APRESENTAÇÃO BEATRIX

 

Taubaté, 17 de dezembro de 2008.

 

Pax et Lux!

 

Um dos ministérios de que tenho recebido de Deus é de descobrir, orientar e/ou produzir novos talentos. Foi assim com Vida Reluz, P. Fábio de Melo, Ziza Fernandes e muitos outros. Reconheço nisso um carisma especial recebido de Deus. Penso que é uma espécie de “palavra de ciência” que permite auxiliar os irmãos a discernir e viver seu ministério musical. Por uma questão de respeito e responsabilidade somente digo uma palavra em relação a um ministério, compositor, intérprete ou banda, quando realmente sinto interiormente o sinal inequívoco de confirmação.

 

Nunca tinha ouvido falar de BEATRIX. O primeiro contato foi no recente Hallel de Brasília. Quando os vi, imediatamente percebi que estava diante do diferente. Temos muita cópia da cópia hoje na música católica. Já vi dezenas de Fábios de Melo e dúzias de Elianas Ribeiro. Ouvindo a performance do Beatrix no palco senti a confirmação de que eles vieram para ficar. A aparência irreverente e as melodias adolescentes não devem nos enganar. Eles são os primeiros a realizar um desafio que me incomoda a tempos: não conseguimos falar para os adolescentes. Ouve um tempo que a Igreja não conseguia falar para os jovens. Hoje ela não consegue falar para estes meninos e meninas que até participam dos nossos eventos, mas parecem surdos aos nossos sermões e canções. São catequizados pela MTV e por horrendas catequistas tatuadas que invadem o seu imaginário confuso ditando dogmas macabros. Beatrix é uma banda sincera. Eles não estão tentando falar daquele jeito para convencer. Eles cantam sua verdade. Por isso, merecem o palco tanto quanto bandas mais comportadas.

 

Recebi o CD de presente. Fiquei agradavelmente surpreso ao perceber que temos dois catarinenses de Joinville na Banda. Fui àquela cidade e pesquisei a vida pregressa deles. São gente de paróquia. Sua origem é de compromisso. Não sei se os pais deles ouviriam o disco até o fim. Espero que não. O CD Beatrix é feito para agradar os ouvidos adolescentes e isso necessariamente irritará nossos adultos ouvidos. Há ali também uma surpreendente raiz na Canção Nova. Penso que são frutos recentes do juvenil carisma de São João Bosco. O carisma tem a capacidade incrível de se reinventar a cada nova geração. É preciso crer para ver.

 

A capa é clássica. Tem um bom gosto irrepreensível. A gravação está bem feita. Tudo muito apropriado. A música SONORA parece ser o Hit da Banda. Gostei mais da versão acústica que ouvi no YouTube, com participação do Guilherme de Sá (http://www.youtube.com/watch?v=H69cYnAvW7A). Se alguém conseguisse gravar Beatrix com o som acústico do Rosa de Saron, seria o disco do Ano em 2009 pois, na minha opinião, o melhor CD Católico de 2007 foi o acústico do Rosa e o de 2008 foi o CD Beatrix.

 

Infelizmente o Beatrix foi produzido por si mesmo. Isto sempre traz o risco de opções musicais sem referência crítica. Faltou um produtor e por isso o CD tem repetições melódicas em algumas canções. É o limite mais grave deste trabalho.

 

Li cada uma das letras e são verdadeiros salmos da adolescência pós-moderna. Começam com reclamação e terminam em grito de esperança. São textos de poesia nua e crua. Evangelizam a partir dos valores que estão por detrás das letras e não da mensagem explícita que muitas vezes se espera de canções religiosas. Beatrix não é apenas uma banda religiosa. Pela sua linguagem, pode atingir outras “bandas”. Espero que continuem insistindo em gritar, que não fiquem distantes do coração e que não tenham que fugir do que são. É desse jeito que poderão levar a Palavra aos que estão distantes de nossas praças.

 

 

Deus os abençoe

 

Pe. Joãozinho,  scj

Neste Hallel de Brasília tive a oportunidade de reencontrar o amigo Ítalo Villar, indicado este ano como candidato a receber o Gremmy Latino na categoria de música cristã. Ítalo é a prova de que é possível unir inteligência e unção na música. Ele consegue reinventar a velha e boa canção católica em um ritmo pop contagiante e de extremo bom gosto. É uma música inteligente do ponto de vista técnico-musical e também teológico. Ele é exigente na correção da linguagem e das imagens harmônicas que usa. É bom de ouvir. A interpretação irrepreensível e afinada é ajudada por um repertório cuidadosamente escolhido. Todo músico é chato com música. Gosta de cantar mas não tem muita paciência e fica passando as músicas sem ouví-las inteiras. Ítalo conseguiu me prender do início ao fim das canções. Tudo isso em um músico família e que continua participando de sua paróquia e que manda as fávas o sucesso fácil só pode nos levar a agradecer ao bom Deus: ainda existe vida inteligente na música católica!

Confira:

http://palcomp3.cifraclub.terra.com.br/italovillar/

Literamente o céu desceu em uma chuva sem precedentes a uma hora do show. Raios, relâmpagos e trovões disputavam espaço com o esforço da pequena neo-paróquia de Nossa Senhora Medianeira para manter o palco de pé. Lá pelas 18h a chuva venceu. A aparelhagem ameaçava provocar acidentes elétricos e foi melhor desligar tudo. O Pe. Clayton (pároco) me ligou e disse: “Pe. Sérgio (vigário paroquial) faz o possível e o impossível, mas a água está demais… acho que não vai dar”. Falei que cantava na Igreja.. ou em qualquer lugar… Em uma hora arrumaram um som alternativo e mudaram tudo para dentro da igreja. A chuva parou e o incrível aconteceu: o povo vmarcou presença e o céu tornou a descer… mas agora sob a forma de bênçãos e graças. Foi ótimo cantar bem perto do povo de Deus sendo somente padre… sem artifícios de artista.

No tempo do atraso, de quebra, Deus me deu uma inspiração para o hino da paróquia Nossa Senhora Medianeira… Este foi o presente maior que chuva alguma nos roubará… é… fiel nas pequenas coisas!!!

MEDIANEIRA DE TODAS AS GRAÇAS

Pe. Clayton, Pe. Sandro e Pe. Joãzinho, scj

Medianeira, de todas as graças / padroeira do povo de Deus / ergue a voz como um dia em Caná / pede ao Filho e o Filho atenderá.

Um milagre de amor vai acontecer / com a graça de Deus e Maria a interceder (2x)

Medianeira, por ti toda a Graça / veio inteira na Terra morar / Mãe de Deus, Mãe do Mestre, Jesus, / Sempre firme até ao pé da cruz.

Medianeira, no dia da Graça / em Pentecostes estavas também / Mãe da Igreja, Senhora da Paz/ Pede ao Filho que o teu Filho faz!

Você deve estar se perguntando porque o nome dos outros dois padres como co-autores da música. É que durante a chuva só deu tempo de fazer as duas primeiras estrofes. Durante o show é claro que cantei a canção ara o povo. Mas faltava o final da terceira estrofe. Pedi ajuda do povo e os padres completaram a frase que eu não achava: “Senhora da paz… pede ao Filho que o teu Filho faz”.

Rio-Vocação

Pe. Joãozinho, scj

 

Em 1983 fiz meu noviciado, em Jaraguá do Sul. No início do ano seguinte deveria tomar a decisão mais importante da minha vida: fazer a consagração religiosa, professando os votos de castidade, pobreza e obediência. Tinha somente 19 anos de idade. Sentei na beira do rio que cortava o nosso noviciado e fiquei olhando para aquelas águas que venciam as pedras e um dia chegariam ao mar. Imaginei minha vida correndo como um rio em direção à Deus.  Vi claramente que haveriam pedras, obstáculos e dificuldades. Não seria um caminho fácil. Teria que vencer barreiras e encontrar caminhos entre as montanhas. Hoje ainda este rio caminha dentro de mim. Foi a torrente da fé que me fez dizer sim!

 

 

 

Não nasceu, brotou da terra

Da terra mãe do homem

Águas límpidas, inocentes

Vindas da fonte

 

Rolando por duras pedrasAbrindo seu leito no tempoVencendo as barreiras da vidaRolando, quebrando, crescendo 

Aos poucos, devagarinho

O regato foi aumentando

Até tornar-se um rio

De muitos regatos rolando

 

Não faltou quem tentasse

Poluir este rio

Inutilizar-lhe as águas

Tirar-lhe o sabor sadio

 

Mas um dia, de repente

Surgiu o desafio

Enfrentar o precipício

Ou juntar-se a outro rio

 

E o rio topou a parada

E deixou-se cair confiante

Formou a cachoeira do SIM

Pr’alcançar o mar distante

 

Hoje ainda este rio

Caminha dentro de mim

Foi a torrente da fé

Que me fez dizer SIM

 

Sempre almejei e almejoChegar ao distante marJuntar minhas águas às deleE em suas águas amar! 

Não teve jeito de desligar a TV Canção Nova hoje. Recebi mensagem de alguém que nem sei avisando que a Jake, cantora de axé católico estava no Academia do Som. Acabou agora. Ouvi novamente cada uma das canções que já conhecia do CD e também do Hosana, que preguei recentemente em Belo Horizonte e onde conheci pessoalmente esta boa novidade da música católica. Novamente estamos diante de música de verdade. Impressiona pela originalidade e exatidão dos ritmos. As letras são corretas. A postura dela é forte no palco. Ao mesmo tempo é fortemente cristã. Em alguns momentos as melodias realmente lembras seqüências manjadas dos grupos populares de axé. Mas existe algo de original na Jake. Sei econhecer um talento quando vejo. Já descobri e cultivei tantos. Deus me deu esta missão. Jake está no ar.. e não vai passar!

Todo mundo sabe que não sou muito fã do rock católico na sua versão heavy metal. Acho mimético demais. Somente o argumento da “inculturação” é fraco. Mas agora estamos diante de um disco realmente diferente. Acabo de ouvir o acústico do ROSA DE SARON, lançado pela CODIMUC ( www.codimuc.com.br)

É música de verdade. Desde o som até a capa é da mais alta qualidade e bom gosto. Os arranjos são fortes e leves ao mesmo tempo. O toque da bateria é preciso e original. A rouquidão do vocalista Guilherme de Sá coloca a sua interpretação no pedestal da melhores do rock nacional. Não vou dizer aos aprendizes: façam assim… porque esta qualidade exige anos de estrada e a maioria morre no caminho.

Um grupo assim deveria migrar definitivamente para a música popular e evangelizar de maneira não explícita. O que Cassia Eller tinha que Rosa de Saron não tem? Falta somente um passo.

DEUS AGIRÁ

    Pe. Joãozinho, scj 

Esperar contra toda esperança

Com a fé que na dor não se cansa

Acreditar no milagre
escondidoSe Deus é por nós,

Quem será contra nós?

Vamos orar e agir    

E Deus fará o resto

Depois dos dias sobrios e tristes

O sol retornará

Porque Deus agirá… Deus agirá!

Quem não tem sua cruz seu espinho?

Triste é quem quer levá-la sozinho

É Jesus quem nos leva em seus braços

Se Deus é por nós, Quem será contra nós?

Há momentos em que tudo é escuro

Não se vê horizonte na estrada

Mas a fé pode ver adiante

Se Deus é por nós, Quem será contra nós?

Sei de alguém que viveu na alegria

Mas na dor encontrou vida plena

A lição que deixou é tão clara

Creia em Deus, Busque as coisas do céu!