Sobre a sanção presidencial do PLC 03/2013

Queridos amigos, realmente foi chocante tomar consciência da sanção presidencial do PLC 03/2013 que de uma forma velada acaba abrindo uma ampla estrada para o aborto. Isso foi um estratagema político bem articulado.

Apesar do pedido dos grupos pró-vida, da CNBB, da Bancada Evangélica, a Presidente sancionou o Projeto de Lei. Os Deputados e Senadores não se deram conta do que estava por trás e na Câmara, em duas Comissões e no Senado, aprovaram por maioria em caráter emergencial a pedido do Ministério da Saúde o PLC 03/2013.
É preciso que tenhamos consciência de que é um projeto antigo,que tinha como proposta assegurar à mulher um atendimento médico de emergência em caso de violência sexual: atendimento psicológico, prevenção de doenças sexualmente transmissíveis,etc.
Contudo,foi pedido pelo Ministro da Saúde que fosse votado em caráter de urgência pela Câmara e Senado,para que as mulheres fossem presenteadas com essa aprovação.
Porém, o texto original foi alterado, e a expressão emergência médica sumiu do texto, colocando então o termo: atendimento emergencial, ou seja, procedimentos imediatos. No Art. 2º fala-se de violência sexual, considerando qualquer forma de atividade sexual não consentida (não sendo necessário que a mulher apresente nenhum sinal de violência, como também, não se fazendo necessário um exame no IML para comprovação de que aconteceu a violência sexual).

Portanto, se uma mulher com sete meses de gravidez se apresentar num Pronto Socorro dizendo que foi vitima de violência sexual a sete meses atrás, ela deve ter o atendimento emergencial. O Artigo 1º dá a garantia de atendimento integral, podendo-se então aplicar a lei para os casos de estupro: o aborto! No inciso 4 do Artigo 3º se fala da “profilaxia da gravidez”, como se gravidez fosse doença para se ter uma profilaxia (Profilaxia é um termo muito utilizado na medicina e na odontologia, que são medidas para prevenir ou atenuar doenças. O termo profilaxia é de origem grega e significa precaução).

Eu te pergunto: gravidez é doença para se ter profilaxia? Vejam como é grave a situação! Isso ratifica a norma técnica do aborto proposta pelo Ministério da Saúde!
E agora, o que vamos fazer? Orar? Já oramos e muito nesta situação. Formar consciência moral dos cristãos? Essa é nossa obrigação! E como nação Cristã? Deixar bem claro à Presidente que não estamos de acordo com isso que foi sancionado. Me pergunto, por causa de um aumento de passagem de ônibus milhares saíram às ruas para protestar e disseram que o gigante havia despertado, e a defesa da vida dos inocentes, não merece uma grande movimentação neste país?
Creio que não podemos ficar somente nos artigos de lamento pelo Projeto de Lei sancionado, mais sairmos às ruas para dizer que não estamos de acordo e que defendemos a vida.
Me vem à mente o que o Papa Francisco disse aos jovens argentinos reunidos com ele na Catedral Metropolitana do Rio de Janeiro: “Desejo dizer-lhes qual é a consequência que eu espero da JMJ: espero que façam barulho. Aqui farão barulho, sem dúvida. Aqui no Rio, farão barulho, farão certamente. Mas eu quero que se façam ouvir também nas dioceses, quero que saiam, quero que a Igreja saia pelas estradas, quero que nos defendamos de tudo o que é mundanismo, imobilismo, nos defendamos do que é comodidade, do que é clericalismo, de tudo aquilo que é viver fechados em nós mesmos. As paróquias, as escolas, as instituições feitas para sair; se não o fizerem, tornam-se uma ONG e a Igreja não pode ser uma ONG. Que me perdoem os Bispos e os sacerdotes, se alguns depois lhes criarem confusão. Mas este é o meu conselho. Obrigado pelo que vocês puderem fazer”. (25/07/2013).
O que vamos fazer?????Em 2014 eu sei o que vou fazer, dizer o meu não aos políticos e partidos abortistas e te aconselho a fazer o mesmo. E agora, diante desse famigerado projeto de lei sancionado? Vamos dar voz aos indefesos e aos que não tem nem possibilidade, chance de ter voz?
Que Jesus tenha misericórdia do nosso lindo Brasil, “Gigante pela própria natureza”, e que nós assumamos a profunda palavra profética referida ao povo brasileiro: “verás que um filho teu não foge à luta”.
Deus abençoe o Brasil e o povo brasileiro!

Padre Roger Luis (Comunidade Canção Nova)

Link: https://www.facebook.com/padrerogerluis/posts/442052149226575

É na sutileza que o mal avança.

Provavelmente, muitas pessoas tomaram conhecimento de um projeto de lei que “Dispõe sobre o atendimento obrigatório e integral de pessoas em situação de violência sexual”. Obviamente assim o projeto foi divulgado pela mídia, seria uma iniciativa do governo para assistir mulheres vitimadas pelo estupro. Por conseqüência, quem estiver contra tal projeto automaticamente será taxado de misógino, machista, opressor, fundamentalista, e mais um monte de impropérios.

Entretanto, poucas pessoas realmente sabem o que está acontecendo.

O Projeto de Lei PL 03/2013, sancionado na íntegra pela presidente Dilma Rousseff, tem o poder de fazer basicamente uma coisa: vincular o SUS às Normas Técnicas do Ministério da Saúde sobre aborto e “direitos reprodutivos”, o que até então não era obrigatório. É claro que não há nada no PL 03 sobre aborto: o que as pessoas precisam se conscientizar é do conteúdo das normas técnicas. Com uma leitura mais atenta, vão perceber que… a norma técnica instrui sobre o que denomina “abortamento legal”. E o que seria “abortamento legal”?

Continue lendo…

A pressão da ONU sobre o Brasil e o furdunço dos números falsos

Que a ONU é a maior incentivadora do aborto no mundo, isso já sabemos, mas que era petulante ao ponto de interferir nas políticas internas que defendem a vida no Brasil, aí é demais hein!

Tiveram a “cara de pau” de cobrar, com ares de ameaça, mais abortos no Brasil.

Querem governar nosso país agora? Não votei na Dilma mas muito menos na ONU pra isso.

A nova Ministra de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menecucci, e o governo Dilma, foram pressionados nessa sexta-feira para que legalizem logo os assassinatos dos nascituros.

A “perita”suíça, Patricia Schulz, disse à ministra: “O que é que vocês vão fazer com esse problema político enorme que têm?”

“As mulheres vão abortar. Essa é a realidade”, disse Magaly Arocha, mais uma das “peritas”, aliás, todo mundo lá é “perito”. E continuou: “O comitê da ONU não pode defender o aborto. Mas queremos que o Estado garanta que mulheres possam velar por suas vidas.”

Ôpa, segundo eles, eles não podem defender aborto? Se ameaçar um sistema político e pressioná-lo a legalizar aborto não for defender aborto então me contem que o Ronaldinho Gaúcho foi eleito o jogador mais bonito do mundo, que eu vou acreditar.

Outra coisa: Então vamos legalizar o tráfico de cocaína? Os traficante vão traficar mesmo!! Vamos legalizar o estupro? Os tarados vão abusar mesmo!!
Nunca se ouviu argumento mais tosco pra se defender aborto.

A ministra brasileira, que é pró-aborto, achou foi gostosa a pressão da ONU, ela mesma já tinha dito ser pelo aborto, inclusive afirmou que fez dois e participou de treinamento para aprender fazer abortos clandestinos, detalhe: por sucção.

Mas a canalhice não para por aí, além de tentar interferir na autonomia governamental do Brasil, esfregaram na cara da ministra, números absurdamente falso sobre mortes de mulheres em aborto ilegais no país. Precisa falar que a Ministra ficou quietinha achando bom? Foi uma coçadinha nas costas dela.

Além disso, a ministra admitiu que o aborto está entre as 5 principais causas de mortes de mulheres no País.

Ôpa! Me chamem de ignorante, mas assim na cara dura também não pô!

Segundo eles, todos os anos, morrem 200 mil mulheres ao fazerem abortos clandestinos.

Rá, olha o festival da mentira ae geeente!!! Parece que o carnaval chegou lá primeiro!!!!

Os números são falsos, claro, mas também já sabemos que são peritos em citar números falsos, não é a primeira vez que isso acontece, nem a 20ª. Tanto a ONU, como o governo brasileiro.

Poderia falar que a ministra se acovardou ante as ameaças da ONU, mas só se acovarda diante do que não se compactua, não é o caso dela. Ela então fez cara de: Tô doida pra concordar com vocês, mas não posso, porque o governo sofre pressões das bancadas católica e evangélica e se eu concordo com vocês, amigas feministas, os caras lá no Brasil vão me detonar e tô chegando agora! Sabe como é!

Os abortistas tiveram que se contentar com a fala de uma representante do Ministério da Saúde, que não descobri o nome, e que indicou existir em funcionamento 60 serviços credenciados para realizar abortos dentro da lei e que essa rede será ampliada.

Ficaremos de olho.

fonte: http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,onu-cobra-brasil-por-mortes-em-abortos-de-risco,837576,0.htm

Abaixo estão as provas que demonstram a inconsistência dos números citados aqui, para o ranger dos dentes deles:

1) http://blog.cancaonova.com/tiba/2009/06/29/as-entrelinhas-da-mentira/

2) http://blog.cancaonova.com/tiba/2010/05/03/e-as-mascaras-vao-caindo-cientificamente/

3) http://blog.cancaonova.com/tiba/2010/03/31/instituicao-que-deveria-defender-criancasimpoe-aborto-aos-paises-pobres/

4) http://blog.cancaonova.com/tiba/2009/11/27/unesco-e-unicef-sinonimo-de-ajuda-as-criancinhas/

5) http://blog.cancaonova.com/tiba/2009/05/16/descoberto-ministerio-da-saude-mentiu-forjou-pesquisa/

.

_____________________________________________________________________________

Sem perder tempo, nova Ministra pró-aborto vai a ONU defender o que acredita

Nossa, que rápido! A nova Ministra de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci, já colocou as manguinhas pra fora, vai pra ONU defender o aborto, mas  afinal,  o que a gente esperava? A presidente Dilma já tinha dito no discurso de posse da ministra que ela defenderia os interesses do governo uai!

No relatório do governo que será apresentado na ONU esta semana, está um lamento: “O afastamento de posições conservadoras em relação ao papel de homens e mulheres em nossa sociedade está ocorrendo mais lentamente do que se desejaria”.

Para desqualificar a tentativa de se aprovar o “Estatuto do Nascituro” a Ministra vai levar também em seu relatório:

“É fundamental que o projeto seja rejeitado na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania”

Pois é, o “Estatuto do Nascituro” aquele que visa proteger a vida humana desde a concepção, ele é uma ameaça para o governo.


No relatório que o “Brasil” (ENTRE ASPAS) vai apresentar à ONU, também será exibito com orgulho a conquista do governo em ter conseguido realizar em 2010, 60 abortos “amparados pela lei”; Se sentem orgulhosos por isso. Mas não se engane, querem mais.

Termino com a notícia do Estadão: “Empossada na sexta-feira, Eleonora estará à frente de uma delegação formada por senadoras, deputadas e ativistas femininas que irá à Suíça passar por uma espécie de sabatina sobre a situação da mulher no Brasil e as políticas do governo para combater a discriminação de gênero. Na posse, a presidente Dilma Rousseff afirmou que a ministra seguirá as diretrizes de governo — Eleonora é defensora histórica do direito ao aborto”.

.

__________________________________________________________________

Se confirmou: Nova ministra da secretaria das mulheres defende direito ao aborto

FOLHA DE SÃO PAULO

Amiga da presidente Dilma Rousseff desde a década de 1960 e sua colega de prisão na ditadura militar, a nova ministra Eleonora Menicucci, 67, promete defender a liberação do aborto à frente da Secretaria de Políticas para as Mulheres, informa reportagem de Bernardo Mello Franco, publicada na Folha desta terça-feira (a íntegra está disponível assinantes do jornal e do UOL, empresa controlada pelo Grupo Folha, que edita a Folha).

Dilma escolhe ex-companheira de prisão para secretaria das mulheres

Ela vai substituir Iriny Lopes, que vai disputar a Prefeitura de Vitória.

Eleonora é pró-reitora da Universidade Federal de São Paulo e militante de esquerda na década de 60. Ela conviveu com a presidente durante o regime militar.

A nova ministra também foi vice-presidente da União Estadual dos Estudantes de Minas Gerais e da diretoria da UNE.

Ela foi presa em julho de 1971 e esteve com Dilma no presídio Tiradentes, que abrigava prisioneiras políticas do regime militar.

Em nota divulgada ontem, a Secretaria de Comunicação da Presidência afirma que Dilma deseja “sucesso” a Eleonora em suas novas funções na secretaria “que tem contribuído para melhorar a vida das brasileiras”.

Ayrton Vignola – 3.mar.2005/Folhapress
Eleonora Menicucci de Oliveira, 67, que assumirá a secretaria de Políticas para Mulheres
Eleonora Menicucci de Oliveira, 67, que assumirá a Secretaria de Políticas para Mulheres
As prediletas de Dilma preferem o Aborto
Por Mino Freitas Neto
O jornal ‘O Globo‘ de hoje informa que a presidente Dilma Rousseff deverá mudar, ainda esta semana, o comando da Secretaria de Políticas para as Mulheres. Atualmente, o comando da secretaria é da titular Iriny Lopes que deverá sair em virtude da insatisfação da presidente com seu trabalho na pasta.

Eleonora Meniccuci Oliveira

Entre as favoritas de Dilma para substituir Iriny estão as petistas Eleonora Menicucci de Oliveira (socióloga) e a deputada carioca Inês Pandeló. Após o anúncio da imprensa, pesquisei no google os dois prováveis nomes para ocupar a pasta da Secretaria de Políticas para Mulheres. Ora, qual não foi a minha surpresa quando descobri que as duas são defensoras da legalização do aborto, sendo que a primeira é estudiosa e militante da causa abortista e ligada a diversas entidades do movimento feminista.

Inês Pandeló

As prediletas de Dilma para assumir o comando da Secretaria de Políticas das Mulheres são francas defensoras da legalização do aborto no Brasil. Acessando os links abaixo se pode ver a participação das prováveis ocupantes como autoras ou signatárias de documentos que sugerem a legalização do aborto no Brasil:

Eleonora Menicucci Oliveira:

OLIVEIRA, Eleonora Menicucci / VILLELA, W. V. / Carvalho, Rosalina – Aborto e Saúde Mental In: Direito de Decidir: Múltiplos olhares sobre o aborto. 1 ed.Belo Horizonte : Autêntica, 2008, v.01, p. 43-67.

OLIVEIRA, Eleonora Menicucci – Nosso Corpo nos Pertence >> http://www.tanianavarroswain.com.br/labrys/labrys7/liberdade/leo.htm

Inês Pandeló:

http://www.ipas.org/Publications/asset_upload_file16_5186.pdf


http://www.inespandelo.com.br/page/internaImprimir.asp?cod=603

___________________________

fonte: http://litteraeetsanguine.blogspot.com/

.

_________________________________________________________________________________

Um breve histórico da trama para legalizar o aborto no Brasil

.

Brasil, um país de todos e de todas?

Se é de todos é também dos que estão nos ventres maternos.

De todas? Em média 50% das crianças abortadas são mulheres!

O argumento mais usado na tentativa de legalizar o aborto é que seria uma defesa dos direitos da mulher.

E a defesa da menina abortada? Onde estão os direitos dela? Onde estão as movimentos feministas agora?

Contrariando as pesquisam que mostram que apenas 3% da população brasileira acha o aborto moralmente aceitável, o  governo Lula decidiu agir assim mesmo, fomentando a maior movimentação pró-aborto da história do Brasil.

.

Histórico

.

* Em Abril de 2005 o governo Lula comprometeu-se com a ONU, em legalizar o aborto no Brasil.

Registrado no IIº Relatório do Brasil sobre o Tratado de Direitos Civis e Políticos, apresentado ao Comitê de Direitos Humanos da ONU (nº45).

.

* Em Agosto de 2005, o governo reconhece o aborto como Direito Humano da Mulher. Entregou ao comitê da ONU para a Eliminação de todas as Formas de Descriminalização contra a Mulher (CEDAW) documento confirma a declaração.

.

* Em Setembro de 2005, o governo apresentou ao Congresso o Projeto de Lei 1135/91 de autoria do Dep. José Genoíno, que propõe descriminalizar o aborto até o 9º mês de gestação e por qualquer motivo.

.

* Em Setembro de 2007, o PT assumiu a descriminalização do aborto e o atendimento de todos os casos no serviço público, como programa do Partido, sendo o primeiro partido no Brasil a assumir a causa como programa.

.

* Em Setembro de 2009 o PT puniu os dois deputados Luiz Bassuma e Henrique Afonso por serem contrários à legalização do aborto.

Com o Ministro da Saúde, José Gomes Temporão, o governo Lula emplacou o discurso: “legalizar o aborto é questão de saúde pública.” Então faço a pergunta: O sistema de saúde que não atende nem as mães que querem dar a vida aos filhos, irá atender as que querem matá-los? A saúde é um caos! Falta hospitais, macas, aparelhos, leitos, remédios, médicos…e agora querem que o sistema de saúde dê aborto seguro à população? É uma piada!

.

* Em Fevereiro de 2010 o Partido dos Trabalhadores, o presidente Lula e a então Ministra Dilma Rousseff, firmaram oficialmente, através, inclusive de assinaturas de próprio punho, o apoio incondicional ao 3º Programa Nacional de Direitos Humanos (PNDH-3) no qual se reafirmou a descriminalização do aborto, o controle de imprensa, a retirada de símbolos religiosos das repartições públicas, a união civil homossexual, comissão que privilegie grupos invasores de terra,inclusive terrasprodutivas, etc…etc…etc…

.

* Em junho de 2010 o PT e os aliados boicotaram a criação da CPI do Aborto que investigaria as origens dos financiamentos por parte de organizações internacionais para a legalização e a promoção do aborto no Brasil. Por temerem ser revelado a existência de empresas privadas internacionais que investem para que o aborto seja legalizado no Brasil, entre elas a Fundação Ford, Fundação Rockfeller, Fundação MacArthur, etc.

.

O  partido do governo não respeitou a própria constituição do país que declara o direito de todos à vida, não respeitou o Pacto de São José da Costa Rica do qual é signatário, onde se confirma a vida começando na concepção.(obs: o pacto é um compromisso abaixo da constituição, porém, acima das leis)

.

* Em Julho de 2010, exatamente dia 16, o governo Lula assinou um documento chamado “Consenso de Brasília” que propõe a liberação completa do aborto para todos os governos da América Latina.

E apesar do nome “Consenso”, ele só representa o consenso entre os próprios promotores do aborto.

.

__________________________________________________________________________________

.

________________________________________________________________________________

Dilma condecora 20 pessoas por atuação em prol de direitos humanos e na categoria “Garantia dos Direitos da População de LGBT(Lésbica, Gays, Bissexuais e Travestis) o premiado foi o Ministro do STF, Carlos Ayres Britto que foi o relator do processo que concedeu a união estável entre casais do mesmo sexo.

Fonte: http://g1.globo.com/politica/noticia/2011/12/dilma-condecora-20-pessoas-por-atuacao-em-prol-de-direitos-humanos.html

.

.

_____________________________________________________________________________

O projeto que visa incentivar o homossexualismo distribuindo “Kits” para as crianças nas escolas, foi suspenso pela Presidente Dilma, que se mostrou escandalizada pelo conteúdo do material.

A pressão das bancadas Católica, Evangélica e da Família, foram responsáveis pelo pedido de suspensão!
Essa união entre as bancadas provocou um alarido no congresso e abalou as estruturas do projeto, porque alertou para uma coisa: a verdade.
A verdade é que não querem  combater a homofobia com este “Kit”, mas  incentivar a homossexualidade nas crianças do 1º grau., incutir nos nossos filhos uma cultura gay.

Dilma Rousseff manda suspender kit “anti-homofobia”, diz ministro

Segundo Gilberto Carvalho, presidente achou vídeo ‘inapropriado’.
Bancadas religiosas haviam ameaçado convocar Palocci.

Nathalia Passarinho Do G1, em Brasília

Após protestos das bancadas religiosas no Congressso, a presidente Dilma Rousseff determinou nesta quarta-feira (25) a suspensão do “kit anti-homofobia“, que estava sendo elaborado pelo Ministério da Educação para distribuição nas escolas, informou o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho.

“O governo entendeu que seria prudente não editar esse material que está sendo preparado no MEC. A presidente decidiu, portanto, a suspensão desse material, assim como de um vídeo que foi produzido por uma ONG – não foi produzido pelo MEC – a partir de uma emenda parlamentar enviada ao MEC”, disse o ministro, após reunião com as bancadas evangélica, católica e da família.

Segundo ele, a presidente decidiu ainda que todo material que versar sobre “costumes” terá de passar pelo crivo da coordenação-geral da Presidência e por um amplo debate com a sociedade civil. “O governo se comprometeu daqui para frente que todo material que versará sobre costumes será feito a partir de consultas mais amplas à sociedade”, afirmou.

Diante da decisão de Dilma, o ex-governador do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho (PR-RJ), que participou da reunião com Carvalho, afirmou que estão suspensas as ameaças anunciadas pelas bancadas religiosas em protesto contra o “kit anti-homofobia”.

Em reunião, os parlamentares haviam decidido colaborar com a convocação do ministro da Casa Civil, Antonio Palocci, para que ele explique sua evolução patrimonial.

Os deputados também ameaçaram obstruir a pauta da Câmara e abrir uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a contratação pelo MEC da ONG que elaborou a cartilha.

“Ele [Gilberto Carvalho] disse que tem a palavra da presidente da República de que nada do que está no material é de consentimento dela. Mas nós acordamos que ele falará. E nós suspendemos a obstrução e todas as nossas medidas”, afirmou Garotinho.

.

.

.

“Da detida análise dos panfletos apreendidos verifico que, embora os mesmos tenham caráter claramente político e exprimam posicionamento quanto às eleições à medida que recomendam votos ‘somente a candidatos ou candidatas e partidos contrários ao aborto’, seu conteúdo não pode ser conceituado como propaganda eleitoral, pois não foi elaborado por candidato ou partido político.” – Sandra Cureau, vice-procuradora-geral eleitoral, pedindo a revogação da liminar concedida pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que culminou com a apreensão de um milhão de cópias do “Apelo a todos os Brasileiros” – folheto que a Diocese de Guarulhos, SP.

O Ministério Público Federal, por meio da vice-procuradora-geral eleitoral, Sandra Cureau entendeu ILEGAL a apreensão de 1,1 milhão de documentos da Igreja Católica (os panfletos anti-aborto da CNBB Sul1), por violação de vários dispositivos constitucionais e da lei eleitoral.

.

Pois é, depois que as eleições passaram agilizaram para julgar e declarar que os 1,1milhão de panfletos que Dom Luiz Gonzaga mandou imprimir, foram apreendidos pela polícia ilegalmente. Bonito hein…

Mais uma vez os fatos evidenciam a sujeira da politicagem que faz mais uma vítma, mas não pense que essa vítma foi Dom Luiz,ou a Igreja Católica, de forma alguma, foi a liberdade de expressão dos brasileiros. Pois é, a tão intocável liberdade de expressão! tadinha…ops.

Que lindo, será que irão devolver o dinheiro gasto com a gráfica? ou fazer novas eleições presidenciais?

Já ouviu falar do famoso GBE (Golpe Baixo Estratégico) ? O amigo do velocista favorito desloca “sem querer” o joelho do adversário. Depois assume a culpa, ué, na pior das ipóteses irão declarar que foi uma atitude muito fêia!

E viva o Brasil, viva o sistema!

.

.

.