Tornar-se vegetariano – boa opção para o ano novo!

 

As pessoas se tornam vegetarianas por muitas razões, incluindo saúde, convicções religiosas, preocupações sobre o bem-estar dos animais ou com o uso de antibióticos e hormônios no gado, ou mesmo o desejo de comer de forma a evitar o uso excessivo de recursos ambientais. Algumas pessoas seguem uma dieta em grande parte vegetariana porque não podem dar ao luxo de comer carne. Tornar-se um vegetariano tornou-se mais atraente e acessível, graças à disponibilidade durante todo o ano de produtos frescos, mais opções de refeições vegetarianas e a crescente influência culinária de culturas com dietas em grande parte de plantas.

Aproximadamente seis a oito milhões de adultos nos Estados Unidos não comem carne, peixe ou aves , de acordo com uma pesquisa Harris Interactive encomendada pelo Vegetarian Resource Group, uma organização sem fins lucrativos que divulga informações sobre vegetarianismo. Milhões de pessoas eliminaram a carne vermelha, mas ainda comiam frango ou peixe. Cerca de dois milhões se tornaram veganos, renunciando não só a carne animal, mas também a produtos à base de animais, como leite, queijo, ovos e gelatina.

Atualmente considera-se a alimentação vegetariana como não apenas nutricionalmente suficiente, mas também como forma de reduzir o risco de muitas doenças crônicas. De acordo com a American Dietetic Association, “dietas vegetarianas adequadamente planejadas, incluindo dietas vegetarianas ou veganas, são saudáveis, nutricionalmente adequadas e podem proporcionar benefícios para a saúde na prevenção e tratamento de certas doenças”.

Ser vegetariano , no entanto, requer um planejamento adequado da dieta, enfocando o consumo de gorduras e controle de peso, pois uma dieta com refrigerante, pizza com queijo e doces pode ser “tecnicamente “vegetariana, mas está longe de ser saudável.

Para a saúde, é importante certificar-se de que você come uma grande variedade de frutas, vegetais e grãos integrais. Também é vital substituir as gorduras saturadas e trans por gorduras boas, como as encontradas nas nozes e  no azeite. E sempre tenha em mente que, se você comer muitas calorias, mesmo de alimentos nutritivos, com baixo teor de gordura e com base em plantas, você ganhará peso. Portanto, também é importante controlar a quantidade das porções, ler rótulos de alimentos e se engajar em atividades físicas regulares.

Se você , no entanto, não consegue ficar sem o seu “bife “, poderá obter os benefícios da dieta vegetariana, sem segui-la totalmente, adotando o padrão alimentar mediterrâneo, conhecido por estar associado a vida mais longa e risco reduzido de várias doenças crônicas , dando ênfase em alimentos vegetais e reduzindo o consumo de carne vermelha a uma vez por semana. Só você pode decidir se uma dieta vegetariana é ideal para você. Se uma melhor saúde é o seu objetivo, aqui estão algumas coisas a considerar.

 

Doença cardíaca

Existem evidências de que os vegetarianos têm menor risco de eventos cardíacos (como um ataque cardíaco) e morte por causas cardíacas. Vegetarianos tem em media 25% menor propensão de morrer de doença cardíaca.

Para a proteção do coração, é melhor escolher grãos integrais e leguminosas com grande quantidades de fibras, que são digeridos lentamente e com baixo índice glicêmico – isso é , eles ajudam a manter  estáveis , os níveis de açúcar no sangue. A fibra solúvel também ajuda a reduzir os níveis de colesterol.

Os carboidratos refinados e os amidos como batatas, arroz branco e produtos de farinha branca causam um rápido aumento do açúcar no sangue, o que aumenta o risco de ataque cardíaco e diabetes (um fator de risco para doença cardíaca).

As nozes também são protetoras para o coração. Elas  têm um baixo índice glicêmico e contêm muitos antioxidantes, proteínas vegetais, fibras, minerais e ácidos graxos saudáveis. A desvantagem: as nozes embalam muitas calorias, então restrinjam a ingestão diária de um punhado pequeno . O lado positivo: devido ao seu teor de gordura, mesmo uma pequena quantidade de nozes pode satisfazer o apetite. As nozes, em particular, são uma fonte rica de ácidos graxos ômega-3, que têm muitos benefícios para a saúde.

Os peixes são a melhor fonte de omega-3, e não está claro se os ômega-3 derivados de plantas sejam  um substituto adequado para peixes na dieta. Um estudo sugere que omega-3s de nozes e peixes reduzem o risco de doença cardíaca, por rotas diferentes. Omega-3s de noz (ácido alfa-linolênico ou ALA) ajudam a reduzir o colesterol total e o colesterol LDL (ruim), enquanto os omega-3 de peixes (ácido eicosapentaenóico, EPA e ácido docosa-hexaenóico, ou DHA) diminuem os triglicerídeos e elevam HDL ( bom) níveis de colesterol.

Cancer

Centenas de estudos sugerem que comer muitas frutas e vegetais pode reduzir o risco de desenvolver certos tipos de câncer, e há evidências de que os vegetarianos têm menor incidência de câncer do que os não vegetarianos. Se você parar de comer carne vermelha (se você se tornou vegetariano ou não) eliminará um fator de risco para o câncer de cólon.

Diabetes tipo 2.

Pesquisas sugerem  que uma dieta predominantemente baseada em plantas pode reduzir o risco de diabetes tipo 2. Em estudos de adventistas do sétimo dia, o risco de desenvolvimento de diabetes por parte dos vegetarianos era a metade dos não-vegetarianos, mesmo depois de ter em conta o IMC.

Algumas mulheres são relutantes em tentar uma dieta vegetariana – especialmente aquela que não inclui produtos lácteos ricos em cálcio – porque eles estão preocupados com a osteoporose. Os vegetais , por sua vez, podem fornecer cálcio, incluindo , brócolis, repolho , couve etc. de modo a compensar a nao ingesta de leite e derivados.

Fica aqui a proposta para um novo ano, onde não somente devemos virar a página da folhinha, mas sim também , planejarmos uma maneira de termos uma alimentação saudável para que possamos viver mais e melhor. Você pode optar por uma alimentação totalmente isenta de produtos animais, ou totalmente isenta de carne vermelha, ou ainda por uma alimentação padrão mediterrâneo.

Um Feliz Ano Novo

 

 

Coma melhor e viva mais!

 

Comer uma dieta sem alimentos saudáveis ​​e / ou alta em alimentos não saudáveis ​​foi associada a mais de 400.000 mortes por doenças cardíacas e vasculares em 2015, de acordo com uma análise apresentada em uma reunião recente da Sociedade Americana de Cardiologia.

O hábito de comer mais alimentos saudáveis ​​para o coração, e menos alimentos com altas quantidades de sal e gorduras trans, pode salvar dezenas de milhares de vidas a cada ano, concluiram os pesquisadores.

A baixa ingestão de alimentos saudáveis, como nozes, vegetais, grãos integrais e frutas, combinada com uma maior ingestão de componentes dietéticos insalubres, como sal e gorduras trans, é um dos principais contribuintes para as mortes por doenças cardiovasculares.

O estudo revela que quase metade das mortes por doenças cardiovasculares nos Estados Unidos poderia ser prevenida através da melhoria da dieta.

Considerando os óbitos cardiovasculares dos Estados Unidos em 2015, os pesquisadores descobriram que as escolhas dietéticas erradas , ou seja , tanto a falta de alimentos mais saudáveis ​​quanto o excesso de alimentos menos saudáveis ​​, desempenharam um papel na morte de 222.100 homens e 193.400 mulheres.

Os pesquisadores também avaliaram o grau em que os principais fatores de risco dietético estavam ligados às mortes por doenças cardiovasculares, que foram:

Baixa ingestão de nozes e sementes (11,6%);

Baixa ingestão de vegetais (11,5%);

Baixa ingestão de grãos integrais (10,4%); e

Excesso de sal (9 por cento).

A Sociedade Americana de Cardiologia enfatiza a importância de termos um padrão alimentar saudável , ou seja, rico em frutas, legumes, nozes, feijão, grãos integrais, peixe, aves . Carnes vermelhas, processadas e gordas devem ser consumidas com limitação. Além disso, sugere-se evitar o consumo de refrigerantes açucarados, sal (sódio), gorduras saturadas e trans.

FONTE http://newsroom.heart.org/news/unhealthy-diets-linked-to-more-than-400-000-cardiovascular-deaths

 

 

 

A verificação da pressão arterial em casa não vai curar a sua hipertensão, mas vai ajudar a controlar a causa mais comum de acidente vascular cerebral e um grande contribuinte para ataque cardíaco, insuDoctor measuring blood pressure - studio shot on white backgroundficiência cardíaca e morte prematura.

Aprenda como medir a sua pressão arterial em casa

1- Escolha a máquina certa

Existem dezenas de medidores de pressão arterial domiciliares no mercado. Para obter melhor precisão e facilidade de uso, sempre comprar um aparelho que tenha um manguito para o braço que infla automaticamente e registra a pressão também automaticamente.

Não se recomenda monitores de pulso ou de dedo. Modelos que armazenam leituras para uma ou duas semanas podem ajudar o seu médico.

2- Como fazer a medição corretamente

Para obter a leitura da pressão arterial mais precisa, apoiar o seu braço na altura do coração, enrole o punho em torno de seu braço nu, e siga as instruções da sua máquina.

Há duas coisas a fazer antes de começar. Primeiro, verifique a sua máquina, comparando as medidas com aquelas que seu médico as tomou no consultório (sempre peço a meus pacientes que levem o seus aparelhos nas consultas para verificar a exatidão dos mesmos).

Em segundo lugar, verifique se o manguito (a parte inflável) circunda pelo menos 80% do seu braço. Lembre-se que existem manguitos para obesos.

Quando verificar a sua pressão arterial em casa, faça-a no início da manhã, antes de ter tomado os comprimidos de pressão arterial, e novamente à noite, todos os dias durante uma semana. Depois disso, siga o plano que seu médico recomenda, ou verificar que um ou dois dias por mês. Não fique medindo a pressão a todo instante, isto pode lhe fazer um grande mal!

Evite bebidas com cafeína ou alcoólicas e não fumar, durante os 30 minutos antes da medida.
Sente-se calmamente durante cinco minutos com as costas apoiadas e os pés no chão.
Ao tomar a medida, apoiar o seu braço para que o cotovelo fique no nível do seu coração.
Para tomar uma segunda medida, deixe o manguito esvaziar totalmente, espere um minuto. Fazer a média de três leituras
Não se desespere se uma leitura é alta. Relaxe por alguns minutos e tente novamente..
A verificação da pressão arterial em casa não vai curar a sua hipertensão, mas vai ajudar a controlar a causa mais comum de acidente vascular cerebral e um grande contribuinte para ataque cardíaco, insuficiência cardíaca e morte prematura.

 

Adqura aqui meu livro i corsaudavelUm coração saudável para   maiores detalhes!

 

Cinco vantagens de uma caminhada diária

 

 

  1. Neutraliza os efeitos de genes responsáveis pelo aumento de  peso.

 

Pesquisadores de Harvard estudaram  32 genes que promovem a obesidade em mais de 12.000 pessoas para determinar o quanto esses genes realmente contribuiriam  para o peso corporal. Descobriram que, entre os participantes do estudo que caminharam rapidamente por cerca de uma hora por dia, os efeitos desses genes foram reduzidos  pela metade.

 

  1. Reduz ansiedade por docês e chocolates

 

Estudos da Universidade de Exeter descobriram que, uma caminhada de 15 minutos por dia, pode eliminar os desejos de chocolate e até mesmo reduzir a quantidade de chocolate que você come em situações estressantes. Além disso, estudos recentes confirmaram  que a caminhada pode reduzir a ansiedade de ingestão de uma variedade de lanches açucarados.

 

  1. 3. Reduz o risco de desenvolver câncer da mama.

 

Já é de conhecimento científico que  qualquer tipo de atividade física atenua o risco de câncer de mama. Um estudo recente, da  American Cancer Society, revelou  que as mulheres que caminharam sete ou mais horas por semana tiveram um risco 14% menor de câncer de mama do que aquelas  que caminharam três horas ou menos por semana.

 

 

 

  1. Protege as articulações

 

Vários estudos descobriram que a caminhada reduz a dor relacionada com a artrite, e que a caminhada de 8 a 10 quilômetros  por semana pode até mesmo prevenir a artrite. A caminhada protege as articulações – especialmente os joelhos e quadris, que são mais suscetíveis a osteoartrite – por lubrificação das mesmas e fortalecimento dos músculos que as suportam.

 

 

  1. 5.  Protege contra gripes e resfriados

 

Andar a pé pode ajudar a protegê-lo durante a temporada de gripes e resfriados. Um estudo de mais de 1.000 homens e mulheres descobriu que aqueles que caminharam pelo menos 20 minutos por dia, pelo menos 5 dias por semana, tinham 43% menos dias de doença do que aqueles que se exercitavam uma vez por semana ou menos. No caso de ficarem doentes, a duração da gripe foi menor nas pessoas que caminhavam regularmente.

 

A caminhada diária nos faz bem poque:

1. Neutraliza os efeitos de genes responsáveis pelo aumento de  peso. Pesquisadores de Harvard estudaram  32 genes que promovem a obesidade em mais de 12.000 pessoas para determinar o quanto esses genes realmente contribuiriam  para o peso corporal. Descobriram que, entre os participantes do estudo que caminharam rapidamente por cerca de uma hora por dia, os efeitos desses genes foram reduzidos  pela metade.

2. Estudos da Universidade de Exeter descobriram que, uma caminhada de 15 minutos por dia, pode eliminar os desejos de chocolate e até mesmo reduzir a quantidade de chocolate que você come em situações estressantes. Além disso, estudos recentes confirmaram  que a caminhada pode reduzir a ansiedade de ingestão de uma variedade de lanches açucarados.

3. Reduz o risco de desenvolver câncer da mama. Já é de conhecimento científico que  qualquer tipo de atividade física atenua o risco de câncer de mama. Um estudo recente, da  American Cancer Society, revelou  que as mulheres que caminharam sete ou mais horas por semana tiveram um risco 14% menor de câncer de mama do que aquelas  que caminharam três horas ou menos por semana.

4. Vários estudos descobriram que a caminhada reduz a dor relacionada com a artrite, e que a caminhada de 8 a 10 quilômetros  por semana pode até mesmo prevenir a artrite. A caminhada protege as articulações – especialmente os joelhos e quadris, que são mais suscetíveis a osteoartrite – por lubrificação das mesmas e fortalecimento dos músculos que as suportam.

5.  Andar a pé pode ajudar a protegê-lo durante a temporada de gripes e resfriados. Um estudo de mais de 1.000 homens e mulheres descobriu que aqueles que caminharam pelo menos 20 minutos por dia, pelo menos 5 dias por semana, tinham 43% menos dias de doença do que aqueles que se exercitavam uma vez por semana ou menos. No caso de ficarem doentes, a duração da gripe foi menor nas pessoas que caminhavam regularmente.