Archive for novembro, 2009

O SUCESSO É SABER PERDER

sábado, novembro 28th, 2009

Muito se fala em vida profissional bem sucedida. Treinamentos empresariais estão focando muito a idéia de ser vitorioso, de não “correr atrás”, mas de sempre estar na frente.

Idéias que não condizem com a realidade e cotidiano dos grandes vencedores. Estes sempre se deparam com fracassos e mais fracassos, até atingirem o topo. Topo que não é eterno.

Veja no futebol, O Flamengo é um dos times com mais títulos do brasileirão, no entanto há 17 anos que não ganha a competição, aliás, esteve por várias vezes na ameaça do rebaixamento.

Alguém duvida da tragetória gloriosa do Corínthians? Neste ano conquistou dois campeonatos, e no entanto no brasileirão acumula mais derrotas que vitórias.

Tudo bem que o São Paulo pode conquistar o quarto campeonato seguido, mas tendo que conviver com muitas derrotas também.

A diferenças dos vencedores, é a estabilidade da busca. A confiaça da superação  após derrotas, e mesmo em situações das mais adiversas, em que as derrotas se acumulam, os campeões estão em constante busca. Veja o caso do Fluminense, tem tudo para ser rebaixado para a segunda divisão com um final de campeonato cheio de vitórias.

Quantas páginas escritas e rasgadas um bom poema consegue chegar a sua métrica e beleza? Quantos anos leva para uma canção eternizar-se após sua publicação?

Ernest Hemingway, autor do cérebre livro ” O Velho e o Mar”, conquistou o Prêmio Nobel da literatura (1954) com este livro de apenas 95 páginas. E um livro onde o sucesso do pescador está em não ter conseguido a sua pesca idealizada.

A linguagem literária de auto ajuda, é a meu ver, o discurso daqueles que nunca conquistarão a gloria da vitória, pois estão sempre fomentando o sucesso sem dor, sem perdas.

É só pela perda de muitas negociações que o bom vendedor realiza grandes vendas.

Por tudo isto , devemos praticar muitos esportes, aprender a jogar muitos jogos. Pois nestas atividades nos deparamos com nossos limites e vamos sabendo saborear o gostinho amargo de uma derrota.

O Martírio de Rubem Alves

quinta-feira, novembro 26th, 2009

No livro organizado pelo Dr. em Filosofia Antônio Vidal Nunes (UFES) “O que eles pensam de Rubem Alves e de seu humanismo na religião, educação e na poesia”, Ed. Paulus-SP, 2007. Vemos a trajetória do pensamento deste que considero um filósofo genuinamente brasileiro. E nesta bela historiografia que Vidal descreve no capitulo de introdução do livro, trás o episódio em que Rubem Alves é caluniado por membros de sua congregação religiosa, na qual era pastor na década de 60. Rubem retornava de seus estudos de mestrado nos Estados Unidos e encontrava um Brasil ditatorial, que controlava as idéias que julgavam revolucionárias. E revolucionário para os militares eram todas as idéias de justiça social, igualdade, fraternidade. Muitas Igrejas de base cristã foram cooptadas pelos militares com o mito do comunismo. Julgavam que todos os que desejavam uma sociedade melhor e com justiça social eram comunistas e que o comunismo era o grande mal do planeta – a “ameaça vermelha” – . Como relatou Rubem Alves em 1987. “… O trágico era precisamente isto: que pessoas da igreja, irmãos, pastores, presbíteros, não tiveram o mínimo de sentimento ético e estiveram assim tão pronto a nos delatar”. Imagino quanto este homem teve que suportar, como o beijo de Judas a Cristo. Tendo que observar em silêncio e entender ou encontrar motivos para entender.

O pior estava para vir, as denúncias internas dos seus correligionários cristãos foram parar no meio militar e sua prisão e possível tortura era anunciada. Mas amigos dos Estados Unidos conseguiram bolsa de estudos e Rubem Alves pode partir. Junto com sua família teve que experiênciar seu exílio. Um exílio que produziu seu Doutorado em Princeton.

Como a semente de trigo que morre para viver, o martírio de Rubem o projetou para a vida. Vida que gerou idéias, pensamentos e uma enorme produção filosófica, poética, mística , que hoje eleva a filosofia brasileira.

Pude ter contatos pessoais com Rubem Alves ao longo de minha trajetória profissional – seus livros são de cabeceira de cama no meu cotidiano. A vivência mais intensa foi quando organizei em São Mateus/ ES a 1ª Semana Rubem Alves (2000), pelo Instituto Pensamento que dirijo. Na oportunidade recebemos vários estudiosos de obra de Rubem Alves, inclusive o Antônio Vidal Nunes, grande amigo e Gilberto Damiano (Doutor em Educação). Na oportunidade produzimos a peça teatral do texto infanto juvenil de Rubem Alves “O Flautista Mágico” que pôde ser assistido pelo filósofo para uma grande platéia, graças a criatividade do teatrólogo Oscar Ferreira.

O martírio de Rubem Alves é martírio de homem que busca santidade. A busca por um mundo melhor, independente da religião , é em si um desejo de santidade. Não haverá quietude, ou tranqüilidade para estes muitos como Rubem Alves. Sementes semeadas traze o cêntuplo da esperança na estética das flores coloridas do jardim, e conforta as dores do caminho. As flores do jardim de Rubem Alves é sua magnífica obra. Como disse Alves, “…o otimista é aquele que acredita no futuro em função das evidências do presente; o esperançoso é aquele que acredita no futuro apesar das evidências do presente” (Nunes, 2007, pág. 32).

No livro organizado por Vidal, você poderá ir mais fundo no pensamento de Rubem Alves.

Parabéns grande amigo Antônio Vidal Nunes, por este belo livro.

CONFECOM - GERSON ABARCA ESTARÁ COMO DELEGADO

terça-feira, novembro 24th, 2009
Celso Schröder, Sueli, Gerson Abarca e Giovani César

Mesa Redonda Produção de Contéudo - Composição: Celso Schröder, Sueli, Gerson Abarca e Giovani César

Gerson Abarca e Celso Schröder

Gerson Abarca e Celso Schröder

A primeira Conferência Nacional de Comunicação, que acontecerá nos dias 11, 12, 13 de dezembro 2009 em Brasília, contará com delegados de todos os estados brasileiros eleitos nas etapar regionais. Conquistamos uma vaga para o Conselho Regional de Psicologia – ES (CRP16), dentre outras 11 entidades representantes do setor da sociedade civil. Também estarão delegados da sociedade civil empresarial e do governo.

Em Brasília estarei representando o CRP16, após intenso processo de participação nos movimentos pela democratização da comunicação. Na Conferência do Espírito Santo pude participar como debatedor na mesa redonda em que  o Jornalista Celso Shoröder (FNDC), um dos ícones pela democratização da mídia brasileira, realizou a conferência sobre o eixo temático produção e conteúdo. Foi um momento impar, coroando um envolvimento nesta temática desde 1995, quando lancei pela Editora Paulus o livro ” O poder da TV no mundo da criança e adolescente”.

Esta primeira Confecom, que têm sido ameaçada pelos empresários que até hoje tiveram muitos dividendos com a não regulamentação de critérios reguladores da Mídia, será o início para uma Comunicação Social que respeita os Direitos Humanos, e que garanta a informação verdadeira à todos.

Dia da consciência negra - Uma homenagem à Tia Elza

sexta-feira, novembro 20th, 2009
Elza Maria Leite - parabéns pelo dia de hoje!

Elza Maria Leite - parabéns pelo dia de hoje!

* Por : Samuel Iauany Abarca (17 anos)

Hoje é dia da consciência negra, uma data importante para o país, ja que a sua maior parte é afro-descendente. Neste contexto, aproveitamos para homengear uma forte negra, que é tão presente em nossas vidas. Tia Elza trabalha com papai e mamãe antes mesmo de eu nascer, e saiu de São Paulo para continuar conosco. Nasci e ela ja estava lá, cuidando de mim, me ensinando o que sabia, dando carinho e afeto. Pro papai e pra mamãe nao existe maior heroína do que ela, é claro, definitivamente, NINGUÉM cozinha melhor!

A mesma coisa com meus dois irmãos mais novos. Todo mundo lá em casa obedece a tia Elza. Só tem um problema nela, é que ela nao envelhece! Participou da Pastoral da Juventude até os 40 anos, canta feito uma jovem, e as brincadeiras nunca param. Hoje mesmo chegou com o cabelo novo, bem marcante negro!

Muito acima da Tia Elza que trabalha lá em casa, existe uma pessoa definitivamente importante para nós, a qual amamos muito, e com certeza nunca esqueceremos, desde os puxões de orelha quando criança, até o suco de limão incoparavél.

Tia Elza nós te amamos!

Feliz dia da consciência negra!

PROGRAMAÇÃO DA CONFECOM-ES - GERSON ABARCA REPRESENTARÁ CRP-ES

quarta-feira, novembro 18th, 2009

Data: 20 a 22 de novembro de 2009

Local: Centro de Convenções de Vitória (R. Constante Sodré, 157 – Santa Lúcia)

Programação

Dia 20

19h – Solenidade de abertura

20h – Aprovação do Regimento Interno

Dia 21

8h – Painel Eixo 3 – Cidadania, Direitos e Deveres

Conferencista: Bernardo Joffily, jornalista, editor do portal www.vermelho.org.br e também autor do Atlas Histórico Brasileiro IstoÉ Brasil 500 anos (1998) e da Agenda Brasil Outros 500 (2000).

Debatedores: Edgard Rebouças, jornalista, professor da Ufes e Coordenador do Observatório da Mídia Regional, e Bruna Lyra Duque, professora e advogada (Vivo).

9h30 – Painel Eixo 1 – Produção de Conteúdo

Conferencista: Celso Schröder, coordenador-geral do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação e vice-presidente da Federação Nacional dos Jornalistas.

Debatedores: Gerson Abarca, Conselho Regional de Psicologia do ES, e Giovani César, jornalista (TV Capixaba).

11h – Painel Eixo 2 – Meios de Distribuição

Conferencista: Henrique Antoun, professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro, coordenador do CiberCult (Laboratório de Pesquisa em Comunicação Distribuída e Transformação Política).

Debatedores: José Nilton de Oliveira Santos, vice-presidente da CUT-ES e Welton Sthell Duque, engenheiro de telecomunicações (Vivo).

A parte da tarde será dedicada aos Grupos de Trabalho que serão divididos pelos três eixos centrais.

Dia 22

8h – Plenária e eleição dos delegados para a 1ª Conferência Nacional de Comunicação

12h – Encerramento

GOSTOSA E BOA! VOCÊ PENSOU EM... (MULHER OU CERVEJA?)

segunda-feira, novembro 16th, 2009

A publicidade de bebida alcoólica no Brasil poderá ter seus dias contatos se você e todos os brasileiros que estão preocupados com esta tendência mercadológica da mídia brasileira de veicular bebida alcoólica como se fosse água, e ainda mais, associada com o abuso da imagem da mulher, direcionando os olhares e construindo subjetividade em torno do ser mulher na sociedade – tem que ser gostosa e boa -; se interessarem pela Conferência Nacional de Comunicação – CONFECOM – que será realizado em Brasilia nos dias 11 a 12 de dezembro de 2009. Mais informação no site do MEC – www.cultura.org.br

Produção e Conteúdo da Mídia*

segunda-feira, novembro 9th, 2009

Seminário Psicologia e M�dia

Seminário Psicologia e Mídia

6 – Por uma nova mídia

Este é o desejo do movimento social organizado no Brasil, de uma mídia diferente, pautada na democratização onde o usuário direto da mídia – a população – seja ouvido e tenha voz nas decisões, através de um sistema de controle social da mídia respeitando-se as instâncias municipais, estaduais e federais. Para tanto, emergem algumas propostas que não podem deixar de permanecer na pauta das conquistas desta área, como: a) criar processo de educação para a mídia no sistema educacional, b) definição na grade de programação em horários nobres, programas educativos e culturais; c) Mecanismo de regionalização de produção e dos conteúdos; d) A garantia do processo de classificação indicativa dos programas visando o monitoramento das famílias sobre a escolha da programação relacionado a faixa etária do usuário; e) Dentro do processo de controle social da mídia, fortalecer mecanismos de avaliação da qualidade dos conteúdos tendo em vista a formação de cidadania e o respeito aos direitos humanos na exploração das imagens de mulheres e homens.

Para melhor conhecimento das teses defendidas pelo CFP entre no site http://comunicacao.pol.org.br/ e veja os detalhes de cada proposta.

*Conteúdo das palestras de Gerson Abarca por ocasião dos eventos Pró-Conferência Nacional de Comunicação. Eixo: Produção e Conteúdo, na condição de representante do CRP16. Gerson Abarca é psicólogo, Conselheiro do CRP16-ES e autor do livro “O Poder da TV no Mundo da Criança e do adolescente” – Ed. Paulus/SP.

Produção e Conteúdo da Mídia*

segunda-feira, novembro 9th, 2009

5 – Publicidade, conteúdo e produção da mídia

Dentro das teses que o Conselhos Federal de Psicologia vem defendendo para a Confecom, a maioria delas está associada com a questão da publicidade:

  • Fim da publicidade infantil;
  • Fim da publicidade de bebida alcoólica;
  • Direitos humanos na exploração da imagem de mulheres e homens na mídia;
  • Mídia focada para uma cultura de paz no trânsito;
  • Classificação indicativa;
  • Controle social da mídia (sistemas de conselhos);

Dentro de um debate amplo, que é a comunicação, alguns comunicólogos vão defender que não se pode focar muito na questão da publicidade por que ela é a “pedra no sapato” dos donos da mídia e aí tentam dar força para questões mais estruturais da comunicação, como por exemplo o tema das concessões; ou de questões tecnológicas como a transferência do analógico para o digital e outros.

Mas sabemos que uma temática está intrinsecamente ligada a outra, pois quando pensamos na publicidade estamos falando da produção e do conteúdo dos meios de comunicação, que requerem orçamento elevado.

De onde vem este orçamento que banca a produção e consequentemente o conteúdo? Vem da publicidade!

Desta forma, publicidade é a “seiva bruta” dos meios de comunicação. Se esta seiva for substancial e suculenta, a possibilidade do produto vir com uma “cara melhor” (seiva elaborada) aumenta. E é exatamente o que acontece com a mídia hoje. Temos a possibilidade de pacotes de TV paga com mais de 200 canais diferentes, mas acabamos por cair nos canais comerciais (abertos) por terem mais recursos financeiros e consequentemente maior grade de programação. Mas estes, financiados por publicidades que norteiam a forma de produção e os conteúdos.

Desde meus 15 anos assisto o telejornal da TV Cultura. Há 30 anos venho observando sua evolução. Ano após ano seus produtores inovam o que não deixa seu formato cansativo. Porém, há pouco tempo a TV Cultura abriu as portas para a publicidade comercial, no início apenas com anúncios institucionais das empresas e agora com a mesma formatação comercial da mídia comercial. Consequentemente o conteúdo e produção mudaram, aquele menos denso e este mais tecnológico e ágil. Se fizermos exercícios de leitura crítica dos telejornais, observaremos que aqueles que são financiados pela publicidade comercial conseguem provocar um fenômeno inverso ao que se espera de um telejornal (fazer o telespectador lembrar ao final do programa mais das marcas de produtos do que de notícias). Durante os anos de 1995 quando lancei o livro “O Poder da TV no mundo da Criança e do Adolescente – Ed. Paulus” até 1997, apliquei muitos workshops sobre leitura critica da mídia para adolescentes em escolas públicas e privadas e um dos exercícios que levou-me a constatar esta realidade de telejornal comerciais foi o de memorização que os alunos tinham após assistirem ao bloco completo do telejornal, onde os resultados obtidos variavam entre 3 a 4 notícias e 6 a 7 marcas lembradas, onde concluíamos que os estudantes que quisessem estar informados, não conseguiriam êxito apenas com os telejornais comerciais.

A publicidade que financia, quer telespectador com desejo de consumo. Hoje, a grande estratégia é a produção de angustia, ansiedade, depressão, síndrome do pânico, obsessão. Elementos desestruturantes que geram vazio interior, perda de identidade e necessidade de consumo. Pessoas com disfunções emocionais tendem a comprar mais como mecanismo de preenchimento do vazio existencial. Esta é a atual forma de subjetividade produzida pela mídia publicitária, a subjetividade da individualidade e do consumo.

Não tem como esperar conteúdo de qualidade em mídia movida à publicidade de consumo. Nesta só nos resta a baixaria.

*Conteúdo das palestras de Gerson Abarca por ocasião dos eventos Pró-Conferência Nacional de Comunicação. Eixo: Produção e Conteúdo, na condição de representante do CRP16. Gerson Abarca é psicólogo, Conselheiro do CRP16-ES e autor do livro “O Poder da TV no Mundo da Criança e do adolescente” – Ed. Paulus/SP.

Produção e Conteúdo da Mídia*

sexta-feira, novembro 6th, 2009

4 – Comunicação – Uma disputa pelo poder

A máxima do militante de esquerda que emerge no período ditatorial brasileiro “há governo, sou contra”, podemos transferir para a comunicação de forma inversa. “Há governo, sou a favor”. Os principais grupos econômicos que detêm o poder da grande mídia no Brasil, pertence a um reduzido grupo de famílias. Estes grupos atuam conforme os favorecimentos publicitários, liberação de concessões fortalecido pelo Governo. Assim, o perfil da grande mídia é governista. Para não haver perdas substanciais no controle deste poder, os empresários da comunicação estão influenciando na democratização da 1ª Conferência Nacional de Comunicação (Confecom) por uma forte disputa de poder, onde os donos da mídia, associados ao poder governamental criaram mecanismos defensivos para que esta conferência seja a menos participativa possível. Alguns já estão dando o nome de Conferência dos bilhões.

Por isto que os movimentos sociais, nos quais o CFP (Conselho Federal de Psicologia) está inserido, vem se articulando há mais de três anos e por causa desta articulação conseguiu-se a convocação pelo menos da 1ª Confecom, que pode não ser uma “feijoada bem temperada” mas pelo menos já representará um marco referencial para próximas conferências de comunicação. Devemos ressaltar aqui a importante intervenção da Deputada Federal Iriny Lopes – ES que protocolou o requerimento junto ao Governo Federal solicitando a CONFECOM.

*Conteúdo das palestras de Gerson Abarca por ocasião dos eventos Pró-Conferência Nacional de Comunicação .Eixo: Produção e Conteúdo ,na condição de representante do CRP16 .Gerson Abarca é psicólogo, Conselheiro do CRP16-ES e autor do livro “O Poder da TV no Mundo da Criança e do adolescente” – Ed. Paulus/SP.

Produção e Conteúdo da Mídia*

quinta-feira, novembro 5th, 2009

1 – Vocação humana para o encontro

O ser humano é uma espécie que só se desenvolve a partir do encontro com um outro ser humano.

A maior vocação humana é para o encontro, existimos na medida que nos encontramos.

Um bezerro até consegue sobreviver logo após o parto sem a presença da vaca, mas o bebê necessita dos braços de um adulto, (pais ou quem cuida) para continuar o amadurecimento de alguns órgãos vitais para sua existência após o parto, como é o caso do cérebro, que necessita de aproximadamente mais 180 dias após o parto para se constituir propriamente em cérebro com todas as suas funcionalidades.

2 – O primeiro objeto de comunicação do ser humano

Nesta relação de amadurecimento bebê e mãe estabelecem uma profunda relação em que desenvolve seus processos de vínculo amoroso, onde a estrutura básica de afeto dar-se-á até os 2 anos de idade. E neste estabelecimento de vínculo, muito bem estudado pela psicanalista Melanie Klein o bebê terá no bico dos seios materno o seu primeiro objeto transicional, que representa o meio de ligação entre o bebê e a mãe (Winnicott). E que podemos associar como se o bico dos seios fosse o primeiro brinquedo da criança, onde ela aprende a estabelecer os primeiros processos de separação com a figura materna logo ao nascer, criança e mãe estão cindidos e o bebê relaciona-se como se a mãe fosse uma extensão dele. Por isto que o brinquedo e o brincar é a comunicação do bebê e posteriormente da criança com o mundo (Raquel Soifer). Podemos dizer que a criança conhece o mundo brincando.

3 – Comunicação, uma necessidade fundamentante e elementar

Para se comunicar o bebê nomeia um elemento intermediário, de mediação (mídia). A primeira mídia humana (o bico dos seios da mãe) evolui para os brinquedos e para os diferentes formatos da mídia (mediação). Assim, não conseguimos viver sem comunicar-nos, e consequentemente sem os instrumentos de comunicação que hoje se da nas diferentes formas de mídia (TV; rádio; on-line; imprensa; etc.).

Quando crescemos, o bico do seio passa a ser a mídia, por mediar a relação entre os seres humanos.

Por esta necessidade de comunicação, o apoderamento dos meios de comunicação torna-se uma disputa de poder. De quem vai deter o controle nas interações humanas. Todos os setores da sociedade conseguem associar o quanto é importante os meios de comunicação para a existência. Tanto que o valor de espaço publicitário nas diferentes mídias é caríssimo.

*Conteúdo das palestras de Gerson Abarca por ocasião dos eventos Pró-Conferência Nacional de Comunicação .Eixo Produção e Conteúdo na condição de representante do CRP16. Gerson Abarca é psicólogo, Conselheiro do CRP16-ES e autor do livro “O Poder da TV no Mundo da Criança e do adolescente” – Ed. Paulus/SP.

Subscribe to RSS feed