Meditemos sobre o amor de Deus manifestado em Pentecostes e na missão do Espírito Santo na santificação e na salvação de nossas almas.

No sacramento da Confirmação, todos nós recebemos o mesmo Espírito Santo que a Santíssima Virgem Maria e os apóstolos receberam abundantemente no Pentecostes. Consideremos o amor que a Santíssima Trindade nos mostrou neste sublime mistério, apesar dos maus tratos que o mundo infligiu a Jesus Cristo.Meditemos sobre o amor de Deus manifestado em Pentecostes e na missão do Espírito Santo na santificação e na salvação de nossas almas.

Já que o amor se paga com amor, roguemos ao Espírito de Deus, que abrase o nosso coração com Suas chamas ardentes de amor, e nos conceda que adoremos e louvemos as três Pessoas divinas com fervor e as façamos adorar e louvar pelos outros. Continue lendo…

Na memória da Virgem Maria Mãe da Igreja, o Cardeal Robert Sarah refletiu sobre a oposição entre a luz e as trevas neste mundo.

Homilia na catedral de Chartres, na França, dia 21 de maio de 2018.

Permitam-me, em primeiro lugar, agradecer calorosamente a Sua Excelência, Dom Philippe Christory, bispo de Chartres, pelo seu acolhimento nesta maravilhosa Catedral.

Na memória da Virgem Maria Mãe da Igreja, o Cardeal Robert Sarah refletiu sobre a oposição entre a luz e as trevas neste mundo.

Queridos peregrinos de Chartres,

“A luz veio ao mundo”, diz-nos hoje o Evangelho, “e os homens preferiram as trevas”.

E vocês, queridos peregrinos, acolheram a única Luz que não engana? Acolheram a Luz de Deus? Vocês caminharam durante três dias. Rezaram, cantaram, sofreram debaixo do sol e da chuva… Acolheram a Luz em seus corações? Renunciaram realmente às trevas? Escolheram seguir o Caminho, seguindo Jesus, que é a Luz do mundo? Continue lendo…

A Santíssima Trindade está presente em nossas vidas, em nosso interior, por isso, sejamos fervorosos devotos desse grande e insondável mistério.

A Santíssima Trindade é nosso tudo e todos os bens – que já recebemos e ainda esperamos para o futuro – nos vieram e virão do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Por isso, é com razão que a Igreja, embora consagre a Santíssima Trindade todos os domingos, Lhe dedica o Domingo da Santíssima Trindade de um modo especial.A Santíssima Trindade está presente em nossas vidas, em nosso interior, por isso, sejamos fervorosos devotos desse grande e insondável mistério.

Tres sunt qui testimonium dant in coelo: Pater, Verbum et Spiritus Sanctus, et hi tres unum sunt – Três são os que dão testemunho no céu: o Pai, o Verbo e o Espírito Santo, e estes três são um” (1 Jo 5, 7).

Veneremos devotamente tão augusto mistério, dizendo muitas vezes o “Glória do Pai”. Respeitemos também, de modo particular, a presença da Santíssima Trindade, que se encontra em nossas almas, no mais íntimo de nosso interior, bem como na alma do próximo. Continue lendo…

Conheçamos o sonho profético de Dom Bosco, no qual a devoção a Nossa Senhora Auxiliadora e a Eucaristia são simbolizadas por duas colunas que sustentam a nau da Igreja em meio às tribulações.

Conheçamos o sonho profético de Dom Bosco, no qual a devoção a Nossa Senhora Auxiliadora e a Eucaristia são simbolizadas por duas colunas que sustentam a nau da Igreja em meio às tribulações.

Detalhe da imagem do sonho de Dom Bosco com as duas colunas que sustentam a barca da Igreja.

São João Bosco, mais conhecido como Dom Bosco, recebeu de Deus várias visões e revelações através de sonhos; e em um dos mais significativos e conhecidos, a devoção a Nossa Senhora Auxiliadora e a Eucaristia são representadas por duas colunas robustas, que sustentam a barca da Igreja em meio aos ataques dos inimigos. O sonho ficou tão marcado na vida dos Salesianos que em suas casas há sempre uma coluna com a imagem da Virgem Auxiliadora no seu topo.

Em 26 de Maio de 1862, Dom Bosco prometeu aos seus jovens que lhes contaria algo muito agradável nos últimos dias do mês. Na noite do dia 30, reuniu os jovens e contou-lhes o extraordinário sonho profético das duas colunas que sustentam a grande barca que representa a Igreja. Este sonho se tornou muito mais autêntico e revelador em nosso tempo do que naquela época. Continue lendo…

Saibamos por que a Virgem Maria é Mãe da Igreja e quais as consequências espirituais da sua maternidade sobre nós.

No dia 13 de Maio de 1967, o Papa Paulo VI declarou solenemente, através da “Exortação Apostólica Signum Magnum”, que a Santíssima Virgem Maria é Mãe da Igreja e modelo de todas virtudes. Em decorrência dessa declaração, no dia 3 de Março de 2018, o Cardeal Robert Sarah, Prefeito da Congregação do Culto Divino e da Disciplina dos Sacramentos, publicou e comentou oficialmente o “Decreto sobre a celebração da bem-aventurada Virgem Maria, Mãe da Igreja, no Calendário Romano Geral”. O Decreto foi promulgado no dia 11 de Fevereiro de 2018, na memória da Bem-aventurada Virgem Maria de Lurdes, em conformidade com a decisão do Papa Francisco.

Saibamos por que a Virgem Maria é Mãe da Igreja e quais as consequências espirituais da sua maternidade sobre nós.

Detalhe do mosaico da “Mater Ecclesiae” (Mãe da Igreja).

A partir da promulgação do Decreto, a Memória da Bem-aventurada Virgem Maria, Mãe da Igreja, deve ser celebrada em toda a Igreja Católica de Rito Romano na segunda-feira depois da Solenidade de Pentecostes, que este ano será no dia 21 de Maio.

Apesar de ser doutrina da Igreja Católica, há pessoas que não compreendem por que a Virgem Maria é Mãe da Igreja. Outras têm a tendência de dizer que ela é membro da Igreja e, portanto, não pode ser Mãe da Igreja. Para compreender melhor a questão, vejamos quais são as razões teológicas que fundamentam a afirmação de que Nossa Senhora é verdadeiramente Mãe da Igreja. Continue lendo…

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com