Pecados Capitais: o que é a doença espiritual da Avareza?

Por no dia mar 30th, 2012 sobre Espiritualidade, Formacao, Quaresma.

Avareza (do latim, avaritia) é um dos sete pecados capitais, é sinônimo de ganância, e é descrito como o apego excessivo e descontrolado pelos bens materiais e pelo dinheiro, priorizando-os acima de tudo. É considerado o pecado mais tolo por se firmar em possibilidades. É comum confundir esse pecado com sovinice (pão-duragem), porque a palavra Avareza em português é usada mais como sinônimo de sovinice do que de ganância. Mas no Latim, a palavra avaritia, é usada mais como sinônimo de ganância.

Para nós cristãos a avareza é a vontade exagerada e desequilibrada de possuir qualquer coisa, mais caracteristicamente, é um desejo descontrolado, uma cobiça de bens materiais e dinheiro, ganância. Mas existe também avareza por informação, poder, status ou por indivíduos, por exemplo. O avarento prefere os bens materiais ao convívio com Deus. Neste sentido, o pecado da avareza conduz à idolatria, que significa tratar algo, que não é Deus, como se fosse deus.

Para o avaro, os bens materiais deixam de ser um meio para aquisição de bens e serviços e para a satisfação das necessidades, mas um fim em si mesmo. A virtude da generosidade é o antídoto contra a avareza.

A Avareza

A avareza ou ganância é um dos pecados capitais. São Paulo classifica a avareza como idolatria: “Mortificai, pois, os vossos membros terrenos: fornicação, impureza, paixões, desejos maus, cupidez e a avareza, que é idolatria” (Cl 3,5). A razão de o Apóstolo ver como a idolatria o apego aos bens materiais, sobretudo ao dinheiro, é que isto faz a pessoa amá-lo como a um deus.

Desde o princípio Jesus alertou os discípulos para este perigo, já no Sermão da Montanha: “Ninguém pode servir a dois senhores, porque ou odiará a um e amará o outro, ou dedica-se a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e à riqueza” (Mt 6,24).

O que importa é que a pessoa não seja escrava do dinheiro e dos bens. É claro que todos nós precisamos do dinheiro; o próprio Jesus tinha um “tesoureiro” no grupo dos Apóstolos. São Paulo afirma que “a raiz de todos os males é o amor ao dinheiro” (1Tm 6,10). Veja que, portanto, o mal não é o dinheiro em si, mas o “amor” ao dinheiro; isto é, o apego desordenado que faz a pessoa buscar o dinheiro como um fim, e não como um meio.

“Porque o sabei bem: nenhum dissoluto, ou impuro, ou avarento – verdadeiros idólatras! – terão herança no reino de Cristo e de Deus” (Ef 5,5). É importante notar aqui que não são apenas os ricos que podem se tornar avarentos, embora sejam mais levados a isto. Não é raro encontrar também o pobre avarento. Por isso, no mesmo Sermão da Montanha, Jesus alerta: “Não ajunteis para vós tesouros na terra, onde a ferrugem e as traças corroem, onde os ladrões furtam e roubam. Ajuntai para vós tesouros no céu, onde não os consomem nem as traças nem a ferrugem, e os ladrões não furtam nem roubam” (Mt 6,19-20). Se Jesus recomenda “não ajuntar tesouros na terra”, é porque esta riqueza e segurança são ilusórias e não podem satisfazer-nos, por mais que o mundo nos diga que sim.

Por causa do amor ao dinheiro muitos aceitam praticar a mentira, a falsidade, o crime e a fraude. Quantos produtos falsificados! Quantos quilos que só possuem 900 gramas! Quanta enganação e trapaça nos negócios! Podemos constatar que toda a corrupção, tráfico de drogas, armas, crimes, etc., têm por trás a sede do dinheiro. Jesus recomendou ao povo: “Guardai-vos escrupulosamente de toda avareza, porque a vida de um homem, ainda que ele esteja na abundância, não depende de suas riquezas” (Lc 12,15).

O apego aos bens desse mundo é algo muito forte em nós, quase que uma “segunda natureza”, e, portanto, só com o auxílio da graça de Deus poderemos vencer esta tentação forte. Desde pequenos fomos educados para “ganhar a vida”. Será preciso a força do Espírito Santo em nossa alma para nos “convencer” da necessidade de uma vida de desprendimento e pobreza.

Fonte de pesquisa: Prof. Felipe Aquino Livro: Os pecados e as virtudes capitais– www.cleofas.com.br

O Padre Paulo Ricardo fala sobre a doença espiritual da Avareza:

Clique e comente, você já detectou que vive ou viveu uma doença espiritual?

Oração: Pai Nosso, fonte de toda generosidade e misericórdia, durante esta época de arrependimento, tende misericórdia de nós. Com nossa oração, nosso jejum e nossas boas obras, transformem nosso egoísmo em generosidade. Abri nossos corações à vossa Palavra, curai as feridas do pecado, ajudai-nos a fazer o bem neste mundo e a viver não só pra si mesmo, mas para os outros. Que transformemos a escuridão e a dor em vida e alegria. Concedei-nos estas coisas por Nosso Senhor Jesus Cristo Vosso Filho na unidade do Espírito Santo. Amém.

Veja toda A Série: Os Pecados Capitais:

IRA / Inveja / Gula / Luxúria / Orgulho / Preguiça / Avareza


Minha benção fraterna.

Padre Luizinho, Com. Canção Nova. Diretor Espiritual e Formador no Pré-discípulado.

Matéria relacionada: Reze com Salette Ferreira Liberte-se da avareza!

3 Responses to “Pecados Capitais: o que é a doença espiritual da Avareza?”

  1. Stefannia Sena Sant´Anna says:

    Padre Luizinho confesso que depois que descobri o blog do senhor achei um tesouro…que bonitos os textos que o senhor posta. Leio um por vez por causa da complexidade e da seriedade do assunto. Como estou sem diretor espiritual quero compartilhar com o senhor o que percebo sobre tal assunto, minhas dificuldades, medos e descobertas. Ler o texto do senhor me ajuda a refletir, enquanto escrevo realizo uma ação de refletir sobre meu próprio caminho.
    Padre desde que descobri São João da Cruz tenho as obras completas dele como meu livro de cabeceira. Lembro-me que ele falava das várias formas de avareza, inclusive a espiritual, desejar os bens de Deus e não o próprio Deus…
    Essa afirmação do senhor é muito profunda: “Mas existe também avareza por informação, poder, status ou por indivíduos, por exemplo. O avarento prefere os bens materiais ao convívio com Deus. Neste sentido, o pecado da avareza conduz à idolatria, que significa tratar algo, que não é Deus, como se fosse deus.”
    Padre se somos avarentos o seremos em relação a Deus , ao próximo e a nós mesmos!!! É o que compreendo a partir do que aprendi com Frei Maximiliano Herraz, OCD, a fonte procede de uma única origem…então se minha fonte está contaminada pela avareza, por onde ela passar ela levará consigo o vício…Padre é muito sério! Por outro lado, quanto mais purificada minha fonte, mais saúde levarei pra minha forma de me relacionar comigo mesma, com Deus e com o mundo.
    Voltando à afirmação do senhor posso dizer que estas questões do espírito são tão sutis que é preciso consumir-se de zelo feito Elias na presença do Senhor Deus. Cometemos idolatria quando cobiçamos crescer diante dos outros em detrimento de colocar Deus no lugar que é de Deus, bem afirmou Santo Agostinho: “Eu me alegro mais com a verdade que com louvores”. “Amar-se” desmedidamente é uma forma de avareza no nível pessoal, atribuir a mim o que não pertence a mim…
    Padre a avareza por poder então é outra praga medonha, como diria Padre Léo, ela é muito sutil: está presente nas relações mais básicas do nosso cotidiano, como nos é difícil perder…lavar os pés…não fazer o milagre de descer da cruz (Lembra do desafio feito a Jesus, RSS, coitadinho daquele ladrão, Jesus não tem pretensão de satisfazer o egoísmo humano).
    Avareza em relação a pessoas… ah! Padre como refleti sobre isso: para se ter alguém se passa por cima de qualquer um ou de qualquer limite…ou ainda, deseja-se mais uma pessoa pelo que ela tem, que por ela mesma como pessoa humana que é, por exemplo: a fama que tem, o dinheiro, o status, a aparência, e por aí vai…quando será que nossa fonte estará purificada de modo que se una à fonte da vida divina que existe dentro de nós? Então todas as nossas obras humanas estarão revestidas pelo puríssimo ouro do amor divino…
    Padre ore por mim, estamos próximos à semana Santa. Confesso que perder a Deus é para mim a pior coisa que poderia me acontecer…Ele é meu tesouro! Deus sabe em que dimensão isso é verdade para mim…Ainda que eu passe pelo vale tenebroso da morte eu continuarei a amá-Lo, a servi-Lo, a temê-Lo…sua benção.
    Stefannia Sena Sant´Anna – Viçosa/ MG (30/03/2012)

  2. Stefannia, obrigado pelas suas palavras, que reflexão bonita e profunda. Confesso que fiquei na dúvida se aprovava por expor vc, mas não comprometendo vc em nada resolvi publicar para que outras pessoas, jovens leiam a sua reflexão, o seu exame de consciência. Parabéns tens a minha oração e minha benção+ Que a Virgem das Dores a Mãe da Cruz caminhe contigo durante a Semana Santa e possa fazer uma grande experiência de ressurreição em tua vida.

    Padre Luizinho.

  3. Stefannia Sena Sant´Anna says:

    PADRE PARA FAZER O BEM PODE ME EXPOR O QUANTO O SENHOR DESEJAR. NÃO ME IMPORTA. NÃO QUERO SER AVARENTA QUANTO Á MINHA IMAGEM PESSOAL. ELA NÃO PERTENCE A MIM, MAS A JESUS CRISTO. PADRE FAÇA O QUE QUISER PARA A MAIOR GLÓRIA DE DEUS. EIS-ME AQUI. OBRIGADA POR RESPONDER-ME. SINTO-ME MUITO HONRADA. A MENOR DAQUELAS QUE SE COLOCA À DISPOSIÇÃO PARA LAVAR-LHE OS PÉS…PADRE DEUS O ABENÇÕE ABUNDANTEMENTE. AMO-O COMO A JESUS CRISTO.

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.