Tenho recebido alguns comentários de muito boa qualidade aqui no BLOG (infelizmente não posso dizer isso de todos). Uma das comentadoras acaba de justificar porque irá votar em Dilma Rousseff, mesmo com toda esta polêmica envolvendo a descriminalização do aborto. Se você concorda, ou está inclinado em outra direção pode deixar aqui seu comentário. Muitas pessoas ainda não têm seu juizo para o segundo turno e é função da Igreja e dos sacerdotes ajudar a refletir. Isto não significa dizer: vote neste, ou vote naquele. Repito o que disse no primeiro turno: agora não é hora de decidir; é hora de discernir.

O COMENTÁRIO DE ANNA

O tema aborto não é uma questão marginal. Sou contra o aborto e para mim, o PT errou quando deixou o grupo a favor da descriminalização (que são as feministas que tem grande força no partido ) ganharem no fechamento da questão em torno de um tema tão polêmico como este. Fez mal para imagem de partido democrático que pretende ser. No entanto, esta marca não é exclusiva do partido dos Trabalhadores. O tema descriminalização do aborto vem evoluindo no Brasil desde o governo Fernando Henrique Cardoso. Com o PNDH -I (que previu os casos de aborto permitido; com PNDH II (governo FHC)que petendia alargar os permissivos do aborto legal e, foi o próprio Ministro da Saude, o hoje candidato Serra, quem assinou a portaria regulamentando o aborto no caso de estupro (fora aprovado, mas ainda não podia ser feito pelo SUS, pois faltava o regulamento). Por fim,no governo Lula, o PNDH-III que pretendia liberar o aborto até a 4ª semana de gravidez. Paramos aqui. O governo Lula acabou acatando o clamor de grupos interessados e alterou estas e outras partes polêmicas do texto, muito embora este já tivesse sido objeto de conferências publicas antes de ser redigido e a sociedade interessada pudesse opinar. Talvez não houve muita divulgação sobre este assunto… No entanto, o Governo demonstrou ser flexível e ouviu a sociedade, o que é muito positivo. Por isto, acho que o tema é importante e a Dilma e o PT já entendeu o recado das urnas. Acredito nas boas intenções do governo Lula e, por consequência, da candidata Dilma. Este tema pode ser negociado. Acredito que, se havia alguma intenção de aprovar algum projeto no sentido de descriminalização do aborto por iniciativa do governo, este deverá ficar congelado pelo menos por mais algum tempo. Agora, não se enganem, a realidade é que este assunto poderá ir para discussão no congresso e poderá ser aprovado independente de partido que assuma a presidência do país. Lembre-se quem faz a leis e as modifica é o legislativo. Infelizmente, algum setores da Igeja perderam a oportunidade de esclarecer as pessoas sobre a importância do cargo legislativo. Na verdade, acho que confundiu mais as pessoas. Mas, não se enganem, devemos ficar atentos e nos unirmos todos que somos contra o aborto para impedirmos sua legalização, mas isto quando o perigo for real e iminente e com os meios adequados. Sabe como foi feito no ficha limpa? Tem muita gente que é contra a liberação do aborto…
Feitas as considerações acima, insisto agora que não podemos reduzir a discussão sobre quem merece nosso voto apenas à questão do aborto, pois, se assim fosse, teríamos que anular o voto e, como disse o Secretario nacional da CNBB, Dom Dimas, a vida humana não se resume apenas ao estágio embrionário.
Assim, teremos que escolher entre dois projetos de governo. Eu, particularmente, acredito que não temos outro caminho viável que não avançar nas conquistas sociais, no crescimento do país com distribuição de renda, na política de valorização deste país interna e externamente, numa construção da paz com os países vizinhos, conforme o Lula tem feito. Acredito que o Serra não pode ganhar esta eleição. Será um retrocesso. Nas questões externas,ele já deu demonstrações do que fará. Disse que vai acabar com o Mercosul, já comprou guerra a Bolívia. Ele não pensa grande. Ainda tem a mentalidade ultrapassada de querer agradar aos Estados Unidos. Não podemos perder a autonomia e importância que adquirimos com o governo Lula. E o pré-sal, na hora da escolha do método de exploração, o quanto que o PSDB lutou para deixar a nossa riqueza na maos da iniciativa privada. Agora temos um fundo nacional soberano que administrará estas riquezas que já tem destino certo, que é saude, educação, segurança, tecnologia e meio ambiente. Graças à Deus que o pré-sal não foi descoberto e regulamentado no governo do PSDB. O Brasil sempre foi rico, mas sempre teve suas riquezas dilapidadas. Agora, Deus nos abençoou com o pré-sal. É a chance do Brasil de ser o pais do presente, como ja está se tornando. Devemos, pois, rejeitar a campanha que, na falta de proposta viáveis, apela para o medo e faz terrorismo e tenta impedir o eleitor de pensar.

Um grande abraço.

Anna

Nestes tempos de campanha política pegando fogo os ânimos costumam se exaltar e, às vezes, “perdemos a graça”. Por isso, aqui vai uma história que, como dizem os italianos, se não é verdadeira é muito bem contada.

Um vôo lotado foi cancelado. Uma única funcionária atendia e tentava resolver o problema de uma longa fila de passageiros. De repente, um passageiro irritado cortou toda a fila até o balcão, atirou o bilhete e disse:
– Eu tenho que estar neste vôo, e tem que ser na primeira classe!
A funcionária respondeu:
– O senhor desculpe, terei todo o prazer em ajudar, mas tenho que atender estas pessoas primeiro, já que elas também estão aguardando pacientemente na fila. Quando chegar a sua vez, farei tudo para poder satisfazê-lo.
O passageiro ficou irredutível e disse, bastante alto para que todos na fila ouvissem:
– Você faz alguma idéia de quem eu sou ?
Sem hesitar, a funcionária sorriu, pediu um instante e pegou no microfone anunciando:
– Posso ter um minuto da atenção dos senhores, por favor? (a voz ecoou por todo o terminal).  E continuou:
– Nós temos aqui no balcão um passageiro que não sabe quem é, deve estar perdido… Se alguém é responsável pelo mesmo, ou é parente, ou então puder ajudá-lo a descobrir a sua identidade, favor comparecer aqui no balcão da Companhia. Obrigada.
Com as pessoas atrás dele gargalhando histericamente, o homem olhou furiosamente para a funcionária, rangeu os dentes e disse, gritando:
– Eu vou bater em você!
Sem recuar, ela sorriu e disse:
-Desculpe, meu senhor, mas mesmo para isso, o senhor vai ter que esperar na
fila; tem muita gente querendo fazer a mesma coisa.