Meditemos sobre a oração de Jesus Cristo e a vida de oração da Virgem Maria antes e no momento da Anunciação do mistério da Encarnação.

A Santíssima Virgem exerce sua função maternal em sua vida e por sua vida.

Nosso Senhor foi mediador por seu sacrifício. Ele rezou porque devia essa homenagem a seu Pai; fez esse ato de dependência ainda que, gozando da visão beatífica[1], tivesse tudo o que podia desejar.

Meditemos sobre a oração de Jesus Cristo e a vida de oração da Virgem Maria antes e no momento da Anunciação do mistério da Encarnação.

Anunciação do Anjo a Virgem Maria.

Ele rezou também para nos ensinar a fazê-lo. Mas rezou sobretudo porque é a Cabeça do Corpo místico [de Cristo] e, como tal, trazia, para as reunir nesse mistério, todas as humanidades que lhe seriam ligadas pela graça, não importa a que grau. Ele estava sempre em estado de oração. Procurou por isso, em certos momentos, a solidão e o deserto, mesmo durante a vida pública. Ele rezou vocalmente ou interiormente. Quis realizar assim essa união das almas no Corpo místico: é a grande intenção que nos deixou, após a Ceia, na oração sacerdotal em que ele pede para nós essa união individual à divindade, nele e por ele, ao Pai, na unidade. Continue lendo…

A Solenidade do Sagrado Coração de Jesus nos recorda o mistério do amor que Deus tem pelos homens de todos os tempos.

Hoje a Igreja Católica celebra a Solenidade do Sagrado Coração de Jesus que, segundo o Papa São João Paulo II, “lembra o mistério do amor que Deus tem pelos homens de todos os tempos”[1]. Esta Solenidade passou a ser celebrada a pedido do próprio Senhor Jesus Cristo, Filho de Deus encarnado. Em junho 1675, o Sagrado Coração de Jesus transmitiu esse desejo e, ao mesmo tempo, uma promessa a Santa Margarida Maria Alacoque:

A Solenidade do Sagrado Coração de Jesus nos recorda o mistério do amor que Deus tem pelos homens de todos os tempos.

Sagrado Coração de Jesus

Peço que na primeira sexta-feira depois da oitava de Corpus Christi, se celebre uma Festa especial para honrar meu Coração, e que se comungue nesse dia para pedir perdão e reparar os ultrajes por ele recebidos durante o tempo que permaneceu exposto nos altares. […] Prometo-te que o Meu Coração se dilatará para derramar com abundância as influências de Seu divino Amor sobre os que tributem esta divina honra e que procurem que ela lhe seja prestada[2].

Continue lendo…

Saiba o que a Mensagem de Fátima tem a nos dizer sobre a batalha final entre Deus e Satanás sobre o matrimônio e a família.

A mensagem de Fátima, no seu núcleo fundamental, é o chamamento à conversão e à penitência, como no Evangelho. Este chamamento foi feito nos inícios do século vinte e, portanto, foi dirigido, de um modo particular a este mesmo século. […] O apelo à penitência é um apelo maternal; e, ao mesmo tempo, é enérgico e feito com decisão[1].

Saiba o que a Mensagem de Fátima tem a nos dizer sobre a batalha final entre Deus e Satanás sobre o matrimônio e a família.

São João Paulo II diante da imagem de Nossa Senhora de Fátima

Por Pe. Shenan J. Bouquet — Neste ano de 2017, a Igreja celebra o Centenário dos milagrosos eventos ocorridos em Fátima, recordando a maravilhosa aparição de nossa Mãe do Céu e a mensagem de vida que Ela nos veio trazer. Considerando o significado desse acontecimento e o que ele tem a dizer ao mundo de hoje, lembro-me de algo que a Irmã Lúcia escreveu em uma carta ao Cardeal Caffarra:

O confronto final entre o Senhor e o reino de Satanás será sobre a família e sobre o matrimônio. Não tenha medo, porque qualquer um que trabalhar pela santidade do matrimônio e da família será sempre combatido e contrariado de todos os modos, porque este é o ponto decisivo. No entanto, Nossa Senhora já lhe esmagou a sua cabeça[2]. Continue lendo…

Décimo primeiro apelo da Mensagem de Fátima: “Jesus quer estabelecer no mundo a devoção ao meu Imaculado Coração”[1].

Estabelecer no mundo a devoção ao Coração Imaculado de Maria significa levar as pessoas a uma plena consagração de conversão, doação, íntima estima, veneração e amor. É, pois, neste espírito de consagração e conversão que Deus quer estabelecer no mundo a devoção ao Coração Imaculado de Maria.

Décimo primeiro apelo da Mensagem de Fátima: “Jesus quer estabelecer no mundo a devoção ao meu Imaculado Coração”

Imaculado Coração de Maria

Todos sabemos o que representa, numa família, o coração da mãe: é o amor! Na verdade, é o amor que leva a mãe a desvelar-se junto do berço do filho, a sacrificar-se, a dar-se, a correr em defesa do filho. Todos os filhos confiam no coração da mãe, e todos sabem que tem nele um lugar de íntima predileção. O mesmo se passa com a Virgem Maria. Assim diz a Mensagem: “O meu Imaculado Coração será o teu refúgio e o caminho que te conduzirá até Deus”[2]. O Coração de Maria é, portanto, para todos os seus filhos, o refúgio e o caminho para Deus. Continue lendo…

Como consagrados a Virgem Maria, podemos pedir, colocar intenções, e oferecer orações, jejuns, penitências, sacrifícios e boas obras por uma pessoa ou causa?

Quando estamos para fazer a nossa consagração a Jesus Cristo pelas mãos da Santíssima Virgem Maria, as dúvidas que mais nos atormentam é se podemos pedir por nós mesmos, por outras pessoas ou causas e oferecer nossas orações, jejuns, penitências, sacrifícios e boas obras. Pois, a perfeita e total consagração de nós mesmos à Nossa Senhora “consiste em nos darmos inteiramente à Santíssima Virgem, para que por ela pertençamos inteiramente a Jesus Cristo”1. Isto significa que entregamos nosso corpo, com todos os sentidos e membros; nossa alma, com todas as suas potências; nossos bens materiais, presentes e futuros; “nossos bens interiores e espirituais, que são os nossos méritos, virtudes e boas obras passadas, presentes e futuras”2.

Como consagrados a Virgem Maria, podemos pedir, colocar intenções, e oferecer orações, jejuns, penitências, sacrifícios e boas obras por uma pessoa ou causa?

Imaculado Coração de Maria

Pela consagração, damos tudo o que temos na ordem da natureza e na ordem da graça, e tudo o que podemos vir a ter no futuro, na ordem da natureza, da graça ou da glória, a Jesus Cristo, pelas mãos maternas da Virgem Maria. Sobre esta entrega de amor, se tudo entregamos a Nossa Senhora, podemos perguntar: Não ficaremos desamparados? Podemos pedir por nós mesmos e pelos outros? Podemos oferecer nossas orações, jejuns, penitências, sacrifícios e boas obras? Não sofreremos muito no Purgatório? Continue lendo…

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com