28. março 2020 · Comentários desativados em O morcego é o transmissor do Covid-19! · Categories: CORONAVIRUS · Tags: ,

Há 18 anos, descreveu-se a síndrome da insuficiência respiratória aguda grave, a SARS, que está associada a um grande número de coronavírus (SARS-CoVs), cujo hospedeiro do reservatório natural são morcegos. Estudos anteriores mostraram que alguns SARSr-CoVs de morcego têm o potencial de infectar seres humanos.

A pandemia que hoje assola o mundo é causada por um novo coronavírus, o Covid-19, todo teve início em 12 de dezembro de 2019 numa cidade da China, denominada Wuhan, em uma feira de animais exóticos e pescados, causando milhares de mortes e o pior, se alastrando para o mundo todo.

Sequências genômicas completas foram obtidas de cinco pacientes em um estágio inicial do surto. As sequências são quase idênticas e compartilham 79,6% de identidade de sequência com SARS-CoV. Além disso, mostraram que o Covid-19 é 96% idêntico ao nível do genoma inteiro a um coronavírus de morcego. A análise sequencial de sete domínios proteicos não estruturais conservados mostra que esse vírus pertence à espécie de SARSr-CoV. Além disso, o vírus Covid-19 isolado de líquido de lavagem broncoalveolar de um paciente crítico pode ser neutralizado por soros de vários pacientes.

Assim, é muito provável que o Covid-19, que vive normalmente nos morcegos, por um motivo não esclarecido ainda (diretamente ou através de um vetor) infectou o homem em uma feira de animais exóticos (sabe-se lá como?) e devido a sua enorme transmissibilidade vem sendo responsável por essa catástrofe, tanto física como econômica em todo o nosso planeta.

Sempre na vigência de uma doença ou calamidade, o ser humano questiona os “porques”, mas gosto sempre de lembrar um pensamento de Carmen Sylvia ( 1843-1916):“Deus sempre perdoa, os homens, às vezes, mas a natureza nunca”

Mas, para nós que devemos sempre ouvir as recomendações do Senhor, devemos sempre ter na nossa mente o que Ele nos pede em Levítico,11, 13- 14.

Entre as aves, eis as que tereis abominação e de cuja carne não comereis, porque é uma abominação:  a águia, o falcão e o abutre, o milhafre e toda variedade de falcões, toda espécie de corvo, a avestruz, a andorinha, a gaivota e toda espécie de gavião, o mocho, a coruja e o íbis, o cisne, o pelicano, o alcatraz e a cegonha, toda variedade de garça, a poupa e o morcego.

Fonte: Revista Nature, janeiro 2020 https://doi.org/10.1038/s41586-020-2012-7