Essa pergunta é rotineira em clínica, visto que  existem muitos tabus sobre o uso das estatinas, principalmente  quando se acreditam em informações , nem sempre corretas, obtidas pelo Dr. Google, muitas vezes carentes de evidências científicas, sendo apenas opiniões individuais , sem algum caráter científico. Recentemente foi publicado um artigo, muito difundido pela mídia leiga, tirando toda a importância do colesterol na gênese do infarto do miocárdio e do AVC. Esse artigo , no entanto, sofreu muitas críticas por parte de grande parte da comunidade científica, visto que carecia de uma metodologia científica apurada. Desse modo, devemos nos ater ao que REALMENTE  o mundo científico diz com propriedade: O colesterol elevado no sangue é um dos mais importantes fatores de risco para as doenças cardiovasculares.

Você tem que tomar as estatinas para prevenir a doença cardiovascular, que é a maior responsável pelas mortes no mundo todo. Indivíduos com colesterol elevado tem maior chance de ter um infarto do miocárdio ou um acidente vascular cerebral, do que indivíduos normais, conforme estudos vastamente conhecidos pela classe médica bem informada.

Existem regras a serem observadas no momento de se prescrever uma estatina para um paciente, visto que tal medicação causa uma série de efeitos indesejáveis, como dores musculares, sintomas gástricos,  que podem ser administrados ou minimizados com táticas terapêuticas corretas.

Dessa forma,segundo as orientacoes do American Heart Assotiation devemos prescrever as estatinas para:

  • pacientes com doenca cardiovascular clinica ( ja tiveram infarto, angina, AVC, ou com sinais de aterosclerose nos exames)
  • indivíduos com LDL-C maior do que  190 mg/dl
  •  pacientes de 45 a 75 anos com diabetes e LDL colesterol  entre 70 a  189 mg/dl ,  sem doenca cardiovascular clinica;
  • pacientesde 45 a  75 anos com LDL de 70 a 189 mg/dl com risco cardiovascular estimado igual ou maior do que  7,5%

FONTE- STONE, HJ- 2013 – ACC/AHA- Blood Cholesterol Guideline

infarto

 

 

 

 

 

 

 

Na ultima semana tivemos a tristeza de saber da morte de um dos ícones do teatro brasileiro, José Wilker, que foi acometido de infarto do miocárdio fulminante. Segundo familiares e amigos era uma pessoa saudável. Sabemos que a metade das pessoas que tem infarto do miocárdio podem morrer antes de serem atendidas por um serviço de emergência , isso deve ter acontecido com o ator, pois morreu enquanto dormia na casa da namorada.

O infarto do miocárdio pode ser evitado e é importante que saibamos quais são os fatores de risco dessa doença, ou seja, o que devemos fazer para evita-la. O grande responsável pelo infarto é o aumento do colesterol no sangue. Uma pessoa com colesterol elevado tem 3 a 4 x mais chance de infartar do que os que tem colesterol normal. Em segundo lugar vem o tabagismo, ou seja o habito de fumar, depois a hipertensão arterial , o diabetes, a depressão, o sedentarismo, obesidade. Esses fatores são cabíveis de serem mudados, isto é, podemos modifica-los através de mudança nos nossos hábitos de vida, por outro lado, existem fatores imutáveis como genética familiar, idade e sexo.

Sugiro que você, aumente seus conhecimentos sobre essa doença, lendo meu livro “Um Coração Saudável”da Editora Cancão Nova, para que possa evitar a doença cardiovascular, responsável pela mortalidade de um terço da população mundial.

corsaudavel

 

 

 

 

 

Para adquirir, clique aqui