha misericórdia de todo o mundo, é o caso da história de Sodoma e Gomorra, se crermos que Deus é poderoso e misericordioso, poderemos ir além de Abraão e apelar pela misericordia Divina, mesmo que seja por um único homem de fé na face da terra.

    Mesmo que exista apenas um homem de fé em toda esta terra com 6 bilhões de pesoas a resposta para Jesus será sim, só para ver que a resposta sim tem 6 bilhões de chances de existir, é uma probablilidade muito alta em relação à resposta não.

    O que não podemos dizer é que não existem pessoas de fé nesta terra, porque neste caso eu excluo a mim mesmo e estou declarando que a minha fé já morreu, porque não creio no futuro de minha própria fé.

    Mesmo que a fé se esfrie e escorra por entre nossos dedos, mesmo que a apostasia avance como uma sombra sobre a terra, mesmo que os corações não acreditem mais na verdade, mesmo que o pecado ofusque completamente a visão humana, haverá sempre uma esperança enquanto eu e Você acreditarmos em Jesus, porque como disse o Senhor: “21.Um resto voltará,… Isa 10”, a partir de uma pequena “brasa viva” Ele reacenderá um fogo jamais visto nesta terra.

    ++++
    A fé vem de ouvir a palvra de Deus, porque a palavra de Deus é um alimento para nosso Espírito. podemos encontrar este alimento na celebração da Palavra “A missa”, na catequese, na Leitura e no estudo da Bíblia, no estudo dos documentos com auxílio do Magistério e também na pratica do ensino da Palvra a nossos irmãos, porque é nosso dever ensinar a verdade àqueles que não creem.
    ++++
    Romanos 10
    http://www.bibliacatolica.com.br/01/52/10.php
    13.porque todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo (Jl 3,5).
    14.Porém, como invocarão aquele em quem não têm fé? E como crerão naquele de quem não ouviram falar? E como ouvirão falar, se não houver quem pregue?
    15.E como pregarão, se não forem enviados, como está escrito: Quão formosos são os pés daqueles que anunciam as boas novas (Is 52,7)?
    16.Mas não são todos que prestaram ouvido à boa nova. É o que exclama Isaías: Senhor, quem acreditou na nossa pregação (Is 53,1)?
    17.Logo, a fé provém da pregação e a pregação se exerce em razão da palavra de Cristo.
    18.Pergunto, agora: Acaso não ouviram? Claro que sim! Por toda a terra correu a sua voz, e até os confins do mundo foram as suas palavras (Sl 18,5).
    ++++
    Para que se cumpra esta palavra do Salmo 18,5 temos que anunciar esta palavra de Cristo através da pregação, para pregar precisamos conhecer a palavra, precisamos ter fé nesta palavra, precisamos ouvir esta palavra, mas como ouviremos se não há quem pregue ?

    É por este motivo que as pessoas se perdem, porque aqueles que acreditam em Deus estão em silêncio e com medo do mundo, não pregam, não anuciam e não geram a fé nos corações.

    ++++
    Poderia eu ter copiado aqui termos teológicos, rebuscados, simples e resumidos, aqueles que estão escritos no Catecismo, tavés você se contentasse com eles, mas senti um impulso de escrever este texto e espero confiantemente que o conteste de cima em baixo, para que possamos continuar nosso diálogo mais um pouquinho.

    +++++

    Paz e bem

  120. Pedro Pelogia

    Sr. Sergio Souza

    Por minha vez, agradeço ao Padre Joãozinho pela honestidade em publicar nossos posts aqui. Já tive minhas falas apagadas em alguns fóruns carismáticos; de outros, fui expulso.

    O incrível, sr. Sergio, é que eu sempre fico “devendo” alguma resposta ao sr. O que eu terei que “confessar” para o sr. se contentar e dizer: “Finalmente Pedro Pelogia me respondeu”?
    Tenho visitado outras matérias do blog, e o sr. o tempo todo acusa a TODOS de o deixarem “SEM RESPOSTA”… Imagino o sr. prestando um concurso público: no dia de conferir o gabarito online, penso que o sr. deve ameaçar o próprio computador: “Onde estão as respostas, onde estão as respostas?”.

    Ninguém da Montfort apresentou nenhum Bispo porque tal Bispo não existe. E por que não existe? As razões já foram apresentadas. Pra não dar um “ctrl c + ctrl v” aqui neste post eu mudaria só a estética da fala que lhe dirigi logo acima.

    O Bispo do professor Fedeli é dom Odilo Scherer. O Bispo dos “montfortianos” de Curitiba é dom Moacyr Vitti. A Associação Montfort não tem Bispo pelas razões citadas acima.

    Veja só! Quantos bispos apóiam e abençoam a Canção Nova! O sr. está sendo até injusto não citando todos, sr. Sergio! O sr. se esquece, por exemplo, de dom Fernando Figueiredo, o bispo-ajudante do Padre Marcelo Rossi (ou bispo-coroinha, melhor ainda). O “programa” deles passa na Redevida, mas já os vi na Canção Nova também.

    O sr. se esquece de alguns bispos de rito oriental, como dom Edgard Madi, Bispo-Eparca da Igreja Maronita. Graças a este Bispo, os violões e o ministério de música entraram na venerável Liturgia Maronita, dando aos hinos daquele rito um “gingado novo”, que fez com que muitos dos paroquianos descendentes de libaneses passassem a frequentar a Catedral Melquita ou mesmo a Igreja Ortodoxa Antioquina.

    Na Igreja Católica Melquita, dom Fares Makaaroun não apóia tão explicitamente a Canção Nova, mas também não faz resistência nenhuma ao carismatismo, que invade as Portas Reais da magnífica iconóstase bizantina, transformando a Santa e Divina Liturgia de S. João Crisóstomo numa banal “missa de cura e libertação” recheada de emocionalismo, mas desprovida da grandiosa beleza milenar do rito greco-católico.

    A relação dos bispos brasileiros com a Associação Montfort é um pouco diversa.

    D. João Wilk, Bispo de Anápolis, amaldiçoou a Montfort e proibiu o professor Fedeli de palestrar em Anápolis. Proibição sem vigor, pois a palestra se deu num edifício público do Estado, onde o Bispo não tem mando.

    O arcebispo de Campo Grande (cujo nome nem me lembro) também rosnou contra a Montfort, e há 2 anos atrás ameaçou de excomunhão quem ousasse pisar numa capela que a FSSPX instalara na capital sul-matogrossense. Na mesma Arquidiocese de Campo Grande uma paróquia promoveu um bingo na nave da igreja, e o “cantor” das pedras do bingo girava a roleta em cima do altar. Ninguém foi excomungado.

    Dom Orani Tempesta, quando ainda Arcebispo de Belém, encorajou o clero arquidiocesano a rejeitar uma palestra da Montfort que aconteceria lá, pois o calendário promocional da CNBB marcava a “Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos”, e a presença do tão anti-ecumênico Orlando Fedeli na Arquidiocese seria uma afronta às “igrejas-irmãs”. O professor Fedeli ficou muito honrado com a proibição por este motivo.

    Dom Fernando Arêas Rifan, bispo do rito TRADICIONAL, prelado titular da Administração Apostólica S. João Maria Vianney… este quer o fim da Associação Montfort a todo custo! Outrora defensor tenaz da Tradição, hoje é tratado como um oportunista pelas comunidades tradicionais, e como um bicho exótico pela CNBB. “Acolegou-se” do episcopado moderno, fala baixo nos plenários e aguenta calado as afrontas à Missa Tridentina proferidas pelos seus colegas no episcopado. Reconhece que a Igreja passa por uma crise (da qual o seu cargo é fruto) mas joga a culpa nos “rad-trads”. Se alguém quiser boas referências da Montfort, não as peçam a dom Rifan.

    Por fim, dom Vilson Dias Oliveira, o atormentado Bispo de Limeira, sofrendo no cargo as incoerências do pastoreio moderno, rechaça, rejeita e repreende a Montfort por “armar” suas ovelhas. Os impetuosos fiéis limeirenses exigem a celebração da Missa Tridentina do seu Bispo, que a proíbe a ferro e fogo. A insistência pela Missa de Sempre aterrorizou de tal modo o clero moderno de Limeira que um pároco ameaçou fazer B.O. na polícia caso um paroquiano tentasse pedir-lhe a Missa de Sempre.

    Isso sem falar nos Bispos que rejeitam a Montfort e a Tradição católica nas dioceses do interior. Sem falar no meu Bispo, pioneiro na resistência à reforma litúrgica de Bento XVI: cinco meses antes de ser publicado o “Summorum Pontificum”, o Papa exortava os sacerdotes a eventualmente resgatarem o latim nas missas do rito conciliar. Nisso o meu Bispo proibiu a Missa em latim (mesmo a de Rito Novo), difamou o tradicionalismo e botou a culpa num ínfimo grupo de desavisados membros da TFP que fazem por aqui a campanha “Vinde Nossa Senhora de Fátima”.
    Eu não conheço outro tradicionalista na minha Diocese há não ser eu…

    Há quatro anos que sou leitor da Montfort, e até hoje só vi no site duas (2) menções elogiosas de Bispos brasileiros à Montfort: uma de dom Irineu Roque Scherer, então Bispo de Garanhuns, doutor em História da Igreja que agradeceu o professor Orlando por um auxílio em sua disciplina. Esta menção, no entanto, NÃO nos interessa, pois dom Irineu é um péssimo bispo. Adepto apaixonado da TL, ficou célebre por relaxar o comportamento moral de seus sacerdotes, que após a última missa fechavam as paróquias e caíam nas baladas em bares, forrós, boates e lugares piores. Os fiéis queixaram-se ao Bispo, que se limitou a dizer que “Todos temos o direito de sermos felizes”. O grande e corajoso Arcebispo de Olinda-Recife, dom José Cardoso Sobrinho, não conseguia se entender com seu estranho “vizinho” Bispo, e quando se encontravam para conversar saía até gritos, me garantiu um ex-seminarista de Recife.
    O elogio desse Bispo, portanto, não conta.

    A outra menção elogiosa à Montfort, que conservamos como um tesouro em nosso coração, é a do Bispo Emérito de Anápolis, dom Manoel Pestana, que num esclarecimento sobre o Concílio Vaticano II disse que a partir dele “todos os livros foram abertos, todas as leituras foram permitidas, mas somente o Segredo de Fátima foi lacrado”. O professor Fedeli completou dizendo que no último Concílio todos, “católicos” e hereges, pagãos e ateus, todos foram absolvidos – só dom Lefebvre foi condenado.

    Como se vê, a Montfort não tem muita “moral” com a CNBB.
    Não só a Montfort, como também outras agremiações tradicionalistas, como a Associação Cultural São Tomás, a Associação Civil Santa Maria das Vitórias, os Monges de Santa Cruz em Nova Friburgo e mesmo o priorado da FSSPX em São Paulo. Nenhuma delas é bem quista pelo episcopado.

    E por quê?

    A resposta é muito óbvia: simplesmente porque nós não aceitamos o Concílio Vaticano II.

    Para os bispos brasileiros (entenda-se: a CNBB), ser católico apostólico romano resume-se em aceitar o CV II, mesmo negando implicitamente todos os concílios anteriores. Do contrário: RUA!

    A TL, cujos expoentes máximos são Frei Betto e Leonardo Boff, não aceita a existência do inferno e do demônio, mas aceita o CV II. Estão em casa. Leonardo Boff, aliás, já declarou inúmeras vezes que não pertence mais à Igreja Católica, mas seus cursos e palestras são sempre bem vindos nas CEBs, e não encontram resistência nos organismos da CNBB.

    Vale lembrar também que as CEBs possuem uma visão mais “democrática” sobre temas tabus como aborto, camisinha, casamento gay, eutanásia, divórcio, celibato clerical… mas aceitam o Concílio Vaticano II e têm a benção do episcopado brasileiro.

    A RCC não aceita a Missa de Sempre, ecumeniza-se com protestantes e inspira-se nos moldes desta religião. É uma organização enorme! Em duas décadas a Renovação Carismática conseguiu “tomar” todas as dioceses do Brasil, e quase todas as paróquias (exceto as poucas paróquias tradicionalistas). É um fato curioso o exito meteórico do movimento carismático dentro da Igreja Católica. Após o Concílio Vaticano II, ficou a Igreja um tanto despojada da sua espiritualidade, já que a meta do clero seria agora a “reconciliação com o mundo” e o “social”. Surge então a RCC, uma ótima alternativa para aqueles fiéis que sofreram com a “secura espiritual” pós-Concílio Vaticano II. Os Bispos do Brasil não hesitam em apoiá-la. Assim eles mantém os fiéis ocupados e entretidos com o emocionalismo histérico, enquanto cuidam dos planos de cúpula. A RCC torna-se bastante útil para a CNBB nesse sentido, pois prioriza o uso da EMOÇÃO sobre a RAZÃO, tirando dos fiéis católicos o discernimento entre a ortodoxia e a heresia, deixando livre o caminho para que os bispos brasileiros e latino-americanos, notadamente maçons em sua maioria, cavem um abismo entre Roma e o que seria uma “igreja latino-americana”.

    A RCC entretém os fiéis com shows e artifícios culturais de quinta categoria, enquanto a CNBB trabalha para a concretização de um CISMA. A RCC aceita o Concílio, está em casa! Os tradicionalistas não: olho da rua para eles!

    O fato de termos Bispos maçons podia parecer uma teoria da conspiração, mas este ano a Arquidiocese de Montes Claros abriu a Campanha da Fraternidade em parceria com o Conselho dos Veneráveis do Norte de Minas, e selaram uma parceria de estudos na sede da Loja Maçônica Deus e Liberdade, em Montes Claros-MG (http://www.aminternacional.org/noticias_ArquidioceseMaconariaFormamGrupoDeEstudo.html).

    Assim sendo, a ação da Arquidiocese de Montes Claros é pioneira, pois é a primeira das Arquidioceses a fazer uma ALIANÇA PÚBLICA com a Maçonaria. Veremos no futuro próximo o que vai se suceder com as demais dioceses ligadas à CNBB.

    Até mesmo o famoso monge dom Estevão Bittencourt, OSB, que Deus o tenha, aconselhava os católicos a tomarem parte em organizações maçônicas, desde que essas “não fossem ofensivas” aos ideias católicos. Coisa meio difícil de acontecer.

    A Maçonaria é altamente favorável ao Concílio (suspeita-se até mesmo que ela o tenha organizado), logo, a CNBB a acolhe; as arquidioceses firmam parcerias com ela. A Maçonaria está em casa. E os tradicionalistas católicos? Sem parcerias com eles. FORA!

    Dado este panorama nefasto, é difícil que um Bispo da CNBB abençoe a Montfort, mas é ainda mais difícil que a Montfort QUEIRA a benção de um Bispo que não rejeite os ideais anticristãos da CNBB.

    Como se sabe, a Maçonaria aceita o Concílio Vaticano II.
    Em 2007, o Grande Oriente de Paris lançou uma nota de desagravo acusando o Papa Bento XVI de promover um retorno ao clericalismo medieval em detrimento das democráticas medidas do Concílio Vaticano II. Aos que estão lendo, não posso postar o link da nota maçônica porque o site http://www.montfort.org.br está fora do ar por razões desconhecidas, acredito que por dificuldade técnica.

    Por fim, o coordenador da reforma litúrgica do Concílio Vaticano II, Monsenhor Anibale Bugnini, era também maçom. Seu codinome na Loja era “irmão Buan”, e foram descobertas cartas do “irmão Buan” comemorando a “destruição” da liturgia tradicional católica e a implantação da nova liturgia “católica”, protestantizada.
    http://www.clerus.org/clerus/dati/2007-11/23-13/DossieLitUmaBabel.html
    É conhecidíssimo o fato de que a “nova Missa católica” foi escrita com a colaboração de seis pastores protestantes.

    Rezemos pelo retorno da paz à Igreja e pela santificação de nossos Bispos, que deveriam agir como Pastores, e não Mercenários, que abandonam suas ovelhas à mercê dos lobos. Salve Maria!

    Pedro Pelogia.

  121. A Montfort já foi bem clara: Enquanto a Igreja, e não um bispo específico, mas toda a Igreja, com seus bispos e o bispo de Roma, o Papa, seguirem o Concílio Vaticano II, eles não seguirão a Igreja, pois ela está no caminho errado. E eles estarão de fora, mas seguindo a “verdadeira” fé.

    Orlando Fedeli e seus seguidores saíram da BARCA INSTITUCIONAL depois do Concílio Vaticano II. Dizem tanto que “Fora da Igreja(Barca) não há salvação”, e ao mesmo tempo repetem: Vocês têm os templos, nós temos a Fé!

    Os fedelistas só serão salvos porque doido não sabe o que diz. E Deus levará isto em conta no julgamento de hereges com problemas mentais.

  122. Católico Apostolico Romano

    Vamos nos atendar as questões doutrinárias, em que Pe Joazinho
    esta desviando e respondeu contriando a doutrina da Igreja( Eucaristía).

    A outra questão é simples. Se o Vaticano II estivesse certo estão todos salvos.

    Agora se ele esta errado (e isso é um fato pela crise e apostasia ,entrada de diversos movimentos e divisão que criou) se salvarão os que possuem a fé católica de sempre.E outro não é dogmático e vai contra os dogmáticos.Qual vale mais?

    A minha fé é a católica imutável qual é a sua?

  123. Ao Anônimo
    Católico Apostolico Romano
    setembro 5th, 2009 at 09:56
    .
    A minha fé é a católica imutável qual é a sua?

    A fé pode ser a mesma e imutável, mas a maneira de vivê-la é que muda com o passar dos anos, no princípio tudo era novidade e muitos nunca tinham ouvido falar de deus, hoje na Europa já se diz assim.

    “Graças a Deus vivemos em uma Europa pós Cristã.”
    ou
    Ou como na Inglaterra já se admite que não são mais um País Cristão, porque uma minoria não pode identificar a maioria que são ateus e muitos até anticristãos.
    .
    O problema não é termos FÉ ou não, é em quem acreditamos, acreditas mesmo em Jesus e somente Nele que é teu Salvador, o restante são meios para se achegar a Ele, condutores até Jesus.
    +
    Por exemplo, crer que o Vaticano II está totalmente incorreto é um erro grave, porque a Igreja com seu Magistério atestam que ele está correto e quem está errado são aqueles que tiram coelho da cartola, com minuciosos truques de Mágica.

    Crer que Dom Marcel Lefebvre é um santo e salvador da Igreja (como já recebi diversas cartas atestando isto erroneamente), está totalmente incorreto, já que nosso salvador é Jesus e mais ninguém e o cisma provocado por Lefebvre só prejudica a Igreja desde 42 anos atrás.
    +
    A maior crise de apostasia hoje está na Europa e principalmente na França onde se viveu mais o Lefebvrismo, no Brasil onde suas palvras fizeram pouco efeito a Igreja está em fase de desenvolvimento e crescimento graças a Deus apesar de anunciarem que ela é vive uma apostasia velada.

    A Paz de Jesus

  124. Caro
    João
    setembro 5th, 2009 at 08:25

    Este texto que você copiou é de Fedeli ?

    No fim acabou ficando a Igreja verdadeira de fora dela mesma !
    Que coisa louca, é a mesma coisa que dizer que entrei para dentro de casa, tranquei a porta e quando tentei sair não consegui abrir a porta que estava trancada e eu me lembrei que a chave estava dentro do cofre em outra casa !

    Não entendeu nada ? é isto mesmo não tem como entender este trocadilho !

    Paz.

  125. Ao
    Pedro Pelogia
    setembro 5th, 2009 at 03:00
    .
    Caro Pedro acho que devo inteferir nesta questão, já que desta mentira deslavada eu entendo muito bem.
    ++++
    .
    D. João Wilk, Bispo de Anápolis, amaldiçoou a Montfort e proibiu o professor Fedeli de palestrar em Anápolis. Proibição sem vigor, pois a palestra se deu num edifício público do Estado, onde o Bispo não tem mando.
    .
    ++++
    AMALDIÇOOU E PROIBIU
    ++++
    PROIBIU MESMO ?
    .
    http://blog.cancaonova.com/padrejoaozinho/2009/08/27/carta-do-bispo-de-anapolis/#comment-169876
    .
    FUI EU QUEM MANDEI o e_mail ao Bispo lhe informando do evendo que Fedeli realizaria em nossa cidade na UEG, uma Faculdade do Governo Estadual onde o Bispo não teria a menor Autoridade.
    .
    Não sabendo do que se tratava e o e_mail ser muito suspeito, procurei notícias na Diocese e não as encontrei, por sinal na busca pela net encontrei a carta de Fedeli massacrando o Nosso Bispo, carta essa que já estava no site Montfort a mais de ano.
    .
    Enviei então o e_mail diretamente ao Bispo lhe informando do evento e ele não entendeu minha comunicação, achando que eu estava lhe enviando uma crítica por havia me referido à tal carta, por isso ele então respondeu em sua defesa nestes termos.
    +++
    […]Não é do meu conhecimento um evento de que trata o e-mail.[…], texto retirado do e_mail original.

    O Bispo não estava sabendo a respeito das aulas de Fedeli, ninguém o havia procurado sobre o assunto, nem para pedir permissão e nem para informar as aulas.
    ++
    Como ele poderia proibir algo que nem tinha conhecimento ?
    ++++
    […] – O Sr. Orlando não é autorizado de proferir nenhuma palestra de caráter religioso-católico…(*) […] *** nem em Anápolis e nem em nenhuma diocese deste País ****
    +
    O Bispo não disse que proibiu Orlando Fedeli de Dar aulas, o Bispo disse que o mesmo não tinha nenhuma autorização para isso, já que nem buscou tal autorização, porque já está acostumado a viver na marginalidade e agindo sorrateiramente por debaixo do pano, depois fiquei sabendo que se Fedeli quisese dar Palestras de cunho Magisterial dentro da igreja Santa Maria das Vitória ele poderia, mas fiquei sabendo também que ele tinha um acordo com o IBP de não interferir em seu território, que era o caso da Capela sob jurisdição direta do “IBP” através da falida “Eclesia Dei”
    +
    […] – Aliás, é expressamente proibido. Assim também qualquer um…[…]
    +
    Imaginem agora se qualquer pessoa se autointitula professor de Magistério Católico começar a dar aulas em todas as dioceses sem a permissão dos Bispos, a nossa fé viraria uma quizumba só e neste caso foi o que aconteceu, uma pessoa particular, em nome de si mesmo sem anuência de nenhum sacerdote chamou um certo professosr de História para falar mal de nosso Concílio Vaticano II para líderes de pastoral de nossa diocese e etc…
    +
    […] – A disciplina eclesiástica é clara: só com a permissão do bispo diocesano alguém pode exercer ministério ou magistério numa diocese.[…]
    +
    Não foi o Bispo Dom João que agiu erroneamente, porque cumpriu a Disciplina Eclesiástica, da mesma forma que o Bispo de Olinda anunciou que as pessoas que provocassem o aborto na menina de 9 anos estariam automáticamente excomungados.
    .
    No caso então, Fedeli já estava automaticamente proibido de sair pelo Brasil dando aulas contra o Vaticano II, o Bispo apenas mencionou em seu e_mail este fato, porém este email era uma resposta à minha pessoa e não foi dirido ao Sr. Fedeli, para mim então seria apenas uma declaração de que este homem “Fedeli” estav cometendo um ato de desobediência à disciplina ECLESIÀSTICA.
    ++++
    O texto que se segue é uma defesa à carta postada por Fedeli em seu site e nada mais.
    +
    Disse depois que Orlando Fedeli já era bem conhecido neste pais por ser sectário e provocar discórdias, fato que eu nem imaginava o tamanho de sua extensão e sei que 99% dos Caólicos nem sabe do que se trata este assunto que debatemos aqui.
    +
    Ele citou o texto da Excomuhão de Lefebvre e disse:
    +
    Aqui não faço nenhuma avaliação. Conheça você e conclua.
    +
    Escrevi então uma carta ao testa de ferro de Fedeli antes de saber que era um conhecido e ex. “Carismático de palco”, depois no ultimo instante acabei enviando o e_mail do Bispo, sendo que a esta altura o Sr. Orlando Fedeli já deveria estar em Anápolis ou chegando em Goiânia.
    +
    Agora vem a melhor parte do texto do Bispo…
    .
    […] – Pense: Jesus Cristo quis a Igreja como comunidade de amor e de verdade. O que assistimos é um triste espetáculo de desamor, ódio, distorção da verdade da Igreja pelo orgulho pessoal, manipulação do ensinamento e da pessoa dos próprios Papas. É assim que os Papas querem e ensinam? […]
    +
    Para comprovar que isto é verdade basta ler as cartas de resposta que o Sr. Orlando Fedeli escreve para seus clientes, digo escravos, não, digo mesmo leitores de seu site tão simpático.
    +
    […] – Quanto a mim, sou transparente nas minhas posições de cristão e de bispo. Sou da “linha” de Igreja, do Concílio Vaticano II. […]
    +
    O que poderia dizer um Bispo ?
    Eu sou contra o Vaticano II ?
    Que eu saiba, aquele que era contra, deixou de ser Bispo e foi excomungado !
    É errado se declarar a favor do Papa ?
    É errado se declarar a favor do Concílio ?
    Ele é um Bispo da Igreja e não pode ser contra ela jamais !
    É sua obrigação proteger as suas ovelhas contra os lobos que tentam arrebatar as suas ovelhas, foi o que ele fez, nada mais.
    ++++
    Fez uma declaração de fidelidade a Igreja e ao Papa, declaração que nenhum lefevrista faz, porque se o fizer é tratado como um traidor da causa, como o Foi Dom Fernando Areas Rifan de Campos.
    ++++
    Depois por fim indica que todos nós devemos seguir sempre o Magistério da Igreja Católica.
    .
    […] – Na reta e singela solicitude em seguir o ensinamento oficial e comum da Igreja, sem distorções, nem interpretações pessoais ou forçadas e tendenciosas.[…]
    ++++

    Onde se lê que o Bispo Proibiu Orlando Fedeli de vir a Anapolis

    E O pior de tudo

    Onde esta a MALDIÇÃO PROFERIDA PELO BISPO DE ANÁPOLIS
    +
    CARO pEDRO COMO INVENTAS TANTAS INVERDADES ASSIM.
    ACHO QUE TODO O RESTO SEGUE A MESMA SEMÂNTICA.
    ++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++
    SOBRE BELÉM.
    .
    NESTE CASO Bispon de Belém entrou em contato com fedeli e lhe pediu que não fosse a Belém por aquela ocasião, no que nosso amigo Fedeli lhe respondeu com uma carta ofensiva de proporções alarmantes, diria eu e nosso amigo aqui disse o contrário.
    .
    […]O professor Fedeli ficou muito honrado com a proibição por este motivo.[…]
    +
    Na carta enviada via site Montfort em resposta a um Arcebispo diocesano foi exatamente a seguinte, outros podem ir a Belém, mas eu não posso, não fui o priemiro a ser impedido de entrar em Belém, estou em ótima compania.
    +
    Este Sr. se comparou com Cristo, isto é ele é quase o Salvador, mereceria entrar em qualquer lugar sem pedir permissão.
    ++++++
    Dom Fernado era o maior amigo que virou o pior inimigo de Fedeli.
    ++++++
    O restante não vale a pena nem comentar, porque ele mesmo demosntra a verdade pelo seu próprio prisma “seu ângulo de visão”, um pobre homem “Sofista em sua Diocese” analisa tantos acontecimentos baseados apenas na defesa da Montfort, coitadinha tão marginalizada, e com a péssima propaganda agora exposta pelo Pedro Pelogia, mais ainda. Acho que todos precisariam conhecer o outro lado da história de cada um desses fatos, assim como eu conheço o meu lado da história, por eu mesmo seria este lado que resumidamente se tornou apenas…. O Bispo dom João amaidiçoou e proibiu Fedeli de dar aulas… totalmente fantasiosa esta história asim como todas as outras.

    Deus abençoe a todos.

  126. Ao
    Pedro Pelogia
    setembro 5th, 2009 at 03:00
    .
    Caro Pedro acho que devo inteferir nesta questão, já que desta mentira deslavada eu entendo muito bem.
    ++++
    .
    D. João Wilk, Bispo de Anápolis, amaldiçoou a Montfort e proibiu o professor Fedeli de palestrar em Anápolis. Proibição sem vigor, pois a palestra se deu num edifício público do Estado, onde o Bispo não tem mando.
    .
    ++++
    AMALDIÇOOU E PROIBIU
    ++++
    PROIBIU MESMO ?
    .
    http://blog.cancaonova.com/pad…..ent-169876
    .
    FUI EU QUEM MANDEI o e_mail ao Bispo lhe informando do evendo que Fedeli realizaria em nossa cidade na UEG, uma Faculdade do Governo Estadual onde o Bispo não teria a menor Autoridade.
    .
    Não sabendo do que se tratava e o e_mail ser muito suspeito, procurei notícias na Diocese e não as encontrei, por sinal na busca pela net encontrei a carta de Fedeli massacrando o Nosso Bispo, carta essa que já estava no site Montfort a mais de ano.
    .
    Enviei então o e_mail diretamente ao Bispo lhe informando do evento e ele não entendeu minha comunicação, achando que eu estava lhe enviando uma crítica por havia me referido à tal carta, por isso ele então respondeu em sua defesa nestes termos.
    +++
    […]Não é do meu conhecimento um evento de que trata o e-mail.[…], texto retirado do e_mail original.

    O Bispo não estava sabendo a respeito das aulas de Fedeli, ninguém o havia procurado sobre o assunto, nem para pedir permissão e nem para informar as aulas.
    ++
    Como ele poderia proibir algo que nem tinha conhecimento ?
    ++++
    […] – O Sr. Orlando não é autorizado de proferir nenhuma palestra de caráter religioso-católico…(*) […] *** nem em Anápolis e nem em nenhuma diocese deste País ****
    +
    O Bispo não disse que proibiu Orlando Fedeli de Dar aulas, o Bispo disse que o mesmo não tinha nenhuma autorização para isso, já que nem buscou tal autorização, porque já está acostumado a viver na marginalidade e agindo sorrateiramente por debaixo do pano, depois fiquei sabendo que se Fedeli quisese dar Palestras de cunho Magisterial dentro da igreja Santa Maria das Vitória ele poderia, mas fiquei sabendo também que ele tinha um acordo com o IBP de não interferir em seu território, que era o caso da Capela sob jurisdição direta do “IBP” através da falida “Eclesia Dei”
    +
    […] – Aliás, é expressamente proibido. Assim também qualquer um…[…]
    +
    Imaginem agora se qualquer pessoa se autointitula professor de Magistério Católico começar a dar aulas em todas as dioceses sem a permissão dos Bispos, a nossa fé viraria uma quizumba só e neste caso foi o que aconteceu, uma pessoa particular, em nome de si mesmo sem anuência de nenhum sacerdote chamou um certo professosr de História para falar mal de nosso Concílio Vaticano II para líderes de pastoral de nossa diocese e etc…
    +
    […] – A disciplina eclesiástica é clara: só com a permissão do bispo diocesano alguém pode exercer ministério ou magistério numa diocese.[…]
    +
    Não foi o Bispo Dom João que agiu erroneamente, porque cumpriu a Disciplina Eclesiástica, da mesma forma que o Bispo de Olinda anunciou que as pessoas que provocassem o aborto na menina de 9 anos estariam automáticamente excomungados.
    .
    No caso então, Fedeli já estava automaticamente proibido de sair pelo Brasil dando aulas contra o Vaticano II, o Bispo apenas mencionou em seu e_mail este fato, porém este email era uma resposta à minha pessoa e não foi dirido ao Sr. Fedeli, para mim então seria apenas uma declaração de que este homem “Fedeli” estav cometendo um ato de desobediência à disciplina ECLESIÀSTICA.
    ++++
    O texto que se segue é uma defesa à carta postada por Fedeli em seu site e nada mais.
    +
    Disse depois que Orlando Fedeli já era bem conhecido neste pais por ser sectário e provocar discórdias, fato que eu nem imaginava o tamanho de sua extensão e sei que 99% dos Caólicos nem sabe do que se trata este assunto que debatemos aqui.
    +
    Ele citou o texto da Excomuhão de Lefebvre e disse:
    +
    Aqui não faço nenhuma avaliação. Conheça você e conclua.
    +
    Escrevi então uma carta ao testa de ferro de Fedeli antes de saber que era um conhecido e ex. “Carismático de palco”, depois no ultimo instante acabei enviando o e_mail do Bispo, sendo que a esta altura o Sr. Orlando Fedeli já deveria estar em Anápolis ou chegando em Goiânia.
    +
    Agora vem a melhor parte do texto do Bispo…
    .
    […] – Pense: Jesus Cristo quis a Igreja como comunidade de amor e de verdade. O que assistimos é um triste espetáculo de desamor, ódio, distorção da verdade da Igreja pelo orgulho pessoal, manipulação do ensinamento e da pessoa dos próprios Papas. É assim que os Papas querem e ensinam? […]
    +
    Para comprovar que isto é verdade basta ler as cartas de resposta que o Sr. Orlando Fedeli escreve para seus clientes, digo escravos, não, digo mesmo leitores de seu site tão simpático.
    +
    […] – Quanto a mim, sou transparente nas minhas posições de cristão e de bispo. Sou da “linha” de Igreja, do Concílio Vaticano II. […]
    +
    O que poderia dizer um Bispo ?
    Eu sou contra o Vaticano II ?
    Que eu saiba, aquele que era contra, deixou de ser Bispo e foi excomungado !
    É errado se declarar a favor do Papa ?
    É errado se declarar a favor do Concílio ?
    Ele é um Bispo da Igreja e não pode ser contra ela jamais !
    É sua obrigação proteger as suas ovelhas contra os lobos que tentam arrebatar as suas ovelhas, foi o que ele fez, nada mais.
    ++++
    Fez uma declaração de fidelidade a Igreja e ao Papa, declaração que nenhum lefevrista faz, porque se o fizer é tratado como um traidor da causa, como o Foi Dom Fernando Areas Rifan de Campos.
    ++++
    Depois por fim indica que todos nós devemos seguir sempre o Magistério da Igreja Católica.
    .
    […] – Na reta e singela solicitude em seguir o ensinamento oficial e comum da Igreja, sem distorções, nem interpretações pessoais ou forçadas e tendenciosas.[…]
    ++++

    Onde se lê que o Bispo Proibiu Orlando Fedeli de vir a Anapolis

    E O pior de tudo

    Onde esta a MALDIÇÃO PROFERIDA PELO BISPO DE ANÁPOLIS
    +
    CARO pEDRO COMO INVENTAS TANTAS INVERDADES ASSIM.
    ACHO QUE TODO O RESTO SEGUE A MESMA SEMÂNTICA.
    ++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++
    SOBRE BELÉM.
    .
    NESTE CASO Bispon de Belém entrou em contato com fedeli e lhe pediu que não fosse a Belém por aquela ocasião, no que nosso amigo Fedeli lhe respondeu com uma carta ofensiva de proporções alarmantes, diria eu e nosso amigo aqui disse o contrário.
    .
    […]O professor Fedeli ficou muito honrado com a proibição por este motivo.[…]
    +
    Na carta enviada via site Montfort em resposta a um Arcebispo diocesano foi exatamente a seguinte, outros podem ir a Belém, mas eu não posso, não fui o priemiro a ser impedido de entrar em Belém, estou em ótima compania.
    +
    Este Sr. se comparou com Cristo, isto é ele é quase o Salvador, mereceria entrar em qualquer lugar sem pedir permissão.
    ++++++
    Dom Fernado era o maior amigo que virou o pior inimigo de Fedeli.
    ++++++
    O restante não vale a pena nem comentar, porque ele mesmo demosntra a verdade pelo seu próprio prisma “seu ângulo de visão”, um pobre homem “Sofista em sua Diocese” analisa tantos acontecimentos baseados apenas na defesa da Montfort, coitadinha tão marginalizada, e com a péssima propaganda agora exposta pelo Pedro Pelogia, mais ainda. Acho que todos precisariam conhecer o outro lado da história de cada um desses fatos, assim como eu conheço o meu lado da história, por eu mesmo seria este lado que resumidamente se tornou apenas…. O Bispo dom João amaidiçoou e proibiu Fedeli de dar aulas… totalmente fantasiosa esta história asim como todas as outras.

    Deus abençoe a todos.

  127. Sergio Souza

    Eu acho tão engraçado o que Pedro Pelogia e sua versão sem Pelogia, quando acusam os irmãos que têm uma formação católica triste…

    A boa formação católica é estar à margem da Igreja como um rebelde? A boa formação católica é seguir fedeli, falso pastor?

    A boa formação católica é achar o papa um herege e simpatizante de heresias ao dar O RECONHECIMENTO PONTIFÍCIO À CANÇÃO NOVA?

    A boa formação católica, é DECRETAR nesse site que a Montfort é a Porta Estreita?

    Está bom. Então a “boa” formação dos Fedelinos nesse blog, serão plenamente capazes de indicar o Bispo que lhes dão sustentação. Cadê???

    Realmente. Triste é ver um católico assim, ou melhor, alguém que foi LAVADO CEREBRALMENTE a pensar que isso é ser católico!

    Mais que provado nesse site, a Montfort É SECTÁRIA. Não aprovada pela Arquidiocese de São Paulo. Católico que é católico pertence a Igreja e está em COMUNHÃO com os VERDADEIROS E LEGÍTIMOS PASTORES DA IGREJA.

    Qualquer coisa diferente disso, é obra do DIABO, e a Montfort e seus seguidores nesse blog, alimentam-se dessas OBRAS DEMONÍACAS.

    De qualquer forma, não cesso de agradecer a pelos “tradicionalistas” engrandecerem a Obra da Canção Nova ao prestigiá-la com seus acessos.

    BEM VINDO À FAMÍLIA CANÇÃO NOVA! SER CANÇÃO NOVA É BOM DEMAIS!

  128. Caro Pedro

    Pedro
    setembro 4th, 2009 at 21:11

    Padre Joãozinho colocou um belo texto que abange varios aspectos de nossa fé.

    http://blog.cancaonova.com/padrejoaozinho/2009/09/05/o-que-e-a-fe/

    Na dúvida consulte o texto.

    Boa leitura a todos.

  129. Sergio Souza

    VAMOS VER O QUE OS SUCESSORES DOS APÓSTOLOS ACHAM DA CANÇÃO NOVA:

    Os seguidores de Fedeli, já INTERIRAMENTE FAMILIARIZADOS COM ESTE PORTAL, a quem agradecemos por sua fidelidade a este portal, sabem onde acessar estes depoimentos de LEGÍTIMOS SUCESSORES DOS APÓSTOLOS.

    Foi logo no início dessa obra de Deus que DOM AFOSNSO DE MIRANDA, na época, Bispo de Lorena, apontou a missão da futura comunidade de consagrados. O caminho foi trilhado e o crescimento surpreendeu o prelado. “Não imaginava que aquele pedido fosse se transformar no que a Canção Nova é hoje. Não pensava que dali ia sair uma ‘fundação de Igreja’ que a Santa Sé iria aprovar”, comemora.

    Bispo amigo da Canção Nova, como ele mesmo se diz, Dom Eduardo Benes conheceu essa obra de Deus de perto, quando antecedeu Dom Beni na Diocese de Lorena. O prelado afirma que “a Comunidade Canção Nova dá um testemunho de fé que aparece nos meios de comunicação, mas que tem uma base interna de muita vida de oração. Isso tudo me fez ter por ela uma grande estima”.

    Dom Orani João Tempesta, destaca, ainda, o papel catequético do Sistema CN de Comunicação: “Com o uso de todos os meios disponíveis para evangelizar é possível ver o fruto da possibilidade de crescimento maior do nosso povo, da educação na fé, dessa educação a distância que acontece, em grande parte, através da mídia”.

    Cardeal Odilo Pedro Scherer, ao destacar que “ter um meio de comunicação como a CN, com seu sistema, ajuda muito a que nós, como Igreja Católica, neste mundo imenso que é a cidade de São Paulo, não submerjamos no silêncio”.

    Dom Odilo explica que “cada meio de comunicação multiplica a capacidade da Igreja de chegar à casa das pessoas e acompanhar suas vidas. Por isso, nós temos que fazer todo o possível para estar presentes nos meios de comunicação, e até mesmo apoiar os que estão ligados à Igreja para que eles possam ajudá-la a fazer o seu trabalho”.

    Com o Reconhecimento Pontifício, a responsabilidade da Canção Nova é multiplicada, segundo o Arcebispo de Palmas (TO), Dom Alberto Taveira Corrêa, também assistente da Fraternidade das Novas Comunidades, porque “a evangelização não conhece limites e temos que chegar até os confins da terra. Ninguém pode ficar fora do alcance deste amor de Deus porque somos instrumentos desse amor para chegar a outras pessoas”.

    O Arcebispo de Palmas acredita que uma comunidade só pode ser um agente autêntico de evangelização se tiver uma espiritualidade consistente. “Daí entendermos como a CN trabalha na formação espiritual dos seus membros e, também, como contribui para formar espiritualmente tantas e tantas outras pessoas por este mundo afora”.

    Dom Antonio, que apontou o início da missão da Canção Nova, vê a obra chegar à maturidade e aposta em novos horizontes:

    ”Vá em frente quanto mais puder ir! Sempre em frente, cada vez mais! Porque a obra é de Deus. Não tenha medo de caminhar. Quando reconhecemos algo como uma obra de Deus que está transformando e mudando a sociedade, vamos fazer. E a Canção Nova tem ido em frente”.

    ISSO SÓ É POSSÍVEL POR QUE:

    At 2,42 – “Perseveravam eles na doutrina dos apóstolos, na reunião em comum, na fração do pão e nas orações”.

    Eis o segredo. Só pode experimentar ESSA LINDA COMUNHÃO COM OS PASTORES DA IGREJA, QUEM PERSEVERA NA DOUTRINA DOS APÓSTOLOS.

    Infelizmente, os anti-católicos “tradicionalistas” de espírito luterano, não sabem o que é isso porque claramente SE REBELAM contra a IGREJA DO SENHOR, em favor da seita MONTFORTIANA.

    E aí se explica os frutos da Canção Nova e se compara com os frutos pôdres da montfort, que são pedro’s pelogia e despelogiado, leonardo’s, cléber’s… pobres almas!

  130. Sergio Souza

    BOM FERIADO A TODOS…

    SALVE MARIA! QUEM É PODE REALMENTE DIZER ESSA FRASE SALVE MARIA?

    Padre Joãozinho canta magnificamente essa canção e para quem abre a inteligência e o coração ao Senhor, certamente aprenderá bastante com ela, e voltará a COMUNHÃO COM A IGREJA DO SENHOR:

    “Estavam todos reunidos no mesmo lugar, e a Mãe de Jesus também estava lá. (2x)
    De repente veio do céu línguas de fogo… o Espírito foi derramado no meio do povo”.

    PALAVRA DO SENHOR: At 2,1 – “Chegando o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar”.

    QUEM ESTAVAM REUNIDOS?

    At 1,13-14 – “Tendo entrado no cenáculo, subiram ao quarto de cima, onde costumavam permanecer. Eram eles: Pedro e João, Tiago, André, Filipe, Tomé, Bartolomeu, Mateus, Tiago, filho de Alfeu, Simão, o Zelador, e Judas, irmão de Tiago.
    14. Todos eles perseveravam unanimemente na oração, juntamente com as mulheres, entre elas Maria, mãe de Jesus, e os irmãos dele”.

    SALVE MARIA! UNIDA COM OS APÓSTOLOS! SALVE MARIA! SALVE MARIA!

    O QUE SIGNIFICA “REUNIDOS”? – Dicionário do Houaiss – disposto de forma conjunta; unido, junto
    agrupado conjuntamente, a partir de algum critério ou por alguma circunstância; congregado, junto.

    UNIDO!

    Como é que alguém pode abrir a boca pra falar SALVE MARIA, e nada dela aprender? A primeira lição é ser SERVO, OBEDIENTE… Maria, no cenáculo, não se colocava CONTRA OS APÓSTOLOS. ELA ESTAVA EM COMUNHÃO COM ELES, UNIDA!

    Vê-se que os Fedelhinos tradicionalistas, apesar do nome tradicionalistas, em nada herdam a tradição de SEREM OBEDIENTES a IGREJA DE CRISTO, e assim andarem UNIDOS à ELA.

    A Canção Nova o padre Joãozinho sima, podem dizer de todo o coração e com toda a coerência de quem vive a PALAVRA DE DEUS: SALVE MARIA!

    Deus vos abençoe!

  131. Pedro Pelogia

    Sr. Sergio

    Que bom que o sr. acha a mim e ao Pedro engraçados. O sr. e seus pares são absolutamente sem-graça.

    A boa formação católica é viver, crer, orar e professar solenemente a Fé Católica de Sempre! Não importa que eu tenha três Bispos morando comigo em casa! Não importa que eu divida a beliche com um Cardeal, não importa que um padre oficial da Congregação da Doutrina da Fé almoce todos os dias comigo: se eu não PROFESSAR A FÉ CATÓLICA E APOSTÓLICA DE SEMPRE, eu não sou católico, apesar de gozar da amizade de bispos, cardeais e teólogos.

    A boa formação católica é amar a VERDADE e não ter medo de divulgá-la aos 4 ventos. A Canção Nova forjou um estatuto e enganou o Papa com ele, que a aprovou. Ela pode não ter necessariamente MENTIDO, mas OMITIDO muitos de seus “carismas”, como por exemplo a ANARQUIA LITÚRGICA, que irrita particularmente ao Papa Bento XVI. Omitir É mentir.
    Teimosamente, Monsenhor Jonas e Felipe Aquino SE RECUSAM a publicar o Estatuto de Aprovação.
    O que eu devo pensar disto?

    O sr. quer dar-me um cargo a que não tenho direito. Decretar? Quem sou eu para DECRETAR algo? Eu não sou Papa e nem Presidente da República emitir DECRETOS. Eu fiz uma “analogia” da Montfort com a “porta estreita” do Evangelho a fim de refutar um cançãonovista que se elevava em extases pelos altos números de acessos da Canção Nova: POUCOS acessam a porta estreita, MUITOS acessam a porta larga.

    Por não entender ou fingir não entender uma colocação tão simples, o sr. quer se passar por DESONESTO ou por ANALFABETO FUNCIONAL?

    Na verdade, eu havia mencionado um elogio de dom Manoel Pestana no site da Montfort, mas deixo as repetições para o meu gracioso pássaro verde de estimação.

    Portanto eu continuo a pergunta, cadê um Bispo para apoiar A CAUSA da Associação Montfort? Só porque ela defende a fé católica e apostólica de sempre, os Bispos que fazem parcerias com a maçonaria e com o MST não querem apoiá-la?

    Ja parabenizei a Canção Nova, baluarte do neopentecostalismo protestante dentro da Igreja Católica, pelo grande números de Bispos que a apóiam.

    Mas experimente, meu “caro” sr. Sergio Souza, perguntar às CEBs o mesmo que perguntas à Montfort. Eles te citarão uma boa lista de Bispos.

    Experimente perguntar às “Católicas Pelo Direito de Abortar” pelos Bispos que às apóiam. Também é um bom número. Elas até apareceram no DVD da Campanha da Fraternidade…

    Experimente perguntar ao ACATÓLICO declarado Leonardo Boff, quais os Bispos o apóiam? Te garanto que o sr. não ficará sem resposta.

    Vá à Pastoral da Terra… opa, esta É dirigida por Bispos…

    Pegue um avião e desça em Tubinga na Baviera, pergunte ao teólogo ariano Hans Küng pelos Bispos que o apóiam. Ele te mencionará até CARDEAIS.

    Agora, se perguntar para a Montfort, ou a qualquer defensor da Tradição, consciente do problema do Concílio Vaticano II, qual Bispo o apóia, o sr. infelizmente e dolorosamente não obterá resposta, ou melhor, não obterá nomes.

    Os Bispos que apóiam a Montfort são Santo Agostinho, Santo Ambrósio, Santo Anselmo, Santo Atanásio, São João Crisóstomo, São Cirilo. A Montfort se limita a “repassar” a doutrina destes Bispos. Se a CNBB não “apóia” e “não está em comunhão” com a Montfort, também não está em comunhão com os Santos Padres.

    A CNBB é uma IGREJA PARALELA. Precisamos de Bispos, não da CNBB.
    E precisamos urgentemente.

    De fato, a audiência da Canção Nova é mesmo fenômenal. No dizer de Olavo de Carvalho (inimigo do professor Fedeli, diga-se de passagem), no Brasil só tem audiência aquilo que não presta!

    Ser católico é bom demais, mas não é fácil! Nos tempos modernos, é até proibido!

  132. Pedro Pelogia

    Revmo. Padre Joãozinho

    Um post meu foi EXCLUÍDO

    Antes de responder o Sergio Souza, fiz uma tréplica ao Sizenando, sobre a questão de Anápolis.

    E ela não foi publicada.

    Até então eu vinha louvando e elogiando a sua honestidade intelectual e transparência, padre. Uma das poucas qualidades que eu enxergava em sua pessoa.

    Esclareça, por favor. Em Cristo, Pedro Pelogia.

  133. Em resposta a
    .
    Pedro Pelogia
    setembro 7th, 2009 at 02:35
    +
    Acho que a coisa está melhorando muito, vejam que Pedro Pelógia já confessa a verdade, agora falta apenas vivê-la….
    (sit) – […]- Se eu não PROFESSAR A FÉ CATÓLICA E APOSTÓLICA DE SEMPRE, eu não sou católico,…[…]
    Só um parêntese para completar o pensamento da frase:
    (DE SEMPRE) – Quer dizer do primeiro dia até o último, todos os documentos incluindo o Concílio Vaticano II.
    Obs. Quem serve uma Igreja aleijada, deformada, pela metade, incompleta, não está servindo a IGREJA CATÓLICA DE SEMPRE.
    ++++
    (sit) – […] – A Canção Nova forjou um estatuto e enganou o Papa ! […]
    Como poderemos enganar um Papa ? Creio que ele teria um monte de cardeais, Bispos e leigos informantes que lhe diriam toda a verdade, por sinal não foram apenas um e nem dois abaixo–assinados que chegaram no Vaticano pedindo para não reconhecer a Canção Nova, pena que estes abaixo- assinados foram enviados pelos excomungados que não são filhos da Igreja e não merecem NENHUM CRÉDITO porque suas opiniões e visão MIÓPE é oposta à visão do Papa e suas pretensões para o futuro da IGREJA CATÓLICA VERDADEIRA.
    ++++
    (sit) – […] – Da Montfort com a “porta estreita” do…{…]
    Por ocasião da visita de Orlando Fedeli em Anápolis, no auge do afã da chegada do “Moto Próprio”, onde Fedelistas de todo Brasil bradavam em alta voz que agora a missa Tridentina iria substituir a missa nova e que todos nós iríamos assistir missa em LATIN e com o Padre de costas para o povo, foi dito em alta voz que a Montfort era um site reconhecido, forte e com mais de 500 mil acessos mensais, passou poucos dias a repercussão negativa de seus ataques ao nosso Bispo provocou-lhe uma queda enorme na audiência, tanto que alguns leitores ficaram preocupados com nossos pequenos Blog’s “sofistinhas” que levantavam criticas contra o poderoso site Montfort, nesta ocasião Orlando Fedeli se limitou em nos menosprezar dizendo que éramos apenas um “BRILHO DE BUSCAPÉ”, OU apenas “ESTALINHO DE SÃO JOÃO”, Com seu imenso orgulho ele se lança agora contra o grande “GOLIAS” o site da Canção Nova que nem existia quando ele já era o “TODO PODEROSO”, mostra-se assim que os traques e os buscapés iluminaram as trevas em que a tal de Montfort vivia escondendo a verdade e ficou bem claro para todos a sua falsidade, mentira, desobediência, armadilhas, maledicências, sabotagem, falta de educação, falta de conhecimento, deseducação, heresia e muitas outras coisas que não são do agrado do Senhor nosso Desus.
    Eu na verdade identificaria esta Montfort não como uma porta, mas como uma pedra de tropeço atrapalhando o caminho dos Católicos Apostólicos Romanos rumo à verdade.
    +++++
    […] – A CNBB é uma IGREJA PARALELA. Precisamos de Bispos, não da CNBB.
    E precisamos urgentemente. […]
    Caro Pedro, peça ao Papa estes Bispos, que ele mande Bispos segundo a vossa vontade e não segundo a dele, porque os últimos Bispos que foram escolhidos por Ele não seguem à sua linha de pensamento e lamentavelmente prá você, a RCC agradece por alguns nomes de nosso movimento terem merecido a confiança do Papa e demonstrado este mérito de se tornarem Bispos Carismáticos na Igreja Católica de SEMPRE.
    ++++
    […] – no Brasil só tem audiência aquilo que não presta! […]
    Por esta frase sua Pedro podemos imaginar porque você continua um sofista na sua Diocese inteira e porque a RCC cresce cada vez mais.
    Você acabou de menosprezar todo o povo Brasileiro, dizendo que ninguém presta, vejo aí uma forte influência de Fedeli que em todos os seus exemplos cita os Franceses ateus de hoje como bom exemplo, ou de Marcelo Fedeli que sonha em Francês, Italiano, Inglês e tem coragem de postar este sonho em Línguas estranhas em seu site e depois contesta a RCC por falar em Línguas, me relembro mais uma vez do exemplo da derrota de Napoleão em Waterloo dizendo que o CV II foi um fracasso como aquele, bem se vê que sua visão é míope e partidária de Napoleão o Grande Imperador Frances odiado pela metade do mundo e chamado de anticristo pelos estudiosos escatológicos colocando-o no mesmo patamar de Hitler.
    Este é o exemplo que ele cita para um Brasileiro entender uma derrota, deveria ter citado um fato histórico Brasileiro como o “Proclamação da República”, porque o meu ângulo de visão em relação à “Batalha de Waterloo” é o ângulo Inglês e seus aliados que venceram a batalha, seria a mesma coisa que cantar o hino da Argentina engrandecendo a sua vitoria na Copa mundial de 1978 que roubaram do Brasil.
    Depois ainda reclamam de serem marginalizados, porque não seriam, já que são estrangeiros neste País menosprezando os Brasileiros.
    ++++
    Ser católico é bom demais, mas não é fácil! Nos tempos modernos, é até proibido!
    Ser Cristão de verdade, pelo que eu saiba sempre foi proibido e sempre será de acordo com as sagradas escrituras, muitos morreram e muitos ainda morrerão pelo evangelho antes que venha o fim.
    A canção Nova então sabe muito bem como foi difícil o seu caminho até aqui, quantos trancos e quantos barrancos foram ultrapassados e vencidos, em nossa cidade a RCC foi massacrada por uma multidão de Padres tradicionalistas e em 30 anos sobrevivemos a estes ataques e ainda hoje querem acabar com a RCC, só que agora somos a maioria e não uma minoria indefesa, mas isto não vence os obstáculos porque o mundo continua ateu e fugindo de Jesus, o poder público se organiza contra a Igreja e o demônio está furioso cada vez mais porque sabe que seu tempo está acabando, o tempo de Apocalipse 12 está chegando e o ataque do inimigo à Verdadeira Igreja chega de todos os lados tentando dividi-la e enfraquecê-la, é nesta hora que percebemos que o Papa precisa de nosso total apoio ”INCONDICIONALMENTE”, VOCÊ ENTENDE O QUE SIGNIFICA ESTA PALAVRA CARO AMIGO Pedro ?
    Paz e bem.

  134. Sergio Souza

    Salve Maria aqui! Salve Maria lá! Salve Maria ali! Salve Maria acolá!

    Diz a Palavra da Salvação: Lc 1,38 – “Então disse Maria: Eis aqui a SERVA do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua palavra. E o anjo afastou-se dela”.

    DICIONÁRIO Houaiss – SERVO = AQUELE QUE OBEDECE OU SERVE A ALGUÉM.

    Papa Bento XVI – “Queridos irmãos e irmãs, depois do grande Papa João Paulo II, os cardeais elegeram-me – um simples e humilde trabalhador da vinha do Senhor”.

    UM SIMPLES E HUMILDE TRABALHADOR DA VINHA DO SENHOR.

    Ora, se Nossa Senhora e o Papa Bento XVI se colocam como SERVO e HUMILDE TRABALHADORES, OBEDIENTES, com que direito tem um fiel católico de se colocar ACIMA de tudo e de todos, ? Só há uma resposta: É NÃO SENDO CATÓLICO. E SÃO COMO SE COMPORTAM OS TRADICIONALISTAS.

    O próprio Jesus se colocou na posição de OBEDIÊNCIA.

    Mt 26,39 – “Meu Pai, se é possível, afasta de mim este cálice! Todavia não se faça o que eu quero, mas sim o que tu queres”.

    Paulo nos exorta à OBEDIÊNCIA:

    Fl 2,12 – “Assim, meus caríssimos, vós que sempre fostes obedientes, trabalhai na vossa salvação com temor e tremor, não só como quando eu estava entre vós, mas muito mais agora na minha ausência”.

    Mas O ESSENCIAL para os Montfortianos é obedecer Fedeli!

    O problema dos montfortianos é que ELES TROCARAMA A BÍBLIA E O CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA PELAS APOSTILAS DE FEDELI. Está aí explicada a razão.

    Mas apesarem de estarem com o coração longe de Deus, e com os olhos DISTANTE DA SAGRADA ESCRITURA E DA IGREJA, repetem: Salve Maria!

    Vê se que os tradicionalistas fedelinos, e em geral, falam muito em Deus, em amor a Igreja em salve Maria e terminam sendo os SUJEITOS da Palavra de JESUS:

    Mt 15,8 – “Este povo somente me honra com os lábios; seu coração, porém, está longe de mim”.

    Na liturgia de ontem, oremos por esses irmãos rebeladas clamando a Eles as mãos de Deus: ÉFETA! Para que seus olhos e ouvidos da alma, abram-se para a VERDADE DO SENHOR.

  135. Sergio Souza

    Padre Joãozinho explica a questão dos posts excluídos: (http://blog.cancaonova.com/padrejoaozinho/2009/09/07/posts-excluidos/#comment-175524)

    “Ultimamente a qualidade dos comentários tem melhorado consideravelmente. Raramente tenho que deletar algum comentário por motivos que já expliquei. Ocorre que diariamente recebo cerca de 200 spams que tenho que deletar um por um. Vez por outra (raramente) acontece de um comentário ser deletado acidentalmente entre os spams. Por isso sempre aconselho a você escrever seu comentário em um arquivo word antes de colar no BLOG. Caso aconteça um acidente você tem cópia e pode postar novamente. Se na segunda vez seu comentário não for publicado novamente, provavelmente exclui conscientemente”.

    Infelizmente para os desesperados tradicionalistas é mais fácil e conveniente soltar insinuações sobre a seriedade do padre Joãozinho, como Pedro pelogia, faz, como se o padre Joãozinho se parecesse com Fedeli.

    Pedro, existe uma enorme diferença entre os dois… Padre Joãzinho é um homem de Deus, OBEDIENTE À IGREJA, pertence a uma CONGREGAÇÃO RELIGIOSA em intimidade e OBEDIÊNCIA ÌGREJA, sob a bênção da DIOCESE DE TAUBATÉ.

    Fedeli é o que? Quem é Fedeli na Igreja? Fala aí de Fedeli, vai! Em comunhão com quem? Que credibilidade tem ele e você que o segue?

    Irmão… Antes de você pré julgar o padre Joãzinho, leia e PRATIQUE ESSA PALAVRA:

    Mt 7,1-2 – “1. NÃO JULGUEIS, E NÃO SEREIS JULGADOS. Porque do mesmo modo que julgardes, sereis também vós julgados e, com a medida com que tiverdes medido, também vós sereis medidos”.

    Faz alguma coisa concreta: LEVANTA AÍ A OPINIÃO DOS BISPOS SOBRE FEDELI, assim como eu fiz em relação AO MONSENHOR JONAS ABIB. E apresenta aqui! Coisa que você até hoje não fez.

    E outra, seja mais agradecido ao Padre Joãozinho, a quem com muita bondade acolhe seus péssimos, vazios e mal educados posts aqui, no BLOG DA CANÇÃO NOVA, a quem você destila ódio.

  136. Sergio Souza

    É lamentável que você ache disso da Igreja…

    Inteligentemente, Pedro, você sabe, e te ensinei aqui, que a relação de comunhão que os fiéis devem ter com a Igreja, não é a mesma que você deve ter com a Montfort: Feita de beliches ou dividindo moradias. Como você coloca acima. Se essa é a sua relação comFedeli, desculpe-me, respeito, mas não LEVANTE FALSO À IGREJA em relação a isso.

    Só para lhe informar… Dom Alberto Taveira, mora em Palmas. Dom Odilo Scherer na cidade de São Paulo, Dom Orani, na cidade do rio de Janeiro, o Papa Bneto XVI no Vaticano, Mosenhor Jonas, na Canção Nova em Cachoeira Paulista. Estão em comunhão, mas não vivem dividindo moradinhas e nem beliches.

    E se dividissem? Qual seria o problema?Olha, eu acho que você andou faltando ler a Bíblia:

    At 2,44 – “TODOS OS FIÉIS VIVIAM UNIDOS E TINHAM TUDO EM COMUM”.

    Em suma, você precisa conhecer a Igreja, e a Igreja, não é feita da mesma relação que vocês tradicionalistas têm entre si

    TER COMUNHÃO COM A IGREJA É ESTAR EM COMUNHÃO COM OS LEGÍTIMOS BISPOS, VERDADEIROS PASTORES.

    Infelizmente você prova que não tem. Automaticamente você pode ser tudo, menos católico.

    Mais uma vez, você acusa a Canção Nova de Ter forjado o estatuo. Isso é FATO GRAVE. Não sei como você sabe sobre isso e o PAPA BENTO XVI, não?

    Você automaticamente ACABA DE ACUSA A VOSSA SANTIDADE de ser uma pessoa MÁ INFORMADA e IRRESPONSÁVEL na condução da Igreja.

    Na falta de argumentos Pedro, é mais fácil você levantar um FALSO TESTEMUNHO, dizendo que a Canção Nova forjou seu estatuto e consequentemente acusar o PAPA DE ser má informado.

    Que católico é você? Montfortiano!

    É o desespero Pedro!

  137. Sergio Souza

    Querido Padre Joãozinho…

    Com todo respeito ao senhor que tem sido acolhido pela Comunidade Canção Nova, comunidade esta em COMUNHÃO COM A IGREJA e que lhe ama muito, mas penso:

    O sr Pedro Pelogia fez neste blog uma ´seria e grave colocação sobrea Canção Nova. Ele disse:

    Pedro Pelogia
    setembro 7th, 2009 at 02:35

    “A Canção Nova forjou um estatuto e enganou o Papa com ele, que a aprovou”.

    Eu acho que antes de postar algum comentário do Pedro, Padre Joãzinho, ele deveria aqui PROVAR ESSA GRAVÍSSIMA ACUSAÇÃO.

    Quem forjou esse estatuto? Nome das pessoas.

    Comparar o estatuto que foi apresentado no Vaticano e com o que ele deve ter em suas mãos.

    Pedro Pelogia, agora é com você. Prove isso que você está falando.

    É uma acusação gravíssima e que deve ser levado ao conhecimento das Autoridades Eclesiásticas.

    Não sei se é o caso, mas o Departamento Jurídico da Canção Nova deveria estar alerta ao essa acusação, e que Pedro, que diz tanto defender a Igreja, se tem as provas, deverá levar a um fórum adequado.

    E aí Pedro? Prove! Ou terá sido uma falsa acusação?

    Você sustenta o que disse: Que a Canção Nova forjou seu estatuto e enganou o Papa?

    Ou retira o que disse?

    Sergio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.