No Capítulo nove, reunimos os relatos de dois irmãos dedicados ao mundo da comunicação: Vicente e Célio. Vicente Abreu escreve e dirige roteiros para a TV Século 21. Seu olhar é bastante diferente dos olhares que tivemos até este momento neste livro. Normalmente foram estudiosos diante da imagem. Agora temos a meditação de alguém que conhece “Os bastidores da produção”.  Mais do que fazer teoria, Vicente descreve os passos de uma produção cinematográfica concreta, ambientada na cidade de Aparecida-SP. Percebe-se, nas entrelinhas, a preocupação em passar uma verdadeira imagem de Deus.

Célio Abreu, por sua vez, dedica-se ao “continente virtual”. Sua contribuição reflete sobre “A imagem de Deus na Internet”. Segundo o relato da sua experiência, a imagem virtual de Deus pode ser real. Mais do que montar sites e disponibilizar conteúdos, é necessário refletir sobre a forma como apresentamos a imagem de Deus. A dinâmica dos relacionamentos possibilitados por esta nova tecnologia precisa levar as pessoas à solidariedade e não ao isolamento e à auto-suficiência.

7 Comentários

  1. Renata Prado

    Então, é por isso que estamos todo nós aqui, fazendo uso da internet, para em termos gerais ou profundos, pensarmos sobre ELE, pois a mídia e nós, somos temas secundários ao meu ver; aqui o tema principal, é a concepção que cada um de nós tem de DEUS, por causa da igreja ou da mídia e, a partir desta reflexão, podermos começar a avaliar se somos minimamente entendedores Dele, a partir de nossa própria fé e de nossos próprios atos.
    Se somos capazes de entender que o maior e melhor modelo a ser seguido é ELE!
    Seria isso? Ou não?
    Renata Prado.

  2. Judith Nunes Barros Silva

    Pe. Joãozinho, a sua Bênção
    A reunião deste mês do Apostolado da Oração no Brasil traz como sugestão uma música sua “Tu és o caminho”. Por favor, será que dava para o senhor colocar um vídeo nem que seja no “Youtube” para a gente ensaiar e cantar na próxima quarta feira. O Coração de Jesús agradece. Deus lhe devolva sua saúde e fica na paz de Jesus.

  3. Bom dia,pe. Joãozinho
    Não sei se este é o espaço mais adequado,mas gostaria de fugir ao post e comentar a sua decisão de desistir do twitter.
    Longe de querer intrometer-me em suas decisões pessoais,
    entretanto gostaria de manifestar a minha humilde opinião…
    Sou professora e o nosso ambiente de trabalho é muito ruim, decepções constantes, traições,” é cobra querendo comer cobra”, muitas vezes por coisas ínfimas.
    Já estou acostumada, é duro constatar, mas é verdade,reina etre nós a hipocrisia,a falsidade, o egoísmo,logo não foi surpresa para mim o que aconteceu com o senhor…
    Onde existir um ser humano ali haverá destruição, palavras descompromissadas com o bem,mesquinharias…
    No meu caso, sabe o que não me faz desistir e ainda acreditar?
    Os alunos, por mais paradoxal que seja… eles são os nossos combustíveis que faz a vida valer a pena,ainda que existam ervas daninhas, a maioria possui bom coração, estão apenas em processo de construção…
    Às vezes, entramos na sala de aula tristes com algum fato e as traquinagens e partilhas têm o dom de nos fazer
    perceber que o sol brilha, estamos vivos, se não posso mudar o mundo, posso levá-los a perceber que o mundo será outro no momento em que decidirmos ser humanos e religiosos nas coisas mais corriqueiras, pensar, agir,falar e tratar o próximo…
    Penso que o senhor não deveria desistir de algo que lhe faça bem pela atitude de algumas pessoas,afinal estará fazendo o que elas querem…há pessoas que não suportam a felicidade alheia e estão no mundo apenas para causar a infelicidade…
    Minha irmã pediu-me que dissesse ao senhor que um sacerdote com o seu dom e inteligência deve estar acima dessas coisas, segundo ela, isso não é sentir-se superior, mas um direito nosso de sermos respeitados e que ao ler o ocorrido lembrou-se na hora da música do Gonzaguinha “Sangrando” e que não podemos calar a nossa voz, ainda que estejamos no deserto, sem ninguém para ouvir e com o coração marcado pela decepção…
    Um bom fim de semana

  4. Ana Cristina Mendonça Oliva

    Padre Joãozinho,
    O que tenho há dizer é que simplesmente estou triste,creio que os bons não devem pagar pelo erro dos outros. Vou sentir sua falta, mas te entendo.Sua benção.Abraços.
    Ana Cristina

  5. Sua benção Padre,
    estou aproveitando o comentário da Beatriz para contestar sobre sua decisão. Não é justo que 6.000 seguidores fiquem sem a sua companhia por falta de senso de outros. O Sr. é um exemplo de sabedoria. Garanto que muitos têm aprendido com o seu blog e sua presença no Twitter passou a ser indispensável. Volta vai!!

  6. Boa tarde Padre Joãozinho!
    Espero que esteja melhor de saúde…
    Gostaria de partilhar minha experiência com a dengue…passei 5 dias sem saber o diagnóstico do meu mal estar…só depois de ter o corpo todo pipocado resolvi procurar um médico e fazer o exame. Sentia-me fisicamente bem…até então era um simples mal estar…o que mais me marcou foram as palavras de motivação (estou sendo completamente irônica) que ouvi (de pessoas que querem o meu bem) ao ter minha enfermidade EXPOSTA. Coisas do tipo: “fulano que morreu estava igualzinho” e milhões de palpites que só serviram para me deixar insegura. Pego uma carona neste ocorrido para tentar entender o que o senhor talvez tenha passado no twitter…penso que quando nos expomos, mostramos nossas fragilidades, nossos limites…nesta hora ingenuamente esperamos o mínimo de compaixão das pessoas que participam desta exposição,mas o que se vê é o contrário…não me surpreende que o ataquem…já li julgamentos tristes a vosso respeito, a maioria dentro deste blog…comentários divulgados com a vossa aprovação…não consegui ser “fã” do twitter,mas se o senhor se comunicava bem por lá, não vejo porque emudecer diante de uma reprimenda de alguém invísivel…talvez seja somente um alerta para se perceber que existem perseguidores entre seus seguidores…gente em busca da falha do outro para tripudiar…não sei… Aproveitando o lema do seminário Missio Cordis, rogo a Deus que te dê um coração dehoniano que escuta, aprende e ANUNCIA, centrado no amor do Coração de Jesus que nos impulsiona…não se deixe abater pela opinião invisível de quem não te conhece…seu sacerdócio vale muito mais que a aprovação de uns e outros…desculpe a intromissão…nem ao menos sei o conteúdo do e-mail…talvez tenha que trabalhar melhor essa mania de querer palpitar…
    Bom fim de semana…desejo melhoras!

    “O que mais preocupa não é o grito dos violentos,nem dos corruptos, nem dos desonestos, nem dos sem ética. O que mais preocupa é o silêncio dos bons”
    Martin Luther King

  7. Oi Padre querido!

    Peço licença para usar este espaço para falar sobre sua decisão de sair do Twitter.
    Ontem, antes de o sr. anunciar sua decisão, mandei um e-mail para o sr., falando, entre alguns assuntos pessoais, sobre como acho legal o jeito como o sr. usa o Twitter, consegue dividir um pouco de seu cotidiano conosco, sem se expor. E de como seu trabalho teve importância para mim.

    Quero que saiba os textos que o sr. escreve aqui no blog, foram essenciais para que eu me reaproximasse de Jesus.
    O sr. ouviu o PA hoje? Gostei muito das palavras do Chalita, ele é sempre exato em suas colocações.
    Gente doida e maldosa tem em tudo que é lugar, Padre, aqui não seria diferente.
    Mas o número de pessoas boas é maior, acredite!

    Seja forte! O Twitter é um meio de ligação com muita gente.
    O sr. escreveu um post aqui no blog sobre como o Pe. Fábio estava evangelizando as “pontas”, isso no fim do ano passado, lembra?
    O sr. agora também anda nas “pontas”, Padre, pois não é todo mundo que lhe segue que é católico.
    Imagino que seja mais difícil para o sr., mas seja forte.
    As “pontas” precisam de padres transitando por elas, para evangelizar.
    Continue conosco, por favor.

    Sua benção, Deus lhe guie!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.