Jobam foi meu primeiro e principal maestro. Com ele gravei meu primeiro disco CONHEÇO UM CORAÇÃO. Com sua visão de músico extraordinário gravei para a Associação do Senhor Jesus o disco ADOREMOS 95. Ali se revelaram grandes músicos, entre eles Pe. Fábio de Melo e tudo o que viria a ser depois a banda do Pe. Marcelo. Com Jobam aprendi grandes dicas para tocar violão. Com ele aprendi a cantar profissionalmente. Comprei sua guitarra em um dos seus momentos de aperto. Ele foi para Deus por uma doença fulminante. Tive a oportunidade de lhe dar a unção dos enfermos. Devolvi a guitarra para seu filho que conheci bebê. Para mim era o Jobanzinho. Não imaginava que o hoje jovem e maduro Jobam Martins iria tão fundo em fazer justiça à memória de seu pai. Assista este vídeo, pois música não se fala… se ouve!

http://www.youtube.com/watch?v=3eDVOW-Onj0

No Evangelho deste domingo Jesus conta uma história e termina com a famosa lição: “Quem se exalta será humilhado e quem se humilha será exaltado”. Aprendeu na prática com sua mãe, que nos primeiros dias de gravidez já cantava: “Derrubou do trono os poderosos e exaltou os humildes”. Ele mesmo se declarou mestre da humildade: “Aprendei de mim que sou manso e humilde de coração”. A humildade é o princípio da sabedoria, pois quem sabe o que não sabe, tem espaço mental para saber um pouco mais. A arrogância, ao contrário, é o princípio da mediocridade, pois quem acha que tudo sabe não tem mais espaço para aprender. Morrerá em seus estreitos limites. Humildade não tem nada a ver com sentir-se diminuído. Não é alimentar um doentio complexo de inferioridade. Não é também simulacro de santidade, ou seja, fazer aquela “carinha de humilde” para simular que é santo. Humildade é simplesmente reconhecer-se humano. E Deus sabe bem de que barro somos feitos. Amém.