Nesta segunda-feira, 29, Solenidade dos Santos Pedro e Paulo, o Papa Bento XVI presidiu a Missa, na Basílica Vaticana, com 34 arcebispos metropolitanos, aos quais, durante a Santa Missa, impôs o pálio.

Após a homilia, o Papa entregou o pálio – a estola de lã branca com cruzes pretas, símbolo da união com o sucessor de Pedro – a 34 arcebispos metropolitanos de recente nomeação, provenientes de diversos países do mundo.

Quatro deles eram brasileiros: Dom Sérgio da Rocha de Teresina (PI); Dom Maurício Grotto de Camargo de Botucatu (SP); Dom Gil Antônio Moreira de Juiz de Fora (MG); e Dom Orani João Tempesta do Rio de Janeiro (RJ), alguns deles mandaram uma mensagem aos seus arquidiocesanos, confira:

Fernando Martin e Bulhoes de Taveria Azevedo. O nome parece grande e talvez não facilite a compreenssão. Vamos tentar outra vez, com um nome mais simples: Santo Antônio. É ele mesmo: o santo franciscano que atrai devotos no mundo inteiro. Por um lado, e conhecido como Santo Antônio de Pádua, por outro e conhecido como Santo Antônio de Lisboa. A explicação para os dois nomes é simples. Santo Antônio nasceu em Lisboa Portugal e na cidade italiana de Pádua viveu grande parte de sua vida. A primeira etapa de sua vida religiosa ele viveu em Portugal como Agostiniano e em Pádua como frade da ordem de São Francisco de Assis.


Na Itália ele passou a ser conhecido como grande teólogo e pregador. O aparelho fonador do santo foi preservado da corrupção e esta exposto para a veneração dos devotos que visitam a cidade Ele foi canonizado pelo papa Gregorio nono em 1232 e proclamado doutor da igreja em 1946. Sua fama se espalhou por todo o mundo, atraindo devotos de todas as idades, inclusive no Brasil onde a devocão é bem expressiva.

Estamos falando do Cardeal brasileiro Dom Cláudio Hummes, prefeito da Congregação para o clero, desde 2006. Asssim como todos os cardeais que passam a ser titulares de uma igreja em Roma quando recebem o Cardinalato, Dom Cláudio Hummes recebeu esta Igreja em 2001, onde ele faz questão de celebrar uma vez por semana. Aqui a Fe e a tradição dos brasileiros com certeza esta bem representada.

A mais de 1400 anos a Basílica de Santa Sabina é o lugar escolhido pelo Papa para se celebrar a Abertura da Quaresma.

A Basílica de Santa Sabina é uma das mais antigas e famosas igrejas de Roma está localizada sobre o Monte Aventino. É um lugar afascinante e rico de eventos históricos. Segundo a lenda, a Igreja foi construída sobre a casa de uma rica dama romana, Santa Sabina. As versões sobre a sua vida e seu martírio porém são diversas e contraditórias.
A mais provável é que esta jovem pagã da nobreza, mulher do senador Valentino, foi convertida pela sua escrava Seráfica, que pagou com o martírio este seu mérito. Sabina lhe deu a sepultura e depois professou abertamente sua fé e subiu ao martírio a 29 de Agosto de 125 durante o Império de Adriano.

É importante saber que esta Igreja foi constuída sobre restos de antigos edifícios romanos, durante o pontificado de Celestino I, por volta do ano 425 e foi finalizada em 432 aquando Sisto III era Papa.
O fundador foi um rico sacerdote intelectual de nome Pedro, proveniente da Illiria.

A basílica original tinha 3 naves, uma central e duas laterais. No pontificado do Papa Eugénio II (824-827) o interior recebeu revestimento de mármore, dos quais subsistem apenas fragmentos. São particularmente excelentes as antigas colunas coríntias e o friso de opus sectile com incrustações de pórfiro e de serpentina acima das arcadas da nave central.
Em 1219, o Papa Honório III (1216-1227) cedeu a igreja à Ordem dos Dominicanos, que fez construir os claustros. Depois do Concílio de Trento, 20 das 26 janelas foram emparedadas por se pensar que deixavam entrar luz, distraindo a mente da meditação. Outras alterações foram feitas em 1587 por Domenico Fontana, arquiteto do Papa Sisto V (pontificado de 1585 a 1590). Hoje, porém, a Basílica mostra sua condição original graças ao programa de restauração executado no século XX. É uma das mais bem conservadas basílicas primitivas da cidade de Roma.
A Tradição de Celebrar o primeiro dia da quaresma iniciou-se com São Gregório Magno (590-604) Foi ele que a elegeu como a Igreja do Primeiro dia quaresma e desde então até os dias de hoje, o Sumo Pontífice realiza ali as Sacras funções.

A semana de oração pela unidade dos cristãos que começou no domingo é vivida em varias partes do mundo realizando celebrações em diversos ritos. Este ano são os cristãos da Coréia que nos oferecem como meditação o tema: “E se tornem uma só vara na tua mão”, tirado do livro de Ezequiel.

Na noite desta 5° feira a celebração realizada na Basílica Santa Maria in via Lata aqui em Roma, foi celebrada em rito bizantino romeno presidida pelo bispo Dom Florentini e em sua homilia ressaltou que a oração nos foi dada não como elemento de divisão mas de unidade.

Assis é uma cidade italiana na região da Úmbria com aproximadamente 25 mil habitantes. É famosa por ser a cidade natal de São Francisco, e onde ele também fundou a Ordem dos frades Menores. Uma cidade antiga onde tudo permanece como no tempo de São Francisco e Santa Clara; ruas pequenas, casas de pedras, flores nas janelas sem contar que ali se respira um clima de paz.

A Canção Nova de Roma preparou um vídeo especial, para que você possa conhecer um pouco esta linda cidade. Acompanhe.