Em seu discurso ao congresso da diocese de Roma

CIDADE DO VATICANO, sexta-feira, 18 de junho de 2010 (ZENIT.org).- “A melhor catequese sobre a Eucaristia é a própria Eucaristia bem celebrada”, assegura Bento XVI, ao exortar toda a Igreja a celebrá-la com toda a dignidade.

O Pontífice deu esta indicação central aos participantes do congresso da diocese de Roma, que começou no dia 15 de junho, na Basílica de São João de Latrão, catedral do bispo da Cidade Eterna.

“A Santa Missa, celebrada com respeito pelas normas litúrgicas e com um uso adequado da riqueza dos sinais e gestos, favorece e promove o crescimento da fé eucarística”, garantiu o Papa.

“Na celebração eucarística, não inventamos algo, e sim entramos em uma realidade que nos precede; mais ainda, ela abarca o céu e a terra e, portanto, também o passado, o futuro e o presente.”

“Esta abertura universal, este encontro com todos os filhos e filhas de Deus, é a grandeza da Eucaristia: saímos ao encontro da realidade de Deus presente no corpo e no sangue do Ressuscitado entre nós.”

Portanto, “as prescrições litúrgicas ditadas pela Igreja não são algo exterior, mas expressam concretamente esta realidade da revelação do corpo e sangue de Cristo e, desta forma, a oração revela a fé”.

Segundo o Bispo de Roma, “é necessário que, na liturgia, apareça de forma clara a dimensão transcendente, a dimensão do mistério do encontro com o Divino, que ilumina e eleva também a dimensão ‘horizontal’, isto é, o laço de comunhão e de solidariedade que se dá entre os que pertencem à Igreja”.

De fato, “quando prevalece esta última, não se compreende plenamente a beleza, a profundidade e a importância do mistério celebrado”.

O Papa deu este conselho aos fiéis de Roma, em particular aos seus sacerdotes: “Celebrai os divinos mistérios com uma participação interior intensa, para que os homens e mulheres da nossa cidade possam santificar-se, entrar em contato com Deus, verdade absoluta e amor eterno”.

E exortou os católicos de Roma a “prestar mais atenção, entre outras coisas com grupos litúrgicos, à preparação e celebração da Eucaristia, para que os que participam possam encontrar o Senhor. Cristo Ressuscitado se faz presente em nosso hoje e nos reúne ao seu redor”.

8 Comentários

  1. Pingback: Pe. Joãozinho, SCJ

  2. Pingback: LAERSON

  3. olga amorim

    Boa noite padre.
    Não tenho dúvida de que saiu revigorada quando participo de uma celebração, pois nossas igrejas aqui em São José dos Campos tem a benção de contar com padres fabulosos que celebram missas maravilhosas, transformando este momento um encontros verdadeiros com Deus. Que Deus continue nos abençoando com bons sacerdotes, comprometidos com a qualidade das celebrações. Amém.

  4. @elzinnha32

    Pena que muitas pessoas não dêem tanta importância à liturgia como um todo da missa. Elas valorizam demais a participação na eucaristia ( e que deve o ser!) que acaba ficando banalizada, não percebem que é o climax de todo o processo litúrgico que a precede.

    Dou minha humilde opinião.

    Paz e Bem a tds!!!

    Bom proveito no descanso em Roma.

    E-beijocas cariocas.

  5. Pingback: C. Alexandre Jorge

  6. Pingback: Arquidiocese Floripa

  7. Parabéns padre por divulgar este texto do Santo Padre, oxalá que os padres obedeçam o pedido do Papa, e que as pessoas que participam da equipe de liturgia se aprofundem sobre o assunto, pois ainda deixam muito a desejar. Quanto aos fiéis, pelo amor de Deus acompanhem a Santa Missa com respeito, pois é do Sacrificio de Cristo que estamos participando, tanto que o altar é o local onde o Cordeiro vai ser imolado. Que a nossa participação seja somente com gestos, silêncio, com o canto e as respostas que são permitidas ao leigo, o resto é invenção.

  8. Simone Teixeira

    Pe. Joãozinho,

    Se todos os cristãos católicos entendessem cada parte da missa e não respondessem mecanicamente às palavras do celebrante e se todo sacerdote celebrasse cada missa como se fosse a primeira ou a última de sua vida, o mundo não seria o mesmo! Infelizmente, além dos receios citados pelo Papa nas duas postagens há outros: disputas entre equipes de celebração para ver quem apresenta o melhor “show” na hora de cantar e de ´preparar a celebração; pessoas que veem a missa como uma peça de teatro e padres celebram mecanicamente, como se cumprissem apenas uma obrigação, para pessoas que estão “assistindo” para cumprir um “preceito”…
    No dia de Corpus Christi, minha oração foi para que eu voltasse a ter o mesmo amor por Jesus Eucarístico de alguns anos atrás e que realmente entendêssemos que Jesus “esta ressuscitado no meio de nós! Quero voltar ao tempo em que eu ía à missa todos os dias, independente do celebrante, só por amor a Jesus. Fiquei lembrando de minha infância e juventude, quando a única procissão que eu nunca perdia era a desse dia em que caminhamos “com Jesus”! Uma époa em que acordávamos cedo para fazer tapetes com serragem e lindos desenhos porque nosso Rei e Senhor iria passar por nossas ruas e em cada janela havia uma toalha de renda, flores e muita gente rezando…
    O importante é sempre o momento presente e o que farei daqui para frente, mas há momentos em que precisamos recordar das coisas boas que foram se perdendo por causa dos contra-tempos a vida …
    Agradeço por tantas postagens que me fazem refletir e rezar!
    Grande abraço

  9. Pingback: mioco gomes

  10. Sergio Souza

    Salve o Papa Bento XVI…

    É com bastante pesar que, zapeando entre um canal e outro, no intervalo do jogo CamarõesXDinamarca, vejo uma missa trnasmitida pela TV, e em pleno ato penintencial se canta uma canção PROTESTANTE (Do Lázaro)… Quer coisa mais anti-litúrgica que isso?

    Diante disso… Infelizmente, é melhor assistir ao segundo tempo de Camarões X Dinamarca!

  11. É VERDADE AS EQUIPES DE LITURGIA TEM QUE TOMAR MAIOR CUIDADO NA HORA DA PREPARAÇÃO. POIS O PADRE É APENAS O PRESIDENTE E NÓS CELEBRAMOS TODOS JUNTOS. UMA BOA MISSA EUCARISTICA NÃO DEPENDE SÓ DO PADRE.

    NÓS FIÉIS DEVEMOS ESTUDAR PARA MELHOR PREPARAR.

    PAZ E BEM PE.JOÃOZINHO.

  12. Maria Celia

    Pe. Joaozinho,
    Os canticos sao importantes na celebraçao da Palavra e Eucaristia.
    Tenho dificuldades em escolher os canticos, perco muito tempo procurando qual o mais apropriado e depois fico achando que podia ter escolhido outro. Enfim, confessando minha preguiça espiritual, peço-lhe se possivel no começo da semana relacionar canticos a titulo de sugestao para celebraçao da Santa missa nos Domingos.
    Compreendo perfeitamente se nao houver esta possibilidade mas acredito que seria de muita valia esta orientaçao semanal.
    Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo,
    Salve Maria!

  13. Eri França

    Olá, Padre! olha participo do ministério de música na paróquia São sebastião da Ilha do Governador-RJ, como sou novo na área existem algumas coisas que estou confuso, uma delas é o fato de a música do Nelsinho Correa – sacramento da Comunhão – ser anti liturgica… até aí tudo bem, a questão é que ninguem me diz porquê. Por favor me ilumine! abraço, fica com Deus!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.