O Tempo Pascal é a Primavera de nossa fé!

Por no dia maio 2nd, 2011 sobre Páscoa.

Nós estamos vivendo o Tempo Pascal, primavera de nossa fé. O ressuscitado no meio de nós até a festa de pentecostes há mais ou menos cinquenta dias. Quero refletir com vocês sobre um personagem, um apóstolo muito parecido comigo e com você, que no segundo domingo da Páscoa, festa da Divina Misericórdia foi nos apresentado. O apostolo São Tomé, vou falar sobre a cura do discípulo incrédulo, pois a Páscoa é tempo de primavera espiritual é um tempo de cura e libertação para nossa fé.

O apóstolo São Tomé é profundamente humano, nós parecemos muito com ele na falta de fé, mas espero também na certeza do ressuscitado, pois sua incredulidade desapareceu diante de Cristo ressuscitado e dele temos a bela expressão de fé: “Meu Senhor e meu Deus!” (Cf. João 20,28). Parece uma birra que Tomé faz diante dos outros apóstolos que haviam visto o Mestre, pois dias antes Jesus apareceu para eles e Tomé não estava, por isso, parece que ele age como uma criança birrenta: ”Se eu não vir à marca dos pregos em suas mãos, se eu não puser o dedo nas marcas dos pregos e não puser a mão no seu lado, não acreditarei” (CF João 20,24-29). Muitas vezes o nosso relacionamento com Deus é parecido com o de uma criança birrenta com os seus pais, exigindo dele coisas que não são tão necessárias para nós. Sai do coração de Tomé a maior necessidade de todo cristão, uma experiência com Jesus ressuscitado, sem ela ele não poderia ser a testemunha qualificada do Mistério que eles viveram juntos, eu e você precisamos hoje fazer essa experiência.

Tomé pede a Jesus a maior necessidade de um cristão, a experiência com O Ressuscitado!

Jesus atende e se submete a exigência de Tomé, mas exige dele também a fé. O Mestre não faz uma aparição exclusiva para o discípulo incrédulo, mas aparece junto com a comunidade reunida, pois é no seio da comunidade que Tomé faz a experiência de ver e crer no ressuscitado. Jesus tinha os olhos no futuro, naqueles que haveriam de crer sem terem visto, pelo testemunho e palavra dos apóstolos. Cristo aparece e diz: “A paz esteja convosco”. Depois disse a Tomé: “Põe o teu dedo aqui e olha as minhas mãos. Estende a tua mão e coloca-a no meu lado, E não sejas incrédulo, mas crê!” Tomé, como os outros discípulos se contentam com o ver, pois os apóstolos precisavam ser testemunhas oculares, por isso, as marcas da crucifixão são a prova de que àquele que lhes aparece é Jesus de Nazaré. Mas Jesus reserva para nós uma bem-aventurança especial, os que haverão de crer sem terem visto, acreditarão pelo testemunho e pela palavra da Igreja, hoje não existe uma experiência autêntica com o ressuscitado fora da comunidade de fé, só poderei ver e crer em Jesus na Igreja, minha comunidade, que garantirá que verdadeiramente: “Nós vimos o Senhor!”.

Tomé não pediu uma coisa qualquer, ele pediu o que havia de mais necessário em sua vida de apóstolo, como poderia testemunhar na China como foi sua missão e dar a vida pelo Mestre como deu, se não o tivesse visto e curado o seu coração da experiência dolorosa do calvário. O assassinato brutal daquele que havia depositado toda sua vida estava gravada na sua mente e no seu coração, por isso, Jesus também entende e usa a pedagogia do amor e da fortaleza para curar o coração de seu discípulo. Tomé ao colocar a mão nas marcas gloriosas das chagas de Jesus, experimenta a vitória da cruz, ao introduzir a mão no lado do ressuscitado Tomé é curado de toda frustração trazida pela cruz e pela morte, O Sangue glorioso de Jesus fez do incrédulo Tomé, uma testemunha vigorosa do seu amor e de sua vitória sobre a morte e sobre o pecado.

Para que nós também sejamos curados de nossa falta de fé, de nossas frustrações com a comunidade, a Igreja, com as pessoas, pois muitas vezes nos sentimos traídos pelos que mais amamos, e sejamos curados de todas as vezes que colocamos a culpa em Deus das coisas ruins e tristes que acontecem em nossa vida. Coloquemos como São Tomé as mãos nas chagas gloriosas de Cristo e pelo seu Sangue sejamos lavados, purificados e amadurecidos na fé, e assim possamos dizer com toda confiança: “Meu Senhor e meu Deus!”.

Tem uma canção do Eugenio Jorge que nos ajuda muito a experimentar e a rezar a Jesus ressuscitado pedindo que ele aumente a nossa fé, nos dê uma fé nova, viva:

Meu Senhor e meu Deus, meu Senhor e meu Deus,
Meu Senhor e meu Deus eu creio mais aumenta a minha fé!

Daí-me uma fé viva, daí-me uma fé nova,
Traduzida na vida, testemunhada no amor pelos irmãos”.

Escute na integra o Podcast:

Clique em comentários e partilhe: qual o maior desafio para sua fé? E seus pedidos de orações.

Minha benção fraterna.

Padre Luizinho, Com. Canção Nova.
http://twitter.com/padreluizinho

4 Responses to “O Tempo Pascal é a Primavera de nossa fé!”

  1. Ale. says:

    Parabéns pelo blog.
    Sucesso!
    Ale.
    http://ordem-natural.blogspot.com

  2. Monex says:

    tenhamos paz com Deus por meio de Nosso Senhor Jesus Cristo Rom 5 1 O qual .

  3. rita says:

    Obrigado Mãezinha, por estardes comigo a cada momento, louvado seja Deus por nos te-LA dado como Mãe, e como Mãe vinde socorrer meu casamento, minha família, a casa que precisamos comprar, passa na frente Mãe, e compra essa casa para nos.
    No apostolado, conduzi-me, guiai-me, e olhai por todos, por todas as necessidades de cada um.
    Conversão pra meus filhos e afilhados, irmãos, sobrinhos, amigos, vizinhos.
    Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo.

  4. cleide aparecida de oliveira says:

    peço oraçoes para os casais dorinezio e cleide, jose e ondina, marcos e carla e por todas as familias obrigada

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.