Dos dias 24 a 28 de março, jovens delegados das conferências episcopais dos cinco continentes e que fazem parte de Movimentos, Associações e Novas Comunidades, participam do 10° Fórum Internacional promovido pelo setor da juventude do Pontifício Conselho para os leigos, na cidade Rocca di Papa, a 50 km de Roma.

Com o tema deste ano “Aprender a amar”, os jovens participantes refletem sobre o amor humano, e se aprofundam nas diversas dimensões como: vocação, vida consagrada, sacerdócio, matrimônio, família e sexualidade.

O cardeal Stanislw Rylko, presidente do Pontifício Conselho para os leigos disse que este Fórum é muito especial, porque dentre todos já realizados, o tema proposto deste ano certamente é o mais importante.

A representação brasileira é composta pelo Assessor Nacional do Setor Juventude da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), o Padre Carlos Sávio, que está acompanhado de três jovens que representam diferentes dimensões da juventude católica no Brasil.

Uma das representantes brasileiras é a jovem Maria José dos Santos que destaca o que ela tem experimentado participando deste Fórum.

Claudia Helena Zago também que representa os Movimentos e Novas Comunidades do Setor Juventude da CNBB, revela a importância de participar deste encontro.

O Santo Sudário estará aberto a visitação a partir de 10 de abril, na cidade de Turim, que fica localizada no norte da Itália. Uma coletiva de imprensa realizada na quinta-feira no Vaticano detalhou como será esta exposição considerada histórica, 10 anos depois que fieis de todo o mundo poderão ver de perto o pano que segundo a tradição, envolveu o corpo de Jesus.

Na Sala de Imprensa da Santa Sé, membros da diocese de Turim e parte da equipe organizadora da exposição do santo Sudário, trouxeram aos jornalistas detalhes de como os fieis e a cidade se preparam para esta exibição que terá duração de 40 dias.

A exposição do Santo Sudário desperta tantos questionamentos sobre a sua veracidade. Mas o que se pode afirmar é que até hoje não se conseguiu reproduzir o fenômeno acontecido neste Sudário.

O Cardeal Severino Poletto, Arcebispo de Turim e Custodio Pontifício do Sudário, falou da espiritualidade do Sudário, retomando a afirmação de João Paulo II na qual ele diz que esta relíquia é espelho do Evangelho. Ainda de acordo com João Paulo II, através da observação do Santo Sudário, se pode fazer um caminho pela paixão, morte e ressurreição de Jesus.

Mons. Giuseppe Ghiberti, presidente da Comissão diocesana para o Sudário, trouxe o resultado da restauração feita em 2002, onde foram retirados os pedaços de tecido colocados pela irmãs Clarissas de Chambery em 1534 por causa do incêndio que danificou parte do tecido sacro.

O Prof. Fiorenzo Alfieri, Assessor de Cultura da Cidade de Turim e o Eng. Maurizio Baradello, diretor geral do Comitê para a exposição falaram da infra estrutura deste importante evento para Turim e região.

Serão aproximadamente 1 milhão e meio de pessoas, uma media de 50.000 por dia. Cada peregrino terá a possibilidade de estar diante do Sudario de 3 a 5 minutos. A exposição contara com a participação de 4 mil voluntários.Para os peregrinos, uma oportunidade de se encontrar com o Mistério de Cristo.

Maurizio Baradello – Diretor Geral do Comitê para a Exposição:
Hà sempre uma admiração. O tempo em que estão diante do Sudario é sempre pouco, porque todos ficariam muito mais, para poder admira-lo, procurar entender este mistério.

O Papa Bento XVI no dia 2 de maio fará sua visita a Turim para venerar o Santo Sudario. O site www.sindode.org traz mais informações sobre a exposicao para todos aqueles que desejam participar.

Celebrando o ano Sacerdotal queremos levar até você testemunhos de padres que vivem aqui na Itália, são eles italianos, estrangeiros, estudantes, párocos, superiores de congregação, enfim diferentes trabalhos que eles realizam aqui no qual vocês poderão acompanhar o testemunhos destes sacerdotes. Hoje vamos conhecer a historia de Padre Romano de Angelis sacerdote italiano, pároco a 8 anos na Paróquia Santa Maria das Graças em Roma, primeiro Santuário dedicado a Mãe de Deus no ano de 1597. Mas como será que Don Romano vive o seu ministério sacerdotal? Vamos conhecer?

Ordenado em 1987 na Basílica de São João de Latrão em Roma Pe. Romano partilha com alegria que o ministério sacerdotal é uma porta de esperança para as almas e que é consciente de que deverá responder por elas diante de Deus.

Pe. Romano: Desde do seminário, eu sentia como um pároco é chamado a responder por cada uma das almas diante de Deus, por isto é uma grande responsabilidade, e se eu não tivesse a consciência e a certeza de que foi o Senhor quem me chamou e me dá a graça todos os dias para realizar o meu ministério correria o risco de não suportar o peso e com isto me distanciar das pessoas, então eu vivo com esta responsabilidade, buscando sempre ser um instrumento humilde, mas disponível nas mãos de Deus, na ação do Espírito Santo, para que o Senhor possa servir-se de mim para que os homens possam crer.

Sobre a vida de pároco ele destaca a linda experiência do contato com o povo de Deus.

Pe. Romano: A experiência mais linda é o contato com o povo de Deus. Seja nas atividades organizadas, atividades dos grupos das varias comunidades presentes, na catequese, e também o contato dia a dia com aqueles que freqüentam a Igreja, que vêem para confessar-se aqui na paróquia……..com certeza com as crianças se aprende rezar, com os adultos se aprende a reevangelizar , a ter paciência, a carregar a cruz, porque o ministério do pároco também é isto, é partilhar as alegrias e as dores, que sempre vão e vem, quando falamos das crianças falamos certamente do entusiasmo que elas tem, a beleza e maravilha de ver como são sensíveis a palavra de Deus, ao seu amor, de modo particular as crianças da 1ª comunhão e também os adultos que freqüentemente vêem para trazer tantos problemas e as nossas experiências de ser também um pobre Cirineu, isto é, ajudar estes irmãos a carregar a cruz, com a esperança no coração, no Cristo Ressuscitado, sabendo que a cruz não é uma condenação mas é para a nossa salvação.

Segundo ele a característica mais importante do sacerdote de hoje é a paternidade e o amor esponsal

Pe. Romano: porque não se pode ser padre se não existir um amor esponsal, então não podemos ser párocos burocráticos, não podemos ser párocos que se limitam a aplicar o direito canônico, as normas, não quero dizer que devemos transgredi-los, mas é necessário através de uma intensa vida de oração, viver a vida esponsal com Cristo e com a Igreja e abrir-se a paternidade significa usar a cordialidade, colocar o coração, o amor, porque existe a necessidade de não simplesmente consultar um manual depois preencher módulos e depois enviar para as casas das pessoas pelo correio. Eu converso com os pais das crianças da catequese, que as vezes vem pra dizer dos problemas das pessoas que são divorciadas, separadas etc, eu explico com clareza aquilo que a Igreja nos ensina, que é aquilo que Jesus nos disse no evangelho, mas mostrando primeiramente as motivações e depois pedindo a eles de não considerar simplesmente uma categoria, mas os convido se quiserem me procurar pessoalmente, porque cada situação é única, cada pessoa pode ter critérios diversos para o mesmo problema e também podem descrever soluções diversas.

A atenção aos jovens da parte dos sacerdotes é muito importante, os jovens de hoje precisam acima de tudo sentir-se acolhidos, amados, em um dialogo sereno, na disponibilidade de “perder tempo” com eles. Assim Don Romano nos fala da sua experiência com os jovens.

Pe. Romano: Para os jovens é preciso muito oração, nós sacerdotes devemos rezar muito pela conversão e santificação dos jovens. É necessário também de muito escuta, os jovens precisam sentir-se acolhidos, amados como são, ter um dialogo sereno que talvez requer tempo, o discurso é este, estar próximo nos demonstrando homens confiáveis, mas homens de Igreja, homens de Deus, não simplesmente um amigo como tantos, o sacerdote é um homem de Deus, um homem de Igreja. Apresentar este homem de Deus com as características de confiança, pessoas que eles podem acreditar e reconhecer por aquilo que somos, sacerdotes, e com o tempo que eles tem, através de uma amizade, de um dialogo, de uma escuta, de uma acolhida, podemos dizer entre parênteses, ter a disponibilidade de perder tempo e então se chega a um encontro com o Senhor e assim levamos o evangelho aos jovens.

26. agosto 2009 · 1 comment · Categories: Videos · Tags: , ,

Quando toda a Igreja se preparava para o Grande Jubileu do ano 2000, Deus nos introduzia também aquilo que é o nosso carisma específico: evangelizar pelos meios de comunicação social. No Ano Jubilar a CN enfrenta o grande desafio de iniciar os trabalhos de retransmissão das celebrações presididas pelo Santo Padre João Paulo II na Praça de São Pedro. A primeira delas aconteceu no dia da Beatificação de Santo Antônio de Sant’Ana Galvão.

Um outro passo importante: retransmitir as Audiências das quartas-feiras e Ângelus aos domingos para o Brasil. No Ano Jubilar, também chamado Ano Santo, retransmitimos tudo, desde a abertura da Porta Santa até o seu fechamento. No mesmo ano os dehoniamos nos cederam duas salas para nossa produtora de TV, adquirimos os primeiros equipamentos e iniciamos a produção dos primeiros programas. Um grande marco para a história da TV Canção Nova fora do Brasil, foi seguramente, a transmissão ao vivo das celebrações de aniversario das aparições de Nossa Senhora de Fátima dos dias 12 e 13 de maio de 2001. Para esta transmissão juntou-se aos missionários de Portugal toda a equipe de Roma bem como todos os equipamentos técnicos. Pela primeira vez na historia uma TV brasileira transmite as celebrações do 13 de maio direto do altar do mundo para o Brasil, Portugal e parte da África. Pela necessidade da TV em Portugal, a equipe e o equipamento de Roma permaneceram em Portugal.

Hoje a TV Canção Nova em Roma conta com 7 missionários e equipamentos que nos permitem realizar a nossa missão aqui no Coração da Igreja. Somos credenciados no Pontifício Conselho para as comunicações Sociais, o que nos permite registrar as principais celebrações do Santo Padre, assim como seus pronunciamentos e todas as noticias da Santa Sé fazendo eco no Brasil de tudo o que acontece na Igreja em Roma e no mundo. Somos conscientes de que nossa maior contribuição é ser no meio do mundo, dentro das realidades humanas de cada dia, as humildes, mas convictas testemunhas da verdade na qual acreditamos e a qual queremos servir.

Desde de 2006 a TV Canção Nova em Roma enfrenta um novo desafio, produzir conteúdos em língua italiana para disponibilizá-los em um meio de grande poder comunicativo que se apresenta nos nossos dias: a internet: reportagens sobre a Igreja, cultura e arte, programas devocionais, formação bíblica Assim sendo no dia 26 de novembro de 2006 lançamos a webtvcn.it e hoje contamos também com um portal em italiano. Afim de comunicar muito a “muitos”, colocamos estes instrumentos que Deus nos confiou a serviço da Igreja e de sua mensagem a fim de favorecer a construção de uma nova humanidade.


A Congregação dos Sacerdotes do Sagrado Coração de Jesus, os dehonianos, celebram desde o dia 17 de maio até 12 de junho, em Roma, seu XXII Capítulo Geral. O capítulo que aborda várias temáticas de orientação da vida da congregação e sua presença em todo o mundo tem como tema: “O amor de Cristo nos impele. Apaixonados por Cristo que nos une em fraternidade anunciamos o Evangelho”.

Quarenta nações estão representadas no evento, que conta com 95 participantes, distribuídos entre membros de direito, eleitos e encarregados dos serviços. Padre José Ornelas Carvalho foi reeleito por mais seis anos para o cargo de Superior Geral dos dehonianos.

Padre José Ornelas redefiniu e coordenou o projeto para a digitalização do grande arquivo dos escritos do Padre. Lèon Dehon, fundador da Congregação. Em meio a controvérsias, ele deu andamento ao processo de beatificação do Padre Dehon, que aguarda o ato público de proclamação.

O capítulo Geral está voltado sobre três pontos fundamentais:
1º a centralidade de Cristo que transforma o Coração com o seu amor;
2º a vida fraterna aberta à realidade multicultural da Congregação;
3º a universalidade do amor de Deus que impulsiona à missão em todas as raças e culturas, para tornar possível um “crer com”, na diversidade das expressões culturais.

O andamento dos trabalhos do capítulo geral pode ser acompanhado nos sites da província (www.dehonianos.org) e da congregação (www.dehon.it).