As minhas maiores experiência nesta casa foram feitas no decorrer dos dias, em que nossas rotinas de davam pelas famosas faxinas. Sim, eram faxinas de limpar, lavar, varrer, arrumar, colocar as coisas no lugar e retirar o que não fazia parte daquele local. Nunca tinha vivido essa experiência de limpar de forma tão profunda os locais que muitas vezes se mostravam limpos.

No decorrer de cada dia de limpeza sentia que a própria Virgem Maria me levava a também querer limpar todo meu interior e descobrir o que estava com mofo, poeira. Mexer em lugares sujos, lugares que pareciam limpos; retirar o que não fazia parte de mim e principalmente: encarar a verdade.

Quando penso em me retirar para colocar as coisas no lugar, o primeiro lugar que me vem à memória é a Casa de Maria, pois é Ela que coordena a faxina e nós vamos limpando os lugares que Ela aponta estar sujo: nada fica oculto aos seus olhos!

Assim é a Casa de Maria: lugar onde posso me encontrar comigo mesma e com o que tenho de sujo. Claro, que  com a ajuda da “dona da Casa” sempre posso fazer uma bela faxina para que Jesus nasça, viva e reine em mim.

Digo com toda convicção que a Casa de Maria é a casa da minha vocação. Todas as vezes que entro nela é isto que sinto: que cada parte dela faz parte de mim e que eu faço parte de cada espaço dela. No tempo em que vivi neste Santuário do Carisma CN fiz uma experiência em cada lugarzinho.

Quando volto à Casa de Maria, volto-me ao meu interior, que “a cada faxina”, é purificado novamente.

.

Roberta Rodrigues [ à esquerda na foto ]
Missionária CN na Casa do Bom Samaritano