Espiritualidade: As lições de Nazaré

Por no dia dez 28th, 2009 sobre Liturgia.

     Nazaré é a escola onde se começa a compreender a vida de Jesus: a escola do Evangelho.
 

     Aqui se aprende a olhar, a escutar, a meditar e penetrar o significado, tão profundo e tão misterioso, dessa manifestação tão simples, tão humilde e tão bela, do Filho de Deus. Talvez se aprenda até, insensivelmente, a imitá-lo.

 

     Aqui se aprende o método que nos permitirá compreender quem é o Cristo. Aqui se descobre a necessidade de observar o quadro de sua permanência entre nós: os lugares, os tempos, os costumes, a linguagem, as práticas religiosas, tudo de que Jesus se serviu para revelar-se ao mundo. Aqui tudo fala tudo tem um sentido.

 

     Aqui, nesta escola, compreende-se a necessidade de uma disciplina espiritual para quem quer seguir o ensinamento do Evangelho e ser discípulo do Cristo.

 

     Oh! Como gostaríamos de voltar à infância e seguir essa humilde e sublime escola de Nazaré! Como gostaríamos, junto a Maria, de recomeçar a adquirir a verdadeira ciência e a elevada sabedoria das verdades divinas.

 

     Mas estamos apenas de passagem. Temos de abandonar este desejo de continuar aqui o estudo, nunca terminado, do conhecimento do Evangelho. Não partiremos, porém, antes de colher às pressas e quase furtivamente algumas breves lições de Nazaré.

 

     Primeiro, uma lição de silêncio. Que renasça em nós estima pelo silêncio, essa admirável e indispensável condição do espírito; em nós, assediados por tantos clamores, ruídos e gritos em nossa vida moderna barulhenta e hipersensibilizada. Ó silêncio de Nazaré, ensina-nos o recolhimento, a interioridade, a disposição para escutar as boas inspirações e as palavras dos verdadeiros mestres. Ensina-nos a necessidade e o valor das preparações, do estudo, da meditação, da vida pessoal e interior, da oração que só Deus vê no segredo.

 

     Uma lição de vida familiar. Que Nazaré nos ensine o que é família, sua comunhão de amor, sua beleza simples e austera, seu caráter sagrado e inviolável; aprendamos de Nazaré o quanto a formação que recebemos é doce e insubstituível: aprendamos qual é sua função primária no plano social.

 

     Uma lição de trabalho. Ó Nazaré, ó casa do “filho do carpinteiro”! É aqui que gostaríamos de compreender e celebrar a lei, severa e redentora, do trabalho humano, aqui, restabelecer a consciência da nobreza do trabalho; aqui, lembrar que o trabalho não pode ser um fim em si mesmo, mas que sua liberdade e nobreza resultam, mais que de seu valor econômico, dos valores que constituem o seu fim. Finalmente, como gostaríamos de saudar aqui todos os trabalhadores, do mundo inteiro e mostrar-lhes seu grande modelo, seu divino irmão, o profeta de todas as causas justas, o Cristo nosso Senhor.

 

Das alocuções do papa Paulo VI (alocução pronunciada em Nazaré a 5 de janeiro de 1964).

Extraído das Leituras das Horas, Domingo da Sagrada Família, página 382.

 

A vida oculta de Jesus edificante é relembrar;

Dizer em verso a vida pobre de Nazaré, humilde lar.

 

Na arte humilde de José, jovem Jesus já se inicia

E ao trabalho do operário de boa mente se associa.

 

Junto do filho está à mãe, junto ao esposo a santa esposa.

Lá se compensam os cansaços por amizade afetuosa.

 

Vós ó Senhor, que conheceis bem o trabalho e o suor

Daí vossa ajuda aos que trabalham ouvi dos fracos o clamor.

 

A vós Jesus, que pelo exemplo a vida santa nos mostrais,

Glória com o Pai e o Espírito com Quem nos séculos reinais.

 

Clique em comentários e deixe sua opinião, suas orações.

 

Oração: Ó Deus de bondade, que nos destes a Sagrada Família como exemplo, concedei-nos imitar em nossos lares as suas virtudes, para que, unidos pelos laços do amor, possamos chegar um dia às alegrias da vossa casa. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém

 

Natal feliz é Natal com Cristo!

Sagrada Família de Nazaré rogai por nós.

 

Padre Luizinho,

Com. Canção Nova.

5 Responses to “Espiritualidade: As lições de Nazaré”

  1. Elinelson Freire de Macedo says:

    Bom dia a todos. É verdade Nazaré uma escola da familia, que precisamos dessa escola para o mundo de hoje, a onde não se tem mais a familia, e sim pessoas que não se respeitam e nem respeitam os pais, filhos excluidos, pels pais com vicios, mâes, que não sabe o que é o verdadeiro amor de mâe, como Maria e José,que souberam ser familia, no amor na simplicidade, na hulmidade e pricinpalmente na obdiência a um Deus, que tudo pode, que tudo é capz,para o bem de toda humanidade.amém.

  2. José Paulo da Silva says:

    Linda Lembrança, ser criança.

    OBRIGADO!
    OBRIGADO!
    OBRIGADO!

  3. E.U. says:

    Caro irmão Luizinho, em aditamento ao comentário que ontem aqui deixei, gostaria de incluir mais um link. Estou a acompanhar estes debates e estudos que se fazem um pouco por todo o mundo, e quero que compreendam que a única motivação que tenho é proporcionar algum conhecimento no sentido de através desse conhecimento construir uma atitude cristã e mais acolhedora para com estes nossos irmãos e irmãs com orientações sexuais diferentes das nossas. Alguns deles vivem grandes tormentos que, por vezes, conduzem ao suicídio. A igreja precisa criar um espaço de acolhimento aberto a quem possui este tipo de orientação. Vários psiquiatras, cujos nomes constam no link, têm um percurso exaustivo na sua área, cujas experiências e conhecimentos são reconhecidas internacionalmente.
    Deixo agora o link:
    http://dn.sapo.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1457712

  4. Luci says:

    Senhor Jesus Cristo,

    Peço-vos perdão pelas vezes que deixamos de agir como verdadeira família.

    Concede-nos, Ó Pai, a Graça de percebermos os valores que devem ser cultivados em família: Amor, Solidariedade, Paz, União, Caridade, Misericórdia, Fraternidade.
    Senhor, Tende Misericórdia de nós e nos Concede a Tua Paz!

    Amém.

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.