oão Carlos Almeida
Religioso e presbítero da Congregação dos Padres do Coração de Jesus (Dehonianos). Diretor Geral da Faculdade Dehoniana. Licenciado em Estudos Sociais pela Fundação Educacional de Brusque/SC (1987). Bacharel em Teologia pela PUC-RJ (1993). Especialista em Psicopedagogia pela Faculdade de Filosofia Nossa Senhora da Imaculada Conceição/RS (1988). Mestre em Teologia pela Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia (FAJE) – Belo Horizonte/MG (1997). Doutor em Teologia Dogmática pela Pontifícia Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção/SP (2004). Doutor em Educação pela USP (2007). Doutor em Teologia Espiritual pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma (2008). Experiência na área de Educação, com ênfase em Administração de Unidades Educativas, atuando principalmente nos seguintes temas: teologia sistemática, liturgia, cultura religiosa, solidariedade, devoções populares, espiritualidade e capacitação de lideranças. Autor de diversos livros. Compositor e produtor musical. Avaliador Institucional do Ministério da Educação (MEC/INEP).

23 Comentários

  1. Louvamos a Deus pelo senhor!!!Continue sempre assim Pe. para nos transmitir e incentivar o estudo e a sabedoria
    amém!!!
    abraço fraterno!

  2. clebio cid

    Ufa! Consegui ler tudo! hehe

    Parabéns Padre!

    Continue assim, rsrs.

    O senhor é um grande exemplo para nós.

    Sua Benção.

  3. Sergio Souza

    Deus abençoe e que o Espírito Santo continue lhe guiando hoje e sempre!

  4. 3 doutorados? Isso é que disposição e disciplina. Um exemplo, sem dúvida.

  5. Padre Joãozinho, vendo seu currículo achei que com sua capacidade na área teológica poderia me ajudar:

    Fui INSPIRADO POR DEUS a construir um site no qual trato do assunto mais importante referente a jornada humana na terra!

    Como sou um católico radical comigo mesmo, gostaria de sua opinião teológica sobre o assunto.

    Agradeceria muito se me ajudasse, pois confio em sua capacidade!

    O site está no endereço: http://www.overdadeirosentidodavida.com

  6. Vaidade…tudo é vaidade.

    Olegario.

  7. Beatriz Lobo

    Pe João Carlos Almeida
    A sua benção,

    Acho o sr à vezes muito engraçado, não me leve a mal. Mas às vezes penso que se ficasse ao seu lado iria aprender muito e dar muitas risadas. O senhor tá procurando emprego?
    Adorei seu currículo! Um dia chegarei lá.
    Bjos
    Beatriz Lobo

  8. Belo currículo,aliás já demonstrado pelas suas palavras em diversos momentos.Como educadora fico extremamente feliz em observar que há padres que incentivam o estudo…Precisamos de muito apoio, a situação está dramática, nunca vi tantas pessoas desencorajadas…
    Vendo esse currículo vem a memória uma das frases mais infelizes de Lula no dia da posse “O meu primeiro diploma da minha vida foi o de presidente da República”…
    Bom fim de semana, padre

  9. Sergio Souza

    Despeito… tudo é despeito (risos). Com todo o respeito, o que leva alguém a se expor assim em um blog com um comentário desse tipo?! Óbvio que vão pensar que trata-se de despeito. Frei Galvão, rogai por nós!

    Mais uma vez… Parabéns padre Joãozinho! Ninguém chega a esse nível sem esforço, amor, árduo trabalho, abnegação, oração, foco nos objetivos, e sem contar as noites e noites em claro em prol dessa construção. Realmente é digno de admiração! Em uma época marcada por cursos relâmpagos de pastores ‘evangélicos’, termos um sacerdote da envergadura do padre Joãozinho, é motivo de orgulho para nós católicos.

    Exemplo para nós os leigos, leram? Para muitos de nós que trabalhamos em empresas, e que precisamos buscar crescer em conhecimento. É preciso nunca pararmos de aprender. Vale esse texto da FGV:

    “Tempo de estudo aumenta o salário, diz pesquisa”

    http://fgv.faculdadescoc.edu.br/index.php/news/details/30/tempo-de-estudo-aumenta-o-salario-diz-pesquisa

    Usemos o exemplo do padre Joãozinho e tenhamos sede de sermos aquilo que o Gonzaguinha cantava: “Viver a beleza de ser um eterno aprendiz”.

    Bom final de semana a todos!

  10. Sua benção padre!

    Os comentários acima com relação a vaidade e busca de emprego além de outros não devem ser levados em consideração!

    Posso te garantir que o que escreveu foi Deus a te inspirar a chamar minha atenção, para que eu pudesse te escrever!

    Aguardo ansioso sua resposta.

  11. Vendo seu cv padre, creio que o senhor se interessa por literatura também. Recomendo que leia o conto divertido chamado “O Enganoso fisgado Don Furioso de la Mooca”, sobre um leigo que se julga chamado por Deus para desafiar a hierarquia eclesiastica e subjulgar e dominar os jovens brasileiros em nome de Deus e da Santa Igreja. Muito instrutivo. Encontrei no endereço: http://www.malindrania.blogspot.com
    Boa leitura!

  12. Como os blogs são traiçoeiros! Vem o Padre Joãozinho, nosso blogueiro, todo feliz e contente, mostrar o seu currículo atualizado. Um currículo excelente, com um doutorado na Gregoriana, de Roma, doutorado em educação, consultor do MEC.
    O que isso provoca? Alguém se lembra de levantar a lebre da vaidade.
    Aqui, pode haver duas interpretações. A primeira, alguém lembra que o conhecimento é vaidade e que o viver como cristão é mais importante, à semelhança do que foi dito na Imitação de Cristo: “Ainda que soubesses de cor toda a Bíblia e as máximas de todos os filósofos, de que te serviria tudo isso sem a caridade e a graça de Deus?”
    A segunda interpretação é a de que o Padre Joãozinho foi vaidoso ao mostrar o seu currículo na internet.
    E o Padre Joãozinho, nessa segunda interpretação, vira vítima da coloquialidade dos blogs. Esse post é típico de quem está entre amigos. Alguém diz: “Atualizei meu currículo. Não ficou bom?”. No caso específico do Padre Joãozinho, o tom coloquial é ainda mais forte, porque o blog dele é um diário. Ele escreve o que está fazendo no momento. Eu me recordo que numa seqüência de posts, há um tempo atrás, era até possível ver a direção que o pensamento dele ia tomando: uma leve alusão a um assunto (que eu não consigo recordar), num post, virou tema do post seguinte.
    Eu me pergunto qual a linha divisória entre a vaidade e a satisfação consigo mesmo. O próprio Deus não contemplou a criação?

  13. estudar e por em pratica seus conhecimento é dom !Deus precisa de homens culto e com atitudes.Pe.joãozinho tem essas duas qualiades soube aproveitar seu tempo e focou qualidade.
    mas eu me pergunto que presidente grandioso é esse nosso.pois ele é sinonimo de atitudes,mesmo com tão pouco estudos e apenas conhecimento da vida esta ai pro mundo e pro Brasil ver.
    estudar com qualidade e atitude sempre casamento perfeito.

  14. Dona Ana,

    Que a Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo e o amor de Maria Santíssima esteja em seu coração.

    Permita-me expor-lhe um conto.
    Vai ser bem rápido.
    Prometo não ser prolixo.
    Rogo sua paciência.

    Há muitos anos existiu na França, em uma aldeia chamada Arns, um homem piedoso e simples.
    De estatura baixa, feição rude e gestos comedidos.
    Tinha parcos conhecimentos sobre teologia, latim e nunca foi muito bom com sermões.
    Não era doutor.
    Nem carismático, na essência do termo.
    Diziam dele, leigos e doutores, que era um ignorante.
    Ele tinha conhecimento disso e nunca fez questão de refutar as acusações veladas.

    Dona Ana, ele foi um sacerdote.

    O nome dele: João Maria Vianney.

    Sozinho, converteu uma cidade inteira.
    Operou milagres.
    E repito, não era doutor.
    E repito novamente, nem carismático.

    Fugia das badalações e corria dos bajuladores(as).

    Certa vez quiseram fazer um busto em sua homenagem e ele é claro, por ser simples e avesso a tietagem, não permitiu.

    A revelia, enquanto recitava o sermão da missa dominical, concluiram a obra.

    O busto existe até hoje, na basílica de Arns.

    Dona Ana, esse homem a quem descrevo a senhora é um grande santo.

    São João Maria Vianney, o Santo Cura D’Arns, patrono dos sacerdotes.

    Não fique triste, pois além, dele nunca expor vaidades tambem não dedilhava o violão.

    E devo lembrá-la que na França no seculo XIX não existia a internet.
    Nem essa droga de Twitter.

    Dona Ana, dona Ana, penso eu que a exposição de nossos méritos pedagógicos devem ser expostos somente quando a ocasião se faz necessária.
    Ou então, visando um bem maior, que no caso de um padre, seja a conversão das almas.

    Minha cara, não é o caso aqui.

    Ou é?

    Nos ensinou Santa Teresinha que a santidade se conquista tambem nas pequenas coisas.

    E essa virtude ” das pequenas coisas’ é que a fez tambem uma grande santa.

    E DOUTORA ( com todas as letras em maísculo).

    Por fim, a senhora acredita mesmo que a menção dos grandes méritos curriculares do Padre Joãozinho aqui descritos sejam tão somente a título – digamos…- de informação..??

    A senhora é mesmo tão inocente assim ou só se faz de?

    Despeço-me desejando-lhe dias melhores, e sabendo que a senhora aprecia curriculos virtuais, segue minhas eloquentes credenciais:

    Olegario – Católico, Apostólico, Romano, leigo, miserável pecador e vassalo da Igreja.

  15. Bom dia, padre
    Isso mostra a diferença na evangelização, espiritualidade e qualidade…
    Parabéns por ser um dos padres que incentivam o estudo, o país carece disso em todos os níveis, principalmente no Brasil onde um presidente faz o contrário no dia de sua posse e deixa como exemplo, corrupção,analogias infelizes, tenta justificar aliança nefastas com teorias sem nenhum embasamento,para ele os fins justificam os meios,um péssimo exemplo…
    Bom domingo

  16. Sergio Souza

    Em relação ao comentário do irmão que “os comentários acima com relação a vaidade e busca de emprego além de outros não devem ser levados em consideração!

    1º) Não creio que nenhum blogueiro tenha a autoridade para dizer que tal post ou outro seja relevante. Para isso existe o mediador que pode publicar ou não um post. O referido post do irmão não me interessa, deveria eu querer que não seja levado em consideração?;

    2º) Se o assunto do irmão, é tão prioritário, como parece ser, existem certamente meios adequados para se conseguir uma opinião urgente do padre Joãozinho do que querer chamar a atenção do sacerdote para um exclusivo assunto para uma única pessoa em um blog;

    3º) E o link da FGV, se foi cuidadosamente lido, não refere-se a busca de emprego, mas nos fala importância dos anos de estudos na vida profissional de qualquer pessoa. Não é um fato abstrato. É bastante real. E tem absoluta conexão com os anos de estudos do padre Joãozinho, e isso reflete na capacidade e competência desse sacerdote, deve ser espelho para nós profissionais;

    Desejo boa sorte ao irmão e que obtenha do padre Joãozinho uma opinião, mas para isso, não creio que necessariamente tenha qe se descartar todos os posts para dedicar-se a um caso isolado. Aliás, muitos nesse blog têm questões que gostariam de colocar ao padre Joãozinho, mas… tem que esperar.

    Deus nos abençoe e abençoe esse meio de evangelização que é o blog, e aprendamos a utilizá-lo corretamente.

  17. Chris Félix

    Que bom saber que o Sr. é tão estudioso.
    Isso serve de incentivo para continuar minha luta diária.

    Sua benção e carinhoso abraço,

    Chris Félix ;))*

  18. Parabéns Olegário. Tudo o que você disse é verdade. São João Maria Vianney, este sim é um verdadeiro modelo de sacerdote.

  19. Sergio Souza

    Bênção padre Joãozinho… Pessoas aqui se incomodam de verdade com o senhor. Salve Maria, quanta raiva desse pessoal?!

    Ore por eles, padre!

  20. Bom dia,pe. João Carlos
    Lendo alguns comentários acima fiquei pensando sobre o significado da palavra vaidade…
    Às vezes, alguns passam a impressão de que no contexto bíblico, Jesus se referia apenas ao exterior ou interior, entretanto penso que se referia ao espiritual que é muito mais abrangente.
    Viver nas situações mais precárias,desapegar-se de tudo que seja humano muitas vezes não é sinal de santidade.
    Recordo-me de que quando fiz Filosofia,analisamos o período clássico,houve um filósofo,Diógenes,que abandonou toda sua riqueza e foi viver em um tonel de madeira.
    Há algumas histórias sobre este, alguns dizem ser fictícias outros verdadeiras e elas são pertinentes a esse post.
    Diziam que Diógenes andava pela praça de Ágora com um lanterna à procura de um homem de verdade,pois para eles os outros que por ali transitavam não eram homens,afinal não haviam abandonado o conforto,logo,só ele era “homem”.
    Uma outra, para mim, a melhor de todas relata que Diógenes foi ao palácio de Platão. Chegando lá começou a limpar os pés nos valiosos tapetes.
    Quando indagado por Platão a razão de tamanho gesto,Diógenes disse “…estou calcando aos pés a vaidade de Platão”.Este respondeu “…com a vaidade de Diógenes.”
    Um era vaidoso por possuir bens e o outro por não possuir nada, entretanto este se considerava mais santo do que o outro, pensava estar em um nível espiritual mais elevado.E o que o conduziu a esse estágio: o desapego material extremamente radical que levou-o a um processo de involução,vaidade espiritual,intolerância.
    Qual seria a pior? A qual delas Jesus faz referência?
    Qual torna o homem intolerante,o dono da verdade, todos que não pensam como eu são piores,fecho os olhos para a realidade social,aos miseráveis,aos perseguidos,aos que sofrem material e espiritualmente, a que exclui os diferentes?
    O que fez Vianney tornar-se patrono dos sacerdotes não foi somente o fato de não ter estudos, e sim,o seu comprometimento com o ministério,a persistência mesmo tendo sido impedido de ser consagrado diversas vezes pelos bispos.
    Ele foi mandando para esta cidade onde o número de cristãos era irrisório e a conversão dessas pessoas foi importante também para que a igreja o reconhecesse como modelo.
    Mas,para mim nada se compara ao fato de que ele realmente tinha vocação para o sacerdócio como mais tarde ficou comprovado,isso é o mais importante,pois não adianta nada ter desapego às coisas materiais,converter milhões se o meu coração não for o primeiro beneficiado pela Graça.E só Deus vê o coração…
    Não adianta, o mundo evoluiu,os sacerdotes necessitam de espiritualidade e estudo.Por que a igreja sofreu tanto com a dispersão de fieis? Entre inúmeras razões, não se pode negar a falta de preparo de alguns consagrados.
    Que Jesus cura, salva, liberta, é o caminho, todo mundo sabe…
    Mas para quem está fora não é com discurso simplório e alienador que serão instrumentos de Deus. Falo por mim,a minha conversão passou e passa pelo racional,desculpe-me mas não há nada pior do que vê e ouvir a palavra de Deus distorcida e mal interpretada…
    E o padre,a meu conceito não foi vaidoso,expôs seu currículo admirável e certamente incentivou muitos a navegarem para águas mais profundas não para disputarmos algo, mas para sanarmos as dúvidas. Eu fui uma delas.
    Sou professora de Língua Portuguesa,a linguagem bíblica é metafórica,escutava as homilias, olhava os que estavam à frente, os ministros de eucaristia,os chefes dos grupos e a vida pessoal e comparava com a Palavra divina…Afastei-me da igreja por 18 anos…
    Conheci o ministério do pe. Fábio em 2005,ENTRETANTO só voltei à igreja 3 anos depois…Passou pelo racional sim,não são discursos simplórios que me convencem,sei ler a bíblia contextualizada…
    Nesse período conheci o padre João Carlos,espiritualidade agregada à sabedoria e estudo.
    Fé e razão caminham juntas, pelo menos para mim e agradeço a Deus por existirem padres que incentivem o estudo bíblico, os católicos que não se aprofundam são facilmente convertidos para outras denominações religiosas.
    Recordo-me de que há uns três meses enviei um e-mail ao pe. João Carlos perguntando sobre quais os milagres que Jesus realmente fizera, algo que sempre me causou dúvidas.
    Sabiamente,não me disse, recomendou-me que lesse livros mais profundos. Foi o que eu fiz.
    O meu estudo não é para engrandecimento, mas para não afastar-me mais uma vez quando escutar o que ouvi na missa de sétimo dia de falecimento do meu pai “Muitos não são curados por falta de fé…” e afastar-me de vez e seria de forma definitiva uma vez que mesmo estando distante da igreja, nunca perdi a fé em Deus e sei que sempre esteve ao meu lado…
    Finalizando, sem julgamentos insensatos e ao padre, a igreja católica orgulha-se,precisa,merece consagrados com espitualidade, sabedoria e estudo face à sociedade tão destituída de valores e necessitada de padres ungidos pelo espírito divino e esforço humano(estudo).
    Bom fim de semana

  21. Sergio Souza

    “Jesus lhe respondeu: Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim”.

    Teria sido Jesus vaidoso?

  22. Maria Inês

    Padre,

    Gostei do comentário da Luciana

    Maria Inês

  23. roque Batista dos Santos Júnior

    Tá na hora do Pe.Joãzinho fazer o pós-doutorado!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.