Conheça a história da Sandra que foi diagnóstica com câncer de mama

Conheça a história de Sandra Regina, 51 anos, que mora em Cachoeira Paulista (SP), enfrenta a luta contra o câncer de mama. No seu caso, entretanto, a fé em Deus e o apoio da família foram fundamentais para enfrentar esse momento tão difícil.

Foto: Arquivo Pessoal

Em agosto de 2017 senti que meu seio estava doendo então fui ao médico, chegando lá ele logo me atendeu e diante dos sintomas relatados, solicitou com urgência os exames de mama.

No começo de fevereiro de 2018, fui chamada no AME de Lorena (SP), fiz a ultrassom de mama. No dia do meu aniversário vinte e um de fevereiro quando completava cinquenta anos, o médico deu o diagnóstico, eu já estava preparada para ouvir que o resultado seria este devido as dores que estava sentindo, o inchaço e incomodo.

E aqui digo uma coisa não foi descuido meu, pois fazia exames todos os anos e sempre deu cisto, mas sempre questionava o médico, se não era caso de tirar ele dizia que não porque ele não está evoluindo de tamanho.

Comecei o tratamento em maio de 2018, em São Paulo no hospital Pérola Byington, chegando lá a médica foi me explicando como seria as seções de quimioterapia foram necessárias oito, sendo seis vermelhas e duas brancas. No segundo dia meus cabelos cairiam, disse a ela que o importante era a minha vida, que amo e confio em Deus, sei que Ele está comigo.

Então a médica ficou feliz em saber que eu estava vivendo um processo de aceitação da doença, dentro de mim tinha a certeza que minha fé e coragem ia vencer, pois olhei para minha vida e vi tantas coisas que passei e consegui superar, e também fazer memória dos sonhos de ver o casamento dos meus filhos e tantos outros.

Deu inicio as sessões, fui bem fiel e como a médica já havia me avisado meus cabelos caíram, ganhei uma peruca, mas preferi usar o lenço, não foi um período fácil, pois as medicações são muito fortes. Aguentei firme com apoio da minha família, principalmente da minha sogra que me acompanhava em todo tempo.

Quando acabaram as medicações, foi marcado para fazer a cirurgia no dia seis de novembro, a médica perguntou: “você vai tirar tudo?” eu disse: “sim” “não vai ter jeito de reconstruir o seu seio” disse ela. Parecia não acreditar que em vida precisaria tirar um pedaço de mim, mas era por um motivo maior, minha vida.

Leia mais:

6 dicas de nutrição durante o tratamento oncológico

Outubro Rosa: câncer de mama o diagnóstico precoce é fundamental

Os médicos me prepararam para fazer a cirurgia, minha sogra como sempre do meu lado. Quando fui para mesa de cirurgia, ela foi para uma capelinha que tem dentro do hospital.

No momento que terminou a cirurgia fui para o quarto, minha sogra ainda não estava, mas logo chegou e ficou emocionada ao ver que eu estava sorrindo. Então disse a ela, que amo Deus, que estava bem e que graças as orações da minha família e amigos eu venci.

Hoje, estou bem. No dia seis de novembro deste ano completa um ano, vou retornar ao médico para realizar novos exames. Confio em Deus e Nossa Senhora que estão sempre presentes comigo e com minha família nos protegendo.

Sei que cada mulher é diferente uma da outra, porém digo a vocês que talvez estejam enfrentando essa doença, não deixem de lutar pela sua vida. Cuide de você, acredite e confie em Deus.