Archive for the ‘Páscoa’ Category

Na Semana Santa tudo celebra o Mistério da Salvação

segunda-feira, março 25th, 2013

Nesta Semana tudo celebra o Mistério da Salvação, “Ele tomou sobre si a nossas dores, Seu sangue derramou para nos resgatar das trevas e por Suas chagas fomos sarados”. (Isaías 53 O Servo sofredor). Quando celebramos a liturgia e de forma especial nesta semana A Paixão, Morte e Ressurreição do Senhor, não estamos recordando, como num álbum de fotos ou num filme de gravações de memórias passadas. A espiritualidade das celebrações litúrgicas atualizam em nossa vida hoje o Mistério que estamos celebrando, ou seja, estamos vivendo e recebendo as graças eficazes do que estamos celebrando, rezando. Por isso, celebrar a liturgia não é fazer uma simples memória, mas trazer para minha vida hoje, atualizar, tornar novo, Aquilo que nos trouxe Jesus Cristo, seus gestos, Palavras e principalmente o Amor que o levou a morrer por nós na cruz. (Cf. Jo 3,16) Quem garante tudo isso é o Espírito Santo e a intenção verdadeira da Igreja que celebra os Mistérios de Cristo por sucessão apostólica. Isso quer dizer, que recebemos de Cristo e dos apóstolos.

A Santa Missa é a maior oração que podemos fazer, pois Ela é a atualização da Paixão, Morte e Ressurreição de Cristo. Após a comunhão, apesar da Igreja lotada estava rezando e contemplando O Mistério que enchia meu coração. A Eucaristia, que o Sacerdote consagrou, do mesmo Jeito e Palavras que fez Jesus na ultima ceia com os seus discípulos. Neste momento meu coração triste e saudoso foi preenchido pela presença amorosa de Cristo que derramava seu Sangue precioso sobre mim e ali eu vivi a realidade do amor de Deus, que me resgatava daquele momento de tristeza e saudade. Sua mão ensangüentada tocou em mim.

Ouça o Podcast na integra:

Hoje quero convidar você a rezar e a viver a liturgia desta Semana, clamando as mãos ensangüentadas de Jesus, Suas Santas Chagas e experimentar a ressurreição e a Salvação. Apresentemos onde mais precisamos que Jesus nos toque. É importantíssimo participar das funções litúrgicas na sua paróquia e renovar sua fé e seu batismo junto com a sua comunidade, por isso, procure saber os horários de cada celebração.

O Domingo de Ramos e da Paixão do Senhor abre solenemente a Semana Santa. No século IV, já encontramos em Jerusalém notícias sobre uma celebração que procurava recordar o mais exatamente possível à entrada histórica de Jesus de Nazaré na cidade. Cristo que é saudado como Messias e Rei entra voluntariamente para sua Paixão. A liturgia das palmas antecipa neste domingo, chamado de páscoa florida, o triunfo da ressurreição, enquanto que a leitura da Paixão nos convida a entrar conscientemente na Semana Santa da Paixão gloriosa e amorosa de Cristo o Senhor.

Sentido do Tríduo Pascal

O Tríduo Pascal é a maior celebração das comunidades cristãs. A Páscoa é o centro do ano litúrgico, fonte que alimenta a nossa vida de fé. Celebrar o Tríduo Pascal da paixão e ressurreição do Senhor é celebrar a obra da redenção humana e da perfeita glorificação de Deus que o Cristo realizou quando, morrendo, destruiu a nossa morte e ressuscitando, renovou a vida.

Quando teve início o Tríduo Pascal?

No final do século IV, encontramos já organizado um tríduo pascal, que Santo Agostinho recomendava vivamente a seus fiéis. Formavam, em princípio, o tríduo: a sexta-feira, o sábado e o domingo. É no século VII que o tríduo se inicia com a “Ceia do Senhor” na tarde da quinta-feira, com o que fica ele constituído pela quinta-feira, pela sexta-feira e pelo sábado – aí incluída a vigília pascal. As três datas formam uma unidade: a celebração do mistério pascal.

O que celebramos na Quinta-feira Santa?

O Senhor celebrara com os seus a última ceia no contexto da páscoa judaica: a comemoração da passagem de Israel pelo Mar Vermelho. Nesse dia, Cristo inaugura à nova Páscoa, a da aliança nova e eterna, a de seu pão compartilhado e seu sangue derramado, a de seu amor levado ao extremo e do mandato do amor para nós, a de sua passagem pela morte à ressurreição, a Páscoa que devemos celebrar em sua comemoração. Eucaristia, sacerdócio, mandato do amor e nova Páscoa do Senhor são o conteúdo preciso da missa da Ceia do Senhor. O transporte das formas (hóstias) consagradas à urna para a comunhão da sexta-feira inicia-se no século XIII. O “monumento” (local físico) é elemento acidental e só encontra sentido em vinculação com o mistério celebrado: agradecimento ao amor de Cristo e oração-reflexão do mistério pascal.

O que celebramos na Sexta-feira Santa?

Como vem acontecendo há muito tempo, hoje não se celebra a missa, tendo lugar à celebração da morte do Senhor: o mistério que é celebrado é uma cruz dolorosa e sangrenta, mas ao mesmo tempo vitoriosa e resplandecente. Trata-se de morte, a de Cristo, real e tremenda; mas é passagem para uma vida ressuscitada e eterna. O amor de Deus, que é vida, terá mais poder do que o pecado do homem, que é morte. A celebração incorpora-nos à redenção de Cristo e a seu mistério de salvação universal: pela morte à vida.

O que celebramos na Vigília Pascal?

Contamos com documentos do início do século III, que apresentam alguns elementos desta celebração, tais como: jejum, oração, eucaristia – e até batismo, com a bênção da “fonte batismal”. Vão-se acrescentando depois novos elementos: o canto do Exulte, que se vê documentado no século IV e a bênção do círio pascal, no século V. Pouco a pouco, foi-se enriquecendo esta última, que deve ser “a celebração das celebrações” para o cristão, e a que Santo Agostinho denominava “Mãe de todas as vigílias”. Assim ouvimos com alegria: “Cristo ressuscitou, verdadeiramente, dos mortos”! Num duelo admirável a morte lutou contra a vida, e o Autor da vida se levanta triunfador da morte. Terminou o combate da luz com as trevas, combate histórico de Jesus com os fariseus e todas aquelas pessoas que não acolheram o Reino de Deus. Após as trevas brilhará o sol da Ressurreição!

Participe do Acampamento da Semana Santa o mais bonito da Canção Nova

Oração a Jesus Crucificado

Eis-me aqui, meu bom e dulcíssimo Jesus! Humildemente prostrado em vossa presença, eu vos peço e suplico, com toda alegria do meu ser, que graveis no meu coração os mais vivos sentimentos de fé, esperança, caridade, arrependimento dos meus pecados e firme decisão de mudar de vida. Contemplo com grande dor as vossas cinco chagas, vossas chagas gloriosas de onde jorraram o Teu Preciosíssimo Sangue. Vem tocar em mim com Tuas mãos chagadas e cura-me, liberta-me. Tendo presente as palavras que já o profeta Davi colocava em vossa boca, ó bom Jesus: “Traspassaram as minhas mãos e os meus pés e contaram todos os meus ossos”. Meu bom Jesus crucificado, que eu também saiba aceitar as contrariedade e dores da vida e socorrer os meus irmãos que sofrem. Que neste mundo eu possa viver como pessoa ressuscitada pelo amor de Deus em Cristo Jesus. Amém!

Clique em comentários e partilhe como você vivi a Semana Santa?

Minha benção fraterna.

Padre Luizinho, Com. Canção Nova.
http://twitter.com/padreluizinho

DOM DA AMIZADE DE DEUS!

domingo, maio 27th, 2012

No Mistério da Santíssima Trindade experiência fundamental para nossa fé, conhecemos através da Divina Revelação a Pessoa do Pai, pois também temos experiência bastante concreta desta pessoa em nossa vida. O Filho Jesus Cristo assumindo a natureza humana, adquire um rosto, uma forma e ajuda a revelar também o Pai: “quem me vê, vê o Pai”. Como falar do Espírito Santo, esta Pessoa ainda tão desconhecida para nós?A Bíblia fala de suas manifestações e figuras, mas Ele mesmo não tem uma personificação, ora Ele é o fogo, a água, a Sombra do altíssimo, Unção, Mão de Deus, o Advogado e intercessor, mas, sobretudo Ele é o Amor do Pai e do Filho, amor entre o Pai e o Filho. Como falar desta Pessoa Divina ainda tão desconhecida?

O Espírito Santo é a terceira Pessoa da Santíssima Trindade: Crer no Espírito é, portanto, professar que o Espírito Santo é uma das Pessoas da Santíssima Trindade, consubstancial ao Pai e ao Filho, “adorado e glorificado com o Pai e o Filho” (CIC 685).

Essa é a experiência de nossa fé, sendo uma Pessoa nós podemos nos relacionar com o Espírito Santo, ser amigo, próximo, intimo porque não dizer. E é exatamente isso que essa Pessoa da Trindade deseja ardentemente de nós para poder nos revelar o amor do Pai e do Filho e o conhecimento dos dois. Esse é o primeiro grande beneficio de sermos amigos dessa pessoa divina, dele se aproximar.

O Espírito Santo, pela sua graça, é o primeiro no despertar da nossa fé e na vida nova que consiste em conhecer o Pai e Aquele que Ele enviou Jesus Cristo. (CIC 684).

O Espírito Santo é o nosso mestre de vida de oração, Ele nos ensina a rezar como convém isto é, alcançar na oração a Vontade de Deus, que alimenta e plenifica a nossa alma. “Da mesma forma, o Espírito vem em socorro de nossa fraqueza. Pois não sabemos o que pedir nem como pedir; é o próprio Espírito que intercede em nosso favor, com gemidos inefáveis” (Rom 8, 26).

Ninguém conhece o que há em Deus, senão o Espírito de Deus” (1 Cor 2, 11). Ora, o seu Espírito, que O revela, faz-nos conhecer Cristo, seu Verbo, sua Palavra viva; mas não Se diz a Si próprio. “Aquele que falou pelos profetas” faz-nos ouvir a Palavra do Pai. Mas a Ele, nós não O ouvimos. Não O conhecemos senão no movimento em que Ele nos revela o Verbo e nos dispõe a acolhê-Lo na fé (CIC 687).

Aproximar-se desta Pessoa divina, ser amigo dele me faz conhecer sua Palavra e o seu poder, só pelo Espírito Santo eu posso dizer Jesus Cristo é o Senhor. E pelo mesmo Espírito conhecer e experimentar o Amor de Deus Pai.

Primeiro grande fruto da amizade com o Espírito Santo à experiência do Amor de Deus e a salvação em Jesus Cristo proclamando seu senhorio. Ninguém será capaz de dizer: “Jesus é Senhor”, a não ser sob influência do Espírito Santo (cf. ICor 12,3b).

Ele nos purifica dos nossos pecados, Manda teu espírito, e são criados, e assim renovas a face da terra (Sl 104, 30). Ilumina e abre a nossa inteligência: o Espírito Santo que o Pai enviará em meu nome, ele vos ensinará tudo (cf. Jo 14,26). O Espírito Santo nos ensina a ser dóceis e a obedecer aos mandamentos do Senhor: Porei em vós o meu espírito e farei com que andeis segundo minhas leis e cuideis de observar os meus preceitos (cf. Ez 36,27).

Este amigo divino Confirmará a esperança da vida eterna, pois Ele é o penhor da Herança dada por Cristo Jesus: Nele acreditastes e recebestes a marca do Espírito Santo prometido, que é a garantia da nossa herança, até o resgate completo e definitivo, para louvor da sua glória (Ef 1, 13-14). Ele revela aos nossos corações que de Deus nós somos filhos, devolve a dignidade e a convivência perdida pelo pecado original:

E a prova de que sois filhos é que Deus enviou aos nossos corações o Espírito do seu Filho, que clama: “Abbá, Pai!” Gl 4,6

Ele é o nosso conselheiro nas duvidas e nos mostra qual a Vontade de Deus: Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às Igrejas. Ao vencedor darei como prêmio comer da árvore da vida, que está no paraíso de Deus’ (Ap 2,7).

Anima-nos e nos levanta do abatimento: Deu-me o Senhor DEUS uma língua habilidosa para que aos desanimados eu saiba ajudar com uma palavra. Toda manhã ele desperta meus ouvidos para que, como bom discípulo, eu preste atenção (Is 50,4).

Ele é o nosso advogado contra o mundo, defensor contra o pecado e principalmente nos defende de nós mesmos quando não conhecemos os desígnios de Deus: e eu rogarei ao Pai, e ele vos dará um outro Defensor, para que permaneça sempre convosco: o Espírito da Verdade, que o mundo não é capaz de receber, porque não o vê nem o conhece. Vós o conheceis, porque ele permanece junto de vós e estará dentro de vós (cf. Jo 14,16-17).

Sendo amigo do Espírito Santo recorrendo a Ele, pedindo o socorro do seu auxilio chegaremos a Vontade do Pai cuja missão é imprimir em nossa alma, em nossa vida a SANTIDADE: eleitos conforme a presciência de Deus Pai e pela a santificação do Espírito, para obedecerem a Jesus Cristo e serem aspergidos com o seu sangue (I São Pedro 1,2). Esta é a vontade de Deus: a vossa santificação (I Ts 4,3).

Digo, pois: deixai-vos conduzir pelo Espírito, o fruto do Espírito é caridade, alegria, paz, paciência, afabilidade, bondade, fidelidade, brandura, temperança. Contra estas coisas não há lei (cf. Gl 5, 16. 22-23).

Sendo o Espírito Santo como uma Pessoa capaz de falar, agir, ter vontade, inteligência, sentimentos, alguém que ora, intercede e conhece a Vontade de Deus, você já fez a experiência de se relacionar com Ele, conversar, falar de suas aflições, dificuldades, duvidas, tristeza e alegrias. Imagine ter um amigo tão virtuoso e cheio de santidade disposto a dividi-la com você. Eu começo o meu dia assim que acordo cumprimentando-o “bom dia Espírito Santo! O que nós iremos fazer juntos hoje?”.

Comecemos agora a falar com Ele: Vem, Espírito Criador!

Vinde Espírito Criador, a nossa alma visitai e enchei os corações com vossos dons celestiais.Vós sois chamado o Intercessor de Deus excelso dom sem par, a fonte viva, o fogo, o amor, a unção divina e salutar.Sois o doador dos sete dons e sois poder na mão do Pai, por Ele prometido a nós, por nós seus feitos proclamai.A nossa mente iluminai, os corações enchei de amor, nossa fraqueza encorajai, qual força eterna e protetor.Nosso inimigo repeli, e concedei-nos a vossa paz, se pela graça nos guiais, o mal deixamos para trás.Ao Pai e ao Filho Salvador, por vós possamos conhecer que procedeis do Seu amor, fazei-nos sempre firmes crer. Amém!

Escute na integra o Podcast:

Você é amigo do Espírito Santo? Deixe o seu comentario e seus pedidos de orações.

Padre Luizinho, Com. Canção Nova.
http://twitter.com/padreluizinho

O Espírito e a Esposa dizem Vem!

sexta-feira, maio 25th, 2012

“Em verdade, em verdade vos digo: Vós chorareis e vos lamentareis, mas o mundo se alegrará; vós ficareis tristes, mas a vossa tristeza se transformará em alegria” (João 16,16-20).

A nossa vida é marcada pelo tempo, que quer dizer brevidade. Tempo quer dizer realidade, naturalidade, mas quer dizer também o sobrenatural que marca o tempo, que se dá na história. O Senhor esta falando aqui de partes da Historia. O tempo entre a Páscoa e a Ascensão nos ensina a compreender bem este tempo que estamos vivendo na nossa fé. “Um pouco de tempo” é o tempo que o Senhor passou com eles, presença física de Jesus, que esteve com eles, caminhou com eles, que pregou e realizou milagres. “Um pouco mais de tempo e não me vereis”, a presença do Senhor é essencial para nossa fé, mas este tempo que a ascensão do senhor anuncia é o tempo da ausência de Jesus, Ele não estará presente e precisará ser reconhecido de outras formas.

A Igreja entendeu que os cinqüentas dias que o Senhor passou com os discípulos falando das coisas do Reino, das coisas do céu, esclarecendo os mistérios que eles não compreenderam durante sua presença na terra. E quem dá essa compreensão é O Espírito Santo, lembremos quando após a ressurreição eles estavam escondidos com medo da perseguição e também porque lhes faltava algo. Jesus entra onde eles estavam e sobra sobre eles o Espírito e lhes abrem a inteligência: Jesus disse de novo: “A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou também eu vos envio”. Então, soprou sobre eles e falou: “Recebei o Espírito Santo” (cf. Jo 20,21-22). Há momentos em nossa vida que parece que Deus esta longe, não sentimos Deus nem fora nem dentro, não ha sinal, não conseguimos escutar sua voz, não percebemos sua presença. É o momento da duvida, da confusão, da agitação, mas sem medo de dizer é o tempo onde nós mais crescemos na fé.

Porque quem esta nos guiando e guiando a Igreja, “um pouco mais de tempo e me vereis de novo” é o tempo do Espírito Santo. É Ele que nos dá capacidade de crescer na fé, de enxergar Deus sem vê-lo, de ouvir o Senhor e perceber sua ação em nós, nas pessoas e nas situações, mesmo quando parece que Ele esta fora e perdemos o controle das coisas. É o Espírito Santo que nos da essa capacidade de amadurecer na fé e que deu aos apóstolos a capacidade de reconhecer a Jesus sem ter a sua presença física.

Ficareis tristes, o Senhor sobe ao Pai, agora eles precisam crescer muito mais interiormente, espiritualmente, em sensibilidade espiritual. Agora precisamos crescer muito mais interiormente, qualidade de vida espiritual. É isso que o espírito Santo quer dar a nós. É Ele que abre a nossa inteligência para que possamos entender as Escrituras, encontrar Cristo nas Sagradas Escrituras. Este tempo após a Páscoa e a Ascensão do Senhor quer ensinar reconhecer Cristo e sua presença transformadora de maneira nova, através dos Sacramentos, através da sua Igreja, através da pregação da Palavra e das autoridades da Igreja, dos pastores que Ele deixou e por excelência por meio da Eucaristia, onde o Senhor esta em seu Corpo, Sangue, Alma e Divindade. “Sem fé é impossível agradar a Deus” (Hebreus 11,6).

Sem fé não é possível enxergar Jesus e sua ação num momento de noite escura, silencio de Deus, de ausência de Deus, de duvida, de confusão, não dá pra prosseguir, para crescer na fé. Sem O Espírito Santo não temos condições de crescer, nós paramos no natural, só nas coisas que a gente consegue ver, nas falhas nas dificuldades, nos erros, nos problemas e nos pecados. Sem a ação do Espírito Santo não há possibilidade de acreditar sempre em Deus, nos outros e em nós mesmos. Este é o tempo do Espírito Santo, Ele esta preparando a Igreja e o mundo para segunda vinda de Nosso Senhor Jesus Cristo. Esta amadurecendo a Igreja, esta amadurecendo os cristãos, Ele é essa Pessoa da Santíssima Trindade destinada para este tempo. A Missão do Espírito Santo de Deus é lapidar a nossa alma, a nossa pessoa, levar-nos à santidade, apresentar a Igreja, sua esposa, sem ruga, sem mancha ao Senhor. E isso tudo acontece neste ambiente onde nós precisamos aprender a perceber Deus, sua voz, sua ação.

Um trabalho ainda mais precioso do Espírito Santo, mais difícil, pois podemos perceber a ação de Deus agindo até com poder, através da Sua Palavra e dos Sacramentos que realizam a sua missão mesmo sem que a gente creia. O mais difícil não é começar a perceber a ação de Deus, o que Ele quer fazer como quer nos dirigir. A obra mais difícil do Espírito Santo a nosso respeito é abrir o nosso coração para querer, para aceitar, colaborar com Ele. Pois Deus nos salvou sem a nossa participação, mas a nossa santificação não se dá sem a nossa participação, nossa colaboração. Se existe um segredo para alguém que esta crescendo na fé neste tempo do Espírito é: “porque o aguardamos com perseverança. Da mesma forma, o Espírito vem em socorro de nossa fraqueza. Pois não sabemos o que pedir nem como pedir; é o próprio Espírito que intercede em nosso favor, com gemidos inefáveis” (cf. Rm 8,25-26).

“Essa vossa tristeza se transformará em alegria”, porque o que o Espírito Santo encontrando um coração aberto, disposto não pode transformar. O que o Espírito Santo não pode transformar? A missão do Espírito Santo ficou clara quando encontrou uma jovem aberta, humilde e de coração disposto que disse faça-se. O Espírito Santo gerou no ventre de uma virgem, sem participação de homem um filho, pois para Deus tudo é possível. Assim começou a obra do Espírito Santo na Igreja. O que o Espírito Santo não pode mudar converter e transformar? O Espírito Santo de Deus encontrou uma prostituta de coração aberto, que jogada aos pés de Jesus foi transformada em discípula, Maria Madalena. O Espírito Santo encontrou um homem através de Jesus, político e cobrador de impostos na sua coletoria. Jesus passou e a palavra diz olhou para ele e disse segue-me. Mateus imediatamente largou tudo e seguiu Jesus. Quando Jesus passava por Jericó o Espírito Santo encontrou um baixinho disposto e cheio de atitude, que subiu numa arvore para ver Jesus passar e o Senhor olha para ele e diz: Desce depressa hoje eu vou ficar na sua casa. Zaqueu desce depressa e o acolhimento que ele dá ao Senhor é a abertura e a disposição ao Espírito Santo: “Eu vou restituir quatro vezes mais se eu defraudei alguém”. Corrigiu a vida, corrigiu o que ele fez de errado.

O que o Espírito Santo pode fazer em mim e em você?Não há obstáculo para o Espírito Santo num coração aberto e disposto. O segredo para este tempo até a segunda vinda de Nosso Senhor é ser amigo do Espírito Santo, ser cheio do Espírito Santo é clamar sem cessar a sua ação, é não fazer nada sem Ele pedindo o seu auxilio, a sua força à nossa fraqueza, qual a sua maior fraqueza hoje? O Espírito vem em socorro de nossa fraqueza. Não há nada que o Espírito Santo não possa transformar, mudar, controlar, converter e santificar. Ele pode transformar um homossexual e uma lésbica? Pode e nós temos testemunhos disso. O Espírito Santo pode transformar uma prostituta, um ladrão e um político corrupto? Pode. Ele pode mudar a vida de um assassino? Pode. O Espírito Santo pode porque essa é a promessa de Jesus: “Farei novas todas as coisas!” (Ap 21,5).

O Espírito Santo pode transformar você! Ele pode curar uma pessoa suicida, Ele pode curar alguém que vem sofrendo há tempos desda sétima geração de depressão e hoje de síndrome do Pânico? Pode, o Espírito Santo pode porque Ele é Deus. Só depende de mim e de você, abrindo o coração e transformando a sua abertura em disposição e a disposição em atitude é disso que Ele precisa. O Espírito Santo pode controlar mudar os meus sentimentos e vontades, trabalhar tudo que foi plantado de gerações em gerações na minha mente, na minha memória e no meu inconsciente e subconsciente? Pode. O Espírito Santo vai há lugares no nosso interior e na nossa vida que nenhum ser humano consegue ir. Ele pode curar todas as marcas que eu trago no meu coração da minha historia, de tudo que eu possa ter vivido de ódio, ressentimento, magoas, abusos, de vícios como álcool, drogas e distúrbios sexuais? O Espírito Santo pode transformar todas as coisas!

O que você precisa que o Espírito Santo transforme, restaure? Você tem se encontrado cansado, desacreditado de Deus, dos outros e até de você? Não tem tido visão espiritual das coisas, esta sem esperança, não tem conseguido escutar a Deus e perceber a sua ação? O Espírito Santo pode e quer ajudar você. Que o seu clamor seja incessante neste tempo, pois só o Espírito de Deus pode realizar a unidade dos cristãos e a unidade dos nossos corações. O Espírito e a esposa dizem Vem Senhor Jesus!

Acampamento de Pentecostes na Canção Nova

Oração: Vinde Espírito Criador, a nossa alma visitai e enchei os corações com vossos dons celestiais.  Vós sois chamado o Intercessor de Deus excelso dom sem par, a fonte viva, o fogo, o amor, a unção divina e salutar. Sois o doador dos sete dons e sois poder na mão do Pai, por Ele prometido a nós, por nós seus feitos proclamai. A nossa mente iluminai, os corações enchei de amor, nossa fraqueza encorajai, qual força eterna e protetor. Nosso inimigo repeli, e concedei-nos a vossa paz, se pela graça nos guiais, o mal deixamos para trás. Ao Pai e ao Filho Salvador, por vós possamos conhecer que procedeis do Seu amor, fazei-nos sempre firmes crer. Amém!

Escute na integra o Podcast:

O Espírito e a Esposa dizem Vem Senhor Jesus!

Padre Luizinho, Com Canção Nova.
Diretor Espiritual e formador no Pré=discípulado.

Seminário de Dons: Fé e Milagres caminham juntos!

terça-feira, maio 22nd, 2012

A nossa vida espiritual tem duas dimensões, primeiro uma dimensão voltada para dentro de nós, que podemos chamar de “Vida Interior” e depois outra voltada para fora, que podemos chamar apostolado ou vida missionária. Ao falar dos Dons e Carismas estamos falando da Pessoa do Espírito Santo e de suas formas de agir, pois nenhuma pessoa se dá sem dar aquilo que é. Portanto, os Dons e Carismas são expressões da Sua ação e missão em nós e na Igreja: “Mas recebereis o poder do Espírito Santo que virá sobre vós, para serdes minhas testemunhas em Jerusalém, por toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra” (cf. At. 1,8).

Entre os Dons Carismáticos estão a Fé e o Milagre, caminham como consequência um do outro, em varias ocasiões Jesus falou “Tua fé te salvou!”

Dons de Santificação:

Na primeira dimensão voltada para dentro é a dimensão da nossa santificação, é a busca da nossa santificação, a busca do nosso retorno para Deus, é a luta contra o pecado e contra tudo que esconde em nós a imagem e semelhança de Deus. São eles: Dom da Fortaleza / Piedade / Sabedoria / Conhecimento / Conselho / Entendimento / Temor de Deus.

E isto é uma tarefa que supera as forças naturais, e que é preciso a força de Deus. E nisso Deus nos socorre com os chamados dons infusos ou dons de santificação, desde o batismo recebemos esses dons, que a Igreja chama de sete dons, mas não necessariamente precisa ser sete: fortaleza, piedade, sabedoria, conhecimento, conselho, entendimento e temor de Deus. Esses dons fazem crescer em nós a graça do batismo que recebemos como semente para que à medida que a criança vá crescendo também vá crescendo as coisas de Deus nela. São para isso os dons de santificação, sabedoria para buscar a Deus, ciência para mergulhar profundamente nos mistérios de Deus, enfim, todos eles para levar a pessoa à santificação.

Dons Carismáticos

Na segunda dimensão está a Igreja, é a dimensão de comunidade, a dimensão de caminhar com o povo de Deus, e Deus nos concede então os dons carismáticos, que não são necessariamente para nós, mas para os outros, por exemplo, o dom da sabedoria que não é a sabedoria para alimentar a nós, mas para alimentar os outros, não apenas para nos orientar, o dom da fé, da ciência, o dom de cura, de milagres que são dons como diz São Paulo para o bem da Igreja, para os outros, para utilidade de todos. São estes: Dom da Fé / interpretação / Profecia / Cura / Dom de línguas / Milagres / Discernimento / Palavra de Ciência e Palavra de Sabedoria.

Quando nós exercemos os dons carismáticos não quer dizer que já somos santos, porque Deus pode usar quem Ele quiser da maneira que quiser, mas é preciso dizer que quanto mais santo a pessoa for mais fácil é para Deus usar essa pessoa, por isso os dons carismáticos não estão separados dos dons de santificação, e eu até diria que existe uma grande interface entre eles, quanto mais a pessoa vive os dons de santificação mais aptidão ela tem para viver os dons carismáticos.

Na dimensão interior estão os dons de santificação. Na dimensão exterior estão os Dons Carismáticos.

Ligado à cura está o dom dos milagres. Certas curas são verdadeiros milagres: acontecem imediatamente de maneira extraordinária. O processo de cura é demorado, mas o milagre é imediato. Além dos milagres no campo da cura, há muitos milagres que o Senhor faz em muitos outros campos da nossa vida.

Pela fé carismática, aquela fé de expectativa que pede chuva e sai com o guarda-chuva certo de que a chuva virá. Começamos a perceber os milagres acontecendo nas nossas vidas, nos nossos grupos, em nossas comunidades. O que nunca se esperava acontece, o impossível acontece.

Além da cura, Deus pode fazer milagres em nossa vida. Os santos de que fala o Evangelho foram homens repletos do Espírito, banhados em fé, em suas vidas, por isso milagres aconteceram com eles. A fé está sendo suscitada, e quando temos um povo que acredita, que crê na força do Espírito, os milagres de Deus começam a acontecer no meio de nós.

É bom lembrar que Deus não está a nossa disposição como se ele fosse um escravo para atender os nossos pedidos a qualquer momento. A nós o pedido e a Deus, pela sua misericórdia, o realizar. Se ele quer o milagre, ele o fará. É importante frisar que não podemos apoiar nos milagres para termos mais fé. Pois o próprio Deus, já nos deu provas suficientes e concretas de que está zelando por nós. Para um judeu, por exemplo, os acontecimentos do dia a dia são milagres: O nascer do sol, o rio que corre das colinas, o abrir os olhos a cada manhã, o firmamento, a ordem do universo.

Tenha fé! O senhor pode tudo nos vários campos da vida: das finanças, no campo da libertação de vícios, da libertação da prostituição, do adultério. Também no campo da conversão de pessoas que recusam Deus. O Milagre acompanha a fé, a ponto de ser condição para que Jesus realizasse a cura e o Milagre: Esse era o grito do cego em Jericó quando sentia Jesus se aproximar, ele não contava com a visão, mas seus ouvidos estavam atentos à presença do Senhor que se aproximava dele e a sua fé lhe fazia acreditar no milagre e na cura. Isso que é aproveitar a oportunidade, ele era oportunista não pensou duas vezes e gritou: “Jesus, Filho de Davi tende piedade de mim!”.

“Chegaram a Jericó. Ao sair dali Jesus, seus discípulos e numerosa multidão, estava sentado à beira do caminho, mendigando, Bartimeu, que era cego, filho de Timeu. Sabendo que era Jesus de Nazaré, começou a gritar: “Jesus, filho de Davi, em compaixão de mim!”Muitos o repreendiam, para que se calasse, mas ele gritava ainda mais alto: “Filho de Davi, tem compaixão de mim!”Jesus parou e disse: “Chamai-o” Chamaram o cego, dizendo-lhe: “Coragem! Levanta-te, ele te chama”. Lançando fora a capa, o cego ergueu-se dum salto e foi ter com ele. Jesus, tomando a palavra, perguntou-lhe: “Que queres que te faça? Rabôni, respondeu-lhe o cego, que eu veja! Jesus disse-lhe: Vai a tua fé te salvou.” No mesmo instante, ele recuperou a vista e foi seguindo Jesus pelo caminho” (cf. Mc 10, 46-52)

Reze no Grupo de oração com Eliana Ribeiro: Dons de Fé e Milagres

Vinde Espírito Santo e aumentai a minha fé!

Padre Luizinho, Com. Canção Nova.
Diretor Espiritual e Formador no Pré-discípulado.

Vejam outros temas do seminário de vida e de Dons do Espírito Santo:

– Seminário de Vida no Espírito Santo
– O Amor de Deus é diferente e maior que qualquer amor!
– O que é e como age o Dom do Discernimento dos espíritos?
– É possível vencer o pecado!
– Tem lhe faltado coragem? Peça o Dom da Fortaleza!
– Oração em línguas é polêmica, mas é um Dom do Espírito Santo!
– A Fé autêntica leva a conversão
– A Verdadeira Sabedoria é Dom de Deus!
– O Senhorio de Jesus em nossa vida
– Eis a promessa: “sereis batizados no Espírito Santo
– O Dom do Temor nos faz amar a Deus e fugir dos laços da morte
A Sua Vida Conduzida Pelo Espírito Santo!

O Dom do Temor nos faz amar a Deus e fugir dos laços da morte

quarta-feira, maio 16th, 2012

Já aprendemos que os dons do Espírito Santo aperfeiçoam as virtudes. As virtudes abandonadas a si mesma não podem chegar a grandes alturas. A nossa razão, mesmo iluminada pela fé, é ainda imperfeita para perceber toda a realidade espiritual. Só os dons do Espírito Santo elevam o homem às alturas da própria dignidade. A palavra Temor de Deus em hebraico “Girate” e pode tanto significar temor como piedade.

O Dom do “Temor de Deus” aperfeiçoa a virtude da Esperança.

No temor do SENHOR está a segura confiança, esperança para seus filhos. O temor do SENHOR é fonte de vida, que afasta dos laços da morte (cf. Provérbios 14,26-27). Há várias espécies de temores: o temor mundano, o temor servil a Deus e o temor filial a Deus. Destes, só o último é o Temor de Deus.

1) O temor humano é o medo que se sente com relação a criaturas ou situações mundanas. São temores humanos o medo de pessoas, como a mulher que teme o marido ou o marido que teme a esposa, os filhos que temem o pai ou a mãe, os alunos que temem os professores… São temores às situações mundanas, por exemplo, o medo de andar de elevador, o medo do escuro, o medo de tempestades, etc. Incluem-se ainda nesta classe os medos supersticiosos, como o medo de passar embaixo de uma escada, o medo de ver um gato preto cruzar o caminho, o medo do dia 13… Os temores ou medos mundanos originam-se de traumas. Podem desaparecer pela oração de cura interior ou por tratamentos psicológicos adequados.

2) O temor servil é principalmente o medo de ser castigado por Deus, de ir para o inferno. Esse temor é gerado pela idéia de um Deus que nos vigia constantemente, pronto a nos castigar pelas nossas faltas. E isso nos inquieta, agita, deprime. O temor servil pode afastar-nos do pecado, mas é um temor imperfeito, porque não se baseia no amor de Deus.

3) O temor de Deus é filial. É o temor de nos afastar do Pai que nos criou e que nos ama, de ofender a Deus que, por amor, sempre nos perdoa. O filho que ama o pai não quer ficar longe dele nem fazer algo que o possa magoar. É um temor nobre que brota do amor. Um temor filial, perfeito e amoroso.

O temor de Deus é um dom do Espírito Santo que nos inclina ao respeito filial a Deus e nos afasta do pecado. Este compreende três atitudes principais:

1 – O vivo sentimento da grandeza de Deus e extremo horror a tudo o que ofenda sua infinita majestade;

2 – Uma viva contrição das menores faltas cometidas, por haverem ofendido a um Deus infinito e infinitamente bom, do que nasce um desejo ardente e sincero de as reparar;

3 – Um cuidado constante para evitar ocasiões de pecado.

Padre Eliano Gonçalves, da Fraternidade Jesus Salvador, fala sobre O Dom do Temor:

Oração: Concede-me Senhor o Dom do Santo Temor, para que eu seja liberto de todo o temor que me escraviza. Derrama o Teu Espírito Santo sobre mim, para que eu saiba distinguir o que vem de Ti e o que vem do mal, do pecado e das minhas fraquezas. Que eu viva como verdadeiro filho de Deus, por intercessão de Nossa Senhora mulher cheia do santo Temos de Deus. Amém

Participe do Acampamento de Pentecostes

Vinde Espírito Santo, clique em comentários e deixe seus pedidos de orações.

Conte com as minhas orações.

Padre Luizinho, Com. canção Nona.
Diretor Espiritual  e Formador do Pré-discípulado

Vejam outros temas do seminário de vida e de Dons do Espírito Santo:

– Seminário de Vida no Espírito Santo
O Amor de Deus é diferente e maior que qualquer amor!
O que é e como age o Dom do Discernimento dos espíritos?
– É possível vencer o pecado!

– Tem lhe faltado coragem? Peça o Dom da Fortaleza!

Oração em línguas é polêmica, mas é um Dom do Espírito Santo!
A Fé autêntica leva a conversão
A Verdadeira Sabedoria é Dom de Deus!
– O Senhorio de Jesus em nossa vida
– Eis a promessa: “sereis batizados no Espírito Santo

Essa é a promessa “sereis batizados no Espírito Santo daqui a poucos dias!”

segunda-feira, maio 14th, 2012

Esta foto que você esta vendo é da Sala superior em Jerusalém onde aconteceu o primeiro grande Pentecostes na Igreja, eu tive a graça de estar lá em Outubro de 2011 com um grupo de peregrinos e ai renovamos o nosso pentecostes: “Então os apóstolos deixaram o monte das Oliveiras e voltaram para Jerusalém, à distância que se pode andar num dia de sábado. Entraram na cidade e subiram para a sala de cima onde costumavam ficar. Eram Pedro e João, Tiago e André, Filipe e Tomé, Bartolomeu e Mateus, Tiago, filho de Alfeu, Simão Zelota e Judas, filho de Tiago. Todos eles perseveravam na oração em comum, junto com algumas mulheres — entre elas, Maria, mãe de Jesus” (cf. Atos 1, 12-14).No batismo no Espírito o primeiro Dom a se revelar é o Dom da Oração em Línguas, mas não será o único, ele é a porta para todos os outros Dons e Carismas do Espírito santo de Deus. Você poderá ir comigo novamente no dia 16 de Junho pela Obra de Maria.

Batismo ou Efusão no Espírito Santo

É bom que fique claro que não se trata do Batismo sacramental, mas de uma experiência da Terceira Pessoa da Santíssima Trindade, como diz o pregador do papa, frei Raniero Cantalamessa: “A efusão do Espírito Santo é o Batismo em ação”. O que ele quer dizer com isso, que a experiência da efusão traz pra fora tudo que recebemos no Batismo Sacramental, é A Pessoa do Espírito Santo agindo em mim e em você: “Mas recebereis o poder do Espírito Santo que virá sobre vós, para serdes minhas testemunhas em Jerusalém, por toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra” (At. 1,8).

O batismo no Espírito é o Pentecostes hoje: “Quando chegou o dia de Pentecostes, os discípulos estavam todos reunidos no mesmo lugar. De repente, veio do céu um ruído como de um vento forte, que encheu toda a casa em que se encontravam. Então apareceram línguas como de fogo que se repartiram e pousaram sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito lhes concedia expressar-se” (cf. At. 2,1-4).

A promessa do Pai, Jesus é o batizador no Espírito: João Batista respondia a todos: “Eu vos batizo com água, mas virá àquele que é mais forte do que eu. Eu não sou digno de desatar a correia de as suas sandálias. Ele vos batizará com o Espírito Santo e com fogo” (Cf. Lc 3,16).

Ezequiel 36,25-26: “Derramarei sobre vós água pura e sereis purificados. Eu vos purificarei de todas as impurezas e de todos os ídolos. Eu vos darei um coração novo e porei em vós um espírito novo. Removerei de vosso corpo o coração de pedra e vos darei um coração de carne”.

Jesus fala a Nicodemos de uma Nova Vida: Jesus respondeu: “Em verdade, em verdade, te digo: se alguém não nascer do alto, não poderá ver o Reino de Deus!… se alguém não nascer da água e do Espírito, não poderá entrar no Reino de Deus” (Cf. Jo 3,3-5).

“Mas recebereis o poder do Espírito Santo que virá sobre vós, para serdes minhas testemunhas em Jerusalém, por toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra”. (At. 1,8).

A promessa é para todos, não só para os inícios da Igreja, essa promessa é para hoje, para mim e para você, o que devemos fazer?: Pedro respondeu: “Convertei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para o perdão dos vossos pecados. E recebereis o dom do Espírito Santo. Pois a promessa é para vós e vossos filhos, e para todos aqueles que estão longe, todos aqueles que o Senhor, nosso Deus, chamar”. (At. 2,38-39).

Frutos do batismo no Espírito Santo:

1° – Reconstruir a Unidade que o pecado havia quebrado, desfeito, toda relação e submissão a Deus como Pai, recebemos de volta a graça que havíamos perdido;

2° – Reconhecer Jesus como messias e Senhor ressuscitado, proclamar o senhorio de Jesus!

3° – Conversão e a Vida Nova no Espírito: Eu vos exorto: deixai-vos sempre guiar pelo Espírito, e nunca satisfaçais o que deseja uma vida carnal (Gl 5, 16-25);

4° – Assumir a filiação adotiva somos filhos de Deus e herdeiros das realidades do céu: “De fato, vós não recebestes espírito de escravos, para recairdes no medo, mas recebestes o Espírito que, por adoção, vos torna filhos, e no qual clamamos: “Abbá, Pai!”O próprio Espírito se une ao nosso espírito, atestando que somos filhos de Deus. E, se somos filhos, somos também herdeiros: herdeiros de Deus e co-herdeiros de Cristo, se, de fato, sofremos com ele, para sermos também glorificados com ele” (Cf. Rm 8,15-17);

5° – Conduz a santidade: “e revestir-vos do homem novo, criado à imagem de Deus, na verdadeira justiça e santidade (Efésios 4,24).

6° – Necessidade de viver toda essa novidade em comunidade: “Todos os que abraçavam a fé viviam unidos e possuíam tudo em comum; vendiam suas propriedades e seus bens e repartiam o dinheiro entre todos, conforme a necessidade de cada um. Perseverantes e bem unidos, freqüentavam diariamente o templo, partiam o pão pelas casas e tomavam a refeição com alegria e simplicidade de coração” (At. 2,44-46).

7° – Abertura para a missão e servir na Igreja com os Dons, carismas e frutos: Anunciar o Evangelho não é glória para mim; é uma obrigação que se me impõe. Ai de mim, se eu não anunciar o Evangelho!” (I Coríntios 9,16).

O Pe Roger Luiz reza: Um Pentecostes todos os dias:

Oração: Vem Espírito Santo, vem e encha-me, restaura-me, derramai-vos sobre mim como fostes derramado sobre os apóstolos no cenáculo com Maria. Vinde Espírito consolador e enchei os nossos corações com os vossos sete dons. Ó Deus que instruístes os corações dos vossos fieis com a luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas, segundo o mesmo Espírito e gozemos sempre das Suas consolações. Por Cristo Senhor Nosso. Amém.

Ó vinde Espírito Criador, as nossas almas visitai e enchei os nossos corações com Vossos dons celestiais. Vós sois chamado o Intercessor, do Deus excelso o dom sem par, a fonte viva, o fogo, o amor, a unção divina e salutar. Sois doador dos sete dons, e sois poder na mão do Pai, por Ele prometido a nós, por nós Seus feitos proclamai. A nossa mente iluminai, os corações enchei de amor, nossa fraqueza encorajai qual força eterna e protetor. Nosso inimigo repeli, e concedei-nos Vossa paz, se pela graça nos guiais, o mal deixamos para trás. Ao Pai e ao Filho Salvador, por Vós possamos conhecer que procedeis do Seu amor, fazei-nos sempre firmes crer.

Clique em comentários você precisa de um Pentecostes hoje? Faça o seu pedido: Vinde Espírito Santo!

Escute o PODCAST:

Padre Luizinho, Com. Canção Nova.
Diretor Espiritual e Formador no Pré-discípulado.

Vejam outros temas do seminário de vida e de Dons do Espírito Santo:

:: Seminário de Vida no Espírito Santo
::O Amor de Deus é diferente e maior que qualquer amor!
:: O que é e como age o Dom do Discernimento dos espíritos?
:: É possível vencer o pecado!

:: Tem lhe faltado coragem? Peça o Dom da Fortaleza!

::
Oração em línguas é polêmica, mas é um Dom do Espírito Santo!
:: A Fé autêntica leva a conversão
::
A Verdadeira Sabedoria é Dom de Deus!
:: O Senhorio de Jesus em nossa vida

A Verdadeira Sabedoria é Dom de Deus!

quarta-feira, maio 2nd, 2012

“Pois a loucura de Deus é mais sábia do que os homens, e a fraqueza de Deus e mais forte do que os homens. Vede, irmãos, o vosso grupo de eleitos: não há entre vós muitos sábios, humanamente falando, nem muitos poderosos, nem muitos nobres. O que é estulto no mundo, Deus o escolheu para confundir os sábios; e o que é fraco no mundo, Deus o escolheu para confundir os fortes.” (I Cor 1,25-27).

Quero abordar agora a necessidade de sabedoria no uso dos dons, porque tem lugar para tudo no nosso coração: cura física, cura interior, libertação… Tem lugar para tudo. De nossa parte, temos de ter a sabedoria de ir colhendo uma coisa depois da outra. É o Dom que habita o coração do humilde, pois quanto mais sábio mais humilde e manso, não precisa ostentar, nem provar que sabe tudo. Sua experiência e como ele conduz as coisas e sua vida prova que a pessoa é cheia do Dom da Sabedoria de Deus.  A sabedoria humana é falha. A sabedoria divina é plena e perfeita. Unicamente Deus tem a plenitude da sabedoria, e somente Ele nos pode dá-la, pelo dom da sabedoria.

Quando o Senhor nos dá uma palavra de profecia, de ciência, de discernimento ou qualquer revelação, temos de procurar discernir se aquilo que recebemos deve ser dito, quando deve ser dito e como deve ser dito. Porque alguns são afogueados. Receberam um dom, uma palavra de profecia, e a pessoa é tão apressada que já quer dizer. Mas você perguntou ao Senhor se essa palavra de profecia deve ser comunicada? Muitas vezes, trata-se de uma palavra para ser comunicada aos líderes, aos coordenadores, aos encarregados e não ao grupo

Imaginem que eu chegue a uma cidade dizendo:

_Preparem-se, porque dentro em breve um terrível terremoto acontecerá aqui, as casas haverão de desabar; preparem-se, preparem o meu povo…

Vejam que confusão. E o povo com medo. Como se preparar?

Diante de uma palavra dessas, o que eu deveria fazer? Primeiro, Orar ao Senhor para saber como e quando o Senhor quer que eu diga, e para quem o Senhor quer que eu diga. Depois de eu ter certeza de ter recebido uma palavra de profecia, tenho de perguntar ao Senhor e, de acordo com a resposta dele, ser dócil, mesmo que isso signifique gestar nove meses essa palavra de profecia dentro de mim. Não quero ser um farmacêutico apressado, não quero matar com os remédios do Senhor. Todos nós temos de ter essa responsabilidade. Quando o Senhor me disser: “Você vai falar a tais pessoas, desse jeito e nessa hora”, aí eu falo. Falo, mesmo que falar me arrebente.

Para que pedir ao Senhor sabedoria no uso dos dons? Para ministrar o remédio certo a nosso povo, para que aquilo que o Senhor quer nos dar não se torne veneno. O Senhor quer que nós vivamos a sabedoria. Vive-se a sabedoria com humildade, com paciência, dando tempo ao tempo, perguntando ao Senhor como, quando e a quem manifestar os seus dons. nesta cultura do imediatismo não sabemos esperar o tempo das coisas e das pessoas, queremos agora. O sábio é aquele que espera com paciência os frutos de cada tempo e se prepara para colhê-los.

Não adianta fazer as coisas que nós achamos boas: “Eu acho…” “Ah, eu pensava…”. O povo diz que de pensar morreu um burro. Não adianta esse “eu pensava, eu achava”. A sabedoria se faz a partir daquilo que o Senhor nos manda fazer. Quando fazemos as coisas segundo nosso entendimento, perdemos a unção: “Porque eu acho, porque eu penso, porque seria melhor, porque o povo me pressionou”.

Mais do que nunca, o Senhor, o Senhor quer nos ensinar a sabedoria. É como se fossemos ovelhas. A ovelha é um animal que não tem sabedoria nenhuma. Os cães tem faro, os gatos são espertíssimos, as aves conhecem as coisas… mas de todos os animais, o mais desprovido de inteligência, sem tino, sem direção, é a ovelha. E a nós, que somos ovelhas, o Senhor quer dar sabedoria. Às vezes pensamos que a sabedoria do Senhor é assim: ele nos dá sabedoria, e ficamos sábios, sabemos tudo. Já sabemos como nos conduzir. O que fazer, o que não fazer, que ordens dar, como educar os filhos, como educar os filhos, como trabalhar, como trabalhar na paróquia, como renovar as coisas na paróquia, como promover a Renovação, como fazer palestras. A pessoa pensa que agora sabe de tudo: “Eu recebi sabedoria…”, e fala até grosso, “porque agora eu tenho sabedoria”. E não é assim.

A sabedoria do Senhor é dada a quem for manso como as ovelhas. A ovelha precisa continuamente da direção do pastor: “Agora é para cá, agora é para lá, agora é mais pra lá, e agora é para cá”. A Sabedoria é conhecimento da Vontade de Deus para mim e para cada situação da minha vida, requer, intimidade, escuta e obediência as inspirações do Espírito de Deus: “ As ovelhas me conhecem e escutam a minha voz”. João 10

Nossa Senhora e o Dom da Sabedoria

Maria tinha todas as virtudes no mais alto grau. São Jerônimo nos aconselha: “Tome Maria como exemplo de virtudes”. Maria teve também a plenitude dos dons. Edificou sua vida sobre os sete dons de santificação. A virgem recebeu, mais do que qualquer outra pessoa, o dom da sabedoria, por isso ela é Sede da Sabedoria.

A sabedoria celeste a fez compreender e aceitar o plano de Deus para sua vida e, ao mesmo tempo, a encheu do mais puro e intenso amor a Deus e ao próximo. Assim a vemos na anunciação, na visita a Isabel, no nascimento de Jesus em Belém, na apresentação do menino Jesus no Templo, na fuga para o Egito, no reencontro com Jesus no Templo, nas bodas de Caná, aos pés da cruz e no Cenáculo. Maria, porém, guardava todas estas coisas, meditando-as no seu coração (Lucas 2, 19. 51).

Como nos Abrir a esse Dom

1. A sabedoria é um dom que Deus promete conceder a quem o pedir com fé (Tg 1,5).
2. Ler e meditar a oração de Salomão, pedindo a Deus o dom da sabedoria (Sb 9,1-18).
3. Procurar saborear tudo o que se relaciona com Deus, principalmente a Vida de Oração;
4. Não agir com impulsividade animados pelos sentimentos ou somente pela razão, agir no poder do Espírito Santo que une, coração, razão e espírito.

Padre Bruno Costa fala-nos sobre o Dom da Sabedoria:

Em que você precisa da Sabedoria Dom do Espírito? Deixe o seu comentário, seus pedidos de orações.

Vinde Espírito Santo / e dai-nos o Dom da Sabedoria  /para que possamos avaliar todas as coisas à luz do Evangelho / e ler nos acontecimentos da vida os projetos de amor do Pai. / Dai-nos o Entendimento / uma compreensão mais profunda da verdade / a fim de anunciar a salvação com maior firmeza e convicção. / Dai-nos o Dom do Conselho / que ilumina a nossa vida / e orientai a nossa ação segundo vossa Divina Providência. / Dai-nos o Dom da Fortaleza / e sustentai-nos no meio de tantas dificuldades / com vossa coragem para que possamos anunciar o Evangelho. / Dai-nos  o Dom da Ciência / para distinguir o Único necessário /  das coisas meramente importantes. / Dai-nos Piedade / para reanimar sempre mais nossa íntima comunhão convosco.  / e, finalmente, dai-nos vosso santo Temor / para que, conscientes de nossas fragilidades, / reconhecermos a força da vossa graça. / Vinde Espírito Santo /e dai-nos um novo coração. Amém.

(Inspirada na Carta de João Paulo II aos sacerdotes do mundo inteiro por ocasião da quinta-feira santa de 1998)

Padre Luizinho, Com. Canção Nova.
Diretor Espiritual e Formador no Pré-discípulado.

Vejam os outros temas do seminário de vida e de Dons do Espírito Santo:

Seminário de Vida no Espírito Santo
O Amor de Deus é diferente e maior que qualquer amor!
O que é e como age o Dom do Discernimento dos espíritos?
É possível vencer o pecado!

Tem lhe faltado coragem? Peça o Dom da Fortaleza!

Oração em línguas é polêmica, mas é um Dom do Espírito Santo!
A Fé autêntica leva a conversão

PODCAST: MARIA SEDE DA SABEDORIA:

A Fé autêntica nos leva a conversão!

segunda-feira, abril 30th, 2012

Caros amigos internautas, dando mais um passo em direção a vida no Espírito Santo em nosso seminário de Vida On-line, hoje iremos refletir e aprofundar sobre: A Fé que nos leva a Conversão! A Sagrada Escritura usa o termo Fé mais de 327 vezes na versão Ave Maria, para nos dizer que a fé é antes de tudo um Dom de Deus. Jesus veio para a Galiléia, proclamando a Boa Nova de Deus: Completou-se o tempo, e o Reino de Deus está próximo. Convertei-vos e crede na Boa Nova” (Mc 1,14-15). Tomando consciência do Amor de Deus e de nossa recusa através do pecado, agora é preciso tomar uma decisão crer e mudar de vida.

A Igreja do Brasil, em seu projeto nacional de evangelização, convida-nos ao acolhimento de um clamor que brota de cada coração humano: “Queremos ver Jesus, caminho, verdade e vida” (cf.Jo 12,21). O verbo ver traz consigo, principalmente nos escritos do evangelista João, uma maravilhosa força dinâmica, pois aquele que vê o Senhor não consegue não se apaixonar por Ele, envolvendo-se assim em seu mistério de amor. Ver é um olhar penetrante, é a contemplação da verdade de Deus, como Criador, Redentor e Santificador.

Por este VER, experimenta-se a graça do encontro pessoal com Jesus que é a única resposta ao desejo de plenitude e felicidade presente no coração de cada pessoa humana. Transformando assim o sentido do viver, os valores éticos, os compromissos morais, sociais, políticos e culturais, o modo de julgar os acontecimentos da história, inspirando iniciativas concretas para construir um mundo novo. Este “ver” só é possível por meio de um dom especial que Deus Pai concede a seus filhos e filhas por meio do Espírito Santo: a Fé.

Às vezes, encontramos pessoas que expressam o desejo de que alguma coisa dê certo em sua vida, dizendo: “Tenho tanta fé que isso vai dar certo”. Apesar de reconhecer sua importância perguntamos: Será que é este o tipo de fé que citamos acima? Não! A fé autêntica não é um simples sentimento positivo ou um desejo de sorte. Fé é um dom, um presente do amor de Deus que, em sua infinita bondade, não abandona o coração humano em sua incessante busca de sentido, de felicidade. Por meio da fé, Deus desperta a consciência da pessoa para o conhecimento e experiência do seu mistério de amor.

Deus, que se revelou a nós por meio de seu Filho Jesus, possibilitou-nos conhecê-lo, apesar de nossas limitações, através do dom da Fé. Como vimos o dom da fé está ligado ao conhecimento da Verdade de Deus, mas tal conhecimento não exige necessariamente estudos universitários, pois a experiência do conhecimento de Deus só faz quem cultiva a humildade de coração, no sentido de depositar em Deus, e não em si mesmo, a esperança da própria salvação. Sendo assim, percebemos que o dom da Fé é imprescindível à salvação, à realização plena de toda e cada pessoa humana. Quantos são os exemplos salientados nos textos bíblicos de pessoas expressando, pelo dom de Deus, a fé como convicção que não há outra possibilidade de se viver uma vida plenamente humana fora da comunhão com Deus por meio de seu Filho Jesus. Eis a verdade autenticamente libertadora!

A Conversão é conseqüência de uma autêntica profissão de fé. Uma sutil tentação pode desviar a caminhada de salvação de muitas pessoas. Esta tentação é a separação entre fé e comportamento moral. Crer em Cristo é converter-se ao seu Reino, empenhar-se em seu projeto de salvação, de modo que todos se amem mutuamente como Ele nos amou.

“Deste modo, o quilate de vossa , que tem mais valor que o ouro testado no fogo, alcançará louvor, honra e glória, no dia da revelação de Jesus Cristo”. “Por ele, tendes no Deus que o ressuscitou dos mortos e lhe deu a glória, e assim, vossa e vossas esperanças estão em Deus” (I São Pedro 1,7 e 21).

A fé não é um desejo de sorte, é conversão! Porque ela exige uma mudança de vida, ela implica nos nossos comportamentos e escolhas, ela pede uma coerência entre aquilo que eu creio e professo com aquilo que eu faço e vivo. A raiz da fé não está firmada nos sentimentos. Nenhuma situação ou acontecimento pode alterar o verdadeiro sentido desta certeza manifestada pela glória de Deus (Cf. Jo 11,40).

‘Fé é o fundamento da esperança, é uma certeza a respeito do que não se vê’ (Hb 11,1). É a posse antecipada do que se espera, é uma demonstração da realidade ainda não acontecida.  Fé é o caminho da entrega e do abandono. É como atravessar um túnel, embora tudo pareça escuro, temos a certeza de encontrar a luz no final.

Como opção definitiva, a fé exige perseverança e fidelidade: ‘Combate o bom combate, com fé e boa consciência; pois alguns, rejeitando a boa consciência, vieram naufragar na fé’ (I Tim 1,18-19).

Veja este vídeo com o Dunga: “Se tu te converteres, Eu te converterei”

Oração: Senhor peço-te o dom da Fé. Que ela me leve a uma verdadeira experiência do amor de Deus e de conversão. Eu creio Senhor, mas aumentai a minha fé. Daí-me uma fé nova que possa traduzir em minha vida, traduzir em testemunho, em santidade. Para que, pela fé eu possa já possuir aqui na terra o que Jesus meu Salvador reserva para mim no céu. Maria mãe da fé intercedei por nós. Amém

“Pois amar a Deus consiste nisto: que observemos os seus mandamentos. E os seus mandamentos não são pesados, pois todo o que foi gerado de Deus vence o mundo. E esta é a vitória que venceu o mundo: a nossa fé. Quem é o vencedor do mundo, senão aquele que crê que Jesus é o Filho de Deus?” (cf. 1Jo 5, 3-5).

A fé é fundamental para nossa vida? Clique em comentários e dê a sua opinião, seus pedidos de orações.

Vinde Espírito Santo, ilumina a nossa fé para que ela nos leve a conversão!!!

Padre Luizinho, Com. Canção Nova.
Diretor Espiritual e Formador no Pré-discípulado.

Vejam os outros temas do seminário de vida e de Dons do Espírito Santo:

Seminário de Vida no Espírito Santo
O Amor de Deus é diferente e maior que qualquer amor!
O que é e como age o Dom do Discernimento dos espíritos?
É possível vencer o pecado!

Tem lhe faltado coragem? Peça o Dom da Fortaleza!

Oração em línguas é polêmica, mas é um Dom do Espírito Santo!

PODCAST: A fé não é um desejo de sorte, é conversão!