André

o irmão do gerente

O apóstolo André era irmão de Pedro. Parece que os dois tinham uma pequena empresa de pesca na cidade de Cafarnaum, às margens do Mar da Galiléia. Portanto, estamos diante de um empresário. Jesus escolheu para o núcleo de seu grupo, pessoas que já haviam obtido sucesso em seus empreendimentos. Não escolheu desocupados.

André tinha uma característica muito particular. Era um verdadeiro “relações públicas”. Foi ele quem apresentou seu irmão, Pedro, a Jesus. Foi também quem descobriu, no meio da multidão faminta, um menino que tinha cinco pães e dois peixes e o levou para que Jesus realizasse o milagre da partilha e da multiplicação de pães. Quem não precisa deste tipo comunicativo em sua empresa? Seria o responsável pelo marketing, ou ainda pelo departamento de Relações Humanas (RH). O problema é que este sujeito era irmão do gerente, Pedro. Estes laços de família costumam criar algumas dificuldades no dia-a-dia de nossas empresas. Como demitir o irmão do gerente? E se o parente começa a faltar no trabalho? Quem chama a atenção? No caso da política seria nepotismo. E nas empresas familiares? É uma dificuldade a enfrentar!

4 Comentários

  1. Pingback: Pe. Joãozinho, SCJ

  2. Pingback: LAERSON

  3. Pingback: Gisele C.Krüger

  4. Pingback: Alice

  5. Boa tarde padre, parabéns por ser o nosso Bom Pastor on line.
    Meu marido é comerciante e sempre existiu uma sociedade familiar, foram várias tentativas frustradas, as pessoas confundem as coisas, o profissional fica a desejar, então não acredito muito neste tipo de sociedade familiar, é melhor não misturar para não estragar a convivência. Pois nestes casos além de perder o sócio perde-se a relação familiar, acho complicado.

  6. Pingback: Música Católica

  7. adorei o post vou recomendar, muito bom parabens, vamos trocar links? Conheça o meu blog em http://www.vitordesigner.com.br

    abraço

  8. Pingback: Amanda

  9. Sempre arendendo com esse santo sacerdote…
    A sua santa benção pascal hj e sempre.

  10. Me permita traçar um paralelo exclusivamente escrituristico:

    1- André é citado como irmao de Pedro –> Tiago é citado como irmao de Jesus (ambas as colocaçoes “Adelphos”;

    2- Em nenhum lugar na escritura cita o nome do pai de André, apenas o nome do pai de Pedro é citado –> Em nenhum lugar na escritura cita o nome do pai de Tiago, apenas o nome do pai de Jesus é citado;

    Com base no acima exposto, nao passa pela cabeça de nenhum exegeta afirmar q Pedro e Andre eram na verdade primos, e nao irmaos; No entanto incoerentemente afirmam q Jesus e Tiago nao eram irmaos, e sim primos. Jonh P. Meier reconheceu tal dificuldade em seu livro “Um judeu marginal”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.