O Post anterior não foi dedicado aos tradicionalistas, mas aos fundamentalistas. São coisas bastante diferentes. Alguns tradicionalistas rapidamente se identificaram com o post e reagiram. Não é o caso. O problema do fundamentalismo religioso é real e gritante em nossos dias. O próprio Papa Bento XVI tem denunciado estas tendências terríveis do mundo moderno: relativismo, subjetivismo e fundamentalismo. Não me apresso em acusar nenhum tradicionalista de fundamentalista. Também agradeço o respeito aos que leram muito pouco do que escrevi, ou não me conhecem o suficiente, de não me acusarem de relativista ou modernista. Esta crítica é no mínimo leviana.

15 Comentários

  1. Padre, eu não o acuso nem de relativista, nem de modernista, mas de herege mesmo.

    Como pode alguém querer falar de fé e dizer essas monstruosidades sobre o batismo?

    http://intribulationepatientes.wordpress.com/2009/08/31/quo-vadis-parve-ioannes/

  2. Pelo bem das almas, Padre, você deve, não tentar costurar, mas negar publicamente o que o Senhor disse sobre o batismo e ensinar a verdadeira doutrina sobre esse assunto. Porque é através do batismo e da CONFIRMAÇÃO, que temos infusa em nossa alma a virtude da fé e nos tornamos maduros nessa mesma fé, desde que a pessoa não bote nenhuma resistência a isso.

    Quando pecamos mortalmente, é através do sacramento da penitência, que recuperamos todas as virtudes (fé, esperança, caridade) e todos os demais dons, e que temos reavivadas todas as nossas boas obras feitas em estado de graça.

    Claro que eu sei que o Sr. deve saber de tudo isso, caso contrário, o Sr. não seria apenas herege, mas um sacerdote que não sabe o básico seria herege dapior espécie.

    Mas na tentativa de conciliar a verdadeira doutrina, com esses elementos da RCC vindas do pentecostalismo, o Sr. acaba se atrapalhando todo, e agindo como herege.

    Negue publicamente o que o Sr. disse sobre o nosso sacramento do batismo, e por bem ensine a verdadeira doutrina sobre o assunto.

  3. Pingback: RCC Brasil

  4. Simone Teixeira

    Pe. Joãozinho,

    Concordo totalmente. Sei que você não precisa de quem o defenda e eu lhe diria se houvesse algo com que eu não concordasse, para que me ajudasse a compreender melhor, se fosse o caso. Você está sendo bastante claro e objetivo. Quem ousar distorcer dessa vez, estará fazendo um exercício de “ilogica”…
    Abraço,

    Simone.

  5. Domingos de Oliveira

    Bem,se o padre Joãozinho explicou e a Simone concordou totalmente,podemos dormir em paz.Tá tudo bem!
    Ao invés de “Roma locuta,causa finita”,vamos decretar o “padre João explica,Simone concorda,causa finita”!

  6. Boa Domingos!

    Devemos agora ouvir Pe. Joãozinho e a CN. Não mais Roma.
    Aliás, eu já disse isso uma vez e repito:

    A comunhão da CN com a Igreja Católica é semelhante a comunhão de um Leão com uma hiena.

    Ambos são totalmente oposto um do outro, mas se toleram mutuamemente, vivendo em territórios muito próximos uns dos outros.

    A Igreja Católica tolera a RCC, ao mesma tempo que essa, para não se declarar uma seita dissidente, tolera a Igreja Católica, mesmo com práticas que neguem o ensino oficial desta, seja em sua doutrina ou moral.

    Então a RCC tem livre caminho para fisgar novos adeptos, com o rótulo catolicismo. É mais fávil e mais conveniente.

  7. Simone Teixeira

    Pe. Joãozinho,

    Gostaria de lhe pedir desculpas se estiver usando indevidamente seu blog. Eu não pretendia almentar o clima de discórdia, mas parece que o fato de concordar com o que você diz está até servindo de chacota para pessoas como o senhor Domingos. Não me importo com o que ele pense de mim porque isso não vai mudar em nada minha fé e minhas convicções. Nunca pretendi ser “dona da verdade”, somente não quis ser omissa e achei que, da mesma forma com que todos têm direito de discordar, eu pudesse concordar com aquilo que não contradiz minha fé nem mnha consciência. Lamento que alguém só ache lícito comentários que o agridam ou agridam a Igreja da qual pertenço desde meu batismo, há quase meio século! Apesar de ser mais velha que você, parece que as pessoas continuam achando que “sou uma adolescente” que não tem opinião própria só por tratá-lo com o respeito e a admiração que você sempre me mereceu.
    Eu acompanho esse blog desde o início e vou continuar acompanhando e rezando com você e por você.
    Grande abraço,

    Simone.

  8. Pedro, no post linkado, diz: “Ele começa a dizer que “O batismo no Espírito é um desdobramento do batismo sacramental” (47 s) e que o batismo é um processo, de forma que uma pessoa não é batizada, e sim “batizanda”. Ele comfirma estas besteiras dizendo que “o batismo é dinâmico” (1 min) e que “somente seremos totalmente batizados no Céu” (1 min 19 s), “enquanto estivermos aqui [nesta vida] estamos passando por um processo batismal” (1 min 28 s). Este processo seria o tal “batismo no Espírito”, que aconteceria muitas vezes na vida da pessoa (2 min), e ainda o associa a uma “tomada de consciência do próprio batismo (2 min 25 s).”

    Pedro, você não concorda que essas expressões que ele usou podem todas elas serem usadas com o sentido ortodoxo?

  9. Prezado Pe Joãozinho,
    Salve Maria!

    A resposta que escrevi no post, foi uma alusão ao Concílio Vaticano II, onde no discurso de abertura, se lê:

    “Uma coisa é a substância do « depositum fidei », isto é, as verdades contidas na nossa doutrina, e outra é a formulação com que são enunciadas, conservando-lhes, contudo, o mesmo sentido e o mesmo alcance. Será preciso atribuir muita importância a esta forma e, se necessário, insistir com paciência, na sua elaboração; e dever-se-á usar a maneira de apresentar as coisas que mais corresponda ao magistério, cujo caráter é prevalentemente pastoral.” Discurso de abertura do Concílio Vaticano II – Papa João XXIII

    Justamente esta noção, é condenada por São Pio X, na Encílica Pascendi Dominici Gregis, como pode se ler:

    “Há ainda outra face, além da que já vimos, nesta doutrina da experiência, de todo contrária à verdade católica. Pois, ela se estende e se aplica à tradição que a Igreja tem sustentado até hoje, e a destrói. E com efeito, os modernistas concebem a tradição como uma comunicação da experiência original, feita a outrem pela pregação, mediante a fórmula intelectual.” Pascendi Dominici Gregis – São Pio X

    Considerando-se estas coisas, por analogia aos sepulcros caiados, estão o liberalismo católico, o humanismo católico, o marxismo católico, etc. Já por analogia aos lobos em pele de cordeiro, estão os representantes destas “sínteses.” Cabe aqui ainda dizer que as correntes filosóficas modernas, com o Concílio Vaticano II, receberam uma espécie de justificação pela fé.

    Fique com Deus.

    Abraço

  10. O problema do Tradicionalismo Católico é que este não pretende ser sal e luz. Para defenderem a “verdadeira” fé católica seus seguidores podem muito bem ser pimenta e ácido. A fúria, o ódio, o deboche são considerados qualidades, no melhor estilo “odeio o pecado e o pecador”. Por isso eles tem um apego exarcebado ao modo de vida da Idade Média e o desprezo pelo Concílio Vaticano II. Na prática, o comportamento dos tradicionalistas lembra o discurso dos skinheads, dos neonazistas, da Ku Klux Kan e a crueldade dos intolerantes religiosos, que passam por cima de qualquer um para atingir seus objetivos.

    Lendo os Evangelhos, os Atos dos Apóstolos, o Didaqué, e sabendo, pela Tradição, que os frutos do Espírito Santo são: Amor, Alegria, Paz, Paciência, Benignidade, Longanimidade, Benevolência, Humildade, Fidelidade, Modéstia, Continência e Castidade, chego a conclusão que o Tradicionalismo Católico, com sua dose exagerada de maldade, é uma depravação do Cristianismo.

  11. Gederson, você está chamando o Papa João XXIII de “modernista”? Estou lendo o documento de São Pio X e nele se diz que modernista nega a divindade de Jesus Cristo. Onde foi que o Papa João XXIII assim o fez (se você o está chamando disso mesmo)?

    E, meu caro, não vi conexão entre as 2 citações fora de contexto que vc copiou e colou aqui no blog de Pe. Joãozinho. Na citação de Pio X, “experiência” e “experiência original” são sinônimos, certo? E se referem a um termo definido um pouco antes no texto, certo? Já na citação do CV II, o sentido é o “depositum fidei”, não “experiência”.

  12. Pedro Pelogia

    Minha vez.

    João, você está chamando o Papa Bento XVI de “depravado”?
    Estou sabendo que há dois anos ele “reconheceu pontificalmente” (alguém gosta muito de reconhecimentos pontifícios por aqui…) o INSTITUTO BOM PASTOR, que além de ser tradicionalista litúrgica, NÃO ACEITA o Concílio Vaticano II.

    E o Papa está se “depravando” mais, visto que permitiu que o Concílio Vaticano II fosse DISCUTIDO nas “Disputationes Teologicae” entre “lefrevistas” o membros da Congregação Para a Doutrina da Fé.

    Seria, por acaso, a “Comissão Ecclesia Dei” – responsável por sanar as desavenças com as comunidades tradicionalistas – uma “comissão de depravação” vaticana?

  13. Sinceramente eu não sei porque acender um holofote em cima do Diabo, aquela criatura que odeia tudo e todos ( basta ver o site Montfort), estava lá, gritando no fundo do Inferno ao lado do Asmodeu, só uma merreca de seguidores ouvia-o vociferar contra a Igreja de Cristo, pregando o Catecismo que ele importou da Famigerada TFP.
    O simples pronunciamento do nome da associação na televisão pelo Padre Fábio foi o suficiente para colocar lenha na fogueira. Deixa pra lá, deixa gritar aos quatro ventos, isso passa. Com todos os detentos que eu converso, nunca ouviram falar dele, vá até um Asilo, nem sabem que eles existem. Parem de fazer propaganda gratuita, é isto que eles querem.
    Duas coisas eu gostaria de deixar bem claro, a primeira é que Tradicionalista não é quem só vai na missa Tridentina., mas aqueles que ouvem e pregam a palavra de Cristo, a Piedade para um tradicionalista não é só seguir as rubricas com exatidão milimétrica, mas sim estar a disposição dos mais necessitados, é dar o ombro pra quem chora, é erguer quem está caído, é incluir quem está excluído, tradicionalista não é aquele que só recebe a eucaristia quando o Padre fala Latim e usa manípulo e mais um monte de paramentos, mas também aquele que vê na hóstia consagrada o Cristo ressuscitado, e entende que sua vida é doação.
    A segunda coisa é que o padre João realmente pisou na bola com relação a eucaristia, mas um simples “me desculpe” é o suficiente, não precisa tanto alarde.

  14. Leonel Carlos Prado

    Ao Fabio
    Aleluia, vemos a menos um “carismático” aceitando que o padre joazinho “pisou na bola” em relação a Eucaristia,Aleluia,Aleluia.
    Fábio parece mais um adepto do Lions Clube, ou de uma filantropia qualquer,quem sabe de algum clube de campo e não da Santa Igreja.Ele quer agir como um psicologo, um orientador, um ouvinte, etc, e não como um guerreiro de Cristo, para o Fabio basta apenas fazer,fazer,fazer…..a Igreja vem depois.Pobre Fabio, que não uviu as palavras de Cristo de que não só de pão vive o homem, mais uma alma inocente nas garras do protestantismo “CANÇÃO NOVA DE SER”
    Quanto a suas ofensas e calunias,FABIO, não responderei, afinal o perfil de um descontrolado mostra bem o nivel de caráter daqueles que se dizem “carismáticos”.
    Passe bem Fabio.

  15. Leonel Carlos Prado

    Em 1 de fevereiro de 1958 o Exelentissimo e Revendissimo Senhor D. Antonio de Almeida Morais Júnior ,Arcebispo Metopolitano de Olinda e Recife escreveu a respeito do protestantismo:
    Não fiquem ruborizados e envergonhados FÁBIO e SIZENANDO, essa não era uma Igreja da Idade Média:
    “A unidade da Igreja vem da própria essência da VERDADE.A VERDADE é essencialmente UNA.A sua realidade necessáriamente “impõe” a adesão de nossa INTELIGENCIA e de nosso CORAÇÃO”.Continua o Arcebispo:
    “É coisa tão natural ao nosso espírito , à nossa inteligencia que jamais poderiamos imaginar que a verdadeira religião não implicasse a FALSIDADE de tôdas as outras.Só uma religião pode ser verdadeira e só é verdadeira aquela que conserva , através dos séculos e dos espaços , a mais perfeita unidade doutrinária; A IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA. Leiam mais, não se irritem FABIO e SIZENANDO:
    “Não tememos o Protestantismo, porque para fazer protestantes a quantidade de Católicos de hoje, não bastam todos os dolares do mundo. Mas tememos e muito a falta de instrução em muitos Católicos.Tememos a IGNORÂNCIA religios d não pucos e também a pobreza de nossa gente….Há urgencia em atender a esses setores necessitados de auxilio espiritual; o PERIGO protestante é um novo desafio para trabalharmos mais afim de remediar as necessidades dos nossos irmãos.”
    “E nos atrevemos a dizer que o ATAQUE PROTESTANTE à America Latina ,como o ataque comunista à humanidade ,é um PERIGO em um CASTIGO providencial, que nos põem em pé e nos impulsinam mais do que nunca para a defes da VERDADE.”
    SIZENANDO, obviamente não quer se colocar em pé para defender a Santa Igreja.Não é SIZENANDO?Ou o que será que mudou depois de 1958??????????
    Calma SIZENANDO e FABIO ,deixem me conclui com o que disse o ARCEBISPO:
    “Resta nos, agora, pedir a Deus que abençõe todos aqueles que defendem a Santa Igreja e faça frutificar essa luta em beneficio das almas iludidas pelo erro do Protestantismo e fortaleça na fé as que vivem à sombra da ÚNICA e Verdadeira Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo”
    Nem mesmo padre Fabio de Melo , Padre Joazinho, Padre Zezinho, Sizenndo, Fabio etc C A n Ç Ã O N O V A…………….poderão negar que “hoje” muitos querem uma Igreja diferente da que o Arcebispo sonhava e defendia.
    Só para ilustrar o pensamento pós CVII vou citar um padre modernista muito conecido , escritor, palestrante e propagantista de Heresias:
    FREI MAURO STRABELI escreveu no livro; ” BIBLIA:PERGUNTAS QUE O POVO FAZ” e ele “esclarece o povo”
    PERGUNTA DO POVO: “As palavras que Jesus disse a Pedro: ” TÚ és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja” são realmente a prova de que o PAPA é o chefe da Igreja fundada por ele?”
    RESPOSTA DE FREI MAURO STRABELI:”ANTIGAMENTE, essa quetão era muito polêmica.O texto bíblico ERA usado como argumento apologético para se afirmar ou negar a primazia da Igreja de Roma e do PAPA sobre as demais igrejas e bispos.HOJE, embora o PAPA nem sempre seja reconhecido como o chefe da Igreja de Cristo e nem a Igreja Católica como única Igreja de Cristo, essa questão NÃO É MAIS DISCUTIDA.Procura-se entender hoje , no seu contexto , o que significa essa expressão de Jesus”
    Viram, ele ainda NÃO entendeu o que Jesus quiz dizer.Muitos padres, e ai entram Fabio de Melo ,Joaozinho,Zezinho,Luizinho e tantos outros padres “carismáticos” que não “entenderam” o que Jesus disse.
    Mas a Igreja ,NÃO,NÃO e NÃO tem dúvidas , ela sabe muito bem o que disse Jesus, não há duvidas , não há reflexão, não há relativismo barato, não há incerteza, ela é a ÚNICA Igreja de Cristo, que deixou na terra seu representante o PAPA e seus sucessores ,como chefes dessa Igreja na terra.
    Nós defendemos isso Sizenando e Fabio, não defendemos a Montfort,que tem importancia menor, e para nós é passageira frente a Santa Igreja que Cristo afirmou que nem as portas do inferno prevaleceriam sobre ela.É a ela que dedicamos nossas vidas ,a cada dia, a cada minuto, e por ela morreremos, sem retroceder em uma linha doutrinal , como deseja SIZENANDO.
    Que Deus nos mantenha assim, e que converta corações de pedra como o de vocês.Amém,SALVE MARIA

  16. Sr. Leonel
    Achei estranha a sua colocação sobre o Papa, uma vez que eu NUNCA neguei a autoridade, a legitimidade, nem dos Papas como foi feito por alguns tradicionalistas com relação a João XXIII e a PauloVI, que aliás já deveriam estar canonizados. Amo toda a tradição Católica, agora acatar aquilo que sonha como igreja o Arcebispo D. Antonio, primeiro eu teria que ter uma familiaridade com o que ele escreve, tenho um pouco mais de familiaridade com o que Paulo escreve, por exemplo em Tg 2, 14-19, se o que ele sonha está de acordo com esta passagem por exemplo, pode contar comigo, de fato não me sinto como um guerreiro de Cristo, mas sim um atleta de Cristo, nos moldes que desenhou São Bruno, Mas também poderia recomendar muitas coisas a você Guerreiro de Cristo como fez aos Templários, São Bernardo, mas onde eu me sinto mais a vontade é ao lado de São Francisco.
    Vê meu amigo, como temos dons diferentes, mas não menos importantes para a Igreja, poderíamos junta-los e fazer jus as palavras de Cristo Jo 17, 22-23 Eu lhes dei a glória que tu me enviaste, para que sejam um, como somos nós. Eu neles e tu em mim, para que sejam plenamente um; para que o mundo conheça que tu me enviaste e os amaste, como me amaste.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.