Fazer o sinal da cruz é um belíssimo jeito de recordar que nossa fé acredita em um Deus que não é solitário. Ele é a perfeita unidade na pluralidade. É uma família aonde não existe nenhuma discórdia ou divisão. O Pai é o amante, o Filho é o Amado e o Espírito é o próprio amor do Pai e do Filho. Não são indivíduos… são pessoas. A identidade de cada um se dá pela relação. O Pai não seria Pai se não tivesse Filho. O Filho só é Filho porque tem Pai. A relação dos dois é o Espírito. Esta ciranda de amor a genialidade de Santo Tomás chamou de “pericorese”, ou seja, intercompenetração. Um está completamente implicado no outro. É uma comunidade mais que perfeita. Não é um Mistério para ser entendido. É para ser experimentado, pois este amor trinitário é derramado em nossos corações sem medida.

Hoje faço o batizado de uma sobrinha, aqui em Brasília. O batismo é um mergulho em águas mais profundas. Nele recebemos o selo da Trindade: eu te batizo em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. A partir deste momento a Trindade para o batizado se torna um projeto de vida. Não é apenas a marca de uma opção por ser cristão. É puro dom de amor que vem do alto. Podemos agora amar com o amor de Deus. Na verdade não existe outra forma de amor verdadeiro. Só ama bem quem ama com amor com que foi amado por Deus. Por isso é tão importante fazer a experiência do amor de Deus. Depois podemos amar como Jesus amou… e construir laços de solidariedade por onde passarmos. Seremos missionários da Comunhão… da Trindade!

8 Comentários

  1. Pingback: Pe. Joãozinho, SCJ

  2. Pingback: Nelcilda

  3. Pingback: Twitter Trackbacks for Santíssima Trindade « Padre Joãozinho, scj [cancaonova.com] on Topsy.com

  4. Pingback: Helio Nagamine

  5. Pingback: mioco gomes

  6. Pingback: Olga Silva de Souza

  7. olga amorim

    Bom dia padre.
    Experimentar o amor de Deus é algo sublime, pena que as pessoas nuitas vezes demorem tanto para descobrir este amor. Falo por mim, sei que demorei mas hoje sinto isto em minha essência, e sei que me modificou muito como ser humano, e tenho certeza que ainda vai me modificar muito mais. Paz e bem.

  8. Pingback: Alice

  9. Bom dia padre!
    Que coisa mais linda a sua explicação sobre o sinal da cruz,ficamos mais sábios hoje ,a partir destas suas palavras,como é maravilhoso aprender com o Sr, sempre mt inteligênte, atento a tds as coisas que são importantes o Cristão Católico saber,como eu por exemplo que não sabia.
    Deus abênçoe sempre o seu ministério,e que o seu domingo seja de mt paz amor, e saúde para o Sr!
    Um grande abraço!!!

  10. Pingback: Amanda

  11. Elaine Mendes

    Missionários da comunhão, este é o grande desafio.

    Aliás padre, se possível, comente a entrevista do ex-frei Leonardo Boff sobre a Igreja Católica Apostólica Romana. Segue o link.
    http://www.agenciaaids.com.br/site/noticia.asp?id=14864

    Acho que tem haver os questionamentos do ex-frei à estrutura da Igreja Católica com o desafio de ser uno na diversidade.
    Gostaria da sua reflexão pois ele também opina sobre a Teologia da Libertação e a Renovação Carismática Católica.
    Sua benção

  12. A sua bênção,padre João Carlos
    Só temos a capacidade de amar porque Deus deixou esse sentimento sublime germinado nos corações humanos…
    Amor que não passa pela esfera divina é caricato…
    Deus em ato supremo de AMOR fez-se homem e habitou entre nós através de seu filho JESUS que assumiu nossos pecados a fim de que todos pudessem adentrar a Glória celestial…
    Enquanto aguardamos encontrar A VERDADE face a face,devemos aceitar e reconhecer o Amor divino e compartilhá-lo com o próximo e com a gente também,semeando a Justiça,Misericórdia,
    Caridade…
    Uma ótima semana…
    P.S.Eu gosto muito do face…….

  13. Vanessa Freire da Silva

    Esse misterio da santissima trindade e muito abençoado.Vanessa Freire da Silva Maringá Paraná.

  14. Pingback: Vanda Tourinho

  15. Pingback: Elena Arreguy Sala

  16. ‘Só ama bem quem ama com amor com que foi amado por Deus.’

    Pe,

    como é dolorido deixar que Deus nos ame onde está ferido, que ele cuide e faça cicatrizar. Coisas tão opostas: o Amor de Deus que dói, porque expõe nosso desamor, traz à tona aquilo que em nós não é compatível com ele.
    Mas que lindo resultado quando fluir de nós o Amor mais puro e perfeito, o sinal da presença do próprio Deus.

    Um abraço!

  17. Pingback: Amar Maria Sempre

  18. Ricardo Zaki Francisco

    pe. joãozinho, reitero a solicitaçao de elaine mendes e solicito que comente a entrevista de leonardo boff. grato.

  19. Pingback: C. Alexandre Jorge

  20. Pingback: C. Alexandre Jorge

  21. RT @padrejoaozinho: Santíssima Trindade # http://bit.ly/bxrMTK

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.