Porque tenho pressão alta?

Os fatores causadores da hipertensão arterial da maioria dos hipertensos, da chamada hipertensão primária, são pouco conhecidos, mas acredita-se que existam numerosos fatores genéticos e ambientais envolvidos nesse processo.

Embora a etiologia exata da hipertensão primária não seja clara, vários fatores de risco estão forte e independentemente associados ao seu desenvolvimento, incluindo:

  • Idade – A idade avançada está associada ao aumento da pressão arterial, particularmente a pressão arterial sistólica, e uma maior incidência de hipertensão arterial.
  • Obesidade – Obesidade e ganho de peso são fatores de risco importantes para a hipertensão e também são determinantes do aumento da pressão arterial comumente observado com o envelhecimento
  • História familiar – A hipertensão é cerca de duas vezes mais comum em indivíduos que têm um ou dois pais hipertensos e vários estudos epidemiológicos sugerem que os fatores genéticos representam aproximadamente 30% da variação da pressão arterial em várias populações
  • Raça – A hipertensão tende a ser mais comum, ser mais grave, ocorrer mais cedo na vida e ser associada a maiores danos nos órgãos-alvo em negros.
  • Dieta com alto teor de sódio – O excesso de ingestão de sódio (por exemplo,> 3000 mg / dia) aumenta o risco de hipertensão e a restrição de sódio diminui a pressão arterial
  • Consumo excessivo de álcool – O consumo excessivo de álcool está associado ao desenvolvimento de hipertensão arterial.
  • Inatividade física – A inatividade física aumenta o risco de hipertensão e o exercício é um meio efetivo de baixar a pressão arterial
  • Diabetes e dislipidemia – A presença de outros fatores de risco cardiovascular, incluindo diabetes e aumento do colesterol e triglicerides no sangue, parece estar associada a um risco aumentado de desenvolver hipertensão .
  • Traços de personalidade e depressão – A hipertensão pode ser mais comum entre aqueles com certos traços de personalidade, como atitudes hostis e urgência / impaciência no tempo , bem como entre aqueles com depressão.

   CAUSAS SECUNDÁRIAS OU CONTRIBUTIVAS DE HIPERTENSÃO –

As principais causas da hipertensão secundária incluem:

  • Medicamentos de prescrição:
  • Contraceptivos orais, particularmente aqueles que contêm doses mais elevadas de estrogênio, que muitas vezes podem aumentar a pressão arterial dentro do intervalo normal, mas também podem induzir hipertensão arterial
  • Antiinflamatórios não esteróides, particularmente uso crônico
  • Antidepressivos, incluindo antidepressivos tricíclicos e inibidores seletivos da recaptação da serotonina
  • Glucocorticóides
  • Decongestionantes nasais, como pseudoefedrina
  • Medicamentos para perda de peso
  • Eritropoietina
  • Ciclosporina
  • Estimulantes, incluindo metilfenidato e anfetaminas
  • Uso ilícito de drogas – Drogas como metanfetaminas e cocaína podem aumentar a pressão arterial.
  • Doença renal primária – A doença renal aguda e crônica, particularmente com distúrbios glomerulares ou vasculares, pode levar à hipertensão.
  • Aldosteronismo primário –
  • Hipertensão Renovascular –Doença Renovascular é um transtorno relativamente comum. A hipertensão renovascular é mais frequentemente decorrente de displasia fibromuscular em pacientes mais jovens e mais frequentemente devido a aterosclerose em pacientes mais velhos. Em idosos com hipertensao resistente ao tratamento , é sempre bom ter em mente a possibilidade da existencia de obstrucoes da arteria renal por conta da ateroesclerose, daí a importancia da realizacao de exames diagnosticos como o Doppler e Ultrassom das artérias renais para confirmar essa hipótese.Apneia obstrutiva do sono – A respiração desordenada durante o sono parece ser um fator de risco independente para hipertensão sistêmica. Temos observado com muita frequencia que durante a realizacao do exame de monitorizacao da pressao arterial ( MAPA), a ausencia de reducao da pressao arterial durante o sono , está associado a algum grau de disturbio do sono.
  • Feocromocitoma – O feocromocitoma é um tumor de uma glandula localizada em cima dos rins, as glandulas suprarenais, que é uma causa rara de hipertensão secundária. Cerca de metade dos pacientes com feocromocitoma tem hipertensão paroxística;ou seja, tem crises de aumento da pressao, vermelhidao, sudorese quente e mal estar. O restante tem o que parece ser hipertensão primária.
  • Síndrome de Cushing – A síndrome de Cushing é uma causa rara de hipertensão secundária, mas a hipertensão é uma das principais causas de morbidade e morte em pacientes com síndrome de Cushing.
  • Outros distúrbios endócrinos – Hipotireoidismo, hipertireoidismo e hiperparatiroidismo também podem induzir hipertensão arterial.Coartação da aorta – A coarctação da aorta é uma alteracao congenital da arteria aorta sendo uma das principais causas de hipertensão secundária em crianças pequenas, mas também pode ser diagnosticado na idade adulta

adultos-Cardiovascular_Diseases_420476409

 

 

 

 

 

 

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), 16,7 milhões de pessoas morreram em 2002 em consequência de doenças cardiovasculares, correspondendo a um terço de todas as mortes ocorridas nesse ano em todo o planeta.

Estima-se que em 2020 as doenças cardíacas e o acidente vascular cerebral (AVC, ou derrame como erradamente ainda dizem) poderão ser responsáveis por mais de 20 milhões de mortes por ano.

As doenças cardiovasculares causam 8,5 milhões de mortes entre mulheres anualmente, sendo responsáveis por um terço de todas as mortes do sexo feminino no mundo todo. É a maior causa de morte entre as mulheres. Em países desenvolvidos, metade dessas mortes ocorrem em mulheres com mais de 50 anos.

Quinze milhões de pessoas sofrem de AVC a cada ano e cinco milhões delas ficam com sequelas, impedindo-as de terem uma vida normal. Cinco milhões e meio de pessoas morreram por causa do AVC em 2002. A mortalidade é maior entre as mulheres do que entre os homens: três milhões de mulheres morrem dessa enfermidade por ano.

No Brasil, os números também são sombrios, pois em 2005, 283.808 brasileiros morreram em virtude de problemas cardiovasculares, ao passo que as causas externas (acidentes, mortes violentas etc.) motivaram a 118.664 mortes, o câncer 147.418 e as doenças respiratórias 97.397.

É fácil concluir, com base nesses dados oferecidos pelo Ministério da Saúde, que tais taxas expressivas de mortalidade conduzem as autoridades sanitárias do país a um processo de busca dos fatores de risco coronário que desencadeiam essas doenças, para promoverem uma profilaxia dessas moléstias.

A doença cardiovascular é comum na população em geral, mas afeta principalmente adultos acima dos 60 anos, embora já venha ocorrendo com mais frequência na população mais jovem.

O risco de sofrer de doença cardiovascular aos 40 anos é de 49% em homens e 32% em mulheres, de acordo com o Framinghan Heart Study, cujo objetivo é identificar as causas dessa doença. Caso se atinja a idade de 70 anos livre da doença, o risco cardiovascular é 35% em homens e 24% nas mulheres.

Não existe doença tão prevalente e dispendiosa para a sociedade quanto a doença cardiovascular, basta comprovar o enorme rombo financeiro que causa em todos os sistemas de saúde do mundo, daí a enorme preocupação em analisar os aspectos preventivos dessa enfermidade. O governo americano estima para o ano de 2009 um gasto de 475 bilhões de dólares para o custeio direto e indireto das doenças cardiovasculares.

Embora o número de mortes decorrentes de doença cardiovascular venha diminuindo desde 1975, ainda permanece elevado em todos os continentes. Nas últimas duas décadas, mais de um milhão de americanos morreram por ano destas doenças.

Maiores detalhes no meu livro Um Coracao Saudavel

1324537930846_93

 

 

 

 

 

 

Novamente na mídia a notícia de uma celebridade que morreu subitamente! Passou mal durante uma viagem aérea para Uberlândia e infelizmente não resistiu , aos 67 anos de idade, ao fantasma da modernidade: o infarto do miocárdio. Assim como ele milhares de pessoas morrem no mundo inteiro por conta da doença do coração e dos vasos: 30% de todas as mortes do mundo todo se devem esse mal, daí a importância de agirmos na sua prevenção, fazendo check up anual apos os 40 anos de idade, tanto para homens como para mulheres.

A principal causa da doença cardiovascular é o aumento do colesterol no sangue, mais especificamente, o LDL colesterol. Em seguida vem : tabagismo, hipertensão arterial, diabetes, ansiedade, depressão, sedentarismo. Conhecendo esses fatores de risco é importantíssimo a intervenção nos nossos hábitos de vida de modo que possamos viver mais saudavelmente. Sendo assim recomendo:

1-  saudável , a base de frutas, legumes, peixes, frango, evitando o uso diario de carnes vermelhas que são ricas em gorduras saturadas, que no organismo se transformam em colesterol, podendo se depositar na parede dos vasos levando a doença cardiovascular

2- Dizer não ao tabagismo

3- Caminhadas diárias de 30 minutos sao suficientes para reduzir o risco cardíaco( 210 minutos por semana)

4- Combater a obesidade

5- Tomar regularmente as medicações para hipertensão, diabetes e depressão e para o  aumento do colesterol no sangue

6- Cuide muito bem da sua vida espiritual , frequentando regularmente a sua igreja!!!

Maiores detalhes no meu livro “Um Coração Saudável”

 

infarto

 

 

 

 

 

 

 

Na ultima semana tivemos a tristeza de saber da morte de um dos ícones do teatro brasileiro, José Wilker, que foi acometido de infarto do miocárdio fulminante. Segundo familiares e amigos era uma pessoa saudável. Sabemos que a metade das pessoas que tem infarto do miocárdio podem morrer antes de serem atendidas por um serviço de emergência , isso deve ter acontecido com o ator, pois morreu enquanto dormia na casa da namorada.

O infarto do miocárdio pode ser evitado e é importante que saibamos quais são os fatores de risco dessa doença, ou seja, o que devemos fazer para evita-la. O grande responsável pelo infarto é o aumento do colesterol no sangue. Uma pessoa com colesterol elevado tem 3 a 4 x mais chance de infartar do que os que tem colesterol normal. Em segundo lugar vem o tabagismo, ou seja o habito de fumar, depois a hipertensão arterial , o diabetes, a depressão, o sedentarismo, obesidade. Esses fatores são cabíveis de serem mudados, isto é, podemos modifica-los através de mudança nos nossos hábitos de vida, por outro lado, existem fatores imutáveis como genética familiar, idade e sexo.

Sugiro que você, aumente seus conhecimentos sobre essa doença, lendo meu livro “Um Coração Saudável”da Editora Cancão Nova, para que possa evitar a doença cardiovascular, responsável pela mortalidade de um terço da população mundial.

corsaudavel

 

 

 

 

 

Para adquirir, clique aqui

 

Estudo realizado em 4.676 pacientes com historia de doenca arterial coronaria (DAC)após 3,8 anos de follow-up verificaram que indivíduos que tinham maiores indices de depressao apresentavam tinham maior probabilidade de morte ou de infarto do miocardio. Além disso, verificaram que fatores comportamentais como fumo, alcoolismo, inatividade fisica e não aderência a medicação instituída)tiveram papel importante na ocorrencia dos eventos cardiovasculares.
Concluem sugerindo potencial papel de alterações comportamentais como o tabagsmo e sedentarismo em pacientes com DAC e depressão.

FONTE- J. Am Coll Cardiol 2013; 61:622-30