Print Friendly

Frutos da Casa de Maria em minha vida…

Dia 20 de janeiro de 1998, às 15h30, eu entrava pelo portão daquela que seria a partir daquele momento a minha casa, o meu lar, a minha família. Eu estava ingressando no tempo de formação inicial da Comunidade Canção Nova. Lembro-me com muita alegria desse momento… naquele dia  eu começava a viver a experiência de “ser comunidade”.

Nossa SenhoraUm lugar simples, silencioso e repleto da presença da Virgem Maria. Ali, a cada dia, acontecia uma novidade e eu experimentava os cuidados de uma Mãe que muito me ama.

Eu poderia falar de inúmeras experiências vividas naqueles 6 meses que ali morei, mas partilho algo muito profundo e particular: eu tinha 24 anos, a 3ª filha de uma família simples. Tinha uma vida normal, estudava, trabalhava, era cheia de sonhos e vontades… assim eu cresci e entrei na adolescência.

Vivia a comparação com as outras meninas da minha idade e me sentia  feia, destacando minha magreza, meus cabelos feios e minhas sardas no rosto (na escola tinha vários apelidos como girafa, Olivia Palito…) e assim eu cheguei na Casa de Maria.

Eu era uma jovem que tinha medo de mim mesma, que me escondia dos outros, que tinha me tornado áspera, rude comigo e com os outros.

A presença tão real e verdadeira de Nossa Senhora me levou a entrar em um caminho profundo de cura interior. Pude olhar, com Ela, dentro de mim mesma e buscar as raízes dos acontecimentos, me deixando ser curada e assim ser  livre. Assumi que eu tinha necessidade de ser cuidada, formada e educada. Nesse caminho muitas vezes chorei, silenciei, redescobri o valor de cada gesto e de cada acontecimento da vida. Redescobrir a beleza de ser mulher, ser feminina, ser sensível, ser materna. Descobri que isso não era um sinal de fraqueza como eu pensava, eu tinha assumido que minha mãe, por ser uma mulher doce e amável, era uma mulher fraca. Eu pensava que a mulher forte era aquela que não precisava de ninguém, que tomava suas decisões, era independente.

Na Casa de Maria eu entrei segurada pelas mãos da Virgem nesse caminho novo. Tive a grande alegria de redescobrir a presença e a força da minha mãe que me gerou, cuidou de mim e me educou: dona Maria Aparecida da Silva. Nossa Senhora me fez ver o grande presente que Deus  me deu, a minha mãe que tanto amo.

Hoje meu relacionamento com ela é maravilhoso. Sou muito mais presente em sua vida, fruto da Casa de Maria na minha vida.
Posso dizer com muita sinceridade: sou uma nova mulher moldada pelas mãos de Nossa Senhora na Casa de Maria. Aquela que no silêncio e na simplicidade me ensinou a viver com profundidade, alegria e gratidão a Deus.

Não tenha medo de se deixar moldar pelas mãos de Maria. Ela te ama como Mãe e sabe o que é melhor para você em cada estação da sua vida!.Marelena Cardoso - missionária Canção Nova

Marelena Cardoso Ribeiro
Comunidade Canção Nova – Roma / Itália
blog.cancaonova.com/roma

Comments closed.