III. Os dons e os frutos do Espírito Santo

1830. A vida moral dos cristãos é sustentada pelos dons do Espírito Santo. Estes são disposições permanentes que tornam o homem dócil aos impulsos do Espírito Santo.

1831. Os sete dons do Espírito Santo são: sabedoria, entendimento, conselho, fortaleza, ciência, piedade e temor de Deus. Pertencem em plenitude a Cristo, filho de David (84). Completam e levam à perfeição as virtudes de quem os recebe. Tornam os fiéis dóceis, na obediência pronta, às inspirações divinas.

«Que o vosso espírito de bondade me conduza pelo caminho recto» (Sl 143, 10). «Todos aqueles que são conduzidos pelo Espírito de Deus são filhos de Deus […]; se somos filhos, também somos herdeiros: herdeiros de Deus, co-herdeiros de Cristo» (Rm 8, 14.17).

1832. Os frutos do Espírito são perfeições que o Espírito Santo forma em nós, como primícias da glória eterna. A tradição da Igreja enumera doze: «caridade, alegria, paz, paciência, bondade, longanimidade, benignidade, mansidão, fidelidade, modéstia, continência, castidade» (Gl 5, 22-23 segundo a Vulgata).

2 Comentários

  1. Padre boa tarde!!!
    Amados irmãos por favor, peço a gentileza de orarem por LUÍS EDUARDO SABÓIA apenas 06 anos os pais descobriram o câncer nos rins!!!
    Conto com a prece de vcs!!
    Meu abraço fraterno..
    ANA VALESKA

  2. Padre, harmonizar é preciso, enviando pro sr e pra alguns mentores que tanto gosto de acompanhar… Minhas âncoras receberão tal texto (sinta-se tb um desses âncoras da minha jornada).
    Sua bênção…

    Harmonizando sentidos e emoções

    O segredo entre o duelo razão e emoção para mim é a harmonia.
    Manter o senso entre os dois universos paralelos que deveriam sempre conviver de forma estequiométrica (posso falar nisso aqui?), sim pois estequiometria é proporção, é equilíbrio, e respeitando esse tipo de relação nada fica em excesso e os aproveitamentos das maiores reações entre razão e emoção são sempre produtos coerentes, proporcionais ao que deve ser a melhor produção do Ser Humano.
    O ser que só vive da emoção acaba se expondo demais, e como quando expostos ao sol, apesar de nos fazer bem, se excessivamente nos deixamos sermos irradiados pelos seus raios podemos ser queimados e os danos serem irreversíveis.

    Razão / emoção
    Contrário possíveis
    Buscando a meta da harmonia
    Engrenagem da vida
    Natureza filosofal
    Pedra no sapato
    Dos nossos dias
    Cada dia um passo
    Em busca
    Eterna.

    http://meuolharfilosofico.blogspot.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.