Confissões

Confissões

“Quando o Sacerdote nos dá absolvição, devemos pensar em uma só coisa: que o sangue de Deus corre sobre a nossa alma para salvá-la, purificá-la, e torna-la tão bela como era após o batismo”. São João Maria Vianney (Cura D’Ars)

Terça – Feira:

09h30 às 11h30 – Atendimento de confissão

Quinta – Feira:

09h30 às 11h30 – Atendimento de confissão

Atenção – Os atendimentos acontecem por ordem de chegada.

 

Para fazer uma boa confissão:

1) Em relação a Deus:

Dirijo-me a Deus somente em caso de necessidade? Participo da Missa dominical e nos dias de preceito? Começo e termino o meu dia com a oração? Invoquei em vão o nome de Deus, de Maria ou dos Santos? Tenho vergonha de me apresentar como cristão? O que faço para crescer espiritualmente, como e quando faço? Revolto-me diante dos desígnios de Deus? Pretendo que seja Ele a cumprir a minha vontade?

Como fazer uma boa confissão?

Foto ilustrativa: Daniel Mafra/cancaonova.com

2) Em relação ao próximo:

Sei perdoar, partilhar, ajudar o próximo? Julgo sem piedade, tanto em pensamento quanto com palavras? Caluniei, roubei, desprezei os mais pequenos e indefesos? Sou invejoso, colérico, parcial? Tomo conta dos pobres e dos doentes? Envergonho-me da carne dos meus irmãos? Sou honesto e justo com todos ou alimento a cultura do descartável? Instiguei os outros a fazer o mal? Rejeitei a vida após a concepção? Desperdicei o dom da vida? Ajudei a fazê-lo? Respeito o ambiente?

3) Em relação a mim mesmo:

Sou um pouco mundano e pouco crente? Exagero em comer, beber, fumar e divertir-me? Preocupo-me em excesso com a saúde física e com os meus bens? Como uso o meu tempo? Sou preguiçoso? Amo e cultivo a pureza de coração, de pensamentos e de ações? Nutro vinganças e alimento rancores? Sou manso, humilde, construtor da paz?

4) Em relação a ser mãe que ora:

Tenho cumprido meu papel de catequista em minha casa? Tenho disponibilizado tempo e vontade de rezar pela minha família, seja individualmente ou em grupo? Tenho dedicado tempo para conhecer a Palavra de Deus? Tenho observado o tripé do Movimento? Tenho sido egoísta e rezado só pelos meus filhos ou rezado por todos os filhos necessitados? Honro e respeito meus pais? Tenho ensinado esse mandamento de Deus aos meus filhos? Observo a moral conjugal e familiar que o Evangelho ensina? Tenho tido atitudes que dificultam a conversão da minha família? Tenho propiciado atos de perdão na minha família?

Reflexões:

a) Salmo 50: “Misere”;
b) Salmo 129: “de profundis”.

Padre Daniel Aguirre
Texto extraído do livro “Reconciliação: Um caminho de amor e perdão” 

Leia mais:
::Você sabe o que é o Sacramento da Reconciliação?