Posts Tagged ‘politica’

A crise política brasileira é de caráter.

sábado, outubro 29th, 2011

Com o mais recente episódio do ENEM/MEC, de possíveis falcatruas no sistema de sigilo das provas, com favorecimentos à escola particular e quem sabe funcionários do MEC. Somado ao problemão do Ministério de Esportes e do time daqueles que vendiam a imagem de baluartes da ética, como é o caso do PCdoB. Com a certeza que as obras estruturais para a copa do mundo no Brasil não conseguirão ser entregues em tempo hábil. Acrescido da ciranda de interesses que o Governo LULA cristalizou e Dilma herdou, com certeza sabedora de tudo. Tendo uma oposição “tucanada”  que já esteve no poder e sabemos que era  pior do que está aí.  Multiplicando com o movimento social na sua quase totalidade cooptada pela malha da corrupção e os sindicatos com seus líderes eternos e quase que financiados pelos partidos políticos. Fazendo a prova “dos nove fora” para certificar que minha previsão pode acontecer : “Brasil, vai a falência, mas ao seu redor não tem a Comunidade Europeia para socorrer, como acontece com a Grécia atual. O último que sair, apague a luz”.

Sabemos que esta crise anunciada é com base em uma única tendência: somos um país com homens e mulheres no poder político Executivo, Legislativo que da para contar nos dedos da palma da mão os poucos com caráter, idoneidade é postura ética cidadã.

Só falta o Congresso Nacional aprovar a institucionalização da corrupção. Aí é um pouco mais rápido para “a vaca ir pro brejo”.

OS: Se você acredita que a Presidenta Dilma é austera no combate à corrupção, é possível que também acredite em papai Noel .Ela só destitui do cargo quando a coisa fica insuportável do seu lado. E olha que ainda vejo que ela é um pouco melhorzinha dos que a antecederam na presidência.

Políticos Cristãos e a corrupção

sábado, setembro 17th, 2011

Tenho visto muitos políticos Cristãos e que participam de alguma organização religiosa indo às ruas para defenderem o direito à vida, principalmente em relação ao abordo,  esta atitude sem dúvida é muito louvável. Vejo muitos outros saírem em protesto contra a união homoerótica, na defesa  da família, e com certeza isto gera para eles um embate público que até pode arranhar  a imagem política.

Mas infelizmente não tenho visto políticos Cristãos que participam de denominações religiosas saírem às ruas em protesto contra a corrupção. Será por quê?

Tenho uma tese a este respeito: Observo vários políticos Cristãos com prática religiosa que foram ou são financiados por outros políticos de carreira e rapinas ( estes que se estruturaram em cartéis de corrupção). Tempos atrás, falando sobre um Deputado Cristão de uma grande capital brasileira, soube por  fontes idôneas, que ele tinha sido financiado por um dos políticos daquela cidade mais corruptos da história. Na conversa, indignados, alguém disse: – Mas  se não for assim, ninguém consegue sustentar uma campanha política só com boa fé.

Tive vários amigos políticos Cristãos e de prática religiosa que insistiam comigo que na política o dinheiro não tem cara, e quem não têm pecado que atire a primeira pedra. Por isso que Gandhi já dizia em seu embate de libertação do povo da Índia da opressão colonialista da Inglaterra: “Admiro Jesus Cristo, mas não admiro os Cristãos”.

Eu particularmente já tive a possibilidade de ascender a cargos políticos por várias oportunidades, e infelizmente em todas as situações haviam jogadas corruptíveis, mesmo militando em partido de esquerda ideológica. E por conta da busca do exercício ético cristão, acabei por optar pela independência de idéia , no entanto, pelo isolamento político. Não tenho dúvidas que aqueles que estão dentro de algum sistema político partidário acabam por conviver com a o jogo da meia -ética, pelo menos a Cristã. Pode ser que aprenderam a conviver com outra ética. Isso porque o sistema político brasileiro está totalmente enraizado na prática da corrupção. É um sistema falido.

Neste sentido, tenho quase que a certeza que não veremos Deputados “Cristãos” com prática religiosa saindo às ruas empunhando a bandeira contra a corrupção, mas com certeza continuaremos assistindo seus discursos homo fóbicos contra a homossexualidade. Tomara que eu esteja errado.

Seleção Brasileira, corrupção e violência. Um pais em decadência.

quarta-feira, agosto 10th, 2011

“O tempo passa o tempo voa”. Este é o slogan de uma campanha publicitária do banco Bamerindus, que foi a falência mesmo depois do Governo Federal da época ter injetado muita grana para salvar o banco ( Década de 90). Meu amigo e irmão Urbano Medeiros, um dos maiores instrumentista  do Brasil, foi tema do programa “Gente que Faz”, deste período de ouro do Bamerindus.Mas ele tinha vergonha de colocar o certificado que recebeu do presidente do banco, na época ministro da agricultura – se não me engano – e um dos maiores latifundiários do País. Eu e minha esposa fomos solicitados para sermos tema de um programa “Gente que faz”, mas o banco já estava em decadência e não chegamos a gravar, isto foi em 1996.

Tudo bem , meu bem…

Mas hoje , ao chegar em casa, ouvi duas nobres notícias: Seleção brasileira no aniversário do Mano Corinthiano perde para a Alemanha. Antes já havia perdido na Copa América, e antes já estava entregando o ouro no Corinthians;

No Rio de Janeiro, uma quadrilha de bandidos realiza um seqüestro em ônibus urbano na principal avenida da cidade e graças aos policiais pouco preparados, vários passageiros ficaram feridos, além de uma linda cena de guerrilha urbana.

Tudo é lindo abaixo dos trópicos, e dizem que deus é brasileiro…meu amor!

Agora, a Dilma está em queda livre nas pesquisas de opinião, também pudera, mesmo depois da lei de responsabilidade fiscal, a corrupção anda a vento em polpa. Parece que depois desta lei a coisa piorou. Estamos assistindo o pais ser saqueado por políticos de diferentes partidos políticos, e nesta não sobra ninguém…infelizmente. Mesmo quem se diz Cristão fica conivente. Pelo menos não tenho visto nenhum deles fazendo manifestação…No fundo sabem e são coniventes. Provem que não, manifestem-se.

Em final de conversa, o último que sair, apague a luz!!!!

Ta vendo! Crise no futebol é sinônimo de decadência Nacional.

Pô meu… Fui mal. Na copa de 70, quando a nossa seleção brilhava, milhares de brasileiros estavam sendo assassinado pelos militares, veja isto no livro “ Brasil nunca Mais” de Dom Paulo Evaristo Airs.

O Empresário e o Operário – ambos com quinta série apenas .

quarta-feira, março 30th, 2011

A morte do Vice Presidente José de Alencar, que está sendo velado hoje em Brasília, levou-me a pensar na forte amizade e parceria bem sucedida dele com o ex-Presidente da República Lula.

José de Alencar, empresário de sucesso , estudou até a quinta série e tornou-se um dos políticos mais respeitados do Brasil. Lula, operário, também estudou até a quinta série, tornou-se o Presidente do Brasil com melhor índice de aprovação De nossa história, e com certeza do mundo, pois manteve sua avaliação favorável ao longo de oito anos.

Enquanto no regime militar brasileiro, a cavalaria militar coibia as greves dos trabalhadores em diversas capitais do Brasil, Lula liderava os operários, surgindo dali sua grande força política. José de Alencar, na condição de empresário manteve nesta época foco na produtividade e tratou de zelar pela qualidade de vida de seus operários. Outros poucos empresários não se opuseram às greves, entendendo que era um mecanismo legítimo da classe operária reivindicar seus direitos. Ricardo Semler, um dos maiores empresários no Brasil, também fazia parte deste seleto grupo de empresários, e inclusive colaborava com o almoço dos operários em dias de paralisação de greve.

Pessoas do brilho e sensibilidade de José de Alencar, sabem e preferem se unir a pessoas também de brilho, independente da classe social, raça, ou credo. Desta forma, uniu-se a Lula, politicamente e também como amigo. Fizeram uma dobradinha que dificilmente veremos em outros mandatos presidenciais na história futura deste país.

José de Alencar ajudou a quebrar o paradigma da classe empresarial brasileira, que a meu ver ainda é selvagem e arcaica na sua maioria. Mostrou para os seus colegas que a integração do empresariado com o operariado é necessária e altamente produtível. Fez muitos dos empresários que só de ouvir falar de Lula já ironizam dizendo que é um analfabeto, beberrão e sem modos( como que ser empresário já desse passaporte para o sujeito ser descente e educado), a reverem suas posturas preconceituosas.

O Empresário e o Operário – semi-analfabetos – como ironizam muitos da elite, chegaram juntos, foram fiéis, e venceram.

José de Alencar passou pela política e não deixou arranhões, e suas empresas são lucrativas. Minas Gerais têm orgulho deste filho muito mineiro. Lula, no dia da morte de José de Alencar, recebe seu segundo título de Doutor  honoris causa  pela Universidade de Coimbra em Portugal, sendo o primeiro pela Universidade de Viçosa-MG. E sua fidelidade ao amigo José de Alencar mobilizou-o para estar em tempo no velório do amigo.

Que o exemplo de José de Alencar faça chegar à consciência dos muitos brasileiros que não passam fome e são afortunados, a eliminarem preconceitos perante cidadão de classes empobrecidas que ascendem socialmente e politicamente.

OBRIGADO JOSÉ DE ALENCAR

O pobre tem raiva do rico, afirma Paulo lins.

quinta-feira, fevereiro 24th, 2011

No telejornal da TV Cultura desta quarta feira, 23/02/2011, o escritor e poeta Paulo Lins, autor do livro “Cidade de Deus”, afirma que estamos vivendo na época do “rancor social”, onde os empobrecidos (pobres), manifestam em atitudes raiva dos enriquecidos( ricos). Esta sua análise estava ligada a matéria sobre a violência dos ladrões no ato de um assalto. Lembra que antigamente o ladrão roubava e ainda deixava o dinheiro para a vítima pegar o ônibus para a casa.

Morador da favela Cidade de Deus no Rio de Janeiro, Paulo Lins ficou famoso quando seu livro virou roteiro para cinema. Escreveu este romance que se transformou em um belo filme ( bem dirigido, e real ). Revela que ele mesmo , ao conviver com moradores da favela, sente este rancor do pobre pelo rico. Atribui este comportamento pela questão da estrutura social consumista e capitalista, onde as pessoas existem se consomem. Assim, o sentimento do pobre é de não pertencre a esta sociedade.

A soluçaõ mais eficaz contra a violência, principalmente do roubo, está a longo prazo, na diminuição das diferenças materias entre as classes sociais, ou mesmo da eliminação total da pobreza.

Pelo visto, este rancor tende a aumentar. Poucos estão lutando ou fazerdo algo para transformar nossa realidade – das disputas de classes-.

Segunda fase do vestibular UNESP, começa domingo. A batalha por uma vaga.

sábado, dezembro 18th, 2010

Meu amigo Rubem Alves já alertava-nos há muitos anos que a melhor forma para os alunos concorrerem ao vestibular era coloca-los em um grande estádio com sorteio de bingo. Aqueles que fossem preenchendo as cartelas, estariam dentro. Brincava desta forma com o objetivo de denunciar esta formula torturante de seleção para a universidade.

Hoje na praia, conversando com outro grande amigo professor universitário Marcelo Barreto, ele questionava esta coisa de realizar primeira etapa do vestibular e depois de um mês a segunda etapa. Para ele, o modelo da Universidade de Viçosa-MG, parece mais coerente, pois o aluno faz a primeira e segunda etapa juntas, e se na qualificação da primeira o aluno atingir a média, é avaliado a segunda prova. Pelo menos os alunos só gastam uma ida ao vestibular.

MEU QUERIDO SAMUEL NO PÁREO DA UNESP

Meu filho Samuel Iauany, passou na primeira fase da UNESP, em Psicologia, Assis-SP, como o primeiro colocado. Fez 82% da prova. Nesta segunda fase, pelo fato da UNESP exigir conhecimento em todas as áreas, independentemente do aluno ter que usar ou não tal conhecimento no curso superior, o Samuel corre o risco de não passar na segunda fase, mesmo estando em primeiro lugar na primeira fase. Coisas do Brasil. Quando fiz o vestibular da UNESP em 1984, a segunda fase era apenas das disciplinas relacionadas com o curso superior que estávamos concorrendo.

Estou na torcida do Samuca conseguir um bom resultado, um torcida tão ansiosa quanto a de um bingo de um carro.

Com certeza, precisaremos de mais outros 500 anos para chegarmos a formas mais coerentes para um aluno entrar em uma Universidade pública.

Falta Psicólogos na organização do ENEM tão desumano.

segunda-feira, novembro 8th, 2010

Caros amigos, a prova do ENEM é uma prova de resistência ou de conhecimento?

Gente, é humanamente absurdo a quantidade de questões que o aluno precisa ler para responder em tão pouco tempo, e ao mesmo tempo em um único período. Pasmem! não há intervalo, o tempo é contínuo.

Nossos alunos estão virando heróis ou quem sabe estão sofrendo da sindrome de passividade.

Nem no trabalho conseguimos ficar direto produzindo sem intervalo, mas o ENEM foi pensado para jovens, imaginam os seus orgasnizadores que eles possuem mais vitalidade.

Mas se ENEM é para medir capacidade de relacionar conhecimento com a vida, e nisso o ENEM acertou, por que a tortura de exigir dos alunos esta carga horária com tantas questões?

Não estou querendo dizer que devemos amenizar as coisas, mas simplesmente devemos desenvolver ações onde o ser humano esteja como foco, e não uma máquina de dar respostas.

Aposto que na equipe que pensa e organiza o ENEM não está presente o profissional Psicólogo.

Parabéns queridos e estimados Professores*

sexta-feira, outubro 15th, 2010

Queridos Professores,

Neste dia 15 de outubro, passei com imagens de Professores que me ajudaram a ser o que sou. Mas Professores mesmo. Categoria.

A primeira que veio a mente foi a Madalena da Escola Cândido Rodrigues da cidade de São José do Rio Pardo-SP, onde nasci. Ela com seu lindo e cumprido cabelos deixou-me apaixonado pelo desejo de ir à escola e estudar na pré-escola, até levava flores para ela. Sabe de um segredo? Ela ensinou-me a escovar os dentes, e até hoje penso nela, quando escovo os dentes. Sabe por quê? Ah! Ela dizia que escovar os dentes era tão bom quanto beber um refrigerante. Como meus pais não podiam pagar refrigerantes para eu levar à escola, então escovava os dentes pensando no refrigerante. Como ela sabia disto?

Depois, teve aquela professora Sara que me chamou de magricela, mas quando tirei 10 em matemática, ela disse que esta magricela era muito rapidinho para calcular. Mas repeti a quinta série por causa do português. A Dona Odete, uma professora muito séria, deixava-me encabulado, eu tinha medo dela. Imagine você um menino franzino diante de uma professora com cara de brava. Dona Odete ficava furioso comigo, tirava sempre 5 nas redações, porque era bom de idéias e péssimo na ortografia. Mas não deu pé, porque o português nas escolas parece coisa de “português mesmo”, desculpe o trocadilho. Na hora das provas gramaticais eu só tirava zero. Aí não teve jeito, repeti mesmo.

Bom mesmo foi o Professor Bagody, de matemática. Ele dava aula para ele mesmo. Mas , “caramba!”(termo paulistano),a gente aprendia. Acho que é porque eu já tinha facilidade com matemática. Sabe, o Professor Bagody tinha um método disciplinar fantástico, ele dava pontos positivos e negativos por comportamento na sala de aula. Mas era na hora do fato. Teve um bimestre que eu ficaria com nota 10, mas no final fiquei com 2. Ele conseguiu mostrar-me que os meus pontos negativos por agitações em sala de aula, transformou minha média em um desespero. Pergunte para mim se depois deste resultado eu voltei a fazer bagunça em sala de aula.

O pior ( ou melhor), é que depois que me formei em Psicologia, fui contratado para apagar fogo em uma turma de sexta série( dos hormônios pululantes), e descobri em uma pesquisa diagnóstica, que o professor querido dos alunos era um jovem( o mais jovem dos professores daquela escola), usava o mesmo método do Professor Bagody. Os demais professores com problemas com a turma, não usavam métodos tradicionais porque a escola era particular e tinham medo dos pais não aprovarem coisas tradicionais.

Sabe de uma coisa, recentemente tenho sido convidado a ministrar aulas em cursos de Pós- graduações, e teve dias em que ministrei aulas o dia inteiro. Cara, fiquei um “bagaço”. Conclui uma coisa: ser professor não é mole não.

Se eu fosse Ministro da Educação, lutaria para que o salário de um professor fosse o mais elevado de todas as profissões da Nação brasileira. Afinal de contas, todo cidadão passou pelas mãos de um Professor. Sem dúvida, não somos muito sem um bom Professor.

Agora, cá entre nós, Professor é categoria. Por isto, professor sério tem que sindicalizar-se. Tudo bem que o presidenciável José Serra “demoniza” o sindicato dos Professores de São Paulo. Mas convenhamos, para que o salário de Professores esteja no patamar do melhor salário do país, é só com muita luta corporativista, sim!. Ainda bem que neste ponto a Dilma ( também presidenciável), acredita que antes de se avaliar capacidades de Professor, é necessário potencializá-los para tal, por isto o aumento da quantidade e expansão das Universidades Federais no Governo Lula. Sabe! Um o Professor Universitário Dr. Marcelo Barreto da UFES- Extensão São Mateus-ES disse-me que os Professores das Universidade Públicas hoje, estão ganhando mais do que os das faculdades particulares, isto porque ele ministrou aulas em faculdade particular por muitos anos. Sinal de que há mudanças na forma de ver o Professor.

Caros e nobres Professores, palavras não conseguirão expressar o quando estimo vocês.

Sou o que sou hoje, porque vocês me ajudaram a ser o que sou.

Parabéns e muito obrigado

* Dedico este artigo especialmente ao Professor Marcos Correa, Professor de Geografia pela rede pública de ensino estadual na cidade de Ourinhos-SP

ELEIÇÕES - UM VOTO VALE OURO - VOTE

sábado, outubro 2nd, 2010

Chegou o dia D. as eleições 2010 trouxe a certeza de que o sistema político partidário precisa mudar. Não identificamos partidos e candidatos. A Dilma é do LULA, o Serra é dele mesmo, a Marina da turma do verde ou da fé, o Plínio ( este sim, o único que falou abertamente sobre as propostas do PSOL).

Ditadura civil , preconizada pelo jurista Dr. Hélio Bicudo, ao denunciar as ações do Lula como Presidente na condição de cabo eleitoral mor de Dilma, e a questão: “ ela vai ser manipulada por LULA? O risco anunciado da ameaça da democracia no Brasil.

Em uma única eleição, vários cargos e muita confusão. O eleitor acaba votando com as cópias dos santinhos de campanhas, e não por escolha livre. Parece que esta mistura de eleição ao parlamento e ao executivo acaba levando a uma nítida confusão das forças e funções políticas destas duas instâncias. Quando vemos países com eleições parlamentares diferenciadas da Presidencial, observamos inclusive as reais forças do executivo, como aconteceu recentemente na Venezuela onde Hugo Chaves vê seu poderio ameaçado com o crescimento dos parlamentares de oposição chegando a mais de um terço do congresso.

No Brasil, medimos o presidente por pesquisas de popularidade e não por votos.

Vou votar por dever cívico e consciência cidadã, mas sabendo que estamos em uma ditadura. A ditadura daqueles que detém o poder econômico para serem ou apoiarem candidatos. Dificilmente as lideranças que emergem das comunidades ou por trabalhos legítimos à sociedade, conseguirão sustentar uma campanha apenas por posturas e atitudes ideológicas. Podem sim , serem cooptados pelo poder econômico para galgarem um posto político, mas nunca com a liberdade de expressão de suas próprias idéias.

UMA VANTAGEM NESTA ELEIÇÃO – OU DUAS:

Vimos que os valores morais religiosos representaram o “fio da navalha na postura dos candidatos”, que diante das pressões dos fiéis das diferentes religiões no Brasil, tiveram que omitir ou recuar nas temáticas polêmicas como aborto e drogas; Também, em comparação a outras eleições presidenciais, o nível dos candidatos, pelo menos dos quatro que foram mais solicitados nos debates, estava bem mais elevado. Não tenho dúvidas da competência de todos e da história pessoal de cada um.

Apenas não tiveram coragem de entrarem em temas complexos para a vida do país, parece que com medo de exporem daquilo que também não conseguiriam apresentar propostas, como por exemplo, a própria reforma política.

PARAGOMINAS - PA - Uma cidade diferenciada

domingo, setembro 19th, 2010

 

Estou em Paragominas-PA, entre as cidades de Imperatriz-MA e Belém-PR. Uma cidade que pouco tempo era vista comoParagobala“. Não se  conseguia andar sozinho na rua à noite.

Mas estou encantado. Fiquei pensando na cidade bagunçada em que moro São Mateus-ES, onde não existe um projeto urbanístico que priorize o pedestre. Aqui em Paragominas, é brincadeira, existem muitas faixas de pedestres, com sinalização de semáforos indicando pedestres, onde todos param para priorizar o pedestre. A cidade está ecologicamente correta na concepção urbanística e e há grandes avenidas planejadas. Hoje o município já encontra-se na faixa verde ecológica, pela contenção do desmatamento e pela exigências de MSM das grandes empresas que por aqui estão se instalando.

Mas, ainda é preciso acertar o esgoto a céu aberto, uma característica das cidades do Norte do país, e também começar a expandir as melhorias urbanas para os bairros periféricos. Mesmo assim as administrações públicas que por aqui passaram, estão demonstrando zelo pela beleza da cidade. Uma senhora disse-me que que no passado ela tinha vergonha de dizer que era de Paragominas-PR mas que com as melhorias urbanas da cidade, ela começou a sentir orgulho de dizer que é nascida na cidade.

Veja, é uma questão simples e estrutural, basta algumas melhorias básicas e inteligentes no complexo urbano, que temos um povo tendo orgulho de ser cidadão de uma cidade

Subscribe to RSS feed