No Capítulo cinco, Osmar Cavaca, formado em física e em teologia dogmática, lança o olhar da antropologia teológica: “Imago Dei, imago Christi”; em uma tradução livre: Jesus Cristo é a imagem de Deus! É a mesma temática do capítulo anterior, com algumas inevitáveis repetições. Mas a leitura dos dois enfoques revelará nuanças que apenas a diversidade de perspectivas é capaz de identificar. O ser humano, feito no sexto dia, aparece como obra inacabada. Ainda há o que fazer. O Criador marca a identidade humana com o dom da sua imagem e semelhança, junto com a tarefa de completar a obra criada. Em uma reflexão teologicamente madura, profunda e bem documentada Cavaca conduz o leitor a compreender os diversos significados possíveis da imago Dei e as conseqüências negativas de “apropriar-se” egoisticamente deste dom; descreve também o que chama de “desapropriação” da imago Dei, onde, segundo ele, reside a salvação. É o que se realizou em Jesus de Nazaré por meio de sua Encarnação, que representou um esvaziamento de si (quênosis) para, passando pela morte de cruz, alcançar a glória. Ele é a realização mais perfeita da imago Dei. Esta dinâmica de “esvaziamento obediente” é praticamente sinônimo do que, nos capítulos anteriores, aparecia como solidariedade, relacionalidade ou interatividade. Vemos, assim, que os diversos autores, cada qual com seu método e conjunto de saberes, vão encontrando um ponto de convergência: comunicação é a dinâmica de construir a comunhão por meio da solidariedade!

4 Comentários

  1. Renata Prado

    Continuando…

    Então “Vós sois deuses” e co-criadores do Senhor?
    Se a obra Dele está inacabada e cabe a nós darmos esta continuidade, então o que estamos co-criando?
    Anjos ou demônios?
    Bem ou mal?
    Sagrado ou profano?
    Egos ou humanos?
    Arte ou destruição?
    O Belo ou o escandaloso?
    Me questiono se estamos construindo para edificar ou apenas destruindo por usufruir?
    Renata Prado.

  2. taniapereiradeb

    o resumo do livro esta muito interesante,dentro da realidade pe joaozinho.

  3. Olá Padre!!

    E qual a nossa imagem e nossos conceitos em relação a Deus?
    Somos aquelas criaturas então que devemos continuar a obra? O que sei é que fomos criados para a honra e glória do Senhor,mas infelizmente as pessoas não tem este conceito.
    Com toda certeza Jesus Cristo está decepcionado!!

    Abraços

    Cecília Barros

  4. Renata leal soares

    Como sempre,o senhor nos abre os olhos a realidade que nos cerca,com temas da nossa realidade,infelizmente na minha opinião a religião está virando um grande negócio,usam o nome de Deus para conseguir fama é dinheiro,tirando poucos como o senhor é o padre Zezinho.
    Que Deus continue abençoando seu caminho,
    Sua benção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.