Print Friendly

Homilia de abertura do tempo forte de adoração ao DEUS IMENSO

Irmãos e irmãs, que alegria celebrar a ressurreição do Senhor. A ressurreição Daquele que é Imenso, que vem e se deixa alcançar por nós. Os Santos Padres nos dizem que “não há alegria maior, senão essa, que a liturgia nos convida a viver: celebrando a ressurreição do Senhor.”

A sua finalidade não é simplesmente para vivermos aqui sorrindo, mas para encontrarmos o Cristo. Quem encontra Jesus tem a alegria e é capaz de sorrir em meio as adversidades ou os medos. Essas mulheres, tomadas por medo, foram ao encontro do Senhor e, ao encontrá-Lo, expressaram com alegria e foram anunciar o que encontraram. “Quando se procura o Senhor com todo o coração a alegria toma conta de nós.”

Padre Aluizio em sua homilia na Missa de Abertura do Deus ImensoÉ uma alegria que envolve nossa alma. Porém é uma procura exigente que passa por todas as instancias do nosso dia, em meio aos trabalhos e tarefas, e o desafio é encontrar o Senhor para celebrar, com alegria, a Sua presença. As mulheres citadas no Evangelho, Maria Madalena e Maria, descobriram que a missão começa aos pés de Jesus. Elas descobriram que a missão começa de joelhos, dobrados aos pés do Senhor e que a alegria da missão esta justamente em prostrar-se diante dos pés mestre e dele receberem o mandato: “Ide, anunciai”.

Aos pés do Senhor, a nossa missão recebe vitalidade. Descobrimos que é possível servir com alegria e crescer na vida espiritual. Santo Tomás de Aquino, diz que o primeiro passo para progredir na vida espiritual é “encher o coração de alegria”. Não a alegria do mundo, mas a alegria de encontrar o Cristo Ressuscitado e encontrar também com os outros na alegria. A alegria é um dos sinais deste encontro.

Meus irmãos, nossas as casas precisam ser contagiadas pelos sinais do ressuscitado, do vivente, do Deus Imenso. Nossa família Canção Nova e povo de Deus precisa estar contagiados por esse sinal de ressurreição porque é dele que provem toda a nossa vida. É mais que uma experiência, mas uma vida que se distribui em meio aos que o encontra: o Senhor permanece vivo e dá para nós “Alegria e paz” que deve ser transmitida com o coração, palavras e com os nossos gestos.

Temos a graça de conviver o 2º ano, na presença do Deus Imenso. O que é esse acontecimento? É a experiência da ressurreição se dando na nossa vida, a partir do nosso interior e que vai contagiando toda a nossa vida. Deus Imenso é o ressucitado adorado entre nós. Ele tem todo o direito de ser aquilo que é e, nós, temos o dever de dar toda a glória devida. Encher o coração de alegria é dar a Deus tudo o que ele merece. É descobrir que a força da nossa consagração está diante de Deus quando nos prostramos. Por isso, que não podemos ceder ao pecado. Estar diante do Deus Imenso é clamar pela santidade. Quando fugimos de Deus e imaginamos que evangelizar se dá distante do Senhor, corremos o risco de não contagiair, de falência, fracasso…

Evangelizar, por primeiro, é se colocar como aprendiz aos pés do mestre, como alguém que necessita, em tudo, da presença do Senhor e da sua alegria para sermos comunicadores. Evangelizar é passar por primeiro a experiência vivida com Ele. Hoje, celebramos a alegria de mulheres que encontraram no túmulo a alegria, a força da vida. Somos convidados a levarmos, dos nossos lugares à onde estivermos a força da vida. Interessante é que aqueles que pagaram 30 moedas por Jesus pagou muito mais tentando esconder a verdade da ressurreição. Eis a força da nossa evangelização: nenhum dinheiro pode deter a Verdade que encontramos!

Sejamos aqueles que colaboram com Ele, acreditando que o ressuscitado vive no meio de nós. A Ele o “eterno Aleluia”, o eterno louvor e o jubilo por aquele que O descobre como sentido de suas vidas.

Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo.

Padre Aluisio Ricardo

.

Veja também:

.: FOTOS desta celebração em fb.com/CNQueluz

.: Depoimentos de quem esteve nesta Missa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *