O 1º encontro de Seminaristas da Província Eclesiástica de Aparecida, realizado pela Faculdade Dehoniana, no dia 21 de abril, foi um momento único de reflexão, oração e integração.

O encontro, realizado na Paróquia Sagrado Coração de Jesus, teve início com a palestra“Padres relevantes para uma Igreja relevante” ministrada pelo Pe. José Fernandes de Oliveira (Pe. Zezinho, scj). Em seguida, Dom Antônio Afonso de Miranda, bispo emérito de Taubaté, presidiu a Missa e partilhou sua experiência sacerdotal na comemoração dos seus 90 anos de idade. Ao final da missa todos participaram de um churrasco de confraternização preparado pelo Pe. José Knob, scj, seguido de atividades esportivas.

Mais de 200 seminaristas participaram do evento, junto com reitores e formadores das dioceses e comunidades. Além de Dom Antônio, também estiveram Dom Carmo João Rhoden, bispo de Taubaté, e Dom Moacir Silva, bispo de São José dos Campos.

O encontro foi organizado pelo Centro Acadêmico de Teologia, com ajuda dos padres e fratres do Convento Sagrado Coração de Jesus.

LEIA O TEXTO DE PE. ZEZINHO NA ÍNTEGRA: http://www.dehoniana.org.br/posicao2.asp

Naquele tempo, Jesus subiu a um monte seguido pela multidão e, sentado sobre uma grande pedra, deixou que os seus discípulos e seguidores se aproximassem. Ele os preparava para serem os educadores capazes de transmitir a lição da Boa Nova a todos os homens. Tomando a palavra, disse-lhes:
– “Em verdade, em verdade vos digo: Felizes os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus. Felizes os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados. Felizes os misericordiosos, porque eles…”
Pedro o interrompeu:
– Mestre, vamos ter que saber isso decor?

André disse:
– É pra copiar no caderno?
Filipe lamentou-se:

– Esqueci meu papiro!

Bartolomeu quis saber:
– Vai cair na prova?

João levantou a mão:
– Posso ir ao banheiro?

Judas Iscariotes resmungou:
– O que é que a gente vai ganhar com isso?

Judas Tadeu defendeu-se:
– Foi o outro Judas que perguntou!

Tomé questionou:
– Tem uma fórmula pra provar que isso tá certo?

Tiago Maior indagou:
– Vai valer nota?

Tiago Menor reclamou:
– Não ouvi nada, com esse grandão na minha frente.

Simão Zelote gritou, nervoso:
– Mas porque é que não dá logo a resposta e pronto!?

Mateus queixou-se:
– Eu não entendi nada, ninguém entendeu nada!

Um dos fariseus, que nunca tinha estado diante de uma multidão nem ensinado nada a ninguém, tomou a palavra e dirigiu-se a Jesus, dizendo:
– Isso que o senhor está fazendo é uma aula? Onde está o seu plano de curso e a avaliação diagnóstica? Quais são os objetivos gerais e específicos? Quais são as suas estratégias para recuperação dos conhecimentos prévios?

Caifás emendou:
– Fez uma programação que inclua os temas transversais e atividades integradoras com outras disciplinas? E os espaços para incluir os parâmetros curriculares gerais? Elaborou os conteúdos conceituais, processuais e atitudinais?

Pilatos, sentado lá no fundão, disse a Jesus:
– Quero ver as avaliações da primeira,segunda e terceira etapas e reservo-me o direito de, ao final, aumentar as notas dos seus discípulos para que se cumpram as promessas do Imperador de um ensino de qualidade. Nem pensar em números e estatísticas que coloquem em dúvida a eficácia do nosso projeto.
– E vê lá se não vai reprovar alguém!
Lembre-se que você ainda não é professor titular…
(não vai sobrar aula pra voce e a divisão de turmas? tem que ter pelo menos 30 alunos – Versão  *educadores*)

Jesus deu um suspiro profundo, pensou em ir à sinagoga e pedir aposentadoria proporcional aos trinta e três anos. Mas,tendo em vista o fator previdenciário e a regra dos 95, desistiu.
Pensou em pegar um empréstimo consignado com Zaqueu, voltar pra Nazaré e montar uma padaria…
Mas olhou de novo a multidão. Eram como
ovelhas sem pastor… Seu coração de educador se enterneceu e Ele continuou:

-“Felizes vocês, se forem desrespeitados e perseguidos, se disserem mentiras contra vocês por causa da Educação. Fiquem alegres e contentes, porque será grande a recompensa no céu. Do mesmo modo perseguiram outros educadores que vieram antes de vocês”.

Tomé, sempre resmungão,reclamou:
– Mas só no céu, Senhor?
– Tem razão, Tomé – disse Jesus – há quem queira transformar minhas palavras em conformismo e alienação.. Eu lhes digo, NÃO! Não se acomodem. Não fiquem esperando, de braços cruzados, uma recompensa do além. É preciso construir o paraíso aqui e agora, para merecer o que vem depois…

E Jesus concluiu:
– Vocês, meus queridos educadores, são o sal da terra e a luz do mundo…

Texto de abertura do Programa Rádio Vivo — Rádio
Itatiaia, Belo Horizonte — de 15/10/2009, texto do professor Eduardo Machado.

FONTE: http://rosanamanzini.com/Blog/

Estive lendo alguns textos do meu fundador, Léon Dehon, e percebi que a atenção às pequenas coisas é uma mística do cuidado. Podemos fazer tudo de qualquer jeito. Podemos fazer tudo apressadamente. Vivemos no mundo da pressa. A Internet nos ilude fazendo acreditar que somos um pendrive… não temos tanta memória assim. Por que se estressar? Como diz a Bíblia com defintiva sabedoria: tudo é vaidade. Ou ainda na máxima de Teresa D’Avila: “TUDO PASSA”. Recentemente li um livro muito interessante do Pe. Roque Schneider: “DIMINUA O RITMO” http://www.loyola.com.br/livraria/detalhes.aspx?COD=12976

Este livro apresenta um tema que está no cotidiano das pessoas: a vida agitada e a pressa. Afirma ainda que espairecer ou descansar um pouco, em meio a nossos afazeres, não é luxo nem fuga, mas uma necessidade existencial.

Ontem foi um dia super intenso. Quem acompanhou pelo BLOG ou pelo TWITTER  viu que a manhã foi dedicada ao Encontro de Seminaristas em Taubaté (palestra e missa) e a tarde participei da celebração dos 25 anos de sacerdote do Pe. Júlio Lancelotti, em São Paulo. Voltei no mesmo dia para Taubaté. Foram duas missas e algumas palestras, separadas por 130 km de estrada. Pensei que tudo isso me cansaria (e cansou), mas em um dia tão intenso Deus costuma falar por meio de gestos sem palavras. O presidente da missa em Taubaté foi nosso querido Dom Antônio A. de Miranda, que recentemente completou 90 anos. A idade está pesando, apesar de sua lucidez e saúde de ferro. Na missa ele falou sentado por quase 20 minutos. Empolgou a todos. Éramos 230 seminaristas, 25 padres, alguns diáconos e dois bispos. Todos nós padres e diáconos poderíamos ter distribuído a comunhão. Porém, após comungar, Dom Antônio espontaneamente tomou a âmbula e dirigiu-se para a assembléia para distribuir a Eucaristia. Diante do fato, os dois bispos que concelebravam foram também. Tivemos três bispos distribuindo a Eucaristia. Este gesto sem palavras ficou marcado em mim. Na missa da tarde, Pe. Júlio lembrou de uma frase de Dom Luciano Mendes de Almeida: – Padre, não pense que a estola é símbolo de poder. Ela é símbolo de serviço. É um pequeno avental.

Nesta terça-feira, 20 de abril, o Pe. Julio Lancellotti comemorou 25 anos de ordenação sacerdotal. A comunidade São Miguel Arcanjo celebrou o Jubileu de Prata a partir das 8 da noite na capela da Universidade São Judas Tadeu. A missa foi  presidida por D. Angelico Sandalo Bernardino, bispo emérito de Blumenau (SC) e ex-bispo auxiliar da Arquidiocese de São Paulo.

Neste dia 21 de abril diversos amigos como Pe. Zezinho e Gabriel Chalita estarão presentes a partir das 15h para celebrar cantando e rezando. Estarei lá para a missa, que começa 18h.

Acompanhe esta celebração:

http://www.oarcanjo.net/site/index.php/destaque/parabens-pe-julio-pelos-25-anos-de-sacerdocio/

Hoje acontece o ENCONTRO DE SEMINARISTAS DA PROVÍNCIA ECLESIÁSTICA DE APARECIDA. Cerca de 200 seminaristas, a maioria estudantes de filosofia e teologia, se encontrarão para refletir, celebrar e confraternizar. Teremos uma palestra com Pe. Zezinho: Padres relevantes para uma Igreja relevante. Em seguida o bispo emérito de Taubaté, Dom Antônio A. de Miranda, presidirá a celebração eucarística. Ele completou neste domingo 90 anos. Terminaremos um almoço de confraternização preparado pelo Pe. José Knob, que dá aulas de teologia há mais de trinta anos.

Acabo de ler um manchete muito interessante na Internet, publicana no Financial Times

LEIA EM: http://noticias.uol.com.br/bbc/2010/04/20/jeito-carinhoso-do-brasil-e-obstaculo-para-estar-entre-os-grandes-diz-jornal.jhtm

Amabilidade do Brasil é obstáculo para país ingressar no grupo dos líderes mundiais

Fico me pergunto se ser amoroso ou amável é realmente um obstáculo para ser líder. Esta é a principal questão que abordei recentemente em meu livro AS SETE VIRTUDES DO LÍDER AMOROSO, publicado pela Editora Canção Nova. O que você acha? Os líderes devem ser frios como uma pedra de Gelo?

— RELEASE —

O LIVRO

O amor pode ser um “bom negócio”? Esta é a pergunta que muitos empreendedores fazem ao lerem livros como O Monge e o Executivo, de James C. Hunter. Neste livro, J. C. Almeida procura responder a esta e tantas outras perguntas que inquietam os grandes líderes: “qual o significado do amor no universo corporativo”?

Com uma linguagem contagiante, As sete virtudes do líder amoroso continua a contagiante epopéia de O Monge e o Executivo. A partir do emblemático “Hino ao Amor”, escrito por Paulo de Tarso, o autor procura desvendar os segredos do sucesso este líder amoroso, que soube superar mil dificuldades e encontrar a maneira correta de atingir as suas metas.

Os líderes e empreendedores se colocam normalmente esta questão: É possível liderar e amar? Líderes de sucesso devem ser frios como uma pedra de de gelo? Após ler este livro você será capaz de medir o seu nível de amorosidade. O interessante é que o amor não é visto simplesmente como sentimento ou caridade. É uma força interna que faz do líder uma pessoa comunicativa, paciente, solidária e resiliente. O líder amoroso é um vencedor!

Em linguagem fluente e agradável o autor desvenda alguns mistérios que intrigam todos os que investem sua vida e seus recursos para criar empresas de sucesso.

A liderança servidora já foi assimilada pelos nossos empresários. Agora é a vez de dar um passo e ententer o que significa liderança amorosa.

O livro deste autor e suas palestras não servem apenas para empresários. Estas lições são úteis e fundamentais para as famílias e também para todos aqueles que têm diante de si o desafio de liderar uma equipe. Trata-se de um tema sempre antigo e sempre novo: o amor. Mas agora este tema é enfrentado com incrível realismo. Como amar de modo inteligente?

O AUTOR

JOÃO CARLOS ALMEIDA é o Diretor Geral da Faculdade Dehoniana, em Taubaté (São Paulo – Brasil) e atua a mais de 20 anos como consultor na área de treinamento de lideranças. Neste tempo desenvolveu uma carreira como palestrante e treinador de equipes. É autor de vinte livros, alguns já na 10ª edição e produziu cerca de trinta CDs musicais.

Doutor em Educação, pela Universidade de São Paulo (USP), doutor em Teologia pela Pontifícia Faculdade N. Sra da Assunção, em São Paulo e doutor em Espiritualidade pela Universidade Gregoriana, de Roma, o autor é sacerdote católico, que se dedica aos mais diferentes tipos de atividades de liderança, da música à presença nos Meios de Comunicação por meio de programas de TV. A união desta sólida formação acadêmica com sua capacidade de comunicar de modo simples e popular resultou em uma obra com saber e sabor. Este livro e suas palestras são prova disso.