Posts Tagged ‘Atualidade’

Semana da Pátria: O Brasil precisa da Palavra de Deus!

segunda-feira, setembro 3rd, 2012

Nós brasileiros não podemos esquecer a nossa história, um povo que não conhece sua origem de onde veio, como nasceu, em quais alicerces foram construída a nossa nação não pode celebrar a sua identidade, muito menos a sua independência. Nascemos da Palavra de Deus celebrada na Eucaristia.  O nosso mais forte alicerce é a cruz, pois foi sobre ela que se deu o “batismo” do nosso país: Terra de Santa Cruz de Cabralia.

“Feliz a nação cujo Deus é o SENHOR, o povo que escolheu para si como herança” Sl 33, 12.

O Senhor escolheu o Brasil por sua herança, aqui colocou os seus valores e a sua vida divina. Para chegar aqui desbravou o mar bravio, venceu as tempestades e os piratas. Antes de ser vontade daqueles que navegavam em Pinta, Ninã e Santa Maria e guiavam-se por uma bússola ou por um mapa, era vontade de Deus descobrir o Brasil e que o Evangelho aqui fosse pregado e que essa terra fosse edificada pelo sacrifício de Cristo. O nosso país nasceu da fé e cresceu sobre os alicerces dos valores do Evangelho, principalmente a vida humana.

Ao celebrarmos a independência, precisamos pensar em coisas sérias para o povo e o futuro do nosso país. Você permitiria que uma criança fosse abortada no ventre de sua mãe aos nove meses da gravidez? É preciso gritar a independência do Brasil contra a descriminalização do aborto. Contra a destruição da família, patrimônio da humanidade, de valores humanos e educação. Você que celebrará a liberdade do Brasil conhece a “lei da mordaça” contra a liberdade religiosa de livre escolha e liberdade de expressar sua fé? Eu quero continuar proclamando a minha independência do pecado e da morte e gritar que Jesus Cristo é o Senhor da minha vida e da minha nação.

A pornografia anda desenfreada na nossa sociedade e a imoralidade não é mais algo escondido. A pedofilia e abusos sexuais contra crianças e adolescentes acontecem em todos os níveis da sociedade e em todos os cantos do nosso país. A indústria pornográfica possui imunidade tributaria, fazem em media dois filmes pornográficos por dia. A família enfraqueceu, querem que a célula da família seja somente aquilo que for uma união estável entre duas pessoas. Isso quer dizer, que as nossas crianças num futuro próximo não poderão chamar papai e mamãe e crescerão sem uma identidade sexual. E querem instituir o divórcio de fato, ou “menos mal” casamento contrato com prazo de validade, dois, três anos. Quando acabar o contrato acabou o casamento.

Precisamos clamar pelo nosso país e gritar independência contra toda forma de morte, pecado e dominação. Levantar um grande movimento de intercessão. Um apelo a todos os brasileiros, principalmente neste ano de eleições. Não pensar somente em si, mas no bem de todo o povo brasileiro: “Não temais ímpias falanges, que apresentam face hostil; vossos peitos, vossos braços são muralhas do Brasil. Brava gente brasileira! Longe vá… temor servil: Ou ficar a pátria livre ou morrer pelo Brasil” (Hino da Independência).

Para que nosso povo cresça livre sobre o olhar Daquele que lançou os alicerces fortes e profundos e não tenhais medo de ser que é: TERRA DE SANTA CRUZ!

Exultai justos, no SENHOR, que merece o louvor dos que são bons.
Louvai o SENHOR com a cítara, com a harpa de dez cordas cantai-lhe.

Cantai-lhe um cântico novo, tocai a cítara com arte, bradai.
Pois sincera é a palavra do SENHOR e fiel toda a sua obra.

Ele ama o direito e a justiça, da sua bondade a terra está cheia.
Pela palavra do Senhor foram feitos os céus,
pelo sopro de sua boca tudo quanto os enfeita.

Como num dique recolheu as águas do mar,
encerrou em comportas os oceanos.
Que toda a terra respeite o SENHOR,
tremam diante dele todos os habitantes do mundo,

pois ele falou e tudo se fez, ordenou e tudo começou a existir.

O SENHOR anula os desígnios das nações, frustra os projetos dos povos.
Mas o plano do SENHOR é estável para sempre,
os pensamentos do seu coração por todas as gerações.

Feliz a nação cujo Deus é o SENHOR,
o povo que escolheu para si como herança
.
Do céu o SENHOR está olhando, ele vê a humanidade inteira.

Do lugar onde mora observa todos os habitantes da terra.

Foi ele que lhes formou o coração, ele compreende tudo o que fazem.

O rei não se salva por um forte exército nem o herói por seu grande vigor.
O cavalo não ajuda a vencer, com toda a sua força não poderá salvar.

O olhar do SENHOR vigia sobre quem o teme sobre quem espera na sua graça,
Para livrá-lo da morte e nutri-lo no tempo da fome.

Nossa alma espera pelo SENHOR, é ele o nosso auxílio e o nosso escudo.
Nele se alegra o nosso coração e confiamos no seu santo nome.
SENHOR esteja sobre nós a tua graça, do modo como em ti esperamos.
Salmo 33

Clique aqui e Reze A Quaresma de São Miguel Arcanjo

Vence Brasil! Abençoa Senhor o nosso país e o povo brasileiro.

Minha benção fraterna.

Padre Luizinho, Com. Canção Nova.
http://twitter.com/padreluizinho

Matéria relacionada: 10 Dicas para Ler Bem a Palavra de Deus

PODCAST: Três Temas Pertinentes Para Semana Nacional da Família

sexta-feira, agosto 17th, 2012

Neste mês vocacional a Igreja do Brasil celebra a Semana Nacional da Família de 12 a 18 de Agosto. Tendo como tema este ano Família: O Trabalho e a Festa. Refletindo o papel da família na nossa sociedade como núcleo vital do desenvolvimento da humanidade. A necessidade do trabalho, mas também de valorizar o tempo para crescer no relacionamento entre pais e filhos e com Deus.

Em meio ao nosso tempo onde os valores humanos e evangélicos estão sendo substituídos de maneira desordenada por valores desumanos e anticristãos é preciso anunciar e denunciar os abusos e violências contra a Família santuário da vida. O Evangelho e a Igreja nos apresentam qual modelo de família serve para todos os tempos e lugares. Nestes três PODCAST’S onde trabalhei no Retiro de Espiritualidade para Casais aqui na casa de Lavrinhas trago para você três temas pertinentes:

O Alicerce e a Força da Fé dos pais para os filhos:

Eu e minha casa serviremos ao Senhor:

Mistério de Amor: DEUS É PAI E MÂE:

REZE A QUARESMA DE SÂO MIGUEL ARCANJO

Que Deus abençoe sua família.

Padre Luizinho, Com. Canção Nova.
Diretor Espiritual e Formador na Casa de Pré-discípulado.

Como decidi que a minha vocação, ser padre?

sexta-feira, agosto 3rd, 2012

Sempre me perguntam: “padre como você chegou à conclusão de que sua vocação era o sacerdócio?”.

A vocação já esta plantada em nós como um pequeno grão, uma sementinha. “Antes de formar-te no seio de tua mãe, eu já te conhecia, antes de saíres do ventre, eu te consagrei e te fiz profeta para as nações” (Jeremias 1,5).

São aptidões, desejos, inclinações naturais que Deus colocou em sua personalidade, mas a nossa formação e a nossa história de vida vão confirmando ou não estas motivações. Por isso, a vocação precisa crescer num ambiente de liberdade, de descoberta e com a maturidade a escolha e a resposta. Eu desde criança queria ser padre, mas depois veio à adolescência onde defrontei com muitas coisas, tive dúvidas, não queria mais e depois reencontrei o caminho da semente que era forte e dentro de mim não tinha deixado de crescer, cresceu como o joio e o trigo para depois ser colhida. No caminho busquei as pessoas certas que puderam me ajudar a amadurecer aquilo que dentro de mim não conseguia entender. Arrisquei, dei passos largos e percebi que essa era a minha vocação, que eu me satisfazia com todo o ideal do sacerdócio e que as renúncias e desafios não eram superiores a qualquer outra vocação e muito menos superior ao desejo de ser todo de Deus.

Depois de uma caminhada em grupo de jovens e na minha paróquia fiz o discernimento com a pastoral vocacional de minha diocese e vi que o Senhor me chamava mesmo para o sacerdócio. Com uma enfermidade que levou a morte do meu pai eu decidi: “Não posso dar a Deus a metade é preciso dar tudo!” No inicio do meu seminário diocesano, no ano de 1993 conheci a Canção Nova na missão de Salvador, através dos jovens com seu jeito alegre, fraterno de viver a Vida Consagrada e do trabalho que eles faziam na Rádio Excelsior de Salvador. Eu fui resgatado para Deus e para Igreja através da espiritualidade da Renovação Carismática Católica, fui me aproximando através da Divina Providência, quando fui dispensado do seminário da Diocese, uma situação muito dolorosa onde quase perdi minha vocação. Aprendi que toda verdadeira vocação é provada, como o ouro e a prata. Busquei ajuda do responsável de missão da casa de São Gonçalo dos Campos, próximo à Feira de Santana e fui acolhido para fazer um discernimento vocacional e ao mesmo tempo estudava o segundo ano de filosofia. Foi muito doloroso ser dispensado do seminário, mas foi à Providência de Deus agindo para que eu encontrasse o meu lugar na Igreja, pois quando se trata de uma vocação autêntica encontra-se força e ajuda para superar todos os desafios:

“Desde o inicio a canção Nova foi sendo formada por homens e mulheres, jovens e adultos; por solteiros, casados e celibatários; por sacerdotes e diáconos. Hoje percebemos que esta era a Vontade de Deus: apresentar ao mundo uma família que congregasse os vários estados de Vida na Igreja”. (Nossos Estatutos). Providência Divina é a sabedoria de Deus que rege todas as coisas. É um dos princípios de vida que rege a Comunidade Canção Nova. E é preciso aprender a ler Deus que fala nos fatos, pois a nossa vocação esta lampejada no decorrer de nossa história de vida.

A primeira graça que experimento em ser padre da Comunidade Canção Nova é a Espiritualidade Eucarística, pois o sacerdote é chamado a ser um homem de oração, da intimidade com Deus, da Palavra e da Eucaristia. Rezamos ao ritmo da vida, sempre em função do povo que é minha missão, ser pai de uma multidão. Outra característica que me atraiu na comunidade foi e é a Vida Fraterna, ou seja, a vida comunitária. Somos antes de tudo homens e mulheres de Deus, somos irmãos. “O masculino e o feminino vivido juntos em sadia convivência”, esse é o meio que Deus se utiliza para nos formar, curar, equilibrar a nossa afetividade no concreto da vida, nos prepara como homens e mulheres de Deus para o apostolado. Sou livre, sou alegre, sou o que sou dentro de minha comunidade, ela é uma escola de formação. Na Canção Nova aprendi a ser um padre orante, fraterno e trabalhador e isso tempera a minha vida e me realiza. A primeira missão da comunidade fora de São Paulo na Bahia, salvou a minha vocação, pois o chamado de Deus é irrevogável, Ele não volta atrás quando chama alguém: “Com efeito, os dons e a vocação de Deus são irrevogáveis” (cf. Rm 11,29). Essa Palavra eu ouvi do coordenador da missão na Bahia e devolveu-me a luz e a força para seguir em frente.

Outra Palavra da Bíblia que marca o discernimento de minha vocação especifica é esta de Isaias: E agora, assim diz o SENHOR, aquele que te criou Jacó, aquele que te modelou Israel: “Não tenhas medo que fui eu quem te resgatou, chamei-te pelo próprio nome, tu és meu”! (cf. Is 43, 1). Com este pequeno relato da minha história, a fé da minha família, a docilidade para ler os fatos, deixando ser conduzido por Deus. A procura das pessoas certas, o testemunho do meu diretor espiritual e a espiritualidade eu chequei ao lema da minha vida de padre, que é um grito de fé e de vitória: “Tudo posso naquele que me dá força” (Filipenses 4,13).

Portanto, não tenha pressa em definir a sua vocação. Eu pesei, medi, analisei a fundo todos os meus sentimentos e motivações, fiz todos os cálculos, observei sacerdotes conhecidos e durante os sete anos de estudos acadêmicos fui bem acompanhado e me deixei acompanhar pelos meus formadores. Hoje posso dizer, através do Jeito de ser Canção Nova tenho sido fiel a Deus no meu chamado e na minha missão, encontrei o meu lugar na Igreja, a minha escola de santidade e minha realização como pessoa. E você faz parte da nossa história, você com a sua contribuição permitiu que eu estudasse e hoje pudesse dizer, sou feliz por ser padre da Igreja na Canção Nova.

Oração: Senhor da messe e pastor do rebanho, faz ressoar em nossos ouvidos o teu forte e suave convite: “Vem e segue-me”! Derrama sobre nós o teu Espírito, que Ele nos dê sabedoria para ver o caminho e generosidade para seguir a tua voz. Senhor, que a messe não se perca por falta de operários. Desperta as nossas comunidades para a missão. Ensina a nossa vida a ser serviço. Fortalece os que querem dedicar-se ao Reino, na vida consagrada e religiosa.

Senhor, que o rebanho não pereça por falta de pastores. Sustenta a fidelidade dos nossos bispos, padres e ministros. Dá perseverança aos nossos seminaristas. Desperta o coração dos nossos jovens para o ministério pastoral na tua Igreja.

Senhor da messe e pastor do rebanho, chama-nos para o serviço do teu povo. Maria, Mãe da Igreja, modelo dos servidores do Evangelho, ajuda-nos a responder “sim”. Amém

Clique em comentários e partilhe você já pensou e rezou sobre sua vocação?

“SER PADRE CANÇÃO NOVA É BOM DEMAIS!”

Nós também temos equipe vocacional: blog. cancaonova.com/vocacional/

Conte sempre com as minhas orações.

Padre Luizinho, Com. Canção Nova.
http://www.facebook.com/Padreluizinho

Materia relacionada: Vocação: O Padre é amigo de Deus e amigo dos Homens!

O respeito humano é inimigo da verdadeira amizade!

quinta-feira, julho 19th, 2012

Respeito humano: medo ou vergonha de assumir a sua posição diante dos acontecimentos, das coisas e das pessoas. Receio de viver a VERDADE por medo de suas consequências, perda da auto-imagem, gerando falta de compromisso, falsidade, incoerência e omissão.

Por melhores que sejam as pessoas e suas intenções, um dia sem querer elas nos decepcionam. Acontece isso entre pais e filhos, marido e mulher, namorados apaixonados e entre amigos de verdade também. Nós mesmos já fizemos essa experiência frustrante de pisar na bola com alguém que nunca queríamos machucar ou decepcionar, faz parte do processo de amadurecimento de qualquer relacionamento e, é muito bom que isso aconteça, para que não fiquemos na ilusão de achar que tal pessoa é perfeita ou nós mesmos somos intocáveis e imaculados. Quanto mais conhecemos alguém qualidades e defeitos, virtudes e pecados mais a compreendemos e mais a amamos.

Dizer que a frustração e erros fazem parte do conhecimento do outro, para que no amadurecimento da amizade possamos adequar a imagem do amigo ao real e possível parece exagero, pois quem tem amizade fantasia são as crianças e neste período da vida é normal. Por isso, que uma verdadeira amizade deve estar guiada por alguns compromissos evangélicos: verdade, transparência e partilha tudo isso é claro, com muita caridade e misericórdia, pois só quando experimentamos o gosto amargo dos nossos erros compreendemos as fraquezas e erros do amigo.

Experiência mais terrível para mim são aquelas pessoas que estão no centro de uma situação, sabem de fatos que incluem e compromete a pessoa amiga e por respeito humano e por um falso protecionismo ficam caladas, se omitem, não querem correr o risco de perder a boa fama, a simpatia e até mesmo amizade. Quando a amizade é verdadeira o único medo que eu tenho é perder o meu amigo para os seus próprios erros e para minha covardia. Mesmo que ele não me compreenda e fique com raiva de mim, vou falar-lhe a verdade e abri seus olhos, pois amigo não é aquele que passa a mão na cabeça, mas aquele que te desafia e te desinstala, mas está pronto pra ficar com você em qualquer situação. Quanto uma amizade cresce, quando tocamos no mais fundo das qualidades e defeitos, das luzes e sombras do nosso amigo, a partir dai nos tornamos irmãos, cúmplices, cria-se um laço mais forte do que o de sangue.

Precisamos crescer na vivencia e na compreensão de uma verdadeira amizade, quem não se compromete não ama. Quando um amigo pisa na bola ou está vivendo uma situação constrangedora aproveite para acolhê-lo, não tenha medo de sacrificar a amizade pela verdade, pois o verdadeiro amor se arisca, dá a vida pelo amigo. “O homem quando erra não tem outra alternativa a não ser pedir perdão, se não ele não é homem”. O amigo não abandona o barco quando ele se agita, ajuda a remar mesmo que tenha de dizer que o outro está remando para o lado errado. Como corrigir um amigo sem perder sua amizade:

Reze pelo seu amigo (a): a oração vai preparar o coração dele e também o seu;

2° Espere à hora certa para conversar e partilhar, não se deixe vencer pelo nervosismo e ansiedade;

3° Escolha o lugar certo: a privacidade é o melhor lugar para corrigir uma pessoa, evite fazer uma correção em publico, mesmo que você esteja certo começou errado;

4° Faça um elogio antes de fazer a critica e a correção é preciso que ele saiba que você o ama. Todos têm qualidades e corrige o nosso ego elevado pelos erros dos outros, isso não é fingimento é amor.

5° Saiba falar: cuidado com as palavras, o problema muitas vezes não é o conteúdo das criticas, mas o jeito com que se fala. Mesmo no erro demonstre respeito, humildade e carinho.

6° No final de tudo abra-lhe os braços e lhe dê um abraço bem apertado e não fale mais nada.

Na realidade, na hora em que é feita, nenhuma correção parece alegrar, mas causa dor. Depois, porém, produz um fruto de paz e de justiça para aqueles que nela foram exercitados. (Hebreus 12,11).

Ouça O PodCast: E Quando o Amigo pisa na Bola?

Oração pelos amigos

Elevo minha voz a Jesus que me diz:
“Não vos chamo servos, mas amigos, pois ao amigo eu me dou a conhecer”.
Que eu possa servir aos meus amigos, em todas as situações,
Rezo pelos amigos que servem a Deus como eu, que continuem fiéis.
Rezo por aqueles que não são de Deus, mas que nem por isso deixam de ser amigos.
Peço a conversão de alguns, pois por ai passará a felicidade para eles.
Como aconteceu com Jesus, por alguns amigos a minha oração são as lágrimas.
Para outros um sorriso ou minha presença é motivo de ressurreição.
Há amigos tão próximos, que o silêncio fala mais do que mil palavras.
Peço respeito e paciência para aqueles que tenho de conquistar todo dia.
A paz é algo que peço para todos, saúde e o necessário de cada dia.
Que eles Senhor se realizem no trabalho e no amor.
Rezo por amigos que precisam conquistar novos amigos,
Que o Senhor cure as feridas e as marcas da vida,
E que liberte do mal mascarado nos vícios e no pecado.
Para aqueles que vivem presos no passado, remoendo as amargas lembranças,
Eu peço Senhor a libertação, a cura do coração, a verdadeira liberdade.
Há outros eu ofereço o meu amor e percebo que só isso basta.
Há nenhum deles eu nego a prece dos meus ombros e dos meus ouvidos,
Pois carentes como eu, isso nos faz mais amigos.
Rezo para que o Senhor realize a Sua Vontade na vida deles,
E não aquilo que eles querem, pois nem sempre é o melhor.
O Senhor, que conhece o meu coração sabe que nem todos são meus amigos,
Por isso, rezo pelos meus possíveis inimigos, que vivamos o amor heróico.
Uno o meu coração com aqueles amigos, que já partiram desta vida,
Eles aumentam os meus desejos pelo céu, com eles a eternidade será  mais feliz.
Agradeço pelos meus amigos “anjos sem asas”, que Deus colocou em minha vida;
Por causa deles sou bem mais feliz.
Peço que para sempre continuemos amigos,
E no céu possamos nos encontrar e dividir a eterna felicidade.
Enfim, peço que eles conheçam o meu melhor amigo: Jesus Cristo.
E que experimentem uma amizade que pode suprir todas as suas necessidades.
Pois pior do que o mundo sem amigos,
É uma alma sem Deus. Amém.

Vamos fazer memória das coisas boas de nossa vida, quem são os seus amigos e o que eles significam em sua vida?

Faça uma prece pelos seus amigos deixe registrado em comentários e agradeçamos a Deus pelo dom da amizade.

Eu quero te louvar Senhor, pois por causa deles e de muitos que eu com certeza neste momento esqueci, considero-me mais rico e mais feliz e posso tocar no amor que tens por mim. Neste dia abençoa a cada um deles com muitas graças, saúde, paz, alegria e os Dons do Espírito Santo. Por Nosso Senhor Jesus Cristo Vosso Filho na unidade do Espírito Santo.

Feliz Dia do Amigo! Minha benção fraterna.

Padre Luizinho, Com. Canção Nova.
http://twitter.com/padreluizinho

Do que as mulheres verdadeiramente gostam?

quinta-feira, março 8th, 2012

Porque o conhecimento de causa? Eu cresci no meio de três irmãs mais a minha mãe, meu pai e mais um irmão. E isso como homem foi muito bom pra mim. Ainda tinha um laço afetivo muito forte com minha avó Almira e minha tia Maria da Glória. Eu e meu irmão mais velho crescemos neste ambiente rico das diferenças, mas principalmente do respeito e do amor puro. Lembro-me que eu e minha irmã mais nova tomávamos banho juntos, pois quando se educa o coração de um homem para a pureza ele cresce respeitando e acolhendo a grande e linda dignidade do ser mulher. Minha primeira grande amiga foi minha avó e minha tia, que me ensinaram os caminhos da fé. Minha mãe e minhas irmãs me ensinaram a buscar nas mulheres o que de mais precioso elas tem para dar, o amor.

Nós homens temos que conhecer mais as mulheres para compreendê-las melhor e amá-las mais. Na minha adolescência e juventude meus melhores amigos eram mulheres e foi uma mulher chamada Eliete, que na paciência de escutar minhas angustias e desencontros, trouxe-me de volta para Deus e para Igreja.  Hoje morando como padre numa comunidade mista, “de homens e mulheres vivendo em sadia convivência” posso dizer, que conheço um pouco do que verdadeiramente as mulheres gostam.

Em primeiro lugar as mulheres gostam de serem amadas, cuidadas com carinho e respeito, chamadas pelo nome, Maria, Joana, Regina, Heloisa e não de bife, melancia, samambaia, sem ferir a sua dignidade como se elas fossem objeto, frutas e não pessoas. Mesmo porque, a vocação mais sublime da mulher é ser mãe. Elas gostam de cuidar, de viver para o outro que ama. Elas gostam de serem cuidada, cortejada, valorizada naquilo que ela faz. De serem esposa, companheira, namorada. Eu aprendi que a mulher é coração, sensibilidade, digo mais, a mulher é ventre, é geração, é vida. As mulheres gostam da vida e de vivê-la com intensidade.

As mulheres gostam mesmo de falar, de serem ouvidas, de abrir o coração, gostam de papo inteligente, conversa interessante e de serem paqueradas com respeito e um pouco de romantismo ousado. Gostam que ajam com elas com sinceridade e verdade. Gostam de amizades longas e rodas de amigos. De fazer compras, mesmo quando não compram nada e às vezes exagerar um pouco. Mais sempre lembram do pai, da mãe, do irmão, namorado, marido, acha cartão! Elas gostam de gargalhar, de falar ao ouvido, rir baixinho, dependendo da situação gostam de silêncio ou de confusão. De serem elogiadas e notadas, percebidas nos detalhes, brincos, sapatos, cabelos, etc. Por que, porque elas veem além, enxergam o que os homens não veem, adoram pegar as coisas no ar, tirar conclusões, ser uma espécie de detetive. Ah! O que seria do mundo sem as mulheres!

Elas sabem ouvir, são acolhedoras e conseguem ser um camaleão, ser uma para cada momento e situação, sem fingimento ou falsificação. As mulheres gostam de fazer varias coisas ao mesmo tempo e com perfeição. Do seu cantinho arrumado, de carro pra passear, de bater perna e principalmente de companhia agradável. De atenção exclusiva. De quem olhe nos olhos enquanto elas falam e não desviem sua atenção. Gostam de chocolate, de flores, de ganhar presente por mais simples que seja, gostam de serem lembradas. Portanto, quer saber do que as mulheres gostam? Comece pelo pequeno, pelo simples, pelo sorvete, pelo chocolate quente pelo comum do dia a dia, não esqueça do seu aniversario, do dia do casamento. Dos pequenos e grandes detalhes que fazem a vida este Ser extraordinário que é a MULHER.

Uma mulher virtuosa, quem pode encontrá-la? Superior ao das pérolas é o seu valor (Pro 31,10).

Escute o Podcast: Maria a Mulher Sabia.

Deixe em comentários a sua opinião e seus pedidos de orações.

Materia relacionada: Mulher sem medo de ser bonita e boa.

*Dedico este post a minha Mãe Elizia que faz hoje 4 anos partiu para eternidade e a minha irmã Ana que faz aniversario hoje.  A todas as mulheres que passam pela minha vida. Parabéns! Todos os dias são das mulheres!

Minha benção fraterna.

Padre Luizinho, Com. Canção Nova.
Diretor Espiritual e Formador do Pré-discipulado.

Mulher sem medo de ser bonita e boa

quinta-feira, março 8th, 2012

ROMA, terça-feira, 6 de marco de 2012 (ZENIT.org) – A jornalista do TG3 Constanza Miriano está longe do estereótipo da feminista. É profundamente católica, mas muito diferente do estereótipo da garota que cresceu naA jornalista e escritora Constanza Miriano fala sobre o seu 8 de Março capela.

Seu primeiro livro Sposati e sii sottomessa (Vallecchi) foi o acontecimento editorial do ano passado, acabando com todos os clichês sobre as mulheres e as famílias de hoje. Na entrevista que deu a Zenit, poucos dias antes do Dia Internacional da Mulher, Miriano volta a falar sobre os temas abordados por ela, com sua ironia habitual “Chestertoniana”.

Estamos muito perto do 08 de março, uma festa que é um “totem” para as feministas. Outras mulheres, no entanto, querem aboli-la …

Constanza Miriano: Eu pertenço à segunda categoria! Hoje em dia eu vejo uma situação de desequilíbrio a nosso favor, no sentido que não vejo tantas mulheres discriminadas, exceto nos casos em que não quero desprezar, de abusos. Pelo contrário, vejo a figura do homem cada vez mais degradado, débil, sentimental, forçado a cuidar e desenvolver papéis que não são propriamente masculinos. Falar do homem como autoridade, enérgico, forte equivale quase a insultá-lo, chamando-o de tirano ou machista. Mas acredito que os papéis devem ser absolutamente redescobertos e valorizados, já que um complementa o outro. Assim, com as reivindicações feministas, eu não compartilho.

Se eu desligar a televisão e se eu fechar o jornal, se eu olhar para as mulheres “de carne e osso” que conheço, as reivindicações que fazem são sobre a maternidade, sobre os filhos;  não querem ser obrigadas a trabalhar, ou muito menos querem fazê-lo, dando uma contribuição para a sociedade, sendo forçadas a deixar seus filhos por um tempo irracional. Acho que esta é a verdadeira batalha: a da mãe.

Em termos de “emancipação” a batalha está totalmente ganha: se pensamos na minha diretora do TG, Bianca Berlinguer, e na minha diretora geral, Lorenza Lei, são mulheres… Para conquistar papéis de “poder”, que tem tempos e modos masculinos, as mulheres devem deixar de lado a família, a parte humana.

Nos últimos quarenta anos quem tem visto seu papel distorcido, o homem ou a mulher?
Costanza Mriano: O homem sem sombra de dúvida. Roberto Marchesini escreveu um livro sobre isso, Aquilo que os homens não dizem (Sugarco). Esta publicação explica a retórica à qual o homem deve “feminilizar-se”, assumir papéis de cuidado, acudir as crianças, tirar uma licença parental. Eu, pessoalmente, concordo com o Magistério da Igreja e a Bíblia que “homem e mulher os criou”. A distinção sexual não é uma “entidade externa”, mas refere-se a duas diferentes formas de encarnação do amor de Deus. O homem deve ter o papel de guia: Se ele começa a trocar fraldas ou preparar as refeições não poderá ser a autoridade …

O Papa Bento XVI propôs como intenção de oração para março, o reconhecimento da contribuição das mulheres para o desenvolvimento da sociedade. Que tipo de reconhecimento, em sua opinião, espera o Santo Padre?

Constanza Miriano: Não o reconhecimento das partes rosas! Eu acredito que pretenda que as mulheres redescubram a beleza do seu papel, particularmente o maternal. Nós somos as primeiras que tendemos a esquecer esse papel ou a colocá-lo entre parênteses. Como o próprio Papa escreveu na Carta sobre a colaboração entre homem e mulher, a mais nobre vocação para as mulheres é despertar o bem que existe nos outro, para promover seu crescimento. É ela que primeiramente doa a vida ao filho e depois àqueles ao redor dela, com sua capacidade de valorizar os talentos, de se relacionar, de acolher, de mediar, de ver as coisas a partir de múltiplos pontos de vista.

O homem, mesmo na família, tem uma espécie de amor mais voltado para fora, é aquele que constrói no mundo do trabalho, que fecunda a terra. O homem caça e a mulher colhe! Tenho certeza que o Papa não se refere às batalhas feministas, mas espera que as mulheres tornem a abraçar o seu papel, porque, como tudo o que a Igreja ensina-nos, é para nossa felicidade mais profunda. Vejo muitas mulheres que têm negado esta parte mais feminina da vocação, que investiram tudo no trabalho, ou melhor, na carreira, renunciando aos filhos e, no final, sofrem.

Qual foi o modelo feminino em sua vida?

Constanza Miriano: Eu tenho muitas. Mulheres que sabem  ‘espalhar a vida’ adiante são profundamente cristãs. Duas delas, aliás, são mães de seis filhos: uma optou por ficar em casa, a outra em ser médica. Esta última, com uma atividade particular, então flexível  como o tempo, conseguiu harmonizar bem família e trabalho. Penso, no entanto, na Irmã Elvira da Comunidade Cenáculo de Saluzzo, que é mãe, de outra forma, de milhares de crianças. Antes dela, tivemos um monte de santas: Teresa de Ávila, Teresa de Lisieux, Catarina de Sena, Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein), Gianna Beretta Molla, todas as mulheres muito fortes e corajosas que me inspiram e que eu gostaria de ser semelhante.

No mundo do entretenimento, da TV e dos filmes, da uma ênfase particular sobre a beleza feminina, muitas vezes, não na moldura do bom gosto e da elegância. Os meios de comunicação podem devolver a dignidade à mulher?

Constanza Miriano: Um justo cuidado de si como mulheres não é ruim. Nós mulheres católicas às vezes nos iludimos que cuidando do espírito  podemos cuidar menos do corpo, mas acredito que para uma mulher casada é quase um dever de ser agradável. Eu mesma adoro ser um pouco vaidosa e “superficial”! Muitas vezes eu tenho as encíclicas do Papa borradas de esmalte… Não vejo conflito entre a beleza física e a espiritual. Eu amo o esporte e pratico muito. A beleza é um dom: deve ser acolhido, cultivado e guardado, claro, sem “jogar pérolas aos porcos”, sem expor de maneira vulgar. No final, o que vemos na televisão é o resultado natural da luta feminista.

Acho que os meios de comunicação podem restituir a dignidade da beleza feminina, não censurando ou condenando, nem destacando o mal, mas mostrando que a verdadeira beleza e a verdadeira felicidade é outra coisa. Nosso desafio como católicos não é fazer o moralista ou o preconceituoso: não é isso que convence o coração. Precisamos mostrar uma beleza maior, testemunhando, mesmo com esmalte e bronzeada, que a verdadeira felicidade é outra. Não é dito que uma mulher que tem muitos filhos e vive toda uma vida com um único marido, deve necessariamente enfeiar-se. Nosso desafio como católicos, é mostrar a razoabilidade profunda da fé e a miséria profunda e inevitável que vem de não acreditar. Eu não acho que pode haver felicidade sem Deus, nossos corações são feitos para Ele. Nem mesmo para Brad Pitt e Angelina Jolie vai haver felicidade sem Deus!

Por Luca Marcolivio, fonte zenit: http://www.zenit.org/article-29848?l=portuguese

Primavera: O deserto vai florir!

quinta-feira, setembro 22nd, 2011

Depois de um longo inverno sempre vem à primavera, tempo de renascer dos brotos, da esperança, dos dias claros, a vida renasce e é tempo das surpresas de Deus!

Por mais longo que seja o inverno ele só dura uma estação, ele inicio, meio e fim e assim é o ciclo de todos os anos. Comparando a nossa vida com as estações do ano, às vezes parece que não vamos sair do inverno, do tempo ruim, das previsões sombrias. Toda dor tem seu tempo, todo frio tem sua intensidade e o agasalho ideal para suportá-lo. Tudo, absolutamente tudo que vivemos pode nos ensinar algo, fazer-nos crescer, criar resistências e defesas e até no final de tudo proporcionar realização e felicidade.

Olha a experiência que as Águias americanas vivem no inverno para renascer na primavera: as águias mais velhas procuram uma fenda no cume da montanha mais alta, para poder se desfazer de suas penas, de suas garras e até de seu bico. O cume da montanha a mantém livre dos predadores, justamente no tempo onde ela não tem nenhuma defesa, e sem o seu bico e as garras ela vai viver das reservas de energia que acumulou no verão. Como podemos ver a natureza não é tão cruel como se pensa, a águia precisa passar por tudo isso para sobreviver mais uns trinta anos e poder perpetuar a espécie com águias mais resistentes, e a nova águia vai surgir na Primavera. A natureza foi feita para sofrer mudanças, neste tempo se renovam todas as coisas, para que surja a primavera com os dias claros e coloridos pelas flores, foi preciso passar por dias escuros e frios do inverno. Não acontece exatamente assim na nossa vida?

É assim que a Canção Nova vive a expectativa da primavera. A nossa história sempre provou que nesta estação é tempo de renovação, onde o ar sombrio dar lugar ao colorido das flores, os dias mais claros, cheios de vida e de esperança, reacende em nossos corações as novidades de Deus. Tempo das graças, de deixar para trás o que era velho, pois essa é a promessa do Senhor: “Não deveis ficar lembrando as coisas de outrora, nem é preciso ter saudades das coisas do passado. Eis que estou fazendo coisas novas, estão surgindo agora e vós não percebeis? Sim, no deserto eu abro um caminho, rasgo rios na terra seca.” (Isaías 43, 18 – 19). Tem gente que diz a minha vida tem somente duas estações ou muito quente ou muito frio, relacionando coisas boas e ruins, minha vida é um deserto. Pois esta é a promessa de Deus para você: “o deserto vai florir!”

Nossa vida é marcada pelo tempo, que vivemos que se chama chronos, esse que se vive pelo relógio, às estações do ano, dias, meses etc. E o Kairós tempo da Graça de Deus pra mim e para você. Por isso, abra-se ao novo, as novidades e surpresas de Deus para você. Tempo dos presentes de Deus, das mudanças, o amor de Deus que planava sobre o frio do inverno, agora aquece as sementes que brotam da terra e do tronco das plantas nascem às flores vivas e cheias de cor. Onde estão agora as sombras do inverno? Os dias frios, as noites longas? Tudo termina agora com o colorido das flores. Isso nos prova que tudo passa, até o mais longo inverno tem seu tempo e depois o que fica são a fortaleza das raízes que cresceram escondidas.

A Primavera iniciará às 06h04 do dia 23 de setembro de 2011. Com a chegada da nova estação, há uma mudança no regime de chuvas e temperaturas na maior parte do Brasil. Esta é a noticia do CPTEC impe da previsão do tempo. Quais são as mudanças que você espera na Graça de Deus para esta nova estação da sua vida?

Embriaguemo-nos com o melhor vinho e com perfumes, e não deixemos passar a flor da primavera. (Sabedoria 2,7)

Como a flor das roseiras nos dias da primavera; como os lírios junto às fontes das águas, como a vegetação do Líbano nos dias do verão. (Eclesiástico 50,8)

Clique em comentários e diga quais são as novidades de Deus que você espera?

Oração: Senhor, eu te louvo em cada estação que passa a minha vida assim como as estações do ano na natureza, cada uma delas beneficia a natureza e é preciso saber aproveitar tudo de bom que cada uma delas tem. Assim é em nossa vida, que com a Tua graça eu saiba viver agora a primavera com as reservas que eu acumulei no inverno, mesmo que ele tenha sido tenebroso e muito frio, o Senhor me ensinou a guardar no interior a seiva do teu amor, da paciência, do recolhimento, agora na primavera não quero viver como se o inverno não tivesse passado, Quero a partir de hoje viver como o girassol que é exuberante porque o tempo todo ele persegue O Sol maior que é O Senhor. Em todas as estações de minha vida seja o Sol de minha justiça e felicidade. Amém

Escute na integra o Podcast:

Reze A Quaresma de São Miguel Arcanjo

Padre Luizinho, Com Canção Nova.
twitter.com/padreluizinho

Porque a Cruz é o sinal do cristão?

quarta-feira, setembro 14th, 2011

Algumas pessoas não católicas  dizem que a cruz  é um símbolo pagão ou que é um símbolo de morte e que não deve ser usada e em alguns paises foi proibida nos lugares públicos, aqui no Brasil pode ser também. Mas esta afirmação não está de acordo com o que a Igreja Católica sempre viveu e ensinou desde os seus primórdios e também não concorda com os textos bíblicos, que louvam e exaltam a Cruz de Cristo, ou pior, dizem sem conhecimento que nós idolatramos a santa cruz. Celebrar a Exaltação da Santa Cruz é celebrar a Páscoa, a vida e a salvação que Jesus Cristo conquistou por este instrumento de suplicio da época, que hoje para nós cristãos é símbolo de vitória e salvação.  Senão vejamos:

Mt 10, 38 – Jesus disse: “Quem não toma a sua cruz e não me segue, não é digno de mim”.

Mt 16, 24 – “Em seguida, Jesus disse a seus discípulos: Se alguém quiser vir comigo, renuncie-se a si mesmo, tome sua cruz e siga-me”.

Lc 14, 27 “E quem não carrega a sua cruz e me segue, não pode ser meu discípulo”.

Gl 2, 19 – “Na realidade, pela fé eu morri para a lei, a fim de viver para Deus. Estou pregado à cruz de Cristo”.

Gl 6, 12.14 – “Quanto a mim, não pretendo, jamais, gloriar-me, a não ser na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo está crucificado para mim e eu para o mundo”.

1Cor 1,18: “A linguagem da Cruz… para aqueles que se salvam, para nós, é poder  de Deus”.

1Cor 1, 17: “… anunciar o  Evangelho, sem recorrer à sabedoria da linguagem, a fim de que não se torne inútil a Cruz de Cristo”.

Quando o imperador Constantino o Grande, enfrentou seu rival Maxêncio sobre a ponte Milvia, próximo do ano 300, viu nos céus uma cruz luminosa acompanhada dos dizeres: “In hoc signo vinces!” (Por este sinal vencerás). Constantino, então, colocou a sua pessoa e o seu exército sob a proteção do sinal da cruz e venceu Maxêncio, tornando-se imperador supremo de Roma, proibindo em seguida a perseguição aos cristãos pelo Edito de Milão, em 313.

O símbolo resultante da sobreposição das letras gregas X e P, iniciais de Cristo em grego, lembrava Cristo e a Cruz e foi representado no estandarte de Constantino. No fim do século IV, tomou a forma que lembrava a Cruz.

Após a conversão de  Constantino († 337) a cruz deixou de ser usada para o suplício dos condenados e tornou-se  o símbolo da vitória de Cristo e o sinal dos cristãos, como mostram de muitas maneiras a arte, a Liturgia, a piedade particular e a literatura cristã. A cruz tornou-se, então, sinal da Paixão vitoriosa do Senhor. Conscientes deste seu valor, os cristãos ornamentavam a cruz com palmas e pedras preciosas.

Os Padres da Igreja como Tertuliano de Cartago e Hipólito de Roma, já nos séculos II e III, afirmavam que os cristãos se benziam com o sinal da Cruz. Os mártires tomavam a cruz antes de enfrentar a morte e os santos não se separavam da cruz. As Atas dos Mártires mostra isso.

No entanto, muito antes de Constantino, Tertuliano (†202) já escrevera: “Quando nos pomos a caminhar, quando saímos e entramos, quando nos vestimos, quando nos lavamos, quando iniciamos as refeições, quando nos vamos deitar, quando nos sentamos, nessas ocasiões e em todas  as nossas demais atividades persignamo-nos a testa o sinal da Cruz” (De corona militis 30). *

S. Hipólito de Roma († 235), descrevendo as práticas dos cristãos do século III, escreveu: “Marcai com respeito as vossas cabeças com o sinal da Cruz. Este sinal da Paixão opõe-se ao diabo e protege contra o diabo, se é feito com fé, não por ostentação, mas em virtude da convicção de que é um escudo protetor. É um sinal como outrora foi o Cordeiro verdadeiro; ao fazer o sinal da  Cruz na fronte e sobre os olhos, rechaçamos aquele que nos espreita para nos condenar” (Tradição dos Apóstolos 42). *

No Novo Testamento a Cruz é símbolo da virtude da penitência, domínio das paixões desregradas e do sofrer por amor de Cristo e da Igreja pelas salvação do mundo. Seria preciso apagar muitos versículos do Novo Testamento para dizer que a Cruz é um símbolo introduzido no século IV na vida dos cristãos. O sinal da Cruz é o sinal dos cristãos ou o sinal do Deus vivo, de que fala Ap 7, 2, fazendo eco a Ez 9,4: “Um anjo gritou em alta voz aos quatro Anjos que haviam sido encarregados de fazer mal à terra e ao mar: “Não danifiqueis a terra, o mar e as árvores, até que tenhamos marcado a fronte dos servos do nosso Deus”.

São Clemente de Alexandria, no século III, chamava a letra T (tau), símbolo da cruz, de “figura do sinal do Senhor” (Stromateis VI 11). *

Por tudo isso, a vivência e a iconografia dos cristãos, desde o século I, deram à cruz sagrada um lugar especial entre as expressões da fé cristã. Daí podemos ver que é totalmente errônea a teoria de que a Cruz é um símbolo pagão introduzido por influência do paganismo na Igreja e destinado a ser eliminado do uso dos cristãos. Rejeitar a Cruz de Cristo é o mesmo que rejeitar o símbolo da Redenção e da esperança dos cristãos.

Oração: A cruz sagrada seja minha luz, não seja o dragão o meu guia retira-te satanás nunca me aconselhes coisas vãs, bebes tu mesmo o teu veneno. Amém.

Clique aqui e: Reze A Quaresma de São Miguel Arcanjo

Reze O 1° Dia da Novena ao Padre Pio de Pietrelcina

Clique em comentários e deixe sua opinião e seus pedidos de orações.

Minha benção fraterna.

Padre Luizinho, Com. Canção Nova.
twitter.com/padreluizinho

* Este artigo foi baseado no de D. Estevão Bettencourt, da revista “Pergunte e Responderemos”, Nº. 351 – Ano 1991 – Pág. 364. Professor Felipe Aquino: blog.cancaonova.com/felipeaquino