Print Friendly

“Por esta causa dobro os joelhos em presença do Pai, ao qual deve a sua existência toda família no céu e na terra, para que vos conceda, segundo seu glorioso tesouro, que sejais poderosamente robustecidos pelo seu Espírito em vista do crescimento do vosso homem interior. Que Cristo habite pela fé em vossos corações, arraigados e consolidados na caridade, a fim de que possais, com todos os cristãos, compreender qual seja a largura, o comprimento, a altura e a profundidade, isto é, conhecer a caridade de Cristo, que desafia todo o conhecimento, e sejais cheios de toda a plenitude de Deus. Àquele que, pela virtude que opera em nós, pode fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou entendemos, a ele seja dada glória na Igreja, e em Cristo Jesus, por todas as gerações de eternidade. Amém.”(Efésios 3,14-21)

sao-pauloEsta Oração de São Paulo e rica e densa de significado. Podemos perceber neste texto que São Paulo utiliza de um esquema trinitário, sem usar o termo técnico Filho: o pai (vv14.19), seu Espírito (v 16), Cristo (vv. 17.19.). O Espírito é o novo dinamismo interior; a fé nos abre e transforma em morada estável de Cristo, o amor nos dá raiz e alicerce, de onde brota uma nova capacidade de conhecer e compreender o mistério.

A Vida de Oração é muito importante para o consagrado assim como podemos perceber no hino recitado em Ef 3,14s. Pois quando vamos ao encontro do Senhor por meio da oração o seu Espírito vem em nosso auxilio, nos preenchendo com a sua graça, com seu poder. “O Espirito Santo é o mestre interior. Gerando em nós o homem interior.

Aquele que busca a Deus é fortalecido (engrandecido) por meio de seu Espirito Santo. A oração é um tempo forte por excelência na vida do consagrado, principalmente a liturgia. “A liturgia” também é participação da oração de Cristo, dirigida ao pai no Espirito Santo. Nela toda oração cristã encontra sua fonte e termo. Pela liturgia, o homem interior é enraizado e fundado no grande amor com o qual o Pai nos amou. Em seu Filho bem-amado. É a mesma “maravilha de Deus” que é vivida e interiorizada por toda oração, em todo tempo, no Espirito (Ef 6,18).[1] Pois é na oração que Deus nos arma de poder por meio de seu Espirito Santo. Para que sejamos fortificados interiormente, para que Cristo habite em nós.

A partir do momento que estamos enraizados no amor e vivendo uma verdadeira vida de oração ai sim estaremos capacitados a entender como os santos… o simples conhecimento não pode plenificar o homem; só o amor que Cristo nos tem, experimentado, pode plenificar o homem, porque o seu amor revela o amor de Deus (Cf. Jo 1,15).

Cristo habita em nós e Ele é capaz de realizar em nós infinitamente mais que tudo que possamos pedir ou pensar.

Mas para isso precisamos ser íntimos, próximo d’Ele, conhece-lo verdadeiramente. Aqui não é teologia da retribuição e muito menos teologia da prosperidade. Mas sim a vivência da verdadeira fé da Igreja. Sendo fiel a minha consagração e a minha vida de oração ai sim serei repleto da glória de Deus e sendo repleto da glória de Deus serei capaz de ser um verdadeiro propagador desta graça. Levando outras pessoas a fazerem a mesma experiência, ou seja, a experiência do Batismo no Espirito Santo.

 

Diac. Leandro Paulo do Couto

[1] CEC n. 1073.

Referencias

Bíblia de Jerusalém.

Bíblia  e Estudo Ave Maria

Bíblia CNBB

Bíblia do Peregrino

Catecismo da Igreja Católica

 

Comments closed.