Na Bíblia Sagrada são varias as situações de medo, desde a primeira ,citada em Gênesis 3,8  quando Adão e Eva esconderam-se de Deus em um arbusto pois estavam amedrontados por terem desobedecido as leis do Senhor. Porque eles estavam com medo? Porque sabiam que tinham descumprido uma ordem do Senhor. Isso quase sempre acontece no nosso quotidiano quando após uma situação de pecado ficamos com medo das conseqüências. É uma relação sexual não permitida que pode gerar um filho, pequenos roubos em uma casa de família , uma mentira que dá medo de descobrirem e assim vai. Na verdade o medo, nesses casos, é uma reação punitiva do nosso inconsciente contra um ação pecaminosa do consciente.

Um outra situação descrita foi quando Jose soube da gravidez de Maria, fica perplexo, tem medo de abandona-la e ter que sofrer as penas da lei, mas por outro lado, como aceitar uma situação dessa? Naquela noite, no seu sonho aparece-lhe um anjo que lhe diz:

“ Jose, filho de Davi, não tenhas medo de receber Maria como tua esposa, pois nela foi o que vem foi gerado pelo Espírito Santo”

NÃO TEMAS

Às vezes, o medo nos paralisa e nos impede de continuar o nosso dia a dia. É comum nas situações de grande medo, ficarmos paralisados de medo e não conseguirmos nos afastar de um agente agressor. Nessa situação, o medo que era uma arma defesa para nos, se torna prejudicial , pois nos impossibilita de defesa.

Confira aqui em breve a parte 2 deste artigo.

E saiba mais sobre este assunto, adquirindo o livro NÃO ENTRE EM PÂNICO.

Adquira e ajude a Canção Nova a evangelizar.

depression-2

Evidentemente que sim, pois a depressão é uma doença que não respeita nenhuma pessoa, nem reis, nem rainhas, nem ricos, nem pobres, nem padres, pastores, religiosos e religiosas.

Existe um tabu muito grande com relação a depressão e a fé, pois muitos ainda acreditam que uma pessoa com fé não poderia ter depressão, pois estaria indo em direção contraria de Deus. Puro engano e uma tolice, pois sabemos hoje, que a depressão é uma doença multifatorial que pode se iniciar no corpo, psiquismo ou no espírito.

A depressão pode ser causada por uma situação pontual, relacionada a uma perda, onde o indivíduo pode até não ter características genéticas para responder com depressão a esse estimulo externo que é a perda, mas, o seu psiquismo não tolerando a situação, “explode” em uma depressão.

A doença é um símbolo através do qual a nossa alma se expressa. Através dos símbolos das doenças o corpo informa a nossa real condição, isto é, aquela que reflete nossos pensamentos e sentimentos íntimos estão condizentes com a nossa verdade. A doença nos sinaliza as nossas necessidades interiores, as nossas discrepâncias, os nossos conflitos interiores e ela nos obriga a parar para analisa-los.

[Continua…]

Esse é apenas um trecho de um dos capítulos do livro “Depressão, um sinal de esperança”, mas convido você a adquirir o seu exemplar e aprofundar neste assunto tão importante e que pode te ajudar muito e ajudar a outras pessoas também!

Adquiria já o seu clicando aqui

Dr. Roque Savioli

Clínica Savioli

  • Endereço : R. Artur de Azevedo, 1217 – Cjs. 83/84
    Pinheiros – São Paulo – SP
  • Telefones : (11) 3062-4822/1580/8325 e 3168-3328

 

Adquira o seu exemplar clicando aqui.

Lembrando que ao adquirir este livro, você ajuda a Canção Nova a chegar aos 100% na campanha do Projeto Dai-me almas.

1798538_282881591860758_1076636728_n

Cura-me-Senhor

 

 

 

 

 

 

 

 

Uma das situações mais freqüentes na nossa sociedade atual é a ansiedade. Quase todos nós já passamos por esses momentos várias vezes na vida, ao entrar em uma prova, ao enfrentar uma situação nova, ao estar sujeito às violências de uma cidade grande e etc.

O medo é uma reação normal do organismo, chegando a ser um mecanismo de autopreservação, pois é pelo medo de um acidente é que não ultrapassamos a velocidade permitida nas estradas, que não nos arriscamos em subir alturas etc.

É UM SISTEMA DE ALARME QUE NOS ADVERTE DE AMEACAS.

Um dos objetivos dessa nossa palestra não é mostrar como poderemos vencer o medo, mas sim como conviver com ele e não deixar que ele nos domine, pois o medo faz parte do psiquismo do homem, pois faz-nos lembrar de nossos limites e principalmente da minha condição humana. O medo é um mecanismo do nosso inconsciente que destrói as nossas fachadas e mascaras, tornando-nos mais humanos e também capazes de evoluirmos.

 

Na Bíblia Sagrada são várias as situações de medo, desde a primeira, citada em Gênesis3,8, quando Adão e Eva esconderam-se de Deus em um arbusto pois estavam amedrontados por terem desobedecido as leis do Senhor. Porque eles estavam com medo? Porque sabiam que tinham descumprido uma ordem do Senhor. Isso quase sempre acontece no nosso quotidiano quando após uma situação de pecado ficamos com medo das conseqüências. É uma relação sexual não permitida que pode gerar um filho, pequenos roubos em uma casa de família, uma mentira que dá medo de descobrirem e assim vai. Na verdade o medo, nesses casos, é uma reação punitiva do nosso inconsciente contra um ação pecaminosa do consciente.

Um outra situação descrita foi quando Jose soube da gravidez de Maria, fica perplexo, tem medo de abandona-la e ter que sofrer as penas da lei, mas por outro lado, como aceitar uma situação dessa? Naquela noite, no seu sonho aparece-lhe um anjo que lhe diz:

“José, filho de Davi, não tenhas medo de receber Maria como tua esposa, pois nela foi o que vem foi gerado pelo Espírito Santo”

As vezes o medo nos paralisa e nos impede de continuar o nosso dia a dia. É comum nas situações de grande medo, ficarmos paralisados de medo e não conseguirmos nos afastar de um agente agressor. Nessa situação, o medo que era uma arma defesa para nós, se torna prejudicial, pois nos impossibilita de defesa.

No capítulo 9,2, Evangelho de Matheus, um homem é trazido a Jesus em uma maca. Os padioleiros o levam através do telhado, visto que existiam muitas pessoas ouvindo as palavras do Mestre. Ao ver a fé daquela gente, Jesus disse ao paralitico: Coragem, filho, teus pecados estão perdoados. Ele não fez aquilo que os padioleiros esperavam, não o cura de imediato, mas anuncia o perdão dos seus pecados, pois vê que a paralisia não é somente somática mas também espiritual, causada por uma atitude do seu interior, que no caso pode ser a negação da vida.

Muitas vezes é o medo que nos leva a recusar a não fazer aquilo que nos é exigido, ficamos inertes esperando que alguém faça o necessário por nós.

Jesus aborda inicialmente a principal causa da paralisia, promovendo a cura interior daquele homem. Depois diz: “Levanta-te pega a tua cama e vai para casa”

Existe muita simbologia nestas palavras de Jesus pois o homem poderia jogar fora aquela cama, companheira de muitos momentos de sofrimento, a marca de sua paralisia, da sua insegurança, mas Jesus quer que ele a leve com ele. Para que?

Devemos e podemos superar os nossos medos entregando-os a Jesus, ou olhando para Jesus, mas nunca podemos fugir de nossos medos, pois as vezes surge o medo de ter medo, que é pior ainda. Entregar o medo a Jesus é a saída, mas também temos que conviver com eles, isto é, administra-los, familiarizar-se com eles. Jamais devo nega-los, mas sim admitir que os temos e que temos um Deus que nos fala:

“Levanta-te, toma a sua cama e vá para casa”.

Uma outra passagem que acredito na sua potencialidade terapêutica esta em Mateus 14,22. Os apóstolos entraram sozinhos no barco e estavam remando para outra margem, mas o barco era agitado por ondas fortes e vento contrario. Enquanto lutavam contra as ondas Jesus veio ao seu encontro andando sobre as águas.Quando os apóstolos viram um vulto vindo a sua direção, ficaram com medo, pensam logo que Jesus e um fantasma. Este é o medo do desconhecido, do fantástico.

Muitos de nós, quando pequenos éramos reprendidos por nossas travessuras por costumes que podem nos ter deixado marcas no nosso inconsciente que na idade adulta se manifestam de uma forma estranha e sem sentido. Porque um homem, maduro, culto teria medo de fantasmas? Teria medo de almas penadas?

 

Muitas pessoas relatam medos demoníacos, sentem-se ameaçados por forcas estranhas, veem no rosto das pessoas, ou nas nuvens caretas demoníacas. Assim como o rosto de Jesus se transformou para os apóstolos em um fantasma, o medo transforma também muitos rostos humanos ou a imagem de um santo, em um demônio que lhe faz medo. Projetam os medos sobre objetos e assim tem a impressão de verem fantasmas.

Contra esse medo, Jesus fala: Coragem, não tenham medo, sou eu. (MT 14,27). É Jesus que vem ao nosso encontro para tirar de nos os medos, Ele acalma o medo existencial das pessoas e nos da confiança.

Nessa mesma passagem, Pedro encheu-se de confiança quando Jesus o chamou para andar sobre a água, caminhou um pouco, mas pela violência do vento teve medo e afundou. Nesse instante Jesus o tomou pelas mãos e o salvou, dizendo-lhe: Homem de pouca fé, porque duvidaste?

Jesus nos dá uma grande lição nesta passagem, pois enquanto olhamos para os nossos problemas, para as ondas gigantes, para o vento, seguramente vamos afundar. Quando o medo ataca não devo aprofundar-me nele, senão ele me arrasta para o abismo, preciso de um apoio seguro: o olhar de Jesus. Não posso fugir do meu medo, devo aceita-lo, mas não posso mergulhar nele. Só o olhar de Jesus nos permite andar sobre as águas, ou seja andar sobre os nossos medos.

A fé as vezes, sozinha não nos consegue livrar do medo, por isso podemos contar com pequenas ajudas.Um crucifixo nas mãos, ou um anjinho, ou um santinho podem nos ajudar, dando-nos a impressão de que não estamos sozinhos nesta batalha, mas não esquecendo de que a imagem que nos acompanha não exerce algum efeito mágico e também não é um talismã.simplesmente é algo que serve para nos ligarmos mais a Deus.

 

Livro: Milagres que a medicina não contou

MILAGRES QUE A MEDICINA NÃO CONTOU.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Prefácio: Pe. Fábio de Melo

Adquira já o seu nas melhores livrarias do país.