A eleição do homem só deve partir da única eleição que o Pai fez: a do Filho. Neste sentido todo o gênero humano é eleito em virtude da eleição do Cristo.

Quando Deus elege um determinado grupo (comunidade) o faz para um serviço em favor de todos. Não é privilégio, mas pura iniciativa de Deus. E esta eleição vai acontecendo na atuação da história, uma ação de Deus que estabelece na história um processo histórico de eleição divina fortificado na vontade de Deus de operar a graça.

A comunidade é vista por Deus não fruto do ocaso, mas é constituída pelos desígnios eternos da graça divina. Tomando consciência desta eleição para o serviço os membros desta comunidade universal sentem a necessidade de corresponder, particularmente e comunitariamente, a eleição para um serviço ( 1Pd 2, 9).

Assim, podemos concluir e dar sentido ao chamado vocacional da comunidade como povo de Deus, geração eleita, propriedade de Deus. Ao assumir e reconhecer sua eleição, o povo ou o indivíduo que foi chamado e vocacionado para um serviço universal, deve entender que é em prol do mundo. Aqui dá-se sentido à eleição de alguns para o grupo dos discípulos de Jesus.

A eleição confere ao homem uma responsabilidade. Aquele que corresponde ao chamado assume um caráter de separação do mundo de fé e luta. Contudo, tanto a comunidade ou o individuo só terão certeza da eleição estando unidos ao Senhor. Todo sentido do chamado e eleição da comunidade ou de uma determinada pessoa se afunila Naquele que a graça divina fez a eleição em primeiro lugar: Cristo. Cristo foi o primeiro a ser predestinado, partindo Dele como Primogênito do Pai, os homens são predestinados Nele, que concedeu a todos a filiação adotiva. O único desígnio concreto de Deus, o desígnio salvifico.A eleição de Jesus Cristo visa a justificação e a glorificação do pecador. Pois só tem sentido a eleição da graça divina colocando-a em relação com a obra salvífica e histórica de Deus em Cristo.Deus Pai é o único sujeito da eleição. Mas só vamos compreender a eleição do homem no sentido Trinitário: o Pai em unidade com o Filho pela ação do Espírito que faz a eleição do homem.

O gênero humano é eleito em Jesus, porque sendo o Primogênito de muitos irmãos, Deus Pai o elege e a nossa escolha se deu pela Cruz e Ressurreição, na obra da Redenção. Foi assumindo a Cruz, o sofrimento, que Jesus tomou a nossa reprovação.Seria desfazer a eleição da graça divina, se não levássemos em conta que existia uma reprovação do gênero humano por causa do pecado, mas o Cristo assumiu nossa eleição nos libertando do pecado por meio da cruz. Cristo é o mediador da eleição da graça divina.

Todos os homens justificados em Cristo, são por ELE chamados a Igreja, incluindo-se Nela. O chamado de Deus continua na Igreja, na qual o mistério de Cristo, morto e ressuscitado por nós se dá. “Jesus Cristo é a expressão irreversível do sim divino do homem, e esse sim possui validade universal no sentido de que a salvação foi oferecida em Jesus Cristo a todos os homens”.A razão pela qual Deus chama ou convoca a Igreja é a de levar o homem à comunhão consigo no Espírito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *