Dom Bosco, intercessor da minha vocação!

A intercessão dos Santos

Antes de falar sobre esse meu amigo, quero dizer que ter um santo intercessor ou mais de um é muito importante. E por que pedir a intercessão deles se posso me dirigir ao Senhor diretamente? Bom, é simples, a resposta é o transbordar do amor que neles era tão grande, a ponto de, por exemplo, Santa Terezinha dizer que passaria o Céu fazendo o bem na terra. São Padre Pio dizia que ficaria na porta do Paraíso “até o último dos meus filhos entrar”. O que dizer então de Nossa Senhora que, ali, no momento da Cruz, Jesus nos deu como Mãe? O fato é que dependemos uns dos outros, e olhar para a vida dos santos nos faz contemplar a eternidade, saber que é possível ser santo quando nos abrimos a viver o que Deus nos pede, dentro daquilo que é a nossa história, que é o nosso cotidiano.
E nesse caminho, eu fui conhecendo a história de muitos santos. Com alguns eu me identifiquei com o modo de ver a vida, com o desejo pela santidade e a leveza que viviam mesmo em meio às enfermidades, perseguições, pestes da época; enfim, eles encontraram o sentido do seguimento, que é Jesus.

Foto: Arquivo CN

.: Eventos e a missão de evangelizar

.:Vai, vende tudo!

Sou da família salesiana

Eu me chamo Graziélle. Sou missionária na Comunidade Canção Nova. Quero, hoje, falar de um santo intercessor da minha vocação, do qual eu só tomei consciência quando morei em Lavrinhas (SP), no meu pré-discipulado. Na Canção Nova, temos os tempos fortes programados, quando paramos para fazer um retiro, para ouvir a Deus; e esse em especial era o tempo forte de Dom Bosco. Durante o retiro, no meu momento de deserto, fui até a imagem de São João Bosco, na quadra, e ali eu perguntei a Deus, em oração, quando foi que esse santo entrou em minha vida, pois eu sentia algo diferente dentro de mim.

A resposta não veio na hora. Chegou o tempo de ir para casa, na visita do Dia das Mães. Lá, eu achei umas fotos antigas do casamento da minha avó e do meu avô maternos, que eu nunca tinha visto. Fiquei olhando as vestes do padre, e perguntei a minha mãe onde meus avós se casaram. Ela me disse que foi no Liceu Coração de Jesus, próximo à Estação da Luz em São Paulo.

Na hora, eu me lembrei da minha pergunta. Ali estava a resposta. O Liceu é da Família Salesiana, e é onde o padre Jonas estudou. Nos mistérios de Deus, acredito, pela fé, como diz no Salmo 138.16, que cada dia da minha vida foi prefixado, desde antes que um só deles existisse. Dentro de mim brotou a gratidão pelo olhar de Deus que sempre me acompanhou através da intercessão de Dom Bosco; e hoje a Canção Nova é Família Salesiana.

Eu consagrei a minha vocação aos cuidados de São João Bosco. Hoje, tenho muitos amigos do céu, para os quais peço intercessão, mas, sem dúvidas, Dom Bosco já havia me escolhido.

Dom Bosco, educai-nos para a santidade.