O Capítulo três é assinado por duas jovens pesquisadoras do programa de pós-graduação da UFMG: Cirlene C. de Sousa e Denise F. B. do Prado.  Elas preferem deslocar o olhar dos “artefatos midiáticos” para as “interações sociais”. Mas, além de mudar o foco da análise, propõem também uma mudança na forma de olhar: do paradigma informacional para o paradigma relacional. O paradigma clássico ou informacional sempre utilizou o esquema “transmissor-meio-receptor”. Com isso, chegamos à concepção de uma mídia que busca simplesmente transmitir informações e ser captada por um público passivo, influenciando-o. Por uma série de fatores, este paradigma está em crise e não dá mais conta de analisar a forma como acontece a comunicação em nosso mundo atual. Cirlene e Denise propõem passarmos para o modelo praxiológico ou relacional. A análise se desloca para as interações entre os “sujeitos”. Existe “mútua afetação”. Estas mudanças de olhares e paradigmas levam a surpreendentes conclusões que as pesquisadoras analisam em seu artigo, especialmente no que tange à forma de a Igreja comunicar suas verdades.

9 Comentários

  1. O sr. já tinha comentado em outro post sobre esse tema.
    Concordo que hoje não há como ser apenas transmissor ou receptor.
    A modificação dos meios midiáticos proporciona essa afetação mútua mesmo.
    Qdo a tv era o maior meio de comunicação, o transmissor ficava meio que imune à resposta -efeito de suas palavras naqueles do outro lado da tela.
    A internet matou isso, não é possível só transmitir sem receber.

    Paro cá com meus botões a pensar que, como eu, muitas pessoas lhe buscam na internet e aprendem com o sr., o sr. é muito sábio.

    E o sr. , padre Joãozinho, de que maneira o sr. é afetado por essa relação de afetação mútua?
    O que de novo o twitter e o blog lhe trouxeram, em termos de conhecimento sobre a alma humana? E sobre Deus?

    Sua benção.

  2. Padre, acabei de ver q o sr. escreveu no twitter q ficou chateado pq os posts com o resumo do livro não tiveram muitos comentários.
    Não fique chateado, padre, é que o assunto é complicado mesmo.
    Ainda mais pra gente leiga como eu.
    Eu comentei em alguns posts do livro, como no post que fala sobre o filme do Gibson, e mais uns 2 ou 3, mas os outros tem assuntos que são novidade para mim e, imagino para muitos (a maioria, presumo) dos seus seguidores no twitter, então às vezes a pessoa não comenta por não conhecer mesmo o assunto.
    Eu não comentei em todos os posts, mas li todos.
    Comentei naqueles onde eu tenho algum, mesmo q pouco, conhecimento, mas assim que aprender mais sobre os assuntos q o sr. abordou vou comentar. Pq não dá para comentar sobre algo sem q a gente saiba pelo menos um pouquinho do tema, não é?

    Sua benção,fica com DEus.

    Sua benção.

  3. Estou escrevendo para O PADRE,
    PADRE eu preciso é do seu CORAÇÃO DE PADRE, preciso que vc entenda eu NÃO SOU MELHOR DO QUE NINGUEM… Estou beijando os seus pés e secando-os com os meus cabelos… SÓ ESCOLHI … Às vezes é melhor um MAL MENOR PARA UM BEM MAIOR, não mereço mais sofrer eu já sofri tanto na minha vida, mas tanto… Não posso mais… To bom segue adiante OK… Não quero que vc sofra OK, fica bem… me perdoa….TE AMO.

  4. Padre Joãozinho te peço, por favor, (porque se não consigo ter paz) mostra para o meu amigo que tudo que aconteceu este ano não foi em vão, com esta historia toda se construiu tanta coisa bonita o Cd e o DVD Eu e o Tempo, o livro Cartas entre Amigos, Mulheres Cheias de Graça o novo CD de ele Iluminar (que é belíssimo) as pregações etc. não é justo ele não perceber o que ficou de bonito desta nossa amizade, dele me achar uma bruxa pelo o que escolhi ou porque tenho opiniões a respeito de algumas coisas (se eu usa-se mascaras eu as comentaria?) e todo este trabalho ajudou tanta gente, mas tanta gente… Vejo os comentários do quando Cartas entre Amigos ajudaram as pessoas. E também o quanto as pessoas estão adorando o cd Iluminar… Mas precisamos seguir caminhos diferentes porque honestamente a gente se envolveu demais emocionalmente com toda esta historia, essa é a verdade! acendemos fogueiras que não podemos apagar… Não agüento velo triste,eu estou triste como ele meu coração nao é de pedra mas também não posso seguir com isso porque não é certo… Ele sabe disso… Por favor, enxergue apenas o que ficou de bom… Ele falou que se dedicou tanto que eu estou humilhando, mas OS DOIS SE DEDICARAM TANTO… Eu também… E dessa relação saiu coisas lindas… não quero que ele fique sentido comigo…. Só que precisamos seguir caminhos diferentes… ELE É PADRE… NADA NO MUNDO VAI MUDAR ISSO…
    Ele precisa entender… Não quero viver na mentira… Não é certo comigo… Não é certo com ele… E com os demais que estão ao lado…
    Espero que o ano que vem seja maravilhoso para ele, que ele siga feliz sentindo que com tudo isso se cumpriu uma missão… AMAR NÃO É OLHAR UM PARA OUTRO, MAS OS DOIS PARA MESMA DIREÇÃO E ESTA DIREÇÃO É DEUS… Reza por mim eu rezo por ele para que nos desapeguemos para não termos um amor egoísta precisamos saber deixar partir quando é necessário… Se ele me perdoar de verdade vai entender e terá paz me deixará ir e o mal nao vai prevalecer … E eu também… Espero que sejamos de verdade muitos felizes daqui para frente. AMÉM

  5. Olá padre!!

    Já te escrevi, vou escrever novamente…tudo o que o Sr. escreveu agora,serve para refletir…
    Os sacerdotes precisam da mídia, mas a mídia muitas vezes tenta manipular os sacerdotes!
    É complicado demais para vocês…precisam ser muito verdadeiros e não ter medo de nada e nem de ninguém´, pois querem a todo custo passar uma identidade de Cristo que muitas vezes para o público é inaceitável, e não tem como fugir disso porque esta é a missão de vocês que são ministros de Deus!! “O povo tem que ser de Deus, mas os projetos que o mundo elabora não!!”
    Que o Senhor te dê muita força, não só para o Sr. mas tb, para os outros sacerdotes que tem a mesma postura de trabalhar através da arte como você!

    Abraços

    Cecília Barros

  6. Elaine Mendes

    Padre Joãozinho, não entendi o comentário da Marilene. Não tem nada haver com o post. Parece-me que ela só queria desabafar um amor proibido pelo Padre Fábio de Melo.

    Aliás, já que os meios de comunicação atualmente proporcionam uma resposta rápida dos receptores aos seus emissores, vejo que está mais fácil para os produtores de conteúdos midiáticos avaliarem a imagem que está sendo passada, ver seus prós e contras.

    As mensagens da Marilene serve de alerta aos maus-entendidos que podem ocorrer. Como ela muitas mulheres podem ter uma visão apressada com relação a figura do sacerdote ainda mais se ele não se veste com a roupa clerical.

    O sacerdote é representante de Jesus Cristo na terra e deve revelar Jesus no seu olhar, na sua postura e nas suas palavras. Certamente Jesus Cristo era um homem muito sedutor, pois o belo, o divino, é atraente.

    Pe Fábio tem a proposta de revelar a humanidade de Jesus e por isso não faz questão de usar o colarinho de padre. Porém, isto pode prejudicar a percepção das pessoas, daí penso que ele sempre deverá ter o cuidado de ver o que as pessoas acham dele. Jesus também teve esta preocupação, chegou a perguntar a Pedro o que as pessoas pensavam dele. E… não teve jeito, só quem realmente sabia naquele momento quem Ele era, era o próprio Pedro:”Tu és o messias”.

    O mesmo está ocorrendo com o Pe. Fábio, apesar da Marilene estar tendo um desejo por ele, ela já o reconhece como Padre e por isso decidiu se afastar. Obrigada Marilene por respeitar o Padre, ofereça esse sacrifício a Deus e quem sabe você encontrará um homem digno de estar ao seu lado.

    Mas, esse capítulo é muito interessante. Realmente, a interatividade ajuda e muito a tornar a mensagem de Deus mais ajustada à compreensão das pessoas.

    Sua benção.

  7. Boa noite, padre Joãozinho
    As pessoas estão com síndrome de Padre Fábio. Tudo o que falam é para ele, se alguém diz alguma coisa é para ele,etc.
    Gente, tirem essa neurose da cabeça!!!!
    Inicialmente, há muito cacique para pouco índio. O padre deve fazer isso, fazer aquilo…Valha-me Deus…
    Que tal deixarmos a forma como o padre Fábio exerce seu ministério para ele e seu responsável, o seu bispo?
    Pelo que vejo há muitas pessoas que pensam que o fato de ele não usar o “colarinho” faz com que a mídia ou a mulherada sem postura o veja como homem…
    Já se esqueceram de uma reportagem no Fantástico que mostrou o número de padres que abandonaram o sacerdócio e todos usavam “o colarinho”? Respeitosamente, cada cangaço…
    Pensem, se abandonaram, é porque alguém “deu em cima”,não? Logo, o “colarinho” não impõe respeito nenhum para um certo tipo de mulheres. Em que mundo vivem? Essa mulheres não respeitam o sacramento da casamento uma vez que dão em cima de homem casado, vão respeitar o sacerdócio?
    E assim começam as suposições, o padre não usa “colarinho” por isso, por aquilo…
    Não conheço essa Marilene, mas para mim perdeu uma grande oportunidade de ficar calada, minha filha procure alguém descompromissado e pare de vir escrever coisas descabidas e íntimas aqui. Isso aqui não é confessionário como o padre Joãozinho já afirmou muitas vezes.
    Estranho, não sei por que ele postou esse comentário, pois disse há uns dois meses que não faria isso…Que coisa esquisita!
    Padre, daqui a pouco vou começar a desconfiar de suas intenções

  8. Elaine Mendes

    Padre Joaozinho devo concordar com a Beatriz, acho melhor o sr. retirar o comentário da Marilene, pois é muito intimo. Eu não entendi sua intenção do colocá-lo.
    E se tudo se refere ao Pe. Fábio é porque ele é a bola da vez como foi o Pe. Marcelo na década de 90. Realmente, não é o colarinho de padre que o faz ser imune à paixão e daí largar o sacerdócio. Por isso devemos rezar muito por eles e seus fiéis, sim, já que a castidade do padre também depende da castidade dos fiéis.

    Agora eu entendo o porquê o Pe. Fábio ter dito ser importante o seminarista namorar bastante antes de se decidir ser padre. Com as experiências amorosas, o candidato a padre não se ilude com a vida matrimonial. A vida matrimonial é maravilhosa, porém não se pode desejar ter as vantagens da vida de solteiro, pois daí torna-se um inferno.

    Sua benção.

  9. Sergio Souza

    Nossa Senhora!!!! Que post é esse da Marilene, hein? Coisa esqusita!

    Por que o senhor postou esse comentário?

    Deus é mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.