São Pedro e São Paulo

No dia 29 de junho, comemoramos em nossa Igreja o dia de dois grandes santos, os dois pilares da Igreja Católica Apostólica Romana: São Pedro e São Paulo.

São Pedro, chamado Simão, um dos doze apóstolos, era um pescador, que atraído pelo chamado de Jesus, passou a ser pescador de homens. Jesus o chamou “Pedro”, que se significa “pedra”, sobre a qual Cristo edificou a sua Igreja. São Pedro se tornou o chefe da Igreja, e com a sucessão apostólica, temos hoje o Papa Francisco, sucessor de Pedro.

São Paulo, chamado Saulo, era um perseguidor de cristãos, fariseu e grande cumpridor da lei judaica. Não conheceu Jesus fisicamente, mas o Senhor veio-lhe ao encontro, fazendo-o mudar de vida radicalmente. São Paulo foi uma peça chave na divulgação do Evangelho aos povos pagãos, e escreveu muitas cartas às comunidades primitivas dos cristãos.

Por serem de tal importância para a nossa Igreja é que os temos como pilares da Igreja.

Neste dia também comemoramos o dia do Papa, por ser este o sucessor de Pedro, o chefe da Igreja Católica, a quem devemos todo respeito e amor!

Neste dia 29, o Papa Francisco, durante o Angelus, falou-nos da importância e testemunho destes dois santos. Clique aqui para ler na íntegra, o Angelus com Papa Francisco.

São Pedro e São Paulo, Rogai por nós!

 

Deus abençoe você!

 

saojoaob

Hoje comemoramos na Igreja o dia do nascimento de São João Batista.

João foi primo de Jesus, filho de Izabel e Zacarias. Conhecido como o precursor de Jesus, sua missão foi preparar o caminho do Senhor.

Batizava os fiéis arrependidos nas águas do Rio Jordão, e o próprio Jesus pediu para ser batizado por ele. Seu batismo era um batismo de conversão, onde ele próprio exclamou:  “Eu vos batizo na água, em vista da conversão; mas aquele que vem depois de mim é mais forte do que eu: eu não sou digno de tirar-lhe as sandálias; ele vos batizará no Espírito Santo” (Mateus 3,11).

Por conta de anunciar a verdade e denunciar os pecados do povo de sua época, João incomodava muito. Por ordem do Rei Herodes, a pedido de Salomé, mulher de Herodes, João foi preso e decapitado.

João Batista viveu uma vida de santidade, austeridade e sobriedade. Jesus diz a seu respeito: “Em verdade eu vos digo, dentre o que nasceram de mulher, não surgiu ninguém maior que João, o Batista” (Mt 11,11)

Santo de grande devoção popular, a ele são dedicadas as festividades “joaninas”, realizadas no mês de junho, são marcadas por muita alegria, danças e brincadeiras.

São João Batista, Rogai por nós!

Deus abençoe você!

Estado e religião

Como antidoto para essa distorcida visão, é preciso reconhecer a importância da fé cristã católica como elemento que sustenta

Cn Paulínia

Cn Paulínia

crescimentos, avanços e configurações culturais de muita importância para o nosso país. Certamente, nesse horizonte de compreensão, é que se afirma como um dito incontestável “que o Estado é laico, mas o povo é religioso”. E o povo constitui a nação à qual o Estado está a serviço, com o compromisso de edificar e manter uma sociedade justa e solidária.A laicidade do Estado tem sido um tema recorrente nos debates e abordagens. As necessárias evoluções no entendimento sobre o Estado e a realidade religiosa justificam essas reflexões. No caso da sociedade brasileira, a religiosidade é constitutiva, independentemente das singularidades confessionais. Não se pode desconhecer e desconsiderar as raízes cristãs no nascedouro e nos desdobramentos da história da nossa sociedade. Ignorar essa importância é uma postura preconceituosa, que considera a religião como elemento descartável ou de pouca valia. Trata-se de uma avaliação que revela estreitamentos da racionalidade.

Povo é mais do que Estado, que é uma configuração sociopolítica a serviço do bem comum de uma nação, em respeito e obediência a princípios advindos da justiça, da verdade, do amor e do bem de todos. Nessa direção, portanto, não é inteligente confrontar como opostas e inconciliáveis as categorias Estado e religiosidade. A distinção é benéfica e necessária para não incorrer em misturas indevidas. Contudo, colocar essas dimensões como antagônicas é confrontar-se diretamente com o povo, a partir de uma perspectiva preconceituosa. Ler mais

Outubro mês das missões na Igreja

cn PauliniaComeça o mês de outubro. E começa com a comemoração de Santa Teresinha do Menino Jesus, a padroeira das missões, para a parte de oração e intercessão. Para o lado de ação missionária o padroeiro é S. Francisco Xavier, apostolo dos Países da Ásia Sul – Oriental.

Neste mês de outubro, Mês das Missões, a Igreja Católica celebra, no próximo dia 19, o Dia Mundial das Missões. Assim, em todo o mundo, são intensificadas as iniciativas de informação, formação, animação e cooperação em prol da missão universal.

O objetivo do Dia Mundial das Missões é promover e despertar a consciência e a vida missionária cristã, as vocações missionárias, bem como promover uma Coleta Mundial para as Missões, para o sustento de atividades de promoção humana e evangelização nos cinco continentes, sobretudo em países onde os cristãos são ainda uma minoria e as necessidades materiais, mais urgentes. Ler mais

Papa destaca maior necessidade da Igreja

Canção nova paulíniaO Papa Francisco disse  que, por vezes, a Igreja encerrou-se em pequenas coisas e preceitos, porém, o mais importante é o primeiro anúncio: “Jesus Cristo salvou-te”. Portanto, segundo o Pontífice, a atitude é a primeira reforma necessária na Igreja, e as reformas organizativas e estruturais são secundárias.

“Os ministros do Evangelho devem ser capazes de aquecer o coração das pessoas, de caminhar na noite com elas, de saber dialogar e mesmo de descer às suas noites, na sua escuridão, sem perder-se. O povo de Deus quer pastores e não funcionários ou clérigos de Estado. Os bispos, em particular, devem ser capazes de suportar com paciência os passos de Deus no seu povo, de tal modo que ninguém fique para trás, mas também para acompanhar o rebanho que tem o faro para encontrar novos caminhos”, enfatizou. Ler mais

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com