Archive for the ‘religiao’ Category

GERSON ABARCA APRESENTARÁ PE. ANTONIO MARIA EM EVENTOS NO ESPÍRITO SANTO

sexta-feira, abril 13th, 2012

Nos próximos dias 23 e 24 de abril acontecerão nas cidades de Vitória e Cachoeira do Itapemirim no estado do Espírito Santo  palestras e apresentação do novo livro  do músico católico renomado  Padre Antonio Maria.

O Psicólogo Gerson Abarca foi convidado para apresentar o mesmo nestes dois eventos importantes por ser um nome conhecido na mídia católica e escritor da Editora Paulus.

O deus Marcus, um face que adoramos?

sábado, novembro 26th, 2011

Você acredita que estamos evangelizando pela net ou é a net que está convertendo-nos? Gostaria de saber qual é a sua opinião. Escreva seu comentário, Obrigado! :

Finados, a simbologia incômoda da morte.

quarta-feira, novembro 2nd, 2011

Para muitos o dia de finados não é nada agradável, principalmente se a lembrança é de pessoas cuja falta dói imensamente.

Mas sabemos que finados é um feriado de recolhimento, para fazer lembrança de pessoas que amamos e vieram a falecer. Neste sentido, um pouqinho de angústia e depre é quase que normal.

O certo é que a MORTE é uma realidade elementar ao ser humano. Aqueles que não aceitam a MORTE tornam-se péssimos vivente. Só viverá bem quem conseguir entender que a MORTE é nossa maior amiga.

No livro “A menina que roubava livros”, parece que escutamos a respiração da morte. Mas que literatura maravilhosa, nela potencializei ainda mais a morte dentro de mim, e por incrível que pareça, fiquei mais determinado em viver.

Por muitos anos não dei muita importância a este tema da morte ou na verdade fugia dela. Achava que rituais de finados era coisa de uma sociedade elitizada. Isto porque meu querido pai Neco ( in memória) ganhava muito dinheiro em período de finados. Sempre em outubro ele não saia de cemitérios para construir túmulos de pedra pela sua marmoraria. De tabela levava-me junto com meu irmão Eda (in memória) para limparmos os grandes túmulos de seus clientes no cemítério. Mas era muito interessante, pois meu pai tinha muitas piadas de morto, e passavamos as vezes até de noite treabalhando no cemitério e ouvindo piadas de assombração. Eu ficava durinho de medo.

Assim, fui distanciando-me da importância do cemitério, de túmulos e de velórios. Pagava para não ir a velórios.

Mas fui convivendo com a realidade da morte nos meus parentes diretos, e tive que velar e ajudar enterrar meu irmão Eda, depois meu pai e logo em seguida meu irmão Vander. Aí sim fui dar valor a tudo o que está em torno da morte e do morrer. Velórios, túmulos, flores, pão com mortadela,e afagos de amigos. Comecei a entender na dor de perder quem amo, o significado de Finados.

Se Deus nos permitiu um dia existirmos, temos o direito de sermos homenageados e dignificados com o ritual de passagem, que são todos os elementos que estão representados em um velório, cemitério, túmulo, placas comemorativas, flores, etc. É cultuar quem existiu e sempre existirá, principalmente dentro de uma perpectiva Cristã, de ser um batizado cujo nome está gravado no Céu.

Passe este dia orando pelas almas daqueles que já partiram desta terra. Comtemple tudo o que de mais valioso eles deixaram na sua lembrança.

Nossa Senhora, a face materna de Deus. Um olhar psicanalítico.

quarta-feira, outubro 12th, 2011

Neste dia 12 de outubro de 2011, ao celebrarmos a Padroeira do Brasil e o dia das crianças, veio-me a necessidade de elaborar um pensamento a partir da Psicanálise.

Primeiramente gostaria de remetê-lo a entender a possível relação entre Psicanálise e Religião. Sigmund Freud, em 1900, trás um novo olhar para a psicologia da época, que até então estava vinculada a aspectos comportamentais e biológicos. Remete a construção de um método para a psicologia de caráter filosófico e interpretativo, quando elabora o conceito do inconsciente. Freud, um Judeu de tradição familiar, ao ver o ser humano com potencialidades para construir ou destruir a própria histórias, começa a pensar também sobre o judaísmo e interpretá-lo. Por isso que muita gente imagina que Freud é um sujeito sem religião, o que é um equívoco, pois simplesmente ele começou a pensar sobre a prática religiosa e sua interlocução com o inconsciente. Desta forma elabora pensamentos que o leva ao confronto histórico com sua própria religião e a religião de todos.

No seu texto “Mal estar na civilização”, Freud chega a descrever em conversa com um líder religioso, seu amigo, que entende a existência de pessoas com um “sentimento oceânico”, pessoas com necessidade interna de se relacionar com um ser superior. Daí a grande polêmica, pois Freud trás a possibilidade de que Deus é uma necessidade e por isso uma invenção humana. Para os religiosos que precisam se apegar ao pé da letra, como se a letra tivesse pé, Freud estaria cometendo uma grande heresia.

No entanto, com minha prática religiosa antes mesmo de conhecer a Freud, consegui ver nesta possibilidade do “sentimento oceânico” uma forte brecha para entrar na teoria de Freud e a partir dela construir referenciais técnicos para atuar como Psicólogo, na forma que nomino de “Psicanálise Contextualizada”, prática esta que desenvolvo pelo Instituto Pensamento há 20 anos e consigo sem nenhum constrangimento falar de religião com instrumentos da psicanálise. Aprendi a fazer isto com facilidade através também dos estudos  de Dalton, uma Psicanalista francesa.

Neste sentido, o dia de hoje carrega a forte simbologia da necessidade do vínculo afetivo materno de todo ser humano que crê na pessoa de Nossa Senhora. No caso do Brasil, todos os brasileiros que de alguma forma cultuam Nossa Senhora de Aparecida, uma imagem que apareceu no Rio Paraíba região do vale do Paraíba de São Paulo para pescadores e que transformou seus corações e vem transformando até hoje o de milhões de pessoas.

Somos estruturados como pessoas e construímos nosso caráter e capacidade para amar a partir de vínculos vivenciados ao longo de nossa infância. Nossa Senhora é a possibilidade de vermos restabelecer todas as possibilidades de perdas de vínculos, as lacunas emocionais de nosso existir, pela fé e prática religiosa. Por isso que a fé atribuída à Nossa Senhora remove os corações dos que assim se colocam, com esperança, paz e serenidade. Para uns são as necessidades materiais não resolvidas no passado e que serão solicitadas nas intermediações junto à Nossa Senhora, para outros os buracos afetivos que ao remeter orações a Nossa Senhora trará consolo e satisfação emocional. Outros mais carentes por laços rompidos de forma cruel à pessoa de que se fez mãe na infância poderão se apegar de forma fanática a Nossa Senhora ou quem sabe fugir da possibilidade de existir uma Nossa Senhora.  Um amigo dizia que não conseguia crer em Nossa Senhora por que o vínculo que havia estabelecido com a sua própria mãe foi cruel.

Enfim, a religião e a fé em Nossa Senhora remete-nos a possibilidade de construirmos afetivamente lacunas que nossa história deixou. Por isso mesmo que religião nunca deixará de ter força entre a humanidade.

ORAÇÂO

Nossa Senhora de Aparecida, cubra-me com seu manto e proteja-me de todos os pensamentos negativos. Acolha minhas carências e transforme minhas dificuldades pessoais em serviços de solidariedade aos mais necessitados, como foi seu propósito ao se manifestar no território brasileiro, quando milhares de negros precisavam ser livres das correntes da escravidão.

O programa trocando idéias de terça - foi 10.

quinta-feira, setembro 8th, 2011

Gerson Abarca, Ricardo Sá e Raria Celina no Trocando Idéias

Com o tema Construindo a afetividade, tendo como pergunta geradora de enquete:”Quando nasce a afetividade?”; O programa Trocando Idéias foi realmente muito produtivo. Muitas perguntas on line e por telefone. Um tema pouco trabalhado, por ser de caráter filosófico e ao mesmo tempo vital para a vida humana.

O apresentador Ricardo Sá, sempre brilhante, focou a temática para os vinculos familiares com temas do cotidiano.

Este é um programa que  sempre gosto de estar.

Minha querida esposa Maria Celina estava impecável.

A Trindade como referência de uma relação madura entre pai e filho.

sábado, agosto 13th, 2011

O Pai se fez carne e habitou entre nós (Jo 1) . De Pai torna-se Filho, e ficam dois em um. Nesta relação de vínculo um terceiro se faz, que é a lucidez, o Espírito Santo.

Na Trindade Santa podemos ter a convivência de papéis diferentes que se relacionam em um patamar de igualdade. Pai, Filho e Espírito Santo.

Neste dia dos pais veio-me esta analogia para identificar a saudável relação de filhos adultos com seus pais. Os papeis diferenciados mas em um mesmo posicionamento de igualdade. De adulto para adulto pode nascer um relacionamento de amizade. Dissolve-se a dependência e estabelece a parceria. Assim, o pai deixa de ser o pai enquanto função, e o filho deixa seu papel de subordinado. Estabelecem trocas.

Feliz do filho que ao celebrar o dia dos pais esteja celebrando o dia de um de seus melhores amigos, quem sabe o maior de todos os amigos. Neste dia, os sentimentos são de alegria, jubilo, agradecimento, saudade. Do contrário, quando o filho ainda é filho mesmo tendo crescido e o pai ainda é o pai que domina com medo de perder sua posição, amargarão o dia dos pais como um dia de angústia.

Na fé acontece algo semelhante. Quando nos relacionamos com Deus na condição de filhos imaturos, só queremos pedir, sem muito a oferecer. Vemos deus como um Pai punitivo, que muitas vezes nos escondemos Dele, principalmente quando acreditamos estar no erro. Uma fé infrutífera. Mas se nossa relação com deus se dá na condição de adulto para adulto, faremos compromissos e parcerias, tornamo-nos missionários em construção do Reino. Somos parceiros. Fazemos acontecer o mistério da Santíssima Trindade, onde tornamo-nos um com o Pai sob a luz ( que é a maturidade das relações) o Espírito Santo.

Bispos, Padres e Diáconos negros de todo o Brasil em São Mateus-ES

terça-feira, agosto 2nd, 2011

Durante os dias 25 a 30 de julho, na cidade de São Mateus-Es, aconteceu o encontro nacional do Instituto Mariama, que congrega Bispos, Padres e  Diáconos negros de diferentes dioceses brasileiras.

O encontro refletiu sobre a cultura negra e os emergentes para a formação eclesiática no Brasil. E como não poderia negar a cultura Afro descentente, os participantes sempre que podiam entoavam as rodas de cantigas e o Jongo, que é muito tradicional em São Mateus-ES.

Dom Zanoni, o Bispo negro da Diocese de São Mateus estava todo orgulhoso e feliz em receber este importante evento para a Igreja.

Confira esta contagiante alegria:

Cura interior - Um olhar Teológico e outro Psicológico

sexta-feira, julho 15th, 2011

No debate de 12/07  do programa “Trocando Idéias”, Onde  eu  estava com o olhar da Psicologia e o Pe. Márlon Múcio com o olhar Teológico, fez emergir uma forma diferenciada para a percepção da doença espiritual e emocional na cura interior. Como um orientador espiritual pode detectar se a pessoa na qual está sendo orientada realmente sofre um conflito de ordem espiritual ou emocional?

Muitas perguntas dos internautas ou telespectadores do programa estavam relacionadas a esta necessidade de diferenciação. Quando Pe. Márlon apresentou os dez mandamentos para a cura interior, citou o décimo mandamento que consiste em encaminhar a pessoa em sofrimento a uma ajuda científica, Psiquiatria ou Psicologia.

Com este mandamento, tracei no programa a reflexão que a doença espiritual está diretamente relacionado ao rompimento afetivo da pessoas com Deus; e a doença emocional é o rompimento afetivo com os pais e familiares ao longo da história pessoal.

Desta definição, Pe. Márlon trouxe um outro argumento que clariou ainda mais a diferença, dando suporte para todos que trabalham em orientação espiritual. Falou que na sua experiência de cura interior, observa que quando a doença é de ordem espiritual ela gera ausência de paz. A pessoa fica conturbada, em guerra interior.

Com esta definição, pude trazer um novo elemento para percepção desta diferença, é que na doença emocional a pessoa tende aos sintomas de ansiedade ou depressão (angústia).

Assim, pudemos concluir que Paz é sintoma de saúde espiritual e ausência de ansiedade e depressão é sintoma de saúde emocional.

Outra questão que foi amplamente debatido no programa, foi como identificar um charlatão em cura interior. Para Pe. Márlon é quando o orientador não encaminha o sujeito nem para o Pe. e nem para um proficional de saúde. Ele dá conta de tudo, por ele mesmo.Minha posição nesta questão foi a de mostrar o crescente número de pessoas com prática religiosa fazendo cursos de hipinose ou psicanálise com objetivo de clinicarem sobre os fiéis.

Doenças espirituais é tema do Trocando Idéias de 12/07 na Canção Nova

sábado, julho 9th, 2011

Pe. Paulo Ricardo e o Psicólogo Gerson Abarca

Nesta terça dia 12/07, o programa Trocando Idéias da TV Canção Nova debaterá o tema “doenças espirituais”.

Os convidados são : Pe. Paulo Ricardo e o Psicólogo Gerson Abarca. Apresentação de Ricardo Sá.

Vale  a pena conferir. A partir das 20:30H

Da ostentação monárquica à humildade de João Paulo II

sábado, abril 30th, 2011

Nesta semana vimos a mídia mundial dar destaque quase que exclusivo ao casamento na monarquia Inglesa. Tudo que um bom conto de fada propõe foi vivenciado nesta semana. Tudo bem que esta é uma forma cultural de preservação de identidade de uma nação. Sabemos a custas de quantas batalhas e reinados  o Reino Unido tornou-se um conglomerado de paises desenvolvidos e com economia forte no cenário mundial. Sabemos também que a monarquia de lá é só peça de museu, porém vivo. Mas também sabemos que a sustentação destes rituais em tempos modernos nada mais é do que a ostentação ditatorial da elite. Reis e Rainhas já não mandam, mas com certeza espalham uma rede enorme de privilégios e benefícios para seus herdeiros, às custas de impostos do povo. O povo , por sua vez, prefere sustentar esta encenação, pois nela projeta seus sonhos. Quem sabe da pequena menina de um dia vir a ser escolhida por um herdeiro da corte.

Mas a salvação dos noticiários da mídia mundial ficou por conta da Beatificação do Papa João Paulo II. O Papa popular, aquele que caiu nas graças dos países católicos e não católicos. O Papa da Juventude e da família. O mensageiro da paz em puro sorriso.

Em João Paulo II, a maior de todas as ostentações esta no nome de Nosso Senhor Jesus Cristo . Os noticiários não estão noticiando pompas e mordomias, mas sim a história de um homem que primou pela vida simples e dedicada aos estudos, o principal deles a  defesa da vida.

A Beatificação de João Paulo II é um sinal de esperança para este planeta que insiste em exaltar a individualidade e o prazer pelo prazer. No mundo globaliza do consumo, do cada um por si , a “morte de Deus” é insistentemente anunciada. …E viveram felizes para sempre trancafiados em um castelo encantado. Mas na Beatificação de João Paulo II, a esperança de que  Deus está cada vez mais vivo entre nós, é vitalizada. Pois o testemunho de João Paulo II é a vida comunitária. Deus vive onde há encontro.

Subscribe to RSS feed