O MEC acaba de divulgar a nova data do ENEM, o Exame Nacional do Ensino Médio. Será nos dias 05 e 06 de dezembro. Era a data prevista para o vestibular da Dehoniana. Não tem jeito… tivemos que transferir para o domingo seguinte. Será no dia 12.12.2009. Se você quiser cursar Teologia e/ou Filosofia, é só inscrever-se pelo site www.dehoniana.org.br As inscrições estarão abertas a partir do final de outubro.

Rainha do Santo Rosário

 

            A décima primeira das doze invocações de Maria como “Rainha” saúda a Mãe de Deus como “Rainha do Santo Rosário”, em latim Regina Sacratissimi Rosarii. Ela foi inserida oficialmente na Ladainha Lauretana pelo Papa Leão XIII, em 10 de dezembro de 1883, apesar de que já era utilizada pelo povo a mais de duzentos anos.   De fato a Ladainha e o Rosário são “devoções irmãs” que utilizam a repetição de verdades da fé como pedagogia espiritual. O sentido não está propriamente na repetição, mas na meditação e contemplação dos mistérios de nossa salvação, ou seja, no Mistério Pascal de Jesus Cristo. Este é o verdadeiro centro da Ladainha e do Rosário. Na verdade não rezamos “para” Maria mas “com” Maria. Ela não é o destino final de nossa viagem, mas uma placa de beira de estrada que aponta a entrada correta para o céu! Quem já errou a entrada sabe como a indicação do caminho correta pode ser importante, principalmente quando estamos em um país estranho.

O Papa João Paulo II colocou Ladainha e Rosário lado a lado na conclusão de sua última Carta Apostólica: “Rosarium Virginis Mariae”. Ali ele diz de maneira muito bela: “O Rosário, de fato, apesar de sua fisionomia mariana, é uma prece de coração cristológico” (RVM, 1). Ele diz ainda que no  e Rosário é toda a Igreja que “recorda Cristo com Maria”, “anuncia Cristo com Maria” encontra Cristo pela “via de Maria”.

            Algumas pessoas costumam fazer críticas ao Rosário e à Ladainha. A mais comum é que é uma oração monótona e repetitiva. Os que dizem isso normalmente não aprenderam corretamente esta “técnica de contemplação”. Certa vez gravei um disco com a oração do Rosário. No terceiro mistério, ao perceber que sempre eram repetidas as ave-marias, o técnico de som me chamou em um canto e perguntou: – “Padre, vai ser sempre assim… a mesma coisa?” Eu respondi que cada ave-maria era diferente pois as pessoas estavam rezando enquanto meditavam uma cena da vida de Jesus. Não é o mesmo dizer “ave-maria” em Belém e diante da cruz. Ele respondeu que sua máquina só registrava os sons e não os pensamentos. Seria mais fácil gravar uma ave-maria e depois simplesmente fazer uma montagem. Insisti que deveríamos gravar daquele jeito. Hoje, passados dez anos, este técnico continua rezando o “terço” que ele próprio gravou e entendeu que até as máquinas de gravação registram sentimentos e pensamentos.

            Na Ladainha utilizamos a mesma dinâmica do Rosário, só que com uma variação. O Rosário nos conduz a contemplação dos diversos mistérios da vida de Cristo. A Ladainha é nos leva a uma dinâmica catequese mariana, que acaba por nos conduzir ao mesmo ponto: o mistério de Jesus Cristo. Por isso, estas meditações podem ser muito úteis para que a recitação desta prece não se torne monótona e automática. Maria é nossa catequista quando rezamos a Ladainha.

            Outras pessoas dizem que o Rosário é uma oração ultrapassada. Será que a Ladainha também está condenada aos lábios dos idosos? Com certeza que não. Já está terminando o racionalismo da modernidade que só reza aquilo que entende. A razão é um dom precioso, mas nem de longe é o único caminho para chegar a Deus. Aliás, costuma ser uma estrada mais longa e cheia de pedras. Os intelectuais sofrem ao tentar entender os mistérios do céu. Poetas e profetas chegam mais rápido. Nossa juventude hoje tende a rejeitar as formulas artificiais da prece moderna. Por isso muitos preferem crer de um jeito mais oriental. O corpo reza… o murmúrio é orante… a respiração nos re-liga no sagrado… tudo em nós pede o complemento divino. É muito fácil rezar a Ladainha desta maneira. Nada de pressa. É preciso ritmo… rito! Tente gravar a Ladainha com sua própria voz em seu aparelho de MP3 e depois rezar ouvindo enquanto faz sua caminhada diária. Verá que isto lhe trará mais saúde para o corpo e para a alma.

Rainha do Santo Rosário, rogai por nós!