Dia da Bíblia: 10 Dicas para ler a Palavra de Deus

Por no dia set 30th, 2011 sobre Palavra de Deus.

Como é que pode um jovem levar uma vida pura? Guardando tua palavra! Nos teus estatutos me deleito; não esquecerei tua palavra. Sê bondoso com teu servo; faze que eu viva e observe tua palavra. Estou prostrado no chão; dá-me vida conforme tua palavra. Ando curvado pela tristeza; levanta-me conforme tua palavra. A quem me insulta, poderei responder que tenho confiança na tua palavra. Fizeste o bem a teu servo, SENHOR, segundo tua palavra. “Tua Palavra é luz para o meu caminho e lâmpada para os meus pés” Sl 118/119

São Jerônimo diz: Ignorar as Sagradas Escrituras é ignorar a Cristo. Por isso, quero convidar você à não só no mês de Setembro mais todos os dias ser intimo da Palavra de Deus. Você lê a Palavra, reza com ela? Nunca é tarde para iniciar, pra você o Decálogo para ler com proveito a Sagrada Escritura:

Nunca achar que somos os primeiros que leram a Santa Escritura. Muitos, muitíssimos, através dos séculos, a leram, meditaram, viveram e transmitiram. Os melhores intérpretes da Bíblia são os santos.

A Escritura é o livro da comunidade eclesial. Nossa leitura, ainda que seja em solidão, jamais poderá ser solitária. Para lê-la com proveito, é preciso inserir-se na grande corrente eclesial que é conduzida e guiada pelo Espírito Santo.

A Bíblia é “Alguém”. Por isso, é lida e celebrada ao mesmo tempo. A melhor leitura da Bíblia é a que se faz na Liturgia.

O centro da Sagrada Escritura é Cristo; por isso, tudo deve ser lido sob o olhar de Cristo e buscando n’Ele seu cumprimento. Cristo é a chave interpretativa da Sagrada Escritura.

Nunca esquecer de que na Bíblia encontramos fatos e frases, obras e palavras intimamente unidos uns aos outros; as palavras anunciam e iluminam os fatos, e os fatos realizam e confirmam as palavras.

Uma maneira prática e proveitosa de ler a Escritura é começar com os Santos Evangelhos, continuar com os Atos dos Apóstolos e Cartas e ir misturando com algum livro do Antigo Testamento: Gênesis, Êxodo, Juízes, Samuel etc. Não querer ler o livro do Levítico de uma só vez, por exemplo. Os Salmos devem ser o livro de oração dos grupos bíblicos. Os profetas são a “alma” do Antigo Testamento: é preciso dedicar-lhes um estudo especial.

A Bíblia é conquistada como a cidade de Jericó: “dando voltas”. Por isso, é bom ler os lugares paralelos. É um método interessante e muito proveitoso. Um texto esclarece o outro, segundo o que diz Santo Agostinho: “O Antigo Testamento fica patente no Novo e o Novo está latente no Antigo”.

A Bíblia deve ser lida e meditada com o mesmo espírito com que foi escrita. O Espírito Santo é o seu principal autor e intérprete. É preciso invocá-lo sempre antes de começar a lê-la e, no final, agradecer-lhe.

A Santa Bíblia nunca deve ser utilizada para criticar e condenar os demais.

10° Todo texto bíblico tem um contexto histórico em que se originou e um contexto literário em que foi escrito. Um texto bíblico, fora do seu contexto histórico e literário, é um pretexto para manipular a Palavra de Deus. Isso é tomar o nome de Deus em vão.

Fonte + Mario de Gasperín Gasperín
Bispo de Querétaro

“E como a chuva e a neve que caem do céu para lá não voltam sem antes molhar a terra e fazê-la germinar e brotar, a fim de produzir semente para quem planta e alimento para quem come, assim também acontece com a minha palavra: Ela sai da minha boca e para mim não volta sem produzir seu resultado, sem fazer aquilo que planejei, sem cumprir com sucesso a sua missão” (Isaias 55,10-11). Essa é a promessa para nós através da Palavra de Deus: O melhor de Deus ainda esta por vir, colherás tudo que plantastes diante de minha presença com a minha Palavra.

Quer aprender? Escute o Podcast:

Deixe os seus comentários você lê e medita com a Palavra de Deus?

Padre Luizinho, Com. Canção Nova.
twitter.com/padreluizinho

One Response to “Dia da Bíblia: 10 Dicas para ler a Palavra de Deus”

  1. E.U. says:

    Caro irmão Luizinho,

    Este texto permite ainda alguma refelexão.

    O cristianismo não é a religião do livro – ainda que seja importante conhecer as realidades históricas -, mas da pessoa de Jesus. Se há alguma incidência a ser efetuada esta é, particularmente, o Evangelho, a Boa Nova de Cristo. Nesta Boa Nova encontramos também a crítica e denúncia, e não é demais entender a palavra de Jesus e realçar que as igrejas, através de suas leis, pouco fizeram para libertar e muito incidiram na acusação. Hoje os “juízes” também são acusados, mas, como todos, também devem ser perdoados.
    Creio que a única maneira de se superar o impasse a que chegou o cristianismo passa pela compreensão do seguinte:
    – “Quem coloca a mão no arado e olha para trás não é digno – ou não está preparado – do reino dos céus”;
    e ainda:
    – “Ninguém cose retalho de pano novo em tecido velho”;
    e ainda:
    – “Não se coloca vinho novo em odres velhos”;

    e por último, recomendo a leitura da passagem em Lucas 11, 37-53. Existe nesta passagem uma inequívoca censura aos fariseus e doutores da(s) lei(s). Se nesta passagem encontrarmos paralelismos nas atitudes da nossa igreja dita católica, compreenderemos o quão profunda deve ser a reflexão no seio dos católicos (entre leigos e não leigos) e a conversão de todos.
    Agostinho de Hippone tem reflexões extraordinárias, mas nem tudo quanto nos deixou se aplica às realidades presentes.

    É necessário também deixar um certo romantismo de parte e encaixar na virilidade das palavras de Jesus. A igreja católica e os católicos têm que readquirir esta virilidade e compreender que “há eunucos tornados tais pelas mãos dos homens”.
    Peço-lhe, meu irmão, que ore por minhas intenções particulares.

    PAX+++

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.