O Prazer Sexual na Vida Conjugal

images-casal.jpg

Este é o título que escolhemos para o livro que  elaboramos em parceria e   ao longo de cinco anos em função  dos  atendimentos psicoterapêutico conjugal , como também de  atendimento à casais que optaram em vivenciar o Método da Ovulação Billings (MOB) e com uma queixa comum ,apresentada por todos, a perda do prazer sexual.

O livro tem o próposito de expor  algumas reflexões sobre a dinâmica conjugal; a superação de desafios e o relato de experiências de casais em situações de desestrutura conjugal e  que , a partir da vivência do MOB,  construiram novos caminhos na sua relação conjugal e com o sucesso da recuperação do prazer sexual.

Este tema ,não é dos mais fáceis, porque mexemos com a intimidade  e a individualidade do casal. Porém , é um tema necessário, porque o prazer sexual é uma das expressões de amor que precisa ser garantido na vida conjugal.

Consideramos como um dos pilares de sustentação na qualidade da vida sexual conjugal e agregados a outros pilares como o respeito das diferenças, o diálogo amoroso e a fidelidade é caminho certo para esta vida sexual saudável.

Precisamos levar em consideração algumas situações que interferem e muito na sexualidade do casal e que consequentemente atinge o prazer:

1.0 – A história familiar de cada um.  A  educação sexual que foi construída ao longo do tempo dentro do seio familiar de cada um ,  poderá ser benéfico ou nocivo para a vivência sexual e conjugal. (preconceitos, desinformação, repressão sexual e outros);

2.0 – O Método de Planejamento Familiar escolhido pelo casal( ou muitas vezes, decidido somente pela mulher). Os efeitos colaterais  orgânicos e psíquicos  presentes nos métodos  contraceptivos como a pílula , injeção e laqueadura podem interferir significativamente no prazer sexual da mulher. Nestes 24 anos de atendimento através do MOB, comprovo estatisticamente que a cada 100 casais atendidos por mim, em torno de 82 vieram com histórico de abandono dos métodos contraceptivos (como a pílula e a injeção na sua maioria) em função dos efeitos colaterais provocados na condição física e psíquica da mulher.Esta é uma realidade que constato e que não é possível deixarmos de levar em consideração!

3.0 – O vínculo amoroso. A capacidade afetiva de cada um na vivência da sexualidade é de suma importância. Ambos necessitam do afeto e do carinho  do outro, pois o Ser humano não é  “coito”, não é  “instinto”. Podemos desenvolver a nossa capacidade do afeto, do vínculo amoroso como expressãoda sexualidade humana.

4.0 – A organização interna familiar. Este item é também de grande importância, pois presenciamos muitos casais que necessitam reorganizar a sua dinâmica familiar (e isto envolve os filhos) para que ambos garantam um tempo aos mesmos e que neste “espaço conjugal” o diálogo e o afeto estejam presentes como motivadores de uma relação sexual prazerosa e saudável.

Não existe fórmula mágica que garanta o prazer sexual do casal, mas existem atitudes que possibilitarão o sucesso do mesmo!Lembrando delas..

Fidelidade..diálogo…respeito e preservação  de ambos os corpos…contribuição mútua….afeto e a presença Amorosa do nosso Deus-Pai em sua vida conjugal! .

Continuaremos este tema….

Livro: O Prazer Sexual na Vida Conjugal – Editora Paulus. Gerson Abarca Silva( co-participação: Maria Celina Toledo Martins)

quinta-feira, agosto 9th, 2007 vida-conjugal

No comments yet.

Leave a comment