Na opinião do Marcelo esta Marcha dos evangélicos não será uma “medição de forças” com a Igreja Católica. Espero… mas duvido!

Será mesmo medição de forças? Talvez por parte dos evangélicos, por alguns de seus segmentos sim. Despropósito de intensidade parecida, ocorreu por vários anos na cidade de São Paulo, só que o versus era a Parada Gay realizada no domingo e a Marcha de Cristo no sábado, dia reservado para evento não oficial gay feminino, notório e explícito a medição de forças, clima hostil por parte dos que se julgam seguidores e filhos de Deus as revezes de pessoas em busca de cidadania ( sem entrar na causa ). Foi assim que aconteceu por muitos anos até que por lei municipal ( não a causa ), mas sim interesses financeiros, a Parada Gay se manteve na av. Paulista.
Padre, de fato não acredito na possibilidade de um medir forças, não por parte dos católicos conscientes, somos um povo manso por alma e defendemos com larguezas nossa fé! Já alguns segmentos evangélicos, sinceramente temo, não por sua natureza, mas por incitação. Bem como os religiosos na política e sua possível maioria. Toda a flexibilidade Cristã que se têm alcançado, diálogos jamais pensados há algumas décadas podem retrair por posturas moralistas e de cunho proposital. Essa data para eles de modo geral já significa avanços. De qualquer maneira não deixa também de ser um avanço para todos nós, afinal engatinhamos na democracia. E que possamos vivenciar essa nova experiência de maneira pacífica, verdadeiramente Cristã! Para os estrangeiros pouco conhecedores do processo Histórico Brasileiro a estranheza em se ter duas datas para celebrar um único fato, para nós, povo brasileiro mais um desafio a ser compreendido. Pe. Joãozinho, seu trabalho é fantástico. Esta é a primeira vez que escrevo, embora, já tenha querido antes. Obrigado pela possibilidade.
Marcelo W.

12 Comentários

  1. Bom dia pe. sua bênção!!

    Acho um ato de coragem e ousadia(santa) sempre que posso participo e gosto!
    Ir a fundo levar o nome de Jesus pelas ruas da cidade e do país!!!
    um abraço fraterno!!

  2. Elaine Mendes

    Constato que atualmente a religião está se tornando uma bandeira política.

    Pelos comentários que li percebo que a Marcha para Jesus foi um modo dos evangélicos manifestarem sua força e sua posição na sociedade, ou seja, que eles existem em grande número tanto quanto os católicos e GLSs (Gays, Lésbicas e simpatizantes).

    Também haverá uma passeata na orla de Copacabana em prol da liberdade religiosa ainda este mês.

    Mas, sinceramente, preferiria que as datas entre o Corpus Christi e a Marcha não fossem tão próximas, pois a verdade seja dita: os evangélicos são protestantes e como tais estarão protestando contra a Eucaristia, fundamento do feriado católico. Eles são tão humanos quanto nós e certamente haverá alguns distúrbios.

    O lado bom da marcha é que será uma oportunidade dos evangélicos serem mais unidos e assim ter uma cara mais uniforme em que possamos compreender e conviver melhor.

    No Rio de Janeiro os evangélicos se não são maioria, já estão em igual número aos católicos, por isso, é mais que natural ter uma data para eles se manifestarem.

    Porém, a tendência que eu vejo não é o católico se tornar evangélico, pois acredito que são poucos aqueles que realmente vivenciaram sua religião na vida adulta se tornem evangélicos, mas sim os católicos deixarem de vivenciar qualquer religião e se tornarem indiferentes. Minha mãe foi agente do censo do IBGE há 10 anos e ela constatou um grande número de pessoas sem religião.

    E há também um fenômeno interessante: há muitos que se dizem católicos, porém não vão à missa, justamente o que temos de mais precioso. Realmente vivemos um fenômeno cultural no qual a religião não é mais fundamental para a vida social. Penso que a causa seja o mundo atual nos oferecer tantas distrações que não se pensa muito na morte, nas nossas questões existenciais. É por isso que em minha opinião a teologia da prosperidade avança, pois grande parte das pessoas procura a religião para resolver seus problemas terrenos e não para dar sentido à sua vida, afinal, o que interessa é ter condições de estar na sociedade, o que significa ter dinheiro, saúde e afetos (marido, esposa, namorados, amigos).

    Escrevi demais, mas é um pouco o que penso sobre o que somos atualmente. Mas, Deus sabe escrever certo em nossas linhas tortas, de repente esse indiferentismo religioso desperte em nós que queremos ser religiosos, o valor que há nessa condição.

    Sua benção

  3. Os cristãos tem que se unir. O mundo está violento, distante de Deus, egoista e indo para as filosofias místicas cada vez mais. Se o evangelho não for proclamado com urgência, o que será de todos nós? Assistir jornais tornou-se um suplício. Violências incontáveis. Não podemos nos dividir, brigar ou imaginar qual igreja tem maior número, se a ortodoxa, se a católica, se a metodista ou batista. Temos que fazer algo importante nesta geração. Jesus é o que importa!! Abraços

  4. Sergio Souza

    Do fundo do meu coração, eu gostaria muito de crer que isso não seja uma medição de forças.

    Há algumas semanas, um famoso pastor, ícone do meio “evangélico” em programas de TV, sem demonstrar uma linha de conhecimento sobre o Acordo entre o Brasil e o Vaticano, deslanchou pesadas críticas do tipo: Que era um cheque em branco que o Governo assianava para o Vaticano; que era a destruição de outros credos religiosos; que daria exclusividade da Igreja Católica para evangelizar nas escolas e forças armadas; que as escolas seriam obrigadas a ensinarem a doutrina da Igreja Católica e etc…

    Em Deus, espero que não haja esse clima de medir forças, porém a julgar pelo comportamento desses pastores de mídia, que estão interessados em Gideões que sustentem seus progrmas, é difícil crer nessa respeitabilidade.

    E espero por outro lado que nós católicos depertemos e sejamos mais aguerridos pela nossa Igreja.

  5. Sergio Souza, que famoso pastor foi esse?

  6. Sergio Souza

    Irmão,

    Neste link é possível ver o manifesto contra o Acordo do Governo Brasileiro e o Vaticano.

    http://www.ministeriosilasmalafaia.com.br/_gutenweb/_site/img/popup/manifesto.pdf

    Nota-se o tom agressivo e o desconhecimento do teor desse acordo. Ouviram falar da Palavra Acordo e fizeram o maior terror! Sem necessidade, na minha ótica!

    Outra fonte: O Senador autor do projeto pertence a uma denominação em que o fundador foi “consagrado bispo” sob a justificativa:

    “Esse negócio de bispo é só um título para envolver os católicos”.

    Fonte: Revista Pergunte e Responderemos 360/1992
    http://pr.veritatis.com.br/index.php/ano-xxxiii-360/

    Por isso que eu acho difícil que com essa marcha, não se queira medir forças, devido a conduta de pastores de mídia. Embora digo, acho lícito que os “evangélicos” façamos sua marcha e tenham seu feriado.

    Deus nos abençoe!

  7. Sergio Souza

    Retificando… Acabei escrevendo: “Embora digo, acho lícito que os “evangélicos” façamos sua marcha e tenham seu feriado”.

    Leia-se agora: “Embora digo, acho lícito que os “evangélicos” FAÇAM sua marcha e tenham seu feriado”.

    Sou Católico, fiel, amo a minha, Igreja, os Bipso e Padres em comunhão com o Papa Bento XVI. Amo a Canção Nova, o padre Joãozinho, o Padre Zezinho, Padre Fábio de Melo, Monsenhor Jonas…

  8. Sergio Souza

    Hoje foi dia de uma dessas marchas em São Paulo… A julgar pela data, haverá duas marchas no ano que vem?

    Uma no dia de finados e a outra na semana do dia de Corpus Christi?

  9. Dioni Rodrigues

    A Paz do Senhor Jesus!
    Gostaria muito de comprimentar meus irmãos catolicos, fico muito triste, por vcs achrem que apenas nós como evangélicos devemos ter um feriado para proclamar a nossa fé e dizer ao mundo que somos realmente servos do senhor Jesus.Meu irmão Sergio Souza não estou aqui para defender Pastores ou julgar a posição da igreja cátolica o que o Pastor Silas Malafaia disse e uma verdade sim,sabe porque marchamos não e somente para mostrar a nossa força, mais sim para proclamarmos que o Brasil e do Senhor Jesus e não de Aparecida e de nenhum Santo com todo respeito, mas estamos cansados de vcs CÁTOLICOS levarem todo o credito do sofrimento da igreja evangelica, quero te dizer que louvo muito a Deus pela RCC,pois vejo a obra de Deus no meio de vcs,mais irmão Sergio já fui Catolico e o que eu endagava era porque a igreja catolica não era batizada com o espirito Santo e porque não falavam em línguas,na igreja evangelica aprendi muita coisa as escamas que aviam em meus olhos se cairam,muitas vezes acho e falo para meu pai que e catolico que a RCC, surgiu sabe porque porque o Vaticano ficou muito preocupado com o crescimento dos evangelicos no mundo e aquela antiga frase caí como luva se não posso combate-lós devo me juntar a eles, vcs não tem nenhum credito pra falar mal de pastores sabe porque, nenhum pastor e asalariado em nosso país pra levar o evagelho e vcs criticam ainda que pastor e ladrão mais ninguem sabe que pastor e pastor porque ama e vive a verdade, se vcs falam que a igreja catolica e a igreja de cristo, porque Martinho lutero se desfiou da crençae hoje a maior dor de cabeça da ICR e o crescimento das igrejas evangelicas, meu irmão, vcs tem a biblia, vcs tem a verdade nas mãos quanto me converti ao SENHOR JESUS,pode descobrir, que o único santo, o Único digno de adoração, o Unico padroeiro do Brasil e JESUS, chega desse negocio de vcs atacarem o povo de Deus, agora vcs fazem tudo como nós, sabe porque com medo do crescimento de nossa igreja.”leia ITIMÓTEO 2:5 – Portanto há um só DEUS e um só Mediador entre Deus e os homens, JESUS CRISTO”., respeito sua fé, mais se não está na palavra de Deus e mentira, não existe outro Deus além do PAI FILHO e Espirito Santo, não tem 4º pessoa não e para de falar de nós, vcs verão este país sendo conhecido como o país mais EVANGÉLICO do mundo. fique com Deus e a paz do Senhor.

  10. Ótimo tema para debater.

    Acredito que isso seja uma grande oportunidade para o ecumenismo e para a Igreja. Vejo a data de Corpus Cristi com seus tradicionais tapetes de ceragem como algo cultural, histórico, artístico, embora não seja um grande evento. É como se fosse uma apresentação de música erudita, para poucas pessoas. A Marcha para Jesus é uma cópia da Parada Gay. Mesmo modelo: trios elétricos, parada (marcha) e uma apresentação ao final. Nós católicos podemos e devemos participar da Marcha para Jesus, já que não é um evento fechado. Como estratégia devemos levar pequenos grupos, especialmente os ligados com a RCC (Renovação Carismática Católica)…. em cinco anos haverá um grande número de católicos e ningém vai associar a um evento exclusivamente evangélico. Afinal de contas também somos cristãos… E o Corpus Cristi ficará como um evento cultural,mas a demostração de fé católica, em massa, será também na marcha para Jesus…

    Abraços,

    Rafael,

  11. Veja essa ênquete no Yahoo respostas….

    http://br.answers.yahoo.com/question/index;_ylt=Ai..gel23CSkaE2UvMso9LfJ6gt.;_ylv=3?qid=20100205185238AAkfvVl

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.