Print Friendly

Corajoso é aquele que deixa Deus vencer em sua vida!

Para que o Senhor seja vencedor e se estabeleça no centro de nossas vidas muitas vezes Ele precisa nos desconstruir e precisamos nos deixar formar pelos pensamentos, sentimentos, atitudes e verdade de Cristo. Deixar-se modelar “como barro nas mãos do oleiro” (conforme Jr 18,6).

Cheguei a Casa de Maria, em Queluz/SP em 2012 para viver a experiência do Discipulado, etapa formativa necessária para assumir o compromisso dentro da Comunidade Canção Nova.

E como cheguei? Com uma história marcada por traumas, feridas interiores profundas, com as marcas e os complexos de inferioridade, de rejeição, abandono, incapacidade, com carência de amor de pai, com sentimentos de culpa e precisando perdoar a muitos e a mim mesma. Com convicções, ideias fixas, conceitos estabelecidos, “verdades imutáveis”. Cheguei com vários mecanismos de autodefesa e usando máscaras para esconder quem eu era de verdade.

Talvez você já fez isto ou ainda faça, já que lutamos para nos proteger quando estamos a ser descobertos. Mas a Palavra de Deus diz: “Se alguém não nascer da água e do Espírito não poderá entrar no Reino de Deus” (Jo 3,5). Por isso fui assim introduzida no ventre da Virgem Maria, esposa do Espírito Santo e me permiti ser gerada por Eles. Derramei o meu coração com as minhas dores diante do “Deus Imenso”. Ele me encontrou e me amou na condição que eu estava. Apresentou-se como Pai Misericordioso me fazendo descobrir e experimentar nas situações mais ordinárias do dia a dia o seu amor por mim. Me fez trilhar um caminho de correção e conversão. Revelou a minha identidade, quem eu sou de verdade na minha essência: imagem e semelhança de Deus. Descobri-me filha amada que se encontra com o Pai.

Experimentei o seu toque de cura e de libertação. Ele foi tirando as minhas máscaras e me dando um novo olhar sobre mim mesma, sobre a minha história. Fui entrando em Sua intimidade e o conheci mais. Troquei minhas verdades pelas do Evangelho. Deixei Deus ser Deus, afinal de contas Ele precisa vencer sempre! Só assim pude me encontrar com o carisma Canção Nova, para o qual fui chamada, e descobrir o meu coração missionário. Encontrei meu lugar!

Porém todo este processo de conversão e reconstrução é doloroso. Custa lágrimas. E exige renúncias, principalmente de si mesmo. É um sofrimento da alma, mas que transborda também para o físico, o emocional, a pessoa como um todo. “Mas se o grão de trigo que cai na terra não morre fica só. Mas se morre produz muito fruto” (Jo 12,24). Por tudo isto vale a pena!

Nada disso vivi sozinha. Vivi com aqueles que estavam ao meu lado: formadores e irmãos. Pessoas que confiaram, acreditaram e investiram em mim. Fui cuidada e amada… Aprendi, principalmente dos meus formadores, que devo sempre acreditar que toda pessoa pode ser reconstruída. Que pode ser formado um homem e uma mulher Nova. Sou testemunha de que isso é possível.

Quando os desafios da luta diária, quando as pessoas ou eu mesma, situações ou sofrimentos do tempo presente levam-me a esquecer das obras grandiosas que fez em mim o Poderoso, Sua Palavra se faz ressoar. “Aprendi que tudo o que Deus faz é para sempre” (Ecle 3,14).

Tenha você também a coragem de deixar Deus te desconstruir e reconstruir, assim poderás dizer junto comigo EU SOU FELIZ!

Maria Edisanha Silva Santos
fb.com/maria.edisanha
Missionária da Comunidade Canção Nova [Juniorato]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *