Acabo de receber um comentário de Jussara Resende que reconsidera o que disse em um comentário anterior no qual admite que exagerou. Já perdoei e esqueci as palavras cruéis que ela utilizou. Mas valeu como reflexão para todos sobre o quanto devemos ser “ponderados” no debate. Imagine um carro sem marcha-ré… ficaria na garagem. Deus a abençoe, Jussara!

Bom dia a todos que postam aqui seus comentários no blog do Pe Joãozinho.Na primeira parte do artigo “sacerdotes showman”,título capcioso,deixei aqui um comentário equivocado sobre o que li,e peço a todos publicamente desculpas.Em especial o perdão do Pe Joãozinho que tratei com certa crueldade,não foi a minha intenção te magoar,de verdade.
Não li todos os comentários que fizeram a meu respeito,até porque aqui não é um “Tribunal para Julgamentos” e ninguém me conhece.Também creio que poucos aqui se conhecem.
Reconheço a importância dos meios de comunicação para a evangelização,mas não sou obrigada a concordar com tudo e c tdos.
Agradeço aos que tiveram o bom senso de me “compreender”,e ao demais que tiveram comigo a mesma atitude que tive com o pe deixo as palavras do Mestre Jesus:”Quem não tiver nenhum pecado que atire a primeira pedra.”
Um grato e fraterno abraço a todos.De qualquer forma receber críticas sempre nos edificam em alguma coisa,serve de espelho para nossa alma.Fiquem com Deus!

Jussara Resende

13 Comentários

  1. Ótima atitude, que nunca errou, Deus a Abençoe.

  2. Pena pessoas ao invés de abrirem-se pra reflexão, fecharem-se para o julgamento e reducionismo de discursos…
    Tantas oportunidades o sr está abrindo para serem discutidos temas que tão mais que urgentemente sendo necessários, para todas as dúvidas DE UMA VEZ POR TODAS, sejam sanadas e por quem sabe e conhece a IGREJA, pq faz parte e a faz no país.
    Tá na hora das pessoas saberem ouvir, aprender e depois criticar e jogar pedras.
    Um abraço, Pe…
    Sempre do seu lado!
    Cris

  3. Parabéns Jussara pela sua atitude de rever o que disse, porque certas coisas agente aprende com os erros, e vc demostrou que aprendeu!!!

  4. Maria Rita de castro avellar

    Parabêns…pelas desculpas pedida ao nosso amado e bem intencionado padre Joãozinho,eu mesmas já fiz minhas grosserias e pedi desculpas.O IMPORTANTE DOS ERROS É ASSUMI-LOS E COM ELES APRENDER A SERMOS MAIS PONDERADOS!

    MARIA RITA

  5. Elaine Mendes

    Sem problema Jussara, infelizmente somos influenciados por uma cultura que só enxerga interesses escusos em atitudes bem intencionadas. E eu também sou influenciada pela mesma, afinal, foram tantas desilusões com políticos e afins.
    Mas, foi muito nobre da sua parte reconhecer sua má interpretação do post. Só lhe peço que não desanime, todos nós aprendemos com seu equívoco.
    Paz e bem!

  6. Mais uma vez: parabéns pela coragem!!! É preciso muita coragem para dizer o que pensamos, mas definitivamente, e preciso MUITO mais coragem para assumirmos que erramos.

  7. Engraçado, um erro que veio para o bem. O comentário “quente” da Jussara propiciou uma reflexão mais profunda sobre o tema Padres Showman.

    Alguns de nós condenamos a Jussara igual ela condenou o Padre Joãozinho.

    Jussara refletiu sobre sua atidude. Isso é sinal de sabedoria.

  8. Jussara,
    Do mesmo modo que deixei um post julgando seu pensamento apressado,deixo aqui minha admiração pela sua atitude. Acho que valeu muito seu comentário porque colocou todo mundo pra refletir. Na verdade, vemos nos outros nossos próprios defeitos. Eu não tenho o direito de me espantar com a atitude alheia se já fui capaz (e sei que sou) de fazer o mesmo ou pior. Rogo a Deus que me capacite para o silêncio quando ver um irmão vacilando.Deus a abençoe!

  9. Parabéns Jussara!

    Como é bom poder experimentar o sabor da Palavra de Deus em nossa vida!

    Felizes aqueles que nos permitem esta graça.

    Jusarra, suas palavras me transmitem esperança e fé. Obrigado mesmo!

    A marcha a ré serve apenas para pequenas manobras. Importantes e necessárias. Porém, não é a finalidade mais nobre de um veículo ficar andando em marcha-a-ré.

    Então vamos em frente.. Feitas as devidas correções no percurso, continuamos a seguir em frente.

    Já que TODOS precisamos em algum momento de usar nossa “marcha-a-ré”, agradeço por seu gesto nobre e verdadeiramente humano: o ser humano é este ser em construção que busca a plenitude da perfeição. Alguns já sabem como fazê-lo e se esforçam para alcança-la; Já outros que ainda não sabem como, mesmo assim também se esforçam… Cabe aos mais experientes e maduros na fé, acolher, ajudar e confirmar aqueles que estão chegando.

    Maturidade na fé não é nunca errar. É antes disto, estar disposto a reconhecer o outro e se necessário, pedir e dar o perdão.

    “Não fostes vós que me escolhestes; fui eu que vos escolhi e vos designei, para dardes fruto e para que o vosso fruto permaneça. Assim, tudo o que pedirdes ao Pai, em meu nome, ele vos dará. O que eu vos mando é que vos ameis uns aos outros.” (João 15, 16-17)

    “O amor… é paciente, é benfazejo; não é invejoso, não é presunçoso nem se incha de orgulho; Ele desculpa tudo, crê tudo, espera tudo, suporta tudo.” (I Cor. 13, 4;7)

    Deus te abençoe!!!

    Dielson Lopes
    http://dielsonlopes-bh.blogspot.com/
    http://rccbh-forania-nsscoracao.blogspot.com/

  10. Jussara Resende

    Pe Joãozinho,obrigada pelas palavras e pelo perdão.È por isso que sempre digo que te amamos muitooo demais mesmo!:)
    Essa polêmica toda me fez lembrar duas histórias:
    De uma professora de língua portuguesa que tive que sempre dizia:”a palavra é como a pedra,depois de lançada só nos resta esperar as consequências…”
    Bom,eu lancei a palavra sem a mínima intenção de machucar o pe,de deixá-lo triste,de ofender e ferir de certa forma uma linda amizade de pessoas que não conheço,que não convivo.E quais foram as consequências…?Feri e me feri também.
    Tive um amigo,se chamava Marinho de Ramos.Era um matuto que viveu na santidade mais de quarenta anos sem andar,atrofiado numa cama,vivendo da caridade alheia.Dentre prosas e muitas coisas que me ensinou,um dia ele me disse:”nunca chore pela ofensa de ninguém e jamais faça alguém chorar,porque as lágrimas virão em dobro…”
    Pe Joãozinho chorou e eu chorei…lágrimas em dobro.
    Depois dessa,espero que mesmo os que foram infelizes em seus comentários a meu respeito sem me conhecer,assim como eu fui c o pe Joãozinho,possamos aprender a oferecer a outra face,sendo mais compassivos.Hoje vou dormir em paz,nem q seja c o pe.

    E pe,quanto”ao meu carro ter marcha-rè”,tem primeira também rss!!
    Obrigada pelo sua bênção,perdaõ e compreensão.Até breve!
    Ameei o título e o conteúdo.Como já te disse:”se vc naõ existisse teria de ser inventado!”

    Ah,e teve alguém aí que disse que eu devia ter fumado um para escrever aquilo.Quem deve ter fumado foi vc,pq sabe bem o efeito.

  11. Que bonito ver isso!

  12. Olá Padre!
    Já algum tempo acompanho seu blog, pois mesmo não sendo católica, suas palavras sempre trazem refexões, que me auxiliam no constante exercício de conhecer-me e ao meu próximo. Os textos desta semana, em especial, foram bem produtivos. Percebi que alguns dos meus irmãos no amor a Deus, debateram, outros refletiram e ainda houve os que discursaram, porque o seu texto, das formas mais variadas, mexeu com nossos corações.
    Concordo com as opiniões do senhor Carlos, quando ele se refere ao excesso de cobrança do público aos padres que evangelizam através da música. Vivemos um tempo de muita carência e descrença, que levam o “apego”, de fora equivocada, de muitas pessoas, por aqueles que trazem o alento ao seus corações. A letra da música fala do que estamos sentindo, pede o socorro que não conseguimos pronunciar, nos mostra Jesus ao nosso lado onde não víamos nada, olha para a câmera e é como se olhasse em nossos olhos. Só que ao menor gesto não retribuído, da forma que haviam imaginado, vem a decepção, a cobrança e até o julgamento. Esquecendo que todos somos humanos com limitações, qualidades, defeitos, dores, dúvidas e tudo mais. E principalmente padre não é bengala! Não podemos atribuir a estes homens de Deus, a solução do nosso fardo, eles sim, podem ser o instrumento de Deus, para mostrar que não estamos sós e todas as dificuldades são superáveis, porém a reação tem que partir de nós.
    Também ressalto as palavras coerentes do senhor Fernando, porque realmente temos que ter muita cautela, quando utilizamos qualquer que seja o meio de comunicação. Um grão de areia rapidamente torna-se uma tempestade. Não vejo problema algum dos padres levarem a palavra de Deus nos canais abertos, por exemplo. Porque padre é padre, fazendo show ou ministrando os sacramentos, desde que tenha bem claro, dentro do seu coração, quem é e principalmente o “porquê” e “por quem” ele está nos olofortes da mídia. E isso, o senhor, o pe. Fábio, o pe. Marcelo, pe. Zezinho, não deixam dúvidas. Todavia há programas que literalmente “menosprezam” a inteligência do povo, dando mais valor para os número do IBOPE ao importante trabalho do religioso e acaba expondo-o de forma desnecessária.
    Concluo minha participação, parabenizando a senhora Jussara Resende, pela linda atitude de rever seu posicionamento, pois nem sempre é fácil avaliar nossas atitudes e reconhecer que magoamos o outro. Não somos ninguém para apontar (julgar) um irmão.
    Deus abençõe a todos!

  13. Amém!!!
    Q Jesus te abençoe sempre Jussara.

    Beatriz Chaves.

Deixe uma resposta para Juliana Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.