Print Friendly

Há trinta anos a Comunidade Canção Nova passava um momento muito doloroso que foi a perda da Isabel Cortês, que era membro do núcleo e faleceu doando a vida em missão.

“o Senhor inspirou no coração do Pe. Jonas o desejo de lutar pela santidade”

Na ocasião, no dia 22 de junho de 1991, na Missa de corpo presente que precedeu o sepultamento o Senhor inspirou no coração do Pe. Jonas o desejo de lutar pela santidade. Então, ele fez o apelo aos membros da comunidade: “Ou Santos Ou Nada”. Foi um tempo forte de cada um refletir sobre suas vidas e retomar o empenho pessoal e comunitário de santidade.

Buscar a santidade parece algo impossível, mas quando permitimos que o Espírito Santo aja em nós a graça do Senhor acontece. Ele mesmo nos chama a ser santos em vários trechos da Sagrada Escritura: “Sede santos, pois eu sou santo” (1Pedro 1, 15-16); “Portanto santificai-vos, e sede santos, pois eu sou o Senhor seu Deus” ( Levítico 20, 7). Cabe a nós como filhos assumir essa atitude de amor.

Esse esforço se dá no nosso dia a dia no modo como lutamos para viver os princípios que o próprio Jesus nos ensina nos Evangelhos: viver o amor em todas as coisas. O amor a Deus e o amor ao nosso próximo.

Não é fácil, mas com a graça de Deus e empenho pessoal é possível! Para isso é preciso ter em mente que ninguém é perfeito, mas podemos ser formados por Deus à medida que o conhecemos, paramos para ouvi-lo e somos fiéis a sua vontade.


E como ser santo? Pe. Jonas ensina a lutar pela nossa santidade através da vida de oração, nosso relacionamento com Deus que consequentemente vai transbordar no relacionamento com o próximo. 

Podemos conhecê-lo através do Estudo e Meditação diário da Palavra, participando da Santa Missa e recebendo a Sagrada Eucaristia todos os dias, estando junto a outras pessoas que também buscam a santidade em oração, partilhando a vida, alimentando um relacionamento com a Virgem Maria na oração do Santo Terço, fazendo momentos de Adoração ao Santíssimo Sacramento, praticando o jejum, não se deixando escravizar por coisas terrenas e buscando o sacramento da confissão.

Aos poucos essa intimidade nos leva a reconhecer que somos pertença de Deus e olharmos com amor para o próximo que também é filho de Deus. É deixar que Deus, pela ação do seu Santo Espírito, nos configure a Ele em santidade. 

Temos uma decisão a tomar: ou renovamos todos os dias os sentimentos da nossa alma e assumimos  o “Ou Santos ou Nada”, ou então nos deixaremos corromper pelas coisas desse mundo e perdemos a vida eterna. A DECISÃO É PESSOAL!

Comments closed.