Dois milhões de peregrinos vindos de todo o mundo foram a Turim, Norte da Itália para visitar o Santo Sudário. A Missa de encerramento da visita ao Santo Sudário foi presidida pelo Arcebispo de Turim e Guarda Pontifício do Sudário, Cardeal Dom Severino Poletto.

Às 16h deste domingo, 23, na Festa de Pentecostes, no interior da Catedral Torinense foram encerradas as visitas ao Santo Sudário que esteve exposto de 10 de Abril a 23 de Maio de 2010.

No início da Celebração, foi lida uma mensagem do Papa Bento XVI na qual agradece a todos pela acolhida que teve durante a sua visita a Turim e pela organização de toda a comissão, principalmente na assistência com os enfermos e jovens. O Santo Padre agradeceu a todos os fiéis e enviou a sua bênção apostólica fazendo votos para que  todos “sejam testemunhas fiéis na fé do Cristo ressuscitado”.

Em sua homilia, Dom Poletto expressou a experiência espiritual que o marcou nestas semanas de exposição do Sudário. Vendo a Imagem do Crucificado do sudário ele fixou o seu olhar sobre os sinais do sofrimentos enfrentados por Jesus, sinal de um amor infinito e pessoal doado a todos e a cada um.

O Cardeal viu a paixão sofrida por numerosos peregrinos, uma imagem da humanidade. Um povo que caminha procurando uma face, a Face de Deus. Um povo necessitado de encontrar confirmações para a própria fé. Ele viu também o desejo de oração intensa e prolongada, desejo de conversão e lágrimas de emoção dos fiéis.

Ao final, Dom Severino agradeceu a Deus pelas maravilhas que Ele fez em todos, nestes dias de exposição. Fez referência a visita do Santo Padre no dia 2 de maio, sinal de uma fé serena e forte, mesmo nos momentos difíceis da vida Igreja.

Através dos meios de comunicação de massa as principais celebrações chegaram a milhares de pessoas em todo o mundo. Cerca de 160 emitentes televisivas e radiofônicas foram credenciadas durante este período.

Ao povo torinense, o Arcebispo fez um convite para construírem juntos o Reino de Deus. “Que permaneça gravado nos olhos e no coração as maravilhas do Senhor que todos durante este tempo puderam contemplar”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *